ANS suspende a partir de hoje 87 planos de saúde
20/05/2015 | 02h15
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspende, a partir de hoje (20), a venda de 87 planos de saúde. Deste total, 22 operadoras foram punidas por queixas de clientes como não cumprimento dos prazos máximos de atendimento e negativas indevidas de cobertura. Por outro lado, 34 planos que estavam com a comercialização suspensa comprovaram melhoria no atendimento e poderão voltar a ser vendidos.
Agência Nacional de Saúde suspende vendas de 87 planos de saúde
Das 22 operadoras com planos punidos, 8 já tinham planos suspensos no período anterior e 14 não constavam na última lista. Deste total, 11 terão a comercialização suspensa pela primeira vez. A medida é preventiva e perdura até a divulgação do próximo ciclo de fiscalização.
Entre as operadoras com maior número de planos suspensos estão a Unimed Paulistana, com 24 serviços com venda proibida, e a Odontoprev (17). A lista completa pode ser consultada no site www.ans.gov.br.
De 19 de dezembro de 2014 a 15 março de 2015, a ANS recebeu 21.294 reclamações contra planos de saúde. Do total, 6.621 eram relacionadas a temas não assistenciais (contratos e reajuste, por exemplo) e 14.673 referentes a problemas com cobertura assistencial.
A ANS ressalta que, além de ter a comercialização suspensa, as operadoras que negaram indevidamente cobertura podem receber multa que varia de R$ 80 mil a R$ 100 mil.
Desde o início do programa de monitoramento, 1.099 planos de 154 operadoras já tiveram as vendas suspensas. Desses, 924 planos voltaram ao mercado após comprovar melhorias no atendimento.
A estimativa da ANS é que há no país 50,8 milhões de pessoas que têm planos de assistência médica e 21,4 milhões com planos exclusivamente odontológicos.Planos de saúde que tiveram a venda suspensa: ALLIANZ SAÚDE S/A ASSOCIAÇÃO AUXILIADORA DAS CLASSES LABORIOSAS COOPUS - COOPERATIVA DE USUÁRIOS DO SISTEMA DE SAÚDE DE CAMPINAS ECOLE SERVIÇOS MÉDICOS LTDA GOOD LIFE SAÚDE LTDA IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE MAUÁ MEDISANITAS BRASIL ASSISTÊNCIA INTEGRAL À SAÚDE S/A. MINAS CENTER MED LTDA ODONTOPREV S/A OPERADORA UNICENTRAL DE PLANOS DE SAÚDE LTDA. PLENA SAÚDE LTDA PROMED ASSISTÊNCIA MEDICA LTDA SALUTAR SAÚDE SEGURADORA S/A UNIMED ITABUNA COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO UNIMED PAULISTANA SOCIEDADE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO UNIMED-RIO COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO DO RIO DE JANEIRO VITALLIS SAÚDE S/A W.S. - ADMINISTRADORA DE PLANOS DE SAÚDE E ODONTOLÓGICO LTDA. Fonte. Agência Brasil
Comentar
Compartilhe
DESMATAMENTO ZERO
29/11/2013 | 02h36
O Greenpace faz uma chamada às ruas. Das tantas ONGs que existem pelo mundo esta é , sem dúvida alguma, das que mais respeito. Assine você também o abaixo assinado! lp A Mobilização pelo Desmatamento Zero vai acontecer no sábado, dia 7 de dezembro, em várias cidades do país. Serão diversas atividades de mobilização, como pintura de camisetas, coleta de assinaturas para o projeto de lei e oficinas. Você também pode fazer parte dessa história organizando um evento nesse dia. Se você tem vontade de lutar por um mundo melhor, junte-se a nós e contribua para despertar milhares de brasileiros. Para inscrever um evento e obter detalhes da mobilização acesse: bit.ly/mobilizacaodz Ajude a construir essa história. Participe! Abraços, Cristiane Mazzetti Mobilização Greenpeace Brasil
Facebook Twitter Google+
Greenpeace
Comentar
Compartilhe
Revolta contra a UNIMED
14/03/2013 | 06h30
Recebemos agora (17h50) a ligação de João Vicente de Alvarenga, presidente da Fundação Trinanon, indignado com o precário atendimento da Unimed. Ele está com uma virose ou suspeita de dengue. Lá,  nesse momento, tem 22 pessoas aguardando atendimento médico e mais 10 na fila preenchendo a ficha de atendimento, procedimento que leva em torno de 15 minutos cada. No meio dessa fila uma gestante indagou se não teria direito a atendimento prioritário. Como resposta ouviu do funcionário da Unimed que prioridade ela teria para entrar no consultório. Para ser atendida é obrigada a aguardar em pé na fila mesmo. João Vicente relata que da última vez que recorreu aos serviços médicos da Unimed encontrou quadro semelhante.  Preocupante. Talvez, por isso mesmo, a Unimed tem obtido péssimas avaliações por parte de usuários, que pagam e bem pagam o plano de saúde. Recente fiz uma pesquisa de preço junto ao plano de saúde para mim. Teria que pagar mais de um salário mínimo, em área de abrangência regional e com direito à internação em enfermaria. É crítica a vida de um consumidor.
Comentar
Compartilhe
O bicho vai pegar
29/08/2012 | 04h03
Hoje, no meu café, abri a Folha da Manhã e caiu nas minhas mãos um encarte coloridão da AMIL. Então,  chegou em Campos aquele que é um dos maiores planos da saúde privada do país. Ninguém mais duvida de que agora no rastro do Açu desembarca na cidade, de mala e cuia, mais um setor de serviço importante do capitalismo brasileiro.  Chega a mil, se anuncia na promessa de  "a melhor rede de atendimento do Norte Fluminense". De minha parte nada contra; sou uma carioca que por livre arbítrio optou por viver nesta região que muito quero bem. Portanto, nenhum espanto. Quiçá na concorrência com os demais planos locais sejamos melhores atendidos pelos os que até agora surfavam na hegemonia do atendimento garantido? Quem sabe se (também) com o empurrão da iniciativa privada possamos, a médio prazo,  nos libertar da dependência crônica ao poder público municipal local?
Comentar
Compartilhe