Vida Inteligente na FLIP
24/05/2013 | 04h17
[caption id="attachment_6346" align="alignleft" width="300" caption="divulgação"][/caption] Flip — Festa Literária Internacional de Paraty — evento literário internacional de maior charme no Brasil, inaugura a segunda década do evento, no dia 3 de julho. A 11ª edição da festa traz Graciliano Ramos como o autor homenageado. Pelo profissionalismo do evento em anos anteriores, pode-se afirmar com antecedência que o escritor alagoano estará presente, de escrita e alma, nos temas das mesas, que serão abordados pelos convidados nacionais e internacionais. São cinco dias — entre 3 e 7 de julho — em que a literatura é falada nas mais variadas abordagens. Mais de 40 convidados, entre brasileiros e estrangeiros estarão no palco da Flip. Composta de uma conferência de abertura e 20 mesas que reúnem para uma conversa informal convidados dos mais variados horizontes (escritores, cineastas, quadrinistas, historiadores, jornalistas e artistas plásticos, entre outros), a programação principal da Flip é realizada na Tenda dos Autores que possui um auditório com 850 lugares. Todos os eventos contam com tradução simultânea e são transmitidos na Tenda do Telão, com capacidade para 1,4 mil pessoas, e ao vivo, pela internet. Na Flip 2013, o modo de criação mais livre se reafirma através dos escritores contemporâneos. A poesia está em meio à prosa, o ensaio mostra a sua cara como gênero literário e microrrelatos em obras de ficção assinalam o singular de cada autor. “Contra o dogmatismo que pretende estabelecer um modelo único de escrita, a Festa Literária Internacional de Paraty aposta numa multiplicação de escritas possíveis, pressupondo que a literatura estará sempre ligada ao próprio tempo, mas de maneiras tão diversas quanto as experiências de seus criadores”, afirma Miguel Conde, curador da Flip 2013. A conferência de abertura, às 19h, no dia 3 de julho, “Graciliano Ramos: aspereza do mundo e concisão da linguagem” será feita por Milton Hatoum. Filho de imigrantes libaneses, Milton Hatoum nasceu em Manaus, em 1952. Em seu romance “Cinzas do Norte” (2005), vencedor do prêmio Jabuti na categoria Livro do Ano, expõe sua visão íntima da geração que viveu sob a ditadura dos anos 1970. Com obras traduzidas em 12 idiomas, está entre os autores brasileiros mais lidos no exterior. Logo após, Gilberto Gil fará o show na noite de abertura do evento. O repertório do show pinça faixas representativas de 50 anos de palco. Acompanhado do filho Bem Gil (violão e guitarras) e do músico Gustavo Di Dalva (percussão), Gil relembra canções seminais compostas nas diversas fases de sua carreira. Pensando na multiplicidade de abordagens, entre outros, o curador trará nomes que vão do poeta TamimAlBarghouti, figura central na primavera árabe, ao romancista Michel Houellebecq. Narrador ácido e observador crítico do mundo contemporâneo e de suas relações, Houellebecq ganhou o Goncourt em 2010 com o romance “Partículas Elementares”, é considerado um dos grandes nomes da atual prosa francesa. Especialista em contos e narrativas concisas, a norte-americana Lydia Davis, finalista do Man Booker International Prize 2013, falará de obras de sua autoria que não raro transitam entre ficção, ensaio e poesia. Já a franco-iraniana Lila Azam Zanganeh trará para o palco da Flip sua leitura original da obra de Vladimir Nabokov, tido por ela como o “grande escritor da felicidade”. A venda de ingressos para a 11ª edição da Flip começa às 10h do dia 10 de junho. Para a tenda dos autores custarão R$ 46, para a tenda do telão, R$ 12, e para o show de abertura R$ 22 (pista) e R$ 46 (cadeira). Devida à imensa procura, há limite de dois ingressos por pessoa de acordo com o CPF do comprador. Luciana Portinho Folha Letras de hoje, 24/05.  
Comentar
Compartilhe
Flip 2013 homenageará Graciliano Ramos
02/10/2012 | 09h55
Os grandes eventos são assim: respeitam calendário, planejados e divulgados com atencedência. A surpresa fica restrita ao futuro e de quem dele usufruir. Graciliano Ramos será o homenageado da 11ª Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que será realizada entre os dias 3 e 7 de julho de 2013. No próximo dia 27 de outubro se completam 120 anos do nascimento do autor, natural de Quebrângulo, Alagoas. Escritor, jornalista e político, Graciliano Ramos teve uma vida em que a literatura e a política se entrelaçaram e, não raro, as convicções e atividades políticas inspiraram suas obras de forte conteúdo social. Memórias do Cárcere revela sua amarga experiência no período em que esteve preso durante a ditadura de Getúlio Vargas, em 1935, acusado de subversão. Vidas Secas, um de seus mais celebrados trabalhos, retrata, por meio de um relato indignado, as agruras dos retirantes nordestinos castigados e humilhados pela seca. [caption id="attachment_4917" align="alignleft" width="256" caption="Imagem:livroerrante.blogspot.com"][/caption] “A crítica da sociedade e a autocrítica do artista estão ligadas na obra de Graciliano Ramos. A reflexão sobre as implicações éticas da escrita resulta, em seus livros, numa constante avaliação e revisão dos próprios procedimentos. Em vez da prosa documental de tantos autores engajados do mesmo período, o que se vê então é uma obra em que o próprio compromisso político conduz à experimentação, pois está vinculado a um espírito crítico rigoroso e hostil ao dogmatismo”, assinala Miguel Conde, curador da 11ª Flip, ao explicar a escolha do homenageado. De acordo com Mauro Munhoz, diretor-geral da Flip, a escolha de Graciliano Ramos como homenageado se traduz não apenas nas atividades durante o evento mas, também, na estreita aproximação do autor e de sua produção literária com a comunidade local durante todo o ano. “Os alunos das escolas de Paraty vão estudar a vida e a obra do autor desde janeiro do ano que vem  e serão realizadas ações permanentes para que moradores e visitantes de Paraty possam ter uma proximidade ainda maior com esse importante escritor”, explica Munhoz, que também preside a Associação Casa Azul, entidade realizadora da Flip. * por e-mail da flip.org.br
Comentar
Compartilhe