'FRISSON' NO VELHO CONTINENTE
12/05/2015 | 10h16
Em uma visita histórica, o presidente da França François Hollande, chegou a Cuba no último domingo (10). É a primeira de um presidente francês desde 1898, final do século XIX, quando da independência de Cuba da Espanha. Desde os anos 1980, é a primeira visita oficial de um chefe de Estado europeu. Neste momento em que Cuba e Estados Unidos reataram as relações diplomáticas, a França quer ser pioneira, de olho em possíveis relações comerciais, apostar na renovação cubana. Ontem (11), Hollande fez um apelo para o fim do embargo dos EUA a Cuba, afirmou que a França fará de tudo para que "a abertura possa se confirmar" e que "as medidas que tanto prejudicaram a ilha possam enfim ser eliminadas". Desde 1991, a França vota a favor da resolução que exige o levantamento do embargo na Assembleia Geral da ONU.
É uma visita de oportunidades. Hollande foi acompanhado de 30 empresários franceses , a delegação incluiu sete ministros e vice-ministros. Como o décimo parceiro econômico da ilha, a França busca expandir sua presença no mercado cubano.
O deslocamento de François Hollande a Cuba suscitou certa excitação na França. O jornal Libération (de gozação) estampou na primeira página uma mistura do retrato do presidente com o do Che Guevara, morto há 48 anos. O fascínio, apesar de enfrentar na atualidade forte contestação ao regime político cubano, data de longe: intelectuais de esquerda alimentavam a esperança de que Cuba ofereceria solução à espinhosa equação entre socialismo e liberdade. Até 1968 este entusiasmo persistiu e mesmo setores da direita vibravam com a atitude de Fidel Castro de "bater pé" frente aos Estados Unidos, aos quais os franceses de um modo geral menosprezam culturalmente.
Francois-Hollande-en-Une-de-Liberation-le-11-mai-2015_exact1024x768_pO presidente francês também se reuniu com o ex-presidente cubano, Fidel Castro, a conversa durou cerca de uma hora.
— Tive diante de mim um homem que fez História. Há um debate sobre qual será seu lugar e quais serão suas responsabilidades na História. Mas, ao vir a Cuba, queria conhecer Fidel Castro, esclareceu Hollande. Fontes. Le Figaro, O Globo  
Comentar
Compartilhe
Campos saiu ganhando
06/10/2014 | 02h41
Essa é a certeza que carrego do resultado eleitoral de ontem. A derrota histórica do Garotinho em Campos (abaixo de 40% dos votos locais), a sua não ida ao 2º turno da eleição para governador, tem esse conteúdo para a nossa cidade. Um orçamento bilionário que se escoa pelo ralo; uma prefeitura que não paga em dia o que contrata, que definitivamente ignora os agentes culturais independentes, que descuida da educação dos seus, que despreza a saúde do cidadão, uma população que não atura mais ser engambelada por discursos populistas. Mais do que nunca, é hora de juntar forças. A oposição em Campos, também não se saiu bem: está pulverizada, presa a interesses de partidos, precisa urgente se renovar. Falta, hoje, uma liderança que catalise essa vontade de mudança expressa na fraca votação do casal governante - apesar do imenso poderio da máquina.  E tenho a convicção de que o novo sairá se for colado ao cotidiano da população campista. A cidade de Campos, mudou, cresceu, não é mais aquela Campos de 20 anos atrás, nem de dez!  As relações sociais são outras, a economia se diversificou. Basta andar pelas ruas e ver as caras novas que circulam com seus problemas e anseios, alheios à elite tradicional e à política vigente. É preciso pensar grande, acima dos interesses individuais de grupos, pois, a oportunidade de virar a página nas eleições municipais de 2016 está dada. Para esta modesta blogueira, ainda que seus candidatos proporcionais, tenham ido mal, o gosto final  é o de vitória, é bom. Do tanto que li de avaliações e comentários sobre o pífio resultado eleitoral da dupla poderosa, cito duas. Falam por mim: "Mas o tempo não levou os ataques inconsequentes, lhe trouxe prepotência e um caminhão de ex-amigos, que são bem piores que inimigos".  (frase de Gustavo Matheus que pincei, o negrito é meu) "Perdeu para o Crivela com uma diferença que Campos poderia dá-lo, mas preferiu ignorar os professores, condenar a Orquestra Orquestra Coro Municipal de Campos ao descaso total, a paralisação das obras entre outras. Dá nisso!!!" (do jovem músico Charles Vianna, na rede social) Até o final do ano, irei dar uma retirada leve, do blog e das redes sociais. Peço paciência, por vezes postarei. É o meu tempo. Um abraço,  
Comentar
Compartilhe
MEC desvincula 72 instituições do Prouni
14/05/2014 | 02h30
O MEC tem agido corretamente. Oferece condições - antes não vistas - e cobra reciprocidade das universidades, tanto do ponto de vista da qualidade de ensino oferecida à população como do recolhimento de tributos devidos e organização administrativa.  É uma pena que ainda poucos estabelecimentos de ensino superior não correspondam à confiança do Ministério da Educação. Ver íntegra da matéria abaixo.
Fim da conversa no bate-papo
Comentar
Compartilhe
Noroeste na fita, com Nino Bellieny
05/05/2014 | 12h13
O movimentado jornalista Nino Bellieny deu partida, ontem, em novo empreendimento na blogosfera. É o blog  "Nino Blog Bellieny" ver (aqui). Nele, você leitor antenado, encontrará notícias do mundo corporativo, empresarial, político, judiciário e comportamental.  Nino Bellieny traz o seu jeito elegante e agudo de ver o mundo pra dentro da web. Ganhamos, nós!
Comentar
Compartilhe
Noroeste em pauta
22/04/2014 | 07h07
[caption id="attachment_7942" align="aligncenter" width="620" caption="Divulgação"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
E tanto do Brasil II
18/04/2014 | 11h06
Ainda da nossa recente ida à localidade de Mata da Cruz, interior de Campos, na região norte do município, distrito de Santa Maria, 93 km da cidade. Para lá chegar, partindo da cidade, vamos pela BR101 em direção a Vitória; na altura da entrada de Conselheiro Josino a gente sai da estrada federal e segue por uma estrada vicinal. Mata da Cruz é uma realidade rural, comunidade pequena vinculada à pecuária de leite e corte e também à agricultura familiar. O lugar é bonito de verdade, vive um compasso diferente dos centros urbanos do estado do Rio. Ainda que integre Campos, no cotidiano eles lá se socorrem de municípios mais próximos como Cardoso Moreira, Italva e o maior deles - na região noroeste fluminense -  Itaperuna. Quem pensa que em lugares assim o povo vive letárgico, se engana feio. Produzir leite não é atividade para preguiçoso. São 365 dias por ano, sem feriado ou fim de semana, vaca não sabe o que é isso, come e bebe água sem parar. Quanto melhor o rebanho, mais cuidado com a saúde dos animais, mais bezerros, mais leite produzido, mais trabalho. Sem querer dei de cara com uma pequena fabriqueta, uma confecção.  À frente do pequeno empreendimento de sucesso está Miriam Amaral. Ela, nos seus 28 anos, vislumbrou a possibilidade de enveredar por seu sonho. Foi a Campos. No Fundo de Desenvolvimento de Campos - Fundecam, encontrou uma fonte de empréstimo para começar o negócio. Comprou o maquinário e há um ano e meio, emprega 11 pessoas da região. Produzem shorts de elástico; na realidade recebem as peças cortadas e fazem o fechamento mais o acabamento final. Trabalham, como se chama, em sistema de facção para Boaventura, distrito de Itaperuna. Os shorts e bermudas são vendidos pela ‘Veste Surf’, no comércio de Itaperuna.

 

Miriam, deu uma paradinha, nos recebeu com atenção, notável a satisfação dela e dos demais. Mais um exemplo, que leva a marca do brasileiro a cada quadrilátero desse nosso Brasilzão.  
Comentar
Compartilhe
Nos Tempos da Foto Novela
30/03/2014 | 10h04
Aula de teatro (expressão corporal, atuação, fotografia, filmagem, redação, roteiro e produção). O curso abordará os conceitos básicos da técnica fotográfica e audiovisuais, de utilização da câmera, discussão sobre fotógrafos renomados, conceitos básicos sobre a fotonovela e sua narrativa específica e as ferramentas para a criação de uma fotonovela. . Produção e edição de uma fotonovela. . Entrega de um DVD editado para cada aluno da turma. • Data: Abril a Junho – uma vez por semana (toda quinta-feira) – 3 horas por dia (15h às 18h). . Carga horária: 39 horas • Local: Espaço Multimídia/Sesc. • Público: Terceira Idade e Jovens – capacidade da turma = 45 participantes Inscrições abertas no Sesc Av Alberto Torres, 397 – Centro (22) 2725-1210
Comentar
Compartilhe
FELIZ ANIVERSÁRIO
28/03/2014 | 02h27
Em 1835, Campos dos Goytacazes foi elevada à categoria de cidade neste dia, portanto, passamos a ter este status há 179 anos. Deixar de ser vila para ser cidade pressupõe alguns quesitos que na administração municipal atendam à cidadania. Será que os nossos governantes nas últimas décadas têm tido a preocupação e a competência de planejar a cidade do presente para o futuro, como alguns o fizeram no início do século retrasado? Todos os que aqui chegam ficam extasiados com a beleza e o potencial de desenvolvimento da nossa planície e, também, da região do Imbé e do norte do município. Inconcebível que continuemos a querer viver à larga, desperdiçando os royalties do petróleo, com entretenimentos, projetos e obras de qualidade duvidosa que não trazem nenhum benefício, nem agregam nenhum valor à construção de nossa cultura, cidadania e sustentabilidade. Há 43 anos, chegou à nossa cidade um mineiro médico para dar aula na Faculdade de Medicina de Campos. Apaixonou-se pela cidade e, também, pela campista Carminha, com quem se casou e teve o Larry filho. Larry pai foi quem implantou o primeiro Centro de Terapia Intensiva do interior do Estado do Rio de Janeiro. Tive a honra e a alegria de poder ajudá-lo nesta tarefa. Como disse acima, todos que aqui chegam se encantam com o nosso potencial. Com Gualter Larry Alves não foi diferente, assim como foi comigo. Ambos adotamos e fomos adotados pela cidade e pelo povo campista, nos tornamos gratos e tentamos retribuir colaborando com o desenvolvimento da medicina em Campos. Hoje, aproveito para primeiro parabenizar a minha cidade, desejando para ela um futuro autossustentável, próspero e pacífico. Um futuro no qual todos os campistas sejam cidadãos plenos, nossa educação seja a primeira do Estado, nossa saúde nota dez, cultura não seja confundida com entretenimento, emprego pleno para seus filhos, índice de violência zero e, consequentemente, mortes somente as inevitáveis. Em segundo, saudar o meu amigo Larry pelo seu aniversário e dizer para ele, Carminha e Larry filho, e também para todos os campistas, que devemos e podemos continuar a acreditar e sonhar com uma Campos melhor. Só depende de nós. Makhoul Moussallem Médico conselheiro do CREMERJ e CFM *Artigo publicado hoje, (28/03), no jornal Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
VIVA SEU SONHO
17/02/2014 | 11h36
Trago ao blog o artigo do publicitário Mauricio Cunha. Para quem ainda não o conhece, afirmo que Mauricio é um profissional vivaz. Cidadão do bem, carismático e extremamente responsável. Nascido em Itaperuna, noroeste fluminense, foi para o Rio de Janeiro, fazer carreira. O texto é leve. Nos fala de um aspecto vital, do desperdício que é abrir mão dele; o sonho que planejado e executado nos torna mais realizados, em todos os aspectos da nossa efêmera existência.  Sugiro a leitura, nesse início de semana. lp Viva Seu Sonho Quando somos crianças, temos uma capacidade de sonhar tão alta que é como se os limites não existissem. Hoje em dia, se perguntarmos a essas pessoinhas sobre o que querem ser/fazer na vida adulta, temos a oportunidade de ouvir as histórias mais mirabolantes e animadas. Para elas, o mundo é um lugar novo, onde tudo é possível. Ainda que esse potencial inexplorado tenha vindo dentro de nós, no meio do caminho, algo acontece: crescemos. E com a experiência adquirida no passar dos anos, aprendemos que as coisas não são fáceis, que não podemos fazer tudo e que o mundo é um lugar que nos ferirá por incontáveis vezes. Então, vacinados, ficamos receosos, tudo para proteger nossa integridade emocional e física. Cada vez menos a palavra “arriscar” se faz presente no dia a dia, aprender coisas novas não gera a mesma emoção e, finalmente, temos um confronto com aquilo que percebemos como sendo a nova realidade. Enfim, a gente se torna conformado com o pouco. Cada um tem seu ponto de equilíbrio do sonho. Ele fica em um lugar de difícil acesso: entre o pessimismo da maturidade e a ingenuidade da infância. É bem verdade que somos cheios de um potencial fantástico para realizar, mas também é verdade, infelizmente, que isto nunca será experimentado pela maioria esmagadora das pessoas. Agora, questione-se, será que em algum momento você deixou seus verdadeiros sonhos pela estrada? O medo nos paralisa de tal forma que, de uma maneira nada inteligente, decidimos ficar no mesmo lugar. Shakespeare sabiamente resume essa situação na seguinte frase: "Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, pelo simples medo de tentar". Se você já esteve em um cemitério, nunca mais o verá da mesma forma após a leitura deste texto. Não porque abordarei sobre as pessoas que são enterradas ali, mas por causa do que foi enterrado dentro daquelas pessoas que morreram. Pense em todas as músicas que poderiam ter sido cantadas, livros e textos que nunca foram escritos, palavras de amor que nunca foram compartilhadas, perdão que nunca foi liberado, invenções que não foram desenvolvidas... Tanto potencial que nunca, jamais alguém conheceu. Na história, muito tem sido desperdiçado ao longo da existência humana por pessoas que tiveram medo de se machucar, de serem criticadas, ridicularizadas, também por receio das dificuldades financeiras e outras tantas razões. Quais sonhos você enterrou aí no solo do seu coração? A vida é muito curta e você só poderá vivê-la uma vez. Não fazer nada sobre isso também é uma decisão. Um dia, cada um de nós terá seu encontro com a morte e as possibilidades de realiza-los serão finalizadas ali e nada mais poderá ser feito sobre. É incrível como que diante de uma situação assim, todos aqueles empecilhos ficam ridiculamente pequenos. Então, não se preocupe! Caro leitor, se você está respirando neste momento, significa que sua vida não se perdeu ainda. Há algum propósito para a sua existência e você tem o poder de cumpri-lo. Isso vai além da sua felicidade, envolve a comunidade e o universo ao seu redor, pois se trata do legado que você deixará para outras gerações e o exemplo gravado na memória de quem te ama. Por isso, eu te digo com toda a confiança, vale a pena correr o risco. Levante-se em direção daquilo que já era considerado perdido por você mesmo. Busque conhecer e desenvolver os seus talentos para ter atitude e tomar aquele lugar que foi feito pra você ao sol. Corra para fazer aquilo que deixa a sua vida com um sentido especial. Não abra mão do sonho. Você não nasceu para passar despercebido. [caption id="attachment_7584" align="alignright" width="400" caption="Ft. Facebook"][/caption] Mauricio Cunha "Fonte: Revista Estilo Off"
Comentar
Compartilhe
"Não se pode escrever nada com indiferença"
09/01/2014 | 06h27
Ícone das mulheres em processo de emancipação, escritora e filósofa, Simone Beauvoir faria hoje 106 anos. Parceira e colaboradora do também escritor francês Jean-Paul Sartre, com ele formou dos pares intelectuais mais emblemáticos, em meados do Século XX. Algumas frases desta pensadora: “Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.” “É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta.” “Não se nasce mulher: torna-se.”      “Querer-se livre é também querer livres os outros.” "Viver é envelhecer, nada mais." "Quando se respeita alguém não queremos forçar a sua alma sem o seu consentimento." "Em todas as lágrimas há uma esperança." “Seja qual for o país, capitalista ou socialista, o homem foi em todo o lado arrasado pela tecnologia, alienado do seu próprio trabalho, feito prisioneiro, forçado a um estado de estupidez.”
Comentar
Compartilhe
Próximo >