Burrada infeliz
03/03/2016 | 01h23
De uns tempos pra cá, volta e meia, setores responsáveis pela Educação no Brasil, investem contra autores nacionais consagrados, questionam os mitos e lendas tradicionais, suprimem períodos da História Universal e se viram até mesmo contra a Língua Portuguesa. Passam a impressão de que ao invés de estarem debruçados em solucionar os reais e graves problemas educacionais do país, optam por mostrar serviço aos brasileiros.
Sob o título "Saci Pererê faz mal a cultura nacional" publiquei um post em 31-10-2010.  Há seis anos, o Conselho Nacional de Educação investiu contra a difusão do livro “Caçadas de Pedrinho”, de Monteiro Lobato, um de nossos maiores autores de literatura infantil, na rede pública de ensino do país.
A trapalhada pode ser lembrada aqui. Já para esse ano de 2016, o Ministério da Educação resolveu alterar, entre outros,  o currículo de história do ensino médio. História antiga, como Grécia e Roma, passou a ser vista como fruto de uma "visão europeia". História medieval idem. Distante da realidade brasileira, carecem de importância. Em seu lugar, história das Américas, da África e historia indígena. Sobre o assunto, o historiador Marco Antonio Villa assim se manifestou em um artigo publicado em janeiro no Globo: “É um crime de lesa-pátria. Vou comentar somente o currículo de História do ensino médio. Foi simplesmente suprimida a História Antiga. Seguindo a vontade dos comissários-educadores do PT, não teremos mais nenhuma aula que trata da Mesopotâmia ou do Egito. Da herança greco-latina os nossos alunos nada saberão. A filosofia grega para que serve? E a democracia ateniense? E a cultura grega? E a herança romana? E o nascimento do cristianismo? E o Império Romano?”. E tem mais: “Toda a expansão do cristianismo e seus reflexos na cultura ocidental, o mundo islâmico, as Cruzadas, as transformações econômico-políticas, especialmente a partir do século XI, são desprezadas. O Renascimento — em todas as suas variações — foi simplesmente ignorado. Parece mentira, mas, infelizmente, não é. Mas tem mais: a Revolução Industrial não é citada uma vez sequer, assim como a Revolução Francesa ou as revoluções inglesas do século XVII.”
Não por acaso, ou por gratuidade, as redes sociais estampam a caricatura abaixo.
 FullSizeRender(39)
Comentar
Compartilhe
Campos: mais denúncias de desrespeito e descaso
15/04/2015 | 09h23
Tomo a liberdade de divulgar o post abaixo, publicado a pouco no mural da rede social Facebook do vereador Rafael Diniz. São denuncias graves que envolvem a Prefeitura de Campos. Lamentável. "Estivemos hoje, eu e o vereador Fred Machado, visitando a Creche Escola Souza Mota, no Fundão. Mais uma vez foi triste constatar o completo desrespeito e descaso desse "desgoverno" com a nossa educação. Mais triste ainda é saber que isso acontece num dos municípios mais ricos do Brasil... um Município de orçamento bilionário!!! Abaixo alguns dos graves problemas lá encontrados: - Casa alugada e sem estrutura para servir como estabelecimento educacional; - Péssimo refeitório, pois se chove as crianças precisam fazer a refeição em outro lugar; - Área externa grande, mas com entulho, mato, pedra. Muito perigoso, pois são crianças de até três anos de idade; - 4 pequenas salas, separadas por divisórias, quando a maior tem 16m2, sem ventilador, quando a professora coloca as crianças sem blusas por causa do calor; - a professora tem que fazer tudo, pois não tem auxiliar de turma; - Não tem sala de reunião, não tem computador para os professores, apenas direção, não tem biblioteca, brinquedoteca, não tem área de lazer ou parquinho; - Tv e DVD comprados pelos próprios professores; - A pintura da escola foi feita pelos professores no início do ano, com dinheiro arrecadado em festa junina, assim como a reparação de paredes com gesso trazido de casa pelos professores; - Sala de berçário de 6m2, para 10 crianças, contando com uma aluna portadora de necessidades especiais , não tendo cuidadora especial para ela; - Apenas colchonetes e um único berço, com péssima ventilação; - Atividades como xerox, trabalhos e tarefas são pagos pelo próprio professor; - Todo enfeite e cartaz para ilustrar as salas são trazidos de casa pelos professores; - Um único banheiro de 1,5x 2,5 para 60 crianças, em péssimo estado; - como não tem espaço suficiente, as crianças maiores são levadas para tomar banho de mangueira; - banheiro sem água quente, vive entupido, apenas um sanitário em péssimo estado, sem pia e um único chuveiro completamente desapropriado." [caption id="attachment_8854" align="aligncenter" width="540"]RAFAEL E FRED Vereadores Fred Machado e Rafael Diniz Foto da página pública do Vereador Rafael Diniz no Facebook[/caption]  
Comentar
Compartilhe
Entre as melhores: Uenf e Faculdade Redentor
26/12/2014 | 10h55
Saiu a classificação geral com as melhores instituições de ensino superior do país para o ano de 2014. A avaliação é do MEC. Entre as cem melhores, figura o nosso orgulho local, que veio dar uma virada na estagnação universitária de Campos desde que foi criada. Falo da universidade bolada pelo educador Darcy Ribeiro, a Uenf,  esta aparece como a primeira colocada do estado do Rio de Janeiro, em 11º lugar. Desbancando instituições mais tradicionais do RJ, que atingiram: 12º UFRJ, 16º PUC/RJ,  54º UFF e  74º Uerj. Na relação das faculdades do país, a jovem Faculdade Redentor, de Itaperuna, confirma  - com 10 cursos avaliados - a 53º colocação e pelo Índice Geral de Cursos (IGC) a pontuação de 4, em uma escala de 1 a 5. Com maior número de cursos, a  Faculdade Redentor se afirma como a melhor faculdade do RJ. Atualização às 19:o2h. Fonte: Revista Exame, aqui . Anteriormente (20/12), o blog Em Tempo, do colega Cilênio Tavares já tinha postado matéria sobre a classificação da Uenf, ver aqui.
Comentar
Compartilhe
Do Facebook para o blog
07/09/2014 | 07h53
IDEB DE CAMPOS: A HISTÓRIA DE UM VEXAME NACIONAL. É mesmo inacreditável que Campos, com tamanha tradição cultural, tenha chegado ao pífio posto de antepenúltimo lugar na classificação do Ideb no Estado do Rio. Nos colocaram no 88º do ranking da educação fluminense. E isso sem contar que somos o maior produtor de petróleo, a maior arrecadação de royalties. Sem contar que no ano de 2014, recebemos R$ 170 milhões, do governo federal (através do Fundeb). Sem contar que a prefeita Rosinha Garotinho (há seis anos no governo) "prometeu" tirar Campos dessa situação de calamidade na Educação. Nada foi feito! Nada, nada justifica.  #DrMakhoul1309Federal #DiferenteDeTudo #EducaçãoParaTodos #ValorizaçãoDosProfissionaisDaEducação Curta nossa página: www.facebook.com.br/drmakhoul
Comentar
Compartilhe
Das imobilidades do campista
06/09/2014 | 01h52
No deslocamento urbano cotidiano.

E....

No Ideb, quando nos arrastamos com tremendo sacrifício do último para o antepenúltimo município colocado no Estado do Rio de Janeiro. Ufa!
Comentar
Compartilhe
Boa notícia para as regiões norte e noroeste
08/07/2014 | 02h58

Vejo a notícia da aprovação de mais um curso superior na Faculdade Redentor. Desta vez é para o campus de Itaperuna. Acaba de ser autorizado pelo MEC (Ministério da Educação) o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

Bom lembrar que a Faculdade Redentor tem o melhor curso de Ciências Biológicas, segundo avaliação do próprio MEC.

A íntegra da matéria você lerá, no blog do jornalista Nino Bellieny, aqui.
Comentar
Compartilhe
Segue denúncia de uma professora campista
29/06/2014 | 09h48
Querida Chará, Gostaria de compartilhar contigo a “carta” que escrevi a todos os vereadores, sendo situação ou não, visto que no meu entendimento edis foram eleitos para fiscalizar e elaborar leis orgânicas em benefício da população. Muitas pessoas me questionam e querem me passar recibo de insana ou até mesmo de “doidinha”…Não me importo pois sou uma sonhadora, idealista, independente de qualquer foro ou partido político.Pois a Educação que primo e luto vai além, mas muito além destas picuinhas, baixarias e descasos por conta de um DAS ou coisa parecida.Segue a “carta” msn(via facebook, diretamente ao face de cada edil) “Boa Noite! Não sei se será boa noite. No momento não tenho tido boas noites de sono,mas não é por passar por esse fato que deveria deixar de te desejar. Explicarei o porquê? Já se passaram 29 meses ou seja 2 anos e 6 meses, que as escolas municipais, João Goulart e Jacques Richer estão funcionando num mesmo prédio.Ambas no prédio da Escola M.Jacques Richer em Campo Novo.O que tem deixado todos das duas unidades estressados por motivos óbvios. Como suportar trabalhar com barulho de panela de pressão, crianças perpassando por dentro da sala de outra professora para ir ao banheiro…e sem esquecer de citar, o desconforto e a desatenção dos alunos no quesito aprendizagem. Foram desativadas a sala de informática e o refeitório(não funcionam há 29 meses), para serem transformadas em salas de aulas provisórias por um determinado tempo (esse tempo que nunca termina). Bom, vamos ao que realmente interessa! Gostaria que você fizesse uma visita à escola Jacques Richer para constatar todo o meu relato e o quanto há de morosidade em “duas obras” que pelo teor do valor e do tempo, já eram para estarem concluídas.É muito triste ver tanto, mas tanto descaso com a educação no nosso município, principalmente na zona rural. Os edis precisam EXIGIR mais atenção com a EDUCAÇÃO. Fiscalizar MAIS as obras e as nossas denúncias!!!! Gostaríamos de receber uma visita sua, o mais rápido possível.Afinal de contas vereadores foram eleitos pelas comunidades para fazerem a diferença, e eu (professora há 20 anos), TAMBÉM tenho procurado fazer a diferença enquanto educadora na/pela comunidade que leciono. Muitíssimo obrigada pela sua atenção! Continue na PAZ! Abraço Luciana Soares Marques
Comentar
Compartilhe
GREVES
16/05/2014 | 05h52
De agora até outubro, além da Copa e das eleições é a temporada das greves. Todas, ou quase, devidamente programadas e agendadas como a greve dos rodoviários no estado, a greve dos vigilantes de bancos, a greve dos professores, a greve dos bancários, a greve dos correios e a polícia já ameaça fazer uma durante a Copa. Fico me perguntando a razão de tantas, se são gratuitas, se o pessoal quer ficar de folga à custa do governo e empresas, se têm fins políticos ou se são simplesmente deflagradas pela insatisfação das condições de trabalho e pelos baixos salários das categorias profissionais citadas. É óbvio: só com muita má fé estas não seriam por baixos salários. Além de baixos, não são devidamente corrigidos pelo patrão, seja público ou privado. Uma das greves que me espanta é a da Uenf. Não é sazonal. Não faz parte do calendário dos professores e funcionários da universidade e foi unicamente aprovada para corrigir as distorções salariais de todos da instituição, pois não encontrou da parte do governo do estado sensibilidade em atender as mínimas reivindicações dos grevistas, incluindo refeições e alojamento aos alunos. “Buscai o saber mesmo que seja na China”, sentença proferida por Maomé em uma preleção aos fiéis; ensinava que o mais importante para uma nação é a educação. O saber está ao nosso lado, nas universidades públicas e privadas. Não temos necessidade de ir a China busca-lo, no entanto, me parece que os gestores públicos querem despachá-lo para a China, assim ficaria bem distante e não os aborreceriam com questionamentos “desses chatos” – por serem cultos e possuírem senso crítico – costumam fazer por não aceitarem ser manejados como gado, tão a gosto dos políticos e governantes no Brasil. Sou a favor das greves, principalmente as da área de educação por melhor remuneração e contra a indignidade como é tratado o professor, seja do ensino fundamental ou superior. Fica claro para qualquer analista político-econômico, até para mim que não sou do ramo, não resta dúvida da má intenção para com a Educação e os educadores. Eles são o instrumento da virada e retirada do cenário desses maus patriotas. Gostaria que todas as categorias profissionais, em especial as das universidades, entendessem para todo o sempre: não basta apenas fazer greve e críticas. É preciso que participem ativamente da política. Caso resistam em participar, pelo menos que apoiem aqueles que são seus pares e põem a cara na reta, ou continuaremos amargando derrotas e decepções até o surgimento de novas gerações mais aguerridas. Makhoul Moussallem      Médico conselheiro do CREMERJ e CFM Presidente do PT em Campos dos Goytacazes * artigo publicado hoje, 16/05, no jornal Folha da Manhã.  
Comentar
Compartilhe
MEC desvincula 72 instituições do Prouni
14/05/2014 | 02h30
O MEC tem agido corretamente. Oferece condições - antes não vistas - e cobra reciprocidade das universidades, tanto do ponto de vista da qualidade de ensino oferecida à população como do recolhimento de tributos devidos e organização administrativa.  É uma pena que ainda poucos estabelecimentos de ensino superior não correspondam à confiança do Ministério da Educação. Ver íntegra da matéria abaixo.
Fim da conversa no bate-papo
Comentar
Compartilhe
Cavalo Paraguaio
09/05/2014 | 10h24

Em entrevista hoje, pela manhã, no programa de TV "Polêmica", do advogado e blogueiro Claudio Andrade, o senador Lindberg Farias (PT) afirmou que Garotinho é um cavalo paraguaio. Lindberg descartou qualquer aliança no segundo turno com Garotinho, "Não! Quero ir por outro caminho."

Preocupado com a percepção de uma crescente onda difusa na sociedade brasileira de cunho fascistoide, Lindberg disse ser preciso impedir o retrocesso, "O Pt necessita renovar os seus quadros." Citando Darcy Ribeiro e Brizola, frisou estar disposto a colocar a Educação como prioridade em seu governo e implantar a escola de tempo integral no estado. Rechaçou qualquer possibilidade de não vir candidato ao governo do Rio ao dizer que depois de muita pressão do PMDB, foi indicado por 6mil delegados como pré-candidato à eleição majoritária. Agradeceu ao Lula o apoio público recebido e afirmou que aos 44 anos está no momento certo, o senador destacou que "Ganhar por ganhar não vale a pena".

O senador cumpriu extensa agenda de visitas , reuniões e plenárias em Campos e retornou ao Rio de Janeiro, agora à noite, em avião comercial.

Comentar
Compartilhe
Próximo >
Sobre o autor

Luciana Portinho

[email protected]