"Lama até o pescoço"
16/11/2015 | 08h44
Recebi por e-mail esta correspondência da ONG Greenpeace do Brasil. Nutro por eles, pela dedicação e atrevimento, simpatia. Sugiro que leiam, vejam as fotos. Sem dúvida foi o maior desastre ambiental do país. O rastro, para além das mortes dos nossos semelhantes - destruição das suas formas de viver, das perdas materiais irreparáveis, das lembranças individuais, das histórias coletivas - é mortal ao meio ambiente. O vômito da lama contaminada, anda quilômetros, atravessa cidades, estados. Por onde passa, desesperança.
Greenpeace Brasil
Lama até o pescoço
Olá luciana, Neste momento, estamos em uma expedição documentando os estragos causados pelo estouro das barragens da mineradora Samarco, controlada pelas empresas Vale e BHP Billiton. Começamos a nossa viagem pelo arraial de Bento Rodrigues (MG), primeira comunidade a ser atingida, e estamos descendo rumo ao litoral do Espírito Santo, onde acompanhando o avanço da lama rumo ao Oceano Atlântico. Não conseguimos definir em uma palavra o cenário desolador que temos encontrado! O Rio Doce, a mais importante bacia hidrográfica do Sudeste, agora é um mar de lama, que tomou tudo o que há em sua volta e amarga uma lenta morte. Além disso, falta água para os moradores beberem em cidades importantes como Governador Valadares. Confira no nosso site relatos, fotos e vídeos da expedição. A história desse lugar e dessas pessoas deve ser contada e ouvida - por você, pela imprensa e por todos que acreditam que a Justiça deve se feita.
 
Alan Azevedo Greenpeace Brasil
Comentar
Compartilhe
ÚLTIMO POST
30/12/2013 | 02h11
Com a sensação de que tudo foi dito, de que nesses dias finais do calendário não temos algo a novo dizer, ao ler ontem O Globo, renovei convicção particular. A bióloga brasileira resume meu sentimento: ontem, hoje e amanhã, agir é preciso. A ativista gaúcha do Greenpeace, Ana Paula Maciel, finalmente pisou o solo pátrio no sábado. [caption id="attachment_7384" align="aligncenter" width="600" caption="Ft. Divulgação"][/caption]

Presa pela causa ambiental, por cem dias na Rússia, a moça e mais 29 integrantes do Greenpeace foram detidos por autoridades russas em 19 de setembro. Um dia após protestarem em uma plataforma de petróleo da companhia Gazpron, no Mar do Norte, Círculo Polar Ártico, o grupo foi acusado de pirataria e vandalismo (sic). Enfim libertos, guardam a certeza da mobilização internacional como única responsável pela soltura deles.

Ana Paula ao desembarcar, logo desfraldou a bandeira "Salve o Ártico", descansará junto à família por cerca de um mês, de lá volta à ativa: a nova missão será na Nova Zelândia, uma campanha de preservação das baleias orcas. Termino assim 2013, saudando a todos que não desistem das suas "utopias", por dinheiro não se vendem, homenageando a corajosa Ana Paula. No front, nos encontraremos em 2014! Um Ano Novo de esperanças!  
Comentar
Compartilhe
DESMATAMENTO ZERO
29/11/2013 | 02h36
O Greenpace faz uma chamada às ruas. Das tantas ONGs que existem pelo mundo esta é , sem dúvida alguma, das que mais respeito. Assine você também o abaixo assinado! lp A Mobilização pelo Desmatamento Zero vai acontecer no sábado, dia 7 de dezembro, em várias cidades do país. Serão diversas atividades de mobilização, como pintura de camisetas, coleta de assinaturas para o projeto de lei e oficinas. Você também pode fazer parte dessa história organizando um evento nesse dia. Se você tem vontade de lutar por um mundo melhor, junte-se a nós e contribua para despertar milhares de brasileiros. Para inscrever um evento e obter detalhes da mobilização acesse: bit.ly/mobilizacaodz Ajude a construir essa história. Participe! Abraços, Cristiane Mazzetti Mobilização Greenpeace Brasil
Facebook Twitter Google+
Greenpeace
Comentar
Compartilhe
Junte-se a nós
15/10/2013 | 03h20
Recebi o e-mail abaixo que repasso a vocês. A situação, por lá, permanece delicada e piorará se nada for feito. lp [caption id="attachment_7011" align="aligncenter" width="600" caption="Ft. Greenpeace"][/caption]

 

Olá luciana, A situação na Rússia continua complicada: mais dois ativistas tiveram fiança negada pela corte de Murmansk na manhã de hoje. Um deles é o capitão americano Pete Willcox, responsável pelo Arctic Sunrise, que foi também o capitão do Rainbow Warrior em 1985, quando o serviço secreto francês explodiu seu navio. A argentina Camila Speziale, a outra ativista que teve fiança negada, se dirigindo à corte de Murmansk, declarou-se inocente e disse não compreender sob qual acusação ela foi enquadrada: “Eu não tenho nada contra este país, Rússia e Argentina mantem boas relações. Mas agora estou sendo presa por um crime que não cometi. Eu realmente quero voltar para casa e continuar a trabalhar e estudar”. Faça a sua parte, aumente o coro pela liberdade dos ativistas. Assine pela libertação dos nossos ativistas. Assine a Petição Marco Weber, um dos ativistas presos, descreve sua situação na cadeia como uma ‘isolação total’: “Na caminhada diária, também fico sozinho. O recinto para caminhada mede quatro por cinco metros e é cercado por paredes de concreto cobertas por barras de ferro. No teto, um telhado que impede a entrada de luz solar. O único céu que consigo ver é da janela da minha cela, o que significa ‘sem sol para mim’. Os dias são longos!” Vinte e oito ativistas, incluindo a brasileira Ana Paula, e dois fotógrafos freelancers estão presos preventivamente na Rússia sob suspeita de pirataria desde 18 de setembro. Deputados, senadores, diplomatas, artistas e até a presidenta Dilma demonstraram apoio pela liberdade dos ativistas que protestavam pacificamente. Ajude-nos a espalhar essa mensagem nas redes sociais. #LibertemOs30. Abraços, Fabiana Alves Coordenadora da Campanha Clima e Energia Greenpeace Brasil
 
Comentar
Compartilhe
Brasileira pode ser condenada na Russia
03/10/2013 | 03h10

 

Reproduzo matéria do Greenpace que circula na rede social Facebook. É necessário o apoio de todos. Cliquem no site abaixo, mandem à sua rede de contato! Enviem o e-mail, é a menor parte do que podemos fazer. Abçs, Luciana
URGENTE: A bióloga brasileira Ana Paula Maciel foi a primeira ativista do Greenpeace a receber acusação formal de pirataria. Ela pode ser condenada a até 15 anos de prisão. Saiba mais:http://bit.ly/1aKz9My  A promotoria russa apresentou hoje uma acusação de pirataria contra a ativista brasileira detida no país desde o dia 19 de setembro, após participar de um protesto pacífico contra a exploração de petróleo no mar de Pécora. Além de Ana Paula, também o cinegrafista freelancer contratado pelo Greenpeace Internacional, e que estava a bordo do navio Arctic Sunrise, foi acusado de pirataria. Ativismo não é pirataria. Ajude-nos libertar os 30 ativistas. Envie um e-mail para a embaixada russa:http://bit.ly/LibertemOs30
Comentar
Compartilhe
Operar no presente, enxergar o futuro
02/10/2012 | 02h52
  [caption id="attachment_4912" align="alignleft" width="284" caption="Ft.sitesustentavel.eco.br"][/caption] Dias atrás assinei algumas petições, dessas que rodam nas redes sociais. Todas ligadas ao meio ambiente natural. Duas classifico como mais importantes. A primeira pelo Desmatamento Zero, pronto, bem radical mesmo.  A outra lança um SOS Ártico, denuncia o alarmante degelo do Ártico. Desde muito tenho admiração pelo GreenPeace. Vejo com tremenda simpatia ( e um tanto de orgulho) aqueles caras pendurados em cabos de aço pelo planeta, em mínimos botes no meio dos oceanos. São ações de pessoas que ainda acreditam que fazem toda a diferença na vida. Alguns classificam eles de românticos ou ainda de sonhadores. Hoje, 02/10, para minha satisfação plena, O Globo traz na capa da revista O Globo Amanhã  uma fotografia de um urso polar ao meio de um gelo não tão mais profundo. Na interna, em matéria da página 12 intulada "SEM GELO E COM PETRÓLEO", nada mais nada menos, do que aquele corajoso naviozinho verde do Greenpeace, singrando por um mar que se antes foi sólido, hoje já é um retalho de cacos de gelo. Em questão a elevação da temperatura da Terra que no presente aumenta na mesma proporção dos interesses econômicos na região, leia-se exploração de petróleo! O Greenpeace, reivindica, a criação de uma área de proteção ambiental internacional. Assinei, tô dentro! Se me convidarem (sic), também no navio entro.  
Comentar
Compartilhe