Trégua: bora voar?
23/10/2015 | 04h32
Depois de meses com o nó na garganta - suspensos por um fio do noticiário nacional, sensação de queda iminente - a semana se encerra com o campista atento ao desenrolar da mais recente patacoada da Prefeitura de Campos. Eis que o rock vem nos tocar o astral. Levanta o som! https://youtu.be/JozAmXo2bDE    
Comentar
Compartilhe
Cultura pede socorro
18/08/2015 | 08h52
Que situação! Mais uma vez recebo apelo pela sobrevivência da ONG Orquestrando a Vida. É um pedido para o qual é impossível silenciar. Conhecemos o trabalho sociocultural com os jovens campistas pela e na música erudita. É esforço gigantesco da ONG. É quase que uma miragem na árida paisagem  da política cultural de Campos.
Transcrevo o e-mail recebido, sem saber ao certo como ajudar, mas, calar seria um desserviço.
Caso o leitor, vislumbre ao menos um sopro, sugiro que estenda sua mão.
DESESPERO !!
" QUERIDOS AMIGOS, BOA TARDE!
A ORQUESTRANDO A VIDA SE ENCONTRA EM UMA SITUAÇÃO DESESPERADORA. ESTAMOS PARA FECHAR NOSSAS PORTAS E INTERROMPER NOSSO ATENDIMENTO A CENTENAS DE CRIANÇAS E JOVENS  QUE ATRAVÉS DA MUSICA RECEBEM A ESPERANÇA DE VER SEU FUTURO TRANSFORMADO.
PARA MIM É TRÁGICO !! PARA MIM É MUITO DIFÍCIL,POIS TRABALHAMOS A CERCA DE 19 ANOS NESTE PROJETO.
POR FAVOR,NOS APOIE!! EU NÃO SEI MAIS O QUE FAZER AMIGOS!! ME SINTO IMPOTENTE!!
SE PODE NOS AJUDAR ,POR FAVOR FAÇA CONTATO COMIGO .
QUE DEUS NOS AJUDE."
JONY WILLIAM
Comentar
Compartilhe
CIRCUITO HISTÓRICO DE CONCERTOS
21/05/2015 | 11h01
A Ong Orquestrando a Vida apresenta o Circuito Histórico de Concertos, amanhã (22) às 20h, na Igreja do Carmo. Antes, às 19h haverá uma visita guiada pela igreja. Programa imperdível para os amantes da música. concertos
Comentar
Compartilhe
Em Macaé
22/09/2014 | 01h46
 

Comentar
Compartilhe
Novo Encontro em favor da Ong Orquestrando a Vida
19/08/2014 | 11h22
 

Quem ama a ARTE e reconhece o trabalho gigantesco e bonito que eleva tantas VIDAS através da música erudita em Campos, um novo momento de luta em defesa desse universo. Que a insensibilidade e os interesses mesquinhos sejam menores, que a gente possa se orgulhar de TODOS os que mantêm, no dia a dia, a garra e a disposição de TOCAR E LUTAR!

 

 

 

Comentar
Compartilhe
Prefeitura de Campos impõe fim à Orquestra Sinfônica Municipal e ao Coro Municipal.
13/08/2014 | 09h56
Se alguém, ainda no início do ano de 2014,  poderia duvidar de que existia mesmo a intenção de não dar continuidade à Orquestra Sinfônica Municipal e ao Coro Municipal, administrados a partir de Convênio firmado entre a PMCG e a ONG Orquestrando a Vida, creio que agora, no oitavo mês do encerramento de suas atividades, já não duvida mais. Como prática mais do que manjada, a PMCG quer puxar para lama, todo um trabalho musical sério - são anos de dedicação exclusiva -, inclusive reconhecido fora das fronteiras do país. Em um município relacionado a falcatruas amplas, gerais e irrestritas, o mais fácil é tirar de si a responsabilidade e enxovalhar com a moral dos outros. A PMCG tergiversa, não assume publicamente que não tem interesse na manutenção da OSMC e do Coro Municipal. Me aventuro a afirmar que qualquer projeto cultural de longo prazo foge completamente do perfil da administração atual. Aqui se governa aos solavancos eleitorais. A "colheita" só interessa se rende dividendos de dois em dois anos. Bom, mas, aí já é a minha opinião, o que nem vem ao caso. Ontem, a Superintendência Administrativa e Financeira da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (ver blog Na Curva do Rio, aqui) divulgou nota oficial em que culpa a ONG Orquestrando a Vida, pela não renovação do convênio: a ONG não teria entregue a documentação exigida por Lei. Hoje, em resposta a simplória nota da FCJOL, a ONG Orquestrando a Vida rebateu a acusação com dados, datas, protocolos e esclarecimentos reafirmando que toda a documentação exigida foi entregue à prefeitura (ver blog Na Curva do Rio, aqui). Sugiro que leiam as duas notas. Como inteligentes que são, reflitam e concluam. Se desejarem mais embasamento, leiam também aqui e aqui. [caption id="" align="aligncenter" width="620" caption="OSMC, ano de 2013"][/caption]      
Comentar
Compartilhe
SALDO DA CULTURA
11/05/2014 | 09h48
Da agenda corrida do senador Lindberg Farias em Campos, na sexta-feira passada (09/05), a Cultura esteve presente. Após o almoço, o senador fez questão de visitar à ONG Orquestrando a Vida. Lindberg tem estreita vinculação com o setor, seja por sua militância na juventude no movimento estudantil, seja pelo trabalho desenvolvido nos bairros de Nova Iguaçu quando prefeito. Conheceu a sede da instituição, projetos, dificuldades, se comprometeu a ser um parceiro do projeto social através da música, foi recebido pelas orquestras e coro com duas belíssimas execuções. Ao final, ouviu a leitura de uma solicitação de agentes culturais campistas, confirmou sua vocação democrática ao se comprometer em dar voz ao setor cultural local. Acompanhando a visita estiveram o cinegrafista Carlos Alberto Bisogno e o professor João Vicente Alvarenga. Este último, leu a carta aberta que segue. Um sonho possível de ser vivido.
Ação Cultural do Estado com a Região O Solar dos Airizes, localizado às margens da Rodovia BR 356, que liga os municípios de Campos e São João da Barra, é testemunho do apogeu econômico da região durante o século XIX. O Solar encanta por sua imponência e também porque é parte significativa da narrativa sobre nossa história. A história não só do Palácio, mas também da Senzala. Lá viveu, amou e morreu a Escrava Isaura que está na memória coletiva de nossa gente. Sua história passou de geração em geração, ressaltando a possibilidade de uma escrava se unir a seu senhor, promovendo sua ascensão aos salões do Solar. Na década de 80 do século passado, a Rede Globo de Televisão, através de seu Núcleo de Teledramaturgia, transformou a Escrava Isaura em personagem que visitou os lares brasileiros. Sua história ficou conhecida dentro e fora do país. E nossa região também. Recentemente, o Solar passou por uma reforma em seu telhado, já que poderia comprometer suas estruturas por causa da infiltração de água, resultado das chuvas. Não existe pessoa física ou instituição que se dedique a conservá-lo. Nessas condições de abandono, há um risco iminente de mais uma vez termos suas estruturas comprometidas irremediavelmente pela ação do tempo. Nossa região precisa de um Museu moderno onde a dinâmica e a interatividade sejam sua marca diferenciadora. Ele poderia ser nomeado Museu Pluricultural Escrava Isaura. Nele seriam abrigadas atividades nas diferentes linguagens artísticas: Teatro, Música, Literatura, Dança, Cinema, Artes Plásticas. Estamos certos de que será um espaço de referência nacional. Vossa Excelência, Lindberg, pode transformar esse sonho em realidade, investido de poderes executivos.

Campos dos Goytacazes, 9 de maio de 2014

Antônio Roberto de Góes Cavalcanti Kapi - Teatrólogo  Carlos Alberto Bisogno - Cineasta João Vicente de Alvarenga – Professor, Mestre em Filosofia Luciana Portinho – Agente e Produtora Cultural Silvio Greego – Artista Plástico
Comentar
Compartilhe
Cabeças vão rolar
25/04/2014 | 01h23
Nessa crise que se agrava na Cultura em Campos, um assunto de difícil entendimento é o sururu feito com a Orquestra Municipal de Campos dos Goytacazes. Em síntese: não há mais Orquestra Municipal. O convênio assinado com a prefeitura, em meado de 2012, era breve e se acabou. Expirou, findou, sem que a PMCG tomasse qualquer atitude para renová-lo. Simples assim! No mais, é o silêncio imposto pela FCJOL. No mais, são os "ataques" dirigidos para denegrir o esforço incalculável da ONG Orquestrando a Vida de criar uma orquestra sinfônica com jovens campistas carentes, como o da criação manjada de um blog apócrifo para levar todos ao limbo comum em que se encontra a cultura atual. No mais, é a inveja daqueles que não conseguem mensurar o suor cotidiano de músicos empenhados em formar músicos e plateia para a música erudita na planície. O assunto tem sido trazido a público em algumas postagens como aqui, aqui e, mais recente, também aqui, no blog do jornalista Alexandre Bastos. Neste último, recebeu o comentário de um suposto aluno/músico que pediu para não ser identificado. Agora, também abaixo, segue um e-mail que recebemos, em resposta ao comentário feito no blog do Bastos. Leiam, peço, e tirem as suas próprias conclusões. "Como disse Carlos Drummond de Andrade “O anonimato combina o prazer da vilania com a virtude da descrição”. Por esse simples motivo me reservo ao direito de também me utilizar do recurso do (a) colega acima. Eu acredito que o problema da Orquestra Municipal é único e exclusivo do Sr. Jony William. Pois ensinar um instrumento a uma criança que nunca soube nada, que não possui em sua família sequer um músico profissional, em uma cidade que 20 anos atrás não tinha nenhuma tradição de orquestra (violoncelos, oboés, trompas, contrabaixos, tímpanos eram coisas de outro planeta). E conseguir através de lutas e protestos dar o primeiro emprego a este(a) jovem, que aos 16 ou 18 anos deveria abandonar os estudos de musica para se dedicar a qualquer outra coisa ou se mudar de sua cidade, como muitos já fizeram. Podendo no lugar disso contratar músicos profissionais de outras cidades que já viriam formados, digo com faculdade de música mesmo (o que provavelmente o(a) jovem acima não possui) é uma coisa totalmente insana. As falhas do Sr. Jony William não se limitam a isso, trazer professores dos EUA, Venezuela, Espanha e não cobrar nada por isso. Liberar músicos para se aperfeiçoarem em faculdades e cursos na capital e em outras cidades, sem descontar do salário ou exigir reposições de aulas. Fomentar 3 turnês internacionais para Bolívia, EUA e Portugal com tudo pago para 80 músicos (com apoio externo e pouca ajuda do poder público). Ceder instrumentos de luthier (feitos a mão e não de fabrica como vendem as lojas) para o aluno poder se aperfeiçoar e sentir seu progresso através de um instrumento que responda à altura. Por favor, não é, senhor JW, isso é uma barbárie. Imagina que mesmo depois disso tudo o senhor poderia simplesmente contratar apenas maiores de idade para atuar nas classes aos alunos novos, podendo pagar salários para atuarem como professores da rede municipal e músico de orquestra, como fazem Neojibá (importante projeto da Bahia), Orquestra de Barra Mansa, Orquestra de Volta Redonda, o senhor resolveu implementar na contratação, além dos maiores de idade, o programa do governo federal O jovem aprendiz, que toda grande empresa do país utiliza e que podemos citar alguns salários como CORREIOS que paga R$292,43 ou a VALE do RIO DOCE que paga R$ 426,76. O senhor me resolve pagar R$ 656,00, para o “profissional” (aluno que nem terminou o Ensino Médio) estudar pela manhã, compartilhar o que aprendeu ali mesmo das 14h às 17h e depois alguns ensaios e um concerto por mês. Por favor não é senhor Jony William. Isso é um atestado de imbecilidade. Acho que o senhor precisa entender que além de educar, ocupar o tempo ocioso, ensinar valores, ensinar um instrumento, e ainda o remunerar para tudo isso. Precisa ensiná-lo(a) que no país que nós vivemos nenhuma grande empresa aceita renovar um patrocínio sem a contrapartida (não estou falando de crianças carentes salvas pela música e sim de grandes porcentagens em dinheiro de retorno) e que patrocinar qualquer coisa em uma cidade que recebe 2 milhões em espécie por dia de royalties é um atestado de burrice. Também poderia ensinar que 40% das verbas de qualquer coisa aprovada pelo poder publico é revertido em impostos municipais, estaduais e trabalhistas. Também deveria ensinar que a ONG do ES que anteriormente iria administrar a Orquestra Municipal não pretendia trabalhar com ninguém de Campos (muito menos com crianças de projetos sociais), além de estar orçada em R$ 4.000.000,00 e ter salários exorbitantes para pessoas inclusive de outros estados. Por fim acho que deveria ter ensinado a esta pessoa a no mínimo ser grata por ter lhe ensinado (ou tentando) uma profissão. Gostaria de ver o grande músico acima nos agraciando com seu belíssimo som em qualquer outra orquestra profissional do país que tenha capacidade de se estabelecer. Será? Enfim, Sr. JW o erro é todo seu por insistir em acreditar em pessoas nessa cidade… Lamentável!
Comentar
Compartilhe
E hoje tem Cineclube Goitacá
26/03/2014 | 10h50

Comentar
Compartilhe
É amanhã....
15/08/2013 | 11h28
[caption id="attachment_6845" align="aligncenter" width="600" caption="Divulgação"][/caption]

.... A grande festa na roça! Vai ser pra lá de animada e ainda vai ajudar os nossos  jovens músicos a se apresentarem no inicio de setembro em quatro cidades de Portugal. Esses músicos são o lado ótimo de Campos. Tenho baita orgulho de todos eles!

Todos lá!
Comentar
Compartilhe
Próximo >