CHOQUE DE REALIDADE
28/03/2012 | 15h53
Em um dia não tão distante, o meu pai já com mais de oitenta anos - sabedoria fina na ponta da língua - me chamou. Ele estava sentado numa poltrona em seu quarto, de costas para a janela por onde entrava a luz. Com o jornal aberto sobre o colo, pediu-me que sentasse ao seu lado. Então colocou uma de suas mãos no meu ombro e olhando fundo no fundo dos meus olhos, disse: " Minha filha, você inicia agora uma etapa nova na vida. Cuidado com os puxa sacos. Fazem de tudo por você e sem você nem perceber tornam-se indispensáveis". LP
Comentar
Compartilhe
PARABÉNS AO TSE
23/03/2012 | 16h14
[caption id="" align="aligncenter" width="450" caption="correiodoestado.com.br"][/caption]

Louvável a atitude do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de contratar especialistas (hackers) da Universidade de Brasília para verificar a inviolabilidade das urnas eletrônicas. Em um país onde tudo  - ou quase tudo -  é vunerável à picaretagem merece registro o zelo em garantir a manutenção na segurança do voto secreto.

Foi verificado pela equipe da UnB que o voto está imune a fraudes, mas que por outro lado poderia ser feito o rastreamento dos eleitores que depositaram o seu voto naquela urna. Bom, detectado a falha no teste, correções no sistema serão feitas antes das eleições municipais. (fonte. O Globo, edição de 23/03/12, página 10)    
Comentar
Compartilhe
NA TERRA DO CINQUENTINHA
19/03/2012 | 06h54
Quatro anos depois daquela operação policial que flagrou a compra pura e simples do voto em Vila Nova, 20º distrito de Campos, seus moradores reclamam dos mesmos problemas para os quais supostamente venderam seu voto. Hoje, na página 5, da Folha da Manhã está lá “Vila Nova sofre com antigos problemas”. A população se queixa da falta de atenção do poder público: sujeira e lixo, escuridão das ruas, vias esburacadas, praças pobres, falta de segurança e um posto de saúde sem médicos. Posto de saúde sem médico é uma construção com tabuleta escrita saúde. É o descaso com quem escolhe viver no interior do município.

Em tempo de uma sociedade globalmente conectada e com uma extensão territorial de 4.032 km2 - todo de terras agricultáveis e um povo que cultiva seu amor ao local onde nasceu - Campos poderia ser um exemplo nacional de bem viver nos seus distritos e localidades do interior. Seria um modelo de administração pública municipal reconhecida em todo o Brasil pela felicidade partilhada como seu maior valor de troca. Nos daria o bom orgulho.

 

Comentar
Compartilhe
Falta qualificação no IML
18/03/2012 | 23h13
Tarde de domingo,(18/03), plantão na redação da Folha da Manhã. Eram 17 horas quando a repórter Ulli Marques busca saber se o corpo, encontrado na localidade de Guandu, já foi identificado. Ela então disca para o número 27322280 do Instituto Médico Legal (IML) de Campos. Se identifica sendo do jornal e pergunta se alguém da família  já compareceu  no IML para identificar o cadáver. Resposta grossa que a nossa colega ouviu do funcionário: "Não sou babá de repórter" e desligou o telefone na cara dela! Não sabemos o nome do servidor mal educado, o que não é difícil. É só verificar quem também estava de plantão no IML naquele horário. Lembro a este servidor público de que é sua função atender quem quer que seja com um mínimo de cortesia e eficiência pois o faz como representante de uma instituição pública estadual.
Comentar
Compartilhe
Pelotão...EM MARCHA!
16/03/2012 | 21h57
[caption id="attachment_3628" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

Fomos na manhã de hoje (16/03) fazer a cobertura da primeira atividade de marcha de 2012 do 56º Batalhão de Infantaria. Estou falando do Exército Brasileiro sediado em Campos. É a primeira marcha da turma nova que acaba de ser incorporada em 1 de março; são 350 a compor o efetivo de recrutas deste batalhão. Hoje percorreram 8km. A previsão era de que cumprissem o trajeto em 2horas e a boa surpresa é que o fizeram em 1 hora e 40 minutos.

[caption id="attachment_3629" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

Os recrutas ficarão 10 meses em atividade de rotina que engloba treinamentos, instruções variadas com armamento, exercícios com grau de dificuldade crescente além da divisão das tarefas do dia dia do quartel. Ao longo do ano ficam cerca de 3 semanas internos, no mais são liberados ao entardecer das sextas para retornarem às suas famílias.

[caption id="attachment_3633" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption] Todas essas informações me foram transmitidas pelo gentil Tenente Coronel Vitor Martorelli Alexandre. Estava satisfeito com o resultado de sua nova tropa e se mostrou um homem realizado por servir (há 30 anos) o exército brasileiro. [caption id="attachment_3630" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

Ao chegarem da marcha e já com o pelotão em formação na agradável  sede do 56º Batalhão, o Coronel Vitor passou a palavra ao seu convidado especial do dia, o jornalista Nino Bellieny que inclusive fez todo o percurso da caminhada ombro a ombro com o comandante. Nino então agradeceu o convite e ressaltou a cultura do nosso Exército que se pauta pela defesa e não pela invasão se dizendo honrado em pisar o solo brasileiro junto com eles.

Ft. Luciana Portinho

Eu que venho de uma família gaúcha, com tantos ascendentes aguerridos vinculados ao exército brasileiro no Sul e que depois jovem cresci com temor e medo desta mesma corporação, pelos anos da ditadura, a manhã me reservou um momento de feliz reconciliação com tão antiga instituição da minha pátria. LP

Comentar
Compartilhe
LIXO E MAIS LIXO
15/03/2012 | 14h03

RUA AQUILES SALES ESQUINA COM FORMOSA

[caption id="attachment_3622" align="aligncenter" width="480" caption="Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais"][/caption]

PARQUE OLIVEIRA BOTELHO, CAMPOS, RJ.

Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais

 

Comentar
Compartilhe
FOBIA NA UENF
14/03/2012 | 16h25
Pareceu-me grande bobagem a atitude da prefeitura da UENF que ordenou a retirada dos vira latas que vivem no campus. O argumento utilizado para a limpa foi um recente incidente com um dos cahorros, mordeu uma moça. O desagradável  episódio deu margem à atitude intolerante. Desde sempre o ser humano vive ao meio dos animais, essa conviência lhe é salutar, nos humaniza. Não deve ser imposta e sim de livre arbítrio.  Em espaços amplos das urbes  pelo mundo todo os bichos convivem em sintonia conosco.  A UENF que inclusive tem um Centro voltado à agronomia, zootecnia e veterinária nos dá um estranho exemplo de uma universidade que foi plantada no interior do estado do Rio. Lembrei-me de um episódio ocorrido há mais de uma década no Rio de Janeiro, com o Colégio Bennett, onde estudaram meus dois filhos. Na época, os moradores dos prédios vizinhos exigiram a retirada de um simpático Galo, este vivia no meio da criançada do jardim de infância. Ali, no bairro do Flamengo ao meio de 2 corredores de trafêgo incessante, o posudo bicho, cantava a cada madrugada atrapalhando o sono da vizinhança?! Sei lá, estes arroubos da nossa raça me lembram, ainda que em outra forma, a histeria.
Comentar
Compartilhe
ABUSO
14/03/2012 | 15h19
Submeter motorista a exame físico admissional de hemorroidas me parece um 'excesso de zelo' do patrão pelo empregado. Assim também foi o entendimento da juíza Luciana Muniz Vanono, da 22ª Vara do Trabalho do Rio que deu ganho de causa a um funcionário que se sentiu constrangido pela empresa. Abre jurisprudência de bom tom. * fonte, O Globo, página 14, 14/03/12.
Comentar
Compartilhe
FLIP 2012
13/03/2012 | 20h53
[caption id="attachment_3605" align="aligncenter" width="227" caption="Cartaz oficial da FLIP 2012"][/caption]

 

Em sua 10ª edição, entre os dias 4 e 8 de julho irá acontecer a Feira Literária de Paraty, FLIP 2012. O homenageado será Carlos Drummond de Andrade. Ontem, para alegria de seus tantos leitores Luís Fernando Veríssimo confirmou mais uma vez sua presença na Tenda Principal.

"Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar".

Carlos Drummond de Andrade

Comentar
Compartilhe
MAL MAU
13/03/2012 | 09h00
Um homem foi assassinado ontem com tiro na cabeça em plena luz do dia. Seu corpo encontrado dentro de uma lixeira, boiando no Paraíba, perto da ponte Barcelos Martins, centro de Campos. Era por volta das 16h quando foi encontrado. 32 anos não sei quem era, mas, era. São 11 assassinatos em Campos no mês de março, média de um por dia. No ano de 2012, até agora 42 homicídios! A PM no local afirma que reconhece a forma de matar das comunidades?! No caso, Ivan Carlos de Andrade Barcelos tem a marca da morte do tráfico de Madureira. Como é que tiros são dados, um corpo é arrastado, jogado no rio, em pleno início de uma tarde de segunda-feira, no centro de Campos? Estamos bestas. LP ( fonte: matéria de Bianca Alonso, página 8 da Folha da Manhã de 13/03.)
Comentar
Compartilhe
UM DIA DE NÓS
08/03/2012 | 01h06
8 de março, Dia Internacional da Mulher, foi dia de luta. De bem longe viemos nós. Há 80 anos conquistamos o direito de votar e ser votada. Tive tia, Carmen Portinho, como a terceira engenheira formada no Brasil. Sua foto de formatura é uma curiosidade: ela cercada de colegas, todos homens. Isso faz menos de 90 anos. No século passado as mulheres puderam passar a usar cabelo curto. Mostrar a nuca, imagine?! Também começaram a usar calça comprida que mostrava o contorno dos quadris e coxas. As primeiras a fumar em público foram olhadas de lado, avançadas demais. Década de 60; só 50 anos, a pílula anticonceptiva ofereceu mais segurança e liberdade sexual às mulheres.  Agora trabalhar? Sempre. Desde que o ser humano vive em sociedade, as mulheres estiveram na agricultura, na confecção de vestimentas, na produção dos alimentos, na transmissão da cultura oral,  no cuidado com as crianças, com os idosos e os doentes da comunidade. Batalha, combate ou guerra estavam lá na retaguarda dando suporte, salvando vidas. Com a revolução industrial lá foram elas às fábricas em jornadas de 18h. Só recente, bem recente, com a revolução tecnológica a mulher se emancipa socialmente. A sociedade é pós-moderna, se sofistica, a força física não mais faz diferença. Inteligência não depende de sexo. Basta querer aprender, ter e criar suas próprias oportunidades. Com tantas mudanças e conquistas sociais arrisco dizer que os direitos, no mundo ocidental se tornaram equivalentes. Os deveres também. Hoje nesta banda da Terra, homens e mulheres, são diferentes sim, não mais desiguais. O que a vida tem de labuta, tem para os dois: homens e mulheres. Hoje, 8 de março, é um dia de festejar a lembrança de uma longa jornada de sucessivos avanços. Resta combater todo tipo de violência física e moral que ainda existe no ambiente doméstico contra a mulher. Resta ser contra qualquer tipo de exploração do ser humano pelo seu semelhante. Resta dizer um NÃO À GUERRA e um NÃO À MISÉRIA. E ainda a defesa da VIDA em nosso planeta TERRA.... A todas e todos, FELIZ dia por tudo isso, "sem perder a ternura jamais"! cordialmente, Luciana Portinho [caption id="" align="aligncenter" width="500" caption="upepr.blogspot.com"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
VIDA MINADA
07/03/2012 | 07h01
VIDA MINADA Luciana Portinho   Acordara com o pensamento nela. Mulher bonita e severa. Implacável nos saltos. Logo percebeu ao entrar naquele ambiente, penetrava em outro enredo de vida. Haveria de ficar um bom tempo. Espaço formal, limites aparentemente bem definidos. Naquele tempo era tão boba. Só não acreditava em Papai Noel. Andava com o coração exposto, sorriso nos olhos, braços abertos e uma esperança certa. E foi uma convivência turbulenta. Uma escola de pancadas surdas. E mudas. Imperativo sobreviver. Um jardim de belas flores e de bombas espalhadas. Tenso. Quando menos esperava já tinha pisado em uma delas. Os estilhaços atravessavam seus sentimentos, lágrimas corriam. Tempos de choque para quem crescera na displicência brejeira. Ali se sentia num reformatório. Hostil. Naquele lindo jardim as paredes a lhe comprimir a alma eram móveis, todas de natureza invisível. Aquele espaço nunca seria também seu, era todo tomado. Ao se movimentar teria que pedir licença: licença e mais licença. Desse modo fora aceita, afinal pela mão dele foi apresentada como a escolhida, portanto, nenhum questionamento admissível ... pela frente. Assim foram os dias, assim foi erguida uma das fachadas da vida. Dela não se arrependia, em nome de um amor quis ficar. Provaria do amargo como a um antídoto. Naquela manhã distante, já sem o peso da tola disputa, a história retornou em todas as suas letras. Aquela mulher, de modos estúpidos com tantos, fora antes de tudo prisioneira de si mesma. Aí a origem do seu enfezamento constante. Incapaz de se libertar iria gritar, espernear, exigir e culpar o outro. Com tanto do bom ficara atada na ampla cozinha de mármore, presa por corrente imaginária ao fogão. Um fogão sólido: azul e branco com detalhes em prata. Seis potentes bocas. Um fogão que o calor de suas chamas ajudou a retorcer as pequeninas mãos daquela mulher dona de objetos e escrava de si. Com o tempo a família estampada em fotografias se dispersou na dimensão terrestre. Seus protagonistas morreram. Os que vivos permaneceram, vez por outra, assopram cinzas e lambem suas feridas. Hoje o jardim virou mato, sem bomba. A casa permanece ocupada pelo vazio.   [caption id="" align="aligncenter" width="445" caption="Ft. Google"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
E os nossos calceteiros?
05/03/2012 | 21h27
Agora vou desenterrar defunto. Foi lendo a matéria no Globo, na coluna GENTE BOA, do Joaquim Ferreira dos Santos, edição de hoje.  Nela uma foto bacana do Gedião Do Amaral Azevedo, 48 anos e tido como o melhor calceteiro do Rio. Para ele calçada de cimento é agressão, como um serviço matado. Para quem não sabe, calceteiro é um trabalhador especializado em pavimento de pedra, no caso calçadas de pedras portuguesas. Aí me lembrei que nos idos de 1990, o prefeito Garotinho fez uma parceria com a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, o prefeito de lá era o Marcelo Alencar. Vieram cá em uma equipe, foram feitas oficinas, repassaram a técnica e... por onde anda esta mão de obra tão bem qualificada?! Por que só fazem essas calçadas de cimento duvidoso; basta uma pancada qualquer e ela se esfarela, é feia e ainda  não drena a água. E é barata demais para obra de royalties cara demais. [caption id="" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Google"][/caption]

 

   
Comentar
Compartilhe
Política do boi com abóbora
02/03/2012 | 08h36
No Dia Nacional do Turismo, leio na Folha da Manhã, que a PMCG em comemoração à data irá apresentar um Inventário Turístico que está sendo criado (ainda?!). O desalento me abateu ao ler a matéria. E por quê? Pelo descaso, amadorismo e desinteresse com que a atividade é tratada pelo poder público municipal. Desculpem-me os sinceramente envolvidos no assunto, eu sei que existem e se esforçam. Mas não dá para ficar muda. Na mesma edição de hoje (02/03), na Folha Dois, está lá no mesmo caminho, jogado às traças: Projeto City Tour! Nossa língua é o português, caramba. Como você atrai alguém já de cara desprezando o que é seu? Sinceramente, tirando a boa vontade do responsável Everaldo Reis, continuarão patinando no gelo a uma temperatura de 40 graus. No Dia Nacional do Turismo talvez o mais produtivo fosse dar um bom banho na cidade que está imunda e empoeirada. Não se coloca roupa em corpo sujo. Turismo requer uma Política Pública para o setor. Recursos, verba, dinheiro ou orçamento é o que não nos faltam. É preciso visão, vontade política e gestão. Só.    
Comentar
Compartilhe