Último Dia
29/02/2012 | 09h12
Comentar
Compartilhe
Pois é meu irmão...
28/02/2012 | 12h40
  [caption id="attachment_3564" align="aligncenter" width="350" caption="Extraído do FACEBOOK"][/caption]   * Walter Silva Jr, autor.
Comentar
Compartilhe
AINDA OS SEMÁFOROS
28/02/2012 | 05h56
Realmente! Temos semáforos jurássicos, outros, temperamentais, além daqueles com Alzheimmer que se esquecem de contar o tempo, e até sinais com problemas de aprendizado! Um dos mais enlouquecidos e paranóicos semáforos(ou, “sinais”, de acordo com o campistês) é o da Rua do Gas com Sete de Setembro. Coitado, já merece aposentadoria. O “primo” dele, isto é, aquele que se situa no término da Rua 21 de Abril com a Rua do Gás, é neurótico e cheio de vontades. Mal “abre” dá uma piscada e fecha em seguida. O da Rua Marechal Floriano com a Tte. Coronel Cardoso ou é mal alfabetizado ou sofre de transtorno de humor. Faz a contagem regressiva e quando aparentemente chega no “zero” volta pro “nove”. Parece que queimou o dígito que indica as dezenas, e isto é bem antigo. Na 28 de Março tenho presenciado também alguns “sinais” que apresentam para os dois lados do trânsito o “verde” e o “vermelho”, o que, convenhamos, é um perigo. Trata-se de “sinais” com crise de identidade, ou com dificuldade de obedecer normas… Ou seja, o motorista campista, goza injustamente de má fama, na verdade, com semáforos tão caprichosos e enigmáticos, demonstra ser um ótimo motorista, ou então, tem a maior sorte do mundo em chegar ileso ao seu destino!
* Comentário divertido do leitor Sávio Gomes no post anterior "SOS SINAIS". lp
Comentar
Compartilhe
SOS SINAIS
27/02/2012 | 14h15
Não é preciso nem muito conhecimento para saber que sinais de trânsito dessincronizados criam complicação desnecessária e burra no trafego de uma cidade. Os de Campos estão assim. Experimente vir pela beira rio da ponte General Dutra, sentido centro. Eu parei em todos! Um por um até chegar na Lapa! Li na Folha da Manhã que finalmente a PMCG estará encomendando um Plano Viário. É, antes tarde do que nunca. Já na situação dos sinais nem é preciso engenheiro, um técnico resolve. Só falta iniciativa, boa vontade e bom senso. LP  
Comentar
Compartilhe
DE HOMENS E CÃES
26/02/2012 | 08h13

DE HOMENS E CÃES

NinoBellieny
É de manhã, num dia de feira qualquer. O sol se espalha pela praça e se espelha nas poças d’água formadas na depressão do piso. O homem distinto e bem vestido caminha em direção à Igreja. Escorrega no passo apressado e desaba seus cento e vinte quilos. É acompanhado por estertores imediatos. O chacoalhar do cérebro ao repicar no mármore disparou impulsos e o corpanzil treme, gira, se debate. Logo se forma uma multidão em torno e ninguém tem coragem de chegar perto. São segundos de agonia e espetáculo para comodistas e medrosos. Rapazes filmam, meninas narram a cena pelo celular. Risos, piadas e o homem agora nem um pouco distinto, não se mexe mais com a mesma intensidade... a boca e o nariz estão inteiros dentro d’água. Vai morrer afogado e sua morte será mais tarde vista por milhões na internet.
Até surgir de modo brusco e misterioso um enorme cão. É um pitt bull. Já está próximo ao homem. Parte da multidão se excita: a fera vai completar o espetáculo estraçalhando o quase afogado. Outra parte parece despertar do transe e quer impedir.
O cão não se intimida. As duas poderosas patas reviram o homem na exata hora do afogamento. Lambe o rosto da vítima. O sujeito volta a respirar, está salvo. O povo engole o próprio silêncio e a vergonha. O pitt bull permanece majestoso por alguns instantes e depois se afasta lentamente num gingado marrento e heróico. Desaparece dentro da fumaça negra de um ônibus na movimentada rua, como um anjo de quatro patas.
Na praça a multidão se dispersa. Não há risos nem piadas. Só olhos cabisbaixos e ombros arriados como sempre.
[caption id="attachment_3550" align="aligncenter" width="300" caption="Arte Digital de Nino Bellieny"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
"Mas nunca, nunca desista"
24/02/2012 | 21h05
Nesta semana fui entrevistar a ex-vereadora Antônia Leitão. Em toda história política de Campos só 7 vereadoras foram eleitas até hoje. Eleita na década de 70 é a segunda vereadora de Campos. Elegeu-se pelo MDB, partido que nem mais existe e que representava a oposição ao regime da ditadura militar.  Bom lembrar que naquele tempo - parece distante para nós mas em termos históricos é um peteleco -  só eram permitidos dois partidos: ARENA e MDB. Pois bem,  ganhei minha semana de trabalho ao conversar com esta mulher de 92 anos. Vigorosa, corajosa, segura de si me recebeu para uma prosa animada. E me deu o texto impresso que transcrevo abaixo.  Serve para todos nós, não importa a idade só o desejo de bem viver. LP " Tenha sempre em mente que a pele enruga, o cabelo enbranquece, os dias convertem-se em anos. Mas o que é importante não muda. A tua força não tem idade. O teu espírito é como qualquer teia de aranha. Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Atrás de cada conquista vem um novo desafio. Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que faria, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amarelas. Continue, quando todos esperam que desista. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que, em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr atrás dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use bengala. Mas nunca, nunca desista." MADRE TEREZA DE CALCUTÁ  
Comentar
Compartilhe
"Diferentes, não desiguais"
23/02/2012 | 15h12
No dia de amanhã, dia 24 de fevereiro de 2012, 80 anos atrás a mulher brasileira conquistava o direito ao voto. Isso foi através do Código Eleitoral Provisório de 24 de fevereiro de 1932. Mesmo assim foi uma conquista com limitações. Pelo código só mulheres casadas (autorizadas pelo marido), viúvas e solteiras com renda própria estavam aptas a votar. As restrições ao pleno exercício do voto feminino só foram eliminadas no Código Eleitoral de 1934. No entanto, esse segundo código só tornava obrigatório o voto masculino. O voto feminino, sem restrições, só passou a ser obrigatório em 1946. Restrito ou não o simples direito ao voto feminino reconhecido em 24 de fevereiro de 1932 é data a ser comemorada e lembrada como um avanço dos direitos políticos no país. Ainda que na década de 30 o direito ao voto tenha sido alcançado pelas mulheres só em 1979 - quase meio século depois -  o Brasil conheceu sua primeira senadora, a suplente Eunice Michiles (PDS-AM) que assumiu o cargo com a morte do titular, o senador João Bosco de Lima. Mais recente ainda, em 1994, Roseana Sarney (pelo extinto PFL) foi eleita a primeira governadora do país, no Maranhão. Hoje, ocupa a presidência da República Federativa do Brasil, Dilma Rousseff, eleita pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Águas rolam. [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=oPdms_C6bH0[/youtube]
Comentar
Compartilhe
DE UMA REPORTAGEM
21/02/2012 | 20h40
Por volta das 17,30h de hoje (21/02),  equipe de reportagem a caminho da BR 356, vem a notícia pelo celular. Um homem caiu dentro de um poço perto da UENF. [caption id="attachment_3525" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

 

Avenida Doutor Adão Pereira Nunes, nos fundos do Portelinha, conjunto residencial do bairro do Matadouro. Há um portão de uma obra da R3 Engenharia e Construção Ltda, populares nos apontam que é lá no fundo. Descemos do carro e logo as crianças nos confirmam a direção.  Chefiados pelo oficial Thomas, o Corpo de Bombeiros (sempre bravio e eficiente) já prestava socorro ao Igor, o operário acidentado. Ele e mais quatro trabalhadores impermeabilizavam um  tanque de uma futura estação de tratamento de esgoto. Segundo relatos de colegas, ele saiu de dentro do tanque para beber água, o degrau da frágil escada quebrou e o trabalhador veio ao chão. Consciente foi levado imobilizado na ambulância do Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal Ferreira Machado. Suspeita de fratura no colo do fêmur. O médico da corporação Dr. Muniz Duarte mencionou a instabilidade de sua pélvis; no hospital será pesquisado a existência de outros possíveis traumatismos devido à queda. [caption id="attachment_3527" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

 

As duas viaturas dos bombeiros partiram com o operário. Imediatamente, nos retiramos a pedido do encarregado da obra, alegando ser uma obra particular; deveríamos lá fora aguardar a chegada do engenheiro para maiores esclarecimentos. Tentei mais uma vez saber ao menos sua identificação, de cabeça baixa, olhando de lado e meio sorrindo nervoso me disse "estou falando, é perigoso, tem gente lá de cima da laje dizendo pra vocês saírem já". Cenas de um Brasil que a larga maioria dos brasileiros reconhece. [caption id="attachment_3528" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
DESENCONTRO DE FANTASIAS
20/02/2012 | 10h46
Chegada pela Lagoa, subo o Cantagalo, paradinda no sinal de copa . Na rua casais fantasiados; meninas de chifre vermelho e abóbora, passa um grupo todo paramentado, cortesões do século XVII.
- Vó eu não gosto da Branca de Neve. - Ah é?! E por que se em casa você anda vestida de Branca de Neve?! - Não vó, aí é camisola...eu não gosto Branca de Neve porque não gosto do cabelo curto dela. - Pois eu adoraria ser Branca de Neve, já imaginou ter sete anões ?! Um arrumaria a casa, o outro me daria banho e outro me colocaria para dormir, todos cuidando de mim...nem precisaria do príncipe encantado. - Mas vó, você iria ter que usar aquela faixa vermelha no meio da testa... dá uma dor de cabeça.   Luciana Portinho [caption id="" align="aligncenter" width="280" caption="infoescola.com"][/caption]
 
Comentar
Compartilhe
Para quem vai, para quem fica
16/02/2012 | 23h25
Carnaval dos ritos de  passagem. Rico brinca de pobre, pobre posa de rico. Idosa vai de donzela, menino pula como pirata. Mulher vira sereia, lobisomem homem. Uma pausa para a Fantasia! [caption id="attachment_3504" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

 

 

Comentar
Compartilhe
FICHA LIMPA É APROVADA
16/02/2012 | 22h56
16/02/2012 20h43 - Atualizado em 16/02/2012 22h08

Supremo decide que é constitucional Lei da Ficha Limpa

Sete ministros votaram pela aplicação da lei; quatro foram contrários. Com a decisão, legislação valerá para a eleição municipal deste ano.

Débora SantosDo G1, em Brasília
31 comentários
Quase dois anos depois de entrar em vigor, a Lei da Ficha Limpa foi declarada constitucional nesta quinta-feira (16) pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por sete votos a quatro, o plenário determinou que o texto integral da norma deve valer a partir das eleições de outubro. Com a decisão do STF, ficam proibidos de se eleger por oito anos os políticos condenados pela Justiça em decisões colegiadas, cassados pela Justiça Eleitoral ou que renunciaram a cargo eletivo para evitar processo de cassação, com base na Lei da Ficha Limpa. O Supremo definiu ainda que a ficha limpa se aplica a fatos que ocorreram antes de a lei entrar em vigor e não viola princípios da Constituição, como o que considera qualquer pessoa inocente até que seja condenada de forma definitiva.
OS PRINCIPAIS PONTOS DO JULGAMENTO DA FICHA LIMPA
Presunção de inocência
O principal questionamento sobre a ficha limpa era o de que a lei seria inconstitucional ao tornar inelegíveis políticos que ainda poderiam recorrer da decisão. O STF decidiu que a lei não viola o princípio que considera qualquer pessoa inocente até que ela seja condenada de forma definitiva. Essa decisão permite a aplicação da lei a pessoas condenadas por órgão colegiado, mas que ainda podem recorrer da condenação.
Fatos passados
A Lei da Ficha Limpa foi contestada por alcançar fatos que ocorreram antes da sua vigência, inclusive ao determinar o aumento de três para oito anos do prazo que o político condenado ficará inelegível. A maioria do STF decidiu que a lei se aplica a renúncias, condenações e outros fatos que tenham acontecido antes de a ficha limpa entrar em vigor, em junho de 2010.
Renúncia
A proibição da candidatura nos casos de renúncia a cargo eletivo para escapar da cassação foi mantida pelos ministros do STF. A maioria do tribunal defendeu que a renúncia é um ato para "fugir" do julgamento e que deve ser punida com a perda do direito de se eleger.
Prazo de inelegibilidade
A Lei da Ficha Limpa determina que os políticos condenados por órgão colegiado fiquem inelegíveis por oito anos. Este período é contado após o cumprimento da pena imposta pela Justiça. Por exemplo, se um político é condenado a dez anos de prisão, ficará inelegível por oito anos, a contar do fim do cumprimento da pena. Na prática, ele não poderá se candidatar por oito anos.
Rejeição de contas
A lei torna inelegíveis políticos que tiveram contas relativas a cargos públicos rejeitadas, como, por exemplo, um prefeito que tenha tido as contas do mandato reprovadas por um tribunal de contas.
Órgãos profissionais
O Supremo manteve o dispositivo da Lei da Ficha Limpa que torna inelegíveis pessoas condenadas por órgãos profissionais devido a infrações éticas, como nos casos de médicos e advogados que eventualmente tenham sido proibidos de exercer a profissão pelos conselhos de classe.
Fonte: STF
A decisão foi tomada com base no artigo da Constituição que autoriza a criação de regras, considerando o passado dos políticos, para proteger a “probidade administrativa e a moralidade”. Proposta por iniciativa popular e aprovada por unanimidade no Congresso, a ficha limpa gerou incertezas sobre o resultado das eleições de 2010 e foi contestada com dezenas de ações na Justiça. Depois de um ano da disputa eleitoral, a incerteza provocada pela lei ainda gerava mudanças nos cargos. Em março de 2010, o próprio Supremo chegou derrubar a validade da norma para as eleições daquele ano. O julgamento começou em novembro de 2011 e foi interrompido por três vezes. Nesta quinta (16), a sessão durou mais de cinco horas para a conclusão da análise de três ações apresentadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo PPS e pela Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL). As entidades buscavam definir a aplicação da lei e a análise foi marcada, voto a voto, por intervenções dos ministros que atacavam e defendiam a lei. O relator, ministro Luiz Fux, foi o primeiro de defender a tarefa da ficha limpa de selecionar os candidatos a cargos públicos com base na “vida pregressa”. Para ele, se a condenação for revertida, o político voltará a poder se eleger. “A opção do legislador foi verificar que um cidadão condenado mais de uma vez por órgão judicial não tem aptidão para gerir a coisa pública e não tem merecimento para transitar na vida pública”, afirmou Fux. O direito do cidadão de poder escolher representantes entre pessoas com ficha limpa também foi defendido pelo ministro Joaquim Barbosa. Também votaram a favor da aplicação integral do texto da lei os ministros Ricardo Lewandowski, Ayres Britto, Marco Aurélio, Rosa Weber e Cármen Lúcia. “É chegada a hora de a sociedade ter o direito de escolher e o orgulhar-se poder votar em candidatos probos sobre os quais não recaia qualquer condenação criminal e não pairem dúvidas sobre mal versação de recursos públicos”, disse Barbosa. "Não vejo aqui inconstitucionalidade, mas a reafirmação de princípios constitucionais”, disse Cármen Lúcia ao falar sobre a importância da moralidade na vida pública. A proibição da candidatura nos casos de renúncia de cargo eletivo para escapar de cassação também foi mantida pelo Supremo. Para o ministro Marco Aurélio, a Lei da Ficha Limpa possui "preceitos harmônicos com a Constituição Federal que buscam a correção de rumos desta sofrida pátria." Apesar de defender a aplicação ficha limpa, Marco Aurélio fez uma ressalva ao afirmar que a regra só deve valer a condenações ocorridas depois da vigência da lei, iniciada em junho de 2010. “A lei é valida e apanha atos e fatos que tenham ocorrido após junho de 2010 não atos e fatos pretéritos. Quando eu disse vamos consertar o Brasil foi de forma prospectiva e não retroativa sob pena de não termos mais segurança jurídica”, afirmou Mello. Primeiro a votar contra a aplicação integral da Lei da Ficha Limpa, o ministro Dias Toffoli criticou a elaboração das regras. A tese de Toffoli foi acompanhada pelos ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cezar Peluso. “A lei complementar número 135 é reveladora de profunda ausência de compromisso com a boa técnica legislativa. É uma das leis recentemente editadas de pior redação legislativa dos últimos tempos. Leis mal redigidas às vezes corrompem o propósito dos legisladores e o próprio direito”, afirmou. A ficha limpa foi criticada pelos ministros do STF por valer para fatos anteriores à sua vigência e por tornar inelegível uma pessoa condenada que ainda pode recorrer da decisão. Para os quatro ministros que votaram contra a aplicação da lei, a ficha limpa deveria valer apenas para quem for condenado depois que a norma começou a vigorar, ou seja, depois de junho de 2010. “A população bate palmas, por exemplo, para esquadrões da morte, mas isso é contra qualquer padrão civilizatório e uma corte como esta tem de cobrar não pode permitir que se avance sobre esses valores”, disse Mendes.
Os ministros Luiz Fux (a partir da esq.), Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Celso de Mello, durante julgamento que validou Lei da Ficha Limpa nesta quinta-feira no STF (Foto: Gervásio Baptista/SCO/STF)Ministros do Supremop durante julgamento que validou Lei da Ficha Limpa nesta quinta-feira no STF (Foto: Gervásio Baptista/SCO/STF)
“O Congresso não tem o poder de escolher fatos consumados no passado para, a partir dessa identificação, elegê-los como critérios para restrição de direitos fundamentais”, afirmou o ministro Celso de Mello. O último a votar, o presidente do STF, ministro Cezar Peluso, classificou a Lei da Ficha Limpa como um instrumento de “retroatividade malígna que contraria a vocação normativa do Direito”. Para ele, a lei não pode valer para casos anteriores à sua vigência e não pode tonar inelegível pessoas que ainda podem recorrer da condenação. Peluso afirmou que, dessa forma, a lei parece ter sido feita para pessoas específicas e não para a coletividade. “A lei foi feita para reger comportamento futuros. Então, deixa de ser lei e, a meu ver, passa ser um confisco de cidadania. O estado retira do cidadão uma parte da sua esfera jurídica de cidadania, abstraindo a sua vontade. Não interessa o que você pode ou não evitar”, disse Peluso.
*Matéria do G1.
Comentar
Compartilhe
Manipular não dá certo
14/02/2012 | 15h50
Quer que tenha chances reais de dar certo? Não importa o quê seja, do amor à greve: não manipule! Manipular é querer mudar o curso de uma história que nasce espontânea e sincera. É ter interesses exógenos, não revelados ao outro. É tratar o outro  como um idiota. É se fingir de interessado, é fazer do outro seu trampolim secreto. Não dá certo. Mentira tem perna curtinha e ainda que bem engendrada será alcançada. E aí o rei fica nu, chutam o pau da sua barraca e a derrota será toda sua. LP
Comentar
Compartilhe
A Implosão da Mentira
13/02/2012 | 21h40
[caption id="" align="alignright" width="300" caption="literacialivraria.blogspot.com"][/caption]

Affonso Romano Sant'Anna

Mentiram-me. Mentiram-me ontem e hoje mentem novamente. Mentem de corpo e alma, completamente. E mentem de maneira tão pungente que acho que mentem sinceramente. Mentem, sobretudo, impune/mente. Não mentem tristes. Alegremente mentem. Mentem tão nacional/mente que acham que mentindo história afora vão enganar a morte eterna/mente. Mentem. Mentem e calam. Mas suas frases falam. E desfilam de tal modo nuas que mesmo um cego pode ver a verdade em trapos pelas ruas.   * Um trecho do poema. Vale lê-lo na íntegra.
Comentar
Compartilhe
Mais um jornalista assassinado
13/02/2012 | 00h34
 
JORNALISTA É ASSASSINADO EM BARRA DO PIRAÍ, INTERIOR DO RIO... - 10/02/2012
Arquivo :
Fonte : Folha de São Paulo
A polícia do Rio investiga a morte do jornalista Mário Randolfo, 48, assassinado na noite desta quarta-feira (9) em Barra do Piraí, interior do Estado.  Dono do site "Vassouras na Net" (www.vassourasnanet.net), Randolfo já tinha recebido duas ameaças de morte. Segundo a Polícia Militar, ele foi encontrado morto a tiros ao lado de uma mulher na BR 293. Em seu site, o jornalista denúncia a demora na investigação de um inquérito relacionado a uma das tentativa de assassinato.
  • O Comitê de Proteção aos Jornalistas destaca o suposto assassinato de Mário Randolfo, que "cobria corrupção" em seu site de notícias
Uma reportagem do jornal britânico “Guardian” destacou que o jornalista já havia sobrevivido a uma tentativa de assassinato e foi encontrado morto a tiros junto com a namorada, Maria Aparecida Guimarães. O texto cita ainda que Randolfo, em seu último artigo, alegava que juízes locais e cortes eram corruptas. O jornalista enfrentava um processo por difamação a um juiz e um policial pelas reportagens com denúncias que havia publicado no site Vassourasnanet.net
O diretor-executivo da Associação Nacional de Jornais, Ricardo Pedreira, disse ao “Guardian” que o principal motivo para atos de violência contra jornalistas no país “é o crime organizado”. “Impunidade é um problema no Brasil”, frisou.
Randolfo foi sequestrado com a companheira na última quarta (8) na cidade de Barra do Piraí (RJ). Segundo testemunhas, três homens participaram do sequestro. Os corpos das vítimas foram achados 22 horas depois, na beira de uma estrada. O caso está sendo investigado pela polícia.
(Com agências internacionais)
Web Bug from http://ads.febinformatica.com.br/www/delivery/lg.php?bannerid=194&campaignid=83&zoneid=33&loc=http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-assassinato-do-jornalista-mario-randolfo&referer=http://www.google.com.br/url?sa%3Dt%26rct%3Dj%26q%3Da%2520morte%2520do%2520jornalista%2520m%25C3%25A1rio%2520randolfo%26source%3Dweb%26cd%3D1%26sqi%3D2%26ved%3D0CC0QFjAA%26url%3Dhttp%253A%252F%252Fwww.advivo.com.br%252Fblog%252Fluisnassif%252Fo-assassinato-do-jornalista-mario-randolfo%26ei%3D3Js3T7iyKYiSgQfP4qXoBQ%26usg%3DAFQjCNHu7hOOwb8yVI7e1U8MqICqzQ5B9w%26sig2%3DlMbvTWhe7GG_Q2jV8g-Jww&cb=28f2c83f62
 
Comentar
Compartilhe
A vida em nosso país é matéria barata
10/02/2012 | 21h33
Redação de jornal na tarde de hoje tensa. Explosiva, igual um coquetel molotov. Adrenalina veloz, boataria solta. Telefonemas sem parar. Terrorismo plantado propositalmente para amendrontar o campista. Sou e sempre serei a favor de movimentos de reinvidicação salarial e por melhorias nas condições de trabalho. Na parte da manhã testemunhei a passeata pacífica dos PMs pelo centro. Um apitaço tranquilo, conquistou a simpatia da população. Ganham mesmo mal, se colocam na linha de tiro em troca de um pouco salário. Mortos para o estado e sociedade não passam de um traço na estatística. A vida em nosso país é matéria barata. É lícito e justo o ser humano buscar viver melhor. Já pela tarde, vi taxistas sem poderem trabalhar, comerciante baixando as portas. Impedir o outro de ganhar seu pão de cada dia aí...sei lá...LP
Comentar
Compartilhe
Falta de cuidado
08/02/2012 | 10h53
Em 4 de julho de 2011, sete meses atrás mostramos a precariedade em que se encontravam diversos equipamentos públicos urbanos de Campos. Ver http://www.folha1.com.br/_midias/wp/blogs/lucianaportinho/2011/07/04/e-p-u/. Esses mobiliários  existem para trazer um mínimo de conforto. Supõe-se que assim deveriam. Pois então, Avenida Felipe Uébe,  sete meses se passaram, ainda existia a metade do teto. [caption id="attachment_3468" align="aligncenter" width="400" caption="Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais"][/caption]

 

Hoje,  apenas a armação restou. É aquela velha cultura administrativa. O desperdício de uma cidade "nova rica", não conserva e nem preserva o que tem. O povo? Detalhe!

[caption id="attachment_3471" align="aligncenter" width="400" caption="Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais"][/caption]

 

 

Comentar
Compartilhe
UM VIVA AO GAIATO
06/02/2012 | 08h35
Antes, dois esclarecimentos. Para o leitor de Campos:  A?v. Pelinca, lado esquerdo de quem sobe, em frente ao Centro de Compras. Para o leitor que não é de Campos: a  Av. Pelinca nesse trecho equivale à Av. Ataulfo Paiva, no Leblon, Rio de Janeiro. Asfaltaram a avenida. A kombi permaneceu intocável. Um gaiato não satisfeito, para garantir a posse do espaço, ainda pintou de branco delimitando a área ocupada. [caption id="attachment_3456" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais"][/caption] [caption id="attachment_3457" align="aligncenter" width="450" caption="Ft. Vigilantes Urbanos & Rurais"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
Refletir é preciso
05/02/2012 | 22h17
Transcrevo abaixo, dois pedaços extraídos da entrevista que fizemos para o jornal Folha da Manhã, com o sociólogo, José Luis Vianna. O assunto? Política. [caption id="" align="alignright" width="300" caption="proac.uff.br"][/caption] Cientista de carne, osso e coração o professor José Luis Vianna é também sociólogo, mestre em Planejamento Urbano e diretor do Pólo da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Campos. Questionado se o aumento no número de vereadores representará renovação no legislativo campista, disse: “Por si só a quantidade não significa melhora na representatividade. Não depende só desse fator. Mas não sou contra”, disse e prosseguiu: — Com o passar dos anos minhas reflexões políticas vêm se alterando, o tempo impõe novas observações, nosso campo de visão se alarga. Passados quase 30 anos de democracia no Brasil, há o fenômeno da perda de legitimidade dos partidos políticos. Um enfraquecimento perceptível em toda a democracia ocidental moderna. A política se profissionalizou e afastou o cidadão comum que em algum momento pensou em se tornar um representante eleito. Os filtros são fortes. E nem estou falando de corrupção. Quanto mais o capitalismo se torna avançado e - à medida que o Brasil se integra entre os países de ponta - se reduz o leque de alternativas capazes de provocar mudanças — disse. “Alternativa para novas possibilidades” Segundo o professor José Luis Vianna, diretor da Universidade Federal Fluminense em Campos: “Como sociólogo tenho hoje duas preocupações centrais. A primeira é a temática ambiental. Ainda que saiba que a vida é maior do que a capacidade do homem em apreendê-la, me incomoda a possibilidade de vir a não ter gente para usufruir das riquezas que criamos. A segunda é a social e está articulada à questão ambiental. Há uma encruzilhada no país. Produzimos imensas riquezas, temos que transforma-las em bem estar social. Por essas necessidades, não vejo como negativo quem se dispõe a se misturar e a circular no meio da política. Cito o exemplo da Marina Silva. Ela é o que deveria ser uma regra não uma exceção. Mais pessoas com essa representatividade ligadas à alternância de poder, abririam novas possibilidades na política”, disse o professor.
Comentar
Compartilhe
É SÓ UM PEIXINHO
05/02/2012 | 11h57
Nino Bellieny
- Ei moço! Compra meu peixinho vai, custa só 10 reais. - Que peixe? Tô vendo só um saco plástico cheio de água. - Olha direito moço! É um peixinho dourado, contra o Sol assim o senhor não vai ver mesmo! - Você quer me enganar, me vender um saco de água suja. - Tem um peixinho dourado aqui, só não vê quem não quer. Leve pro seu filho, tenho certeza de que ele vai gostar.Tem que ver com olhos de poesia! - Não tenho filho. Botou poesia no meio aí é que não levo. Afinal é peixe ou poesia o que você diz vender? - Moço, me compra o peixinho, garanto que ele vai enfeitar seu aquário. - Não tenho aquário. Não quero esta porcaria. - Então leva pra sua mulher, mulheres gostam de presentes diferentes. - Não tenho mulher. E continuo não vendo peixe nenhum nesta sacola. - Pois é moço. Não tem filho, não tem aquário, não tem mulher. Como é que o senhor vai conseguir enxergar um peixe dourado?   http://nuvensnuvensestacionadas.blogspot.com/ [caption id="attachment_3427" align="aligncenter" width="320" caption="Artista Plástico Turco (nome inelegível)"][/caption]    
Comentar
Compartilhe
O MEDO É UMA MERDA
05/02/2012 | 11h37
"Há quem tenha medo que o medo acabe."  Mia Couto [youtube]http://www.youtube.com/watch?v=jACccaTogxE[/youtube]
Comentar
Compartilhe
ABUSO: MÉDICA PEDE AJUDA
04/02/2012 | 14h23
Recebemos denúncia abaixo da Sra. Sandra Machado, obstetra. Teve seu carro indevidamente rebocado pela empresa contratada pela PMCG, a Pátio Norte. Mais um abuso.LP ______________________________________________________________________________ Absurdos acontecem!Apos realizar, de urgência,um procedimento no Hosp Dr Beda para minha surpresa não encontrei o meu carro que estava estacionado numa vaga de prioridade,meu direito,soube que tinha sido rebocado para o pátio NORTE por zelosos guardas municipais.PASMEM´só posso tirá-lo de lá segunda feira!Como posso trabalhar se sou uma POBRE médica que trabalha,pelas madrugadas, como obstetra! PS.Por favor me ajude.
Comentar
Compartilhe
“A riqueza da gente são os amigos”
04/02/2012 | 00h16
[caption id="" align="alignright" width="320" caption="proac.uff.br"][/caption] Dias atrás fui entrevistar o Prof. José Luis Vianna para a Folha da Manhã. O professor e sociólogo é o diretor do pólo da Universidade Federal Fluminense, campus Campos. Para quem ainda não sabe da melhor das novas para a cidade. A UFF deu a largada na construção de sua sede definitiva em Campos. Em dois prédios de sete andares vai crescer, virão outros mais cursos. Um novo espaço cultural irá surgir. Ficará localizada, ali na beira rio, perto da ponte da ferrovia, entre o Fórum e o Ferreira Machado. Área central de Campos, de cara para o vento nordeste, naquele que foi o vasto terreno do pátio de manobra da Rede Ferroviária. Prensentaço que Campos ganhará breve. Não tenho dúvida: José Luis Vianna, escreverá em definitivo seu nome na história boa desta terra. Cultura, conhecimento e educação é do que mais aqui carecemos. Claro, temos a Uenf em plena produtividade. Aliás, atribuo à sua implantação a reabertura das mentalidades que por décadas de autoritarismo teve seu brilho tornado opaco. Com a Uenf, foi dado o primeiro passo no arejamento à uma cultura de enclave, predominante até então. A elite local foi forçada a respeitar valores outros que não só o poder da compra do dinheiro ou da origem familiar de um sobrenome. Pois conversar com o sociólogo José Luis Vianna foi como cutucar um formigueiro, a “efervescência invisível” de Marx. Na sua simplicidade nos toca com esperança de Campos vir a ser esta efervescência. Visível. Gratificante. Luciana Portinho   ( o título não é meu o texto sim)  
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Luciana Portinho

[email protected]