Vem aí mais uma operadora de telefonia móvel virtual no Brasil: MVNO
25/09/2017 | 11h15
O Brasil pode ganhar em breve mais uma operadora de telefonia móvel virtual, desta vez atrelada aos Correios. Através do processo de concorrência da estatal anunciado hoje, as empresas interessadas poderão apresentar projetos de exploração de serviço por meio de rede virtual, sendo que a vencedora deverá atuar a partir de um chip da marca Correios.
 
As propostas devem ser apresentadas até o dia 17 de março e todas as empresas poderão fazer novos lances. As candidaturas serão avaliadas considerando o somatório do maior valor de remuneração dos chips pré-pagos e do maior percentual de comissão pela venda de recargas realizadas. O valor mínimo para que a operadora comece a funcionar é de R$ 282 milhões.
 
Os Correios irão utilizar a infraestrutura de telecomunicações da operadora escolhida, sendo que para entrar na concorrência a candidata precisa estar presente em pelo menos 50% dos municípios brasileiros.
Comentar
Compartilhe
Facebook está virando lentamente o Orkut
19/09/2017 | 13h36
Um estudo revelou que os adolescentes estão preferindo cada vez mais acessar e interagir no Instagram e no Snapchat ao invés do Facebook. O levantamento consultou usuários de redes sociais na faixa etária dos 12 aos 17 anos e constatou que a audiência desse grupo no Facebook diminuiu à medida que no Instagram e Snapchat tem aumentado.
O estudo projeto que os usuários mensais com idade entre 12 e 17 anos cairão 3,4% para 14,5 milhões de pessoas este ano nos Estados Unidos. O número representa um declínio maior do que no ano passado, quando houve uma queda de 1,2%. De acordo com a eMarketer, este é o segundo ano consecutivo que o Facebook apresenta queda no número de usuários adolescentes no país. No Reino Unido os números são similares, ainda que menos acentuados. Na mesma faixa etária, a projeção de queda neste ano será de 2,8%, enquanto que entre os jovens de 18 a 24 anos a redução será de 3,1%.
Apesar da queda na audiência adolescente no Facebook, a empresa pode comemorar o crescimento deste mesmo grupo no Instagram. Nos Estados Unidos, a previsão da eMarketer é que o aumento seja de 23,8%, enquanto que no Reino Unido o aumento será de 34,8%. Isso faz com que o Facebook ainda detenha grande parte do grupo em seu ecossistema de aplicativos, apesar da clara demonstração de que os jovens estão preferindo um outro tipo de interação quando o assunto é redes sociais.
O estudo ainda apontou dados positivos sobre a ida de adolescentes ao Snapchat. A base de usuários adolescentes do aplicativo nos Estados Unidos está prevista para crescer 25,8% neste ano. No Reino Unido, o aumento de usuários entre 12 e 17 anos deve ser de 20,2% em 2017.
"Nós vemos adolescentes migrando para o Snapchat e o Instagram", afirmou o analista da eMarketer, Oscar Orozco. "Ambas as plataformas encontraram sucesso com este [perfil] demográfico, pois estão mais alinhadas com a forma como se comunicam, ou seja, usando conteúdo visual".
Para Orozco os adolescentes parecem estar menos envolvidos com o Facebook, passando menos tempo dentro da plataforma. Assim, a rede social deve estar mais atenta a mudanças que o público mais jovem está fazendo, já que isso pode impactar no futuro da companhia.
"O Facebook ainda é o grande vencedor das mídias sociais. Mas ficará um pouco preocupado com o fato de as pessoas mais jovens do Reino Unido estarem com a cabeça virada para o Snapchat. Claro, a aquisição do Instagram pelo Facebook suaviza o golpe, e será mais animador ver as perspectivas a longo prazo do Instagram serem melhores do que do Snapchat", finalizou.
Gustavo Carvalho
Comentar
Compartilhe
Apple revela iPhone 8, iPhone 8 Plus e iPhone X
15/09/2017 | 12h39
São três modelos, sendo duas atualizações, batizadas de iPhone 8 e iPhone 8 Plus, e um aparelho totalmente novo, que possui frente dominada pela tela OLED de 5,8 polegadas e se chama iPhone X. Eles já haviam vazado, mas agora temos as informações oficiais. Vamos a eles?
iPhone 8 e iPhone 8 Plus
Primeiro, vamos para a atualização do iPhone 7. O iPhone 8 e o iPhone 8 Plus possuem traseira de vidro, se parecem bastante com os antecessores e continuam com resistência contra água e poeira, alem dos alto-falantes estéreo. As telas são de 4,7 e 5,5 polegadas e suportam a tecnologia True Tone, que ajusta a temperatura do display de acordo com a iluminação do ambiente.
 Os iPhones 8 são equipados com o processador A11 Bionic. A CPU é hexa-core, com dois núcleos de alto desempenho (25% mais rápidos que os do A10) e quatro núcleos de economia de energia (70% mais rápidos). A GPU, pela primeira vez desenvolvida pela própria Apple, é 30% mais potente que a do A10 e consegue fornecer o mesmo desempenho do antecessor com metade da energia.
A câmera dupla continua restrita ao modelo maior, que conta com sensor duplo de 12 megapixels, sendo uma lente normal com abertura f/1,8 e uma teleobjetiva com abertura f/2,8. O iPhone 8 de 4,7 polegadas tem apenas um sensor com estabilização óptica de imagem. De acordo com a Apple, os sensores são novos, consomem menos energia, capturam mais luz e são otimizados para realidade aumentada.
Embora os formatos dos novos iPhones sejam semelhantes aos da geração anterior, o material da traseira mudou de alumínio para vidro. Por um motivo: o iPhone 8 e o Phone 8 Plus suportam a tecnologia de carregamento sem fio, e são compatíveis com qualquer carregador que suporte a tecnologia Qi, um padrão de mercado também utilizado por outras fabricantes.
O iPhone 8 será vendido nas versões de 64 e 256 GB, com preços de US$ 699 e 849, respectivamente. O iPhone 8 Plus, por sua vez, custará US$ 799 e 949, com as mesmas capacidades de armazenamento. A pré-venda nos Estados Unidos começa no dia 15 de setembro, com as entregas se iniciando em 22 de setembro.
Como esperado, o iPhone X (pronuncia-se “iPhone dez”) é a verdadeira renovação do iPhone. O design é o mesmo que vazou nos últimos meses. Temos uma frente dominada pela tela OLED de 5,8 polegadas, com resolução de 2436×1125 pixels, que a Apple decidiu chamar de Super Retina Display: ela possui densidade de pixels mais alta (458 ppi), brilho mais forte e cores mais precisas.
A Apple aposentou o botão de início. Para ligar o iPhone X, basta tocar na tela. E, para acessar a tela inicial, deslize o dedo para cima, mesmo gesto utilizado para acessar a tela de aplicativos recentes. Não há leitor de impressões digitais: o desbloqueio é feito por meio de reconhecimento facial, o Face ID.
Segundo a Apple, o Face ID funciona com a ajuda de um motor neural, capaz de processar 600 bilhões de operações por segundo. A tecnologia pode reconhecer seu rosto mesmo se você trocar seu corte de cabelo ou vestir óculos, se adapta de acordo com as mudanças do seu rosto ao longo do tempo, e não pode ser enganada por uma foto.
O Face ID, inclusive, promete ser mais seguro que o Touch ID: o sensor de impressões digitais podia ser desbloqueado por outra pessoa aleatória em 1 a cada 50 mil vezes; na câmera de reconhecimento facial, essa probabilidade cai para 1 em 1 milhão. Para funcionar, a nova tecnologia utiliza uma câmera infravermelho e, em ambientes escuros, um iluminador.
O iPhone X também possui outras tecnologias não necessariamente úteis: você pode, por exemplo, colocar máscaras de realidade aumentada em tempo real no seu rosto. Ou enviar, pelo iMessage, um animoji, que é basicamente um emoji animado (pode ser um gato, um cachorro ou mesmo um cocôzinho) capaz de mexer a boca de acordo com a sua fala.
A câmera traseira de 12 megapixels possui duas lentes, uma normal (f/1,8) e uma teleobjetiva (f/2,4), ambas com estabilização óptica de imagem. Há um flash com quatro LEDs para iluminar a cena em cenários noturnos, e é possível filmar em até 4K a 60 quadros por segundo. Já a câmera frontal de 7 megapixels passa a suportar o modo retrato, que desfoca o fundo da imagem.
Internamente, o hardware é parecido com o do iPhone 8. Temos um processador hexa-core Apple A11 Bionic, uma GPU desenvolvida pela Apple e uma tecnologia de carregamento sem fio. Nas conexões, há suporte a LTE Gigabit e Bluetooth 5.0. Mas o mais importante é que, de acordo com a empresa, a bateria dura duas horas a mais que a do iPhone 7. Até que enfim!
O carregador sem fio da própria Apple se chama AirPower e será lançado apenas em 2018, ainda sem preço definido. A principal característica é que ele pode recarregar um iPhone, um Apple Watch e os AirPods ao mesmo tempo. Isso não é oficialmente suportado pela tecnologia Qi, mas a Apple diz que está trabalhando para incorporar o recurso como padrão.
iPhone X
Como esperado, o iPhone X (pronuncia-se “iPhone dez”) é a verdadeira renovação do iPhone. O design é o mesmo que vazou nos últimos meses. Temos uma frente dominada pela tela OLED de 5,8 polegadas, com resolução de 2436×1125 pixels, que a Apple decidiu chamar de Super Retina Display: ela possui densidade de pixels mais alta (458 ppi), brilho mais forte e cores mais precisas.
A Apple aposentou o botão de início. Para ligar o iPhone X, basta tocar na tela. E, para acessar a tela inicial, deslize o dedo para cima, mesmo gesto utilizado para acessar a tela de aplicativos recentes. Não há leitor de impressões digitais: o desbloqueio é feito por meio de reconhecimento facial, o Face ID.
Segundo a Apple, o Face ID funciona com a ajuda de um motor neural, capaz de processar 600 bilhões de operações por segundo. A tecnologia pode reconhecer seu rosto mesmo se você trocar seu corte de cabelo ou vestir óculos, se adapta de acordo com as mudanças do seu rosto ao longo do tempo, e não pode ser enganada por uma foto.
O Face ID, inclusive, promete ser mais seguro que o Touch ID: o sensor de impressões digitais podia ser desbloqueado por outra pessoa aleatória em 1 a cada 50 mil vezes; na câmera de reconhecimento facial, essa probabilidade cai para 1 em 1 milhão. Para funcionar, a nova tecnologia utiliza uma câmera infravermelho e, em ambientes escuros, um iluminador.
O iPhone X também possui outras tecnologias não necessariamente úteis: você pode, por exemplo, colocar máscaras de realidade aumentada em tempo real no seu rosto. Ou enviar, pelo iMessage, um animoji, que é basicamente um emoji animado (pode ser um gato, um cachorro ou mesmo um cocôzinho) capaz de mexer a boca de acordo com a sua fala.
A câmera traseira de 12 megapixels possui duas lentes, uma normal (f/1,8) e uma teleobjetiva (f/2,4), ambas com estabilização óptica de imagem. Há um flash com quatro LEDs para iluminar a cena em cenários noturnos, e é possível filmar em até 4K a 60 quadros por segundo. Já a câmera frontal de 7 megapixels passa a suportar o modo retrato, que desfoca o fundo da imagem.
Internamente, o hardware é parecido com o do iPhone 8. Temos um processador hexa-core Apple A11 Bionic, uma GPU desenvolvida pela Apple e uma tecnologia de carregamento sem fio. Nas conexões, há suporte a LTE Gigabit e Bluetooth 5.0. Mas o mais importante é que, de acordo com a empresa, a bateria dura duas horas a mais que a do iPhone 7. Até que enfim!
O carregador sem fio da própria Apple se chama AirPower e será lançado apenas em 2018, ainda sem preço definido. A principal característica é que ele pode recarregar um iPhone, um Apple Watch e os AirPods ao mesmo tempo. Isso não é oficialmente suportado pela tecnologia Qi, mas a Apple diz que está trabalhando para incorporar o recurso como padrão.
O iPhone X será vendido nas versões de 64 e 256 GB, custando US$ 999 e 1.149, respectivamente (ai!). A pré-venda começa no dia 27 de outubro, e os aparelhos serão entregues aos compradores a partir de 3 de novembro.
By Gustavo de Abreu Carvalho
Comentar
Compartilhe
PEÇA PRIMEIRO SINAL
14/09/2017 | 16h17
PRIMEIRO SINAL
com LUA BLANCO e IGOR COSSO
Direção ICARO SILVA
 
 
 
 
Primeiro Sinal não é mais uma peça adolescente e boba sobre o amor. A partir da amizade de Rael e Nina, o espetáculo explora de forma leve e engraçada todo o universo dos jovens, do ponto de vista de um autor jovem.
 
O mico inesquecível do primeiro dia de aula, o beijo com gosto de Koni daquele encontro, a virgindade tirada pelo primo, a separação surpresa dos pais, a herpes conquistada em uma micareta e claro, a descoberta do primeiro grande amor da vida.
 
O texto explora muito a metalinguagem, pois o teatro acontece dentro de uma peça de teatro. Os dois amigos inseparáveis vão juntos assistir a um espetáculo que está em cartaz na cidade. Quando chegam lá, descobrem que a peça foi cancelada. Diante do palco vazio e o teatro abandonado, os dois decidem usar o espaço para encenarem um para o outro as histórias mais divertidas que já viveram juntos.
 
Nessas histórias, os dois atores se revezam nos papéis de diversos personagens absurdos que fizeram parte desses momentos únicos na vida deles. O oficio da atuação dos atores do espetáculo é bastante explorado pela diversidade de figuras diferentes e de personalidades distintas que eles interpretam dentro dessas encenações em forma de esquetes. O que não poderia deixar de ser explorado também é a doce voz da atriz e cantora Lua Blanco através de uma bela canção original gravada na trilha do espetáculo.
 
Após encenarem esses diversos esquetes de momentos inusitados que viveram juntos, a realidade muda e voltamos para o início da peça. Eles estão novamente chegando para assistir uma peça de teatro e descobrem que a mesma foi cancelada. Agora, ao invés de subirem no palco para encenarem suas histórias, eles decidem ir embora, porém antes, Rael faz uma revelação que vai mudar toda a história do espetáculo.
 
 
 
Classificação 12 anos
Tempo - 70 minutos
 
 
 
 
Elenco LUA BLANCO e IGOR COSSO
Texto – IGOR COSSO
Direção – ICARO SILVA
Produção – Inverso Produções Artísticas
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Gustavo Abreu

[email protected]

Um blog sobre curiosidades, imagens, vídeos interessantes, dicas de filmes, séries, ilustrações, viagens e tudo que está bombando na net.