Estudo identifica mutação responsável pela cara dos Pugs
30/05/2017 | 14h36
Cientistas analisaram o DNA de 364 cães para identificar gene responsável por condição. Pesquisa pode ajudar a diagnosticar má-formação do crânio em humanos
O achatamento do crânio, característica marcante de raças como Pugs (foto) e Buldogues Franceses leva a traumas oculares e dificuldades de respiração. 
Um novo estudo, feito com o DNA de cães, revelou qual a mutação genética ligada ao formato de face achatado, característica marcante de Pugs e Buldogues Franceses. Até então, pouco se sabia a respeito desta condição, chamada braquicefalia, que também pode acontecer em humanos. Agora, a descoberta, publicada na revista científica Current Biology, na última semana, pode ajudar a diagnosticar essa anomalia em crânios de bebês.
Comentar
Compartilhe
Conheça a função que transforma voz em texto no WhatsApp
30/05/2017 | 11h09
Desde que a mensagem de voz foi lançada no WhatsApp, as conversas usando som são unanimidade para acelerar o ritmo e deixar o papo mais interessante, certo? Na verdade, não. Algumas pessoas simplesmente não gostam de receber áudios, principalmente se eles forem grandes e, consequentemente, demorados. Mas se você acha que falar é muito mais prático que escrever, o aplicativo permite que você dite a mensagem e ela seja enviada por meio de texto.
A função “ditado” não é conhecida por todos mas é facilmente encontrada sem qualquer instalação extra ou necessidade de outros aplicativos (além do próprio WhatsApp, é claro). Presente no iOS e Android, o ícone é similar ao utilizado para enviar mensagem de voz, mas está localizado “dentro” do teclado, e não naquela área separada exclusiva do popular mensageiro.
No iOS, o botão fica ao lado da barra de espaço.
Já no GBoard, teclado padrão do sistema operacional da Google, os dois ícones de microfone estão próximos. Para usar a função “ditado”, clique no símbolo localizado na barra cinza, destacado na imagem por um retângulo vermelho.
Como a maioria das fabricantes usa interfaces Android personalizadas, pode haver pequenas variações de posição ou design do botão. Nesses casos, procure o ícone em outras áreas do seu teclado
Diferente da mensagem por voz, você não precisa pressionar o botão durante toda a fala. O próprio software percebe quando você termina e transforma seu recado em texto escrito. Após a transcrição da fala, ela não é enviada automaticamente. Assim, é possível corrigir possíveis erros de interpretação e pontuações.
As risadas são compreendidas e traduzidas para “hahahahah”. Até os palavrões são captados e assimilados mas, no Android, só a primeira letra é exibida e as outras são transformadas em asterisco. Nos nossos testes, no entanto, com o smartphone configurado para português como idioma principal e inglês como secundário, as expressões grosseiras comuns da língua norte-americana foram transcritas sem restrições.
E funciona mesmo?
E funciona mesmo?
Se você acha que essa é mais uma função-acessório que não exerce papel relevante, você está enganado. Dificilmente as palavras escolhidas saem de maneira inesperada ou diferente do que foi falado. Alguns erros podem aparecer, mas praticamente não acontece.
O iOS sai em ligeira vantagem pois entende pontuações, desde que também sejam ditadas. Enquanto “Oi vírgula você está bem ponto de interrogação” saia dessa maneira no sistema do robô, no smartphone da Apple é possível ler um texto com mais sentido: “Oi, você está bem?”. É verdade que pontuações não são regra máxima no WhatsApp ou qualquer outro mensageiro, mas mesmo assim, é uma adição interessante e que facilita o entendimento.
Mas como nem tudo são flores, existe um pequeno problema: há um delay entre o ditado e a transcrição do que foi dito. Esse atraso pode irritar algumas pessoas, que vão preferir digitar do que esperar o aparelho processar a informação.
Comentar
Compartilhe
Fim da Banda O RAPPA?! Último show em Campos!
18/05/2017 | 13h31
Após mais de 24 anos na estrada, O Rappa fará uma pausa nas atividades por tempo indeterminado, anunciou a banda nesta quarta-feira, 3, em um post no Instagram. Apesar disso, os shows até 2018 serão mantidos pela banda.
 No texto, O Rappa agradece o carinho dos fãs, mas não explica o motivo do hiato. “Desde que voltamos aos palcos, em outubro de 2011, vivemos experiências incríveis. Talvez as mais importantes desses mais de 20 anos de carreira. Viajamos o Brasil de ponta a ponta, lançamos dois discos, emendamos quatro turnês internacionais que incluíram um Lollapalooza nos EUA, mais de dez datas na Europa, três na Austrália e um na Nova Zelândia”, escreveram.
 O Rappa surgiu em 1993 e já havia feito uma pausa entre os anos de 2009 e 2011. Hoje, a banda é formada por Marcelo Falcão, Marcelo Lobato, Lauro Farias e Xandão Meneses.
Fonte: IstoÉ
 
Salve família! Desde que voltamos aos palcos, em outubro de 2011, vivemos experiências incríveis. Talvez as mais importantes desses mais de 20 anos de carreira. Viajamos o Brasil de ponta a ponta, lançamos dois discos, emendamos quatro turnês internacionais que incluíram um Lollapalooza nos EUA, mais de dez datas na Europa, três na Austrália e um na Nova Zelândia. Vimos nossos fãs crescerem, construírem famílias e trazerem filhos e netos para os shows. Além disso, nossas redes sociais nos aproximaram de vocês, os fãs mais “crazy” do planeta! Mas chegou a hora de dizer que vamos parar e, desta vez, sem previsão de volta. A boa notícia é que vamos terminar esta turnê. Os shows estão confirmados até fevereiro de 2018. Esperamos ver todos os nossos fãs nestes shows. Fiquem ligados na nossa agenda. O nosso muito obrigado a cada um de vocês pelo carinho e dedicação de sempre! Marcelo Falcão, Marcelo Lobato, Lauro Farias e Xandão Meneses.
 
 
A banda se apresentará com um super show empolgante que os fãs já estão enlouquecidos, dia 24 de junho, sábado, no complexo de entretenimento, Multi Place, na Av. Alberto Lamego, em Campos dos Goytacazes.
Comentar
Compartilhe
Pesquisa revela que robótica deixa alunos mais motivados e dedicados
17/05/2017 | 11h53
Estudo avaliou jovens que participaram da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR)
Além de ser fascinante e transportar as pessoas para um mundo tão real e, ao mesmo tempo, tão futurista, a robótica, quando praticada por alunos da Educação Básica muda aspectos comportamentais desses estudantes, tornando-os mais disciplinados, colaborativos e criativos. Esse é um dos resultados do artigo "Brazilian Robotics Olympiad: a successful paradigm for science and technology dissemination", publicado na revista International Journal of Advanced Robotic Systems e que analisa os efeitos da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) em estudantes de todo o Brasil. Entre os autores estão Rafael Aroca, docente do Departamento de Engenharia Mecânica (DEMec), e Tatiana Pazelli, professora do Departamento de Engenharia Elétrica (DEE), ambos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e, respectivamente, atuais coordenador geral e vice-coordenadora da OBR.
A OBR foi criada em 2007 por professores universitários e com o objetivo principal de promover a robótica e a tecnologia no sistema escolar público e privado de todo o País. Dirigida a estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e Técnico, a Olimpíada é dividida em duas modalidades: prática e teórica. A teórica consiste em uma série de provas escritas preparadas por uma comissão composta por professores das cinco regiões do Brasil. São seis níveis, sendo o primeiro dirigido para crianças matriculadas no primeiro ano do Ensino Fundamental e o sexto nível para alunos do último ano dos ensinos Médio e Técnico. Já o teste prático é composto por um desafio em que equipes formadas por até quatro estudantes devem construir robôs autônomos para resgatar vítimas em um ambiente que simula uma catástrofe.
Para obter os resultados do estudo, os pesquisadores encaminharam um questionário a estudantes que já participaram da OBR e outro aos professores. No total, 389 docentes e 536 alunos responderam. Dos alunos, 92% dos que responderam tinham entre 12 e 18 anos, e 48% eram de escolas públicas. Mais da metade, ou seja, 58% deles afirmaram que a OBR ajudou a escolher o seu curso de graduação. Daqueles que já estavam matriculados em um curso universitário, 99% estão nas áreas de Ciências, Tecnologia e Engenharia. "Um dos objetivos da Olimpíada é incentivar os alunos a escolher, justamente, uma dessas áreas", afirma Aroca.
Para os professores foi perguntado sobre os aspectos comportamentais dos alunos que se sobressaíram quando da preparação e participação na Olimpíada. Segundo eles, dos alunos que participaram da fase teórica, 59,28% demonstraram aumento de interesse e motivação, aumento de dedicação (41,24%) e aumento de cooperação e trabalho em equipe (35,05%). Já nos jovens que disputaram a etapa prática, destacaram-se a cooperação e trabalho em equipe (72,42%), interesse e motivação (67,78%) e dedicação (62,11%). "Além desses resultados, estudantes e professores concordam que a participação na Olimpíada aumenta o interesse dos jovens em robótica e tecnologia. Também vale destacar a quantidade similar de meninos e meninas que participam da OBR, o que pode indicar um futuro com maior igualdade de gênero nas carreiras de ciência e tecnologia", conclui o coordenador geral da OBR.
Inscrições para a OBR 2017
As inscrições para a Olimpíada Brasileira de Robótica estão abertas até o dia 20 de maio. A OBR é totalmente gratuita e podem participar alunos matriculados em escolas de Ensino Fundamental, Ensino Médio e Técnico.
A OBR tem o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de diversas instituições em todo Brasil. Em 2017, a coordenação geral do evento em nível nacional é feita pela UFSCar. Participam também da organização nacional da OBR o Colégio Técnico de Campinas (Cotuca-Unicamp), RoboCup, Sociedade Brasileira de Computação (SBC), Centro Universitário FEI, Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Mostra Nacional de Robótica (MNR), Sesi-São Paulo, Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).
As inscrições podem ser feitas pelo site www.obr.org.br, onde está o manual que esclarece os procedimentos de inscrição de alunos e equipes.
Gustavo de Abreu Carvalho
Comentar
Compartilhe
Uber passa a mostrar horários de ônibus e trens
16/05/2017 | 15h13
O Uber está se movimentando para se tornar um aplicativo de transporte e não somente de motoristas particulares. A plataforma agora exibe em tempo real horários de ônibus, trens e metrôs próximos ao destino do usuário.
Na verdade, o Uber está integrando o seu sistema ao do app Transit, que exibe informações sobre o transporte público. Basta o usuário acessar uma aba dedicada às informações de horários dentro do próprio Uber, sem precisar baixar ou abrir o outro aplicativo.
Por enquanto, a atualização está disponível somente para usuários do Android em 50 cidades dos Estados Unidos, mas em breve o recurso deve chegar para usuários do iOS e ser difundido em outras regiões.
Gustavo de Abreu Carvalho
Comentar
Compartilhe
Bon Jovi: ingressos para show começam a ser vendidos nesta quarta para público geral
10/05/2017 | 14h53
Banda norte-americana irá se apresentar na Capital gaúcha no dia 19 de setembro, no Beira-Rio
Os ingressos para o show de Bon Jovi em Porto Alegre começam a ser vendidos para o público geral nesta quarta-feira, a partir das 22h, pelo site  ingressorapido.com.br. Até então, as vendas só estavam disponíveis para o fã-clube e para clientes da plataforma de pagamentos digitais Paypal. Na quinta-feira, os ingressos poderão ser comprados na Hits Store, do Shopping Iguatemi, a partir das 10h.
A apresentação da banda norte-americana será realizada no dia 19 de setembro, no Beira-Rio. Um dos ícones do hard rock, o grupo formado em 1983, em Nova Jersey, pelo vocalista Jon Bon Jovi já veio cinco vezes ao Brasil. Na primeira, em 1990, apresentou-se no festival Hollywood Rock, no Rio de Janeiro. Na última, em 2013, tocou para mais de 60 mil pessoas no Estádio do Morumbi, em São Paulo, e no Rock in Rio (onde se apresentará novamente neste ano).
O grupo vem com a turnê do álbum This House Is Not for Sale, lançado no final do ano passado. No repertório, o Bon Jovi vem mostrando um apanhado bem variado de sua discografia, com canções de todas as fases – o que deve agradar tanto os fãs mais ardorosos quanto quem só conhece os (muitos) grandes hits.
Entre as canções que integram o set list regular da turnê estão desde as recentes This House Is Not for Sale, Roller Coaster e Knockout (do novo álbum) às clássicas dos anos 1980 onipresentes nas rádios e na MTV (You Give Love a Bad Name, Born to Be My Baby, Livin' on a Prayer e Bad Medicine), passando pelos hits dos anos 2000 (como Who Says You Can't Go Home, It's My Life e Lost Highway).
A turnê marca a oficialização de dois novos membros da formação do Bon Jovi: o guitarrista Phil X (que agora ocupa o lugar do guitarrista Richie Sambora) e o baixista Hugh McDonald, que já acompanha a banda há muitos anos como músico convidado. A dupla sobe ao palco com os sócios-fundadores Jon Bon Jovi (vocais e guitarra), David Bryan (teclados) e Tico Torres (bateria).
BON JOVI – PORTO ALEGRE
Ingressos – Primeiro Lote
Pista Premium – R$ 550,00
Pista – R$ 300,00
Cadeira Inferior - R$ 380,00
Cadeira Vip – R$ 440,00
Cadeira Superior – R$ 190,00
Camarote Open Drink e Food – R$ 1.500,00
Camarotes Fechados - entre R$ 7.800,00 (12 lugares) e R$ 11.700,00 (18 lugares)
Pontos de venda:
Online: ingressorapido.com.br
Hits Store (Shopping Iguatemi)
Comentar
Compartilhe
Chega ao Brasil ferramenta da Uber que checa motorista
09/05/2017 | 15h25
A ideia do sistema de verificação é certificar de que a pessoa dirigindo o automóvel é a mesma registrada no cadastro da companhia.
Os motoristas brasileiros da Uber podem ser obrigados a tirar uma ‘selfie‘ antes de aceitar uma corrida pelo aplicativo. Desde a última segunda-feira, a empresa implantou no país um sistema que solicita o envio de uma foto do rosto capturada naquele momento. A ideia é certificar-se que a pessoa dirigindo o automóvel é a mesma registrada na Uber.
Gustavo de Abreu Carvalho
Comentar
Compartilhe
Saiba como recuperar uma mensagem apagada do WhatsApp
03/05/2017 | 16h39
Você já apagou sem querer uma mensagem importante que recebeu pelo WhatsApp? Não precisa se preocupar, porque tem como recuperar todas as suas conversas!
O WhatsApp tem um sistema de backup que copia tudo e você consegue recuperar ele sempre que precisar! Muito legal, não é mesmo? E olha só como é fácil fazer isso!
Se o seu smartphone for um iOS, entre no WhatsApp, vá em “Ajustes” e depois, em “Conversas”. Toque em “Backup de conversas” e, em “Auto backup”, selecione a opção
“Diariamente”, assim você consegue recuperar mensagens apagadas nas últimas 24 horas. Se você escolher a opção “Semanalmente” ou “Mensalmente”, talvez não encontre a mensagem que você apagou, tá?
Gente, só um detalhe: é só depois dessa etapa que as suas mensagens começam a ficar salvas no backup, viu? Se você apagou a mensagem e não estava com o backup ativado, não tem como recuperar.
Pra recuperar as mensagens apagadas, é só desinstalar o aplicativo e instalar de novo. Quando você estiver configurando o app, ele vai perguntar se é pra recuperar as conversas mais recentes. Aí, é só responder que sim e pronto! Todas as suas mensagens, imagens e vídeos vão estar lá!
E tem mais!
Se você tiver um celular Android, vá nas “Configurações” do aplicativo, depois em “Conversas” e “Backup de conversas”. Agora, selecione a opção
“Diário” e veja se a conta do Google Drive está selecionada.
Já pra iOS, é só desinstalar, reinstalar e quando ele perguntar se é pra restaurar as conversas antigas, você responde que sim. E aí? Conseguiu recuperar as mensagens apagadas?
Abs,
Gustavo Carvalho
Comentar
Compartilhe
Como baixar músicas de graça no iPhone e ouvir sem conexão à internet!
02/05/2017 | 13h03
Baixar músicas grátis e fácilmente no iPhone é com certeza uma das maiores buscas entre os usuários de iPhones, iPads e outros “smarts” em todo o Google. O que todos querem é um método ou forma simples e prática de baixar músicas diretamente em seus aparelhos, gratuitamente, que fique disponível sem conexão à internet e ocupe pouco espaço no armazenamento.
E é exatamente isso que vou ensinar vocês aqui nesse artigo, uma forma simples, fácil e prática, que vai funcionar em praticamente todos os iPhone (e iPads, e até em Android’s).
Preparativos
1º Baixe o aplicativo
Em primeiro lugar, por lógica, é preciso instalar o Telegram em seu aparelho. (confira este tutorial para iniciantes)
2º Crie um canal para colocar suas músicas
Agora, após ter baixado e se cadastrado, crie um canal privado. Para este canal você encaminhará suas músicas, organizando melhor fora do bot. Acompanhe as imagens seguintes:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Toque no ícone de nova mensagem no canto superior direito da tela.
 
 
 
 
 
Toque em ‘Próximo’. Nesta tela você pode adicionar pessoas da sua lista de contatos caso queira.
Pronto, seu canal já está criado. Toque em ‘Chats’ para voltar à tela principal do Telegram.
Tudo devidamente preparado. Agora vamos baixar músicas!
3º Baixe as músicas através do bot
Os bots são semelhantes às conversas comuns. No decorrer deste tutorial você entenderá todo o procedimento. Apesar de aparentemente trabalhoso, esta é uma forma muito simples e fácil de fazer download de músicas em seu dispositivo iOS.
@utubebot
Como dito na introdução deste artigo, esse bot baixa do YouTube. Consiste no usuário enviar o link de um vídeo escolhido que o bot retorna com opções. Entenda melhor seguindo os passos com imagens…
4º – Inicie uma conversa com o @utubebot:
5º – Agora envie o link do vídeo contendo a música que deseja para o bot e selecione as opções conforme as imagens:
6º – Encaminhe a música para o canal criado nos preparativos:
7º – Aproveite suas músicas à vontade:
Notas finais
Para baixar novas músicas, basta repetir o processo: envie um novo link após cada download.
Pode baixar as músicas e depois encaminhar ao canal várias ao mesmo tempo, basta selecionar. Não é necessário enviar uma a uma após cada download.
Os bots são criados por terceiros, sendo assim, seu funcionamento não é responsabilidade do Telegram Messenger.
O app Telegram é relativamente pequeno, ocupando cerca de 35 MB de armazenamento.
Ao limpar o cache do aplicativo em suas configurações, nenhum dado é perdido, apenas é removido do aparelho, havendo possibilidade de baixar novamente, já que todas suas conversas, arquivos etc ficam na nuvem.
Considerações do autor:
Este é apenas mais um método que uso para ter músicas no iPhone. Decidi compartilhar com vocês aqui no site por ser bem simples e de fácil entendimento, já que muitos usuários procuram por formas não trabalhosas de baixar músicas, como é possível ver no exemplo presente no início deste artigo. Até mesmo no Telegram há outros bots que executam essa função, porém de forma não muito objetiva.
Enfim, espero que gostem, dependendo posso trazer outras maneiras de se explorar o universo do Telegram. Por isso o feedback de vocês leitores é muito importante. Deixem suas opiniões, esclareçam suas dúvidas, sintam-se à vontade para falar conosco, nossas redes sociais estão aí! Um grande abraço a todos vocês. =)
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Gustavo Abreu

[email protected]

Um blog sobre curiosidades, imagens, vídeos interessantes, dicas de filmes, séries, ilustrações, viagens e tudo que está bombando na net.