O risco das bebidas energéticas
25/04/2017 | 20h24
http://www.desportoeesport.com
Bebidas energéticas / http:www.desportoeesport.com
Você sabia que as bebidas energéticas podem trazer sérios riscos a sua saúde?
A PROTESTE analisou algumas marcas dessas bebidas e chegou a resultados assustadores.
Leia a matéria da PROTESTE:
Tem gente que costuma ingerir bebida energética para virar a noite, seja com o intuito de estudar para a prova do dia seguinte ou para finalizar o trabalho que precisa ser entregue o mais rápido possível. Se você faz parte desse grupo, é bom ficar atento: levamos 10 desses produtos ao laboratório e constatamos que eles podem ser fonte de ameaça para o organismo por oferecerem sódio e açúcares em excesso, além de outros problemas.
Em relação ao sódio, saiba que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de, no máximo, 2 g por dia desse mineral. Em nosso teste, vimos que a Extra Power e a Flying Horse têm 270 mg e 370 mg de sódio por lata, respectivamente. Assim, quem consumir quatro latinhas da Flying Horse já atinge o consumo de 1.480 mg, o que equivale a 74% do recomendado ao dia. E vale lembrar: o excesso de sódio tende a levar à hipertensão.
Quanto à quantidade de açúcares totais, a situação é ainda pior. A OMS recomenda o consumo diário de 50 g (considerando uma dieta de 2 mil calorias). E sabe o que encontramos? A maioria das marcas tem, pelo menos, a metade dessa quantidade em apenas uma latinha. E Bad Boy e Flying Horse são as recordistas nisso, apresentando, respectivamente, 78 g e 82 g de açúcares totais em 270 g do produto. Assim, quem beber apenas uma lata já ultrapassa o limite máximo diário recomendado.
Rótulos são problemáticos
Observamos ainda que as informações contidas nos rótulos nem sempre são verdadeiras. Com exceção da Flash Power, todas as outras bebidas ultrapassaram os 20% de diferença permitida por lei para a quantidade de sódio, sendo que Red Bull foi a com menor margem de erro (25%) e a Fusion, a maior (absurdos 287%!).
A quantidade de taurina também foi problemática. Red Nose, TNT e V!be têm, respectivamente, 33%, 30% e 51% menos taurina do que o informado no rótulo. Outras sete bebidas também pecaram nisso, mas ainda dentro do limite da variação permitida pela legislação.
Vale destacar ainda que em produtos como o TNT (foto abaixo), não há destaque para avisar que a bebida não deve ser consumida com álcool, nem por gestantes, mulheres que amamentam, idosos e pessoas doentes. Já na V!be, as mensagens vêm com o devido destaque, conforme exigido por lei.
Produtos ainda tem muito o que melhorar
Após todas as análises feitas, chegamos a um veredito: nenhuma bebida avaliada tem qualidade suficiente para que possamos indicar a melhor do teste. E, além de não termos boas marcas no mercado, precisamos salientar os potenciais problemas de seu consumo excessivo. Segundo a OMS, a cafeína presente nas bebidas energéticas pode causar taquicardia e agitação. E quem beber muito pode ter, ainda, palpitações, tremores, aumento da pressão arterial, náuseas, vômitos e convulsões. Nas grávidas, há maior risco de aborto.
A OMS ainda alerta para os riscos de misturar bebidas energéticas e alcoólicas. As primeiras mascaram o efeito do álcool, dando uma falsa sensação de sobriedade e gerando um maior consumo de álcool. A mistura eleva o risco de dependência à cafeína e ao álcool e acentua comportamentos de risco, como a condução perigosa. E, para os mais jovens, o consumo pode afetar o desenvolvimento neurológico e cardiovascular. Por isso, fica a advertência: se for consumir bebidas energéticas, que seja com moderação.
Se quiserem ler o teste completo, acesse https://www.proteste.org.br/alimentacao/refrigerante-e-bebida/noticia/bebidas-energeticas-elas-podem-oferecer-riscos-a-saude
Comentar
Compartilhe
Quem Espera, Espera
24/04/2017 | 23h05
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou uma campanha sobre a importância do trabalho de parto espontâneo para a saúde da mãe e do bebê. Muito além do tipo de parto que a mãe deseja ter, esperar a hora certa para isso garante que o bebê estará nascendo no momento que está preparado.
A cesárea eletiva (com data marcada) pode gerar riscos para o bebê, pois são nas últimas semanas que ele ganha peso aceleradamente, tem a maturidade cerebral e pulmonar mais potencializadas. 
É importante lembrar que no trabalho de parto o hormônio ocitocina que ajuda na contração uterina, também ajudará na saída do leite materno. Aumentando as chances de sucesso na amamentação.
Essa campanha "Quem Espera, Espera" luta pelo direito de nascer na hora certa.
 
Comentar
Compartilhe
O temido pós parto
20/04/2017 | 19h08
Pós parto
A realidade do pós parto, quando o bebê já saiu mas a barriga ficou.. quando você passou por uma cirurgia mas precisa cuidar de outra pessoa.. quando suas celulites e estrias se evidenciam.. quando você e sua barriga não são mais o centro das atenções.. quando você mais ouve opiniões sobre tudo (amamentação, fórmula infantil, fralda que deu alergia, como cuidar do umbigo, como dar banho, como acalmar, como ninar, se dá chupeta, se dá mamadeira, onde pegar sol, qual roupa por, se vai dormir no berço, se vai fazer cama compartilhada, se vai ter enfermeira de madrugada, se vai ter babá, quem vai limpar a casa, e por ai vai.....). E ela não consegue dormir nem 6 horas seguidas para descansar e aguentar tanta novidade Nós temos que cuidar dessas mamães, nós temos que ajuda-las no pós-parto! Eu como profissional, você como profissional, ou parente, ou amigo, ou marido... pense bem no que vai falar para uma mulher no pós parto!!!!!
Comentar
Compartilhe
Colágeno melhora a pele?
18/04/2017 | 21h12
Arquivo pessoal
Colágeno / Arquivo pessoal
Você sabia que aquelas ruguinhas que surgem na pele com o tempo não são causadas pela falta de colágeno? E sim por uma desestruturação da pele, que reduz o seu poder de sustentação e gera os indesejáveis efeitos. Então, como devemos combater esses efeitos? Mais importante do que consumir colágeno, é ingerir nutrientes que atuam diretamente dentro das células. Dentre esses alimentos, o mais importante é a água. Além dela, a laranja, o gojiberry, a acerola, o kiwi, a goiaba e verduras como couve e brócolis são ótimas fontes de vitamina C que, por sua vez, ajudam a regenerar a vitamina E, um potente antioxidante que pode ser encontrado em leguminosas, nozes e sementes.
A junção dessas duas vitaminas (C e E) são a melhor opção para manter a estrutura da pele, fortalecendo os mecanismos de defesa e reduzindo a ação dos radicais livres. Aveia, chá de cavalinha e alfafa também são excelentes para estrutura do colágeno pois são ricos em silício.
Comentar
Compartilhe
Bolo de Cenoura no pote para Páscoa
14/04/2017 | 13h01
Está chegando a páscoa, e sempre gostamos de presentear nossos familiares e amigos com chocolate, mas os preços dos ovos de páscoa estão cada vez mais altos. Por isso, essa receita de bolo de pote é muito interessante. Ela é mais econômica e ainda é mais especial por ser feita em casa, sem mistérios.
Na escola que trabalho como nutricionista, preparamos essa surpresa para os pais e eles adoraram. 
Bolo de Cenoura
 
É uma receita mais saudável, com substituição dos ingredientes normalmente usados nos bolos de cenoura.
INGREDIENTES:
3 ovos
2 xíc. (chá) de cenoura picada em cubos
1 xíc. (chá) de açúcar demerara
½ xíc. (chá) de óleo de coco
2 xíc. (chá) de farinha de aveia
1 col. (chá) de fermento em pó
INSTRUÇÕES
Bata os ovos, cenoura, açúcar e óleo no liquidificador até ficar homogêneo. Coloque em uma tigela, acrescente a farinha de aveia e misture até a massa ficar uniforme. Por ultimo, adicione o fermento e misture. Coloque a massa em uma forma redonda média untada e leve ao forno, pré-aquecido em temperatura média, por 30 minutos, em média. Eu sempre faço o teste do palito de dente (fure o bolo com um palito de dente. Se ele sair “limpinho” e seco, está no ponto).
Para a calda, derreta em banho maria chocolate meio amargo.
Espero que experimentem, e gostem. 
Comentar
Compartilhe
Páscoa chegando, seja consciente ao comprar chocolate
10/04/2017 | 21h33
Você já imaginou que por trás da produção dos chocolates existe um mercado negro de exploração infantil?
Até pouco tempo eu também não sabia, mas quem tem interesse no assunto, o vídeo é esclarecedor e assustador.
Empresas foram denunciadas por exploração no trabalho infantil na África Ocidental. Além de serem isoladas em plantações e exploradas por 80 a 100 horas por semana, elas são agredidas fisicamente. Algumas das marcas famosas que utilizam cacau proveniente de trabalho escravo infantil, são: Hershey, Mars, Nestlé, ADM Cocoa, Godiva, Fowler’s Chocolate e Kraft.
Se você quer saber mais sobre o assunto, esse documentário relata essa triste realidade:
Comentar
Compartilhe
Devo usar a banha de porco?
10/04/2017 | 10h48
Arquivo pessoal
Banha de porco / Arquivo pessoal
Muitos pessoas tem se questionado sobre o uso da banha de porco, em função dos mitos que são divulgados, como: aumento do colesterol sérico e maior risco de doenças cardiovasculares.
No entanto, já é sabido que a gordura de fonte animal, de forma controlada, é totalmente reconhecida pelo nosso corpo e que o colesterol do alimento não necessariamente aumenta o colesterol do nosso sangue.
Há algumas vantagens no uso da banha de porco: possui nutrientes como vitaminas A, C e D e minerais como ferro e fósforo, ou seja, previne anemias e osteoporose, age como antioxidante, é bom para o sistema imunológico. Possui também o ácido oléico (ômega 9) em sua composição, o que, ao contrário do que pensam, PROMOVE PROTEÇÃO CARDIOVASCULAR, uma vez que previne oxidação das gorduras.
Os benefícios já são comprovados, o GRANDE RECEIO é em relação à sua COMERCIALIZAÇÃO. O correto é que a banha não seja adulterada e que os animais tenham uma alimentação controlada pra que a gordura formada seja de boa qualidade.
Resumindo: a banha de porco é indicada desde seja de boa procedência e com certificação de qualidade. Não recomendo a compra em feiras onde não há fiscalização para controle dos produtos.
Comentar
Compartilhe
Proteste analisa azeite
07/04/2017 | 23h44
http://blog.novasafra.com.br
Azeites / http:blog.novasafra.com.br
                                Em 17 de março deste ano a Proteste avaliou algumas marcas de azeite e descobriu um produto que, na embalagem, traz em destaque o termo “azeite de oliva tipo extravirgem”. Mas, se você olhar nas letras bem pequenas, vai ver que não é bem isso...
Imagine comprar um legítimo azeite extravirgem pagando cerca de R$ 5. Bom demais, não é verdade? Não, não é! Dificilmente esse alimento vai custar esse valor. Por isso, desconfie se encontrar algum tão barato nas prateleiras. Caso encontre, possivelmente há algo errado.
E foi isso o que eles viram acontecer com o Essência Portuguesa. A embalagem é muito parecida com a de um legítimo azeite. E se você o vir no supermercado, vai achar que está, de fato, diante do produto, porque a primeira coisa que lerá no rótulo, de forma bem destacada, é “azeite de oliva extravirgem”. Só que o produto, na verdade, diz ser um tempero português.
No site do fabricante, a informação é clara: trata-se de um tempero português elaborado com azeite de oliva extravirgem. Mas, no rótulo, isso aparece em letras muito pequenas, o que pode fazer você comprar gato por lebre. Quando a Proteste analisou a lista de ingredientes, ficou ainda mais claro: o azeite extravirgem é apenas um dos itens usados numa mistura de óleos vegetais. Por conta disso, o produto deveria ser classificado como “óleo misto ou composto”, conforme dita a legislação.
Vale lembrar que só é considerado azeite de oliva extravirgem o alimento obtido apenas da azeitona, sem qualquer outro tipo de óleo. Assim, como o Tempero Português Essência Portuguesa induz o consumidor ao erro, a PROTESTE já acionou o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), pedindo a alteração da rotulagem de acordo com as normas corretas.
Não se deixe enganar.
Observe se antes do termo “azeite de oliva” há a expressão “elaborado com”. Isso significa que o azeite é um dos ingredientes do produto, e não a sua totalidade.
Veja, também, se a embalagem traz o termo “tempero português”. Mais um indicativo de que não é azeite extravirgem.
Cuidado com a acidez! Muitas pessoas acreditam que esse parâmetro é o ideal para tomar a decisão na hora da escolha do produto. Realmente, em geral, quanto menor a acidez, melhor. Porém, não podemos definir se um produto é bom ou ruim, apenas por esse critério. E, no caso do produto em questão, ele mostra acidez de 0,5%, ou seja, a mesmo de um azeite extravirgem normal. Por isso, não se baseie apenas nesse critério, porque poderá se confundir.
Leia a lista de ingredientes. Isso é primordial! Esse produto não precisa trazer essa lista na embalagem, pois é composto por apenas um item: azeite de oliva extravirgem. Já no caso de uma mistura de óleos, todas as matérias-primas utilizadas deverão constar do rótulo.
Comentar
Compartilhe
Obesidade Infantil
07/04/2017 | 18h04
Industrializados
Obesidade Infantil / Industrializados
O alto consumo dos industrializados, que são cheios de açúcar, gordura, sódio e aditivos químicos (como corantes, conservantes, aromatizantes) gerou o aumento do índice de OBESIDADE INFANTIL.
Esses alimentos são bem calóricos e pobres em nutrientes, consequentemente, temos crianças DESNUTRIDAS que estão acima do peso. Essa desnutrição é conhecida como desnutrição oculta, onde o peso não caracteriza, e sim, as carências de nutrientes, como vitaminas e minerais.
Não estimulamos a perda de peso na infância, e sim o desenvolvimento saudável através das mudanças de hábitos.
Cuidado com tudo que entra na sua casa, se é industrializado, aprenda a ler rótulo e escolher uma opção com menos ingredientes. Mas que sua casa tenha predominantemente alimentos frescos, comprados nos supermercados e feiras.
Comentar
Compartilhe
Alimentos da Safra de Abril
04/04/2017 | 18h46
abril
Safra de Abril / abril
Você consome os alimentos de acordo com a safra? Se não, saiba porque é importante dar preferência para esses alimentos.
Quando os alimentos estão na safra, eles são produzidos em condições climáticas ideias. Isso faz com que ele se desenvolva melhor, com maior quantidade de nutrientes. Ainda é importante destacar, que eles possuem sabor e aroma mais preservados. Ou seja, são muito mais gostosos e atraentes.
A chance de ter recebido agrotóxicos é menor, o que gera muitos benefícios à saúde. E existe uma importante economia, já que a oferta é maior e o produto chega ao consumidor com um menor preço.
E as frutas, verduras e legumes do mês de Abril, são:
- Frutas: Abacate, banana-maçã, caqui, jaca, kiwi, maçã, pera, mamão "formosa" e tangerina-cravo.
- Legumes: Abóbora, abóbora-moranga, abobrinha brasileira, berinjela, beterraba, cará, chuchu, gengibre, inhame e tomate.
- Verduras: Alface, alho-poró, almeirão, catalonha, escarola (também conhecida pelo nome de chicória), repolho.
Comentar
Compartilhe