Rosinha joga 70 mil reais no "Lixo da história"
13/01/2017 | 08h38
Revista-Rosinha-X Achei um exemplar da luxuosa revista de despedida de Rosinha “Um legado de Esperança” jogado em uma lixeira no Calçadão, curioso, inspecionei o conteúdo. A fotonovela mexicana misturava Maria do Bairro com Rosinha da Lapa. Na estranha revista, Rosinha não deixou a cidade quebrada, a Saúde em frangalhos, obras paradas ou milhões em dívidas com fortes indícios de apropriação indébita. A publicação é uma obra de ficção tão surreal que a deixei cumprir o seu inglório destino. Foi direto do lixo do Calçadão para o lixo da história. Mas, não sem antes pesquisar o custo para divulgar tais balelas e absurdos. A publicação, atribuída ao Diretório Municipal do Partido da República, teria custado cerca de 70 mil reais, de acordo com o orçamento solicitado por essa coluna, com as mesmas especificações da revista de Rosinha, papel, número de páginas e quantidade de exemplares, à Plural Editora e Gráfica LTDA, a mesma gráfica que imprimiu os 35 mil exemplares registrados no expediente da revista. Veja abaixo o expediente da revista com as especificações de 35 mil exemplares na Plural: Revista-Expediente Veja agora o orçamento fornecido pela Plural para o blog seguindo as mesmas especificações: @Version:241; Vamos convir que 70 mil reais, uma quantia enorme para a grande maioria dos campistas que suam trabalhando todo dia para receber um salário mínimo, é uma quantia irrisória para o sórdido e inalcançável objetivo que esse grupo político pretende atingir: transformar a dura realidade de uma cidade que deixou para trás arrasada, em um rosáceo conto de fadas impossível de engolir até para os mais ingênuos cidadãos. 70 mil é pouco, nem com 70 vezes 700 vai conseguir apagar os seus rastros.
Comentar
Compartilhe
Rafael vai decretar Calamidade na Saúde
30/12/2016 | 01h03
Nota-dupla
Comentar
Compartilhe
"A mudança somos nós"?
09/09/2016 | 12h20
burro-1-x burro-2-x burro-3
Comentar
Compartilhe
Antes corrigir do que depois remediar...
06/08/2016 | 04h27
[caption id="attachment_6136" align="aligncenter" width="756"]Olhando de longe não dá para imaginar o perigo... Olhando de longe não dá para imaginar o perigo...[/caption] [caption id="attachment_6137" align="alignleft" width="378"]Sinal-Pelinca (1)-x Olhando de perto....[/caption]

A estrutura metálica do semáforo na esquina da Pelinca com a Barao, de alto tráfego durante a semana, apresenta graves sinais de corrosão em sua base de sustentação, oferecendo riscos para os pedestres e ocupantes de carros. Qualquer mau humor do vento nordeste ou pirraça do vento sul e, pronto, está feito o estrago... Como dizia a minha avó: “antes corrigir do que remediar”...

Comentar
Compartilhe
Repercussão negativa faz Garotinho recuar no fechamento da UHP da Saldanha Marinho
05/08/2016 | 07h48
UBS-3-fachada Recuo estratégico Diante da forte repercussão negativa, estrategicamente e novamente, o marido da prefeita desdisse o que havia dito, e ontem afirmou, em um programa de televisão (AQUI), que não vai fechar a UHP da Saldanha Marinho, e que o prédio será reformado por partes, em funcionamento. Antes assim. Bem, pelo menos até ele mudar de ideia, de novo... Visita A polêmica intenção do Governo Municipal de fechar a UHP da Saldanha Marinho e transferir seu corpo de médicos e funcionários para ativar a nova UBS da Penha que, apesar de contar com espaço físico para Emergência 24h, atualmente funciona apenas com atendimento ambulatorial, desmentida, confirmada e, novamente, desmentida pelo marido da prefeita, levou o blog visitou a UBS da Penha. Estrutura física elogiável UBS-nelma A primeira impressão foi ótima. Encontramos um belo e moderno prédio, com amplas instalações, apesar de sub-utilizadas. Fomos atendidos por um solícito recepcionista que nos encaminhou para a encarregada da unidade Sra. Nelma Guimarães, bastante cortês e profissional, que explicou o funcionamento da unidade, que conta hoje com 2 pediatras, 2 ginecologistas, 1 clínico geral, 2 fisioterapeutas, 2 odontólogos, um corpo clínico suficiente para o atendimento ambulatorial da área que abrange, além de ambulância, e salas de curativos, uma pequena farmácia, aferição de pressão e glicemia. UBS-2 Cobrindo um santo, descobrindo o outro A maior deficiência da nova UBS está em um ponto bastante nevrálgico da Saúde Pública em Campos, a Emergência 24hs. As instalações existem, mas carecem totalmente de equipamentos e corpo de funcionários e médicos para que funcionem, conforme a promessa da prefeita Rosinha no dia da sua inauguração. Para mantê-la, na impossibilidade de contratações em período pré-eleitoral, surgiu a idéia, agora abortada, de fazer o remanejamento dos funcionários da UHP da Saldanha Marinho, com o fechamento daquela unidade para uma “reforma”, o que gerou uma forte comoção na população dos bairros atendidos por ela, e a divulgação de uma “Moção de Repúdio” e a criação de um Abaixo Assinado dirigido ao Ministério Público Estadual, que obrigou o Secretário de Governo e marido da prefeita Sr. Anthony Garotinho a recuar naquela decisão, vista pela população e funcionários como notadamente eleitoreira. Dessa vez não deu para cobrir um santo descobrindo o outro.
Comentar
Compartilhe
Repúdio e Abaixo Assinado contra fechamento do UPH da Saldanha Marinho
04/08/2016 | 10h46
PU-Saldanha Após o Governo Municipal de Campos anunciar um “fechamento para reforma”, denunciado por esse blog (AQUI), e retroceder, o novo anúncio do fechamento da Unidade Pré - Hospitalar da Saldanha Marinho (Antigo Sandu), para colocar em funcionamento com os seus funcionários a UBS Penha, desta vez feita de Secretario de Governo e marido da prefeita em seu programa de rádio, deixou revoltados os médicos, funcionários, e milhares de moradores de dezenas de bairros e comunidades atendidas pelo UPH. Os médicos e funcionários divulgaram uma “Moção de Repúdio à pretensão do Governo Municipal de Campos dos Goytacazes de encerramento das atividades da UPHSM e transferência dos funcionários”, e um abaixo assinado está disponível naquela unidade e também percorrendo as comunidades e bairros atingidos. PU-abaixo-assinado Nas redes sociais viraliza a revolta contra a decisão, vista apenas como oportunista e eleitoreira. Algumas postagens citam a LEI 7.783: “São necessidades inadiáveis, da comunidade aquelas que, não atendidas, coloquem em perigo iminente a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população.". (AQUI) PU-Lei-Alexis O movimento cresce e deve gerar fortes protestos naquela unidade e na porta da Prefeitura de Campos. Leia abaixo a Moção de Repúdio na íntegra: Moção de Repúdio à pretensão do Governo Municipal de Campos dos Goytacazes de encerramento das atividades da UPHSM e transferência dos funcionários Campos 03 de Agosto de 2016 Surpreendidos com a declaração do Secretário Municipal de Governo de Campos dos Goytacazes Sr. Anthony Garotinho, em seu programa de rádio, de que a UNIDADE PRÉ-HOSPITALAR DA SALDANHA MARINHO será fechada, os funcionários da UPHSM, pertencente à FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE CAMPOS, vem a público explicitar o seu posicionamento e manifestar o seu repúdio quanto ao encerramento do atendimento de urgência aos munícipes da área central e outros bairros: Tira Gosto, Matadouro, Portelinha, IPS, Parque Aurora, Parque São Benedito, Jóquei Clube, Novo Jóquei, Turfe Clube, Carvão, Ponta da Lama, Parque Santo Amaro, Parque São Caetano, Pecuária, Nova Brasília, Julião Nogueira, Guarus, Baixada Campista, entre outros, e em defesa da permanência do funcionamento da UNIDADE PRÉ-HOSPITALAR, com histórico de serviços prestados à comunidade desde 1966; tornando  notório, ainda, o nosso repúdio pela transferência dos  funcionários concursados  da UPH Saldanha Marinho para a UBS da Penha,  sem estudo prévio ou qualquer consulta à comunidade e/ou justificativa, agindo de forma  desrespeitosa  com os segmentos profissionais e com a população. Repudiamos a ação de desmonte da SAÚDE PÚBLICA no MUNICÍPIO DE CAMPOS, que desconsidera essa UNIDADE DE SAÚDE e a sua importância no contexto populacional, REDUZINDO ESSA VALIOSA E HISTÓRICA INSTITUIÇÃO A AÇÕES POLÍTICAS e minimizando a sua importância na vida da população que necessita desse atendimento. Repudiamos, ainda, o desaparelhamento a que esta unidade de saúde vem sendo submetida ao longo dos últimos anos, causando um impacto considerável na qualidade do atendimento prestado a esses usuários de direito. Hoje, a referida unidade pertence a FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE, constituindo a REDE DE URGÊNCIA DO MUNICÍPIO. Contamos com equipe multidisciplinar composta de: médicos; enfermeiros; técnicos de enfermagem; assistente social; farmacêutico, odontólogos, além da equipe técnico administrativa. POSSUÍMOS SALA DE MAL SÚBITO; TRÊS ENFERMARIAS, SALA DE HIPODERMIA, POSTO DE ENFERMAGEM; SALA DE SUTURA; SALA DE SERVIÇO SOCIAL; FARMÁCIA; SALA DE CURATIVOS E DOIS CONSULTÓRIOS MÉDICOS. SOMOS A ÚNICA UNIDADE PRÉ-HOSPITALAR DA MARGEM DIREITA DO RIO PARAÍBA E ABSORVEMOS OS ENCAMINHAMENTOS REALIZADOS PELO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR E EMERGÊNCIA EM CASA, ASSIM COMO ATESTAMOS ÓBITOS EM DOMICÍLIO. Por isso, nós funcionários da Unidade de Atendimento Pré-Hospitalar Saldanha Marinho (UPHSM) apresentamos a seguinte moção.
Comentar
Compartilhe
Prefeitura quer fechar PU da Saldanha Marinho
26/07/2016 | 03h44

 PU-Saldanha

 Amanhã, haverá uma reunião entre o Secretário de Saúde Dr. Geraldo Venâncio e o chefe do PU da Saldanha Marinho Edgar Manhães para discutir o fechamento daquele posto para reformas e a transferência das equipes médica e de enfermagem, “que não podem ficar paradas", para a o posto da Penha, sem previsão se haverá retorno.

Também, segundo o secretário, “o eventual fechamento da unidade é indispensável para reformas no antigo prédio do “Sandú”, bastante deteriorado e precisando urgentemente de revisão nos telhados, rede elétrica etc..., alvo de reclamações da própria equipe médica, e hoje utilizado praticamente para atendimento ambulatorial. Não havendo prazo para reativação do posto. Casa velha sempre tem surpresas”. Ele também alega que teria havido redução no número de moradores daquela área e que o atendimento passaria a ser feito pelas UBS do Turfe Clube e do Jóquei Clube, com opções de atendimento 24 horas na Penha, no Hospital São José, no Hospital Ferreira Machado, no PU e no Hospital Geral de Guarus.

Médicos repudiam 

Ouvidos por esse blog, médicos do PU da Saldanha Marinho que, por motivos óbvios, preferiram não se identificar, mostraram grande preocupação com a paralisação do atendimento à população que utiliza aquele Posto, em sua maioria carentes, que não terão como se locomover até a Penha ou outras unidades, além de dificultar sobremaneira o serviço prestados por eles médicos na confirmação de óbitos por causas naturais e confecção atestados de óbitos nos bairros periféricos e nas comunidades.

Os médicos alertam que o PU tem uma Sala de Mal Súbito para estabilizar e encaminhar pacientes graves, Triagem feita por Corpo de Enfermagem, três enfermarias de repouso, e Internação para observação e encaminhamento.

Os profissionais também demonstraram estranhar a coincidência da sua transferência e dos serviços para uma área de maior coeficiente eleitoral às vésperas da campanha eleitoral municipal.

Ainda segundo eles, a UBS da Penha é muito bem montada, mas não conta com corpo profissional para funcionar e, como a prefeitura não pode contratar nesse período pré-eleitoral, surgiu uma urgência de profissionais para a que UBS da Penha não seja “um tiro no pé” do governo municipal em uma área de grande número de eleitores.

Comentar
Compartilhe
Os "Órfãos de Rosinha" têm padrasto
29/06/2016 | 01h02

avelino-robson

Aparentemente mal informado, e dormindo muito cedo e bem agasalhado, ou, na realidade, apenas exercitando na prática a arte da negação do óbvio, como reza a cartilha do seu pequeno mestre Yoda da Lapa, o funcionário da Câmara Municipal de Campos Avelino Ferreira resolveu culpar os "Órfãos de Rosinha" por seu próprio sofrimento nesse inverno, ao dormirem tiritando ao relento nas calçadas laterais à praça principal de Campos, além de taxá-los de forasteiros e alcoólatras: “saiba de onde são os "moradores de rua", “o porque de não desejarem ficar nas casas de atendimento da Prefeitura (nas quais a bebida alcoólica é proibida)”.

Avelino escolheu como canal para descarregar a sua ira de pior cego (aquele que não quer ver) o Facebook do jornalista Robson Cândido, da Plena TV, que havia compartilhado a postagem desse blog, sob o título “Vive-se um verdadeiro pesadelo na história de Campos”, trazendo as incontestáveis fotos do descaso do poder público, esse sim, o maior responsável pelo desnecessário sofrimento dos “Órfãos de Rosinha”, que agora sabe-se, têm padrasto. E tudo isso no mesmo dia em que a cidade deglutia  a amarga notícia de mais desperdício de dinheiro público para alimentar a farra oficial dos shows e trios elétricos.

Avelino teve a sua estranha pretensão de defender o indefensável imediatamente repudiada por Robson Cândido: “Sobre os moradores, se estão em Campos, deveriam no mínimo, estarem sendo acompanhados por profissionais competentes e pagos com o nosso dinheiro”, “Em relação ao ALCOOLISMO, (dos moradores de rua) também temos profissionais competentes e pagos com o nosso DINHEIRO para atendê-los! Finalizando: espero que esteja, e com certeza deve estar, neste momento bem agasalhado!”.

Avelino podia ter dormido sem essa, para não ter algum pesadelo...

Abaixo, mais alguns dos incontáveis comentários no Face de Robson sobre os "Órfãos de Rosinha", que viralizaram nas redes sociais

avelino-robson-2

Comentar
Compartilhe
Único hospital de S. João da Barra pode fechar as portas por falta de pagamento da PMSJB
16/06/2016 | 07h04
sta-fachada Único hospital São João da Barra pode fechar Como diz o velho ditado: “Nada é tão ruim que não possa piorar”. Neco, perfeito de São João da Barra, já está perdendo o controle da situação. Ele passou a semana sendo fustigado pelos cortes de energia executados pela Ampla em importantes órgãos públicos, como a Defensoria Estadual, bloqueio do acesso ao prédio do CRAS por falta de pagamento, e até protesto da Banda União dos Operários, que diz ser obrigada a fechar as portas por corte na subvenção municipal. Agora Neco se vê às voltas com um problema muito mais grave. A Santa Casa de Misericórdia de São João da Barra, o único hospital do município, divulgou nota oficial informando que a instituição, fundada em 1873, deverá fechar as portas por falta de medicamentos, pessoal e insolvência financeira. A instituição declara que tem convênio em vigor desde 2003, mas que em 2015, na administração Neco, a instituição perdeu a sua capacidade de pagamento sendo obrigada a "alocar recursos que deveriam ser utilizados em investimentos, fundos de contingência e reserva, pois tanto a remuneração do SUS quanto a do convênio (008/2015) com o município eram creditadas muito afora às datas pactuadas", afirma na nota. A instituição ainda diz que as parcelas dos meses de outubro, novembro e dezembro de 2015 não foram pagas, mas que foi firmado o convênio 015/2016 com o município, sendo este um estímulo para manter a estrutura em funcionamento pleno. "Firmados os convênios 2015 e 2016, deveres e direitos foram definidos. "A não cobertura financeira da estrutura pelo Poder Municipal, pendentes até hoje, nos trouxe uma dívida certa e tamanha", "Iniciamos a desativação do hospital. Não há como suportar tal situação. Ou existe a imediata condição de se repor os valores não pagos, ou nos deparamos com a realidade da paralisação extrema das atividades. 143 anos de vida de uma instituição representam um acervo incontestável para uma cidade. O quadro da deformação de uma Santa Casa por ora vivenciado em São João da Barra, não pode ser encarado como uma simples questão de falta de avaliação. Não pode ser qualquer decisão sem a profundidade de responsabilidades”. “Lamentável". Veja abaixo e confira (AQUI). [caption id="attachment_6021" align="aligncenter" width="669"]Fac Símile OZK Fac Símile OZK[/caption]  
Comentar
Compartilhe
Alto risco: Campos sem vacinas Antirrábica, Antitetânica e muitas outras
08/01/2016 | 02h55
vacina-raiva O município de Campos está vivendo uma situação de alto risco com uma prolongada falta de vacinas e soro anti-rábico, vacinas contra Hepatite A, B, tetraviral, soro antitetânico, soro anti-botulínico, BCG, HIB (influenza tipo B), e outras. A Assessoria da Secretaria de Saúde, através da assessora Kamilla Uhl, informou ao blog que só agora o Governo Federal reiniciou os envios, mas em quantidade muito aquém da demanda mensal. Ainda segundo ela: “no caso da anti-rábica, é difícil achar até mesmo em clínica particular. Não é um problema simples. É problema de fabricação no país inteiro. Lembrando que no caso da BCG, agendamento é feito no CRTCA 1 ou CRTCA 2. No caso da antitetânica, as doses são liberadas para gestantes na Secretaria de Saúde e, para acidentados, no Hospital Ferreira Machado. Outros casos específicos devem ser encaminhados para a Direção de Vigilância em Saúde, telefone 27261378.”. A assessora da Secretaria de Saúde também enviou como justificativa para a falta, dois comunicados do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, datados de 18 de junho de 2015 e de dezembro de 2015. E um outro comunicado, já divulgado anteriormente, onde a própria Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde (sem data) explica: “um plano de contingência foi colocado em prática pela Direção de Vigilância em Saúde de Campos, a fim de racionalizar a dispensação dos mesmos e garantir que os casos mais urgentes sejam priorizados. Mas a metade das vacinas de rotina está em falta, sem prazo para normalização”. O blog também ouviu o Secretário de Saúde Dr. Geraldo Venâncio que declarou estar tentando uma aquisição direta emergencial enquanto o Governo Federal não normaliza a entrega. Alerta O mais preocupante são as vacinas emergenciais, como a anti-rábica e antitetânica que, em casos de acidente, não podem esperar agendamentos. Essa semana, um casal de professores, mordido por um cão e um gato ao tentar separar uma briga, não conseguiu ser vacinado, nem na rede municipal de Saúde e nem em clínicas particulares, e agora pretende viajar procurar tratamento em outro município. Vamos torcer para que a situação se normalize antes que ocorra alguma fatalidade.
Comentar
Compartilhe
Próximo >