Ligações perigosas
17/10/2013 | 09h04
As seguidas adições milionárias que turbinaram exponencialmente contratos de empresa de prestação de serviços, estranhamente atuando na área de construção civil após ser a única a disputar licitações públicas, têm potencial para levar alguns políticos e algumas candidaturas a uma situação decadente... Em breve o assunto virá à tona. Ligações perigosas costumam dar trabalho em qualquer língua, até em inglês...
Comentar
Compartilhe
Notas falsas em Campos: Delegado Federal alerta para os cuidados
17/09/2011 | 10h39
Fique de olho no dinheiro que recebe. As notas falsas estão aí O comércio e, principalmente os pequenos comerciantes, estão em sinal de alerta diante das seguidas apreensões de notas falsas em Campos. Como no caso do jornaleiro de uma banca bem movimentada na cidade que, por duas vezes, foi vítima de um golpe que se espalha por Campos: o repasse de notas falsas. [caption id="attachment_2397" align="aligncenter" width="756" caption="Na Somos desse domingo, Delegado explica como evitar notas falsas"][/caption] Carlos Roberto Martins, de 50 anos, desconfiou de determinada nota que lhe foi passada e confirmou a falsificação com um funcionário de banco. Na visão de Carlos, isso é reflexo do desenvolvimento da cidade, exigindo dos comerciantes maior atenção na venda de produtos. Delegado Federal pede que população comunique O Delegado Federal Paulo Cassiano Jr., concedeu entrevista exclusiva a revista Somos, que circula nesse domingo, explicando como os comerciantes ou os cidadãos comuns podem identificar se uma nota é falsa ou verdadeira. “É importante conscientizar a população de que todas as notas falsas recebidas devem ser comunicadas a nós porque, assim, conseguimos fazer um mapeamento a partir das características da falsificação: se as cédulas são de uma mesma origem ou se são de origens diferentes.”, comentou o delegado, acrescentando: “A gente apreende a cédula, ouve a pessoa que recebe a cédula de boa fé, instaura o inquérito pra tentar apurar. Quase nunca essa investigação prospera, porque a pessoa que recebe a nota não consegue se recordar de nenhuma pista de quem passou a nota.”. Quem repassa também comete crime Sobre as penas que envolvem práticas de falsificação, Dr. Paulo esclarece que ainda que uma pessoa não tenha sido a responsável por falsificar a nota, ao pegá-la inocentemente e, depois de um tempo, identificá-la como falsa e, posteriormente, voltar a colocá-la em circulação, comete um crime. Cita a legislação: “Falsificar, fabricando ou alterando moeda metálica ou papel-moeda de curso legal no país ou no estrangeiro a pena é de três a doze anos. Nas mesmas penas incorre quem, por conta própria, importa, exporta, adquire, vende, troca, cede, empresta, guarda ou introduz a moeda em circulação.”. E o parágrafo seguinte diz: “Quem, tendo recebido de boa fé, como verdadeira moeda falsa ou alterada a restitui à circulação, depois de conhecer a falsidade, é punido com detenção de seis meses a dois anos e multa.”, comentou Paulo Cassiano. Delegado explica como identificar notas falsas Há, nas cédulas originais emitidas pelo Banco Central do Brasil, itens de segurança que garantem a originalidade das notas e permitem a diferenciação de notas verdadeiras das falsificadas. Paulo explica, por exemplo, que, no lado da cédula onde se vê escrito “Banco Central do Brasil, especificamente no canto inferior esquerdo – ao lado da palavra “Reais”, há um quadrado, logo abaixo da frase “Deus seja louvado”. Nesse quadrado, na nota verdadeira, existe a inscrição “BC”, de Banco Central, mas que somente pode ser vista contra a luz, posicionando a nota de forma retilínea. As cédulas falsificadas não possuem essa inscrição. Outro item de segurança, segundo o delegado, é o emblema circular que há na lateral da cédula em ambos os versos do papel, sendo em cada um dos lados um emblema diferente — este emblema é o que, em um dos lados, aparece logo acima das assinaturas do Ministro da Fazenda e do Presidente do Banco Central do Brasil. Paulo César explica que essa esfera é, praticamente, impossível de ser falsificada. A nota pode ser identificada como falsa, se vista contra a luz, a esfera de um dos lados do papel estiver deslocada em relação à que há no verso da cédula. Isso é o que se chama “registro coincidente”, como explica o delegado: “Numa cédula falsa, o registro coincidente não é coincidente. Porque, como as falsificações são feitas mediante impressão gráfica, eles imprimem normalmente uma face da cédula, depois viram a folha e imprimem a outra face da cédula.”, conta Paulo Cassiano. Então, quando se olha contra a luz uma cédula falsa, pode ser visto que o registro coincidente não coincide. “Há certo sombreamento. Não há uma coincidência”, esclarece. Examinando as notas, não dá para ser enganado Além desses itens de segurança, existem outras características que diferem cédulas verdadeiras de cédulas falsificadas, como a fita que está no interior do papel, de forma vertical. Sabe-se que uma nota só é válida com a existência dessa fina fita, mas isso não é suficiente para determinar se a cédula é original do Banco Central. As fitas que compõem as notas são originais quando possuírem minúsculas inscrições “BC”. Mas, como estão embutidas dentro da nota, as pessoas não as retiram para checar esse item, até mesmo para não invalidá-las. É também um item que confirma uma moeda como original as pequeninas letras “B” e “C”, presentes no interior dos algarismos e numa faixa branca vertical e meio inclinada. Um item existente nas cédulas para auxiliar deficientes visuais também funciona como um item de segurança, e se localiza no canto inferior esquerdo das notas, no verso do papel onde está escrito “Banco Central do Brasil”. São, por assim dizer, símbolos que se diferem entre si, de cédulas a cédulas: bolinhas, tracejados, e outros. “Isso é feito para o cego identificar. Como se fosse o Braille. O nosso tato não consegue perceber. Mas isso é concebido com esse objetivo. Então, um cego, ao analisar a textura do papel de uma cédula falsificada, ele tem mais facilidade do que nós para perceber que a cédula não é verdadeira.”, diz Paulo César. Atenção é fundamental Mas o item que mais garante o usuário na hora de receber dinheiro é a atenção. Não se deixe levar pela pressa estimulada pelos atravessadores de notas falsas, e nem se constranja em examinar minuciosamente a nota. Afinal, é o seu dinheiro que está em jogo, e os espertalhões estão aí para inventar mil maneiras de tirá-lo de você.
Comentar
Compartilhe