PreviCampos, a galinha dos ovos de ouro
12/11/2014 | 07h06
ovos-ouro-2 As últimas notícias e as demissões na cúpula da PreviCampos (Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Campos) estão deixando os servidores da Prefeitura Municipal de Campos de cabelo em pé. O fundo controla o acumulado de cerca de UM BILHÃO de reais da aposentadoria e direitos previdenciários da turma. Essa fortuna, depois que entra no caixa, seria imexível. Mas, sabe como é, para tudo nesse Brasil tem um jeitinho. Segundo o vereador Marcão, desde maio a prefeitura estaria retendo, antes do caixa do PreviCampos, os 11% religiosamente descontados nos contracheques dos servidores, coisa de 20 milhões mensais. Se isso for verdade, de maio para cá seriam 120 milhões. Em tempos de cobertor curto estariam descobrindo um santo para cobrir o outro... O caminho certo nesse caso é que o vereador Marcão faça uma denúncia formal no TCE, no Rio de Janeiro, para que a sua denúncia seja apurada. Veja abaixo o último balancete divulgado na área financeira do site do PreviCampos, o de março de 2014. previ-a-balancete-marco
Comentar
Compartilhe
Reprise ressucita Fenorte
25/02/2014 | 11h53
Pelo jeito, os pedidos políticos conseguiram melar a extinção da Fenorte. Deu no D.O. esta semana que o Governo do Estado abasteceu a conta da instituição com quatro milhões de reais. Um a menos que os cinco milhões que engrossaram o orçamento da Fenorte em 2013, destinados ao projeto "Cinema na Praça", um filme que pouca gente, ou ninguém, viu...
Comentar
Compartilhe
Direção da Uenf é acusada de destruí-la e envergonhar comunidade acadêmica
08/01/2014 | 04h59
    Em manifesto divulgado ontem, assinado por dezenas de professores Doutores da Uenf, a direção da universidade é acusada de destruir os pilares da instituição, demolindo o modelo implantado por Darcy Ribeiro. No documento, os docentes lembra que a reitoria responde a graves denúncias por uso indevido de verbas públicas, nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Leia abaixo o manifesto na íntegra e confira a a extensa lista dos professores que assinaram até ontem. A cada hora a lista vem recebendo adesões e crescendo em ritmo acelerado.   Manifesto em Defesa da Universidade Estadual do Norte Fluminense – Darcy Ribeiro (UENF) A UENF vem sendo destruída por um grupo que parece mais interessado em se perpetuar no poder do que gerir corretamente a instituição. Recente matéria jornalística veiculando uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro acerca de graves denúncias de “usos indevidos de verbas públicas” (27/10/13, JB online[1]), veio juntar-se a denúncias anteriores sobre nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Tudo isso macula a trajetória de 20 anos da nossa Universidade, eclipsa suas memoráveis conquistas na pesquisa científica e na formação de novos quadros profissionais, constrangendo e envergonhando a comunidade acadêmica. Este ambiente de destruição implantou-se apenas nos últimos seis anos, nas duas últimas administrações; nunca antes houvera nem mesmo suspeitas de posturas tão nocivas. O modelo sob o qual a UENF foi criada, guiado pelos ideais da modernidade, da inovação e da originalidade, encontra-se ameaçado por ações que nos lançam num clima de extrema instabilidade. A história de sucesso da UENF deve-se principalmente ao fato da instituição ter permanecido com 100% do seu corpo docente com doutorado, trabalhando em regime de Dedicação Exclusiva, além de um corpo técnico altamente qualificado, com formação e especialização (mestrado, doutorado ou experiência acadêmica compatível). Essa história está prestes a perder o rumo porque os Colegiados da UENF deixaram de cumprir suas funções estatutárias. Recentemente, em uma única sessão do Conselho Universitário, sem a devida instrução processual, a Reitoria impôs a aprovação do fim desse modelo vitorioso, instituindo um desnecessário regime de 20 horas para professores associados e titulares que desobedece a vontade da maioria. Essa ação afronta os protocolos regimentais e compromete o futuro da instituição, ao precarizar as relações de trabalho sem qualquer debate prévio no seio da comunidade acadêmica. A essa investida contra o modelo pensado por Darcy Ribeiro somam-se outros desmandos da administração superior. O exemplo do Colegiado Executivo (COLEX) é dos mais graves. Embora o COLEX, pelo Regimento Geral, deva funcionar apenas como um órgão estritamente operacional e não deliberativo, vem extrapolando suas funções regimentais, ignorando e ultrapassando as decisões dos Colegiados Superiores, tais como o Conselho Universitário e o Colegiado Acadêmico – principais instâncias responsáveis por decidir e deliberar sobre assuntos acadêmicos e administrativos. O COLEX tem interferido diretamente na submissão e na aceitação de projetos de pesquisa, além de centralizar os recursos financeiros e ocupar ao seu bel prazer o espaço interno da instituição, sem qualquer transparência para a comunidade. A atual administração da UENF prima pela falta de transparência na aplicação dos recursos financeiros, pratica uma política de cooptação clientelista que não valoriza o mérito acadêmico, privilegia o crescimento desordenado e sem critérios racionais, promove regalias administrativas para os “alinhados”, acabando por reproduzir, enfim, os mesmos métodos políticos de que o Brasil quer definitivamente se ver livre. É necessário manifestar-nos contra esta nova edição de populismo que vem destruindo a nossa Universidade. BASTA de sermos cúmplices pelo silêncio. A UENF não pode permanecer nas mãos de um grupo que a está levando à ruína. A UENF é de todos nós! A hora de defender a UENF é agora! Campos dos Goytacazes, 07 de Janeiro de 2014. DOCENTES DA UENF QUE ASSINAM ESTE MANIFESTO: Carlos Eduardo Rezende,LCA/CBB/UENF José Arica, LEPROD/CCT/UENF Paula Mousinho Martins, LCL/CCH/UENF Telma N.S. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Álvaro Ramon C. Ovalle, LCA/CBB/UENF Ana Maria S. de Senna, LCMAT/CCT/UENF Ana Paula Madeira Di Beneditto, LCA/CBB/UENF Arlete Parrilha Sendra, LCL/CCH/UENF Ausberto Castro Vera, LCMAT/CCT/UENF Carlos Eduardo V. Carvalho, LCA/CBB/UENF Carlos Eduardo B. da Silva, LEEL/CCH/UENF Carlos Eduardo N. Gatts, LCFIS/CCT/UENF Cristina Maria M. Souza, LCA/CBB/UENF Denise Ribeiro dos Santos, LCFIS/CCT/UENF Dora Vilela José, LCA/CBB/UENF Elba O. Bravo Asenjo, LCMAT/CCT/UENF Fábio L. Olivares, LBCT/CBB/UENF Fermín A.Tang, LCMAT/CCT/UENF Fernando Luna de Oliveira, LCQUI/CCT/UENF Geraldo Galdino, LEPROD/CCT/UENF Geraldo Timóteo, LEEA/CCH/UENF Giovane do Nascimento, LEEL/CCH/UENF Gudélia Morales de Arica, LEPROD/CCT/UENF Gustavo L. Rezende, LQFPP/CBB/UENF Jorge H. Fernandez, LQFPP/CBB/UENF Juraci Aparecido Sampaio, LCFIS/CCT/UENF Leandro Rabello Monteiro, LCA/CBB/UENF Leonardo Rogério Miguel, LCL/CCH/UENF Liliana A. León Mescua, LCMAT/CCT/UENF Luciane Soares da Silva, LESCE/CCH/UENF Luís Passoni, LCQUI/CCT/UENF Magali Hoffmann, LEF/CCTA/UENF Marcelo C. Gantos, LEEA/CCH/UENF Marcelo Shoey de O. Massunaga, LCFIS/CCT/UENF Marcelo T. do Nascimento, LCA/CBB/UENF Marcos A. Pedlowski, LEEA/CCH/UENF Maria Clareth G. Reis, LEEL/CCH/UENF Maria Cristina Canela, LCQUI/CCT/UENF Maria Cristina Gaglianone, LCA/CBB/UENF Maria Priscila Pessanha de Castro, LCFIS/CCT/UENF Maria Raquel Garcia Vega, LCQUI/CCT/UENF Marília Paixão Linhares, LCFIS/CCT/UENF Marina S. Suzuki, LCA/CBB/UENF Messias G. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Niraldo J. Ponciano, LEAG/CCTA/UENF Paulo César Beggio, LCMAT/CCT/UENF Paulo Marcelo de Souza, LEAG/CCTA/UENF Renata Maldonado da Silva, LEEL/CCH/UENF Roberto Weider de Assis Franco, LCFIS/CCT/UENF Rosana Rodrigues, LMGV/CCTA/UENF Sérgio Luis Cardoso, LCQUI/CCT/UENF Silvia A. Martinez, LEEL/CCH/UENF Simonne Teixeira, LEEA/CCH/UENF Teresa Peixoto Faria, LEEA/CCH/UENF Thiago Venâncio, LQFPP/CBB/UENF Vitor Peixoto, LESCE/CCH/UENF Yrma R. Huaroto, LCMAT/CCT/UENF
Comentar
Compartilhe
Diárias suspeitas na Uenf investigadas pelo MP rendem matéria no JB
28/10/2013 | 06h02

Nuvem de fumaça

A ampla reportagem publicada pelo Jornal do Brasil sobre suspeitas de irregularidades nas diárias de viagem, compra de tomógrafo e nepotismo na Uenf provocaram um intenso corre-corre naquela universidade. Denúncias semelhantes já haviam sido publicadas pela revista Somos Assim. Na ocasião, a reitoria da universidade minimizou os fatos, agora, anos depois, divulgou em tempo recorde uma nota oficial que, apesar de extensa, apenas nega irregularidades sem apresentação de documentos que provem isso. Quanto às desculpas sobre a estranhíssima aquisição de um tomógrafo para o seu Hospital Veterinário, não dá para justificar eventuais ilegalidades apenas declarando: “um tomógrafo que não foi adquirido com recursos da Universidade e sim por projeto de pesquisa dos docentes envolvidos”. Cabe à universidade fiscalizar a origem e a aplicação dos fundos utilizados, sejam eles estaduais ou federais, e não permitir que eventuais frutos de negócios pouco recomendados ocupem espaço nobre em seu campus. Mas essas explicações deverão ser compulsoriamente dadas as autoridades, já que, sistematicamente, a Uenf se nega a prestar esclarecimentos quando se trata de atos administrativos duvidosos. [caption id="attachment_4796" align="aligncenter" width="630" caption="Muita coisa ainda precisa ser explicada"][/caption] Muito mais precisa ser explicado. Como a aquisição de centenas de aparelhos de TV por um preço acima do mercado na época (882 mil reais) e sem ao menos terem instalação elétrica ou salas suficientes para instalá-los. Em comparação feita na época, se fossem compradas na Casas Bahia poderia ter sido feita uma economia de 170 mil reais. Além disso, licitações de obras de quiosques com projetos iguais, mas com preços diferentes; placa oficial falsa colocada sobre a original em carro particular alugado para uso do ex-reitor; as polêmicas obras do Restaurante Universitário, o Bandejão, que foram parcialmente pagas e paralisadas; e andaimes contratados por R$ 212 mil para pintura externa dos prédios da universidade e não utilizados, sendo substituídos por perigosas e proibidas cadeirinhas artesanais, o que elevou a autuação pelo Ministério Público Federal do Trabalho. É prática comum e hereditária na reitoria daquela universidade tentar jogar uma nuvem de fumaça sempre que é questionada por assuntos, digamos, utilizando de eufemismo, incômodos. Leia matéria do Jornal do Brasil AQUI Leia Nota Oficial da Uenf AQUI
Comentar
Compartilhe
Lanche na Câmara:Ilegal e Imoral
02/07/2013 | 11h37
Não deveria haver polêmica nesse caso dos lanches para os gabinetes dos vereadores campistas por R$ 69.513.00, simplesmente, porque dar lanches grátis a eleitores é claramente propaganda eleitoral fora de época. Pode até parecer legal, mas parece muito mais ilegal e imoral... Nem do próprio bolso poderia, quanto mais do nosso...
Comentar
Compartilhe
Presidente do TCE/RJ dá festa de luxo no Jockey Club do Rio de Janeiro
26/02/2013 | 06h29
[caption id="attachment_4180" align="aligncenter" width="756" caption="O elegante salão do Jockey estava lotado  de convidados- A família de advogados é bem próxima ao TCE /RJ - O famoso cantor Elymar Santos animou a super festa do Dr. Jonas Lopes de Carvalho Jr., nas fotos com a esposa Sandra e o artista"][/caption] Conhecido por ser bastante requintado e apreciador das boas coisas da vida, no sábado, o advogado campista Jonas Lopes de Carvalho Jr., atual presidente reeleito do TCE/RJ, comemorou em grande estilo o aniversário da esposa Sandra, com recepção no salão nobre do Jockey Clube Brasileiro, no Rio de Janeiro, lotado de convidados. Noite regada a champanhe Veuve Clicquot e uísque 12 anos Johnnie Walker Black Label, com direito a coquetel, jantar e show do cantor Elymar Santos. Pode-se dizer que foi uma festa de deixar roxo de inveja qualquer milionário carioca.
Comentar
Compartilhe