Linda Mara vista no Rio
26/10/2016 | 06h27
Linda-PF-XNa terça-feira, enquanto a Polícia Federal a procurava em Campos, a vereadora Linda Mara foi vista em companhia do advogado, e candidato a vereador não eleito, Thiago Godoy, por volta das 14h, na Rua da Assembléia, no Rio. Por uma daquelas incríveis coincidências, é a mesma rua onde a deputada Clarissa Garotinho mantém escritório, no nº 10. Só por curiosidade, residência de parlamentar federal, no caso de Clarissa no Alto Leblon, é inviolável. Só se entra com determinação do STF, isso, apenas quando a diligência policial tem como alvo o membro do parlamento. Mas, deve ser apenas outra coincidência...
Comentar
Compartilhe
Os "Órfãos de Rosinha" têm padrasto
29/06/2016 | 01h02

avelino-robson

Aparentemente mal informado, e dormindo muito cedo e bem agasalhado, ou, na realidade, apenas exercitando na prática a arte da negação do óbvio, como reza a cartilha do seu pequeno mestre Yoda da Lapa, o funcionário da Câmara Municipal de Campos Avelino Ferreira resolveu culpar os "Órfãos de Rosinha" por seu próprio sofrimento nesse inverno, ao dormirem tiritando ao relento nas calçadas laterais à praça principal de Campos, além de taxá-los de forasteiros e alcoólatras: “saiba de onde são os "moradores de rua", “o porque de não desejarem ficar nas casas de atendimento da Prefeitura (nas quais a bebida alcoólica é proibida)”.

Avelino escolheu como canal para descarregar a sua ira de pior cego (aquele que não quer ver) o Facebook do jornalista Robson Cândido, da Plena TV, que havia compartilhado a postagem desse blog, sob o título “Vive-se um verdadeiro pesadelo na história de Campos”, trazendo as incontestáveis fotos do descaso do poder público, esse sim, o maior responsável pelo desnecessário sofrimento dos “Órfãos de Rosinha”, que agora sabe-se, têm padrasto. E tudo isso no mesmo dia em que a cidade deglutia  a amarga notícia de mais desperdício de dinheiro público para alimentar a farra oficial dos shows e trios elétricos.

Avelino teve a sua estranha pretensão de defender o indefensável imediatamente repudiada por Robson Cândido: “Sobre os moradores, se estão em Campos, deveriam no mínimo, estarem sendo acompanhados por profissionais competentes e pagos com o nosso dinheiro”, “Em relação ao ALCOOLISMO, (dos moradores de rua) também temos profissionais competentes e pagos com o nosso DINHEIRO para atendê-los! Finalizando: espero que esteja, e com certeza deve estar, neste momento bem agasalhado!”.

Avelino podia ter dormido sem essa, para não ter algum pesadelo...

Abaixo, mais alguns dos incontáveis comentários no Face de Robson sobre os "Órfãos de Rosinha", que viralizaram nas redes sociais

avelino-robson-2

Comentar
Compartilhe
Os Órfãos de Rosinha
28/06/2016 | 12h12
a--relento-3

a--relento-2

A beleza de cartão postal da madrugada refletindo as luzes no frio do granito da Praça São Salvador não é suficiente para esconder a face mais cruel do abandono pelo poder público.

Nas calçadas laterais, tentando fugir da luz dos postes e do inverno implacável, pessoas dormem no chão, ao relento, tiritando de frio. Separando a pele humana das ásperas e geladas pedras portuguesas, apenas finas folhas de papelão recolhidas do lixo do comércio e alguns velhos e minguados cobertores.

Só quando, completamente vencidos pelo cansaço, se abrigam em suas minúsculas tendas nômades dos sonhos, o mais íntimo dos territórios, conseguem uma fugaz trégua do desamparo e do trauma da sua condição social, um pequeno repouso para o corpo e o espírito.

São os órfãos de Rosinha, para quem não importam shows caros ou retumbantes trios elétricos. Para eles, apenas um teto noturno, quatro paredes, e a dignidade de um banheiro e um prato de sopa fariam toda a diferença...

Comentar
Compartilhe
Camisas da solidariedade
07/05/2015 | 03h50
dando-mao A empresária Lia Miriam Aquino Cruz recebeu em sua residência os 18 componentes do Grupo Brothers para o tradicional chá das cinco que marca as suas reuniões. Dessa vez foi definida uma criativa forma de colaborar com o Abrigo João Viana e o São José Operários, duas instituições que passam por sérias dificuldades. Serão confeccionadas camisas fashion, com estampas do artista plástico João Oliveira e criação da estilista Ângela Bechara, para serem vendidas e a renda repassada àquelas instituições. Reserva a sua e tenha orgulho de usá-la.
Comentar
Compartilhe
Filha de Nahim diz que pai é alvo de uma grande covardia
20/10/2014 | 02h58
Neli Oliveira, filha de Nelson Nahim, sai em em defesa do pai nas redes sociais , agradece orações e questiona acusações, transferência para o Rio, falta de acesso ao processo e negativa de pedido médico para pai hipertenso: Neli-Nahim "Quero agradecer a todos pelas mensagens e orações...!! Meu pai NELSON NAHIM, esta sendo alvo de uma grande covardia, não estou dizendo isso pq ele é meu pai, o melhor pai do mundo, melhor filho, irmão, marido e avô, e sim pela forma como tudo foi e está sendo feito..!! Quero aqui esclarecer que Nelson NAhim, não foi preso por pedofilia e sim por coagir testemunhas, (o que é claro não é verdade), testemunhas de um processo que está parado a anos....no qual ele já foi no plenário da Câmara Municipal de Campos, e deixou bem claro que é totalmente contra a pedofilia e que faria o que fosse possível para que o caso fosse totalmente esclarecido e apurado...!!! Agora quero compartilhar com vcs algumas perguntas....e quero que cada um tire as suas conclusões... Pq um juiz negar um pedido médico a um paciente hipertenso com pressão a 22/12 de ir a um hospital? Pq ninguém consegue ter acesso ao processo? Pq ele (Nelson nahim), como advogado, que teria direitos especiais, no caso não tendo em Campos, teria que cumprir prisão domiciliar, foi transferido para o RJ?? Bem, esses são alguns questionamentos, (até pq ainda não posso falar todos), para que todos possam entender o tamanho da covardia que esta sendo feita com meu pai, NELSON NAHIM, um homem íntegro, verdadeiro, e que esta crescendo na política pela oposição, é claro..!!! Mas, como já disse em um comentário anterior há algum tempo.... NÃO EXISTE MAL QUE VENÇA O BEM....!!! E eu tenho fé em DEUS que a verdade vai aparecer, e meu pai terá sua vida de volta com sua Família e amigos, e quem estiver por traz de tudo isso vai pagar...!!!! NELI OLIVEIRA
Comentar
Compartilhe
Velas, muitas velas
11/08/2014 | 01h21
Alguma coisa está muito errada quando um município rico como Campos gasta a metade dos seus polpudos rendimentos dos royalties do petróleo com empreiteiros e publicidade, e um projeto como o “Orquestrando a Vida”, que promove a cultura musical e dá esperanças de uma vida melhor a dezenas de jovens, anda à míngua, ao ponto de precisar realizar uma oração coletiva nessa segunda-feira, às 18h, para pedir a Deus que envie seu socorro e ilumine as autoridades para que tenham compreensão e não deixem que um projeto dessa importância seja extinto. Favor levar velas. Muitas velas...
Comentar
Compartilhe
Femac abre as portas na 13 de Maio
03/11/2013 | 08h33
Como fruto do esforço conjunto da família Chagas, amigos e funcionários, nessa segunda-feira, em tempo recorde, a Femac Móveis vai abrir as portas na bela Casa Rosada, na esquina da Rua 13 de Maio com Av. Conselheiro Otaviano, toda decorada e adaptada à nova função. Chá quente Após os sucessivos incêndios em lojas de móveis e colchões, cresceu geometricamente em Campos a procura para fazer seguro nesse segmento. Mas as seguradoras, mais acostumadas a receber do que a pagar, diante da grande demanda, se negam a fazer novos contratos. Só estão renovando os antigos. Como dizia meu avô, seguro morreu de velho... Fogo de lâmpada Falando nisso, o perito da seguradora que veio a Campos fazer a perícia do incêndio da Femac é o mesmo que fez a perícia na malfadada Boate Kiss, em Santa Maria (RS), em janeiro deste ano. De alto gabarito, ele foi escolhido pela proporção do incêndio daqui. Das suas conclusões deixou escapar que uma lâmpada fluorescente pode ter dado início ao fogo. Pois é, esse tipo de lâmpada só tem a luz fria, mas o reator gera altas temperaturas.
Comentar
Compartilhe
Que Fred se recupere, e São João da Barra também...
08/08/2013 | 03h01
  Os últimos percalços do sanjoanense e vereador em Campos Fred Machado compõe uma perfeita analogia entre a sua saúde e a de São João da Barra. Ele ganhou projeção fora do seu município, São João da Barra também. Ele acaba de tomar um susto grave, mas está melhorando, São João da Barra também. O mal que afetou Fred repercutiu em Campos, o que afetou a saúde econômica de São João da Barra também. Estamos torcendo para que Fred se recupere, e que São João da Barra também...
Comentar
Compartilhe
Desapropriações no Açu descumprem lei que Cabral aprovou e Rosinha regulamentou
18/06/2013 | 10h14
[caption id="attachment_4549" align="aligncenter" width="1260" caption="Deputado Marcelo Freixo passa às mãos dos oficiais da PM os posts desse blog sobre as desapropriações no Açu"][/caption] O alerta desse blog sobre a desapropriação das terras do Sr. Sr. José Irineu Toledo, paraplégico, de 83 anos de idade, para criação do Distrito Industrial de São João da Barra, com fortes probabilidades de se tornar um “Distrito Fantasma”, foi parar nas mãos do deputado Marcelo Freixo que, imediatamente, convocou uma reunião com o comandante do 8° Batalhão de Polícia Militar Tenente Coronel PM Jonei Sardenberg Pestana e o Coronel Baracho chefe do Estado Maior do 6º CPA, e dois dos sete filhos do Sr. Irineu, Adeílson e Sérgio. Durante o encontro no 8° BPM, os comandantes PMs receberam cópias dos posts desse blog sobre as desapropriações no 5º Distrito de São João da Barra. Segundo eles, a PM só estaria cumprindo a lei ao dar apoio aos funcionários da Codin para cumprimento de ordem judicial. Cabral atropela lei que ele mesmo aprovou Mas o apoio da PM às desapropriações foi questionado, porque os atos de desapropriação não estariam cumprindo integralmente o especificado na LEI Nº 2898, DE 23 DE MARÇO DE 1998, aprovada pelo atual governador Sérgio Cabral, quando presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, em 23 de março de 1998. Posteriormente, a lei foi regulamentada pela então governadora Rosinha Garotinho, através do Decreto nº 32.749 de 06 de fevereiro de 2003. Que trouxe em seu texto exigências que não têm sido cumpridas, entre outras: Art. 1º - Quando for requisitada força policial pelo Poder Judiciário, para executar decisão judicial relativa à retirada compulsória de comunidade rural ou urbana, nos conflitos coletivos que decorram da disputa pela posse de terra, a autoridade ou o agente responsável pela requisição, sem o prejuízo das demais formalidades, deverá dar a respectiva e imediata ciência aos Titulares das seguintes Secretarias: a) Gabinete Civil; b) Secretaria de Estado de Integração Governamental; c) Secretaria de Estado de Governo; d) Secretaria de Estado de Ação Social; e) Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento, Pesca e Desenvolvimento do Interior; f) Secretaria de Estado de Justiça e Direitos do Cidadão; g) Secretaria de Estado de Segurança Pública.   Art. 2º - Os Órgãos mencionados no artigo anterior deverão avaliar a necessidade de se fazerem representar no local de execução da ordem, bem como de estender a ciência a outras Secretarias de Estado e a fim de que, em sendo o caso, adotarem as providências relacionada às suas atribuições, sempre no interesse público. Contradição Pela forma que as desapropriações vêm sendo realizadas, sob a tutela do governador Sérgio Cabral para atender aos interesses diretos do empresário Eike Batista, com funcionários da Codin e seguranças da EBX recebendo apoio incondicional da PM, o próprio governador vem atropelando a lei que ele mesmo aprovou quando presidente da Assembleia Legislativa. Propaganda negativa Como primeiro fruto da reunião com o deputado Marcelo Freixo, pelo menos nessa terça-feira as terras do Sr. Irineu Toledo não foram desocupadas para dar lugar aos interesses do empresário Eike Batista que, nessa atual grave crise por que passam as suas empresas, não deveria desejar uma propaganda negativa tão forte como tomar as terras de um idoso, paraplégico, nas quais vários filhos dele trabalham para sobreviver. [caption id="attachment_4550" align="aligncenter" width="1261" caption="Adeilson e Sérgio, filhos do Sr. Irineu Toledo, expõe no 8º PBM o problema vivido pela família"][/caption] Bom senso x Incerteza Vamos torcer para que prevaleça o bom senso, pelo menos das autoridades judiciais e policiais envolvidas na questão. Segundo Adeilson Toledo, filho do Sr, Irineu, dói muito perder a terra de onde tiram o pão de cada dia. “Querem transferir nosso gado para a Fazenda Papagaio, carente de cercas e com a água salinizada. Além disso, fica longe para meu irmão ir todo dia de madrugada tirar leite e voltar à tarde para apartar bezerros. Ninguém aguenta isso”. A cada dia que amanhece, a família Toledo vive mais uma incerteza. Seus integrantes acordam ainda com o dia escuro com medo de que a lei que não permite que sejam despejados antes da seis da manhã seja descumprida e encontrem seu gado espalhado pelo mato e sua lavoura devastada pela voracidade dos tratores da EBX.
Comentar
Compartilhe
A vida em primeiro lugar
02/06/2012 | 09h21
Quem tem lá as suas mágoas causadas pela exigência de cheques caução numa hora de extrema fragilidade, como a internação urgente de um ente querido, ou até de si próprio, em um hospital particular, certamente terá um pontinha de satisfação ao saber que já está em vigor a lei que criminaliza exigência de cheque caução com pena de detenção de três meses a um ano, que pode ser triplicada em caso de morte. A lei, de autoria dos ministérios da Saúde e da Justiça, altera o Código Penal de 1940 e tipifica a exigência como crime de omissão de socorro. A prática de exigir cheque caução já é enquadrada como omissão de socorro ou negligência, mas não existia uma referência expressa sobre o não atendimento emergencial. Além disso, os hospitais particulares ficam obrigados a afixar, em local visível, cartaz, ou equivalente com a seguinte informação: "Constitui crime a exigência de cheque caução, de nota promissória ou de qualquer garantia, bem como do preenchimento prévio de formulários administrativos, como condição para o atendimento médico-hospitalar emergencial, nos termos do Artigo 135-A do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal."
Comentar
Compartilhe
Próximo >