Pudim: "esse rapaz está precisando de tratamento. Ele vive no mundo da fantasia"
09/10/2017 | 21h59
Garotinho perde de 6x0 e Pudim ganha de 6x0 no TRE
Arte/Somos Online
Derrota de Garotinho
Garotinho perde mais uma, dessa vez pretendendo suspender a Ação da “Chequinho” até o resultado do julgamento da suspeição do juiz Ralph Manhães que o condenou a quase dez anos de cadeia.
Mas o plenário do TER decidiu por unanimidade que os dois pedidos de Habeaus Corpus impetrados pela defesa de Garotinho estavam prejudicados.
Motivo A: A 100ª ZE foi extinta e todos os processos passaram para 76ª Zona Eleitoral
Motivo A: A Ação Penal já foi julgada e Garotinho condenado a nove anos, 11 meses e 10 dias por corrupção eleitoral, repetida 17.515 vezes, associação criminosa, supressão de documento e coação no curso do processo.
Simples assim. A Ação Penal continua valendo.
Vitória de Pudim
O deputado Geraldo Pudim saiu vitorioso de uma Ação de infidelidade partidária movida pelo PR.
A batalha jurídica foi vencida por unanimidade, por decisão do plenário do TRE, e ele está livre da acusação e pode deixar o PR e ir livremente para o PMDB, o seu novo partido.
Pudim fala com o Somos Online
“Sob o aspecto jurídico eu não tinha dúvida nenhuma de que iria vencer, mas ele (Garotinho) criou na cabeça dele uma tese de infidelidade partidária que não tinha a menor chance de prosperar, porque ele nunca, em momento alguma da Ação que pediu o meu mandato, ele que é o dono do PR, o imperador do PR, mostrou qual foi o ato de infidelidade partidária que eu cometi para que ele pudesse me suspender das minhas atividades partidárias....
Continua: LEIA MAIS AQUI
Comentar
Compartilhe
PF inocenta Delegado Paulo Cassiano e acusa Rosinha de Denunciação Caluniosa
09/10/2017 | 10h00
Conclusão do Inquérito
Membros da Corregedoria Regional da Polícia Federal do Rio de Janeiro estiveram em Campos e realizaram várias diligências, ouviram diversas testemunhas da investigação, servidores da Polícia Federal lotados na delegacia, tiveram acesso a documentos do inquérito policial e após verificar tudo isso, chegaram a conclusão que não houve transgressão por parte do delegado, nem de nenhum policial federal de Campos em atos que pudessem comprometer o teor da investigação.
A Lei do Retorno e o Retorno da Lei
Ao concluir que, na verdade, nenhuma testemunha foi torturada, nem coagida, que não houve dificuldade de acesso dos advogados aos autos e que não ocorreu nenhuma aliança política, jurídica, partidária e midiática para prejudicar o grupo do Garotinho, conforme dizia a acusação, a corregedoria determinou extração de peças da denúncia assinada por Rosinha, protocolada na Corregedoria de Polícia Federal do Rio de Janeiro, para instauração de inquérito policial para apurar o crime de crime de denunciação caluniosa contra a ex-prefeita.
Comentar
Compartilhe
Garotinho tenta fabricar salvo conduto com "denúncia" à Procuradoria da República
06/10/2017 | 21h31
Movido a medo, Garotinho tenta se garantir contra eventual responsabilização
Movido a medo, Garotinho tenta se garantir contra eventual responsabilização
Cheque Manifestação
Apontado como insuflador das manifestações fabricadas que pretendiam parar Campos nessa sexta-feira, com enormes prejuízos para o município e a população, Garotinho, obviamente orientado por seus advogados, procurou fabricar um salvo conduto divulgando um documento que protocolou na Procuradoria da República, em Campos, acusando a mídia e se eximindo de responsabilidades nas ações previstas para hoje, inclusive, da convocação de mercenários a soldo de 100 reais, o recém lançado “Cheque Manifestação”.
Nota de Garotinho
“A aliança política-judicial-midiática que levou ao comando da prefeitura de Campos um grupo de pessoas sem preparo, patrimonialistas, sem ideologia alguma além de corruptos, tenta agora, desesperadamente, culpar o povo pelos erros que o prefeito cometeu.
Chega ser ridículo.
Depois de tentar atribuir a meu grupo político as manifestações contra atrasos de salários, fim dos programas sociais e outras atitudes de seu escolhido, sem nenhuma vergonha, inventam que os manifestantes estariam sendo recrutados por R$ 100 reais. Para protestar contra o prefeito Rafael Diniz ninguém precisa de incentivo, sobram motivos. Mas a investida da parte midiática contra mim, não ficará sem resposta. Amanhã estarei ingressando com pedido de providências junto a Procuradoria da República em Campos, como poderão ver abaixo, para que medidas sejam tomadas contra os proprietários desse jornal irresponsável, que a vive e enriquece as custas de verbas públicas, enquanto o povo sofre e paga a conta das irresponsabilidades cometidas pelo candidato por eles apoiado. Embora não esteja liderando movimento algum, o direito de manifestação ordeira é garantido pela nossa constituição e somente aqueles que agem contra os interesses do povo, tentam criminalizar o direito de luta por justiça social e direitos para todos. Ao povo trabalhador e honesto de Campos nosso apoio…
Contra os mentiroso (sic) e corruptos dessa aliança acionaremos a lei.”
Salvo conduto
O que motiva o ex-co-prefeito de Campos a fazer mais essa “denúncia” é fácil de deduzir.
Condenado a quase dez anos de cadeia por liderar o escandaloso esquema de compra de votos com Cheques Cidadão e gozando de uma precária liberdade à força de um habeas corpus, na realidade, ele parece ter protocolado esse documento/denúncia muito mais como uma tentativa de “fabricar” um salvo conduto para si próprio, caso membros da facção rosa sejam presos durante a ação terrorista dessa sexta-feira, e seus depoimentos e as investigações policiais o apontem como o suposto mandante.
Ocaso
Por outro lado, as manifestações pontuais realizadas, bem diferentes das frustradas manifestações simultâneas programadas para fechar e aterrorizar Campos, serviram apenas para mostrar de forma objetiva o ocaso de uma desgastada liderança política, enfraquecida pelos seus mal feitos, sucessivas derrotas e condenações judiciais, o que vêm desiludindo os seus militantes que, a cada dia, acreditam menos nas suas desvairadas promessas, e vêem evaporar as esperanças de terem de volta as suas sonhadas “boquinhas”.
Como disse uma leitora do Somos On Line, “o tiro saiu pela culatra, quem quer o bem de Campos não apoiou essa baderna”.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Esdras

[email protected]