A mentira como arma, quando faltam argumentos
29/07/2017 | 17h10
Nunca se viu antes na história desse município tantas mentiras mal orquestradas sendo divulgadas pela internet.
A raivosa e hepática natureza dos ataques deixa óbvio e ululante que elas têm como origem comum o mesmo maestro dessa desafinada orquestra, e são fruto da tentativa de manter crédulos e submissos os militantes rosáceos, inocentes pagão que sobrevivem da vã esperança de reaver os DAS perdidos.
Mas o DNA dessas mentiras, profundamente enraizado na turba, é rosa.
Recentemente, o líder maior da facção rosa foi pego em flagrante em uma vexaminosa mentira, a gravação que não ouve do diálogo que não existiu.
Mas, como se não bastasse o vexame dessa desavergonhada tentativa de manipulação da opinião pública e dos seus próprios seguidores, logo em seguida o esférico líder rosáceo divulgou uma tosca fotomontagem como ataque ao prefeito de Campos Rafael Diniz.
Fazendo escola e mostrando que o mal feito sempre arruma seguidores, o rosáceo ex-vereador Albertinho, derrotado nas eleições e condenado na “Chequinho”, saiu em um ataque, tão cego, quanto totalmente obtuso, ao governo Rafael Diniz, creditando a ele o caos da saúde da gestão Rosinha, ao publicar vídeo de 2016 no HFM como se fosse na atual gestão. Fato facilmente desmentido pelo Somos Online, e que dá credibilidade zero à essas excrescências do populismo faraônico da Lapa.
Comentar
Compartilhe
Albertinho divulga vídeo de caos da Saúde de Rosinha como se fosse de Rafael
27/07/2017 | 20h24
Derrapou feio
A derrota nas eleições e a condenação na “Chequinho”, o mega esquema de compra de votos com “Cheques Cidadão” pagos com dinheiro público, parecem ter causado bastante ansiedade ao ex-vereador Albertinho.
Na terça-feira (25/7), o rosáceo ex-vereador publicou, em seu perfil no Facebook (AQUI), um vídeo mostrando um paciente sendo carregado pelas escadas, como se fosse no atual governo do prefeito Rafael Diniz, e ainda aproveitou a “viagem” para “espetar” o vereador Cláudio Andrade.
Ficou feio
Ficou feio
É grande o número de notícias falsas como essa de Albertinho no Facebook. Mas os autores podem ser responsabilizados
O grupo rosáceo vem espalhando no Facebook notícias falsas como essa de Albertinho
O detalhe é que esse mesmo vídeo foi publicado originalmente no Youtube (AQUI) em 14 de outubro de 2016, durante o governo Rosinha, sob o titulo “Sem elevador paciente é carregado pelas escadas no Hospital Ferreira Machado”. O que significa que esse grave descaso com a Saúde Pública foi praticado na gestão dos seus líderes Rosinha e Garotinho, e que, para piorar a situação, já haviam empregado dinheiro público na aquisição de um elevador novo, mas durante cinco anos não o instalaram, deixando a situação chegar ao ponto que chegou, como é mostrado no vídeo abaixo, publicado agora em “fogo amigo” pelo seu próprio discípulo.
Observem a data...
a segunda-feira (27/7) (AQUI), o atual governo divulgou para o público em geral que estava iniciando a instalação do elevador comprado há longos cinco anos para o Hospital Ferreira Machado pela ex-prefeita Rosinha.
Pelo visto, o ex-vereador Albertinho, muito sagaz, antecipou-se ao anúncio com uma notícia negativa, mas, como ele mesmo disse: "O tiro saiu pela culatra"...
Comentar
Compartilhe
Rosinha processa vereador por acusá-la de "estelionato político"
20/07/2017 | 12h48
Arte/Somos
Pondo em prática a sua velha estratégia de processar adversários, opositores ou pessoas que discordem da suas ações enquanto gestora municipal, Rosinha Garotinho (PR) ingressou com uma ação de dano moral contra o vereador Cláudio Andrade (PSDC), em que o acusa de “ofensas à honra e de imputá-la o cometimento de práticas criminosas, precisamente o crime de estelionato, previsto no art. 171”.
Censura
A ex-prefeita Rosinha pede a “retirada imediata” da matéria “Rosinha praticou estelionato político no caso Caixa” do blog mantido pelo vereador e de perfis das redes sociais. É a desgastada estratégia conhecida como guerra de processos.
Motivo chocho
Em seu blog, o vereador Cláudio Andrade utilizou a expressão “estelionato político” no sentido figurado, não previsto em lei, para exemplificar o forte sentimento popular diante da descoberta de que o contrato que “vendia o futuro” de Campos não continha a cláusula limitadora da cobrança aos 10% dos recursos dos royalties e participações especiais, argumento amplamente utilizado pelo casal Garotinho diante da Câmara Municipal e da população para contratar com a Caixa Econômica em termos bem diferentes dos divulgados, que comprometeram gravemente as finanças do Município de Campos dos Goytacazes.
A mãe de todas as “coincidências”
A “coincidência” é que bastou a divulgação de que o vereador Cláudio Andrade iria propor uma Ação Popular (proposta no dia 11/07/17) com pedido de liminar para suspender os pagamentos do município de Campos à Caixa Econômica Federal, tramitando na 2ª Vara Federal de Campos, que deixou como réus a ex-prefeita Rosinha e a Caixa Econômica, que, rápida no gatilho, cinco dias antes, a ex-prefeita Rosinha se antecipou colocando o vereador como réu na Ação de Reparação de Danos, proposta no dia 07/07/17.
Comentar
Compartilhe
Dada como morta por delatores, secretária de Garotinho ressuscita no Facebook do chefe
15/07/2017 | 13h21
Ontem à tarde, a ex-secretária de Garotinho, Maria de Lourdes Araújo Ribeiro, a “toda poderosa do Palácio das Laranjeiras” no governo Rosinha, e a famosa secretária da “Palavra de Paz”, que teria marcado a reunião do “acerto” entre o chefe e a Odebrecht, e dada como falecida em depoimento dos delatores da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Leandro Andrade Azevedo, “ressuscitou” no Facebook do antigo chefe como comentarista de um vídeo onde Garotinho alega estar febril, mas aparece deitado sem camisa, aparentando certa desorientação, como sob efeito de forte medicação, mas se vangloriando de ter sido absolvido no caso EDAFO, e ainda aproveitando para culpar adversários, a imprensa, e atacar o prefeito de Campos Rafael Diniz.

"Morta" arquivo vivo posta no Facebook do chefe / Facebook

Arquivo vivo

Observem que, mesmo sabendo que ela, dada como falecida pelos delatores, estava bem viva e morando em Copacabana, o casal Garotinho/Rosinha omitiu essa informação, deixando que a Lava Jato e o Ministério Público Estadual/Campos continuassem a ignorar a existência de uma importante testemunha...
Que medo é esse?
Comentar
Compartilhe
Não adiantou espernear. Garotinho perde mais uma
12/07/2017 | 21h21
Não adiantou espernear nem no tribunal. Garotinho perdeu mais uma
Não adiantou espernear nem no tribunal. Garotinho perdeu mais uma
O plenário do TRE negou, por unanimidade, o recurso de Garotinho contra a decisão do Desembargador Corregedor do Tribunal que arquivou o processo contra o juiz Glaucenir Oliveira, em relação à decisão de sua prisão e transferência do Hospital Souza Aguiar para o presídio de Bangu. Mais uma derrota para a coleção...
Comentar
Compartilhe
A cor do luto é rosa
12/07/2017 | 19h56
Arte/Somos
Hoje a nossa cidade amanheceu sob a insidiosa penumbra rosa da irresponsabilidade de efeito retardado que vendeu, indiferente às consequências, o futuro de milhares de pessoas, sem dó nem piedade, “Como se não houvesse o amanhã”.
Mas, ao contrário de “As Quatro Estações” do Legião Urbana, para isso foi preciso não amar as pessoas...

Ordenadores

Os ex-prefeitos Rosinha e Garotinho, esse por estranho mandato matrimonial, não titubearam em contratar dois milionários empréstimos com a Caixa Econômica, um de cerca de R$ 200 milhões e outro de mais de R$ 762 milhões. Até aí já seria um absurdo.
Mas o dito cujo reside exatamente nos detalhes. Do segundo empréstimo a Prefeitura ficou apenas com 562 milhões, já que a parte que falta morreu no berço para pagar o primeiro empréstimo de 200 milhões.
Pagando, assim, uma dívida com outra. Prática muito utilizada pelo mercado financeiro informal do Calçadão, o da famosa agiotagem.

Mentiram para vender o que não ainda não existia para pagar com o que não teriam

Mas, como não há nada tão ruim que não possa piorar, o casal deu como garantia royalties futuros e participações especiais na casa de R$ 1,3 bilhão, mentindo em alta voz que apenas 10% desses recursos seriam utilizados para pagar a temerária operação financeira que colocava na balança, de um lado, o futuro dessa rósea facção política, e de outro, o futuro dos campistas.

A verdade era outra muito diferente

E o fiel dessa balança descaradamente contrariou todas as leis da física e da ética. Como também diria o Legião, “O que foi escondido. É o que se escondeu”. Muito além dos 10% apregoados, Rosinha e Garotinho haviam submetido o município a uma sangria mortal.
A verdade – e ela só apareceu depois do leite derramado e já azedo – é que, de acordo com o contrato assinado pela ex-prefeita Rosinha, a Caixa Econômica pode cobrar muito acima dos 10% dos royalties, e ainda abocanhar integralmente as participações especiais, contrariando frontalmente o que foi estabelecido como teto na autorização da Câmara Municipal de Campos para a, então prefeita, Rosinha Garotinho realizar a operação, e também em resolução do Senado Federal.
Sabendo de antemão a dupla de ordenadores, um de despesas e outro de ações, que já existia um pesado empréstimo de 200 milhões com o Banco do Brasil.

Penduraram na contra alheia

Como experimentados malandros, depois de muito beber e comer, o casal saiu do bar pendurando a despesa na conta alheia, deixando para trás uma dívida bilionária e implacável.
Diante do inexorável desfecho, o atual governo recorreu à justiça. Mas, ontem, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de revisão de liminar feito pela procuradoria municipal de Campos contra a decisão suspensiva ao agravo favorável à CEF, de 26 de junho, do desembargador Marcelo Pereira da Silva, do Tribunal Federal do Estado do Rio (TRF-RJ). O que coloca Campos à beira do caos administrativo, caso nada seja revisto.

Kamikazes da desesperança

Para agravar o mal feito, agora a facção rosácea ironiza a situação como se a culpa fosse do atual governo, chegando a se vangloriar amplamente nas redes sociais pela situação criada. O que, além de pouco inteligente, é revelador, afinal, essa não é apenas uma das centenas de bombas de efeito retardado deixadas pela gestão passada, mas a mais devastadora.
A postura da facção rosácea deixa claro que “dividir para conquistar” é coisa do passado. A sua meta é “destruir por não governar”...

Deboche

Para completar, a ex-prefeita Rosinha postou em seu Face: “Hahahaha já pensou se esse vulcão fosse em Campos? O que diriam?
Mas a irresponsável ex-prefeita errou no desplante da sua postagem. Essa "erupção do vulcão Rosa" já aconteceu em Campos, derreteu os nossos royalties, queimou as finanças do município e deixou a planície devastada. Os campistas vão amargar as suas consequências por décadas. E ela ainda debocha...

A cor do luto é rosa...

Rosinha vira ré em Ação Popular

O vereador Cláudio Andrade (PSDC) deu entrada em uma ação popular na Justiça Federal com pedido de liminar para suspender os pagamentos da Prefeitura Municipal de Campos à Caixa Econômica Federal, ou determine que a Caixa se limite a cobrar do município de Campos apenas o desconto no valor de 10% dos Royalties.
São réus na Ação Popular a ex-prefeita de Campos Rosinha Garotinho e Caixa, dentre outros, que terão vinte dias para contestar a partir da citação, mas, como há pedido de liminar, poderá o magistrado deferir os pedidos liminares.

Esclarecimento

Para que não haja mal entendidos, segue abaixo a definição de estelionato. Que cada um as leia e tire as suas próprias conclusões:
O estelionato é exposto no Código Penal Brasileiro (Título II, Capítulo VI, Artigo 171) como crime econômico, que é descrito como o ato de "obter, para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento." A pena para a prática de estelionato pode ir de 1 a 5 anos, e multa
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Esdras

[email protected]