Herança maldida da Uenf faz professor atravessar o samba ofendendo jornalista
27/01/2016 | 14h32
herança-1 Diante da divulgação do tamanho da dívida da Uenf (9 milhões de reais até novembro de 2015, uma “Herança Maldita” das administrações anteriores para a nova reitoria), o pesquisador de engenharia civil Fernando Saboya de Albuquerque Júnior, que atuou ativamente na administração do reitor Raimundo Braz, quando foram plantados os “ovos da serpente” de outras desastrosas administrações que o sucederam, utilizou o grupo de discussão da Uenf, onde deveriam ser debatidos apenas assuntos de relevância científica e educacional, para agredir moralmente esse blogueiro. Como se diz por aí, na falta de argumentos, o professor partiu para ofensas. Saboya-cavacoO professor Saboya, exímio cavaquinista, função que dizem exercer muito melhor que a de pesquisador, ao perceber que havia “atravessado o samba”, expondo-se a uma Ação de Reparação por Danos Morais, que está sendo estudada por meus advogados, simulou uma mal enjambrada retratação, onde diz que “talvez”, confira abaixo, tenha usado um termo não adequado. Nota-se claramente que não houve aí a menor intenção de uma verdadeira retratação. O cavaquinista é apontado como amigo íntimo do ex-reitor Almy Jr. que ao saiu pela porta dos fundos da reitoria daquela universidade com o seu “telhado de vidro” estilhaçado sob uma verdadeira saraivada de procedimentos investigativos do Ministério Público para apurar os fortes indícios de irregularidades cometidas durante a sua gestão, como a milionária aquisição de centenas de TVs, as estranhas obras paralisadas do “bandejão” e, também, autor de outras coisinhas nada éticas, como a utilização de placas falsas em carro da reitoria. Pelo que se vê, o professor parece ter tomado as dores das administrações anteriores que levaram a Uenf ao fundo do poço em que está. Diz o professor que “a dívida existiria ainda que fosse o mesmo Reitor. Isso é a realidade há 23 anos. Ano após ano, independente de quem ocupa o cargo.” Tenho lá as minhas dúvidas, e acredito que a maioria dos docentes da Uenf também as tenham. Afinal, tantos erros não justificam outros. Percebe-se que o, agora irado, cavaquinista, talvez (termo que ele gosta de usar) tenha mesmo muito mais intimidade com o seu instrumento musical predileto do que com as coisas afetas à administração e à construção civil. Já que a famosa Centrífuga Geotécnica da Uenf, sob seus auspícios, comprada por 750 mil dólares em 1995, só saiu das caixas onde estava em 2002, entrando realmente em operação cerca de dez anos após terem sido adquiridas. Parte desse atraso foi creditado ao fato de o prédio construído especificamente para ela não ter suportado o seu funcionamento, apesar de o professor Saboya ser pesquisador de engenharia civil. Mas, uma coisa é certa, o cavaquinista está se dando muito mais importância que, talvez (olha o termo que ele gosta aí de novo) realmente tenha. Melhor faria dedicando-se ao seu mister no cavaquinho, pois a música acalma o espírito até dos mais estultos. O blog está à disposição para publicar a sua réplica, caso queira, e tenha argumentos que não sejam ofensivos. (Leia abaixo os textos anteriores do professor Saboya) Textos do professor Saboya A canalhice jornalística não tem mesmo limites: Isso nunca foi herança da administração anterior. A dívida existiria ainda que fosse o mesmo Reitor. Isso é a realidade há 23 anos. Ano após ano, independente de quem ocupa o cargo. Cabe ao atual Reitor se dirigir ao Jornalista da Folha da Manhã e corrigir essa informação leviana de "herança maldita da administração anterior", caso não queira ser cúmplice de uma leviandade. Fernando Saboya Junior Retratação mal enjambrada É talvez vc tenha razão quanto ao termo que usei já que não conheço o jornalista, e aqui me retrato pois tratou-se de uma ofensa pessoal e eu não poderia ter usado esse termo. Se ele me interpelar, me retratarei. Mas a minha crítica ao teor leviano da reportagem eu mantenho! Sabemos quem é sua fonte! Aliás, o mato tá subindo que é uma beleza!!!
Comentar
Compartilhe
Herança maldita: Uenf reconhece dívidas de 9 milhões e mostra transparência
25/01/2016 | 17h25
[caption id="attachment_5903" align="aligncenter" width="756"]luispassoni-1 O atual reitor da Uenf Luis Passoni e o governador do Estado Luiz Fernando de Souza (Pezão)[/caption] Como foi divulgado nesse blog, as dívidas da Uenf chegam à casa dos 9 milhões de reais. Uma herança maldita da administração anterior. Leiam abaixo a nota da atual reitoria, que confirma as nossas informações e mostra uma nova postura de transparência no trato com a coisa publica:

Nota da Reitoria-25/01/16

DÍVIDAS

Esclarecemos que as cifras dos restos a pagar da UENF relativos a 2015, divulgada por um conhecido jornalista campista, são reais. Esta tabela foi elaborada pela Reitoria, divulgada no último COLEX e junto às empresas credoras. A divulgação dos dados relativos à saúde financeira da UENF faz parte da nossa política de transparência, que, mais que uma opção, é uma obrigação do gestor público. Todos os débitos elencados estavam previstos no orçamento e todos os procedimentos para pagamento dos mesmos, culminando com a emissão das Programações de Desembolso (PDs), foram realizados em tempo hábil pela UENF. Infelizmente, o grau de autonomia de que dispomos para execução orçamentária está aquém do necessário para garantirmos o efetivo pagamento. Não obstante, continuamos trabalhando junto à SECTI para alcançarmos as condições necessárias para o devido pagamento. Luis Passoni Reitor da UENF
Comentar
Compartilhe
Falta vergonha na cara - Ladrões esperam acidentes em Morro do Coco para saquear
25/01/2016 | 13h06

Em tempos em que se fala a todo momento na desonestidade dos políticos brasileiros, em Lavajato etc..., é bom que se veja esse vídeo para descobrir que a raiz do problema está nos próprios brasileiros. Aqui mesmo, em Morro do Coco, brasileiros/campistas formaram quadrilhas especializadas em saquear veículos acidentados na BR 101, com os motoristas mortos. Verdadeiras aves de rapina sem o menor pudor em se aproveitar da desgraça alheia. A falta de vergonha na cara é geral. Confira abaixo.

https://youtu.be/4OfLFgf0nIU Você, Brasileiro, ainda tem coragem de dizer que os problemas do Brasil são os Políticos??? Tá na hora do Brasileiro assumir sua responsabilidade, e admitir que É CORRUPTO POR NATUREZA!
O Brasil não tem mais jeito, e não é culpa dos Políticos, e sim do Brasileiro! O PROBLEMA DO BRASIL É O BRASILEIRO! Como se orgulhar de um povo assim? Como se orgulhar de um país assim? Cadê a moral e os bons princípios desse povo? Brasileiro NEM SABE o que é isso! É uma vergonha! E não me venham com Ufanismo besta aqui... Já passou da hora do Brasileiro admitir as suas mazelas, e tomar vergonha na cara, e mudar! O Jeitinho Brasileiro que você tanto se orgulha, nada mais é que CORRUPÇÃO! Sabe porque você não rouba a Petrobras também? Porque não tem chance, se tivesse faria até pior! Assim é o Brasileiro! Tem exceções? Sim, mas são raras e não podemos analisar por elas, e sim pela REGRA! Toma Vergonha na sua Cara Brasileiro!!! (O Brazil de fora do Brasil)
Comentar
Compartilhe
Garganta Ampla
22/01/2016 | 11h17
ampla-monta-X Sempre mostrando uma Ampla vontade de sugar o máximo dos consumidores, a concessionária de energia elétrica tem finalizado seus convênios com os bancos para forçar o consumidor a colocar o pagamento das suas contas de energia no sistema de débito automático. Vários bancos já exibem em suas portas cartazes alertando que pagamentos de contas da Ampla não são mais aceitos no caixa, apenas no caixa eletrônico, via internet banking ou débito automático. Com o fim dos convênios a empresa economiza despesas bancárias e força o débito automático para receber no dia do vencimento, entrando ou não no cheque especial dos consumidores com os seus juros elevadíssimos. Em contato telefônico com a Ampla, a coluna foi informada que a empresa não disponibiliza pagamento de contas em suas lojas. Com a palavra o Procon e o Ministério Público. (Publicado ontem (21) em minha coluna na Folha da Manhã)  

Nota da ACIC

AMPLA CANCELA CONVÊNIOS COM BANCOS

Campos dos Goytacazes, 21 de janeiro de 2016.  Prezados Colegas Jornalistas: Como Assessor de Imprensa da Associação Comercial e Industrial de Campos – Acic, repasso a vocês uma informação importante que certamente poderá gerar uma reportagem de interesse de muitos consumidores, principalmente empresas. Infelizmente fui informado que a concessionária de energia elétrica Ampla resolveu cancelar convênios com as instituições bancárias. Os bancos por sua vez só aceitam receber contas de energia elétrica por meio de débito automático. As lotéricas e outras casas comerciais que recebiam as respectivas contas, limitaram os valores a serem pagos, em R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais), mas a pergunta que fica é: e as empresas e instituições cujas contas ultrapassam esse valor, deverão efetuar o pagamento aonde? A Acic deseja pagar os seus tributos e impostos em dia, entretanto a dificuldade imposta pela Ampla e pelos bancos está inviabilizando uma solução amigável e pacífica. Por isso a Acic está recorrendo ao Procon Campos, para buscar uma solução, não apenas para a instituição, mas também para, como disse, empresas e instituições, cujos valores de conta ultrapassam a casa dos R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais). No momento, o presidente da Acic, Amaro Ribeiro Gomes, está viajando e não poderá conceder entrevista sobre o assunto. Já o Diretor Financeiro, Gerson Gomes, é quem está empenhado em resolver esse impasse e o telefone de contato dele é: 99853-3348.  Atenciosamente, Paulo de Almeida Ourives Assessor de Imprensa - Associação Comercial e Industrial de Campos.  Ascom ACIC Data: 21/01/2016
Comentar
Compartilhe
Uenf afogada em um mar de dívidas
21/01/2016 | 18h05
Uenf à deriva no mar das incertezas uenf-dividas-1 A Uenf, apesar de continuar sendo considerada uma das melhores universidades brasileiras, ocupando a 15ª posição do ranking do MEC das melhores instituições de ensino de graduação no país, não está recebendo o devido retorno por parte do governo do Rio de Janeiro. O montante de dívidas deixadas para o novo reitor Luís César Passoni é da ordem de  R$ 9 milhões, apenas considerados pagamentos não realizados entre os meses de agosto a dezembro de 2015. Como as obrigações de janeiro já estão em curso, este valor deverá crescer ainda mais, caso o governo Pezão não comece a cumprir com as suas obrigações. uenf-dividas-2 Bolsa furadas Um aspecto especialmente preocupante para o funcionamento da Uenf é o atraso no pagamento de bolsas acadêmicas, inclusive as recebidas pelos alunos cotistas. O fato de existirem débitos em todas as modalidades de bolsas de graduação e pós-graduação sinaliza problemas graves para a continuidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão. Na falta do pagamento das bolsas muitos estudantes terão que reduzir suas atividades ou mesmo abandonar a Uenf. Educação X Cerveja A situação que a Uenf vive é ainda mais difícil de entender quando se compara o custo do investimento que é necessário para manter as suas contas em dia e as generosas isenções fiscais que estão sendo concedidas pelo governo Pezão. O exemplo mais recente que veio a público foi a concessão de isenções fiscais, em torno de R$ 687 milhões para a Cervejaria Petrópolis, cujo proprietário, o empresário Walter Faria, é sócio da família do deputado Jorge Picciani, presidente da Alerj, numa pedreira que fornece brita para as obras  que estão sendo realizadas para os Jogos Olímpicos de 2016, que acorrerão na cidade do Rio de Janeiro. uenf-dividas-3 Sem vigilância Em dezembro de 2015, a empresa K9 Vigilância foi contratada para substituir em caráter emergencial a Hopevig nos serviços de segurança patrimonial na Uenf, após uma intervenção do ex-deputado Domingos Brazão, agora conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, que considerou as estimativas preparadas pela universidade para embasar o valor do edital de licitação para a celebração de um novo contrato em caráter permanente. Ao exigir que novos cálculos fossem feitos, Domingos Brazão obrigou a celebração de um contrato temporário que não deixasse a Uenf desprotegida até que a licitação venha a ocorrer. O problema é que agora a K9 está ameaçando suspender a prestação de serviços por ainda não ter recebido sequer a primeira parcela que lhe cabe por estar oferecendo segurança patrimonial à Uenf. Essas pendências milionárias estão deixando a Uenf à deriva no turbulento mar das incertezas quanto ao seu futuro. Observem nos relatório (clique nas imagens para ampliar), a que o blog teve acesso e publica, o preocupante quadro das dívidas da Uenf, só até novembro de 2015 9.168 milhões. ATUALIZAÇÃO - 25/01/16

DÍVIDAS

Esclarecemos que as cifras dos restos a pagar da UENF relativos a 2015, divulgada por um conhecido jornalista campista, são reais. Esta tabela foi elaborada pela Reitoria, divulgada no último COLEX e junto às empresas credoras. A divulgação dos dados relativos à saúde financeira da UENF faz parte da nossa política de transparência, que, mais que uma opção, é uma obrigação do gestor público. Todos os débitos elencados estavam previstos no orçamento e todos os procedimentos para pagamento dos mesmos, culminando com a emissão das Programações de Desembolso (PDs), foram realizados em tempo hábil pela UENF. Infelizmente, o grau de autonomia de que dispomos para execução orçamentária está aquém do necessário para garantirmos o efetivo pagamento. Não obstante, continuamos trabalhando junto à SECTI para alcançarmos as condições necessárias para o devido pagamento.
Comentar
Compartilhe
Lei burra
19/01/2016 | 17h32
Alfafa neles! Carroças I Nesse debate sobre o cumprimento da lei que proíbe a utilização de veículos de tração animal na área urbana, é preciso que haja entendimentos entre três setores para se corrigir as lacunas da lei: os comerciantes de material de construção, o CCZ e o Fundecam. Carroças II  Os comerciantes, como maiores clientes dos carroceiros, têm que garantir a continuidade do relacionamento, o CCZ, por ser o órgão que decidiria sobre o destino dos animais, e o Fundecam, que tem linhas de financiamento para viabilizar a substituição das carroças por outro veículo. Carroças III É incontestável que já passou da hora de se proibir a escravização dos animais para transportar cargas. Daí, a importância de que a categoria se organize, numa cooperativa ou associação, para garantir o diálogo e expor as suas propostas. Só assim será corrigida a burrice da lei, que não ofereceu planos de contingência para os carroceiros e, muito menos, para os animais.
Comentar
Compartilhe
Uma jóia de mulher
16/01/2016 | 17h42
bela-1-x             A bela fisiculturista campista Diana Arêas, convidada para desfilar pela Acadêmicos da Rocinha, como destaque de um carro com atletas de todo o país, dentro do enredo “Nova Roma é Brasil, Brasil é Rocinha”, já atuou como modelo para Suzana Ferreira Paes, posando vestida quase que só de jóias para belas fotos feitas por Vilson Correia. Confira a foto.
Comentar
Compartilhe
Culinária amarga
15/01/2016 | 12h07
bruxa-1   Receita de mamão com açúcar: você pega emprestados duzentos milhões, oitocentos e oitenta mil, tempera com juros de 107,9 milhões, e depois coloca no forno para a próxima administração pagar trezentos e oito milhões, setecentos e noventa e um mil, centro e treze reais e setenta e oito centavos até 2020. Se digitar terra dos “trouxas” no Google, aparece Campos...
Comentar
Compartilhe
Engano
13/01/2016 | 15h27
bola-1-X     Brizola se enganou quando disse: “Garotinho é como uma bola, não tem lado e é oco por dentro”. Tem sim, o dele...
Comentar
Compartilhe
Burros continuam escravizados: Carroceiros ignoram lei que proíbe tração animal
12/01/2016 | 17h17
[caption id="attachment_5855" align="aligncenter" width="756"]burro-monta-1 Nessa terça-feira, ignorando a lei, carroças circulavam livremente na Avenida 28 de Março. Afinal, quem são os "burros" dessa história?[/caption] As carroças tracionadas por burros e cavalos continuam transitando livremente pela cidade de Campos, inclusive nas áreas onde existe proibição municipal para não atrapalhar o trânsito. Seus condutores não estão dando a menor bola para as autoridades. De nada vai adiantar a Lei 7.194/2016 – de autoria do deputado estadual Dionísio Lins, sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão, proibindo a utilização de tração animal. O texto não especifica quem irá fiscalizar e punir o seu não cumprimento.
Comentar
Compartilhe
Alto risco: Campos sem vacinas Antirrábica, Antitetânica e muitas outras
08/01/2016 | 14h55
vacina-raiva O município de Campos está vivendo uma situação de alto risco com uma prolongada falta de vacinas e soro anti-rábico, vacinas contra Hepatite A, B, tetraviral, soro antitetânico, soro anti-botulínico, BCG, HIB (influenza tipo B), e outras. A Assessoria da Secretaria de Saúde, através da assessora Kamilla Uhl, informou ao blog que só agora o Governo Federal reiniciou os envios, mas em quantidade muito aquém da demanda mensal. Ainda segundo ela: “no caso da anti-rábica, é difícil achar até mesmo em clínica particular. Não é um problema simples. É problema de fabricação no país inteiro. Lembrando que no caso da BCG, agendamento é feito no CRTCA 1 ou CRTCA 2. No caso da antitetânica, as doses são liberadas para gestantes na Secretaria de Saúde e, para acidentados, no Hospital Ferreira Machado. Outros casos específicos devem ser encaminhados para a Direção de Vigilância em Saúde, telefone 27261378.”. A assessora da Secretaria de Saúde também enviou como justificativa para a falta, dois comunicados do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, datados de 18 de junho de 2015 e de dezembro de 2015. E um outro comunicado, já divulgado anteriormente, onde a própria Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde (sem data) explica: “um plano de contingência foi colocado em prática pela Direção de Vigilância em Saúde de Campos, a fim de racionalizar a dispensação dos mesmos e garantir que os casos mais urgentes sejam priorizados. Mas a metade das vacinas de rotina está em falta, sem prazo para normalização”. O blog também ouviu o Secretário de Saúde Dr. Geraldo Venâncio que declarou estar tentando uma aquisição direta emergencial enquanto o Governo Federal não normaliza a entrega. Alerta O mais preocupante são as vacinas emergenciais, como a anti-rábica e antitetânica que, em casos de acidente, não podem esperar agendamentos. Essa semana, um casal de professores, mordido por um cão e um gato ao tentar separar uma briga, não conseguiu ser vacinado, nem na rede municipal de Saúde e nem em clínicas particulares, e agora pretende viajar procurar tratamento em outro município. Vamos torcer para que a situação se normalize antes que ocorra alguma fatalidade.
Comentar
Compartilhe
Bússola de princípios para governar Campos bem
07/01/2016 | 22h32
prin-grupo-2 Nessa quinta-feira, a Folha da Manhã, representada pelos seus diretores Aluysio Abreu Barbosa, Diva Abreu Barbosa e Christiano Abreu Barbosa, entregou a pré-candidatos a prefeito de Campos o trabalho “Princípios para Campos”, uma coletânea de reportagens elaboradas durante quatro meses por diversas editorias do jornal, que criaram uma verdadeira bússola, onde profissionais especializados de diversas áreas indicam as principais demandas do município. Abaixo a reação de alguns dos candidatos presentes: prin-rafa Rafael Diniz (PPS) É preciso parar de debater as pessoas e passar a debater a cidade e as idéias. Não é uma questão só de dinheiro, é de eleger prioridades e governar com responsabilidade.     principios (4) Chicão (PP) Temos que ouvir todos os segmentos, dos mais intelectualizados aos mais humildes. Os políticos têm que ouvir.     prin-peixotoJoão Peixoto (PSDC) Sou do PSDC, mas vou fazer acordo com qualquer partido, para o bem de Campos...     princ-magalMagal (PR) A Folha é um órgão de comunicação que não está preocupado com um nome, está preocupado com o município.     prin-rogerioRogério Matoso (PMB) Além de mudar os nomes, temos que mudar os métodos.   prin-pcLéo Zanzi (PSOL) 100% das propostas que estão aqui estão na pauta que o pessoal levanta no seu dia a dia, na sua luta diária. O caos que vivemos não é culpa só da figura da prefeita, mas sim de toda a estrutura partidária que por trás dela se coloca.
Comentar
Compartilhe
Nós Campistas, vaquinhas de presépio?
05/01/2016 | 13h40
manifesto-impostos E nós aqui, campistas, quietinhos e balançando a cabeça como vaquinhas de presépio? Vamos reagir gente!
Comentar
Compartilhe