Massa falida
06/03/2015 | 11h56
Quem se candidata a disputar a prefeitura de Campos nas próximas eleições?
Comentar
Compartilhe
A mão que controla a caneta
09/03/2015 | 01h08
Fantoche-X   Em meio à forte crise administrativa na prefeitura de Campos, com protestos, obras paralisadas, pagamentos atrasados e grave pedido de investigação sobre o paradeiro de mais de 100 milhões dos cofres públicos, com sumiço ainda sem explicação, a prefeitura de Campos deverá ficar oficialmente anencéfala com o afastamento da prefeita Rosinha alegando motivos de saúde, sintomaticamente, apenas poucos meses após o retorno do marido Garotinho à cidade, depois de ser derrotado em uma luxuosa e polêmica campanha para governador do estado. Desorientada e demostrando não saber para onde atirar ao ver balançar seu castelo de cartas, Lindamara, a destrambelhada faladeira mor do grupo de Garotinho, chamou em programa de rádio o advogado Cláudio Andrade de mentiroso, por ter anunciado em primeira mão em seu blog a realização de uma reunião na prefeitura de Campos para preparar o afastamento da prefeita oficial do comando do executivo campista. Apenas poucas horas depois, a faladeira foi desmentida pelo próprio líder do seu grupo, o secretário municipal de Governo e prefeito de fato, Garotinho, que anunciou o afastamento da esposa Rosinha, alegando motivos de saúde, estrategicamente, por 15 dias, o que justificaria que ela continuasse usando a caneta nos documentos oficiais da municipalidade, mesmo sem estar sentada na cadeira de prefeito. Curiosamente, o blog Campos 24 horas, que confirmou o afastamento da prefeita, afirmando que o vice Chicão Oliveira assumiria, sem maiores explicações, modificou a notícia já dada, agora para: “Rosinha pedirá licença para tratamento de saúde, anuncia Garotinho; Chicão não assume”. Nesse jogo de cartas marcadas, fica no ar uma questão de fácil resposta: quem vai continuar no controle da caneta nessa anunciada acefalia executiva? Quem adivinhar ganha um doce...
Comentar
Compartilhe
Sumiço de luminárias do Liceu faz EMOP exigir recolocação imediata
25/03/2015 | 03h38
licue-1As duas seculares luminárias da calçada frontal do Solar do Barão da Lagoa Dourada (Liceu) retiradas durante as obras de restauração do histórico prédio, a título de "conserto", não foram recolocadas em seus lugares para entrega da obra pelo ex-governador Sérgio Cabral e, até hoje, ninguém sabe dizer que fim levaram. Nem o Inepac, nem a Emop, órgão estadual encarregado de fiscalizar a obra, e nem, muito menos, a Concrejato, executora da obra, dão qualquer explicação. O grupo que moveu a Ação Civil Pública para obrigar o Estado a realizar a restauração está cuspindo marimbondos diante do risco de sumiço definitivo de mais algumas valiosas peças do patrimônio histórico dos campistas. O fato foi trazido à coluna pelo historiador Vilmar Rangel, que milita na proteção do patrimônio de Campos. Reação Após a publicação da nota acima na coluna Esdras, na Folha da Manhã impressa, o Gerente 3º. DEMAN- COMAN - EMOP, sr. José Jorge Fernandes Batista, oficiou à empresa responsável pela restauração a CONCREJATO para que "em caráter emergencial, agilize a entrega e recolocação das luminárias do Prédio Histórico no seu devido lugar, no prazo de 07 (sete) dias, a contar da presente data (24/03). Veja abaixo. Liceu-ofi-1
Comentar
Compartilhe
Por Água Abaixo
05/03/2015 | 12h54
capa dupla.indd   Surfando O gaiato “surfando” no interior do Camelódromo na oportuna foto de Valmir Oliveira, publicada em página inteira em ótima capa da Folha, espelhou com muita ironia e bom humor a quantas anda a paciência do campista com o governo Rosinha. Verdade Na primeira chuva forte, as obras da prefeitura foram por água abaixo...
Comentar
Compartilhe
Rombo de 600 milhões? Juiz pede perícia nas contas de Rosinha
23/03/2015 | 12h32
Oportunidade de ouro Uma decisão do Juiz Cláudio França, da 5ª Vara Cível de Campos, em uma ação de reparação de danos movida pela prefeita Rosinha contra o site Terceira Via, é uma oportunidade de ouro, sem trocadilho, para a prefeita mostrar de vez que não houve um rombo de 600 milhões nos cofres da prefeitura, segundo afirmou aquele órgão de comunicação, para favorecer a campanha eleitoral do seu marido Garotinho ao governo do estado. O magistrado determinou que seja realizada uma perícia nas contas do Governo Municipal. Da decisão, ainda cabe recurso, mas, "como quem não deve não teme", certamente a prefeita vai fazer questão de que seja realizada uma auditoria completa em suas contas, sem medo de que o feitiço se vire contra a feiticeira e o tiro saia pela culatra... (Leia mais no blog de Claudio Andrade)
Comentar
Compartilhe
Aqui o buraco é mais embaixo
14/03/2015 | 04h53
Controlada por uma política de tamanho inverso ao da sua própria goela, tão grande que está se autodevorando pelo próprio rabo do descarado modus operandi dos seus desmandos e inconsequências, Campos está vivendo dentro de um buraco no fundo do grande buraco em que foi colocado o Brasil, que, só agora, parece ter descoberto, como o velho marido enganado, o que todo mundo já sabia há muito tempo: somos todos corneados por quadrilhas oficializadas pelos votos da ignorância, dos cheques cidadão, das casinhas populares, das bolsas família e de outros paternalismos com o mesmo índice de danosa periculosidade. Agora que se levanta sem falsos pudores a saia da corrupção que demoliu a Petrobras, o sonho de uma economia regional fortalecida pelo advento do pré-sal fica cada vez mais distante, naufragado nas águas profundas da pouca vergonha que assola o país. Diante de tudo isso, dói saber que, apesar da fantástica fortuna recebida em décadas de preciosos e voláteis royalties de morte anunciada, que nos escorreram pelos dedos das obras superfaturadas, terceirizações e outras inconfessáveis mumunhas, aqui não se construiu a sustentabilidade do incentivo à agricultura e o apoio à indústria sucroalcooleira, grande empregadora e nossa histórica vocação, novas indústrias ou empresas que estimulassem a economia local e gerassem postos de empregos que não fossem os geridos pelo populismo messiânico da Lapa com a dolorosa rédea curta do escambo eleitoral, que por aqui só produziu excrescências como dois prefeitos no mesmo município, um de fato e outro oficial. Não será apenas o afastamento da prefeita por alegado motivo de saúde ou o da presidenta por impeachment que resolverá totalmente o nosso problema, mas já é um bom começo. É preciso matar o mal pela raiz, excretando de vez esses grupos da nossa cena política. Enquanto isso não for feito, o velho ditado, que arremetia a valentia e orgulho, se aplicará a Campos e ao Brasil de forma lamentável, pois aqui o buraco agora é, realmente, mais embaixo, e nós fomos colocados dentro dele. Resta ao campista, assim como ao resto do país, sair pelas próprias mãos, as mesmas que registram os votos nas urnas, desse escuro buraco em que nos meteram. Publicado hoje na edição impressa da Folha
Comentar
Compartilhe
Por Água Abaixo
05/03/2015 | 12h54
capa dupla.indd   Surfando O gaiato “surfando” no interior do Camelódromo na oportuna foto de Valmir Oliveira, publicada em página inteira em ótima capa da Folha, espelhou com muita ironia e bom humor a quantas anda a paciência do campista com o governo Rosinha. Verdade Na primeira chuva forte, as obras da prefeitura foram por água abaixo...
Comentar
Compartilhe
Não as magrelas
21/03/2015 | 03h09
aanorexia Marisol Touraine, Ministra francesa da Saúde, vai impedir que modelos com índice de massa corporal abaixo das estabelecidas pelas autoridades médicas desfilem e protagonizem campanhas. Olivier Véran, parlamentar socialista, propôs dois acréscimos à questão: as agências de modelos vão ser banidas de trabalhar com modelos em risco de ter problemas de saúde e as publicidades que glorificam um corpo excessivamente magro, e os websites que promovem o comportamento anorético serão punidos.
Comentar
Compartilhe
Não as magrelas
21/03/2015 | 03h09
aanorexia Marisol Touraine, Ministra francesa da Saúde, vai impedir que modelos com índice de massa corporal abaixo das estabelecidas pelas autoridades médicas desfilem e protagonizem campanhas. Olivier Véran, parlamentar socialista, propôs dois acréscimos à questão: as agências de modelos vão ser banidas de trabalhar com modelos em risco de ter problemas de saúde e as publicidades que glorificam um corpo excessivamente magro, e os websites que promovem o comportamento anorético serão punidos.
Comentar
Compartilhe
Sumiço de luminárias do Liceu faz EMOP exigir recolocação imediata
25/03/2015 | 03h38
licue-1As duas seculares luminárias da calçada frontal do Solar do Barão da Lagoa Dourada (Liceu) retiradas durante as obras de restauração do histórico prédio, a título de "conserto", não foram recolocadas em seus lugares para entrega da obra pelo ex-governador Sérgio Cabral e, até hoje, ninguém sabe dizer que fim levaram. Nem o Inepac, nem a Emop, órgão estadual encarregado de fiscalizar a obra, e nem, muito menos, a Concrejato, executora da obra, dão qualquer explicação. O grupo que moveu a Ação Civil Pública para obrigar o Estado a realizar a restauração está cuspindo marimbondos diante do risco de sumiço definitivo de mais algumas valiosas peças do patrimônio histórico dos campistas. O fato foi trazido à coluna pelo historiador Vilmar Rangel, que milita na proteção do patrimônio de Campos. Reação Após a publicação da nota acima na coluna Esdras, na Folha da Manhã impressa, o Gerente 3º. DEMAN- COMAN - EMOP, sr. José Jorge Fernandes Batista, oficiou à empresa responsável pela restauração a CONCREJATO para que "em caráter emergencial, agilize a entrega e recolocação das luminárias do Prédio Histórico no seu devido lugar, no prazo de 07 (sete) dias, a contar da presente data (24/03). Veja abaixo. Liceu-ofi-1
Comentar
Compartilhe
Massa falida
06/03/2015 | 11h56
Quem se candidata a disputar a prefeitura de Campos nas próximas eleições?
Comentar
Compartilhe
A mão que controla a caneta
09/03/2015 | 01h08
Fantoche-X   Em meio à forte crise administrativa na prefeitura de Campos, com protestos, obras paralisadas, pagamentos atrasados e grave pedido de investigação sobre o paradeiro de mais de 100 milhões dos cofres públicos, com sumiço ainda sem explicação, a prefeitura de Campos deverá ficar oficialmente anencéfala com o afastamento da prefeita Rosinha alegando motivos de saúde, sintomaticamente, apenas poucos meses após o retorno do marido Garotinho à cidade, depois de ser derrotado em uma luxuosa e polêmica campanha para governador do estado. Desorientada e demostrando não saber para onde atirar ao ver balançar seu castelo de cartas, Lindamara, a destrambelhada faladeira mor do grupo de Garotinho, chamou em programa de rádio o advogado Cláudio Andrade de mentiroso, por ter anunciado em primeira mão em seu blog a realização de uma reunião na prefeitura de Campos para preparar o afastamento da prefeita oficial do comando do executivo campista. Apenas poucas horas depois, a faladeira foi desmentida pelo próprio líder do seu grupo, o secretário municipal de Governo e prefeito de fato, Garotinho, que anunciou o afastamento da esposa Rosinha, alegando motivos de saúde, estrategicamente, por 15 dias, o que justificaria que ela continuasse usando a caneta nos documentos oficiais da municipalidade, mesmo sem estar sentada na cadeira de prefeito. Curiosamente, o blog Campos 24 horas, que confirmou o afastamento da prefeita, afirmando que o vice Chicão Oliveira assumiria, sem maiores explicações, modificou a notícia já dada, agora para: “Rosinha pedirá licença para tratamento de saúde, anuncia Garotinho; Chicão não assume”. Nesse jogo de cartas marcadas, fica no ar uma questão de fácil resposta: quem vai continuar no controle da caneta nessa anunciada acefalia executiva? Quem adivinhar ganha um doce...
Comentar
Compartilhe
Rombo de 600 milhões? Juiz pede perícia nas contas de Rosinha
23/03/2015 | 12h32
Oportunidade de ouro Uma decisão do Juiz Cláudio França, da 5ª Vara Cível de Campos, em uma ação de reparação de danos movida pela prefeita Rosinha contra o site Terceira Via, é uma oportunidade de ouro, sem trocadilho, para a prefeita mostrar de vez que não houve um rombo de 600 milhões nos cofres da prefeitura, segundo afirmou aquele órgão de comunicação, para favorecer a campanha eleitoral do seu marido Garotinho ao governo do estado. O magistrado determinou que seja realizada uma perícia nas contas do Governo Municipal. Da decisão, ainda cabe recurso, mas, "como quem não deve não teme", certamente a prefeita vai fazer questão de que seja realizada uma auditoria completa em suas contas, sem medo de que o feitiço se vire contra a feiticeira e o tiro saia pela culatra... (Leia mais no blog de Claudio Andrade)
Comentar
Compartilhe
Aqui o buraco é mais embaixo
14/03/2015 | 04h53
Controlada por uma política de tamanho inverso ao da sua própria goela, tão grande que está se autodevorando pelo próprio rabo do descarado modus operandi dos seus desmandos e inconsequências, Campos está vivendo dentro de um buraco no fundo do grande buraco em que foi colocado o Brasil, que, só agora, parece ter descoberto, como o velho marido enganado, o que todo mundo já sabia há muito tempo: somos todos corneados por quadrilhas oficializadas pelos votos da ignorância, dos cheques cidadão, das casinhas populares, das bolsas família e de outros paternalismos com o mesmo índice de danosa periculosidade. Agora que se levanta sem falsos pudores a saia da corrupção que demoliu a Petrobras, o sonho de uma economia regional fortalecida pelo advento do pré-sal fica cada vez mais distante, naufragado nas águas profundas da pouca vergonha que assola o país. Diante de tudo isso, dói saber que, apesar da fantástica fortuna recebida em décadas de preciosos e voláteis royalties de morte anunciada, que nos escorreram pelos dedos das obras superfaturadas, terceirizações e outras inconfessáveis mumunhas, aqui não se construiu a sustentabilidade do incentivo à agricultura e o apoio à indústria sucroalcooleira, grande empregadora e nossa histórica vocação, novas indústrias ou empresas que estimulassem a economia local e gerassem postos de empregos que não fossem os geridos pelo populismo messiânico da Lapa com a dolorosa rédea curta do escambo eleitoral, que por aqui só produziu excrescências como dois prefeitos no mesmo município, um de fato e outro oficial. Não será apenas o afastamento da prefeita por alegado motivo de saúde ou o da presidenta por impeachment que resolverá totalmente o nosso problema, mas já é um bom começo. É preciso matar o mal pela raiz, excretando de vez esses grupos da nossa cena política. Enquanto isso não for feito, o velho ditado, que arremetia a valentia e orgulho, se aplicará a Campos e ao Brasil de forma lamentável, pois aqui o buraco agora é, realmente, mais embaixo, e nós fomos colocados dentro dele. Resta ao campista, assim como ao resto do país, sair pelas próprias mãos, as mesmas que registram os votos nas urnas, desse escuro buraco em que nos meteram. Publicado hoje na edição impressa da Folha
Comentar
Compartilhe