Uenf e Fundenor têm que devolver 700 mil a Petrobras
25/04/2014 | 13h14
Nem só a greve e as manifestações estão tirando o sono da cúpula da Uenf. Segundo reportagem do Jornal do Brasil, a Petrobras está pedindo a devolução de 700 mil reais a Uenf relativos a aquisição de um equipamento no valor de 500 mil dólares australianos (em torno de R$ 1 milhão), cujo o recibo teria sido de apenas de 100 mil dólares australianos. A importação foi realizada através de uma empresa de Macaé, mas a Uenf e a Fundenor, também envolvida com a compra, não se entendem sobre quem deveria pagar a diferença para a Petrobras, que destinou os recursos para a universidade. Em nota, a Uenf confirmou que há convênio entre a universidade, a Fundenor e a Petrobras, para a montagem de um laboratório de modelagem de poços de águas profundas. Assim, havia a previsão para a importação de um equipamento inovador, adquirido de uma universidade australiana, a Curtin University. "Esta universidade, por não ser uma empresa acostumada a realizar exportações, errou ao emitir a papelada que acompanhou o equipamento. Ironicamente, a nota também informa que a Receita Federal detectou o problema na liberação pela alfândega brasileira - "mas concluiu que não houve a intenção de sub-faturamento, que poderia constituir crime, mas aplicou uma multa no valor de R$ 242.162,05 a título de improbidade, tendo liberado o equipamento", esclarece o comunicado da universidade. E improbidade pode?  
Comentar
Compartilhe
Reconhecimento
25/04/2014 | 12h49
Nós sugerimos nessa coluna que fosse instituído o Dia da Guerreira no dia 15 de abril, aniversário de Fátima Castro, guerreira na luta pela assistência aos portadores de HIV no município. Pois nem precisou de iniciativa oficial. Espontaneamente, o que tem muito mais valor, os amigos, admiradores e fãs de Fátima se desdobraram em homenagens no dia 15. Foram mais de 2.000 mensagens via Face, celular e e-mail, que ela, emocionada, fez questão de ler uma a uma. Ela merece.
Comentar
Compartilhe
Nada santa
22/04/2014 | 12h16
A Semana não foi tão Santa assim em Campos. Assaltos, sequestro, menina refém, acidentes, temporal, alagamentos, protestos etc...
Comentar
Compartilhe
A estabacada de Linda Mara em vídeo
13/04/2014 | 02h17
Confira a estabacada de Linda Mara no Plenário da Câmara Municipal de Campos. O que faz um salto alto... [caption id="attachment_5076" align="aligncenter" width="636" caption="Clique na foto para assistir ao vídeo"][/caption]
Comentar
Compartilhe
Estabacou-se
11/04/2014 | 13h33
Na última terça-feira, uma roliça e deslumbrada vereadora estabacou-se no chão do plenário antes do discurso, numa cena que, de linda, não teve nada. Ou tudo... Fingindo que não perdeu o rebolado, ao levantar-se ela disparou: “Caí, mas foi sem querer. Meu sapato é chic. Eu não compro em dez vezes não...”. Como disse Cláudio Andrade “há quedas e Quedas”. Essa aí, não foi nada...
Comentar
Compartilhe
Alagamentos em Campos. Prejuízos x Providências. Antes tarde do que nunca
04/04/2014 | 17h29
[caption id="attachment_5054" align="aligncenter" width="756" caption="Depois de mais uma noite embaixo d'água comerciantes da Pelinca viram alguma reação do governo municipal"][/caption] Após incalculáveis prejuízos ao comércio, e incômodos e prejuízos à população de Campos com lojas, carros e casas invadidas pelas águas, transtornos no trajeto entre a casa e o trabalho, finalmente uma reação do poder público. Mas o antigo adágio de se colocar cadeado depois da porta arrombada cai como uma luva para as providências tomadas pela prefeitura só após três seguidos grandes alagamentos provocados pelas fortes chuvas que têm atingido a cidade. [caption id="attachment_5055" align="aligncenter" width="756" caption="Antigos moradores dizem nunca ter visto uma limpeza das bocas de lobo"][/caption] Apenas nessa sexta-feira, equipes da empreiteira Hidrolumen foram acionadas para limpeza emergencial em bueiros e bocas de lobo. A equipe do blog acompanhou de perto os trabalhos na área da nobre Pelinca, onde os prejuízos se avolumaram com estabelecimentos comerciais como farmácias, restaurantes e outros sendo invadidos pelas águas e outros impedidos de funcionar simplesmente pela impossibilidade de trânsito de clientes e funcionários. Moradores de ruas das imediações da Pelinca foram surpreendidos pelos trabalhos, já que os residentes mais antigos afirmam que esse tipo de limpeza de bocas de lobo nunca antes havia sido realizado nas ruas transversais e paralelas à Pelinca. Apesar da grande revolta com os prejuízos, eles torcem que essas providências pelo menos atenuem os efeitos das chuvas. [caption id="attachment_5056" align="aligncenter" width="756" caption="O que se viu entupindo as bocas de lobo foi lama negra"][/caption] Antes que a sujeira nos bueiros e bocas de lobo sejam creditadas unicamente à população, nossa equipe constatou e fotografou (confira) os trabalhos, onde o material mais retirado foi lama negra das caixas de passagem. O que mostra que a falta de manutenção e de obras são as maiores culpadas pelos grandes transtornos causados. Mas, apesar de tudo, como diz outro velho adágio: “Antes tarde do que nunca”...
Comentar
Compartilhe
Legal mesmo é trabalhar
03/04/2014 | 17h47
Ilegal Esse negócio de flanelinha extorquindo proprietários de veículos é totalmente ilegal. Legal mesmo é trabalhar. E há vagas sobrando... Ilegal II Sei que a sugestão é ingênua. Trabalhar cansa, traz responsabilidades etc... “Tomar” conta de carros (contra eles mesmos) é a maior moleza. Não precisa fazer nada além de falar grosso e estender a mão. Isso só vai acabar quando as autoridades fizerem o que devem fazer: coibir o abuso e enquadrar quem infringe a lei.  
Comentar
Compartilhe
O fim da linha
02/04/2014 | 16h21
Se a primeira impressão é a que fica, o terminal rodoviário do Shopping Estrada deixa Campos mal na fita. Não está a altura da cidade. Aliás, está muito mais embaixo. No buraco mesmo...
Comentar
Compartilhe
Extorsão na Pelinca
01/04/2014 | 13h43
O preço da extorsão para estacionar carros nas vagas públicas na noite da Pelinca foi majorado pelos “flanelinhas”. Os “cinco real”, agora são “dez real”. E pagos adiantados. Coitado do carro de quem não pagar...
Comentar
Compartilhe