O último suspiro da Fenorte
29/01/2014 | 03h26
A Fenorte está dando o seu último suspiro. Fontes palacianas deixaram transpirar que o governador Sérgio Cabral deverá assinar a sua extinção atendendo a projeto de lei do deputado Comte Bitencourt. Cerca de 40 cargos gratificados ficam de fora do jogo político. Os funcionários fundação deverão ser absorvidos pela Uenf.
Comentar
Compartilhe
Reitor da Uenf veste a carapuça e ameaça processar professores
13/01/2014 | 05h18
Em resposta ao manifesto em defesa da Uenf, divulgado por um grande grupo de docentes da universidade, e a cada dia com novas adesões, o reitor Silvério Paiva enviou carta aos signatários do documento, infantilmente, solicitando confirmação da autoria do manifesto e explicação das supostas acusações, antecipando que elas seriam “indispensáveis para os procedimentos administrativos e, eventualmente, judiciais”. Ou seja, ele quer os professores produzam provas contra si mesmos, o que fere o princípio "nemo tenetur se detegere" (o direito de não produzir prova contra si mesmo) consagrado pela Constituição. Além de vestir a carapuça, ele está, antidemocraticamente, ameaçando seus colegas, quando deveria, ele próprio, promover a transparência dando todas as explicações necessárias sobre as eventuais dúvidas que pairem sobre a sua administração. Leia abaixo a carta do Reitor Paiva a todos os professores da Uenf que assinaram o manifesto.
Comentar
Compartilhe
Justiça 2X0 Autopista Fluminense
27/01/2014 | 01h13
Com mais uma decisão favorável no TJ/RJ, a Justiça de Campos está dando de 2x0 na Autopista Fluminense. Como uma goleada, quem ganha somos todos nós...
Comentar
Compartilhe
Tensão na Faculdade de Medicina de Campos
09/01/2014 | 04h19
O clima anda bastante tenso na tradicional Faculdade de Medicina de Campos. Segundo fontes internas, o passivo de mais de 30 milhões do Hospital Escola Álvaro Alvin esgotou as reservas da FMC, com quem divide o mesmo CNPJ da Fundação Benedito Pereira Nunes. Para enfrentar o problema, foi contratada uma consultoria que indicou que cerca de 20 ações de redução de custos deveriam ser tomadas, entre elas um pacote de demissões, que incluiu 12 professores, dos 200 do corpo docente, um deles ex-diretor, e alguns catedráticos, o que levou a protestos de médicos e ex-professores nas redes sociais. Ouvido por esse blog, o diretor da FMC, Dr. Nélio Artiles, declarou que o critério utilizado foi exclusivamente o de organização pedagógica e que a soma de todas as medidas tomadas está gerando uma economia de cerca de 300 mil mensais para a instituição. Segundo ele, a FMC vai muito bem, com um saldo positivo de 3,5 milhões mensais, mas sofre com um saldo negativo de 5 milhões mensais do Álvaro Alvin. Mas, apesar de tudo, a FMC recebeu nota 4 (de 5) no Enade, a nota máxima recebida pelas melhores instituições particulares.
Comentar
Compartilhe
Contramão
24/01/2014 | 04h05
Enquanto a sociedade e as autoridades se mobilizam para manter o nível de ruídos em um patamar civilizado nesse mar de barulhos em que vivemos, o Campos Shopping está na contramão, com caixas de som berrando publicidades em alto volume em seus corredores. Nada que não se resolva com um pouco de bom senso e um bom puxão de orelhas...
Comentar
Compartilhe
Ministério Público vê ilegalidade nos reboques da Pátio Norte
11/01/2014 | 02h21
Parabéns ao advogado Cléber Tinoco pelo parecer favorável do MP na ação popular em que questiona a legalidade dos serviços de reboque e cobranças de taxas pela Pátio Norte. Se o Juízo da 5ª Vara Cível acolher o parecer, além de poder suspender as atividades de reboque, milhares de proprietários de veículos poderão reclamar a devolução das taxas pagas, sem falar nas indenizações daqueles que tiveram seus veículos leiloados. O pepino é grande e roliço. A notícia foi dada em primeira mão pelo blog do José Paes, na Folha Online.
Comentar
Compartilhe
Tensão na Faculdade de Medicina de Campos
09/01/2014 | 04h19
O clima anda bastante tenso na tradicional Faculdade de Medicina de Campos. Segundo fontes internas, o passivo de mais de 30 milhões do Hospital Escola Álvaro Alvin esgotou as reservas da FMC, com quem divide o mesmo CNPJ da Fundação Benedito Pereira Nunes. Para enfrentar o problema, foi contratada uma consultoria que indicou que cerca de 20 ações de redução de custos deveriam ser tomadas, entre elas um pacote de demissões, que incluiu 12 professores, dos 200 do corpo docente, um deles ex-diretor, e alguns catedráticos, o que levou a protestos de médicos e ex-professores nas redes sociais. Ouvido por esse blog, o diretor da FMC, Dr. Nélio Artiles, declarou que o critério utilizado foi exclusivamente o de organização pedagógica e que a soma de todas as medidas tomadas está gerando uma economia de cerca de 300 mil mensais para a instituição. Segundo ele, a FMC vai muito bem, com um saldo positivo de 3,5 milhões mensais, mas sofre com um saldo negativo de 5 milhões mensais do Álvaro Alvin. Mas, apesar de tudo, a FMC recebeu nota 4 (de 5) no Enade, a nota máxima recebida pelas melhores instituições particulares.
Comentar
Compartilhe
Quem volta depois da festa?
10/01/2014 | 01h31
O Ministério Público Estadual inaugurou a sua primeira sede em São João da Barra. Vale a pena guardar as fotos da cerimônia para, no futuro, conferir quantos dos políticos presentes retornaram ao órgão com status bem diferente do de convidados...
Comentar
Compartilhe
Ministério Público vê ilegalidade nos reboques da Pátio Norte
11/01/2014 | 02h21
Parabéns ao advogado Cléber Tinoco pelo parecer favorável do MP na ação popular em que questiona a legalidade dos serviços de reboque e cobranças de taxas pela Pátio Norte. Se o Juízo da 5ª Vara Cível acolher o parecer, além de poder suspender as atividades de reboque, milhares de proprietários de veículos poderão reclamar a devolução das taxas pagas, sem falar nas indenizações daqueles que tiveram seus veículos leiloados. O pepino é grande e roliço. A notícia foi dada em primeira mão pelo blog do José Paes, na Folha Online.
Comentar
Compartilhe
Apagando o respeito
10/01/2014 | 01h27
A Ampla ultrapassou em mais de 40% o limite permitido pela Aneel de horas de falta de luz. E sabe o que vai acontecer com ela? Nada... A impunidade nesse país não é só na área criminal ou política.
Comentar
Compartilhe
Direção da Uenf é acusada de destruí-la e envergonhar comunidade acadêmica
08/01/2014 | 04h59
    Em manifesto divulgado ontem, assinado por dezenas de professores Doutores da Uenf, a direção da universidade é acusada de destruir os pilares da instituição, demolindo o modelo implantado por Darcy Ribeiro. No documento, os docentes lembra que a reitoria responde a graves denúncias por uso indevido de verbas públicas, nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Leia abaixo o manifesto na íntegra e confira a a extensa lista dos professores que assinaram até ontem. A cada hora a lista vem recebendo adesões e crescendo em ritmo acelerado.   Manifesto em Defesa da Universidade Estadual do Norte Fluminense – Darcy Ribeiro (UENF) A UENF vem sendo destruída por um grupo que parece mais interessado em se perpetuar no poder do que gerir corretamente a instituição. Recente matéria jornalística veiculando uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro acerca de graves denúncias de “usos indevidos de verbas públicas” (27/10/13, JB online[1]), veio juntar-se a denúncias anteriores sobre nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Tudo isso macula a trajetória de 20 anos da nossa Universidade, eclipsa suas memoráveis conquistas na pesquisa científica e na formação de novos quadros profissionais, constrangendo e envergonhando a comunidade acadêmica. Este ambiente de destruição implantou-se apenas nos últimos seis anos, nas duas últimas administrações; nunca antes houvera nem mesmo suspeitas de posturas tão nocivas. O modelo sob o qual a UENF foi criada, guiado pelos ideais da modernidade, da inovação e da originalidade, encontra-se ameaçado por ações que nos lançam num clima de extrema instabilidade. A história de sucesso da UENF deve-se principalmente ao fato da instituição ter permanecido com 100% do seu corpo docente com doutorado, trabalhando em regime de Dedicação Exclusiva, além de um corpo técnico altamente qualificado, com formação e especialização (mestrado, doutorado ou experiência acadêmica compatível). Essa história está prestes a perder o rumo porque os Colegiados da UENF deixaram de cumprir suas funções estatutárias. Recentemente, em uma única sessão do Conselho Universitário, sem a devida instrução processual, a Reitoria impôs a aprovação do fim desse modelo vitorioso, instituindo um desnecessário regime de 20 horas para professores associados e titulares que desobedece a vontade da maioria. Essa ação afronta os protocolos regimentais e compromete o futuro da instituição, ao precarizar as relações de trabalho sem qualquer debate prévio no seio da comunidade acadêmica. A essa investida contra o modelo pensado por Darcy Ribeiro somam-se outros desmandos da administração superior. O exemplo do Colegiado Executivo (COLEX) é dos mais graves. Embora o COLEX, pelo Regimento Geral, deva funcionar apenas como um órgão estritamente operacional e não deliberativo, vem extrapolando suas funções regimentais, ignorando e ultrapassando as decisões dos Colegiados Superiores, tais como o Conselho Universitário e o Colegiado Acadêmico – principais instâncias responsáveis por decidir e deliberar sobre assuntos acadêmicos e administrativos. O COLEX tem interferido diretamente na submissão e na aceitação de projetos de pesquisa, além de centralizar os recursos financeiros e ocupar ao seu bel prazer o espaço interno da instituição, sem qualquer transparência para a comunidade. A atual administração da UENF prima pela falta de transparência na aplicação dos recursos financeiros, pratica uma política de cooptação clientelista que não valoriza o mérito acadêmico, privilegia o crescimento desordenado e sem critérios racionais, promove regalias administrativas para os “alinhados”, acabando por reproduzir, enfim, os mesmos métodos políticos de que o Brasil quer definitivamente se ver livre. É necessário manifestar-nos contra esta nova edição de populismo que vem destruindo a nossa Universidade. BASTA de sermos cúmplices pelo silêncio. A UENF não pode permanecer nas mãos de um grupo que a está levando à ruína. A UENF é de todos nós! A hora de defender a UENF é agora! Campos dos Goytacazes, 07 de Janeiro de 2014. DOCENTES DA UENF QUE ASSINAM ESTE MANIFESTO: Carlos Eduardo Rezende,LCA/CBB/UENF José Arica, LEPROD/CCT/UENF Paula Mousinho Martins, LCL/CCH/UENF Telma N.S. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Álvaro Ramon C. Ovalle, LCA/CBB/UENF Ana Maria S. de Senna, LCMAT/CCT/UENF Ana Paula Madeira Di Beneditto, LCA/CBB/UENF Arlete Parrilha Sendra, LCL/CCH/UENF Ausberto Castro Vera, LCMAT/CCT/UENF Carlos Eduardo V. Carvalho, LCA/CBB/UENF Carlos Eduardo B. da Silva, LEEL/CCH/UENF Carlos Eduardo N. Gatts, LCFIS/CCT/UENF Cristina Maria M. Souza, LCA/CBB/UENF Denise Ribeiro dos Santos, LCFIS/CCT/UENF Dora Vilela José, LCA/CBB/UENF Elba O. Bravo Asenjo, LCMAT/CCT/UENF Fábio L. Olivares, LBCT/CBB/UENF Fermín A.Tang, LCMAT/CCT/UENF Fernando Luna de Oliveira, LCQUI/CCT/UENF Geraldo Galdino, LEPROD/CCT/UENF Geraldo Timóteo, LEEA/CCH/UENF Giovane do Nascimento, LEEL/CCH/UENF Gudélia Morales de Arica, LEPROD/CCT/UENF Gustavo L. Rezende, LQFPP/CBB/UENF Jorge H. Fernandez, LQFPP/CBB/UENF Juraci Aparecido Sampaio, LCFIS/CCT/UENF Leandro Rabello Monteiro, LCA/CBB/UENF Leonardo Rogério Miguel, LCL/CCH/UENF Liliana A. León Mescua, LCMAT/CCT/UENF Luciane Soares da Silva, LESCE/CCH/UENF Luís Passoni, LCQUI/CCT/UENF Magali Hoffmann, LEF/CCTA/UENF Marcelo C. Gantos, LEEA/CCH/UENF Marcelo Shoey de O. Massunaga, LCFIS/CCT/UENF Marcelo T. do Nascimento, LCA/CBB/UENF Marcos A. Pedlowski, LEEA/CCH/UENF Maria Clareth G. Reis, LEEL/CCH/UENF Maria Cristina Canela, LCQUI/CCT/UENF Maria Cristina Gaglianone, LCA/CBB/UENF Maria Priscila Pessanha de Castro, LCFIS/CCT/UENF Maria Raquel Garcia Vega, LCQUI/CCT/UENF Marília Paixão Linhares, LCFIS/CCT/UENF Marina S. Suzuki, LCA/CBB/UENF Messias G. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Niraldo J. Ponciano, LEAG/CCTA/UENF Paulo César Beggio, LCMAT/CCT/UENF Paulo Marcelo de Souza, LEAG/CCTA/UENF Renata Maldonado da Silva, LEEL/CCH/UENF Roberto Weider de Assis Franco, LCFIS/CCT/UENF Rosana Rodrigues, LMGV/CCTA/UENF Sérgio Luis Cardoso, LCQUI/CCT/UENF Silvia A. Martinez, LEEL/CCH/UENF Simonne Teixeira, LEEA/CCH/UENF Teresa Peixoto Faria, LEEA/CCH/UENF Thiago Venâncio, LQFPP/CBB/UENF Vitor Peixoto, LESCE/CCH/UENF Yrma R. Huaroto, LCMAT/CCT/UENF
Comentar
Compartilhe
Nem amando muito...
13/01/2014 | 02h26
Para quem ama Atafona, mar azul não faz falta, restaurante de alto nível não faz falta, comércio bom não faz falta etc... Só não pode faltar água e energia elétrica. Mas aí ferrou, pois com a Ampla e a Cedae não dá para ser feliz. Nem amando muito...
Comentar
Compartilhe
Justiça 2X0 Autopista Fluminense
27/01/2014 | 01h13
Com mais uma decisão favorável no TJ/RJ, a Justiça de Campos está dando de 2x0 na Autopista Fluminense. Como uma goleada, quem ganha somos todos nós...
Comentar
Compartilhe
Votos na areia
25/01/2014 | 12h24
Proprietário de uma área belíssima, com mata e cachoeiras, no Imbé, noite dessas Admardinho Peixoto me questionava: - Porque se gasta tanto com shows de verão no Farol e nada com o turismo ecológico e saudável que pode ser feito durante o ano todo? - A resposta é lógica e simples meu amigo, a massa de eleitores, o povão, está na areia...
Comentar
Compartilhe
Ignorando os réus do 5º Distrito
13/01/2014 | 02h21
Seis das sete novas desapropriações no 5º Distrito de São João da Barra, onde todo mundo se conhece, são de “Réu Ignorado”. Parece estranho. E é...
Comentar
Compartilhe
Votos na areia
25/01/2014 | 12h24
Proprietário de uma área belíssima, com mata e cachoeiras, no Imbé, noite dessas Admardinho Peixoto me questionava: - Porque se gasta tanto com shows de verão no Farol e nada com o turismo ecológico e saudável que pode ser feito durante o ano todo? - A resposta é lógica e simples meu amigo, a massa de eleitores, o povão, está na areia...
Comentar
Compartilhe
Apagando o respeito
10/01/2014 | 01h27
A Ampla ultrapassou em mais de 40% o limite permitido pela Aneel de horas de falta de luz. E sabe o que vai acontecer com ela? Nada... A impunidade nesse país não é só na área criminal ou política.
Comentar
Compartilhe
Engenharia política sanjoanense
29/01/2014 | 05h31
Engenharia política I O poder político em São João da Barra está dividido, porém equilibrado. Neco e Carla Machado juntos tinham 70% do eleitorado, divididos, um com nome forte, outro com a “caneta” na mão, cada um deverá ficar com 35%. Por fora corre Betinho Dauaire, um nome a ser respeitado. Mas ainda deve correr muita água debaixo da ponte, a atual conjunção está propícia ao surgimento de novos nomes. Engenharia política II Como seria uma reeleição de Neco sem Carla ou contra Carla, que tem grandes chances de se eleger deputada com 35 mil votos e depois voltar a disputar a prefeitura de São João da Barra na cômoda posição de não estar com o mandato em risco? O cenário é só de incertezas.
Comentar
Compartilhe
Turismo a seco em Grussaí e Atafona
06/01/2014 | 03h13
Se em São João da Barra arrependimento matasse, mataria de sede. Por falta de pressão no sistema de abastecimento a Cedae não está conseguindo fazer a água subir até às caixas d’água de Atafona, em plena temporada de veraneio, auge da safra da maior indústria do município, o turismo. O detalhe é que na época da privatização dos serviços em Campos, Carla Machado, então prefeita, atendendo a um pedido político do governador Sérgio Cabral, insistiu em manter a Cedae. Deu no que está dando...
Comentar
Compartilhe
Quem volta depois da festa?
10/01/2014 | 01h31
O Ministério Público Estadual inaugurou a sua primeira sede em São João da Barra. Vale a pena guardar as fotos da cerimônia para, no futuro, conferir quantos dos políticos presentes retornaram ao órgão com status bem diferente do de convidados...
Comentar
Compartilhe
Otimismo no Porto do Açu
14/01/2014 | 02h59
Otimismo I Depois da decepção com Eike e a assunção da EIG no Porto do Açu, paira no ar um otimismo reprimido pela cautela. Otimismo II Mas, veja só o que está no site da EIG Global Energy Partners: “Nós já investimos cerca de US $ 500 milhões para completar o desenvolvimento do projeto do Superporto do Açu, no Brasil, uma peça-chave da infraestrutura de energia relacionada com o desenvolvimento e comercialização de enormes reservas de petróleo offshore do Brasil”. Ou seja, nada dos mirabolantes planos de Eike. A EIG está com os pés no chão e os olhos no pré sal. Otimismo III Para mostrar que os americanos sabem muito bem onde pisam. Esta semana a Petrobras divulgou que todos os poços exploratórios do pré-sal perfurados em 2013 acusaram presença de petróleo e gás.
Comentar
Compartilhe
O último suspiro da Fenorte
29/01/2014 | 03h26
A Fenorte está dando o seu último suspiro. Fontes palacianas deixaram transpirar que o governador Sérgio Cabral deverá assinar a sua extinção atendendo a projeto de lei do deputado Comte Bitencourt. Cerca de 40 cargos gratificados ficam de fora do jogo político. Os funcionários fundação deverão ser absorvidos pela Uenf.
Comentar
Compartilhe
Reitor da Uenf veste a carapuça e ameaça processar professores
13/01/2014 | 05h18
Em resposta ao manifesto em defesa da Uenf, divulgado por um grande grupo de docentes da universidade, e a cada dia com novas adesões, o reitor Silvério Paiva enviou carta aos signatários do documento, infantilmente, solicitando confirmação da autoria do manifesto e explicação das supostas acusações, antecipando que elas seriam “indispensáveis para os procedimentos administrativos e, eventualmente, judiciais”. Ou seja, ele quer os professores produzam provas contra si mesmos, o que fere o princípio "nemo tenetur se detegere" (o direito de não produzir prova contra si mesmo) consagrado pela Constituição. Além de vestir a carapuça, ele está, antidemocraticamente, ameaçando seus colegas, quando deveria, ele próprio, promover a transparência dando todas as explicações necessárias sobre as eventuais dúvidas que pairem sobre a sua administração. Leia abaixo a carta do Reitor Paiva a todos os professores da Uenf que assinaram o manifesto.
Comentar
Compartilhe
Engenharia política sanjoanense
29/01/2014 | 05h31
Engenharia política I O poder político em São João da Barra está dividido, porém equilibrado. Neco e Carla Machado juntos tinham 70% do eleitorado, divididos, um com nome forte, outro com a “caneta” na mão, cada um deverá ficar com 35%. Por fora corre Betinho Dauaire, um nome a ser respeitado. Mas ainda deve correr muita água debaixo da ponte, a atual conjunção está propícia ao surgimento de novos nomes. Engenharia política II Como seria uma reeleição de Neco sem Carla ou contra Carla, que tem grandes chances de se eleger deputada com 35 mil votos e depois voltar a disputar a prefeitura de São João da Barra na cômoda posição de não estar com o mandato em risco? O cenário é só de incertezas.
Comentar
Compartilhe
Direção da Uenf é acusada de destruí-la e envergonhar comunidade acadêmica
08/01/2014 | 04h59
    Em manifesto divulgado ontem, assinado por dezenas de professores Doutores da Uenf, a direção da universidade é acusada de destruir os pilares da instituição, demolindo o modelo implantado por Darcy Ribeiro. No documento, os docentes lembra que a reitoria responde a graves denúncias por uso indevido de verbas públicas, nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Leia abaixo o manifesto na íntegra e confira a a extensa lista dos professores que assinaram até ontem. A cada hora a lista vem recebendo adesões e crescendo em ritmo acelerado.   Manifesto em Defesa da Universidade Estadual do Norte Fluminense – Darcy Ribeiro (UENF) A UENF vem sendo destruída por um grupo que parece mais interessado em se perpetuar no poder do que gerir corretamente a instituição. Recente matéria jornalística veiculando uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro acerca de graves denúncias de “usos indevidos de verbas públicas” (27/10/13, JB online[1]), veio juntar-se a denúncias anteriores sobre nepotismo, aquisições obscuras de equipamentos e obras milionárias inacabadas no Campus. Tudo isso macula a trajetória de 20 anos da nossa Universidade, eclipsa suas memoráveis conquistas na pesquisa científica e na formação de novos quadros profissionais, constrangendo e envergonhando a comunidade acadêmica. Este ambiente de destruição implantou-se apenas nos últimos seis anos, nas duas últimas administrações; nunca antes houvera nem mesmo suspeitas de posturas tão nocivas. O modelo sob o qual a UENF foi criada, guiado pelos ideais da modernidade, da inovação e da originalidade, encontra-se ameaçado por ações que nos lançam num clima de extrema instabilidade. A história de sucesso da UENF deve-se principalmente ao fato da instituição ter permanecido com 100% do seu corpo docente com doutorado, trabalhando em regime de Dedicação Exclusiva, além de um corpo técnico altamente qualificado, com formação e especialização (mestrado, doutorado ou experiência acadêmica compatível). Essa história está prestes a perder o rumo porque os Colegiados da UENF deixaram de cumprir suas funções estatutárias. Recentemente, em uma única sessão do Conselho Universitário, sem a devida instrução processual, a Reitoria impôs a aprovação do fim desse modelo vitorioso, instituindo um desnecessário regime de 20 horas para professores associados e titulares que desobedece a vontade da maioria. Essa ação afronta os protocolos regimentais e compromete o futuro da instituição, ao precarizar as relações de trabalho sem qualquer debate prévio no seio da comunidade acadêmica. A essa investida contra o modelo pensado por Darcy Ribeiro somam-se outros desmandos da administração superior. O exemplo do Colegiado Executivo (COLEX) é dos mais graves. Embora o COLEX, pelo Regimento Geral, deva funcionar apenas como um órgão estritamente operacional e não deliberativo, vem extrapolando suas funções regimentais, ignorando e ultrapassando as decisões dos Colegiados Superiores, tais como o Conselho Universitário e o Colegiado Acadêmico – principais instâncias responsáveis por decidir e deliberar sobre assuntos acadêmicos e administrativos. O COLEX tem interferido diretamente na submissão e na aceitação de projetos de pesquisa, além de centralizar os recursos financeiros e ocupar ao seu bel prazer o espaço interno da instituição, sem qualquer transparência para a comunidade. A atual administração da UENF prima pela falta de transparência na aplicação dos recursos financeiros, pratica uma política de cooptação clientelista que não valoriza o mérito acadêmico, privilegia o crescimento desordenado e sem critérios racionais, promove regalias administrativas para os “alinhados”, acabando por reproduzir, enfim, os mesmos métodos políticos de que o Brasil quer definitivamente se ver livre. É necessário manifestar-nos contra esta nova edição de populismo que vem destruindo a nossa Universidade. BASTA de sermos cúmplices pelo silêncio. A UENF não pode permanecer nas mãos de um grupo que a está levando à ruína. A UENF é de todos nós! A hora de defender a UENF é agora! Campos dos Goytacazes, 07 de Janeiro de 2014. DOCENTES DA UENF QUE ASSINAM ESTE MANIFESTO: Carlos Eduardo Rezende,LCA/CBB/UENF José Arica, LEPROD/CCT/UENF Paula Mousinho Martins, LCL/CCH/UENF Telma N.S. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Álvaro Ramon C. Ovalle, LCA/CBB/UENF Ana Maria S. de Senna, LCMAT/CCT/UENF Ana Paula Madeira Di Beneditto, LCA/CBB/UENF Arlete Parrilha Sendra, LCL/CCH/UENF Ausberto Castro Vera, LCMAT/CCT/UENF Carlos Eduardo V. Carvalho, LCA/CBB/UENF Carlos Eduardo B. da Silva, LEEL/CCH/UENF Carlos Eduardo N. Gatts, LCFIS/CCT/UENF Cristina Maria M. Souza, LCA/CBB/UENF Denise Ribeiro dos Santos, LCFIS/CCT/UENF Dora Vilela José, LCA/CBB/UENF Elba O. Bravo Asenjo, LCMAT/CCT/UENF Fábio L. Olivares, LBCT/CBB/UENF Fermín A.Tang, LCMAT/CCT/UENF Fernando Luna de Oliveira, LCQUI/CCT/UENF Geraldo Galdino, LEPROD/CCT/UENF Geraldo Timóteo, LEEA/CCH/UENF Giovane do Nascimento, LEEL/CCH/UENF Gudélia Morales de Arica, LEPROD/CCT/UENF Gustavo L. Rezende, LQFPP/CBB/UENF Jorge H. Fernandez, LQFPP/CBB/UENF Juraci Aparecido Sampaio, LCFIS/CCT/UENF Leandro Rabello Monteiro, LCA/CBB/UENF Leonardo Rogério Miguel, LCL/CCH/UENF Liliana A. León Mescua, LCMAT/CCT/UENF Luciane Soares da Silva, LESCE/CCH/UENF Luís Passoni, LCQUI/CCT/UENF Magali Hoffmann, LEF/CCTA/UENF Marcelo C. Gantos, LEEA/CCH/UENF Marcelo Shoey de O. Massunaga, LCFIS/CCT/UENF Marcelo T. do Nascimento, LCA/CBB/UENF Marcos A. Pedlowski, LEEA/CCH/UENF Maria Clareth G. Reis, LEEL/CCH/UENF Maria Cristina Canela, LCQUI/CCT/UENF Maria Cristina Gaglianone, LCA/CBB/UENF Maria Priscila Pessanha de Castro, LCFIS/CCT/UENF Maria Raquel Garcia Vega, LCQUI/CCT/UENF Marília Paixão Linhares, LCFIS/CCT/UENF Marina S. Suzuki, LCA/CBB/UENF Messias G. Pereira, LMGV/CCTA/UENF Niraldo J. Ponciano, LEAG/CCTA/UENF Paulo César Beggio, LCMAT/CCT/UENF Paulo Marcelo de Souza, LEAG/CCTA/UENF Renata Maldonado da Silva, LEEL/CCH/UENF Roberto Weider de Assis Franco, LCFIS/CCT/UENF Rosana Rodrigues, LMGV/CCTA/UENF Sérgio Luis Cardoso, LCQUI/CCT/UENF Silvia A. Martinez, LEEL/CCH/UENF Simonne Teixeira, LEEA/CCH/UENF Teresa Peixoto Faria, LEEA/CCH/UENF Thiago Venâncio, LQFPP/CBB/UENF Vitor Peixoto, LESCE/CCH/UENF Yrma R. Huaroto, LCMAT/CCT/UENF
Comentar
Compartilhe
Ignorando os réus do 5º Distrito
13/01/2014 | 02h21
Seis das sete novas desapropriações no 5º Distrito de São João da Barra, onde todo mundo se conhece, são de “Réu Ignorado”. Parece estranho. E é...
Comentar
Compartilhe
Otimismo no Porto do Açu
14/01/2014 | 02h59
Otimismo I Depois da decepção com Eike e a assunção da EIG no Porto do Açu, paira no ar um otimismo reprimido pela cautela. Otimismo II Mas, veja só o que está no site da EIG Global Energy Partners: “Nós já investimos cerca de US $ 500 milhões para completar o desenvolvimento do projeto do Superporto do Açu, no Brasil, uma peça-chave da infraestrutura de energia relacionada com o desenvolvimento e comercialização de enormes reservas de petróleo offshore do Brasil”. Ou seja, nada dos mirabolantes planos de Eike. A EIG está com os pés no chão e os olhos no pré sal. Otimismo III Para mostrar que os americanos sabem muito bem onde pisam. Esta semana a Petrobras divulgou que todos os poços exploratórios do pré-sal perfurados em 2013 acusaram presença de petróleo e gás.
Comentar
Compartilhe
Turismo a seco em Grussaí e Atafona
06/01/2014 | 03h13
Se em São João da Barra arrependimento matasse, mataria de sede. Por falta de pressão no sistema de abastecimento a Cedae não está conseguindo fazer a água subir até às caixas d’água de Atafona, em plena temporada de veraneio, auge da safra da maior indústria do município, o turismo. O detalhe é que na época da privatização dos serviços em Campos, Carla Machado, então prefeita, atendendo a um pedido político do governador Sérgio Cabral, insistiu em manter a Cedae. Deu no que está dando...
Comentar
Compartilhe
Nem amando muito...
13/01/2014 | 02h26
Para quem ama Atafona, mar azul não faz falta, restaurante de alto nível não faz falta, comércio bom não faz falta etc... Só não pode faltar água e energia elétrica. Mas aí ferrou, pois com a Ampla e a Cedae não dá para ser feliz. Nem amando muito...
Comentar
Compartilhe
Contramão
24/01/2014 | 04h05
Enquanto a sociedade e as autoridades se mobilizam para manter o nível de ruídos em um patamar civilizado nesse mar de barulhos em que vivemos, o Campos Shopping está na contramão, com caixas de som berrando publicidades em alto volume em seus corredores. Nada que não se resolva com um pouco de bom senso e um bom puxão de orelhas...
Comentar
Compartilhe