Fazenda Pública decreta revelia de Cabral, que terá que devolver 66 milhões aos cofres públicos
30/11/2011 | 13h08
Na segunda-feira, foi publicada a decisão da 9ª Vara de Fazenda Pública decretou a revelia do Governador Sérgio Cabral no processo 0042773-09.2010.8.19.0001, gerado pela Ação Popular movida pelo advogado campista Jamilton Damasceno, que denunciou o excesso de gastos com publicidade. Para essa verba, o teto regulamentado é a média dos últimos três anos, que girou em torno de 84 milhões de reais, mas, em 2010, o Governo Estadual determinou que ela fosse de 180 milhões de reais, total que, após o ajuizamento da Ação, foi reajustado pelo Governo do Estado para 150 milhões de reais. Mesmo assim, permaneceu uma diferença de 66 milhões de reais além do permitido. Revelia leva à condenação A decisão da 9ª Vara de Fazenda Pública coloca o governado Sérgio Cabral em situação bastante melindrosa. Pois, mesmo tendo sido regularmente citado, ele não contestou a Ação e o instituto da revelia no Código Processual Civil (artigos 319 e 322) estabelece: “Dois são os efeitos da revelia: a presunção de veracidade dos fatos afirmados pelo autor e a dispensa de intimação dos atos processuais, correndo os prazos sem a sua comunicação formal, inclusive sentença”. Ou seja, a revelia decretada deverá importar na condenação do Governador na obrigação de devolver 66 milhões de reais aos cofres públicos. Revelia terá implicações em Ação de Investigação Eleitoral, no TSE Mas a decretação da revelia ainda irá gerar outros efeitos colaterais graves. Como uma das alegações na Ação Popular é que os 150 milhões em publicidade foram gastos em pleno período eleitoral, a decisão da revelia, que dá presunção de veracidade aos fatos alegados, será juntada ao Recurso Ordinário na Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 688632.2010.619.0000, que já tramita contra ele no TSE. Confira a decisão: Data de Publicação 28/11/2011 Jornal: Diário da Justiça do Rio de Janeiro Tribunal: Varas de Fazenda Pública . Caderno: CAD3 - Capital Vara: 9ª Vara de Fazenda Pública. Título: Ação Popular – Lei 4717/65. Número do processo: 0042773-09.2010.8.19.0001 Página: 00361 Expediente do dia: 25/11/2011 Proc. 0042773-09.2010.8.19.0001 - JAMILTON MORAES DAMASCENO (Adv(s). Dr(a). JAMILTON MORAES DAMASCENO (OAB/RJ-046420) X ESTADO DO RIO DE JANEIRO E OUTROS, Procurador: MARIO AUGUSTO FIGUEIRA (Adv(s). Dr(a). PAULA MARQUES DOS SANTOS THOMPSON MELLO (OAB/RJ-138612), Dr(a). VIVIANNE VELASCO FICHTNER PEREIRA (OAB/RJ-071741). Decisão: 1. Diante da certidão cartorária, decreto a revelia do réu Sergio de Oliveira Cabral Santos Filho.2. As partes para especificar as provas que pretendem produzir, justificando-as, valendo o silêncio como concordância com o julgamento antecipado da lide.
Comentar
Compartilhe
Bispo de Campos visita assentamento do MST e diz que terra é direito de todos
28/11/2011 | 13h54
[caption id="attachment_2825" align="aligncenter" width="756" caption="Durante a cerimônia ecumênica a bandeira do MST foi para a mesa envolvendo os frutos da terra em oferenda"][/caption] O primeiro encontro do bispo Dom Roberto Ferrería Paz com os assentados e acampados e a Comissão da Pastoral da Terra, na E. M. Carlos Chagas, na localidade de Jacarandá, foi realizado durante uma visita marcada por um forte simbolismo ecumênico, quando o Bispo de Campos dirigiu-se aos assentados e acampados de diferentes pontos do município de Campos para expressar sua visão acerca da importância da agricultura familiar e dos assentamentos numa produção agrícola comprometida com a sustentabilidade ambiental. Em uma mensagem clara aos presentes, Dom Roberto expressou uma visão de que a terra é um bem natural, e que deve ser cuidada para que possa cumprir o seu papel de gerar alimentos saudáveis para toda a Humanidade. Pastoral da Terra No encontro ecumênico pelos 15 anos da Comissão Pastoral da Terra na região, no assentamento Zumbi dos Palmares Núcleo 2, a celebração girou em torno da celebração da vida e da cultura camponesa, e também do seu objetivo mais importante, a terra. O tema da reforma agrária foi colocado à mesa em tom de “Terra e água, dom de Deu e direito de Todos”, nas faixas: “A terra é vida, a terra é mãe, a terra é do povo, a terra é de Deus”, na música. Tudo ali mostrava a luta do homem pelo seu bem mais vital, a terra. As faces tostadas pelo sol e o olhar duro de quem ousou lutar contra um sistema excludente eram tão marcantes quanto os frutos cultivados no assentamento e entregues como oferenda no altar, envoltos em uma bandeira do MST enquanto os participantes batiam palmas dando o ritmo e cantando os sugestivos versos: “Pega a bandeira da luta, deixe a bandeira passar. Essa é a nossa conduta, vamos unir para mudar. Traga a bandeira de luta, deixe a bandeira passar. Somos a história e os nossos direitos não podem acabar”... Fé & terra A cerimônia foi marcada por depoimentos emocionados de assentados e acampados que narraram a sua luta em prol da realização da reforma agrária no norte fluminense. Estas manifestações tiveram réplicas de todos os religiosos presentes, o que acabou emocionando os agricultores assentados, visto o sentimento que muitos expressaram da grande proximidade entre sua luta pela terra e a fé em Deus. Autoridades Participaram da celebração, o Bispo da Diocese de Campos   D.Roberto Francisco Ferrería Paz, o Pastor Fernando, da Igreja Batista do Eldorado, o pastor Carlos William da Igreja Batista de Jacarandá, o padre Geraldo Lima, da Diocese de Nova Iguaçu, o padre Luciano da Diocese de Campos. Também tiveram importante participação no encontro o agricultor Cícero Guedes, a professora Ana Maria Almeida, da UFF, D. Noêmia Magalhães, representante dos pequenos produtores do 5º distrito de São João da Barra, a professora Norma do SEPE, o professor Marcos Pedlowski, da Uenf, e a vereadora Odisséia Carvalho (PT). [caption id="attachment_2831" align="alignleft" width="227" caption="Reportagem completa na Somos dessa semana, nas bancas"][/caption] “Dom de Deus e nosso direito" As primeiras palavras de Dom Roberto Francisco foram de encontro aos anseios daquela comunidade e mostraram uma nova ótica da igreja local sobre a questão do direito a terra: “estou muito contente por estar aqui pela primeira vez, neste lugar de trajetória, do primeiro assentamento. Um lugar para debate em defesa da terra para preservação do planeta. Sem dúvida o lugar mais adequado para esta celebração. Então, gostaria que fôssemos uma família unida hoje para defendermos a vida do planeta, para defendermos a terra como dom de Deus e nosso direito a ela, mas também a nossa visão. A terra é algo rico, é algo que nos dá a vida. Por isso, então, sintam-se todos bem vindos e da mesma família, a família humana sem fronteiras”.  
Comentar
Compartilhe
MST fecha BR101 na altura de Serrinha
25/11/2011 | 13h53
Nesse momento, a BR101 está sendo fechada por manifestantes do MST, na altura do km 116 (Serrinha), nas proximidades de um grande acampamento de sem-terras no local. O “Trancaço” do MST, para exigir reforma agrária já, vai tumultuar o trânsito na rodovia.
Comentar
Compartilhe
Chevron autorizada a continuar produzindo petróleo em Frade
25/11/2011 | 12h05
A Chevron, responsável pelo maior acidente ambiental de toda a história da exploração off shore de petróleo no país, está proibida de perfurar novos poços no Brasil, mas está autorizada a continuar produzindo petróleo no Campo de Frade, onde há 17 dias vaza petróleo para o mar. A proibição da ANP se restringe apenas a perfurações.
Comentar
Compartilhe
Petrobras não quer dividir multas de até 260 milhões com a Chevron
24/11/2011 | 12h35
[caption id="attachment_2806" align="aligncenter" width="562" caption="Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras - George Buck, diretor de operações da divisão brasileira da Chevron"][/caption] Sócia da Chevron em 30% do Campo de Frade, na Bacia de Campos, a Petrobras acredita que o desastre ambiental é de culpa exclusiva da sócia e estuda uma saída jurídica para não ter que dividir o pagamento das multas milionárias da Chevron, por conta do maior acidente ambiental causado pela exploração de petróleo em alto mar no país, que podem chegar a 260 milhões de reais. O principal argumento da Petrobras é que a sócia não tomou as devidas providências quando foi detectada a mancha de óleo no mar, no dia 8. No mesmo dia, a Petrobras comunicou a ocorrência ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama). Apesar da sociedade de 30% em Frade, toda a atividade operacional é de responsabilidade da Chevron. Informações / Carta Maior / Brasília Atualização: Segundo o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, todas as despesas serão discutidas entre os sócios de Frade. "A Chevron é operadora. Vai pagar tudo para nós, o acerto de contas é feito depois. Se ela usou equipamentos nossos, vai pagar, ou vamos entrar com recursos, caso haja conflito de opiniões", disse o executivo. Informações do UOL
Comentar
Compartilhe
ANP suspende perfurações da Chevron no Brasil
23/11/2011 | 19h31
Depois do óleo derramado, finalmente o governo brasileiro parece estar tomando uma posição firme em relação ao grave acidente provocado pela Chevron, que mentiu, forneceu vídeos editados ao governo e se omitiu no recolhimento do petróleo no mar. Agora à tarde, um comunicado da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou que suspendeu todas as perfurações da Chevron em território nacional. O que paralisa todas as atividades de perfuração no Campo de Frade, na Bacia de Campos, até que sejam identificadas causas e responsáveis pelo vazamento de petróleo e implementadas as indispensáveis medidas de segurança. A decisão, oficializada hoje durante reunião de diretoria foi acompanha de rejeição ao pedido da Chevron de perfurar novo poço no Campo de Frade para atingir a camada de pré-sal. Segundo a ANP, os riscos seriam ainda maiores por conta da profundidade. A decisão da ANP, segundo o informe, foi baseada em análises técnicas da Agência, que "evidenciam negligência, por parte da concessionária na apuração de dado fundamental para a perfuração de poços e na elaboração e execução de cronograma de abandono, além de falta de maior atenção às melhores práticas da indústria". Leia a nota na íntegra: “A Diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), reunida hoje, determinou a suspensão das atividades de perfuração no Campo de Frade até que sejam identificadas as causas e os responsáveis pelo vazamento de petróleo e restabelecidas as condições de segurança na área. Essa deliberação suspende toda atividade de perfuração da Chevron do Brasil Ltda. no território nacional. A ANP rejeitou, na mesma decisão, pedido da concessionária para perfurar novo poço no Campo de Frade com o objetivo de atingir o pré-sal. A Diretoria entende que a perfuração de reservatórios no pré-sal implicaria riscos de natureza idêntica aos ocorridos no poço que originou o vazamento, maiores e agravados pela maior profundidade. A medida não alcança as atividades necessárias ao abandono definitivo do poço 9-FR-50DP-RJS e a restauração das suas condições de segurança. A decisão se baseou nas análises e observações técnicas da Agência, que evidenciam negligência, por parte da concessionária na apuração de dado fundamental para a perfuração de poços e na elaboração e execução de cronograma de abandono, além de falta de maior atenção às melhores práticas da indústria."
Comentar
Compartilhe
Mancha de óleo não aparece na imagem de satélite de hoje
22/11/2011 | 17h07
[caption id="attachment_2792" align="aligncenter" width="755" caption="Skytruth / Imagem cedida pela Agência Espacial Europeia"][/caption] A imagem de satélite divulgada hoje pelo site Skytruh já não mostra a enorme mancha de óleo de dias atrás. A imagem foi feita hoje, por volta das 9:30 da manhã, horário local, pela Envisat ASAR Agência Espacial Europeia, e abrange a área do derramamento de petróleo Chevron / Transocean, mas não mostra nenhum sinal de uma mancha de óleo. No entanto, o site alerta, a velocidade do vento estava bastante alta na área no momento da foto. De acordo com os dados do satélite, coletadas pelo sistema ASCAT, os ventos de superfície estavam soprando a 15-25 nós (8-13 metros por segundo). Uma velocidade alta o suficiente para sobrepujar manchas de óleo muito finas (a velocidade do vento ideal para a detecção de manchas em imagens de radar é de cerca de 3-10 metros por segundo). Segundo o Skytruth, “é possível que manchas de óleo muito finas permaneçam na área, mas é encorajador que nós não vejamos sinais de óleo grosso. Uma imagem ASAR tomada em 11 de novembro, em condições mais favoráveis ??de vento (5-8 metros / seg), mostra claramente uma mancha de 20 quilômetros de extensão próximo ao local de origem dos 706 SEDCO. Portanto, estamos cautelosamente otimistas de que esse derramamento está sob controle".
Comentar
Compartilhe
Ministro havia dito que vazamento não tinha gravidade
22/11/2011 | 16h37
Vazando bobagens A Chevron, bem feito, vai tomar multas milionárias que chegarão a 260 milhões de reais. Pena que também não existam multas para ministros que falam bobagens, como o Lobão, das Minas e Energia, que, durante a crise, no dia 17, tentou minimizar o derramamento de petróleo declarando: “Não tem a gravidade que se anuncia.”. “O vazamento não se deu na direção da praia e sim em sentido contrário, portando não perturba ninguém". Confira AQUI
Comentar
Compartilhe
Especialista diz que derrame de petróleo da Chevron é 10 vezes maior
16/11/2011 | 20h37
O SkyTruth, respeitado site de observação e análise de imagens de satélite, que promove a conscientização e proteção ambiental com sensoriamento remoto e tecnologia de mapeamento digital, fornecendo imagens impressionantes, apoiado por informações cientificamente sólidas, analisou uma imagem da mancha de óleo criada pelo vazamento de petróleo do poço da Chevron, no Campo de Frade, na Bacia de Campos e concluiu que o derrame é dez vezes maior do que as estimativas oficiais. A conclusão do geógrafo John Amos contraria frontalmente o que vem sendo divulgado pela Chevron e pela ANP. Confira abaixo: “A imagem de satélite MODIS / Aqua da NASA, acima, foi tirada há três dias. Ela mostra uma mancha de óleo aparente originária do local de perfuração e que se estende por 2.379 quilômetros quadrados (o extremo sul da mancha fica aprisionado em um redemoinho no sentido horário interessante nas correntes oceânicas). De 1 micron de espessura, representa um volume de 628 mil galões (14.954 barris) de petróleo. Supondo que o vazamento começou ao meio-dia em 8 de novembro (24 horas antes de termos observado em imagens de satélite), estimamos uma taxa de vazamento de pelo menos 157 mil galões (3.738 barris) por dia. Isso é mais que 10 vezes maior do que a estimativa da Chevron, de 330 barris por dia.”. Mentiras & Verdades A informação é bastante preocupante, pois a Chevron divulgou que a mancha causada pelo vazamento de petróleo teria 163 Km mas, segundo o site mostra na foto de satélite a mancha teria 2.379 quilômetros quadrados e a quantidade total de óleo derramado até hoje seria de 14.954 barris de petróleo, infinitamente mais do que os 850 barris máximos anunciados pela empresa. Confira no site da Skytruth: http://blog.skytruth.org/2011/11/chevron-oil-spill-off-brazil-10-times.html
Comentar
Compartilhe
"Autopista Fluminense - Assassina da BR101" - Família de vítima protesta no enterro
16/11/2011 | 18h30
Um grave acidente na BR101, na madrugada dessa quarta-feira, ceifou as vidas das jovens advogadas Fernanda Mota e Natália Bispo e deixou em estado grave uma menina de apenas cinco anos de idade. Durante o velório e o enterro de Fernanda, a família organizou um protesto contra as más condições da BR 101, administrada pela concessionária Autopista Fluminense, creditando à empresa e ao governo federal a responsabilidade pelas mortes, a concessionária por omissão, e o governo por ter celebrado a privatização em termos prejudiciais ao cidadão. Família culpa Autopista Fluminense e Governo Federal Alfredo Mota, pai de Fernanda, uma das vítimas dessa tragédia, falou ao blog: “Eu credito essa tragédia a Autopista Fluminense e a irresponsabilidade do nosso governo que promoveu essa privatização, as autoridades federais, principalmente ao senhor Lula que fica dando apoio a essa tremenda corrupção que está aí, vide o Ministério dos Transportes. Isso tudo envolve essa falta de vergonha que existe no Brasil. Os reparos que a Autopista fez na estrada não adiantam nada. Foi maquiagem. Essa obra de duplicação está sendo feita, mas, na velocidade que estão fazendo, é para daqui a 20 anos. Eles só investiram nas praças de pedágio, mais nada. Todos pais que têm filhos que transitam nessa estrada têm que se unir, fazer algum movimento. Como está, vai continuar a mesma coisa, morte e mais mortes e mais mortes. Não tem jeito.”.
Comentar
Compartilhe
Corrupção no Brasil chega a R$69 bilhões de reais por ano
16/11/2011 | 13h45
Um estudo realizado pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) revelou os prejuízos econômicos e sociais que a corrupção causa ao País. O valor chega a R$ 69 bilhões de reais por ano. As denúncias de corrupção vêm de todos os cantos do país e de todos os setores - públicos e privados. Denunciadas em parte pela imprensa, em parte por setores privados fiscalizadores, não se havia medido ainda o tamanho do rombo e o mais alarmante: o prejuízo que este montante de dinheiro causa em setores fundamentais, como educação, saúde, infraestrutura, habitação e saneamento. O relatório da Fiesp informa que o custo disso chega até R$ 69 bilhões de reais ao ano. Segundo o levantamento, a renda per capita do País poderia ser de US$ 9 mil, 15,5% mais elevada que o nível atual. Segundo dados de 2008, a pesquisa aponta que o custo médio anual da corrupção no Brasil representa de 1,38% a 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB), ou seja, gira em torno de R$ R$ 41,5 bilhões a R$ 69,1 bilhões. Fonte: Jus Brasil / Revista Ideias - Marianna Camargo - FIESP
Comentar
Compartilhe
Governo ajuda Ampla a faturar milhões por ano sem investir em um metro de fio
12/11/2011 | 23h43
Robin Hood às avessas - tirando dos pobres para dar aos ricos Com mudança, 70% dos atendidos pela Tarifa Social perdem o benefício Terminou, na última terça-feira, dia 01, o prazo para recadastramento na Tarifa Social de Energia Elétrica para os clientes que consomem, em média, até 30 kWh mensais, pelo período de doze meses, bem como para os que possuem auto declaração, um modelo de formulário criado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para dar direito a esse desconto. Tendo em vista a mudança de regra imposta pelo Governo, estima-se que somente 30% dos clientes beneficiários da tarifa permanecerão usufruindo do benefício por conta da mudança na Lei 12.212/10, que prevê que somente terão direito ao benefício os consumidores que estejam cadastrados nos programas do Governo Federal, por meio do CadÚnico (cadastro único), obtendo o número de inscrição social (NIS), assim como as famílias com renda de até meio salário mínimo per capita, que estejam inscritas no Cadastro Único, junto ao Ministério de Desenvolvimento Social (MDS); Idosos e Deficientes que recebem o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), cuja família possua renda inferior a um quarto do salário mínimo, e portadores de doença que necessitam usar continuamente aparelhos com elevado consumo de energia e com renda total da família de até três salários mínimos. Com isso o Governo proporciona pelo menos 24 milhões a mais de lucro anuais à Ampla, se observarmos que 70% dos necessitados ficarão de fora do benefício, voltando a pagar a tarifa normal, perdendo um beneficio que é seu por direito, tendo em vista a pobreza em que vivem. É de se admirar a atitude do Governo, como um Robin Hood às avessas, tirando dos pobres para dar aos ricos, deixando a população carente cada vez em maior estado de miséria e a concessionária ainda mais bilionária. Com o acréscimo de 70% de clientes que deixarão de ser beneficiados - um número estimado em 483.000, antes 690.000, a concessionária permanecerá com um mínimo de clientes incluídos na Tarifa Social (207.000), obtendo com isso, e sem gastar um níquel sequer, um lucro estimado em pelo menos 24 milhões por ano, isso, baseado no mínimo, pois ao sair da Tarifa Social o valor de sua conta dará um salto, assim como a exclusão dos necessitados.   Comprando o que é nosso Com as novas regras, milhares de pessoas carentes que dependem da luz para sua subsistência e o mínimo de dignidade para sobreviver, aproximadamente 483.000 residências, perderão o benefício da tarifa social, tendo um aumento de 65% do valor da tarifa por kWh, mas continuarão pagando as contas de iluminação pública e impostos, como Confins, Pois entre outras, sem ao menos ter o que comer dentro de casa, tendo em vista que a família que era beneficiada com esta tarifa realmente necessitava dela, mas o governo preferiu, mais uma vez, tirar dos pobres e dar aos ricos. Vendemos nossa energia para os Espanhóis e em troca compramos uma energia falha, com picos constantes e diários de energia, deixando o consumidor mais uma vez a “mercê” da boa vontade do atendimento da concessionária, o que, por vezes, torna-se inútil e desgastante, fazendo com que os transtornos e deslocamentos se sucedam, até que consiga, quando consegue, alguém que o auxilie. É lamentável ver como os consumidores são tratados ao procurar pelos seus direitos, que são somente direitos garantidos! A nova regra somente servirá para aumentar geometricamente o número de reclamações no Procon, local onde nem sempre se encontra “uma luz no fim do túnel”.
Comentar
Compartilhe
Até tu O Globo
11/11/2011 | 00h52
    Ávido por notícias frescas sobre a manifestação contra o saque do senado sobre os royalties dos estados e municípios produtores de petróleo, acessei, entre muitos outros sites, a página do jornal O Globo na internet. Mas, foi enorme a minha surpresa ao ver um jornal que come, bebe e respira o Estado do Rio (e anda muito bem nutrido), abrir o assunto assim: “Estados não produtores também vão às ruas”, em detrimento da divulgação maciça de uma manifestação que defende até aquela parcela do nosso rico dinheirinho que é aplicado em suas próprias páginas. Isso me fez lembrar a fama de pelego que esse jornal tinha na época da ditadura...
Comentar
Compartilhe
Cabral promete 200 ônibus, garante 100, mas só manda 20 para campistas irem à manifestação no Rio
10/11/2011 | 16h09
O Governo do Estado ofereceu 200 ônibus para transportar campistas até a manifestação dessa quinta-feira, no Rio, depois garantiu apenas 100 e, no final, só mandou 20. Os números mostram o tamanho da preocupação eleitoral de Sérgio Cabral em detrimento de ações de cunho coletivo em prol da defesa dos royalties para os municípios e estados produtores.
Comentar
Compartilhe
Pesquisa em SJB indica Neco e Alexandre para prefeitura e dá 71% de imagem positiva à Carla
08/11/2011 | 18h10
[caption id="attachment_2734" align="aligncenter" width="756" caption="A apresentação dos resultados da pesquisa que indicou Neco e Alexandre como pré-candidatos à sucessão de Carla Machado"][/caption] O instinto político da prefeita Carla Machado, de São João da Barra, foi confirmado por pesquisa de opinião do Instituto GPP, que demonstrou a preferência da população em ter Neco liderando a chapa e Alexandre Rosa de vice como pré-candidatos a sua sucessão na prefeitura do município, preferência manifestada por Carla desde o início do processo, mas que ela permitiu que fosse democraticamente decidida pela pesquisa. Um dado que impressiona bastante é o alto índice de imagem positiva da prefeita, de 71%. Coisa de dar inveja a qualquer grande estadista. Alguns pontos da pesquisa podem ser conferidos abaixo. Pesquisa Eleitoral – Intenção de Voto – São João da Barra/ RJ – Outubro de 2011 Como foi feita a pesquisa Local: Pesquisa realizada em São João da Barra / RJ. Data: A pesquisa foi realizada nos dias 29 e 30 de outubro de 2011. Amostra: 838 entrevistas Contratante: Esta pesquisa do Instituto GPP foi realizada para a prefeita Carla Machado Número de eleitores: 28.771 (TSE/ Setembro 2011) Metodologia: Pesquisa do tipo quantitativa realizada através de levantamento estatístico por amostragem estratificada pelos seguintes Distritos: A amostra foi distribuída por distritos de forma proporcional ao número de eleitores existentes nos mesmos. Dentro de cada distrito a amostra foi distribuída por bairros ou grupamento de bairros de forma proporcional ao número de eleitores existentes em cada bairro. Dentro dos bairros foram sorteadas quadras. Nas quadras sorteadas, os domicílios foram selecionados por amostragem sistemática. O objetivo principal da pesquisa foi o de avaliar a intenção de voto para o cargo de prefeito de São João da Barra e o potencial eleitoral dos possíveis candidatos. Sistema Interno de controle, Análise e Coleta de Dados: Todos os entrevistadores do GPP foram treinados e selecionados na cidade de Niterói. Para o trabalho de campo cada entrevistador esteve devidamente identificado com crachá e camiseta do GPP. Os Supervisores de campo acompanharam “in loco” a coleta dos dados, garantindo a conferência de todo material coletado. Todos os dados foram criticados, codificados e digitados pelo GPP. Por medida de segurança, na atividade de digitação, foi utilizada a técnica de dupla entrada. Esta pesquisa foi realizada sob a direção do engenheiro Francisco E. M. Guimarães e coordenada pelo estatístico Adriano Rodrigues (responsável técnico perante o CONRE). Vale lembrar que os resultados encontrados nesta pesquisa representam a intenção de voto do eleitor na data de sua realização, ou seja, se a eleição fosse nesta data e com esses candidatos, o resultado das urnas seria o encontrado na pesquisa dentro da margem de erro estabelecida. Resultados: 2.1. Dentre esses possíveis candidatos, em qual votaria para prefeito de São João da Barra se a eleição fosse hoje? (Estimulada I – Resposta Única) 2.2. Se os candidatos fossem somente Betinho Dauaire e Neco, em qual dos dois votaria para prefeito de São João da Barra se a eleição fosse hoje? (Estimulada II - Resposta Única) 2.3. E se os candidatos fossem somente Betinho Dauaire e Aluísio Siqueira, em qual dos dois votaria para prefeito de São João da Barra se a eleição fosse hoje? (Estimulada III - Resposta Única) 2.4. E se os candidatos fossem somente Betinho Dauaire e Alexandre Rosa, em qual dos dois votaria para prefeito de São João da Barra se a eleição fosse hoje? (Estimulada IV - Resposta Única) 2.5 De uma forma geral, como você avalia a administração da prefeita Carla Machado? Você diria que é ótima, boa, regular, ruim ou péssima? 2.6 Qual a Imagem que você tem da Prefeita Carla Machado, positiva ou negativa?
Comentar
Compartilhe
Enquanto roubam os royalties, cidades do petróleo pagam o preço do progresso
06/11/2011 | 19h24
Nem tudo que é bom para a cidade do Rio de Janeiro é bom para o interior do estado. Com a implementação das Unidades de Polícia Pacificadora nos piores complexos de favelas cariocas, como o do Alemão, a bandidagem, com os seus movimentos tolhidos, está migrando para os municípios da rota do petróleo atraídos, tanto riqueza gerada pela indústria petrolífera e o fluxo financeiro proporcionado por moradores de diferentes nacionalidades e regiões do Brasil, quanto pela insuficiência da segurança pública diante da forte explosão demográfica dos últimos anos. De “Princesinha do Atlântico a “Rosa de Hiroxima do Tráfico” O melhor, ou pior, exemplo é Macaé, que foi promovida de “Princesinha do Atlântico” a “Cidade do petróleo” e “Rosa de Hiroxima do Tráfico” em um pulo. O município agora está pagando o preço do progresso suportando sucessivas guerras contra o tráfico dominado pela facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA), com integrantes entrincheirados num complexo de três comunidades: Malvinas, Nova Holanda e Nova Esperança. Polícia acaba com festa de aniversário de traficante para não passar vergonha Esta semana, a polícia local, para não ficar desmoralizada, teve que acabar com uma big festa de aniversário organizada pelos traficantes da favela Malvinas, com palco para super show com fortes indícios da participação de artistas de renome nacional como o sambista Dudu Nobre e a performática boazuda profissional Viviane Araújo. Um verdadeiro acinte, que mostra claramente que esses marginais querem impor na região as práticas, agora, coibidas no Rio. Até nossos royalties roubam Enquanto as cidades da rota do petróleo pagam o salgado preço do progresso na educação, na saúde e, principalmente, na segurança, ações oportunistas e eleitoreiras saqueiam nossos royalties no Senado. Rouba-se lá, como aqui, sem que os governos tomem atitudes sérias, tanto para garantir a segurança dos seus cidadãos, como os direitos dos estados e municípios produtores de petróleo, garantidos pela Constituição. Campos que reaja enquanto é tempo, que a próxima parada no caminho da violência é aqui. * O jornalista e colunista da Somos, Roberto Barbosa, foi o único repórter a acompanhar a operação do Bope na favela Malvinas, em Macaé, na última quarta-feira.  Ele fez a cobertura ao vivo para o jornalismo da rádio 95 FM e matéria especial para a Somos que foi para as bancas nesse domingo.
Comentar
Compartilhe
Uenf tem meios para recuperar parte do dinheiro desperdiçado no Bandejão
05/11/2011 | 22h02
Mais um milhãozinho para o Bandejão da Uenf [caption id="attachment_2307" align="aligncenter" width="756" caption="O caso do "Bandejão" é emblemático dentre tantos questionamentos judiciais à adminstração de Almy Jr. e sua turma"][/caption] Segundo fontes da área acadêmica, a reitoria da Uenf planeja retomar as paralisadas obras do “Bandejão” em fevereiro, com previsão de gastar mais 1.7 milhões, além dos 2 milhões já pagos a Zuhause. O que intriga é que na licitação inicial a obra foi orçada por 2.7 milhões, mas, dessa forma, custaria, sem os famosos aditivos de 25%, a bagatela de 3.7 milhões. Assim fica parecendo que naquele paraíso acadêmico das obras milionárias um “milhãozinho” a mais não faz a menor diferença... Fala-se em recuperar parte do dinheiro pago a Zuhause mas, para isso, a Uenf terá que entrar na fila atrás das centenas de famílias que investiram suas economias em vários prédios com obras paralisadas pela construtora. Portanto, a única esperança viável para a Uenf recuperar parte desse dinheiro seria responsabilizando judicialmente os agentes públicos que autorizaram os pagamentos à Zuhause sem a devida fiscalização do andamento das obras, e que também postergaram prazos e mais prazos, fora do contrato, para a construtora.
Comentar
Compartilhe
MP move Ação de Improbidade contra Gersinho pres. da Câmara de SJB
04/11/2011 | 00h04
Ministério Público Estadual move Ação de Improbidade Administrativa contra Gersinho Crispim, presidente da Câmara Municipal de São João da Barra. Processo No 0004924-07.2011.8.19.0053 Improbidade Administrativa TJ/RJ - 03/11/2011 23:14:43 - Primeira instância - Distribuído em 20/10/2011   Comarca de São João da Barra 1ª Vara Cartório da 1ª Vara   Endereço: São Benedito   222 Bairro: Centro Cidade: São João da Barra Ação: Violação aos Princípios Administrativos / Improbidade Administrativa / Atos Administrativos Assunto: Violação aos Princípios Administrativos / Improbidade Administrativa / Atos Administrativos Classe: Ação Civil de Improbidade Administrativa Autor MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Réu GERSON DA SILVA CRISPIM
Comentar
Compartilhe
Panga, das águas turvas do Mekong para a mesa dos campistas. Assista aos vídeos
03/11/2011 | 17h08
  [caption id="attachment_2697" align="aligncenter" width="756" caption="A aparência até que é boa, mas a verdade revira o estômago"][/caption] Muita gente debateu aqui no blog sobre o polêmico consumo do peixe Panga, que vem do rio mais poluído do Vietnam diretamente para a mesa dos campistas, através das grandes redes de supermercados brasileiras, algumas instaladas em Campos. Sem dar bola para o azar, teve quem duvidasse do post e garantisse que iria continuar comendo o Panga, que era delicioso, carne branquinha etc. Pois bem, agora estou disponibilizando vários links e dois vídeos sobre as fazendas de criação desses peixes, considerados por franceses e americanos como um verdadeiro veneno em suas mesas, contaminados pela poluição e pelos hormônios utilizados em sua criação. Sopa de poluentes Quando você pensa em 22.000 toneladas de resíduos industriais por ano, provavelmente não pensa sobre o peixe Panga, mas certamente você deveria. O rio Mekong, onde ele é criado, percorre China, Tailândia, Laos, Birmânia, Camboja e Vietnã. Bactérias & arsênio Algumas pesquisas divulgadas por sites apontam que os pangas estão infestados com elevados níveis de venenos e bactérias, arsênio dos efluentes industriais, tóxicos e perigosos subprodutos do crescente setor industrial, metais contaminantes, bifenilos poli clorados (PCB), o DDT e seus (DDTs), clorato, compostos relacionados (CHLs), hexaclorocicloexano isómeros (HCHs), e hexaclorobenzeno (HCB), isto, porque o rio Mekong é um dos rios mais poluídos do planeta. E é aí que pangas são cultivados e as indústrias de produtos químicos ao longo do rio despejam seus resíduos industriais. [caption id="attachment_2699" align="aligncenter" width="756" caption="Receita de Panga: Água poluída e muito hormônio"][/caption] Além disso, os pangas são injetados com PEE. Alguns cientistas descobriram que se injetassem as fêmeas pangas com hormônios femininos derivados de desidratado de urina de mulheres grávidas, a fêmea Panga produziria os seus ovos muito rapidamente e em grande quantidade, o que não aconteceria no ambiente natural (uma Panga passa a produzir, assim, aproximadamente 500.000 ovos de uma vez). Basicamente, são peixes com hormônios injetáveis (produzidos por uma empresa farmacêutica na China) para acelerar o processo de crescimento e reprodução. Banheiro e lavanderia [caption id="attachment_2701" align="aligncenter" width="757" caption="A realidade é bem diferente da publicidade"][/caption] As razões para essa contaminação se tornam muito claras quando tomamos um olhar para as práticas que ocorrem ao longo do Mekong. Fábricas de cerveja ou de cimento são encontradas firmemente situadas ao longo das margens do rio, também sobre estes bancos estão milhares de residências de uma população que usa o rio como banheiro e lavanderia. Todos os dias 100 toneladas de peixes estão sendo processadas para exportação neste mesmo rio, ao lado das peças íntimas sujas de alguém. Panga tem comida farta: excrementos e dejetos Esse peixe asiático de água doce, natural de rios extremamente poluídos por excrementos, dejetos e toda sorte de poluição biológica, física e química devido, entre fatores diversos, à maciça ocupação de barcos que servem de vias e milhares de moradias que constituem aglomerados populacionais de pessoas carentes de serviços sanitários e salutares. Esse ambiente condiciona por si só o desenvolvimento e procriação de peixes adaptados a esse habitat degenerativo. O nível de poluição dessas águas é de tamanha magnitude que as próprias pessoas que por lá convivem têm nojo e repugnância dos víveres dessa água. Essas condições associadas viabilizam a proliferação exacerbada de peixes tipo bagre, o que enche os olhos dos especuladores inescrupulosos que conseguem com tremenda facilidade realizar farta e rentável "pescaria" para a venda dos seus produtos no terceiro mundo afora - de quebra no Brasil, incluindo Campos. E aí, vai um panguinha frito? Vídeos Murky Mekong Fish - Pollution Video - Scary Information: http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=fx4cykHy0RM Outro pior ainda: http://www.youtube.com/watch?v=h1nEPzsFpc0&feature=player_detailpage Links: http://k9keystrokes.hubpages.com/hub/POISON-CATFISH-IMPORTED-FROM-THE-MEKONG-RIVER Don’t Eat this fish: Pangas (Pangasius, Vietnamese River Cobbler, White Catfish, Gray Sole) http://www.dietmindspirit.org/2008/01/30/why-you-shouldnt-eat-this-fish-pangas-pangasius-vietnamese-river-cobbler-white-catfish-gray-sole/
Comentar
Compartilhe