Encontro com o amor desconhecido
07/01/2013 | 15h45
<div><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2017/12/18/170x96/1_csc_0100-928442.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5a382b04de0d5', 'cd_midia':928453, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2017/12/18/262x377/1_csc_0100-928442.jpg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '262', 'cd_midia_h': '377', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:262px;height:377px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2017/12/18/262x377/1_csc_0100-928442.jpg" alt="" width="262" height="377"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce>Nos meses&nbsp;de Maio e Novembro,&nbsp;no New Yorker Hotel, em Manhattan, acontece um encontro promovido pelo Clube Metropolitano de Postal. Durante um fim de semana, cerca de 40 colecionadores de cart&otilde;es postais exibem, trocam e vendem suas cole&ccedil;&otilde;es de cart&otilde;es separadas por continentes, pa&iacute;ses, praias e cidades. Em Maio de 2009, fui a um desses encontros. Visitava as barracas dos expositores sempre na busca de postais que imprimissem o Brasil. Nem todas as barracas tinham postais brasileiros, e as que tinham, estampavam mulheres de biquinis nas praias ou lindas paisagens com araras ex&oacute;ticas.</div> <div>Postais novos, nunca usados, sem recado ou selo postal. Eu pulava de barraca em barraca buscando uma carta, uma recado, "eu te amo" ou qualquer frase curta remetida&nbsp;por algu&eacute;m que tivesse visitado o Brasil. Andei por todas as quarenta barracas, olhando atentamente as caixinhas de postais brasileiros ou latinos. N&atilde;o achei nada. Resolvi ent&atilde;o procurar por postais de Nova York, e quando revisitava o segundo expositor, encontrei sem querer, um postal da Baia de Guanabara, enseada de Botafogo perdido na caixa dos postais da Big Apple. Uma lua linda, cheia e amarela, iluminava o mar de Botafogo e alguns barcos que repousavam sobre as &aacute;guas. Estava ali por acaso. Perdido. Quando o expositor me viu com o postal na m&atilde;o, foi logo se desculpando dizendo que algu&eacute;m o havia colocado no lugar errado. Interrompi dizendo conhecer bem o endere&ccedil;o daquele remetente.&nbsp;</div> <div>E comprei o postal que havia me encontrado quando eu desistira de procur&aacute;-lo.</div> <div>No verso do cart&atilde;o, um selo do Rio de Janeiro para uma destinat&aacute;ria em Nova York datado de&nbsp;13 de Julho de 1952. Um homem&nbsp;chamado Steven escreve um recado para sua suposta namorada, "Jenny,&nbsp;<em>Meu Amor"</em>&nbsp;&uacute;nicas palavras em portugu&ecirc;s<em>. </em>O recado dizia "Se voc&ecirc; acha que a lua cheia sobre o rio Hudson &eacute; maravilhosa, precisa conhecer a lua cheia sobre o mar de Botafogo".</div> <div>Sa&iacute; da feira e peguei um metr&ocirc; na dire&ccedil;&atilde;o do rio Hudson. Comprei um sandu&iacute;che e um suco de laranja e sentei num banquinho de frente ao rio &agrave; espera do nascer da lua.&nbsp;Eu preenchia o vazio do quarto&nbsp;crescente com&nbsp;minha imagina&ccedil;&atilde;o refletindo sobre as &aacute;guas do Hudson uma luz branca imagin&aacute;ria.&nbsp;</div> <div>Pensei em escrever para o endere&ccedil;o de Jenny no cart&atilde;o postal. Perguntar o porqu&ecirc; daquela mensagem de amor ter se perdido numa caixa de postais de outra localidade. O que fora feito daquele sentimento? Ser&aacute; que Steven retornou do Brasil ou a lua de Botafogo o fez apaixonar-se por aqui? Ser&aacute; que Jenny ainda se lembra dele?</div> <div>Desisti de escrever. N&atilde;o tinha o direito de ressuscitar tais lembran&ccedil;as empoeiradas. Me restava assim como fiz com a lua preencher as lacunas da sombra com minha luz imagin&aacute;ria. Dias depois, voltei ao Hudson para conhecer a lua cheia que Jenny gostava tanto. As &aacute;guas do Hudson banhadas de prata e pontos de luz dos in&uacute;meros arranha-c&eacute;us era mesmo deslumbrante. Mas eu precisava concordar com Steven. A lua surgindo detr&aacute;s do P&atilde;o de A&ccedil;&uacute;car e iluminando os veleiros da enseada de Botafogo &eacute; realmente estonteante. Espero que Jenny, acompanhada ou n&atilde;o, tenha tido a chance de ver tal beleza.</div> <div><span style="color: #1f1f1f; font-size: small;"><span style="color: #1f1f1f; font-size: small;"><a title="O site do Metropolitan Postcard club" href="http://www.metropostcard.com/metropccalendar.html" target="_blank" rel="noopener noreferrer">CLIQUE Para conhecer um pouco mais sobre o encontro</a></span></span>&nbsp;&nbsp;</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div>
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Mariana Luiza

[email protected]