Planejando a aposentadoria
24/02/2015 | 03h41
Este texto retirado da Empericus, questiona se você já começou a investir em sua própria previdência. Segundo o autor, há uma estatística formada pelas respostas dos que assinam a série de Aposentadoria da empresa Empiricus, onde aproximadamente 44% dos casos, o leitor cita pelo menos um tipo de patrimônio imobiliário. Para aqueles com mais de 35 anos, a proporção salta acima de 56%. Lembrando que os imóveis citados, são apenas para fins de investimento, e não moradia ou lazer. O texto nos passa que Imóveis combinam perfeitamente com estratégias de enriquecimento em longo prazo, por casarem rendimentos recorrentes com valorização do capital investido. O curioso, segundo o autor, é que mesmo quem não cita imóveis, gostaria de citar pois coloca a categoria como resposta de outra das perguntas: quais investimentos você imagina como ideais para compor um plano perfeito de aposentadoria? O brasileiro gosta de investir em imóveis, e tem razões históricas para justificar esse gosto. Há de ter razões futuras também. Dado o consenso em torno do tema, o texto então faz uma terceira pergunta: Como tornar o investimento em imóveis, mais acessível? E na sequência, ele mesmo responde com sua solução preferida: fundos imobiliários listados em Bolsa, os chamados FIIs. Onde a partir de R$ 5.000, você começa a aplicar em FIIs de maneira simples e vantajosa, recebendo alugueis mensais sobre uma parte de imóveis comerciais, residenciais, galpões, hospitais, escolas, hotéis, agências bancárias etc... Sabe aquele predião na Av. Paulista que você adora ver decorado no Natal? Um pedaço dele pode ser seu, e você aluga esse pedaço para ganhar dinheiro todo mês. Assim fica mais fácil decorar seu próprio Natal em 2024. Vale a pena consultar o site acima e ler o texto na íntegra. Fica a dica nestes dias que antecedem a execução de novas "normas" para aposentadoria, o que, para variar, vai dificultar ainda mais receber, o pouco que recebemos....
Comentar
Compartilhe
Mercado imobiliário: fato!
17/05/2013 | 05h31

Estamos entrando numa fase que investir em imóveis já não trás tanta certeza de alto retorno financeiro, como tempos atrás.

Segundo Paulo Gala, professor de economia da FGV, apesar de estarem em um ritmo mais lento, os preços dos imóveis continuarão a subir. Em relação à procura, ela não vai abaixar, pois o Brasil oferece uma grande oferta e facilidade de crédito imobiliário.

Outro fator que justifica-se manter a alta no preço dos imóveis é o fato de que, nas grandes capitais como São Paulo, Rio de janeiro e Belo Horizonte, a demanda por novos empreendimentos continua grande. Mas em contra partida, há dificuldade em disponibilizar novos projetos no mercado, diminuindo assim, a oferta em relação a grande demanda, sustentando seus preços.

Mesmo assim você não investe por medo da bolha?

O professor Gala comenta: “Não dá para dizer que existe bolha. Em médio e longo prazo pode até surgir problemas no setor, mas por enquanto não”.

Comentar
Compartilhe