Armadilhas do próprio negócio
11/07/2016 | 02h21
Vemos cada vez mais negócios abrindo e, infelizmente fechando, numa velocidade acelerada. Dados fornecidos por empresas sérias citam que 1/3 das microempresas fecham as portas antes mesmo de completarem 1 ano de vida. Por traz das fachadas, existem pessoas em busca de um sonho, ou de uma satisfação pessoal. Mas a grande maioria, para tentar simplesmente sobreviver nestes tempos de crise onde não sabemos o dia de amanhã. Fundamental para quem pensa em abrir, ou recém abriu seu próprio comercio, é não achar que agora você esta livre de patrão e que quem faz o horário é você. Muitos sentem uma falsa sensação de liberdade. Pelo contrário, dependendo do ramo que escolher, muitas vezes os clientes (leia-se “patrões”), serão mais exigentes. Além claro, do fato que você, ou seu sucesso, dependerá exclusivamente deles. Outro fato importante é oferecer algo, ou serviço, de modo completamente inovador, diferente do que já existe disponível em grande quantidade no mercado. Mas não basta somente a ideia. A grande maioria esquece que, junto dela, vem um pacote extenso, chamado planejamento. Como apresentar este produto, como lançar, como divulgar, como trabalhar, como fazer com que meus clientes comprem e usem esta ideia de modo correto, sendo que, se for uma inovação, ninguém terá testado antes, somente você. E talvez, mais difícil do que criar algo novo, seja como trabalha-lo de uma maneira geral. Muitas ideias geniais se perderam no caminho apresentação-consumidor. E nunca se esqueça: estamos no Brasil, e além de todas as dificuldades naturais existentes, há mais uma chamada burocracia. Faça as coisas conforme a lei, nem que isso demore muito tempo. E vai demorar. Esteja preparado e planejado, pois muitos acham que não devem se preocupar com isso, ou que apenas “faz parte”. Aí que ocorre o erro, e daqueles 1/3 que fecham as portas antes de um ano, citado acima, garanto que a grande maioria, nem tinham resolvido a parte burocrática legalmente ainda...
Comentar
Compartilhe
Qualidade de Vida
07/04/2016 | 09h35
O stress e a qualidade de vida são assuntos constantes nestes tempos de crise. Óbvio que quanto mais pessoas desempregadas, ou com medo de perder o sustento existem, mais a pressão e o desgaste sentimos. Na internet, achamos coisas interessantes, mas as vezes, infelizmente não vem com fonte e não podemos confiar. Neste caso específico, não vi motivo em não compartilhar este texto, pois no mínimo, nos ajuda a pensar. Não tem o nome do “suposto” palestrante, mas se alguém souber, será muito bem vindo: Em uma conferência, ao explicar para a platéia a forma de controlar o estresse, o palestrante levantou um copo com água e perguntou: -"Qual o peso deste copo d'água? " As respostas variaram de 250g a 700g. O palestrante, então, disse: - "O peso real não importa. Isso depende de por quanto tempo você segurar o copo levantado”. "Se o copo for mantido levantado durante um minuto, isso não é um problema.. Se eu mantenho ele levantado por uma hora, eu vou acabar com dor no braço. Mas se eu ficar segurando um dia inteiro, provavelmente eu vou ter cãibras dolorosas e vocês terão de chamar uma ambulância." E ele continuou: - "E isso acontece também com o estresse e a forma como controlamos o estresse. Se você carrega tua carga por longos períodos, ou o tempo todo, cedo ou tarde a carga vai começar a ficar incrivelmente pesada e, finalmente, você não será mais capaz de carregá-la." "Para que o copo de água não fique pesado, você precisa colocá-lo sobre alguma coisa de vez em quando e descansar antes de pegá-lo novamente. Com nossa carga acontece o mesmo. Quando estamos refrescados e descansados nós podemos novamente transportar nossa carga." Em seguida, ele distribuiu um folheto contendo algumas formas de administrar as cargas da vida, que eram: 1 * Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua. 2 * Mantenha sempre tuas palavras leves e doces pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas. 3 * Só leia coisas que faça você se sentir bem e ter a aparência boa de quem está bem, caso você morra durante a leitura. 4 * Dirija com cuidado. Não só os carros apresentam defeitos e têm recall do fabricante. 5 * Se não puder ser gentil, pelo menos tenha a decência de ser vago. 6 * Se você emprestar $200 para alguém e nunca mais ver essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dessa má pessoa. 7 * Pode ser que o único propósito da tua vida seja servir de exemplo para os outros. 8 * Nunca compre um carro que você não possa manter. 9 * Quando você tenta pular obstáculos lembre que está com os dois pés no ar e sem nenhum apoio. 10 * Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante e dance, pronto. 11 * Uma vez que a minhoca madrugadora é a que é devorada pelo pássaro, durma até mais tarde sempre que puder. 12 * Lembre que é o segundo rato que come o queijo - o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar. 13 * Lembre, também, que sempre tem queijo grátis nas ratoeiras. 14 * Quando tudo parece estar vindo na tua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada. 15 * Aniversários são bons para você. Quanto mais você tem, mais tempo você vive. 16 * Alguns erros são divertidos demais para serem cometidos só uma vez. 17 * Podemos aprender muito com uma caixa de lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa. 18 * Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca. 19 * Quanto mais alta é a montanha mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo "queria ter estado lá". 20 * Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem. "Portanto, antes de voltarem para casa, depositem sua carga de trabalho/vida no chão. Não carreguem para casa. Vocês podem voltar a pegá-la amanhã. Com tranquilidade."
Comentar
Compartilhe
Tempos de Crise: como treinar sem gastar.
17/09/2015 | 04h03

Em tempos de crise, é comum as empresas cortarem os gastos. Mas isso não implica em ficar parado. Quem faz acontecer, buscando soluções criativas, prepara-se para quando o mercado voltar a aquecer.

E quando isto acontecer, sua equipe de vendas tem que estar preparada para recuperar o tempo perdido, sendo que ela é considerada o motor da organização. Por isso, é fundamental seu constante treinamento e aprimoramento, e para isso, não é necessário gastar com palestras motivacionais ou treinamentos com celebridades para atingir este objetivo. Pelo contrário, abaixo segue algumas dicas de como preparar e treinar sua Força de Vendas sem gastar nada, apenas seu tempo.

1 - Prepare-se: como você pode treinar alguém, ou propor um treinamento, em algo que você mesmo não conhece? Seria como ensinar a pilotar, sem nunca ter entrado num avião. Busque conhecimento, aprenda. Hoje existem vários treinamentos, livros e cursos de expansão de graça na internet. Ou seja, em outras palavras, comece por você, seja exemplo.

2 - Reuniões programadas: não sou muito favorável a reuniões, mas acho que às vezes, e em alguns casos, são válidas. Neste caso específico, reuniões rápidas de até 30 minutos de preferência no fim do dia, voltadas as trocas de informações, dificuldades e questionamentos sobre abordagens e produtos, podem trazer resultados devido a troca de conhecimento. Por fim do dia, entenda-se "depois das cindo e antes das seis da tarde", assim o ambiente fica mais leve e mais propicio para suas análises.

3 - Crie jogos - pense sobre um jeito descontraído de cobrar e analisar sua equipe. Pode ser através de sorteios por exemplo, onde o vendedor sorteado falará sobre um produto. O intuito é que todos se preparem, estudem e conheçam os produtos, pois podem ser os sorteados.

4 - Incentive: nada melhor do que ser reconhecido. Premie quem se destaca nos treinamentos e reuniões. Não crie falsas expectativas com prêmios monstruosos, caros, e que conseguirá beneficiar somente uma pessoa. Lembre-se de que estamos economizando. Sabe aqueles quadrinhos de funcionário do mês? Funciona! Adapte-o a sua realidade. Mandar e-mail para todos parabenizando os que se destacaram, reservar um local privilegiado na hora do café, uma vaga no estacionamento, enfim, use a criatividade, mas não deixe de passar a mensagem: ei, eu treino e cobro, mas também reconheço!

Comentar
Compartilhe
A arte de negociar
19/08/2015 | 10h41

Estamos sempre negociando. E negócio não existe sem venda. E venda por sua vez, não é somente trocar dinheiro por mercadoria, afinal vendemos nossa imagem, nosso estilo de vida, quem somos e o que somos capazes de fazer.

Assim, desde a hora de levantar até o momento de deitar, presenciamos ou participamos de várias negociações.

Nestes anos todos como profissional, sendo publicitário de formação e vendedor por profissão, observei e aprendi algumas informações que acredito serem úteis em relação a negociações e gostaria de compartilhar:

1 - esteja preparado: faça a lição de casa, planeje, busque informações. Da sua parte, conheça realmente seu produto e o que vai propor. Da parte do cliente, saiba quem é, seu histórico e as opções que ele tem. Sentirá mais confiante.

2 - comece a negociação: geralmente quem inicia, controla quando termina. Quando iniciamos uma conversa, aumentamos nossas chances de controlar qual o rumo ela seguirá e diminuímos a possibilidade de perdermos o controle.

3 - pergunte: para quê argumentar e ir oferecendo soluções, se não sabemos qual a real necessidade do cliente? A fonte mais confiável é ele mesmo. Dê crédito a isso, mostre empatia com suas necessidades, se coloque no lugar dele. Assim, poderá oferecer realmente, uma solução satisfatória para ambos.

4 - valorize: já escutou a frase "vender dificuldade para colher facilidade"? É mais ou menos assim. Peça alto, desde que tenha argumentos para isso. Lembre-se que ninguém vai oferecer a mais simplesmente por bondade. É uma negociação e saiba disso. Sempre é do que pedimos para baixo.. logo, se passar seu limite no início, não fará um bom negócio.

5 - troque "gentilezas": se for pedido mais prazo, por exemplo, também peça algo que seja bom para você. Ou seja, não dê, troque! O que é de graça, não tem valor.

6 - campo neutro: lógico, negociação não é uma guerra. Mas se for realmente importante e levar a sério sua profissão e o que você faz, haverá pressão. Negociações importantes nunca são calmas. Se for, desconfie.. alguém perdeu. Portanto, tenha mais vantagem possível, jogue no seu campo, onde sentirá mais a vontade. Se não for possível, tente pelo menos um campo neutro, as forças equivalerão.

7 - coloque no bendito papel: pode parecer básico, mais a grande maioria negocia de boca. Infelizmente o "fio do bigode" não existe mais. Você não esta lá para convencer e sim, para fechar negocio. E isto, acontece somente se tiver no papel. Não tenha vergonha de solicitar uma assinatura do que foi negociado, que seja num papel de pão. Muitos falarão que não há necessidade.. aí saia correndo, pegue o papel A4 e autentique no cartório.

Comentar
Compartilhe
Novas tendências em vendas.
15/07/2015 | 10h50

Vendas. Esta simples palavra é fundamental para definir se seu negócio vai prosperar ou afundar. Não só um negócio, mas também uma carreira, partindo do princípio que devemos "vender" bem nossa imagem.

O problema é que todo mundo se considera um bom vendedor, ou acha que vender algo não necessita de estudo ou estratégia. Perdi meu emprego de origem ou formação? vou vender algo.

Abaixo, listamos algumas novas visões sobre estratégias de vendas, que pode abrir caminho para uma carreira promissora ou auxiliar em uma reciclagem profissional:

Quem decide? Geralmente queremos falar com quem decide, principalmente se você quiser vender algo, correto? Não, errado! Procure quem influencia, é não quem decide. Hoje em dia, decide-se em grupo, mas quem tem o poder de influenciar, geralmente são poucos.

Como vender? os produtos são todos parecidos, com os mesmos princípios e poucos diferenciais. Por tanto, o diferencial não é o produto em si, mas como se vende este produto, de que maneira você ou seus funcionários estão vendendo.

Ações de marketing? Internet, sites, emails e afins abrem portas, buscam seus futuros clientes, mas não fecham as propostas. Fique atento a isso, entenda que o estes canais são uma parte do processo, que lhe trouxe o possível cliente, agora cabe a você transformar o interesse em venda concreta.

Você é ágil? Facilite seu processo. Hoje há inúmeras opções de celulares, por exemplo, onde você lê seus emails ou troca mensagens com seus consumidores em tempo real. Existem também impressoras portáteis, scanners e demais equipamentos que estão a nosso favor. Em outras palavras, transforme-se num escritório ambulante.

Comentar
Compartilhe
Planeje suas metas e vendas
22/06/2015 | 11h56

Em tempos de crise, é normal as empresas e por consequente as pessoas que as comandam, perguntarem-se o que fazer para aumentar suas vendas, ou até mesmo mantê-las em um volume aceitável.

Abaixo, listaremos 5 dicas simples, mas extremamente úteis que podem facilitar seu trabalho:

1 - Mantenha a calma: nesta crise, é normal sair tomando atitudes mal pensadas ou até mesmo que não foram planejadas, achando por exemplo, que o preço do produto é o único fator que atrairá vendas. Tenha calma, arrume a casa e mantenha o planejado, estude o mercado e seus clientes. Esta é a hora que muitos tomarão atitudes desastrosas.

2 - Foco nas suas qualidades: dê atenção especial a seus diferenciais, pois muitas empresas focarão apenas no preço, e é esta hora que você fideliza ou adquire novos clientes exigentes, que ficarão com você pelo "valor" do seu produto e não somente pelo preço.

3 - Foco no cliente: entenda as necessidades dele, conheça-os realmente, faça um trabalho de CRM (gestão especial de clientes, do inglês: Customer Relationship Management). Entenda que cliente não é apenas o consumidor final, mas toda o elo da cadeia (produtores, distribuidores, atacadistas...).

4 - Estude os concorrentes: se seus concorrentes vão bem e só você esta mal, a culpa não é do mercado. Veja ao redor, estude o que eles fazem bem (benchmark) e molde a sua realidade.

5 - Qualidade: sem isso, você nada, mas morre afogado. Não adianta fazer planejamento, estudos, ter reservas, se não tem qualidade, tanto do produto/serviço que oferece quantos dos profissionais que são resposáveis em vendê-los. Invista na capacitação deles, ofereça um ambiente de trabalho com estrutura, mesmo que aumente seus custos, que já são altos. Isto é investimento e não gasto.

Comentar
Compartilhe
Sua empresa precisa aumentar as vendas?
05/08/2013 | 05h09

Durante minha carreira conheci muitos “gurus” dando dicas de como aumentar as vendas das empresas no geral.

Para encurtar o assunto, pois este proporciona os mesmos blá blá blás de sempre,  gostaria de compartilhar com vocês, questionamentos simples, propostos pelo professor do IMD (Institute for Management Development)  Sr. Kumar que, assim que respondido, lhe mostrará diretrizes que muitos não imaginavam. Uma dica: o ideal é serem respondidos pela sua equipe, dentro da empresa. Quantos mais participarem, melhor:

1) Por que fazemos negócios desta forma? Por que vendemos assim? Quais fatores do nosso ramo de negócio são considerados "imexíveis" mas poderiam ser questionados?

2) O que oferecemos para o cliente que tem custo alto mas o cliente não valoriza? Quais fatores poderiam ser cortados ou diminuídos sem grandes perdas?

3) O que o cliente realmente valoriza e deveria ser explorado e aumentado ao máximo?

4) Quais fatores poderiam ser criados como novidade ? coisas que nunca foram feitas antes pela concorrência? Onde podemos realmente inovar?

Faça o teste, surpreenda-se e tenha material para preparar sua empresa estrategicamente!

Comentar
Compartilhe
Dicas valiosas para se tornar um bom vendedor!
02/07/2013 | 02h31
10 dicas de como aumentar suas vendas, dada por Len Foley no portal Entrepreneur.com. 1. Mantenha sua boca fechada e seus ouvidos abertos. 2. Venda com perguntas, não com respostas. 3. Demonstre curiosidade pelo seu cliente. 4. Fale com seu cliente como se estivesse com amigos ou família. 5. Preste bastante atenção no que o seu cliente NÃO está dizendo, procure ler nas entrelinhas. 6. Se lhe for perguntada alguma coisa, responda rápida e objetivamente. 7. Somente depois de ter descoberto as reais necessidades de seu cliente mencione o que você está oferecendo. 8. Evite fazer longas apresentações de seu produto 9. Pergunte ao seu cliente se existe alguma barreira que o impeça de prosseguir com a negociação 10. Convide seu cliente a tomar algum tipo de ação, não deixe a venda só pra você. Complementando as dicas a cima, segue mais 5 dicas de como ser persuasivo em vendas, dada por Mike Michalowicz no blog Toilet Paper Entrepreneur: 1. Acredite na sua empresa. Se nem você acredita na sua empresa, como você pode esperara que alguém acredite? Se você não acredita no seu negócio, mude as coisas até que você acredite. 2. Seja interessante. Se um cliente diz que não está interessado, provavelmente significa que VOCÊ não está sendo interessante. Faça as perguntas certas que o faça parar e pensar. Estimule o apetite DELES e encontre uma perspectiva que cause interesse no que eles estão olhando. 3. Treine sua apresentação. Apresentações são essenciais para convencer outras pessoas sobre o que eles devem enxergar na sua empresa. Grave suas apresentações pelo menos 3 vezes e as assista. Você irá rapidamente ver onde você pode melhorar seu discurso. 4. Tenha uma história. Ter uma história faz as pessoas se interessarem e faz elas se identificarem com a pessoa, não só com a empresa. Tenha uma boa história de como você começou, como fez a primeira venda e porque você ama o que faz. 5. Confiança gera confiança. Quanto mais confiante você, mais as pessoas ao seu redor serão. Sempre seja confiante na forma que você fala, se veste e sorri. Estudos mostram que sorrir aumenta sua aparência de confiança em mais de 50%.
Comentar
Compartilhe
Mercado imobiliário: fato!
17/05/2013 | 05h31

Estamos entrando numa fase que investir em imóveis já não trás tanta certeza de alto retorno financeiro, como tempos atrás.

Segundo Paulo Gala, professor de economia da FGV, apesar de estarem em um ritmo mais lento, os preços dos imóveis continuarão a subir. Em relação à procura, ela não vai abaixar, pois o Brasil oferece uma grande oferta e facilidade de crédito imobiliário.

Outro fator que justifica-se manter a alta no preço dos imóveis é o fato de que, nas grandes capitais como São Paulo, Rio de janeiro e Belo Horizonte, a demanda por novos empreendimentos continua grande. Mas em contra partida, há dificuldade em disponibilizar novos projetos no mercado, diminuindo assim, a oferta em relação a grande demanda, sustentando seus preços.

Mesmo assim você não investe por medo da bolha?

O professor Gala comenta: “Não dá para dizer que existe bolha. Em médio e longo prazo pode até surgir problemas no setor, mas por enquanto não”.

Comentar
Compartilhe
Slogan! Crie o seu
22/08/2011 | 10h07

Todos os empreendedores, do micro ao macro, devem saber que é importante para o fortalecimento de sua marca, possuir um slogan que ajude a memorizar e a construir um vínculo do consumidor com a empresa.

O slogan foi criado pelos Celtas, nome dado a um conjunto de povos organizados em várias tribos, localizadas na Europa séculos atrás, como grito de guerra, buscando incentivar seus guerreiros durante as batalhas. Mas como criar um?

Um bom slogan deve ser simples e claro, sendo fácil de memorizar, e principalmente, cumprir seu papel fundamental que é de passar a mensagem desejada pela empresa. Temos slogans que define posicionamento, atributos funcionais, emocionais, tradição, preço, e muito mais.

Podemos citar alguns exemplos consagrados como: Folha da Manhã, a diferença está na qualidade; Bombril, 1001 utilidades; Vivo, conexão como nenhuma outra; Tomou Doril, a dor sumiu; Bohemia, desde 1853; Telha Norte, preço baixo é nosso forte, e muitos outros que conhecemos.

Crie um slogan, sempre buscando ser claro e objetivo, e que passe a essência de seu negócio, que, com certeza, ajudará a associação de seus clientes à sua marca.

Comentar
Compartilhe
Próximo >