Layout da loja? mude!
11/06/2010 | 08h35

Para você que pensa em fazer uma mudança no layout de sua loja, existem algumas dicas básicas para que se obtenha sucesso.

As vendas no varejo são dinâmicas e pedem mudanças e soluções a todo momento.

O importante sempre é buscar a praticidade, para que o cliente possa realizar o “auto-serviço”. Assim, é mais cômodo e deixa o cliente mais a vontade, e você economiza em mão-de-obra.

Fique atento a sazonalidade de seus produtos. Divida-os em compras necessárias e por impulso. Por exemplo, numa loja de roupas, uma camisa pode ser necessidade, já um colar pode ser por impulso. Assim, os produtos de necessidades devem ficar “na cara do gol”, e os produtos por impulso mais ao fundo, estrategicamente colocados.

Outros itens importantes são as cores e a iluminação. As cores mais vibrantes, como o vermelho, podem chamar mais atenção, mas quando usados erradamente, causam certa irritação (por isso os fast foods a utilizam com freqüência, assim o cliente chega, come e vai embora, dando lugar a outro, diferente dos restaurantes onde os clientes ficam muito mais tempo).

Por fim, sempre é importante conhecer (e estudar) seus clientes, pois são as melhores fontes de idéias, afinal, são quem compram seus produtos.

Comentar
Compartilhe
Casas Bahia: prova de que anunciar faz bem!
28/04/2010 | 02h19

O maior anunciante no país em 2009 foi as Casas Bahia, com investimento de R$ 1,2 bilhão.

A linha de produto desse gigante do varejo atinge 186 milhões de consumidores por dia! Estima-se que a rede esteja presente em quase 18 milhões de lares, anunciando em 21 emissoras de televisão, 507 emissoras de rádio, 141 jornais e 33 títulos de revistas. A verba destinada ao marketing corresponde a 3% do faturamento bruto da empresa.

Para se ter uma idéia, em 2008 foram produzidos 27 mil anúncios, 4.3 mil filmes e 5 mil spots.

Aí vem a pergunta: é a maior rede de varejo porque anuncia mais, ou anuncia mais porque é a maior? A resposta é simples. Anuncie, faça propaganda de seu negócio, que com certeza trará retorno.

Comentar
Compartilhe
Novos empregos
09/04/2010 | 02h28

O ano de 2010 está sendo bom em relação à geração de empregos na indústria. Segundo o IBGE, no primeiro mês do ano houve um crescimento de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Já em fevereiro, cresceu 0,6% em relação ao mês anterior.

Mas em contrapartida, no acumulado do bimestre, houve um descenso de 0,2% em relação ao mesmo período de 2009.

Mas a notícia é boa, mostra que o emprego na indústria está se recuperando, abrindo mais vagas e voltando a contratar, principalmente para nossa região, onde é hora de tentar recolocar-se no mercado de trabalho, com o mega investimento no porto do Açu, e empresas que oferecem suporte a esse projeto.

Comentar
Compartilhe
Cosméticos? sim!
08/04/2010 | 08h33

O setor de cosméticos é o que mais cresce no país. O Brasil é o segundo pais que mais consome, ficando atrás somente dos Estados Unidos, e em 2009 o setor movimentou cerca de R$ 25 bilhões.

O segmento que mais vende são os artigos de higiene pessoal, seguido por cosméticos no geral e perfumaria. Um dos motivos desse crescimento é a mudança de conceito do “artigo de vaidade” por “artigo de saúde”, ligando o cuidado com sua aparência ao bem estar pessoal e aumento da auto-estima, enfim, incorporando o “custo beleza” às despesas mensais.

Como exemplo, temos os salões de beleza, que em alguns casos chegam a embocar metade do salário de muitas mulheres, que por sua vez, chegam a usar até 20 itens (!) de beleza e higiene por dia.

Mas aí que está talvez, a grande vantagem deste ramo, pois os homens estão aderindo a esse costume, e o setor de beleza masculina já corresponde a 10% do total das vendas mundiais, e esse número tendo a aumentar cada vez mais.

Comentar
Compartilhe
Redução da jornada de trabalho
01/04/2010 | 10h56

Está sendo discutida a redução da jornada de trabalho, das atuais 44 horas semanas para 40 horas. Isso já faz parte das reivindicações dos trabalhadores desde os primórdios do capitalismo.

Esse é uma discussão longa e polêmica. Há quem concorde alegando, por exemplo, que criará mais postos de trabalhos, outros alegam que aumentará o custo da produção, e assim por diante.

Em minha opinião, polêmica por sinal, deveria ser facultativo. Cada empresário decretar e analisar o que ele quer para a sua empresa e principalmente, para seus trabalhadores. Muitos inclusive já vêm fazendo isso.

Às vezes, a redução da jornada de trabalho gera melhor qualidade de vida, o que pode aumentar a produção. Outras, o custo da mão de obra aumenta e fica difícil a procura por funcionários qualificados, o que gera desemprego aos demais.

Assim, a discussão parece não ter fim, por isso nada melhor do que os próprios empresários resolverem o que é importante para sua empresa e valores.

Comentar
Compartilhe
Chocolate: melhor do que um beijo?
30/03/2010 | 08h36

Segundo a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), a Páscoa deste ano promete um aumento de cerca de 40% em relação ao ano passado.

Lembrando que a data é considerada o 2º Natal para os varejistas.

As grandes redes de supermercados esperam faturar alto e apostam suas fixas num planejamento de marketing voltado ao licenciamento de produtos e marcas próprias, exclusivas.

A rede Pão de Açúcar, por exemplo, prevê um aumento de 45% nas vendas em relação ao mesmo período no ano passado, ou seja, quase o dobro. A estratégia de marketing da empresa é apostar em personagens licenciados, como o Bob Esponja, Penélope Charmosa, Superman, entre outros, e até uma viagem a copa do mundo na África.

Outro grande varejista que espera lucrar nessa Páscoa é o Walmart, esperando aumentar em 20% as vendas dos itens sazonais da data.

Sabemos que os chocolates (principalmente os amargos), atuam de forma positiva no cérebro humano, levando a um prazer que, segundo estudos realizados na Inglaterra, pode superar e muito, a sensação de um beijo.

Alguns podem discordar dessa afirmação, mas para as grandes redes varejistas, se não supera o prazer de um beijo, pelo menos trazem muito lucro.

Comentar
Compartilhe