Segundo jornal, quem não bebe, não enriquece.
26/07/2017 | 16h25
Um tempo atrás, li uma reportagem que me despertou curiosidade. Segundo o jornal The New York Times, um dos mais influentes do mundo, beber é essencial para ter uma carreira profissional promissora e, consequentemente, ganhar dinheiro.
A reportagem afirmava que, quem não bebe álcool é visto com desconfiança e dificilmente consegue fechar um bom negócio.
Imaginando que causaria certa dose (aqui sem duplo sentido) de polemica, a reportagem afirmava que pesquisas apoiavam a ideia de que quem não bebe socialmente, têm dificuldades para subir na hierarquia corporativa. Comprovava isso demonstrando vários estudos onde as pessoas que bebiam ganhavam mais dinheiro do que as que não bebiam.
Na ocasião, foi entrevistado Link Christin então diretor de um programa de tratamento especial para advogados, que faz parte de um centro de recuperação contra álcool e drogas, no estado de Minnesota, nos EUA. Segundo ele, “esperam que você beba, e beber é parte do que você faz; as pessoas ficam meio sérias se você disser que não bebe”. Na opinião dele, resume-se ao fato de que, se disser que não bebe, você tem que lidar com a suspeita de que não sabe jogar.
E no mundo dos altos negócios, a imagem do empreendedor, do homem que se arrisca e se dá bem, vende. Veja o sucesso de James Bond e demais filmes parecidos.
A reportagem cita ainda John Crepsac, um famoso terapeuta de Wall Street, em Nova York, que diz que os investidores que não bebem queixam-se mais comumente de que não conseguem fechar negócios, que não conseguem entrar nas negociações iniciais como deveriam porque não entram no comportamento de beber.
Alguns devem estar lendo e pensando: agora vou chutar o caneco e ficar rico! Não sei se concordo com a reportagem, e também sabemos que existem muitas matérias pagas, mas se tratando de um jornal respeitado, é no mínimo, de se pensar a respeito, e de preferencia se puder, tomando uma gelada.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Fábio Pexe

[email protected]