Personalização (ou customização) dos produtos
26/08/2015 | 15h58

Customização não é só uma brincadeira para agradar alguns consumidores com egos elevados. Ter ou oferecer estes produtos vem se consolidando cada vez mais como um diferencial nos dias atuais. Sim, por que antigamente, quanto maior fosse a escala de fabricação e menor a variedade, melhor seria. Comprava-se o que queriam que comprasse, ou seja, o que tinha disponível e igual para todos.

Empresas que oferecem a possibilidade do possível cliente personalizar os produtos de seu interesse possuem maior número de visitas, frequências e tempo dentro do seu site, em relação a empresas concorrentes que não disponibilizam este serviço. Isso é fato.

Marcas conhecidas como alguns fabricantes de bicicletas e de ternos, já permitem o consumidor construir, ou "criar" seus produtos por inteiro, tomando a frente neste serviço. Aqui no Brasil, uma grande fabricante de móveis do sul do país, já possui máquinas específicas para customização. Ou seja, não basta mais móveis planejados, agora são também personalizados.

A vantagem é que além de ajudarem as marcas a diferenciarem seus produtos, principalmente em uma época onde a qualidade nas grandes empresas é praticamente a mesma, permite que elas interajam mais com seus consumidores, conhecendo seus gostos e desejos, podendo usar estes "dados" ou esta espécie de "feedback" para moldar ou adaptar seus produtos, ao gosto do consumidor, mais rapidamente.

Outra vantagem é o aumento da receita, pois claro, toda customização tem seu valor. A Coca-Cola por exemplo, instalou recentemente em cinemas americanos, mais de 1.500 máquinas de refrigerantes que oferecem mais de 100 combinações de sabores diferentes. O custo? 30% a mais do que as normais.

Até no mercado de imóveis, considerado muitas vezes atrasado em relação a grandes inovações, a ideia de customização é a bola da vez. Já é comum construtoras disponibilizarem para clientes, várias opções de revestimentos (pisos, azulejos e etc) até acabamentos (cubas, bancadas, etc) além de oferecer os serviços de um arquiteto para auxiliar na escolha. Agora, a customização vai além, permitindo que o futuro proprietário escolha uma planta que mais se encaixe com seu estilo de vida, entre várias opções. Assim, permite que em um mesmo edifício, tenha plantas e acabamentos distintos, no ato da entrega das chaves, sendo difícil, muitas vezes, achar um apartamento igual ao outro, o que anos atrás, era inimaginável.

Então não existe crise neste novo serviço? Claro que existe. Opções de mais, interesse de menos, já diria o poeta. Infelizmente nosso tempo está curto e caro, fazendo com que muitos valorizem a praticidade e a rapidez. Além do fato do surgimento das impressoras 3D, onde futuramente ficará fácil seu manuseio, permitindo que você mesmo faça seus produtos no conforto da sua sala.

Comentar
Compartilhe
A arte de negociar
19/08/2015 | 10h41

Estamos sempre negociando. E negócio não existe sem venda. E venda por sua vez, não é somente trocar dinheiro por mercadoria, afinal vendemos nossa imagem, nosso estilo de vida, quem somos e o que somos capazes de fazer.

Assim, desde a hora de levantar até o momento de deitar, presenciamos ou participamos de várias negociações.

Nestes anos todos como profissional, sendo publicitário de formação e vendedor por profissão, observei e aprendi algumas informações que acredito serem úteis em relação a negociações e gostaria de compartilhar:

1 - esteja preparado: faça a lição de casa, planeje, busque informações. Da sua parte, conheça realmente seu produto e o que vai propor. Da parte do cliente, saiba quem é, seu histórico e as opções que ele tem. Sentirá mais confiante.

2 - comece a negociação: geralmente quem inicia, controla quando termina. Quando iniciamos uma conversa, aumentamos nossas chances de controlar qual o rumo ela seguirá e diminuímos a possibilidade de perdermos o controle.

3 - pergunte: para quê argumentar e ir oferecendo soluções, se não sabemos qual a real necessidade do cliente? A fonte mais confiável é ele mesmo. Dê crédito a isso, mostre empatia com suas necessidades, se coloque no lugar dele. Assim, poderá oferecer realmente, uma solução satisfatória para ambos.

4 - valorize: já escutou a frase "vender dificuldade para colher facilidade"? É mais ou menos assim. Peça alto, desde que tenha argumentos para isso. Lembre-se que ninguém vai oferecer a mais simplesmente por bondade. É uma negociação e saiba disso. Sempre é do que pedimos para baixo.. logo, se passar seu limite no início, não fará um bom negócio.

5 - troque "gentilezas": se for pedido mais prazo, por exemplo, também peça algo que seja bom para você. Ou seja, não dê, troque! O que é de graça, não tem valor.

6 - campo neutro: lógico, negociação não é uma guerra. Mas se for realmente importante e levar a sério sua profissão e o que você faz, haverá pressão. Negociações importantes nunca são calmas. Se for, desconfie.. alguém perdeu. Portanto, tenha mais vantagem possível, jogue no seu campo, onde sentirá mais a vontade. Se não for possível, tente pelo menos um campo neutro, as forças equivalerão.

7 - coloque no bendito papel: pode parecer básico, mais a grande maioria negocia de boca. Infelizmente o "fio do bigode" não existe mais. Você não esta lá para convencer e sim, para fechar negocio. E isto, acontece somente se tiver no papel. Não tenha vergonha de solicitar uma assinatura do que foi negociado, que seja num papel de pão. Muitos falarão que não há necessidade.. aí saia correndo, pegue o papel A4 e autentique no cartório.

Comentar
Compartilhe
Significado de marcas famosas
10/08/2015 | 11h13
As marcas representam as empresas, e seus logos são simples de serem reconhecidos, mas poucas pessoas sabem , realmente, seus significados. Abaixo, alguns dos mais interessantes: 1 - Dove: criada exclusivamente para os militares, a marca traz uma pomba em seu logo, simbolizando a paz. 1DOVE 2 - Lacoste: o crocodilo era o apelido do tenista René Lacoste, criador da marca. 2logolacoste3 - Hering: sobrenome do fundador da marca, Hering significa "arenque" (o peixe) em alemão, por isso o símbolo. 3HERING 4 - Nestlé: marca francesa, significa "pequeno ninho". 4nestle 5 - Bacardi: diz a lenda que o local onde se fazia o famoso rum, era frequentado por morcegos.... 5BACCARDI 6 - Java: a marca famosa por seus jogos, tem o café no seu logo, ou seja, hora do descanso. 6java 7 - Bozzano: reparem no B, é o movimento de um homem se barbeando.. 7BOZZANO8 - Credicard: o logo trás um cartão de crédito no centro. 8REDICARD 9 - Mont Blanc: o logo representa um morro na França, visto de cima, coberto de neve. 9montblanc10 - Yamaha: devido a sua origem musical, o logo traz 3 instrumentos de afinações (diapasões). 10YAMAHA  
Comentar
Compartilhe
Site: ferramenta indispensável
04/08/2015 | 11h03

Segundo pesquisas atuais, as empresas que não possuem página na internet, os chamados sites, correm o sério risco de perder mercado para a concorrência. Isto ocorre por que o site (sítio, em português) permite que sua empresa esteja "aberta" 24 horas, 7 dias na semana, e podendo ser visitada por clientes a quilômetros de distância, além de permitir trocar informações com um mercado altamente crescente de aproximadamente meio bilhão de internautas pertencentes a todas as classes sociais, a um custo baixíssimo. Possibilita ainda, a interação com seu público, conhecendo seus gostos e satisfazendo seus desejos.

Mas lembre-se: Possuir uma página na internet requer cuidados e principalmente, capricho. Não só estético, pois muitos preocupam-se somente com isto, e sim, capricho em respeitar seu público-alvo. Ou seja, o site acima de tudo, tem que ser funcional e voltado a quem realmente interessa. Estima-se que 95% das empresas que possuem um site não têm o sucesso esperado, justamente por este motivo. Esquece de seu público e preocupa-se apenas com o "design".

Existem alguns segredos para um site de sucesso. Um deles é usar bastante branco, mudando apenas os tons de fundo, e nos textos usar somente uma família de cores, destacando-se com negrito os títulos. Utilizar o mínimo de banners possível, sendo que este é um recurso utilizado para destacar algo importante tanto para a empresa como para seus clientes. Um bom exemplo é imaginar um grupo com 10 pessoas. Se somente uma estiver com uma melancia na cabeça, ela se destacará, diferentemente se todos estiverem. Aí, será apenas um grupo de pessoas com adereços. Outro truque é respeitar a hierarquia visual, utilizando uma imagem grande no destaque, e ir diminuindo as imagens conforme vai chegando ao fim da página. Isso tudo nunca esquecendo o conteúdo.

Possuir um site na internet é de fundamental importância para as empresas que querem sobreviver nos dias atuais, com o mercado cada vez mais competitivo e implacável com "amadores", e não mais um luxo para poucos. Mesmo por que, hoje existem vários profissionais competentes no mercado, disponibilizando várias faixas de preços e tipos de sites. Faça uma cotação, e verá que o valor não é tão caro quanto se imagina, é o retorno será satisfatório.

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Fábio Pexe

[email protected]