Campanha Citibank. Existe?
30/09/2010 | 10h38

Estas campanhas do Citibank estão correndo pela internet, e muitos acham que não existem, pois nos textos, dizem que foi feita na cidade de São Paulo (onde os outdoors foram praticamente banidos).

A campanha é real e foi exibida em 2006 na capital paulista, portanto antes da lei “cidade limpa” ganhando inclusive, o prêmio Central de Outdoor, (Ouro Nacional na categoria Padrão) com a campanha “Crie filhos em vez de herdeiros”.

Vale à pena conferir, principalmente por se tratar de uma campanha de marketing de um banco, onde o dinheiro é o principal:

“Crie filhos em vez de herdeiros”

“Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete”

“Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela”

“Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama”

“Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas”

“Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho? Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos”

“Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas… e quem sabe assim você seja promovido à melhor pai do mundo!”

“Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos”

Comentar
Compartilhe
A importância do planejamento de vendas
27/09/2010 | 10h41

Quando se monta um negócio, uma das principais necessidades é contratar uma equipe de vendas e treiná-la para falar bem de seus produtos e gerar lucro. Mas não se esqueça de montar uma boa estratégia de vendas, condizente com seu mercado, definindo a abordagem e as técnicas a serem utilizadas.

Tenha sempre em mente, fundamentos como a atenção, conseguida de seus clientes potenciais identificados através da segmentação, o convencimento, mostrando dados e estatísticas que comprovem a qualidade e a necessidade do produto, aumentando o desejo de compra, e a ação, que é à hora do fechamento e bem dominada pelo vendedor, pode garantir a venda.

Esses fundamentos devem ser alinhados com técnicas de fechamento de vendas, como a abordagem direta e objetiva, a negociação com desconto, fazendo com que o cliente tenha a sensação que economizou dinheiro e a oferta experimental, permitindo o contato direto, testando o produto.

Uma boa estratégia de vendas mostra um rumo a ser seguido e é uma maneira de ter sua força de vendas bem sucedida e aumentar o relacionamento e a fidelidade dos clientes.

Comentar
Compartilhe
Texto espetacular: o princípio 90/10 (Stephen Covey)
22/09/2010 | 09h35

Stephen Covey nasceu em Salt Lake City, em Utah (EUA), e é autor de vários best-sellers administrativo. É o autor do texto que segue abaixo, que vale a pena ler e tentar aplicá-lo em nossas vidas, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.

O PRINCÍPIO 90 / 10 - Stephen Covey Que princípio é este? Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.

O que isto quer dizer? Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede.

Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%.

Como? Com sua reação.

Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família.

Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho.

Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.

Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar.

Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal.

Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola.

Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 min. de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta.

Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você. Por quê? Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

Pense: por quê seu dia foi péssimo?

A) por causa do café? B) por causa de sua filha? C) por causa de sua esposa? D) por causa da multa de trânsito? E) por sua causa?

A resposta correta é a E.

Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.

O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: "Está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado".

Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus.

Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.

Notou a diferença? Duas situações iguais, que terminam muito diferente. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.

Aqui temos um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10. Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem. Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

Como reagir a alguém que te atrapalha no trânsito? Você fica transtornado?

Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe? O que acontece se você perder o emprego? Por quê perder o sono e ficar tão chateado? Isto não funcionará. Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.

Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada.

Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o. Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena, sofrimentos, problemas e dores de cabeça. Todos devemos conhecer e praticar o Princípio 90/10.

Pode mudar a sua vida!

Para complementar o texto, segue uma historinha....

O colunista Sydney Harris acompanhava um amigo à banca de jornal. O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro. Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo de Sydney sorriu atenciosamente e desejou ao jornaleiro um bom final de semana. Quando os dois amigos desciam pela rua, o colunista perguntou:

- Ele sempre te trata com tanta grosseria? - Sim, infelizmente é sempre assim. - E você é sempre tão atencioso e amável com ele? - Sim, sou. - Por que você é tão educado, já que ele é tão rude com você? - "Porque não quero que ele decida como eu devo agir. Nós somos nossos próprios donos".

Não devemos nos curvar diante de qualquer vento que sopra, nem estar à mercê do mau humor, da mesquinharia, da impaciência e da raiva dos outros.

Não são os ambientes que nos transformam, e sim nós que transformamos os ambientes.

NINGUÉM PODE ESTRAGAR O SEU DIA, A MENOS QUE VOCÊ PERMITA!

Comentar
Compartilhe
Atendimento ao cliente: a chave para aumentar as vendas
21/09/2010 | 10h04

Muitas empresas sofrem com a queda nas vendas e não sabem o motivo ou o que fazer para reverter este quadro.

É comum culpar a política de preço, o mercado que desaqueceu ou até mesmo, a qualidade dos produtos. Poucas levam em consideração que a queda nas vendas, talvez seja fruto do mau atendimento aos clientes.

Por isso é fundamental que a empresa faça uma análise interna detalhada, tentando descobrir os erros que estão (se estão) sendo cometidos. Este é o primeiro passo, pois permitirá que a empresa concentre seus esforços na qualidade dos serviços prestados, mudando ou inovando seu plano de gestão de clientes. Ou, se perceber que não existe um, é hora de fazê-lo.

Comece fazendo uma análise da concorrência, conhecendo o que esta sendo oferecido e quais os serviços disponíveis no mercado, adaptando-os a sua empresa e aos seus consumidores. Esta estratégia é chamada de Benchmarking.

Assim, ficará mais fácil tomar ações que seus clientes tenham interesse ou julguem necessárias, oferecendo suporte e valorizando seus serviços e produtos, o que causará uma impressão adequada, tornando sua empresa referência em seu ramo de atuação, ajudando a melhorar os resultados e aumentar as vendas.

Comentar
Compartilhe
Estratégia de marketing eficaz
20/09/2010 | 10h58

À medida que o tempo passa, estratégias de marketing que a princípio pareciam inovadoras, ficam ultrapassadas e menos eficazes.

Um bom exemplo é o email marketing que, enviado sem critério, perde completamente seus propósitos. Esta ferramenta de marketing é eficaz e deve ser usada principalmente quando se quer atingir um tipo de consumidor específico.

Assim, é necessário uma estratégia bem definida para que possa atingir realmente quem interessa e, principalmente, quem tem interesse em receber suas notícias e ofertas.

Algumas dicas dadas pelo especialista Jeanniey Mullen, publicadas no site clickz.com, podem ajudá-lo a criar emails de marketing eficazes. Segundo Mullen, é necessário renovar a criatividade de seus emails (ou mala direta) trimestralmente, sendo que o mercado de correio eletrônico sofre constantes mudanças.

É importante também, conhecer as palavras mais buscadas sobre seus produtos ou as palavras que estão relacionadas com a sua marca, assim você poderá criar emails com frases reais, utilizadas por seus clientes. Segundo o autor, esta estratégia pode aumentar em 10% os resultados alcançados.

Por fim, envie emails com felicitações, podendo ser desde parabéns pelo aniversário, quanto de agradecimento pela última compra ou visita a loja. O cliente ficará surpreso pela atenção recebida, aumentando as chances de melhorar a relação entre empresa e consumidor, tornando-o mais fiel.

Comentar
Compartilhe
Percepção de valor
16/09/2010 | 12h04

Esta é uma notícia internacional, que aconteceu em Nova York, com iniciativa do famoso jornal The Washington Post (EUA), que tinha como intenção, lançar um debate sobre valor, contexto e arte.

O texto é mais ou menos assim:

“Um sujeito desce na estação do metrô de Nova York (EUA), com vestes simples: jeans, camiseta e boné. Tira um violino da caixa e com entusiasmo, começa a tocar para a multidão que passa por ali, bem na hora do pico de movimento.

O “concerto” dura cerca de 45 minutos, onde ele foi praticamente ignorado pelas pessoas que passavam (com pressa) pelo local.

O músico era nada mais, nada menos, que Joshua Bell, atualmente um dos maiores violinistas do mundo, executando musicas de compositores consagrados, num Stradivarius de 1713, raríssimo, estimado em mais de 3 milhões de dólares (aproximadamente R$ 5,5 milhões).

O interessante é que alguns dias antes, Joshua Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, com lugares que chegavam a custar à bagatela de mil dólares.

A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, indiferentes ao som do violino.

Como conclusão, percebemos que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto. Bell, no metrô, era considerado uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.

Afinal, o que tem valor real para nós? Será que estamos valorizando somente aquilo que está com etiqueta de preço?”

Comentar
Compartilhe
Ações promocionais
13/09/2010 | 11h15

Ações promocionais para serem criadas, dependem diretamente do público que se deseja atingir.

Também conhecida como Promo, é uma das principais ferramentas de marketing, e tem o objetivo de reforçar a marca e aumentar o faturamento da empresa.

Para a criação dessas ações, a empresa deve conhecer, realmente, seus clientes e o que eles esperam e desejam. De um modo comum, a maioria dos consumidores busca informações sobre o produto/serviço, relacionamento e entretenimento.  Assim, uma promoção de sucesso deve ter estes três fatores integrados.

Crie ações promocionais diferenciadas para determinados grupos de clientes, previamente segmentados ou se for o caso, ações únicas para determinado produto, atingindo seus consumidores diretos e fiéis.

Assim, você terá um diferencial competitivo e bloqueará o avanço da concorrência.

Mas lembre-se: essas ações devem ser claras e objetivas, senão causará confusão para o consumidor e, principalmente, possuir um banco de dados completo e atual, para poder divulgar corretamente. Existem casos de empresas que fazem ações promocionais maravilhosas, mas esquecem de conferir seu banco de dados, prejudicando a divulgação.

Comentar
Compartilhe
Utilidade das cores para o marketing
10/09/2010 | 17h06

Sabemos que a decisão de compra é influenciada por muitos fatores. Talvez o mais importante seja o visual do produto, e, neste item, as cores têm um papel importante na persuasão dos consumidores. Elas também ajudam no reconhecimento de uma marca.

As cores são consideradas de suma importância para os produtos, sendo mais fundamental do que os sons, a textura e o odor, por isso, conhecer quais têm maior poder de persuasão é fundamental.  Abaixo, algumas cores e suas utilidades:

A cor amarela, por exemplo, é utilizada para destacar e chamar a atenção. O azul, muito utilizado em bancos e empresas, passa a sensação de confiança e segurança. A cor verde é processada com mais facilidade pelos olhos e se associa a saúde, passando a sensação de relaxamento.

Comentar
Compartilhe
Conhecendo o consumidor com ética.
08/09/2010 | 13h29
Conhecer os clientes é fundamental para que as empresas alcancem o sucesso desejado, pois saberão seus atos de consumos e poderão oferecer o que realmente lhe interessa. Mas nem todos trabalham com ética. Mas nos últimos dias, temos lido notícias que nos assustam e principalmente, nos preocupam. No centro de São Paulo, e com certeza nos centros das grandes cidades, são vendidos por cerca de R$ 200,00 CDs com dados sigilosos e particulares de consumidores. Aparentemente os CDs contêm nomes, dados cadastrais da lista telefônica, dados do INSS, enfim, dados confidenciais de todos que pagam impostos, podendo o “comprador” até saber o quanto o consumidor ganha. É fato que isto já acontece algum tempo. Sabemos também que até as empresas que possuem esses dados de forma legal, através de sua ficha cadastral por exemplo, os repassam para outras empresas, o que também é abusivo, pois fere o direito à privacidade. Alguns consumidores sabem disso e tomam atitudes radicais. Quando recebem telefonemas de telemarketing por exemplo, desligam na hora. Muitas vezes, até são informações que possam lhe interessar... Alguns Estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Espírito Santo, possuem leis reguladoras onde pode inscrever-se para não mais receber esses tipos de ligações. É importante que os clientes passem os dados para as empresas, pois as que são sérias irão transformá-los em benefícios para os próprios clientes, mas para isso, eles têm que acreditar e confiar no trabalho desenvolvido e, principalmente, enxergar esse retorno nas ações de marketing. Por outro lado, é dever de todas as empresas serem éticas neste assunto.
Comentar
Compartilhe
Cupons para aumentar as vendas.
07/09/2010 | 14h34

Se você esta pensando em uma maneira de aumentar as vendas, não deixe de lado à possibilidade de utilizar os “antigos” cupons, ou vales descontos. Apesar de parecer uma estratégia ultrapassada, as grandes empresas estão voltando a utilizá-la com força.

Multinacionais como a Procter & Gamble, Unilever e Danone voltaram a apostar suas fichas nessa estratégia de marketing, com o objetivo do cliente conhecer melhor a marca, sentir-se atraído, tornando-se fiel.

Para que esse tipo de marketing funcione são necessários alguns cuidados. Fazer uma correta segmentação (selecionando os clientes chaves) e distribuição, que pode ser feita pelo correio, de uma forma mais personalizada, mas com custo mais elevado, ou no próprio ponto de venda, com custo menor é de fundamental importância.

Alguns especialistas afirmam que os cupons com descontos são mais vantajosos para a empresa, do que mexer na política de preço dos produtos, já que este é mais trabalhoso e requer um estudo cuidadoso.

Mas alguns cuidados são necessários como, definir claramente os objetivos e os meios de distribuição, conter fotos dos produtos no cupom, assim como a validade e o valor do desconto (no mínimo 20% em relação ao preço original).

Quanto à validade, não pode ser nem tão longa, e muito menos tão curta. Deve ser suficiente para que o cliente assimile a mensagem, e decida por experimentar o produto.

Tente esta estratégia que, com certeza trará retorno.

Se você esta pensando em uma maneira de aumentar suas vendas, não deixe de lado a possibilidade de utilizar os “antigos” cupons, ou vales descontos. Apesar de parecer uma estratégia ultrapassada, as grandes empresas estão voltando a utilizá-la com força.

Multinacionais como a Procter & Gamble, Unilever e Danone voltaram a apostar suas fichas nessa estratégia de marketing, com o objetivo do cliente conhecer melhor a marca, sentir-se atraído, tornando-se fiel.

Para que esse tipo de marketing funcione são necessários alguns cuidados. Fazer uma correta segmentação (selecionando os clientes chaves) e distribuição, que pode ser feita pelo correio, de uma forma mais personalizada, mas com custo mais elevado, ou no próprio ponto de venda, com custo menor é de fundamental importância.

Alguns especialistas afirmam que os cupons com descontos são mais vantajosos para a empresa, do que mexer na política de preço dos produtos, já que este é mais trabalhoso e requer um estudo cuidadoso.

Mas alguns cuidados são necessários como, definir claramente os objetivos e os meios de distribuição, conter fotos dos produtos no cupom, assim como a validade e o valor do desconto (no mínimo 20% em relação ao preço original).

Quanto à validade, não pode ser nem tão longa, e muito menos tão curta. Deve ser suficiente para que o cliente assimile a mensagem, e decida por experimentar o produto.

Tente esta estratégia que, com certeza trará retorno.

Comentar
Compartilhe
Dados pessoais disponíveis na Internet.
02/09/2010 | 09h10

Um dos grandes problemas sobre as informações pessoais disponibilizadas na internet é a segurança desses dados. Veja o caso atual sobre o vazamento da declaração de Imposto de Renda da filha do candidato a presidente José Serra.

Conforme escrevi em post passado, esses dados são, inclusive, vendidos em CDs na Rua 25 de Março em São Paulo. Mas nem tudo pode ser visto de forma negativa.

Com o avanço da tecnologia, em especial da internet, a disponibilidade de dados está mudando de forma positiva nossas vidas.

Os supermercados, por exemplo, têm mais conhecimentos sobre os compradores, podendo oferecer produtos mais adequados para seu público. O relacionamento entre comércio e cliente tem mudado, muito devido ao maior conhecimento dos consumidores.

A internet quando bem usada, é uma excelente ferramenta que impulsiona o crescimento da sociedade como um todo. A troca de informação é muito rápida, proporcionando o conhecimento de notícias mundiais praticamente no momento em que acontecem. Permite por exemplo, o acompanhamento e o conhecimento (através de dados) dos candidatos políticos, gerando debates, entre os próprios internautas.

Para a publicidade, esses dados disponíveis servem para a criação de campanhas direcionadas ao público de interesse, evitando gastos desnecessários. O marketing tem usado ferramentas como o Google Maps, incluindo uma base de dados dos negócios, com a logomarca e informações comerciais sobre a empresa desejada, além de sua localidade.

Comentar
Compartilhe