Revelado Segredo de um Vinho da Serra Gaúcha
19/01/2020 | 19h42
<div><span style="font-size: 12pt; font-family: 'arial black', sans-serif;">COLUNA DE VINHOS</span></div> <div><span style="font-size: 12pt; font-family: 'arial black', sans-serif;">By Jo&atilde;o Ricardo Correa Rodrigues</span></div> <div><span style="font-size: 12pt;">Vamos a Serra Ga&uacute;cha descobrir um delicioso segredo, n&atilde;o mais guardado pela Vin&iacute;cola Marques Pereira!</span></div> <div>A VIN&Iacute;COLA</div> <div><span style="font-size: 12pt;">A Casa Marques Pereira produz uvas vin&iacute;feras desde 2004 quando foi adquirida a propriedade da Quinta da Orada, em Monte Belo do Sul.</span></div> <div>Tendo os seus vinhos produzidos atrav&eacute;s de parcerias com outras vin&iacute;colas e sob supervis&atilde;o dos en&oacute;logos Marcos Vian e Anderson Schmitz desde a primeira safra em 2005. Inicialmente a inten&ccedil;&atilde;o era que estes vinhos fossem produzidos para consumo da fam&iacute;lia e presenteados a amigos e familiares.</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>No ano de 2015, ap&oacute;s observar o sucesso dos vinhos produzidos com as uvas cultivadas na propriedade da vin&iacute;cola, foi tomada a decis&atilde;o de lan&ccedil;ar uma linha de produtos no mercado. O nome da linha Segredos da Adega remete a estes tesouros que por muitos anos estiveram guardados nas adegas da vin&iacute;cola.</div> <div>&nbsp;&nbsp;<br /></div> <div><span style="font-size: 12pt;"><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/170x96/1_whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_03-1547030.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e24d95d0c033', 'cd_midia':1547030, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_03-1547030.jpeg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '452', 'cd_midia_h': '301', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:452px;height:301px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_03-1547030.jpeg" alt="" width="452" height="301"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce></span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>Os vinhedos s&atilde;o conduzidos predominantemente pelo sistema de espaldeira, com rendimento limitado a 2 quilos de uva por planta. Atrav&eacute;s da agricultura convencional integrada maximizamos os ganhos em qualidade das plantas aproveitando as virtudes do declive, orienta&ccedil;&atilde;o solar e composi&ccedil;&atilde;o geol&oacute;gica de cada parcela da propriedade.</div> <div>Nas margens da estrada que corta a propriedade existe uma pequena Orada (capela de beira de estrada) em estilo neocl&aacute;ssico, s&iacute;mbolo do vinhedo.</div> <div><span style="font-size: 12pt;">A ed&iacute;cula foi constru&iacute;da em 1940 pelo ent&atilde;o propriet&aacute;rio Salvino Panizzi em homenagem a Santo Ant&ocirc;nio. Em regi&otilde;es remotas como as col&ocirc;nias da serra ga&uacute;cha era comum a constru&ccedil;&atilde;o dessas pequenas oradas para as preces do dia a dia. Surgindo assim o nome Quinta da Orada, combina&ccedil;&atilde;o do s&iacute;mbolo da propriedade com a descend&ecirc;ncia portuguesa da fam&iacute;lia Marques Pereira. Dentre as obras de melhoria no vinhedo est&aacute; a restaura&ccedil;&atilde;o e beneficiamento do entorno da capela para uso da comunidade.</span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div><span style="font-size: 12pt;"><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/170x96/1_whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_26-1547031.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e24d95d0c033', 'cd_midia':1547031, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_26-1547031.jpeg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '298', 'cd_midia_h': '207', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:298px;height:207px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_26-1547031.jpeg" alt="" width="298" height="207"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce></span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>Atualmente a Vin&iacute;cola Marque Pereira n&atilde;o est&aacute; aberta &agrave; visita&ccedil;&atilde;o. Uma nova sede j&aacute; tem local e projeto definido e o vinhedo est&aacute; passando por uma reestrutura&ccedil;&atilde;o e moderniza&ccedil;&atilde;o com o intuito de receber da melhor forma poss&iacute;vel os visitantes. Em breve a Vin&iacute;cola ser&aacute; um lar digno de acolher com hospitalidade todos apaixonados por vinhos.</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>&nbsp;<span style="font-size: 12pt;">O TERROIR</span></div> <div>&nbsp;</div> <div>O vinhedo situa-se na cidade de Monte Belo do Sul, localizada no Vale dos Vinhedos. O munic&iacute;pio &eacute; o maior produtor per capita de uvas da Am&eacute;rica Latina. O terroir possui uma &aacute;rea de 15 hectares com altitude m&iacute;nima de 466 metros e altitude m&aacute;xima de 543 metros em rela&ccedil;&atilde;o ao n&iacute;vel do mar. Com um clima temperado e &uacute;mido, possui um solo profundo, arenoso-argiloso e f&eacute;rtil. Encontra-se sobre um derramamento bas&aacute;ltico com granulares pequenos a m&eacute;dios, mineral que forma cerca de 95% de seu subsolo, sendo o restante composto por rochas &aacute;cidas denominadas riolitos, dacitos e riodacitos. Ainda h&aacute; uma parcela &iacute;nfima na composi&ccedil;&atilde;o do solo por cristais de quartzo.</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>Essa forma&ccedil;&atilde;o, al&eacute;m das caracter&iacute;sticas organol&eacute;pticas que acrescentam a produ&ccedil;&atilde;o das uvas, contribui para uma perfeita drenagem do solo e perfeito amadurecimento dos frutos. O vinhedo conta ainda com uma parcela excepcional que est&aacute; localizada sobre um veio de pedras semi-preciosas, a parcela, que chamamos de &ldquo;Cru Jeriv&aacute;s&rdquo;, est&aacute; situada na parte mais alta da propriedade.</div> <div><span style="font-size: 12pt;">Curiosamente este local concentra quase toda vegeta&ccedil;&atilde;o de coqueiros Jeriv&aacute;s da propriedade o que rendeu o nome &agrave; parcela. Al&eacute;m de um subsolo recheado de &aacute;gatas e ametistas &eacute; poss&iacute;vel ver cristais de quartzo e fragmentos de geodos que afloram sobre a terra naquela &aacute;rea.</span></div> <div>&nbsp;&nbsp;<br /></div> <div><span style="font-size: 12pt;"><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e24d95d0c033', 'cd_midia':1547032, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_46-1547032.jpeg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '161', 'cd_midia_h': '207', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:161px;height:207px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_03_46-1547032.jpeg" alt="" width="161" height="207"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce></span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>Informa&ccedil;&otilde;es obtidas no site da vin&iacute;cola: http://www.casamarquespereira.com.br/</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>O VINHO</div> <div>Segredos da Adega Cabernet Sauvignon 2005 (uma das safras hist&oacute;ricas);</div> <div>&nbsp;</div> <div><br /></div> <div><span style="font-size: 12pt;"><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/170x96/1_whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_06-1547033.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e24d95d0c033', 'cd_midia':1547033, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_06-1547033.jpeg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '357', 'cd_midia_h': '635', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:357px;height:635px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_06-1547033.jpeg" alt="" width="357" height="635"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce>Cor: rubi com reflexos alaranjado;</span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div><span style="font-size: 12pt;"><tinymce class="clickTinyMCE" title="{'nm_midia_inter_thumb1':'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/170x96/1_whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_28-1547034.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5e24d95d0c033', 'cd_midia':1547034, 'ds_midia_link': 'http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_28-1547034.jpeg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '813', 'cd_midia_h': '695', 'align': 'Left'}"><figure class="Left" style="width:813px;height:695px;"> <img src="http://www.folha1.com.br/_midias/jpg/2020/01/19/whatsapp_image_2020_01_16_at_16_04_28-1547034.jpeg" alt="" width="813" height="695"> <figcaption> </figcaption> </figure></tinymce></span></div> <div>Aromas: discretos que v&atilde;o evoluindo com o tempo, compota de frutas negras, herb&aacute;ceos, florais como violeta, aromas de couro e baunilha;</div> <div>Gustativo: encorpado, taninos macios, equilibrado e com final longo;</div> <div>Gastronomia: boa cozinha caseira completa seu lado r&uacute;stico e harm&ocirc;nico.</div> <div><span style="font-size: 12pt;">Gratinados de legumes, batatas e massas real&ccedil;am sua fruta e especiarias finas. Grelhados e carnes assadas ampliam seu lado caloroso. Pequenas ca&ccedil;as, cortes especiais e carnes acompanhadas de molho encontram a densidade necess&aacute;ria. Combina com todos queijos curados e de sabor picante.</span></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>Envelhecimento:24 meses em barris de carvalho franc&ecirc;s e 1 ano em garrafa.</div> <div>Temperatura de Servi&ccedil;o: 15 a 18&ordm;C.</div> <div>Teor Alco&oacute;lico: 13% vol</div> <div>Recomenda&ccedil;&otilde;es: Decantar de 1 a 2 horas.</div> <div>Vinho adquirido na loja virtual da vin&iacute;cola: https://www.casamarquespereira.com.br/vinhos/</div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div> <div>&nbsp;</div> <div>&nbsp;<br /></div>
Comentar
Compartilhe
Processo Seletivo para Medicina em Itaperuna
07/01/2020 | 16h08
<div>BNB OPORTUNIDADE</div> <div>&nbsp;</div> <div>Est&aacute; aberto o processo seletivo de transfer&ecirc;ncia interna, externa e reingresso 2020/01 de Medicina UniRedentor<br /><br />Do recente dia 06 de janeiro at&eacute; &agrave;s 22h do pr&oacute;ximo dia 10 de fevereiro, estar&atilde;o abertas as inscri&ccedil;&otilde;es para o processo seletivo de um dos mais cobi&ccedil;ados cursos de Medicina do Brasil, o da UniRedentor, na cidade fluminense de Itaperuna.<br /><br />A sele&ccedil;&atilde;o ser&aacute; em duas fases, sendo a primeira, uma prova<br />espec&iacute;fica, de car&aacute;ter classificat&oacute;rio e a segunda de an&aacute;lise curricular, de car&aacute;ter eliminat&oacute;rio.<br /><br />OBJETIVOS<br /><br />Transfer&ecirc;ncia interna &ndash; exclusivamente para candidatos que estejam regularmente matriculados<br />no primeiro semestre de 2020 em um dos seguintes cursos da &aacute;rea de sa&uacute;de do Centro<br />Universit&aacute;rio Redentor (Campos e Itaperuna): Ci&ecirc;ncias Biol&oacute;gicas (bacharelado), Enfermagem,<br />Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutri&ccedil;&atilde;o, Psicologia, Servi&ccedil;o Social e Medicina Veterin&aacute;ria e que<br />tenham cursado pelo menos um per&iacute;odo em face ao regimento interno da institui&ccedil;&atilde;o;<br /><br />Transfer&ecirc;ncia externa &ndash; exclusivamente para candidatos que tenham cursado e obtido aprova&ccedil;&atilde;o,<br />pelo menos, no primeiro per&iacute;odo letivo de um curso de Medicina autorizado e/ou reconhecido pelo<br />Minist&eacute;rio da Educa&ccedil;&atilde;o (MEC) do Brasil, ofertado em territ&oacute;rio Nacional em Institui&ccedil;&atilde;o de Ensino<br />Superior (IES) credenciada pelo MEC;<br /><br />Reingresso &ndash; exclusivamente para portadores de diploma de curso de gradua&ccedil;&atilde;o autorizado e/ou<br />reconhecido pelo MEC, ofertado em territ&oacute;rio nacional em Institui&ccedil;&atilde;o de Ensino Superior<br />credenciada pelo MEC, nas seguintes &aacute;reas: Biomedicina, Ci&ecirc;ncias Biol&oacute;gicas (bacharelado),<br />Enfermagem, Farm&aacute;cia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterin&aacute;ria, Nutri&ccedil;&atilde;o, Odontologia,<br />Psicologia, Servi&ccedil;o Social e Terapia Ocupacional.<br /><br />Os candidatos ser&atilde;o selecionados pelo referido processo de acordo com a op&ccedil;&atilde;o escolhida, num total de 20 vagas para o 1&ordm; semestre de 2020.<br /><br />As inscri&ccedil;&otilde;es podem ser feitas pelo site da institui&ccedil;&atilde;o: <a href="http://www.redentor.edu.br">www.redentor.edu.br</a> ou pessoalmente na Secretaria Acad&ecirc;mica do Centro Universit&aacute;rio Redentor, BB-356, n&ordm; 25 Sa&iacute;da Norte de Itaperuna.<br /><br />Para mais informa&ccedil;&otilde;es, confira o Edital <a href="http://www.redentor.edu.br">AQUI</a></div>
Comentar
Compartilhe
Aroma, um dos Espíritos do Vinho
05/01/2020 | 20h57
COLUNA DE VINHOS
Por JOÃO RICARDO CORREIA RODRIGUES
Como já vimos em artigos anteriores existem diversos tipos de análises de vinhos com diversas finalidades, já vimos também como realizar e a importância da análise visual. Hoje vamos ver uma das etapas mais importantes na degustação do vinho que é a análise olfativa, no nariz, se revelam todos os aromas diversos da uva com a qual é elaborado o vinho. Os perfumes dos vinhos são originados pelos seus componentes voláteis, que, após várias etapas, transformam-se em aromas que muitas vezes são muito próximos dos que já nos são conhecidos, pois alguns deles têm, na sua origem, substâncias com semelhanças químicas elementares. Por isso, é muito comum sentirmos o cheiro de furtas vermelhas diversas no caso dos tintos ou de frutas tropicais nos casos dos brancos. Esses aromas revelam as particularidades e características principais de cada vinho.
 
 
O vinho é um ser vivo, pois está sempre em evolução e os seus aromas mudam de características constantemente assim que a bebida sai da garrafa para a taça. Essa evolução também ocorre dependendo de como o vinho é degustado, por isso, é necessário estar atento a cada pequena mudança na maneira de degustá-lo para se poder sentir as nuances de seus aromas.
 
 
Podemos dividir os aromas em três grupos:
 
 
Aromas primários – originários da própria uva, tendo ligação com as vinhas onde são cultivadas;
Aromas secundários – resultados do processo de fermentação alcoólica e da passagem por madeira;
 
 
Aromas terciários – que se se originam no envelhecimento na garrafa e se formam a partir dos dois tipos anteriores, formando um complexo de aromas comumente denominado “bouquet”.
 
 
Os principais aromas encontrados em um vinho tinto são os seguintes:
 
 
Florais: rosas, violetas, jasmins, acácias ...
Frutados: cassis, cerejas, ameixas, morango ...
Especiarias: pimenta, cravo, canela, alcaçuz, noz-moscada ...
Animais: caça, carne, pêlo molhado, couro ...
Vegetais: palha, capim, feno, cana de açúcar, cogumelos, chá, fumo ...
Minerais: vulcânico, petróleo, pedra de isqueiro ...
Balsâmicos: resinoso, pinho, eucalipto, baunilha ...
 
 
Ao servir o vinho não agite a taça, coloque o nariz na taça e aspire e tente perceber os aromas presentes, logo após agite a taça para intensificar os aromas e, por fim, coloque o nariz diretamente na taça e aspire, a percepção dos aromas provavelmente será maior.
 
 
Para melhorar a percepção é necessário treinar a sua capacidade de sentir cheiro. Os complexos aromas de cada rótulo exigem uma sensibilidade grande do nariz, e ela só poderá reconhecer aromas diversos se for exposta constantemente a eles. A memória olfativa, que nada mais é que a capacidade de reconhecer aromas da natureza e guardá-los de forma sistemática na memória, é de suma importância para o amante do vinho que quer se aprofundar nesta etapa da degustação.
 
 
 
 
 
 
Por que cheirar a rolha???
 
 
Vinhos podem apresentar defeitos e o mais comum é o vinho bouchonée. A origem do termo vem de bouchon, palavra francesa que significa rolha.
 
 
O vinho bouchonée apresenta um cheiro forte, devido à contaminação da rolha de cortiça pelo T.C.A. (tricloroanisol). É um aroma que lembra cheiro de pano de chão ou papelão molhado, armário de vó e mofo. Quanto mais tempo ficar na taça, mais intenso ficará o cheiro. Não faz mal à saúde. Estima-se que de 5 a 6% da produção mundial de vinho apresenta esse problema. Na prática, é preciso experiência para detectar um vinho bouchonée. Em um grau inicial, muitas pessoas bebem sem nem perceber o defeito.
 
 
 
 
 
 
A Vinícola
 
 
A Halberth é uma vinícola localizada na cidade de Flores da Cunha, Serra Gaúcha, no estado do Rio Grande do Sul. Atua no mercado há mais de 30 anos. Produz espumantes, vinhos de mesa, vinhos finos (tintos e brancos, secos e suaves), coolers (bebida gaseificada, elaborada com vinho branco de mesa, sucos e aromas naturais de frutas) e suco de uva.
 
 
A tradição em produzir bons vinhos vem dos primeiros imigrantes da Família Andreazza. Com Alberto Andreazza, descendentes de imigrantes italianos, não foi diferente, aprendeu o ofício de cultivar a vinha e produzir vinhos com o pai Jiusepe Andreazza.
 
 
Alberto Andreazza possuía uma cantina rural com uma produção própria de 110.000 litros de vinho. Com o passar do tempo a produção e o consumo foram aumentando então decidiu substituir a cantina rural por uma vinícola. Juntamente com os filhos que se aperfeiçoaram com novas técnicas de produzir e armazenar vinhos. No ano de 1983 surgiu a marca Vinhos Halberth, com produção inicial de 300.000 litros em uma pequena área construída.
 
 
essa época a produção era vendida principalmente no estado do Rio Grande do Sul, com o tempo a Vinícola de Alberto Andreazza e Filhos foi aumentando a capacidade de produção e armazenagem, e conquistando novos mercados em outros estados brasileiros.
 
 
Atualmente a Vinhos Halberth produz 1,2 milhões de vinhos anualmente, e tem a capacidade para armazenar em média 2,1 milhões de litros, em pipas de madeira, aço inox e aço carbono.
 
 
 
 
 
 
Vinícola Halberth
 
 
O Vinho
 
 
Vinho Tinto Fino Seco Merlot – Halberth
 
 
Já falamos da Merlot, mas só para relembrar é uma casta amplamente plantada na região Sul do País. Há quem diga que é a uva emblemática do Brasil. É uma das castas da DO Vale dos Vinhedos, autorizada para criar vinhos varietais e assemblage, com mínimo de 60% da casta. A uva também é autorizada nas IPs Pinto Bandeira, Altos Montes e Monte Belo. A Serra Gaúcha segue o padrão da França, o que resulta em bons exemplares.
 
 
O Merlot no Brasil, no geral, tem aromas e sabores de frutas vermelhas. Os aromas são delicados de frutas mais frescas, já os sabores remetem a frutas mais ácidas, como framboesa e morango; taninos firmes equilibrados pela acidez.
 
 
Produzido a partir de uvas selecionadas não passa por barril de carvalho.
 
 
Cor, vermelho rubi;
 
 
Aroma, fruta preta, ameixa e amora, notas de café torrado;
 
 
Na boca, taninos marcantes com acidez um tanto áspera e sabor persistente.
 
 
Com o tempo na taça apresentou um bom equilíbrio
 
 
Recomendo, uma boa relação custo benefício em torno de R$ 30,00 à 40,00.
 
 
 
 
O vinho de hoje foi adquirido com o Sr. Ariceu Tesche, Gaúcho de Santa Cruz do Sul, representante da Vinícola Halberth, que de forma heroica cruza os rincões desse imenso Brasil, levando os produtos da Serra Gaúcha, dentre eles os vinhos tintos finos e de mesa, sucos, compotas e doces da mais alta qualidade.
 
 
 
 
Quem quiser adquirir os produtos, o Sr. Ariceu passa temporadas em Muriaé – MG (Hotel Arrastão Plaza) e em Itaperuna – RJ (Posto Itavana, Bairro Aeroporto), Tel: 51 9595-8245.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
Comentar
Compartilhe