Porto do Açu terá uma espécie de Shopping
28/02/2018 | 20h11
 A Euro Urbanismo iniciou nesta semana a construção da Estação Açu, centro de conveniência que será desenvolvido no Complexo Portuário. Com 8 mil m² de área total, sendo 2 mil m² de área bruta locável, a Estação Açu será uma área voltada para facilitar a oferta dos serviços que auxiliarão o funcionamento do Complexo Portuário do Açu. Esse empreendimento é uma parceria entre o Porto do Açu e a Euro.

O projeto, que prevê investimentos de R$ 3 milhões, contará com salas comerciais, lojas, praça de alimentação, um espaço coworking e um centro médico. Entre os serviços que poderão ser prestados no local estão restaurantes e bancos, além de escritórios para agentes marítimos, contadores e prestadores de serviços, entre outros.

O projeto foi baseado em pesquisas com clientes atuais do porto e vem para atender uma demanda destes clientes. “Esse projeto vem ao encontro de demandas dos nossos clientes por conveniências e facilidades para o dia-a-dia”, explicou Rafael Viana, Business Developer do Porto do Açu.

“A Estação Açu é mais uma facilidade para as empresas que se instalam no Porto. Estamos com diversas conversas avançadas com interessados em se instalar no projeto e estamos bastante otimistas”, disse Igor Pessanha, responsável pela comercialização da Estação Açu. O desenvolvimento do Centro é realizado pela Euro em parceria com um grupo de investidores, incluindo um empresário de Campos dos Goytacazes.

A previsão é que a operação da Estação Açu seja iniciada no segundo semestre de 2018.
Comentar
Compartilhe
O Combate às Fake News e seus Agentes
28/02/2018 | 19h01
Cresce a demanda de serviços para o combate de Fake News no Brasil
 
Em ano eleitoral, politicos contratam agencias de marketing digital para combater Fake News, mas empresários também reagem.
 
A Silicon Minds, uma empresa de MKT digital com escritórios no Vale do Silicio e em Miami é um exemplo de inteligência a serviço do bem. Ela atende grandes empresas e celebridades brasileiras. Segundo Fernando Azevedo, sócio da Silicon Minds, a demanda de combate a Fake News por parte dos clientes gerou um novo serviço a ser prestado. Fernando se orgulha de ser a primeira empresa a oferecer o serviço no Brasil.
 A internet no Brasil tomou um rumo mais grave do que nos EUA, afirma Fernando: "As noticias falsas, fake news, estão pipocando com muita velocidade seja trazer trafego, seguidores ou vendas na internet.

Como agencia de marketing digital, tivemos que fazer inicialmente foi pedir ajuda a nossa equipe de gerenciamento de redes sociais para nos ajudar a montar o serviço e conseguimos bolar uma estratégia para combater as noticias falsas."

Veja aqui as principais tarefas do Blue Print de Defesa de Fake News da Silicon Minds versão 1.0

1) Alerta do Google e redes sociais com os nomes dos nossos clientes. Assim podemos identificar rapidamente o surgimento das noticias negativas e suas origens.

2) Plano de denúncia para noticias falsas nas grandes redes sociais e mecanismos de busca de modo que possamos reportar rapidamente e de forma correta uma notícia falsa para que as redes sociais e mecanismos de busca possam tomar as devidas providencias.

3) Pedido aos nossos mais de mil colaboradores online através da nossa rede de seguidores que nos ajudem a reportar rapidamente a noticia falsa para que o pedido chegue rápido a atenção dos repensáveis das redes sociais e mecanismos de busca

4) Intimação processual a origem da noticia falsa para que o responsável prove a origem da notícia.

5) Noticias nas redes sociais do cliente avisando a existência da noticia falsa e pedido aos fãs que reportem as noticias.

6) Denúncia e exposição de praticantes de cyberbully e criadores de noticias falsas na internet.

Apesar de nossos blue prints estejam em evolução constante, temos confiança que este serviço evitará problemas maiores para nossos clientes e intimidará aqueles que desejam prejudicar os negócios e imagens dos nossos clientes.

De acordo com Luiz Gastão Bittencourt, presidente dos conselhos do Sesc e do Senac do Rio de Janeiro, não só os políticos são alvo das “fake news”. Grandes empresários e também grandes empresas são vítimas das matérias falsas (fake news), provocando com isto a busca de serviços de MKT digital para a devida proteção.
 
 
 
Comentar
Compartilhe
As Charretes de Petrópolis: Param ou Continuam? Plebiscito decidirá
28/02/2018 | 09h15
Plebiscito em Petrópolis sobre uso de tração animal em passeios turísticos será realizado no 1º turno das Eleições 2018
 
O presidente do TRE-RJ, desembargador Carlos Eduardo da Fonseca Passos, determinou que o plebiscito sobre o uso de tração animal em passeios turísticos em Petrópolis, convocado pela Câmara de Vereadores do município , deverá ser realizado juntamente com o primeiro turno do pleito de 2018, conforme previsto no art. 4º da Resolução TSE nº 23.385/12, "por melhor se alinhar às diretrizes de responsabilidade financeira por parte da Administração Pública". A Lei 9.709/98, que regulamenta o plebiscito, referendo e a iniciativa popular, prevê que, se aprovado ato convocatório de plebiscito ou referendo, caberá à Justiça Eleitoral fixar a data da consulta popular.
Comentar
Compartilhe
Garotinho e a Mudança de Partido
27/02/2018 | 10h17
O ex-prefeito de Campos e ex-governador do Rio Garotinho está se encaminhando para o PROS-Partido Republicano da Ordem Social. A informação foi dada pelo blog Tempo News.

No lugar de Garotinho no PR-Partido da República, deve ficar Altineu Cortes.
Altineu é primo do atual secretário de Agricultura do Estado do Rio, Jair Bittencourt-PP, deputado estadual licenciado.
Comentar
Compartilhe
Os imóveis e as dívidas tributárias
27/02/2018 | 10h05
Bem imóvel pode ser usado para quitar dívidas tributárias. Advogado explica
 Agora vai ser possível quitar dívidas tributárias mediante a entrega de um bem imóvel do devedor à União. No dia 8 de fevereiro, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional - órgão da União Federal, responsável pela cobrança de créditos a ele devidos – editou a PGFN nº 32, que regulamentou a possibilidade de quitação de débitos na forma de algo que não estava originalmente na obrigação.
De acordo com a Portaria, para que um bem imóvel seja aceito pela União, ele deve ser de propriedade do devedor e estar livre de quaisquer ônus. “ Não serão aceitos bens de difícil alienação, inservíveis ou que não atendam aos critérios de necessidade, utilidade e conveniência a serem aferidos pela Administração Pública”, explica o advogado Renato Tardioli, sócio do escritório Tardioli Lima Advogados.
O imóvel deverá passar por uma avaliação, feita por instituição financeira oficial, quando o imóvel for urbano, ou pelo Incra, no caso de imóveis rurais. “A entidade avaliadora deverá emitir um laudo que indique o valor atribuído ao imóvel que se pretende dar em pagamento do débito tributário”, completa Renato.
Segundo o advogado, aí está a principal crítica à iniciativa. “O processo de avaliação é muito burocrático e pode gerar divergências no que se refere ao valor atribuído ao imóvel”, diz. “Isso pode tornar impossível operacionalizar, oferecer e aceitar este tipo de garantia”.
Outras questões a serem observadas – O imóvel ofertado para quitação dos débitos tributários deve abranger a totalidade do débito que se pretende liquidar, com atualização, juros, multa e encargos legais, sem quaisquer descontos. Segundo Tardioli, “caso o valor de avaliação do bem seja menor que o devido, o contribuinte poderá complementar a diferença em dinheiro”.
Vale ressaltar, que numa situação contrária – ou seja, quando o imóvel vale mais que a dívida a ser quitada – a aceitação do acordo ficará condicionada à renúncia expressa do devedor, em escritura pública, do ressarcimento de qualquer diferença. “É uma das razões pelas quais o contribuinte precisa analisar criteriosamente todas as condições impostas para oferta e aceitação de imóveis pela Procuradoria da Fazenda Nacional antes de tomar qualquer medida”, alerta o advogado.
A burocracia não para por aí: o pedido de extinção do crédito tributário deverá ser realizado por meio de requerimento direcionado à Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) do domicílio tributário do devedor, com os documentos exigidos na Portaria. “Quem tiver débitos que já estejam sendo discutidos judicialmente, precisará desistir da ação, renunciando a quaisquer alegações de direito sobre as quais se fundem as mesmas”, completa Tardioli.
Comentar
Compartilhe
Embraer vende Aeronaves para a KLM
26/02/2018 | 11h40
KLM expande sua frota com dois novos Embraers

Modelos E175+ e E190 chegarão em Schiphol neste sábado; companhia, que opera somente com Embraer na Europa, ainda receberá quatro aeronaves da fabricante brasileira

Nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, a KLM Cityhopper (KLC), subsidiária regional do Grupo KLM na Europa, recebeu duas aeronaves da geração atual de jatos Embraer, o modelo E175+, com registro PH-EXU, e o modelo E190, com registro PH-EXV. A KLC opera na Europa exclusivamente com as aeronaves da fabricante brasileira, tendo 45 aviões em sua frota.

A entrega da 14º Embraer E175+ e 31º Embraer E190 marca um passo importante no processo inovador e contínuo de renovação da frota da KLM. Depois de eliminar o Fokker, e com base nas suas características tecnológicas avançadas dos jatos da Embraer, a KLM Cityhopper opera de maneira mais sustentável, utilizando menos combustível e, assim, reduzindo as emissões de CO2. Em comparação com o Fokker 70, a aeronave E175+ mais recente usa até 22% menos combustível.



10 anos de relacionamento entre KLM Cityhopper e Embraer

A primeira entrega de uma aeronave Embraer à KLM ocorreu em 2008 e desde então outras 44 já estão na frota da companhia. A aeronave Embraer também sustenta o objetivo da KLM, de sempre focar em seus clientes. As novas aeronaves oferecem mais conforto e espaço, contribuindo para que seus passageiros tenham experiências memoráveis.

A KLM Cityhopper atualmente opera a maior frota da Embraer na Europa. Em meados de 2018, a frota completa da KLC consistirá em 49 aeronaves produzidas pelo fabricante brasileiro de aeronaves. A entrega do 46º Embraer é esperada em abril.



Comentar
Compartilhe
Ex-jogador da seleção brasileira de futebol apronta de novo
24/02/2018 | 10h45
DEU NA COLUNA DO LÉO DIAS, EM O DIA
Bárbara Thuller, mãe de dois filhos do pentacampeão Roberto Carlos, acusa o ex-jogador de estar movendo uma ação de despejo contra ela e os filhos. A família atualmente mora em um apartamento em Itaperuna, no interior do Rio. "Sou mãe, trabalhadora e mulher. Não quero nada dele. Apenas a moradia que ele deu para meus dois filhos", disse Bárbara.
Comentar
Compartilhe
Ex-Primeira Dama Falece
24/02/2018 | 09h50
Antônia Maria Gôuveia Fernandes, a D. Toninha, esposa do ex-prefeito de Itaperuna, Alfredo Paulo Marques Rodrigues-Alfredão, faleceu aos 58 anos de idade, hoje pela manhã na residência do casal no Bairro Cehab. 
O sepultamento será logo mais às 16h, no Vale das Orquídeas. O corpo está sendo pranteado na Casa de Velórios na Rua Buarque de Nazareth, Centro de Itaperuna.
ALTERAÇÃO
O velório foi transferido para a Câmara Municipal
 
Comentar
Compartilhe
A Emoção de uma Formatura
22/02/2018 | 14h35
A saga das formaturas: uma etapa se conclui, outra começa
Nino Bellieny

Início de ano uma expectativa percorre a mente de todos os formandos: assim como no final e meio de cada período, eles estão focados nas últimas provas e consequentemente nas colações de grau.
Todos os esforços, as noites esticadas até o último piscar de olhos diante dos livros, cadernos e apostilas, a acumulação dos estudos com as tarefas de suas profissões no dia-a-dia, cedem espaço para a tão sonhada formatura.

Na UniRedentor, com seus inúmeros cursos, a eletricidade emocional é multiplicada nas centenas de universitários que irão pegar seus canudos e mudar de vez para melhor, as suas vidas.

Quando o mestre de cerimônias chamar um por um; os professores homenageados discursarem; os alunos chorarem em suas despedidas; os reitores encerrarem as colações; os capelos voarem ao som de gritos e aplausos do público e dos formados, não será o fim, mas apenas o começo de uma etapa desafiadora, porém estimulante, a do novo emprego, do novo destino, muito mais valorizado, afinal eles terão em mãos um diploma validado por um Centro Universitário de excelência e o conhecimento adquirido em anos de elaborado ensino superior.

As formaturas da UniRedentor são emocionantes porque provam a vitória dos que fizeram por merecer, valendo a pena todo o investimento feito ao longo do curso.

Comentar
Compartilhe
Propaganda Eleitoral tem nova padronização
22/02/2018 | 13h17
TRE-RJ publica instrução normativa para padronizar fiscalização da propaganda eleitoral


Na sessão plenária desta terça-feira (20), o TRE-RJ referendou a publicação da Instrução Normativa Conjunta 01/2018, que dispõe sobre as rotinas para o exercício do poder de polícia pelos Juízos Eleitorais em relação à propaganda eleitoral nas Eleições 2018 e regulamenta o processamento dos expedientes próprios à fiscalização. A íntegra do documento pode ser acessada aqui .

O ato normativo tem como objetivo padronizar os procedimentos relativos à propaganda eleitoral em geral e disciplinar a execução de medidas de urgência adotadas no âmbito da fiscalização, especialmente quando voltadas à apreensão de bens e materiais utilizados em práticas ilícitas.

Um dos pontos abordados na instrução é a possibilidade de o juiz eleitoral aplicar multa de natureza coercitiva ("astreinte"), para o caso de descumprimento das medidas fixadas para inibir a prática de condutas eleitorais ilícitas. Outra novidade é que as intimações destinadas aos partidos, coligações e candidatos serão realizadas, preferencialmente, por meio eletrônico, endereçadas aos correios eletrônicos e números de telefones celular, via WhatsApp.
A instrução normativa tratou, ainda, da propaganda na internet. Ficou estabelecido que, caso o provedor descumpra ordem judicial para a retirada de conteúdo, o juiz poderá determinar a suspensão de seu CNPJ e o bloqueio de bens e valores existentes em nome da empresa, de forma que fiquem retidos e bloqueados os valores existentes nas respectivas contas ou aplicações até o efetivo cumprimento.

Denúncias

As denúncias de ilícitos eleitorais recebidas pela Justiça Eleitoral serão submetidas à apreciação do juiz responsável pela fiscalização da propaganda eleitoral no respectivo município.
O magistrado poderá determinar que a equipe de fiscalização efetue a constatação da irregularidade, preenchendo o Relatório de Fiscalização da Propaganda Eleitoral, ou decidir pelo arquivamento, após intimação da Procuradoria Regional Eleitoral, quando verificar que a denúncia não contém elementos mínimos e suficientes para apuração, que não se trata de irregularidade a ser sanada pelo exercício do poder de polícia, ou que a propaganda noticiada é regular.

Caso constate que se trata de propaganda eleitoral irregular, o juiz eleitoral determinará a intimação do responsável ou do beneficiário para retirada, com a devida restauração do bem ou, quando for o caso, regularização, em até 48 horas, sob pena de remoção ou regularização da propaganda pela Justiça Eleitoral. Na hipótese de reiteração da infração, não é necessária a intimação prévia, sendo permitida a atuação imediata do juiz eleitoral e da equipe responsável pela fiscalização.

Concluídos todos os procedimentos de fiscalização os autos serão encaminhados, com vista, ao Ministério Público Eleitoral com atribuição para atuação junto ao Tribunal Regional Eleitoral, a quem compete ajuizar ação, se considerar cabível. Neste ano, todas as representações referentes às eleições deverão ser ajuizadas por meio do sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe), inclusive aquelas instruídas com os procedimentos de fiscalização da propaganda eleitoral, que serão digitalizados.
Comentar
Compartilhe
Mais Atenção na Hora de um Processo Trabalhista
22/02/2018 | 13h11
A reforma trabalhista e a moralização do acesso à justiça
Artigo de Renato Tardioli
Todo trabalhador brasileiro pode – e deve – recorrer à Justiça quando seus direitos e benefícios, previstos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e na Constituição Federal, são desrespeitados. Mas, infelizmente, os Tribunais Regionais do Trabalho lidam, diariamente, não só com reclamações bem fundamentadas, mas também, com outras inconsistentes ou que envolvem indenizações descabidas.
Este é um cenário que já começou a mudar após a implantação da Reforma Trabalhista, que teve por objetivo primordial regulamentar novas formas de contratação de trabalhadores, bem como sua relação com o empregador. Por que isso acontecia? Porque era muito fácil para o trabalhador – e não trazia qualquer ‘risco’ financeiro – iniciar um processo trabalhista.
Em muitos casos, especialmente se ainda não estava trabalhando, o reclamante conseguia acesso à justiça gratuita, o que o isentava de custas processuais. Quase sempre, as empresas acionadas já se antecipavam a fazer algum tipo de acordo, já prevendo que estavam em desvantagem – ou porque realmente deviam algo ou pelo simples fato de ser o empregador, a parte ‘mais forte’. E, se o empregado perdia, ele simplesmente perdia, não tinha que arcar com qualquer tipo de despesa – honorários da parte contrária, perícias ou custas do processo.
Esta realidade fez com que os Tribunais Regionais do Trabalho em todo o país recebessem, em média, 200 mil novos casos em primeira instância por mês, segundo dados do Tribunal Superior do Trabalho. Antes da reforma trabalhista entrar em vigor, o volume foi ainda maior. Porém, em dezembro de 2017, primeiro mês em que já se aplicavam as mudanças, este número despencou: caiu para 84,2 mil.
Há duas razões que podem explicar esta queda. Uma delas envolve dúvidas sobre como os juízes vão aplicar a nova lei. O Tribunal Regional do Trabalho é dividido por região. Cada um tem o seu entendimento, e leva um tempo até que estas questões sejam submetidas ao Tribunal Superior do Trabalho. Não há previsão sobre quando haverá consolidação ou o entendimento de muitas delas.
Outra razão é que, caso o empregado perca o processo, ele pode ser condenado a pagar as custas processuais da parte vencedora, bem como os honorários de sucumbência, que envolvem as perícias e despesas com os advogados. A possibilidade de perder dinheiro, além do processo, certamente inibiu grande parte das demandas.
Por fim, o que se pode afirmar, com certeza, é que o Direito Trabalhista ainda enfrenta o desafio de entender todas as mudanças que vieram com a reforma e ver como elas vão funcionar – ou não – na prática. Independentemente de eventuais dúvidas e inseguranças, a boa notícia é saber que não há mais impunidade para as reclamações infundadas e abusivas. É a moralização do acesso à justiça trabalhista.
Renato Tardioli é advogado e sócio do escritório Tardioli Lima Advogados.
Comentar
Compartilhe
Rock nas Montanhas Capixabas
22/02/2018 | 12h16
Rock in Caparaó: as montanhas vão ‘tremer’ em Pedra Menina, Caparaó Capixaba
Perto do itaperunense e dos outros moradores do Noroeste Fluminense, as montanhas capixabas e mineiras tornaram-se um destino turístico mais requintado nos últimos anos. Um exemplo é o distrito de Pedra Menina. Lugar conhecido por suas inúmeras cachoeiras e belezas naturais, Pedra Menina (Caparaó Capixaba), no município de Dores do Rio Preto, verá suas montanhas ‘tremerem’ durante o Rock in Caparaó, nos dias 16 e 17 de março, no Armazém Caparaó.
E, na programação  estão Felipe Monteiro, Trio Help Rock, Mesa 4 Rock Bar, Tocaia Matuta, Polifonia, Capital Secreta, além de DJs. 
O Armazém Caparaó situa-se na Estrada Municipal do Caparaó, s/nº, Pedra Menina, Dores do Rio Preto-ES.
PEDRA MENINA
O distrito de Pedra Menina fica a 9 km da Portaria Capixaba do Parque Nacional do Caparaó. Assim como toda região, o distrito tem no café a grande força econômica, com o turismo passando a ser muito mais valorizado pela localidade.
A altitude é de 2.120m. O nome vem da formação de uma das rochas, que segundo populares, assemelha-se ao formato de uma mulher deitada de perfil.
Privilegiado com várias cachoeiras, é um dos caminhos para o Parque Nacional do Caparaó, onde se localiza o Pico da Bandeira
E lá em Pedra Menina, está o genial Armazém Caparaó, sinônimo de wine bar, cervejas especiais, petiscos, produtos regionais e diversas outras iguarias mais, dentro de um container em meio à natureza, respeitando e se integrando ao meio ambiente, proporcionando ao visitante múltiplas sensações. Ladeado por cachoeiras, o Armazém Caparaó é o lugar que se deseja estar com os amigos. Boa música, diversão, entretenimento e muita gente bonita são ingredientes que transformaram o local no melhor point da região.
------
Baseado em texto de  Eusébio Dornellas/ Agência Comuniqque - www.comuniqque.com
Comentar
Compartilhe
Mantidos Inelegíveis um ex-prefeito e um deputado federal
22/02/2018 | 11h06


O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro rejeitou, na sessão plenária desta quarta-feira (21), os embargos de declaração ajuizados pelo ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (MDB) e pelo deputado federal Pedro Paulo Carvalho (MDB) contra a decisão da Corte que, em dezembro do ano passado, condenou os dois por abuso de poder político-econômico e conduta vedada a agente público nas Eleições 2016. Com isso, eles permanecem inelegíveis por oito anos e deverão pagar, cada um, multa de 100 mil UFIRs (cerca de R$ 106,4 mil). Cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Por quatro votos a três, o Plenário rejeitou todas as alegações apresentadas pela defesa, dentre as quais a de suposta violação dos princípios do contraditório e da ampla defesa. "Para a concessão de efeito modificativo a embargos de declaração, há necessidade de erro manifesto, o que não ocorre aqui", afirmou o presidente do TRE-RJ, desembargador Carlos Eduardo da Fonseca Passos, que proferiu o voto de desempate.

O relator do processo, desembargador eleitoral Antônio Aurélio Abi-Ramia Duarte, recordou, em seu voto, a tese desenvolvida no TRE-RJ por ocasião do julgamento que cassou o diploma do atual governador do estado. "Não é crível que os candidatos ora investigados, de maneira ingênua, queiram a anuência do Poder Judiciário para legitimar práticas administrativas supostamente lícitas, mas entremeadas de benesses a seus grupos políticos, burlando a lógica do sistema eleitoral vigente através de contratação administrativa que repercuta no pleito eleitoral, sem a devida informação aos eleitores", redigiu o magistrado.

Em seu voto, o relator afirmou ainda que "a ida ou não do candidato investigado para o segundo turno, a forma de divulgação do plano de campanha e a menção ou não à futura candidatura no lançamento do projeto são questionamentos de circunstâncias que, longe de serem importantes para o deslinde da lide, revelam somente a irresignação dos embargantes com o resultado desfavorável do julgamento". Além de Abi-Ramia e do presidente Fonseca Passos, também votaram pela rejeição dos embargos o desembargador federal Luiz Antônio Soares e a desembargadora eleitoral Cristina Feijó. Já pelo provimento, votaram o desembargador Carlos Santos de Oliveira e os desembargadores eleitorais Herbert Cohn e Cristiane Frota.

Entenda o caso

Em 11 de dezembro do ano passado, o TRE-RJ, ao dar parcial provimento a recurso eleitoral, condenou, por unanimidade, o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes e o deputado federal Pedro Paulo Carvalho, que concorreu à Prefeitura do Rio em 2016, por abuso de poder político-econômico e conduta vedada a agente público, devido ao uso do "Plano Estratégico Visão Rio 500", contratado e custeado pelo município, como plano de governo na campanha eleitoral nas últimas eleições. Em 5 de fevereiro deste ano, o julgamento dos embargos de declaração (recurso destinado a esclarecer contradição, omissão ou obscuridade de uma decisão judicial) opostos por Paes e Pedro Paulo havia sido suspenso devido a um pedido de vista do desembargador eleitoral Herbert Cohen, tendo sido retomado nesta quarta-feira.

Processo relacionado: ED no RE 1705-94
Comentar
Compartilhe
Alunos Sem Kit Escolar Até Agora
21/02/2018 | 11h00
Depois do propalado sucesso do kit escolar distribuído pela Prefeitura de Itaperuna no ano passado, seria natural uma 2ª edição, mas o ano letivo 2018 já começou nas escolas municipais sem o novo conjunto de material. Algumas unidades enviaram aos pais uma lista de compras, o que sinaliza negativamente, pelo menos por enquanto outro kit tão festejado como de 2017.
Comentar
Compartilhe
Lanchonete de Chineses Usava Ração de Cães nos Salgadinhos
21/02/2018 | 10h46
 
Em Madureira, no Rio, uma lanchonete bombava, era a que mais vendia salgadinhos. Isso até ontem, quando a Vigilância Sanitária do Rio fechou o local depois de achar baratas passeando na geladeira, alimentos vencidos e talvez, a razão do sucesso da casa: ração de cachorro misturada com carnes de frango e boi.
Três chineses donos do ponto foram levados para a 29ª DP para prestarem esclarecimentos.
 
 
Comentar
Compartilhe
Cassado Presidente do Itaperuna Esporte Clube
21/02/2018 | 09h28
EM 1ª MÃO
No fac símile a seguir, estão expostos os motivos e a decisão judicial que levaram à cassação do até então presidente do Itaperuna EC, que tenta voltar aos tempos de glória. Em consequência, ontem 20 de fevereiro foi eleito novo mandatário, sendo eleito o ex-jogador do clube e contabilista Ademir Vicente.
Comentar
Compartilhe
A volta do Jornal do Brasil no formato impresso
19/02/2018 | 12h56
Texto de Euler de França Belém 
Em busca de retomar o prestígio de outra, o “Jornal do Brasil” reassume o formato impresso e seu novo dono diz que “gente importante” vai escrever em suas páginas


Omar Peres, novo dono do Piantella em Brasília, põe o “Jornal do Brasil” nas bancas em maio deste nao
Uma coisa é: jornais e revistas estão fazendo das tripas coração para viabilizarem-se na internet. Até agora, não conseguiram. Os veículos impressos faturam mais, financeiramente, do que os digitais. É isto que tem retardado os jornais de tornarem digitais de vez. Enquanto não resolvem a contradição — acesso cada vez maior versus menos dinheiro na internet —, os jornais enxugam as edições impressas e reduzem seus quadros de profissionais. Nelson Tanure, que nunca entendeu de jornalismo, ao contrário da família de Nascimento Brito, comprou o “Jornal do Brasil” e, sobretudo para reduzir custos, decidiu editá-lo exclusivamente no formato digital. Parecia moderno e, teoricamente, outros veículos deveriam seguir o mesmo caminho, o que colocaria o grande “JB” na vanguarda da mudança “bem-sucedida”.  
Ocorre que ninguém seguiu o pioneiro, que, no lugar de se tornar cisne, se transformou no patinho feio do jornalismo. Se já não estava bem, inclusive no impresso, o jornal ficou pior, e praticamente desapareceu, no sentido de que se fala muito da “Folha de S. Paulo”, do “Estadão” e de “O Globo”, mas o “JB” saiu dos comentários — dos bons e dos ruins. O jornalismo não pode deixar o leitor indiferente; no caso do “JB” atual, o da internet, o leitor fica inteiramente indiferente, não tem, é provável, qualquer opinião a respeito.



Cansado de ser considerado como o “fantasma da internet”, o “Jornal do Brasil”, agora na mão de novo dono, voltará ao jornalismo impresso, o que, por certo, acabará por fortalecer o jornalismo digital. O que não se deve esperar é que o “JB” volte a ser o “JB” de outrora, quando era considerado não “um” mas “o” jornal. Era o jornal referencial; existia o “JB” e os “outros”. Lá pontificaram luminares como Janio de Freitas, Ferreira Gullar, Mário Faustino, Reynaldo Jardim, Elio Gaspari, Alberto Dines, Roberto Pompeu de Toledo, Marcos Sá Corrêa, Mario Sergio Conti, Mário Pontes (ótimo crítico literário), Wilson Figueiredo, Villas-Boas Corrêa (pai de Marcos Sá Corrêa), Carlos Castelo Branco (o insuperável Castelinho), Wilson Figueiredo, Walter Fontoura.
Não dá mais para montar um time com, digamos, cinco jornalistas de quilate parecido. Primeiro, há o custo, que, na verdade, é investimento, mas é visto pelo patronato como custo. Segundo, os mencionados estão acima da média (alguns morreram). Terceiro, os melhores repórteres estão empregados e talvez não queiram embarcar no que pode ser uma aventura. Quarto, como será o novo “JB”? Retornar ao passado, não dá — é óbvio. Qual será a aposta para o presente?



Sérgio Rangel, da “Folha de S. Paulo” (sábado, 18), publicou uma reportagem com informações sobre o novo destino do “JB”, que será dirigido pelo empresário Omar Peres, que, como Nelson Tanure, não tem experiência com jornalismo. Sua área básica é gastronomia. Há indícios de que, ao contrário do antecessor, vai investir mesmo em jornalismo de qualidade? Não se sabe. A indicação de um editor qualificado é o primeiro passo para saber que música vai tocar. A “Folha” não informa o nome de nenhum jornalista.

Segundo Sérgio Rangel, “o objetivo” de Omar Peres “é vender diariamente cerca de 30 mil exemplares do ‘novo JB’. Inicialmente, a publicação terá dois cadernos, um com 16 páginas e outro com seis, e aos domingos ganhará uma edição ampliada com 24 páginas no primeiro caderno”.

“Gosto de investir em ícones que ficaram na alma das pessoas e da sociedade. Por isso, nunca morrem. Acho que o ‘JB’ é a mesma coisa. Faz parte da alma desta cidade”, afirma Omar Peres. “Ex-dono de uma afiliada da Rede Globo em Minas Gerais, o empresário é proprietário de restaurantes tradicionais do Rio, como La Fiorentina e Bar Lagoa. Sua última aquisição foi o Piantella, reduto de políticos em Brasília”, afirma o empresário. No Rio de Janeiro, atua também na área imobiliária. A questão é que jornalismo é comida para o espírito — não para a pança.



“O Globo” circula no Rio, em Brasília e em São Paulo (em poucas bancas, frise-se). O “JB” não será diferente. O jornal vai circular tão-somente nas bancas do Rio e não terá serviço de assinaturas. O jornal começa a circular em maio.

“As pessoas sentem falta do jornal e queremos resgatá-las. Faremos um produto carioca que fale do Rio, que ofereça uma visão do Brasil e do mundo, mas que tenha informações exclusivas sobre o que acontece aqui”, diz Omar Peres. Na verdade, a ideia semelhante ao projeto original do “JB” (um lançador de modas e comportamentos), mas será muito difícil colocá-lo em pé de novo. Sem contar que o espaço-líder hoje está “ocupado” por “O Globo” — que melhorou muito, inclusive encampando algumas ideias do ex-concorrente e, durante algum tempo, contratando alguns de seus melhores profissionais.

O novo “JB”, se for menos pretensioso, mas sobretudo se for um bom jornal, com reportagens mais amplas e opinião equilibrada e multifacetada, já estará bem. Hoje, no Rio, não há um jornal que se possa sugerir como segundo colocado, atrás de “O Globo”. O “lugar” está vago, pois “O Dia” concorre com o “Extra!” — não com “O Globo”. Se o “JB” conseguir se tornar o segundo colocado, uma espécie de primo pobre mas charmoso (por que não oferecer uma página para Ruy Castro ou Sérgio Augusto escreverem o que quiserem?), os leitores não vão reclamar. Não precisa ser, portanto, o “JB” de outrora. Basta ser um bom jornal, bem informado, criativo, atento e, quando possível, divertido.

30 profissionais

A redação do “JB” terá 30 profissionais (a reportagem da “Folha” não especifica se são 30 jornalistas, ou, se no número, estão incluídos repórteres e fotógrafos). A sede do jornal será na Avenida Rio Branco, no centro do Rio. Omar Peres sustenta que vai investir em qualidade jornalística: “Vamos ter gente importante escrevendo”. Resta saber, quando o jornal começar a circular, o que o empresário entende por “gente importante”. No Brasil, gente importante equivale, às vezes, a estrelas (atores) de televisão.

Um dos pontos fortes do “JB”, nos tempos áureos, além da forte cobertura política, eram os textos de esporte e internacional. Na nova versão, a redação nada vai produzir nesta área, exceto, eventualmente, algum reportagem especial. “Vamos usar o material das agências. A maior parte dos assuntos de Brasília também virá dessa forma”, assinala Omar Peres. O jornal não terá correspondentes internacionais. O empresário assina, na próxima semana, “o contrato para usar a marca” do “Jornal do Brasil”.

O “JB” está fora das bancas desde 31 de agosto de 2010. Há quase sete anos. Mas, para a maioria dos brasileiros, o jornal continuará digital…

Comentar
Compartilhe
Assalto na Principal Ponte de Campos
19/02/2018 | 12h23
Em depoimento ao vivo agora há pouco na rede social, a cidadã Erica Viana sofreu uma tentativa de assalto em plena pista da ponte General Dutra sobre o Rio Paraíba do Sul, a principal de Campos do Goytacazes. Ela conseguiu escapar, deixando seu veículo e correndo até se abrigar no Presídio Feminino Nilza da Silva Santos, de onde telefonou para a PM.
VEJA AQUI
Comentar
Compartilhe
A mulher e o menino. Sexo surpreendido pela polícia
19/02/2018 | 10h30
Ela tem 46 anos, trabalha em banco, ele tem 13 anos e foi abordado na praia, com um pedido de namoro. Ambos seguiram para o Morro do Moreno em Vila Velha-ES, mas o romance não foi à frente, sendo interrompido pela polícia, desconfiada do carro parado no local considerado perigoso. O sábado da mulher terminou na delegacia onde foi acusada de estupro de vulnerável, cuja pena vai de 8 a 14 anos de sol quadriculado.
Fonte-G1
Comentar
Compartilhe
Intervenção Federal no Rio
16/02/2018 | 11h59
Intervenção na Segurança do Rio vai durar até o final do ano. Secretário da pasta, Roberto Sá foi afastado.
Comentar
Compartilhe
Alvará Eletrônico em Itaperuna
06/02/2018 | 17h48
Itaperuna recebe do Estado do Rio certificado de Adesão ao REGIN para emissão de Alvará Eletrônico.

A Secretaria de Receita de Itaperuna participou, na manhã desta terça-feira (06), da cerimônia de entrega dos certificados de adesão ao Sistema de Registro Integrado – REGIN, para a emissão de Alvará Eletrônico, em comemoração aos 10 anos da Redesimples no Estado do Rio de Janeiro. O evento aconteceu no Salão Nobre do Palácio Guanabara, na capital.

O município já integra as 38 cidades do Estado que adotaram o sistema facilitador, desde maio de 2017, e os empresários já contam com esse serviço que, no máximo 72 horas, conseguem abrir uma empresa cumprindo com todas as legalidades dos órgãos responsáveis, como Receita Federal, Secretaria de Fazenda, Corpo de Bombeiros e Prefeitura. Antes, esse processo demorava cerca de dois meses.

“Esse certificado é muito importante porque comprova que o governo municipal está fazendo a cidade avançar e a tecnologia nisso faz toda a diferença”, disse Martha Valéria Esposti, secretária de Receita.

Também estiveram presentes o secretário de Turismo de Itaperuna, Alexandre Boechat, coordenador de Controle Interno, Fabiano Rocha, vice-governador do Rio, Francisco Dornelles, presidente nacional do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, secretário nacional da Micro e Pequena Empresa, José Ricardo Veiga, entre outras autoridades.

Comentar
Compartilhe
Sobrepreço em Secretaria Municipal de Saúde Itaperunense Faz TCE Adiar Licitação
02/02/2018 | 18h14
Adiada compra de medicamentos em Itaperuna
O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) adiou, nesta terça-feira (30/01), edital enviado pela Secretaria Municipal de Saúde de Itaperuna, para aquisição de medicamentos para a farmácia judicial e a Coordenação da Assistência Farmacêutica, no valor estimado de R$ 12.814.309,20. A decisão seguiu o voto do conselheiro Rodrigo Melo do Nascimento, que identificou, "falhas na demanda estimada" e "significativo sobrepreço para diversos itens que compõem o orçamento".
Ao atual prefeito de Itaperuna, o TCE-RJ determinou, entre outros itens, que "justifique as quantidades estimadas, demonstrando a demanda dos quantitativos fixados no edital" e "explique a exigência de descrição da marca do medicamento", além de ter que "enviar documentação que comprove que foi realizada ampla pesquisa de preço compatível com o mercado".
A licitação permanecerá adiada até que o gestor cumpra todas as determinações do tribunal.
Veja Mais Aqui
Comentar
Compartilhe
Recuperação de Estradas Vicinais
02/02/2018 | 18h06

Secretaria Estadual de Agricultura vai recuperar mais de mil quilômetros de estradas vicinais até o fim do ano



O Diário Oficial de quarta-feira (31) publicou o aviso de concorrência pública para as empresas interessadas em operacionalizar as máquinas e equipamentos que integram as patrulhas mecanizadas do programa e que vão realizar o trabalho. Os recursos são provenientes de parte de verba adicional do Banco Mundial aprovada no ano passado para investimento no Rio Rural.

– Essa parceria com o Banco Mundial é de extrema importância para que as metas possam ser cumpridas nos municípios do estado do Rio de Janeiro. O nosso objetivo é melhorar as condições de trabalho e de vida dos produtores e da população – afirmou o Jair Bittencourt.

Desde sua criação em 2010, o Estradas da Produção já fez a manutenção e recuperação de mais de 30 mil quilômetros de vicinais, atuando em todo o território fluminense em parceria com as prefeituras. Em virtude das restrições orçamentárias do Estado, o programa foi redirecionado e passa a atender às microbacias contempladas pelo programa de desenvolvimento rural sustentável.

Nessa nova etapa, também estão incluídas obras de revestimento primário com brita corrida e compactada ao leito em 89 quilômetros das vias nas microbacias. A execução e fiscalização dos trabalhos, a serem concluídos até o fim do ano, serão feitos pelas equipes da Engenharia Rural da Emater-Rio e corpo técnico da Secretaria de Agricultura.

Confira os municípios onde estão localizadas as microbacias que receberão as obras: Bom Jesus do Itabapoana, Itaperuna, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula, Varre-Sai, Aperibé, Itaocara, Miracema, Santo Antônio de Pádua, São José de Ubá, Cambuci, Cardoso Moreira, Italva, Macuco, São Fidélis, São Sebastião do Alto, Bom Jardim, Cantagalo, Carmo, Cordeiro, Duas Barras, Nova Friburgo, Carapebus, Conceição de Macabu, Macaé, Quissamã, Santa Maria Madalena, Trajano de Morais, Campos dos Goytacazes, São Francisco do Itabapoana, São João da Barra, Sapucaia, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Teresópolis, Araruama, Cabo Frio, Cachoeiras de Macacu, Itaboraí, Magé, Rio Bonito, Saquarema e Tanguá.
Comentar
Compartilhe
Febre Amarela em Varre-Sai
02/02/2018 | 10h17
Luta contra a doença começou no início do ano passado na cidade noroestina do Rio
Reportagem de Silaine Terra
 A Campanha de Intensificação da Vacinação contra Febre Amarela que aconteceu no último sábado (27/01) imunizou apenas 76 pessoas em Varre-Sai. A baixa procura foi devido ao trabalho realizado no início de 2017, com grande mobilização de toda a estrutura do governo municipal e principalmente do prefeito de Varre-Sai, Silvestre José Gorini, que solicitou doses da vacina ao secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior. Na ocasião, foram enviadas 8.700 doses da vacina.
O município que não teve registros de casos da doença foi um dos primeiros do Estado do Rio de Janeiro a realizar a imunização contra a febre amarela, seguindo as orientações do Ministério da Saúde em fazer um bloqueio nos municípios limítrofes aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, onde a doença avançava, inclusive com mortes.
A vacinação aconteceu das 08 às 16h, na Escola Municipal Carlos Magno Fabri Martins, e teve como público-alvo pessoas entre 9 meses e 59 anos que não tenham recebido nenhuma dose da vacina, exceto na presença de contraindicações.
De acordo com a Coordenação de Imunização, da Secretaria Municipal de Saúde de Varre-Sai, cerca de 90% dos moradores do município estão imunizados contra a doença.
“A partir de 2018, a vacina contra a febre amarela passa a fazer parte do calendário nacional de imunização para crianças que completaram 9 meses no ano de 2017 e aqueles que ainda não tenham nenhuma dose da vacina podem procurar a sala de vacina, exceto as contraindicações. Ressalvo ainda que a vacinação é um meio de prevenção, portanto, mantenham o cartão de vacinação em dia”, afirmou a coordenadora de Imunização, enfermeira Regiane Aparecida Ferreira.
Quem ainda não foi imunizado contra a doença poderá procurar a sala de vacina, localizada no Centro de Saúde, às quartas-feiras, de 8 às 12h. Sendo que a sala de vacina funciona todos os dias de 8 às 16h, para as demais vacinas.
“Lembramos que o município não tem casos da doença. No ano passado, realizamos uma campanha com boa cobertura vacinal, quando recebemos um bom número de doses da vacina que solicitei ao secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio. Intensificamos a vacinação em virtude do risco iminente, com surto da doença nos estados vizinhos do Espírito Santo e Minas Gerais, como forma de impedir o avanço da doença no município e Estado”, ressaltou o prefeito, Silvestre Gorini.
Comentar
Compartilhe
Itaperuna Cria Equipe para Jogos Online
01/02/2018 | 13h03
UniRedentor Entra Firme no Universo Fantástico do League Of Legends

Desafiador e criativo, o League of Legends- lol, é um dos games que mais crescem em todo o mundo. "É um jogo online que mistura a intensidade e a velocidade de um RTS- Real Time Strategy, (Estratégia de Tempo Real),um gênero de jogos de computador com elementos de um RPG- Role-Playing Game, em português, jogo de representação de papéis. Duas equipes de poderosos campeões, cada uma com design e estilo único, lutam em diversos campos de batalha e modos de jogo. Com um elenco de campeões em constante expansão, atualizações frequentes e uma cena competitiva exuberante, League of Legends oferece diversão incessante para jogadores de todos os níveis de habilidade."

Os jogadores do Lol, fazem parte da maior comunidade online de jogos do mundo e desenvolvem táticas, estratégias e raciocínios úteis ao dia a dia de qualquer atividade profissional.

Diante deste sucesso todo, a UniRedentor resolveu criar uma equipe para competir em alto nível. E assim nasceu a Redentorianos, pronta para os combates das grandes competições universitárias. A UniRedentor dona de dois poderosos cursos como Sistema de Informação e de Jogos Digitais via EAD, entrou para valer no campo de batalhas.
Com a supervisão do professor Raphael Ramos, mentor do desenvolvimento da equipe, o aluno Thiago Gomes convidou os colegas do curso de Sistemas de Informação, Ediandro Ferreira, Cayro Vinícius, Matheus Aguiar, César Liberatori e Caleb Jr. marcando território e deixando claro que, a Redentorianos, chega para ficar.

O mercado de e-sports é atualmente o mais crescente no mundo e movimenta milhões de dólares, com jogadores vivendo profissionalmente como se fosse praticantes de futebol,basquete, golf, tênis e outros quaisquer. A Redentorianos Team vem treinado forte e muito motivada pelo apoio integral da UniRedentor, vai participar de todos os campeonatos universitários que puder, seja online ou presencialmente. A entidade é a primeira da região a aderir ao esporte, no qual mais de 80 equipes do mesmo tipo já estão, afinal a IES tem um papel fundamental na equipe: por regras da própria Riot Games, entidade que regulamenta e fiscaliza o League of Legends, um time universitário só pode existir se estiver vinculado à alguma instituição de ensino e todos seus participantes precisam estar devidamente matriculados na instituição.

É mais um ponto precioso para quem deseja cursar Sistemas de Informação ou Jogos Digitais Ead na UniRedentor: conquistar uma vaga na equipe.
Comentar
Compartilhe