Senador Péricles abre mão dos vencimentos
30/12/2014 | 15h09
Senador até o dia 31 de Janeiro de 2015, assumindo a vaga deixada pelo, em breve, vice-governador do Rio, Francisco Dornelles-PP, o ex-prefeito de Itaperuna por 3 vezes, Péricles Olivier de Paula-PP, afirmou que vai abrir mão dos vencimentos a que teria direito pelos poucos mais de 40 dias no Senado Federal. Além de outras prerrogativas inerentes ao cargo. [caption id="attachment_356" align="alignnone" width="234"]Péricles Olivier de Paula Péricles Olivier de Paula[/caption]
Comentar
Compartilhe
GUARDAS MUNICIPAIS ENTRAM EM AÇÃO
30/12/2014 | 15h02
Há mais de 15 dias circulando pelas ruas de Itaperuna, depois de um treinamento intensivo junto aos policiais do 29 BPM,  com direito à palestras de especialistas em trânsito, Direito e segurança, os 39 novos guardas municipais de Itaperuna, estarão efetivamente atuando a partir do dia 2 de Janeiro de 2015, controlando o tráfego e multando inclusive. No momento, a atuação é educativa e preventiva. Três mulheres fazem parte da equipe e há intenção de aumentar o número de integrantes. A escala de serviço é das 07 da manhã ás 13h e daí até às 19h. Tudo o o que dita o Contran- Código Nacional de Trânsito será observado atentamente pela GMI. Portanto, o velho hábito de ignorar o uso do cinto de segurança e o de atender ao celular enquanto se dirige, serão notificados sem dó.   [caption id="attachment_316" align="alignnone" width="275"]A GMI, o comando do 29 BPM e o prefeito no dia da formatura da guarda. A GMI, o comando do 29 BPM e o prefeito no dia da formatura da guarda.                                                 ft- odiariodonooreste.[/caption]   [caption id="attachment_317" align="alignnone" width="275"]A GMI ft- noroesteonline A GMI
ft- noroesteonline[/caption]
Comentar
Compartilhe
Faculdade coloca Itaperuna em destaque no país.
29/12/2014 | 15h04
Deu no site da Revista Exame, e ganhou repercussão no blog da Luciana Portinho. A Redentor confirmou-se entre as melhores faculdades particulares do Estado do Rio e do Brasil. Em pouco tempo de existência, a IES- Instituição de Ensino Superior, nascida em Itaperuna, conquistou o sucesso e começa a se espalhar pelo território fluminense: [caption id="attachment_340" align="alignnone" width="300"]Itaperuna se projeta bem  em todo o país através de uma de suas IES.                                ft-NB Itaperuna se projeta bem em todo o país através de uma de suas IES.                                                                                                          ft-NB[/caption] Já está em Campos há 25 meses,  inaugura em breve a unidade de Paraíba do Sul e entrou em processo de credenciamento para a Redentor Metropolitana, no Grande Rio. Números excepcionais para uma adolescente de 12 anos. E o arremate é mais forte ainda: em se tratando de faculdade com mais de 10 cursos, a Redentor ficou em primeiro lugar em todo o Brasil.
Comentar
Compartilhe
SuperMix fecha as portas
27/12/2014 | 11h48
Deu no blog do bem informado Renato Freitas, um dos mais acessados de Itaperuna. [caption id="attachment_345" align="alignnone" width="300"]ft-Renato Freitas ft-Renato Freitas[/caption]  Confira aqui o fim do supermercado, o único que funcionava no Centro da  cidade.  
Comentar
Compartilhe
Quadrinhos do BlogNB
27/12/2014 | 10h47
desenho-NB
Comentar
Compartilhe
Adultos Mandam Email para Papai Noel
25/12/2014 | 19h36
Ao Ilustre Papai Noel Um amigo, o Nino, me sugeriu escrever uma carta para Você. Meu pedido para Papai Noel é que entregue aos  brasileiros que trabalham, um aplicativo denominado  Climol. O Climol educa as pessoas que dispõem do aplicativo a se tornarem  profissionais  com ética, respeito às outras pessoas e vontade de crescer e de fazer todos com os quais convive a também crescerem. A serem mais produtivos a cada dia. Se cada um fizer isto, em seu âmbito de atuação, com certeza teremos Organizações com seus times mais unidos, mais felizes, com mais vontade de crescer, de evoluir. Teremos um único time. Um time vencedor. Acredite que isto é possível. Abraços do Amigo Paulo Roberto Falcão Prof. e Administrador [caption id="attachment_327" align="alignnone" width="241"]Paulo Roberto Falcâo ft-Arq-Pess Paulo Roberto Falcâo-            ft-Arq-Pess[/caption] -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Papai Noel, salve o nosso Brasil! Luiz Leite Araújo Desembargador de Justiça Querido papai noel! Gostaria que nesse natal o senhor trouxesse no coração de cada pessoa o nascimento e o amor do menino Jesus! Gizele Andrade Pires  Nutricionista --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------   Querido Papai Noel, sei que neste ano poderia me doar mais, ser mais paciente e solidária, mas, agradeço por cada dia, cada desafio e obstáculo que me fazem renovar a fé em Deus e seguir no barco comandado pelo Senhor  Jeseus. Comportei-me direitinho, ou melhor, um pouco... Tudo bem, Papai Noel, deixa que eu mesma compro o meu presente rs rs rs Peço apenas que abençoe e proteja todos meus familiares, amigos e conhecidos, trazendo um Ano Novo de muita saúde, paz, amor e harmonia, além é claro de concretizações e bênçãos sem medidas.  Que a luz do Natal esteja presente em todos os dias deste ano que se iniciará. Ahhh papai Noel, prometo ser melhor no próximo ano e obedecer direitinho meu pai e meu filho,( dentro do possível, é claro). Obrigada por cada dificuldade que sou capaz de transformar em aprendizado. Feliz 2015! Lili Bustilho Jornalista [caption id="attachment_329" align="alignnone" width="225"]Lili Bustilho- Jornalista Lili Bustilho-[/caption]
Comentar
Compartilhe
Casal de Estrangeiros Precisa de Abrigo
24/12/2014 | 15h08
Os dois não falam português, nem inglês ou espanhol, e essa dificuldade em comunicar-se é vencida com muito esforço por sinais e gestos. Consegue-se perceber que vieram de algum país do Oriente Médio. Perderam o passaporte e estão sem nada, apenas as roupas que usam. São muito simples, a mulher está grávida, prestes a dar a luz. O marido, tem bem mais idade; ela é uma adolescente muito bonita e tem uma pureza sem fim no olhar. Vieram visitar parentes na Zona da Mata Mineira-MG e acabaram se distraindo na rodoviária de Itaperuna, perdendo o único ônibus com destino à cidade desejada, além da pouca bagagem e o dinheiro que foi junto. O idioma incompreensível para muitos ao redor, lembra o hebraico. Pelo estado avançado de gravidez, a mulher não pode ficar ao relento, o homem, está aflito, mas, confiante. Meu caro leitor, por acaso, poderia abrigá-los em sua casa? Por uma única noite. Pode ser num quarto dos fundos, na garagem, qualquer lugar protegido do sol e da chuva será bem-vindo.   download (1)    
Comentar
Compartilhe
Alexandre da Auto Escola é reeleito para presidente
23/12/2014 | 15h09
Dos 13 vereadores de Itaperuna, 11 optaram em manter o atual presidente da Câmara Municipal  para os próximos dois anos. Não se sabe ainda quem votou contra. A sessão de ontem, correu tranquila, sendo a ocasião usada para  homenagear o senador Péricles Olivier de Paula-PP, pelo mandato assumido em Brasília, dia 19 de Dezembro, extensivo até o dia 31 de Janeiro, na vaga deixada pelo futuro vice-governador Francisco Dornelles-PP. Alexandre Pereira da Silva-PP, atuou durante anos como instrutor e diretor de auto escola, incorporando a função ao seu nome político. Para a mesa diretora, os vereadores Emanuel  "Nel" Medeiros,  José Alberto "Tim" Chiarelo Tinoco, e José Francisco Machado Moreira.   Eleição-na-Câmara-de-Itaperuna-03-300x200 NOTA DO BLOG A CMI entrou em recesso onteme só retorna em 02 de Fevereiro de 2015. Dois meses de férias. Nada mal...
Comentar
Compartilhe
Um Motorista Educado
23/12/2014 | 10h43
Ele se chama Adeildo Lannes Silva. Trabalha na Santa Lúcia, única empresa de transporte urbano de passageiros em Itaperuna. Não tem noção de  que está sendo observado, mas, a sua educação e respeito é visível. Sabe parar o veículo nos locais certos, sai sem solavancos, não acelera em demasiado, obedece as leis do trânsito,  recebe os passageiros mais idosos com atenção e se despede de todos. O calor da manhã vai aumentando, e ele não se altera. Não é de muitas palavras, mas, seus gestos são mais do que profissionais. São humanos de verdade. [caption id="attachment_312" align="alignnone" width="224"]Adeildo Adeildo Lannes[/caption] ft-NB    
Comentar
Compartilhe
365 Dias Felizes. É Possível?
23/12/2014 | 10h17
Por Pedro Paulo de Souza* Olá! Estou aqui pra desejar-lhe um feliz natal e um feliz ano novo! Mas não é, assim, um ano novo só de 1º de janeiro, não. É um ano novo de 365 dias. Um ano novo cheio de paz! De paz interior, pelo menos. Sim, eu sei que lá fora a luta é grande, e que você vai precisar combater o bom combate.   Por isso, eu desejo-lhe luz! Desejo discernimento. Que você consiga chegar aonde precisa, antes que chegue aonde deseja. Que você passe direto, sem esbarrar nos obstáculos, e atinja a sua meta. Que seja produtivo. Que ao pegar no arado, não olhe para trás. Você é ótimo ,  tem o seu valor, acredita em si mesmo . Quem não acredita, às vezes, é o outro. Mas, e daí, não é mesmo?!   Por isso, eu sei que você vai lutar, vai conquistar, vai vencer, vai progredir, vai namorar, vai  viajar, vai amar, vai sorrir, e até chorar se for preciso! Mas você há de sair vitorioso neste  ano novo! Além de tudo, eu estou bem aqui do seu lado, estou na sua torcida, vibrando, gritando o seu nome. Sim, você vai se lembrar disso quando, em meio à luta, se sentir fraco, cansado, com medo, ou mesmo, sem saber o que fazer. Vai se lembrar que não está sozinho. Que até os pássaros e os cães também torcem por você!   Então, eu também desejo, que, nos momentos difíceis, você deixe tudo e vá estar com eles,  que faça contato com outras espécies de seres que respiram o mesmo oxigênio que você!   Recupere os sentidos, o ritmo natural e descanse um pouco. Depois, retorne ao bom combate,  pois a luta continua, companheiro . Sempre, sempre, sempre!   Mas, no meio dessa luta desenfreada em que o humano ser se lança, cotidianamente, meu  amigo , você há de convir, que muitos estão necessitados de um help. Muitos foram  ferozmente atingidos em suas sensibilidades, em sua emoção mais profunda.   Outros estão desesperados, com suas energias alteradas, com o ritmo acelerado. Estressados. E ainda outros estão com muito medo. Medo de bichos, medo de pessoas, de ladrões, de serem assaltados, de ficarem doente, de que aconteça alguma coisa à uma pessoa querida, e também medo de morrer, de repente.   Alguns chegam mesmo ao transtorno do pânico. Já não podem fazer nada com naturalidade, pois, “parece que algo muito ruim está para acontecer”. E o que dizer dos que caíram no “pântano de areia movediça” da chamada depressão? E por mais que tentem sair, mas se sentem afundando nesse “pântano”.   Há também os que tiveram perdas emocionais e que, por conta disso, acabam, também, atraindo perdas materiais.   Claro que eu gostaria imensamente e, sinceramente, que todos, como num passe de mágica,  ficassem bons, equilibrados e felizes para sempre, como nas belas histórias infantis de final  feliz! Mas, felizmente, estou bem crescido pra saber que “sem fazer a nossa parte” nem Deus pode fazer nada por nós! Esses que estão vivendo esses processos de desequilíbrio emocional aqui descritos, precisam imediatamente de cuidados emocionais: Precisam ter seus traumas neutralizados, ter sua energia vital redirecionada, e a consequente retomada do seu equilíbrio. Precisam da ajuda de um profissional. Precisam, porque não, de um psicoterapeuta. Feliz 2015! E vai ser!   *Psicoterapeuta e parapsicólogo [caption id="attachment_219" align="alignnone" width="300"]ft- portal.ufpa.br ft- portal.ufpa.br[/caption]
Comentar
Compartilhe
Festa de Final de Ano do 29º BPM
20/12/2014 | 11h32
unnamed (35)Oficiais, sub-oficiais e praças do  Batalhão Guardião do Noroeste reuniram-se na sede social do Lions Clube de Itaperuna para uma confraternização entre familiares e amigos. Sorteio de brindes, presentes para as crianças, almoço e show musical durante a tarde da recente quinta-feira fizeram os policiais militares relaxarem um pouco, coisa rara na profissão. Fts- NB [caption id="attachment_267" align="alignnone" width="300"]Sub-Com: Major PM João Carlos, Lili Bustilho, Com. Ten-Cel Sylvio Guerra e família Sub-Com: Major PM João Carlos, Lili Bustilho, Com. Ten-Cel Sylvio Guerra e família[/caption] unnamed (31) unnamed (30) unnamed (28) unnamed (27)unnamed (29)unnamed (49)unnamed (48)unnamed (44)unnamed (45)unnamed (46)unnamed (47)unnamed (41)unnamed (31)unnamed (38)a5a3unnamed (37)unnameda2a1Cópia (2) de unnamed (1)
Comentar
Compartilhe
Câmara Devolve Mais de 1 Milhão e Meio de Reais
19/12/2014 | 15h34
BNB em primeira mão: A Câmara Municipal de Itaperuna acaba de devolver aos cofres da Prefeitura de Itaperuna, a quantia de 1.540,223 e 51 centavos, cerca de 23% de economia sobre o orçamento aprovado para a CM neste 2014. O presidente Alexandre Pereira da Silva-PP,considera uma vitória da austeridade e da consciência de que a devolução proporciona à prefeitura a possibilidade de aproveitar esse valor e aplicar em saúde, educação e obras, entre outras prioridades. [caption id="attachment_263" align="alignnone" width="300"]Presidente da CMI- Alexandre Pereira da Silva Presidente da CMI- Alexandre Pereira da Silva[/caption]
Comentar
Compartilhe
Bike Patrulha
18/12/2014 | 15h03
O novo comandante do 29 BPM-Itaperuna, ten-cel. Sylvio Guerra estuda a ideia de implantar o policiamento sobre pedais, a exemplo do que fez em Santo Antônio de Pádua, enquanto esteve à frente do 36 BPM, o POG Bike-Policiamento Ostensivo Geral com bicicletas. Para o comandante, a criação deste serviço, vai facilitar ação no Centro da cidade, principalmente agora com a intensificação das vendas de Natal, mas, terá continuidade no ano que vem. Serão duas duplas de policiais, tendo como traje,  o mesmo usado durante a prática de Educação Física nos batalhões, ou seja, bermudas e camisetas, além de capacetes de ciclistas e coletes refletivos, fardamento adequado para as pedaladas e a temperatura de Verão. A Associação Comercial e Empresarial de Itaperuna apoia a iniciativa. [caption id="attachment_258" align="alignnone" width="300"]Exemplo de ciclo patrulha em Niterói-RJ ft- O Fluminense Exemplo de ciclo patrulha em Niterói-RJ
ft- O Fluminense[/caption] A OPINIÃO DO BLOG O deslocamento sobre bikes, torna mais rápido o trabalho policial e multiplica a presença de cada dois policiais em até 3 vezes, cobrindo uma área bem maior do que a normalmente feita pelas duplas no estilo Cosme e Damião. A iniciativa do tenente-coronel Guerra é muito bem-vinda e certamente vai causar impacto positivo.
Comentar
Compartilhe
A Importância do Porto do Açu
18/12/2014 | 10h54
O Blog NB perguntou ao empresário do ramo de educação,( em todos os níveis), Luis Adriano da Silva*,  o que Itaperuna  pode ganhar com o Porto do Açu, mesmo com os dois extremos separados por mais de 150 km, ( porém, unidos pela BR-356): Itaperuna é uma cidade de médio porte, com aeroporto, ( uma boa pista), grandes áreas disponíveis a preços razoáveis. Ou seja, temos condições de ser uma opção logística para o Porto de Açu, um espaço para outras empresas se instalarem, obviamente desde que sejam feitos os investimentos governamentais em infraestrutura que o Projeto do Açu demandasse. Além de de ser um fornecedor de mão de obra técnica, e de nível superior, por contas das IES que aqui se instalaram, transformando a cidade em um grande Polo Universitário. Luis Adriano LAS * CEO do Grupo Redentor de Ensino Aliás, termina o ano comemorando: saiba o motivo aqui
Comentar
Compartilhe
Senador por 43 Dias
17/12/2014 | 11h48
O ex-prefeito de Itaperuna, Péricles Olivier de Paula*, suplente de senador, toma posse do mandato no próximo dia 19. Com a renúncia de  Francisco Dornelles, para ser vice-governador do Rio depois do  primeiro dia do ano que vem, Péricles ficará no Senado Federal até  31 de Janeiro de 2015, véspera da posse dos novos eleitos.   [caption id="attachment_243" align="alignnone" width="300"]Dornelles e Péricles Dornelles e Péricles[/caption] fotomontagem-O Diário do Noroeste   *Prefeito de 1989 a 1992, de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004 
Comentar
Compartilhe
Abril 2015: A Festa
17/12/2014 | 09h50
Estampado nas redes sociais, o banner abaixo deixou animado e ao mesmo tempo cético, o itaperunense. Seria verdade? É verdade. O evento, marcado com uma boa antecedência, recoloca a cidade em seu patamar de grandeza com as exposições de sua história. O local é de fácil acesso, na entrada sul de Itaperuna,( para quem vem de Campos), no Haras Orlandu's, com uma extenso espaço  sendo lançada para movimentações deste porte. Ivete Sangalo, Thiaguinho e a dupla Henrique/Juliano são as âncoras da XXVII Expo, de 16 /o4 a 19/04. ivete Saiba mais em www.tvi21.com  
Comentar
Compartilhe
Surge um Líder
16/12/2014 | 11h56
Há 13 anos sem um representante na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Itaperuna volta a ter um deputado. Jair Bittencourt -PR, recebeu o diploma ontem à tarde no plenário da Alerj. Com 28.132 votos, Jair, (ex-prefeito de Itaperuna, no período 2004/2008), foi  o único eleito em todo o Noroeste Fluminense, ainda considerada a região mais esquecida do estado. [caption id="attachment_227" align="alignnone" width="300"]Jair Bittencourt ft-CB Jair Bittencourt
ft-CB[/caption]
Comentar
Compartilhe
E o Natal Retorna
16/12/2014 | 11h15
Depois de 6 anos sem decoração  e comemoração oficiais pela prefeitura de Itaperuna, o desencanto foi quebrado ontem à noite, com uma apresentação do maestro Ederaldo e a banda evangélica El Shaday,  abrindo a programação que vai até o dia 23 de Dezembro. Um público pequeno, mas, privilegiado, acompanhou o espetáculo e finalmente, as luzes do Natal voltaram a  iluminar o Caminho da Pedra Preta. O prefeito Alfredo Paulo Marques Rodrigues,  secretários municipais, o presidente da CM Alexandre Pereira da Silva e outros vereadores, compareceram. Alfredão, como é mais conhecido, saiu mais cedo do evento: viajou à capital, hoje de madrugada, a convite do governador Pezão e do secretário de Saúde do Estado do Rio, Marcos Musafir, para uma reunião onde equipamentos hospitalares serão entregues ao município.   fts-Wellington WRW e APS [caption id="attachment_222" align="alignnone" width="300"]A concha acústica transformou-se na gruta de Belém. A concha acústica transformou-se na gruta de Belém.[/caption] prog natal1anatft
Comentar
Compartilhe
MARCELO ESTILO OFF NASCIMENTO
15/12/2014 | 15h07
Marcelo Nascimento é um talento itaperunense que se afirmou de modo definitivo com um produto editorial de alta qualidade. Sua revista mensal Estilo Off, há 8 anos circula em todo o Noroeste do Estado do Rio, não se restringindo à região. Como ele mesmo diz, à cada edição, o desafio é fazer uma melhor do que a anterior. Marcelo tem conseguido e  a superação dele e de toda a equipe construtora da revista é ponto de valor para Itaperuna. Abaixo, a edição de Dezembro em seu número 79. [caption id="attachment_211" align="alignnone" width="210"]A beleza da mulher itaperunense na capa e no conteúdo. A beleza da mulher itaperunense na capa e no conteúdo.[/caption] Ft-Paula Brum.
Comentar
Compartilhe
PRESÉPIO, LUZES E A CONFRATERNIZAÇÃO REDENTORIANA
14/12/2014 | 01h07
Na próxima Segunda-feira, dia 15 de Dezembro,  a prefeitura de Itaperuna lança a decoração de Natal oficial. Depois de alguns anos sem, a cidade, principalmente na sua principal avenida, a Cardoso Moreira, a partir da Concha Acústica, volta a ser devidamente iluminada para a ocasião. Já  quem passa pela BR-356 , sentido Muriaé-MG, vê uma reluzente Faculdade Redentor, que  há 15 dias abriu a temporada natalina, com uma apresentação do Coral de Libras,  presépio vivo,  e o acender das luzes estrategicamente colocadas em toda a frente do prédio, com utilização de garrafas pets e outros produtos reciclados. Um Natal ecologicamente correto. Ontem, a tarde do  Sábado itaperunense ficou mais ensolarada com  a animada confraternização tradicional da IES. Confira ali embaixo,  depois das imagens da decoração de natal, nas selfies de André Raeli, Luis Adriano e outros Redentorianos. O PRESÉPIO fts- Sílvia Martins. ar2 ar4 Red NatalAR A ILUMINAÇÃO Fts - NB DSC05328 DSC05314 DSC05315 DSC05316 DSC05319<Clique nesta imagem e veja a panorâmica> DSC05320 DSC05321 DSC05322 DSC05323 DSC05327                           A "CONFRA-ETERNIZAÇÃO" [caption id="attachment_202" align="alignnone" width="300"]A selfie gigante A selfie gigante[/caption] Redfestgente [caption id="attachment_199" align="alignnone" width="300"]Diretora Cláudia Boechat e o filho Paulinho Diretora Cláudia Boechat e o filho Paulinho[/caption] [caption id="attachment_200" align="alignnone" width="225"]Professora Fátima, PN  e o diretor acadêmico André Raeli Professora Fátima, PN e o diretor acadêmico André Raeli[/caption] [caption id="attachment_201" align="alignnone" width="300"]Raeli , Laura e amigos Raeli , Laura e amigos[/caption]
Comentar
Compartilhe
Inoperadora de Celular Morto-Vivo
12/12/2014 | 15h32
Completar uma ligação pelo celular em Itaperuna tem sido um exercício de Cross Fit, modalidade de preparação física considerada das mais difíceis. E também uma prática zen. É preciso ter paciência para repetir a tentativa várias vezes, mudar de localização, procurar espaço livre, contar com a sorte. Nos últimos dias, o fato agravou-se e até o presidente da Câmara Municipal pronunciou-se em plenário, a respeito do tema. Ele, Alexandre Pereira da Silva, é também um dos milhares de usuários prejudicados. Negócios são afetados, conversas interrompidas, atendimentos emergenciais incompletos e uma cadeia de comunicação cada vez  mais dependente do celular  fica truncada na cidade de Itaperuna.  Todas as companhias estão no mesmo fraco patamar, mas, a operadora mais famosa e de maior número de clientes,  é por isso mesmo, a campeã das reclamações dos vivos que se sentem mortos na hora em que precisam usar um serviço caro e ruim. Com o final de ano, período maior  de compras e festas, de ligações interurbanas e internacionais , o colapso se avizinha. É a vitória da telefonia imóvel. Melhor voltar a escrever cartas e se elas não chegarem a tempo, aos sinais de fumaça, ao pombo-correio, ou às batidas de tambor. Podem demorar, mas, funcionarão. smoke-signal-indian
Comentar
Compartilhe
Composição do Supremo
11/12/2014 | 19h21
 O Advogado campista Carlos Alexandre de Azevedo Campos, gentilmente cedeu ao blog, um artigo recentemente publicado na Revista Consultor Jurídico. Ideal para se entender historicamente, como se compõe um supremo tribunal. O BNB pede desculpas ao prof. Carlos Alexandre,  aos leitores, e reedita a postagem do artigo em seu formato correto.
Vargas e Roosevelft- Arq Histórico

Vargas e Roosevelft- Arq Histórico

  Getúlio Vargas, Franklin Roosevelt e a Independência Judicial Por Carlos Alexandre de Azevedo Campos* -I- No 60º aniversário da morte de Getúlio Vargas, tem sido lembrada, entre outros fatos, a parceria política mantida pelo estadista brasileiro com o contemporâneo presidente dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt. Os dois governantes se aproximaram e tornaram-se amigos depois de Vargas ter abandonado a postura de neutralidade em face da 2ª Guerra Mundial, e o Brasil entrado no conflito combatendo ao lado dos Aliados, liderados pela União Soviética de Stalin, o Reino Unido de Churchill e os Estados Unidos de Roosevelt. O acordo de ingresso do Brasil na guerra, o qual incluiu a ajuda financeira norte-americana para a construção da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), foi selado em 1943, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, em encontro conhecido como “Conferência de Natal” (imagem ilustrativa - Vargas e Roosevelt na “Conferência de Natal”, em 1943). Vargas e Roosevelt tiveram muito em comum em suas trajetórias políticas. Foram os presidentes de mandatos mais longevos de seus países. Vargas governou em diferentes períodos: o Governo Provisório entre 1930 e 1934; o Governo Constitucional entre 1934 e 1937; o Estado Novo de 1937 a 1945, totalizando 15 anos ininterruptos; e a presidência de 1951 a 1954, quando foi eleito pelo voto popular e morreu por suicídio antes do fim do mandato. Ao todo, mais de 18 anos de governo. Roosevelt foi presidente por quatro mandatos — de 1933 a 1945 —, vindo também a morrer durante o último. Governou por 12 anos e não pode ser superado por outro presidente, salvo se revogada a 22ª Emenda à Constituição dos Estados Unidos, por meio da qual foi proibida a segunda reeleição. Ambos lideraram o enfrentamento de crises seríssimas em seus países: Roosevelt, a crise econômica dos anos 30 conhecida como “Grande Depressão”, tendo criado o New Deal para remediá-la; Vargas, a crise política que culminou com a “Revolução de 30”, da qual foi líder e que pôs fim à República Velha, instaurando o Governo Provisório. Os seus programas de governo eram, igualmente, voltados a assegurar melhores condições sociais aos menos favorecidos, a criar empregos por meio de grandes obras públicas de infraestrutura, e garantir salários dignos e direitos aos trabalhadores. Ou seja, caracterizavam-se pela maior participação do Estado na economia nacional. Com tais medidas, alcançaram grande popularidade. Roosevelt é, comumente, ranqueado entre os três melhores presidentes da história dos Estados Unidos, ao lado de George Washington e Abraham Lincoln. Vargas, “o pai dos pobres”, é tido como um dos mais populares presidentes do Brasil em todos os tempos. Para este artigo, interessa, no entanto, outro fato comum em particular: os dois governantes travaram verdadeiras batalhas com as Supremas Cortes de seus respectivos países. Os embates, apesar de distintos em aspectos importantes, oferecem, igualmente, lições preciosas para o estudo do comportamento judicial e das relações entre cortes supremas ou constitucionais e os demais atores de governo do sistema político em que inseridas. Compreender essas lições é o propósito deste pequeno texto, que possui a seguinte estrutura: no próximo tópico (II), descrevo os atos arbitrários de Vargas contra o Supremo Tribunal Federal; na sequência (III), a estratégia de Roosevelt para reverter decisões conservadoras da Suprema Corte norte-americana; por fim (IV), aponto as lições que penso poderem ser extraídas dessas disputas. - II - Desde o início de seu governo, Getúlio Vargas deu mostras que investiria contra a estrutura e a independência do Supremo Tribunal Federal: reduziu as competências e os poderes de decisão do tribunal, modificou a sua composição, aposentou vários de seus membros. Por meio do Decreto 19.398, de 11/11/1930, suspendeu garantias constitucionais e excluiu da apreciação judicial atos praticados pelo Governo Federal, sendo mantido o Habeas Corpus apenas em favor de acusados de crimes comuns. Com o Decreto 19.656, de 3/2/1931, Vargas diminuiu a composição do Supremo de 15 para 11 ministros e, apesar da previsão constitucional de vitaliciedade do cargo, aposentou, compulsoriamente, seis ministros (Decreto 19.771, de 18/2/1931). Só que não o fez apenas em razão da redução de vagas na Corte... Segundo registros históricos, a aposentadoria compulsória deu-se porque, no passado, os ministros “expulsos” (Godofredo Cunha [Presidente], Pedro Mibielli, Pires e Albuquerque, Muniz Barreto, Pedro dos Santos e Germiniano da Franca) tinham dado votos desfavoráveis aos aliados militares de Vargas durante as Revoltas de 1922 e 1924.[1] A possibilidade de remoção por ato exclusivo do presidente, presente o caráter autoritário de Vargas, fez com que, a partir de então, nenhum ministro se sentisse seguro. O vice-presidente da corte entre 1931 e 1937, Hermenegildo de Barros, chegou a dizer não ter “honra nenhuma em fazer parte desse tribunal, assim desprestigiado, vilipendiado, humilhado.”[2] Para as vagas abertas, foram nomeados juízes aliados do governo, sendo estabelecida uma composição deferente às arbitrariedades do regime. Além de constrangimentos e humilhações da espécie, Getúlio Vargas reduziu a capacidade decisória do Supremo Tribunal Federal por meio da Constituição de 1937. Com a instalação do Estado Novo, foi imposta por Vargas uma nova Constituição, “integralmente redigida pelo jurista Francisco Campos, [...] um intelectual brilhante, de forte inclinação autoritária, que muitas vezes chegava às raias do fascismo”. [3] Com o Congresso fechado, a Carta de 1937 foi moldada aos propósitos de Vargas que, principalmente depois da insurreição comunista de 1935, ignorou liberdades democráticas e impôs uma ditadura. Há opinião uníssona no sentido de a nova Constituição ter representado grande “passo para trás” nas conquistas alcançadas pelo Supremo, como instituição republicana, quando das Constituições de 1891 e 1934. [4] Na Constituição de 1937, retirou-se o status constitucional do mandado de segurança, relegando-o à legislação ordinária, a qual excluiu o uso do remédio em face do presidente da República e dos ministros de Estado (artigo 319 do CPC de 1939). Não foi mantida a chamada “representação interventiva”,[5] nem a competência do Senado para suspender a eficácia das leis declaradas inconstitucionais. As decisões de inconstitucionalidade foram sujeitas a valorações do presidente da República que, se entendesse a lei impugnada necessária ao “bem-estar do povo, à promoção ou defesa de interesse nacional de alta monta”, poderia submetê-la novamente ao exame do Parlamento e, se este confirmasse a lei “por dois terços de votos em cada uma das Câmaras, ficaria sem efeito a decisão do tribunal” (artigo 96, parágrafo único), retirando do Supremo a última palavra sobre a validade das normas questionadas.[6] Aos olhos do constitucionalismo contemporâneo, esta última previsão constitucional poderia ser até bem recebida como mecanismo de diálogo institucional em torno da constitucionalidade das leis, à semelhança danotwithstanding clause canadense. Contudo, os fatos de o exercício da medida ter se dado em contexto ditatorial, e de ter sido prevista em uma Constituição na qual se concentrou demasiado poder nas mãos do presidente da República, chegando a chamá-lo de “autoridade suprema do Estado” (artigo 73), impedem essa qualificação. Prova disso é que, como o Congresso permaneceu fechado durante todo o Estado Novo, Getúlio Vargas, ele mesmo, editou decretos-leis restabelecendo leis declaradas inconstitucionais pelo Supremo. O problema, portanto, não foi tanto do conteúdo da norma, mas das circunstâncias de sua aplicação. Por tudo isso, pode-se afirmar que a ditadura varguista humilhou o Supremo. Sem embargo, Getúlio Vargas castrou a independência do tribunal. Como permaneceu no poder durante 15 anos ininterruptos com o Congresso Nacional fechado, Vargas foi senhor absoluto de 21 nomeações de ministros.[7] Com o Decreto-lei 2.770, de 11/11/1940, ainda avocou o poder de nomear o presidente da corte. Com esse sistema de composição unilateral do tribunal, sem a amplitude de outrora do habeas corpus e com o mandado de segurança fora da Constituição, o Supremo conviveu, passivamente, com os atos mais arbitrários de Vargas. A condição de guardião da Constituição e das liberdades civis que exerceu, não sem altos e baixos, durante a República Velha, foi absolutamente nula durante o período mais antiliberal da Era Vargas, vindo o Supremo a tornar-se, inevitavelmente, em instrumento apenas legitimador do regime autoritário.[8]   - III -   Na mesma época, mais ao norte das Américas, o presidente Franklin Delano Roosevelt travava uma briga sensacional com a Suprema Corte dos Estados Unidos, que marcaria a história política e constitucional daquele país. Durante a “Grande Depressão”, grave crise econômica iniciada em 1929, Roosevelt lançou um amplo programa de intervenção econômica e social, conhecido como New Deal, com o propósito de recuperar a economia norte-americana e proteger as classes sociais mais pobres e prejudicadas pela crise. Apesar da ampla mobilização política e do largo apoio popular em torno do programa, a Suprema Corte, em maio de 1935, negou validade a três dessas importantes medidas.[9] Para a maioria conservadora,[10] o Congresso havia delegado, inconstitucionalmente, poderes ao presidente para intervir na economia. Segundo esses juízes, nem mesmo circunstâncias extraordinárias, como as presentes na ocasião, justificariam tamanha interferência nos negócios particulares. No ano seguinte, a Suprema Corte anulou outras leis do New Deal,[11]colocando-se, definitivamente, em situação de impopularidade e em espessa zona de conflito institucional, contrapondo-se ao Executivo e ao Legislativo sob a liderança de Roosevelt. A maioria da corte fundamentava essas decisões em princípios que haviam sido consolidados no conhecido casoLochner, julgado em 1905. Em Lochner, a Suprema Corte declarou inconstitucional lei estadual por meio da qual se assegurou jornada máxima de trabalho em favor de padeiros. A corte entendeu que o legislador não poderia interferir nas relações contratuais de trabalho por violação à cláusula do devido processo legal. [12] Este era o perfil de corte que perdurava há décadas (Lochner Era) até o embate em torno do New Deal: ativista na defesa do direito natural de propriedade e da liberdade de contrato e hostil à intervenção estatal na economia. Importante destacar, no entanto, que a Lochner Era e a sua filosofia adjudicatória de liberalismo econômico e de hostilidade à intervenção estatal na economia não surgiram em um vácuo político. Em 1870, a Suprema Corte decidiu Hepburn v. Griswold,[13] caso que envolveu lei federal (Legal Tender Act, de 1862) autorizativa da emissão de moeda-papel (greenback) com eficácia retroativa de moeda corrente do país, hábil para pagamento de dívidas contraídas mesmo antes da publicação da lei. O governo federal emitiu em torno de um milhão e meio de dólares dessas notas com o propósito de custear os gastos com a Guerra Civil. Contudo, a Suprema Corte julgou inconstitucional a utilização retroativa da nova moeda. As dívidas contratadas antes da lei, segundo a corte, deveriam ser pagas exatamente como pactuadas: em moedas de prata ou ouro, dotadas de valor intrínseco. A decisão deixou não apenas o governo federal descontente, mas também o setor econômico mais importante da época: o ferroviário. Havia a necessidade para ambos de superação de Hepburn. No mês seguinte à decisão, o presidente Grant teve a oportunidade de nomear dois novos juízes para a corte e ele indicou dois advogados de companhias ferroviárias. Em um ano e com os votos decisivos dos dois novos juízes, a Suprema Corte superou Hepburn.[14] Desde então, a posição em favor das poderosas corporações econômicas tornou-se uma tendência, vindo a consolidar-se na medida em que presidentes republicanos continuaram a nomear advogados de ferrovias e de outros poderosos setores econômicos para a corte, todos fervorosos defensores do laissez faire, que se tornou não só a filosofia, mas a prática constitucional dominante. Os Estados Unidos viviam, então, a “Era Dourada” (Gilded Age), caracterizada pelo crescimento econômico extraordinário. Como disse MacGrecor Burns, foi uma época marcada pela “devoção Republicana pós-guerra civil ao laissez faire” e pela “ubiquidade do poder das ferrovias”.[15]Nesse cenário, foi natural a influência das principais corporações econômicas sobre o governo federal na formação da Suprema Corte. Essa estratégia resultou na formação de uma corte que, aos poucos, se mostrou hostil a toda e a qualquer intervenção estatal sobre a liberdade das empresas. Foi durante esse período que a Suprema Corte assentou a cláusula do devido processo legal como “ferramenta importante para a proteção da propriedade privada e de direitos adquiridos” contra as intervenções do Estado na economia, e o seu próprio papel de censor da legislação econômica e regulatória norte-americana.[16] Foi a consolidação da base ideológica e doutrinária de Lochner, a mesma utilizada contra o New Deal. Portanto, o ativismo judicial conservador da Era Lochner, que culminou com o ataque da Suprema Corte ao New Deal, encontrou origem na estratégia do governo em estabelecer a composição da Suprema Corte, durante as últimas décadas do século XIX, majoritariamente favorável aos interesses das forças econômicas então dominantes. Política democrática e poder econômico interagiram para institucionalizar, na Suprema Corte, a interpretação constitucional que consideravam a mais adequada: proteção da propriedade e da liberdade econômica das grandes empresas. A Suprema Corte agia com pouca ou nenhuma deferência às importantes decisões dos outros poderes para favorecer a manutenção do status quo. Para mudar esse persistente quadro de ativismo judicial que ameaçava a implementação do New Deal, seria necessária a mesma estratégia que deu origem a essa filosofia adjudicatória: a ação política sobre a formação da Suprema Corte. Essa foi a estratégia de Roosevelt. Fortalecido pela reeleição para seu segundo mandato (eleições de 1936), o presidente investiu contra a estrutura conservadora da Suprema Corte, formulando o que ficou conhecido como Court-Packing Plan: ele propôs ao Congresso, em 5 de fevereiro de 1937, lei aumentando a composição da corte para 15 juízes e estabelecendo a nomeação de um juiz adicional, até o máximo de seis, para cada outro que superasse a idade de 70 anos. Como era, na época, a mais velha corte da história (a Old Court), Roosevelt poderia então nomear o limite de seis juízes de uma só vez e, assim, abarrotar a Suprema Corte com homens que apoiassem o New Deal e colocar ponto final no ativismo judicial conservador até então vigente. O plano não foi realizado exatamente como formulado, pois a proposta de “empacotar” a corte, mesmo sendo a favor do New Deal, não teve apoio da população, do Congresso nem do seu próprio partido. Não obstante, Roosevelt, assim mesmo, alcançou a vitória... Pouco mais de um mês depois de formulado o Court-Packing Plan, em uma série de decisões iniciada com West Coast Hotel Co. v. Parrish,[17] a Suprema Corte “capitulou em meio à ameaça de uma autêntica crise constitucional”[18] e superou as decisões anteriores contra o New Deal. Em função da mudança de orientação do juiz moderado Owen Roberts, que ficou conhecida como “the switch in time that saved nine”, formou-se nova maioria, desta feita a favor do New Deal, sendo abandonada a doutrina de laissez faire, negado o caráter absoluto da liberdade de contrato e reconhecida a possibilidade de regulação razoável pelo Estado. A corte deixou de lado o ativismo conservador de Lochner e passou a ser deferente às medidas de reforma política e social do New Deal, sendo asseguradas, em definitivo, as transformações constitucionais pretendidas pela coalizão política dominante liderada por Roosevelt. [19] Posteriormente, dentro da normalidade institucional de nomeação deJustices, Roosevelt assegurou que a Suprema Corte, como defendeu Robert Dahl, se tornasse “parte essencial da aliança política de governo”:[20] nos anos seguintes à aludida mudança de orientação, houve várias aposentadorias e mortes dos membros da Old Court e Roosevelt nomeou, entre 1937 e 1943, nada menos que oito novos juízes, todos defensores doNew Deal e ligados ao Partido Democrata ou à sua administração. Ele ainda indicou um novo Chief Justice em 1941, Harlan Fisk Stone, um republicano liberal que já compunha a corte desde 1925 e que sempre proferiu votos favoráveis ao New Deal. Com essas nomeações, Roosevelt tinha formado uma Suprema Corte orientada pelos princípios do New Deal (a New Deal Court) e o ativismo judicial conservador do tipo Lochner havia sido completamente extirpado.   Dizer que os nomeados por Roosevelt eram defensores dos princípios do New Deal não significa, contudo, que eram apenas deferentes às ações regulatórias do governo no campo econômico e social. Significa mais: que eram comprometidos com a promoção de direitos e liberdades básicas do homem. Em função desse compromisso, a Suprema Corte passou a dirigir suas preocupações à cláusula da equal protection of the laws, assumindo novo papel: em vez de defesa dos direitos de propriedade e liberdade de contrato, o “novo negócio” era a proteção dos direitos civis e da igualdade. Em suma, a estratégia de Roosevelt formou a base daquela que viria a ser a lendária Corte Warren dos anos 50 e 60, paradigma da living constitution e campeã da proteção das liberdades civis e da igualdade racial.[21] As ações de Roosevelt, portanto, moldaram, para além de seu próprio tempo, o lugar da Suprema Corte no constitucionalismo norte-americano.   -IV- A abordagem descritiva, até aqui desenvolvida, tem importantes implicações normativas. Os conflitos relatados possuem aspectos distintos relevantes. O regime ditatorial de Vargas e o governo democrático de Roosevelt resultaram em constrições e reações muito diversas. As ações arbitrárias de Vargas subjugaram o Supremo; Roosevelt pleiteou ao Congresso transformar a composição da Suprema Corte de modo a torná-la mais responsiva às necessidades políticas e sociais contemporâneas, mas sem retirar a independência institucional da corte. Por outro lado, ambas as disputas oferecem um ponto comum do qual relevante conclusão pode ser extraída: cortes constitucionais ou supremas, assim como seus comportamentos decisórios não podem ser explicados ou avaliados em isolamento, com distanciamento dos contextos políticos, históricos, ideológicos e institucionais condicionantes. O pensamento juriscêntrico apenas favorece a supremacia judicial. As constrições irresistíveis de Vargas sobre o Supremo deixam clara a incapacidade não só das cortes, mas do próprio Direito em oferecer resistência a regimes autoritários. Nossa história de instabilidades políticas e de conflitos institucionais revela ter o Supremo até esboçado reações iniciais aos governos hostis, mas ou as decisões não eram obedecidas, ou o tribunal era vilipendiado, ameaçado, atacado em sua estrutura e organização e, com isso, acabava recuando. Foi assim não só com Vargas, também com Floriano Peixoto na República Velha e com a Ditadura Militar. Nesses ambientes problematicamente autoritários, a corte acabou, no final, submetendo-se a chefes de executivo que concentravam todo o poder decisório e absorviam todos os ônus políticos das decisões.[22] Daí a importância singular, para a independência e liberdade decisória dos tribunais, de manter-se sempre viva a possibilidade de alternância de poder em democracias. O exemplo negativo da Suprema Corte norte-americana em seu ataque aoNew Deal ensina o quanto cortes podem ser nocivas a si mesmas e à estabilidade institucional em regimes democráticos quando, defendendo largas teorias políticas ou econômicas sem base clara e precisa nos textos constitucionais,[23] decidem contra programas políticos que gozam de amplo respaldo parlamentar e popular. Independência judicial não pode ser exercida sem responsabilidade institucional. Insulamento político não pode implicar indiferença decisória. Do ponto de vista normativo, não se trata apenas de preservar o capital de legitimidade das cortes, mas também de recusar a supremacia judicial. Constituições democráticas são projetos em contínua construção, de modo que o desenvolvimento dos significados constitucionais estruturantes e fundantes, para ser legítimo, deve ser realizado, em concerto, pelos poderes constituídos, incluídas as cortes, os movimentos políticos e sociais.[24] Ambos os exemplos, por fim, revelam como ações políticas sobre a composição de cortes influenciam, para o bem ou para o mal, o padrão de comportamento judicial. Vargas, sem sujeitar-se a qualquer controle parlamentar, utilizou o poder de indicação de ministros para formar um Supremo que, embora intelectualmente brilhante, limitou-se a atuar como “correia de transmissão”, meramente legitimando muitas das arbitrariedades de seu governo. Roosevelt, por sua vez, utilizou o mecanismo para nomear juízes que, apesar de divididos quanto à prática adjudicatória mais ou menos ativista, compartilhavam a filosofia política de proteção e promoção de direitos fundamentais. Como afirma McMahon,Brown e todo o ativismo liberal da Corte Warren encontraram raízes nas decisões tomadas por Roosevelt ao enfrentar a Suprema Corte pela sobrevivência do New Deal.[25] Roosevelt, nos anos 30 e 40, pavimentou a estrada para os movimentos dos direitos civis dos anos 50 e 60. Mecanismos institucionais de formação das cortes fazem, portanto, diferença, e mesmo no longo prazo. A importância do debate foi percebida apenas recentemente no Brasil, e não poderia ser diferente ante o nosso histórico de governos autoritários — a relevância política e social do Supremo é recente. Hoje, todavia, como são escolhidos os ministros do tribunal deve importar e muito. Tendo em conta o elevado número de ministros nomeados pelo mesmo partido — o PT — nos últimos 12 anos, e o fato de a presidente Dilma poder indicar até 6 novos ministros no próximo mandato deram ao tema visibilidade inédita. As nomeações de Dilma foram, até aqui, muito positivas, mas não há plenas garantias que continuarão a ser assim. Por isso, os critérios de indicação devem ser amplamente discutidos e questionados nos meios políticos e pela sociedade civil, devendo todo o processo ser o mais transparente e dialético possível. Não podemos, como sugeriu ironicamente Dworkin em relação às nomeações feitas pelos presidentes norte-americanos, simplesmente “cruzar os dedos”.[26]     [1] Sobre esses acontecimentos, cf. RODRIGUES, Lêda Boechat. História do Supremo Tribunal Federal. Tomo IV – Vol. I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002, p. 31-33. [2] COSTA, Emilia Viotti da. O Supremo Tribunal Federal e a Construção da Cidadania. 2ª ed. São Paulo: Ieje, 2007, p. 81. [3] SARMENTO, Daniel. Por um Constitucionalismo Inclusivo: História Constitucional Brasileira, Teoria da Constituição e Direitos Fundamentais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010, p. 37. [4] Por todos, cf. BARBI, Celso Agrícola. Evolução do Controle da Constitucionalidade das Leis no Brasil. Revista de Direito Público Vol. 4, São Paulo: RT, 1968, p. 39 et seq. [5] A representação interventiva foi estabelecida no artigo 12, § 2º, da Constituição de 1934, segundo o qual o Procurador-Geral da República deveria submeter, originariamente, ao Supremo o exame de constitucionalidade de lei federal que decretasse intervenção nos Estados em razão de suas constituições ou leis não respeitarem os princípios constitucionais, ditos sensíveis. A representação é tida como o embrião da ação direta de inconstitucionalidade no Brasil. [6] Houve os que aplaudiram a medida em função da restrição sobre a “supremacia judicial”. Alfredo Buzaid, Da Ação Direta de Declaração de Inconstitucionalidade no Direito Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1958, p. 32, referiu-se a ela como tendo “a virtude de devolver ao Parlamento a competência para apreciar a conveniência de manter a lei declarada inconstitucional”, garantindo assim o “equilíbrio dos poderes” à medida que afastava a “supremacia do judiciário”. Lúcio Bittencourt, O Controle Jurisdicional da Constitucionalidade das Leis. Rio de Janeiro: Forense, 1949, p. 30, falou em pretensão da Constituição em “atenuar os inconvenientes da supremacia do Judiciário”.     [7] Foram sete nomeações durante o Governo Provisório e quatorze durante o Estado Novo. [8] Decisões como a do fechamento da Aliança Nacional Libertadora (ANL) em 1935: STF – Pleno, MS 111, Rel. Min. Arthur Ribeiro, j. 21/08/1935; “caso João Mangabeira”: STF – Pleno, HC 26.178, Rel. Min. Carvalho Mourão, j. 20/07/1936; o “caso Olga Benário”: STF – Pleno, HC 26.155, Rel. Min. Bento de Faria, j. 17/06/1936  reforçam essa ideia. Cf. RODRIGUES, Lêda Boechat. História do Supremo Tribunal Federal. Tomo IV – Vol. I. Op. cit., p. 65-69. [9] Schechter Poultry Corp. v. United States, 295 U. S. 495 (1935); Louisville Joint Stock Land Bank v. Radford 295 U.S. 555 (1935); Humphrey’s Executor v. United States 295 U.S. 602 (1935). [10] Em 1935, a Suprema Corte possuía uma sólida base conservadora, composta por quatro juízes conhecidos como os “Four Horsemen”: Willis Van Devanter, James McReynolds, George Sutherland e Pierce Butler. No extremo oposto, havia uma minoria liberal composta por três dos mais notáveis juízes da história da Suprema Corte: Louis Brandeis, Harlan Fisk Stone e Benjamin Cardozo. O Chief Justice Charles Evans Hugues, outro notável juiz, e Owen Roberts eram considerados moderados, mas, na maior parte das vezes, o primeiro se juntava à ala liberal e o segundo formava a maioria conservadora. [11] 297 U.S. 1 (1936); 298 U.S. 238 (1936); 298 U.S. 513 (1936); 298 U.S. 587 (1936). [12] 198 U.S. 45 (1905). [13] 75 U.S. 603 (1870). [14] Knox v. Lee, 79 U.S. 457 (1871). [15] BURNS, James MacGrecor. Packing The Court. The Rise of Judicial Power and the Coming Crisis of the Supreme Court. New York: Penguin Press, 2009, p. 97. [16] SHAPIRO, Martin; TRESOLINI, Rocco J. American Constitutional Law. 4ª ed. New York: Macmillian Publishing, 1975, p. 309-311. [17] West Coast Hotel Co. v. Parrish, 300 U.S. 379 (1937); cf. também 300 U.S. 440 (1937), 300 U.S. 515 (1937), 301 U.S. 1 (1937), 301 U.S. 49 (1937), 301 U.S. 58 (1937), 301 U.S. 103 (1937), 301 U.S. 142 (1937), 301 U.S. 548 (1937), 301 U.S. 619 (1937). [18] SUNSTEIN, Cass. The Second Bill of Rights. FDR’s Unfinished Revolution and Why We Need It More Than Ever. New York: Basic Books, 2004, p. 54. [19] Sobre a afirmação/revolução do New Deal como um “momento constitucional”, cf. ACKERMAN, Bruce. We the People. Foundations. Cambridge: Harvard University Press, 1991, p. 47 et seq. [20] DAHL, Robert. Decision-Making in a Democracy: The Supreme Court as a National Policy-Maker. Journal of Public Law Vol. 6 (2), 1957, p. 279-295. [21] No fim dos anos sessenta, teve início, com Nixon e, depois, consolidada por Reagan, a reação do Partido Republicano ao chamado “ativismo judicial liberal” da Corte Warren, a qual foi conhecida como “Contrarrevolução Republicana”. Esses presidentes, assim como os Bushs, nomearam juízes conservadores para superar as decisões da Corte Warren. Não tiveram sucesso com a Corte Burger, mas alcançaram grandes vitórias com a Corte Rehnquist e, atualmente, com a Corte Roberts. Sobre esses embates históricos na Suprema Corte, cf. CAMPOS, Carlos Alexandre de Azevedo. Dimensões do Ativismo Judicial do STF. Rio de Janeiro: Forense, 2014, p. 60-97. [22] Em contrapartida, o momento atual de ampla liberdade decisória do Supremo responde ao cenário contemporâneo de estabilidade institucional e de fragmentação do poder político e partidário. O avanço do ativismo judicial responde também ao empowerment formal e informal do Tribunal pelos poderes políticos que tanto formulam emendas constitucionais e leis voltadas a ampliar a jurisdição e os instrumentos de decisão da Corte, como “delegam” decisões sobre questões muito controvertidas, envolvidas em desacordos razoáveis e de alto custo político. [23] Esta foi a acusação feita por Oliver Holmes em seu lendário voto vencido em Lochner. Segundo o grande jurista, a maioria decidiu baseada em “uma teoria econômica que não é acolhida por uma grande parte do país”, afirmando que “uma Constituição não é pretendida a incorporar uma teoria econômica particular, (...) [mas] é feita por pessoas de pontos de vista fundamentalmente divergentes”, o que deslegitima a Corte e legitima as maiorias políticas de cada tempo para decidir qual teoria econômica deve prevalecer em cada momento histórico. (198 U.S. 45, 75 [1905]). [24] BALKIN, Jack M. Living Originalism. Cambridge: Harvard University Press, 2011, p. 231-232. [25] McMAHON, K. J. Reconsidering Roosevelt on Race: How the Presidents Paved the Road to Brown. Chicago: Chicago University Press, 2004, p. 179. [26] DWORKIN, Ronald. Justice for Hedgehogs. Cambridge: Harvard University Press, 2011, p. 399. Devo a lembrança dessa citação de Dworkin ao amigo Alonso Freire.     —————————————————————————————————————————————————————– Carlos Alexandre Ft: Arq-Pess * Mestre e doutorando em Direito Público pela UERJ, professor da UCAM/FDC e assessor de Ministro do Supremo Tribunal Federal. (conjur.com.br)
Comentar
Compartilhe
Em Nome do Pai
11/12/2014 | 11h00
Inaugurada em 10 de maio de 1966,  no topo do Morro do Castelo, o Cristo  Redentor de Itaperuna é fruto do poder de mobilização social de Cláudio Cerqueira Bastos, ( *21/01/1919, +16/01/2011), antes mesmo de ser prefeito. Claudão liderou a comunidade, conseguiu os recursos e convidou o escultor capixaba Antônio Francisco Moreira, o mesmo criador da imagem de Guaçuí-ES,  para fazer a estátua de 20m de altura. Ainda entre as maiores  deste tipo no Brasil, (a primeira está em Elói Mendes-MG, com 38m, um metro a mais do que a do Rio de Janeiro), durante um bom tempo o único ponto turístico oficial de Itaperuna esteve abandonado, passando por reformas eventuais. Atualmente, encontra-se em sua melhor fase. Um mirante foi construído, grades e parapeitos reformados, muitas árvores,  uma temperatura bem diferente da encontrada na parte baixa da cidade e a monumental paisagem vista quase em 360 graus, mas, com um problema antigo: não há vigilantes no local.   A Polícia Militar realiza patrulhamento rotineiro, o que não é suficiente para quem deseja passar  horas descansando e se divertindo. Não há  suporte de bens e serviços para o turismo:  o quiosque, pelo menos ontem, estava fechado. Sem sanitário público, água potável e segurança, o desestímulo vence a vontade de permanecer no parque, embora limpo e bem conservado. Mais visitado pelos moradores de outras cidades, ( é assim também com a estátua do Rio), o Cristo ganharia muito com a efetivação dos novos guardas municipais. Uma dupla de plantão, certamente ofereceria tranquilidade e eventos artísticos e culturais podem ajudar a dar vida e movimento ao Cristo itaperunense. fts-NB cris01c5 c4 cr3 c2 cr1 crist4 [caption id="attachment_152" align="alignnone" width="300"]Rampa de Voo Livre, deteriorada. O local foi utilizado durante um bom tempo. (O paredão do morro, na parte de trás do Cristo, oferece boas condições de decolagem,) Rampa de Voo Livre, deteriorada. O local foi utilizado durante um bom tempo. (O paredão do morro, na parte de trás do Cristo, oferece boas condições de decolagem,)[/caption] crist2 crist1
Comentar
Compartilhe
Rui Uhlmamm, O Comunicador.
10/12/2014 | 13h47
O BNB abre hoje  uma série de postagens onde comunicadores do rádio regional serão lembrados. Mídia resistente e tradicional, o rádio, ainda e sempre será de um valor incomensurável e de uma agilidade sem igual. Pode e deve ser melhor utilizado, principalmente no interior, mas, isso é história para outra hora. Agora, vamos deixar  o Amigo Locutor escrever como se estivesse falando em nossas casas, carros, lojas, oficinas, escritórios, motéis, hotéis, fábricas e corações. Com as palavras, Rui Uhlmann, o Comunicador do Seu Rádio.   38 ANOS COMO UM PILOTO DE EMOÇÕES Por Rui Uhlmamm  Radialista desde 1976,  minha primeira inspiração veio do meu  pai ,  um grande locutor. Tenho o mesmo nome dele. Sou   apaixonado pela profissão, tendo trabalhado com muita gente boa, aprendendo até hoje com os meus colegas. As emissoras por onde passei me dão  muito orgulho: A  Jornal Fluminense,(hoje  Absoluta ) foi a primeira da minha  profissão. Comecei como operador de áudio, passei para locução três anos depois. E vieram  as Rádios  Cultura, Continental, Campos Difusora, Campista Afonsiana , (atual Cultura), e Record, todas AM, aqui em Campos dos Goytacazes.  Ah ! Tive também uma passagem pela Radio O Dia, no Rio, nesta época, conheci o famoso  Osvaldo Sargentelli, apresentador de programa na mesma estação.   Nesses meu 38 anos de atividades, atualmente  estou  na 97 FM e na Record. Ia me esquecendo, (e não posso esquecer), das rádios FM 89 FM em Campos e  Muriaé  FM, na cidade mineira de mesmo nome, onde implantei a programação, levando profissionais campistas como Welington Mhz,  Moises França e Cesar Romero. Fui por dois anos apresentador da TV Norte Fluminense, lançado pela saudosa jornalista  Alba Toledo, apresentei as edições locais  do Jornal Hoje e Jornal da  Globo. Naquele tempo  não tínhamos  o teleprompter , os textos  eram decorados,  com muita adrenalina quando entrava a musiquinha padrão dos noticiários, avisando que seria " Ao Vivo! ". Em minha trajetória , ocupei ainda os cargos de programador, coordenador de programação , diretor geral e corretor de publicidades. E tenho orgulho de dizer que dei oportunidade e lancei  vários nomes, muitos ainda  atuando com muito sucesso. aruy Para terminar, aproveito para agradecer: ao  Manoel Peçanha, meu tio querido, e quem me  levou pro rádio; ao Dr. Moacyr Fonseca, diretor da Rádio  Jornal;  Silvio Lima, locutor-operador que me ensinou a trabalhar na mesa de áudio; ao operador Herval Guimarães , com quem  fiz um intenso laboratório para me tornar locutor; também aprendi muito com o comunicador, hoje advogado, Paulo Ferreira: ensinou-me  técnicas de dicção e colocação de voz; agradeço ao Claudio Roberto, locutor e professor de inglês: me ensinava as pronúncias das musicas estrangeiras, àquela época, dominantes nos  veículos de comunicação. E outros nomes me surgem na memória grata: Alair Ferreira, Alair Ferreira Filho, Andral Tavares, Pereira Jr., Padre Barbosa, do Convento dos Redentoristas, aos que estão firmes na ativa, como Barbosa Lemos, D. Terezinha Pereira Barreto, D. Tânia Dias e Nelson Dias,  aos meus ouvintes, razão do meu sucesso, de toda a carreira de "RUI RUI RUI UHLMANN,O COMUNICADOR DO SEU RÁDIO, O SEU AMIGO LOCUTOR" , e claro, a Deus,que tem me dado durante todo este tempo, saúde e sabedoria para o exercício de uma profissão tão linda como a de Radialista.Vou terminar dizendo para você,  leitor do Nino e da Folha, que se tivesse de começar de novo a minha vida no rádio, faria com todo o prazer, afinal, não existe nada melhor do que  fazer o que a gente  gosta. E gostar do que a gente faz.
Comentar
Compartilhe
Flash Back do Blog
10/12/2014 | 10h21
Antes de começar a fazer parte da Folha Online, publicamos alguns artigos e crônicas de relativo sucesso dentro do pequeno horizonte antes deste novo território virtual.  Aproveitando  os limites alongados , as divisas abertas e as fronteiras conquistadas, ocasionalmente o BNB vai repetir  postagens, com direito à vinheta de rádio daquelas que anunciam o retorno de uma bela música atemporal. É o nosso Flash Blog e traz hoje um assunto saudosista e moderno em doses iguais: A VOLTA DO TREM À ITAPERUNA O Governo Federal fala em construir 11.000 quilômetros de ferrovias e outorgar maior acesso às linhas privadas existentes para reduzir os custos de transporte em até 30 por cento. A intenção de criar uma rede unificada de ferrovias, reduzindo a dependência do Brasil do transporte rodoviário, que é muito mais caro, é anunciada com estardalhaço todos os anos. Atualmente, apenas um terço dos 28.692 quilômetros de ferrovias estão em operações,  30 por cento das cargas são transportadas por trem, com 52 por cento por caminhão. Um diferença significativa. E que atrasa o pais. Cada vagão de trem, transporta o equivalente a 3 caminhões de 30 toneladas. Isso desafogaria as rodovias e tornaria-as menos sobrecarregadas em danos e acidentes. As intenções são anunciadas e os projetos não acontecem. Difícil de  entender em um país que já teve uma das maiores malhas ferroviárias do mundo, viver agora de sonhos e saudosismo, porém, notícias de que  novas linhas seriam construídas  por conta do Porto do Açu- São João da Barra-RJ, reacendeu também esperanças na  Região Noroeste, que a princípio não as receberia, já que o projeto mais certo é a ligação Vitória-Rio, passando por Campos e SJ da Barra, Macaé e Itaboraí. ITAPERUNA E O TREM DE FERRO É incontestável a importância da ferrovia na história de Itaperuna. O próprio traçado da cidade revela como a mancha urbana se espalhou ao longo dos trilhos. Na memória de muitos, o apito, a fumaça e o som inconfundível e ritmado das máquinas, quase todas de origem inglesa, ainda persistem. No início dos Anos 1980, a última composição passava e logo toda a estrutura desaparecia, como a imponente estação. Era o fim de uma era. [caption id="attachment_133" align="alignnone" width="300"]Estação de Trem- Itaperuna- Apenas uma imagem saudosa. ft- Arq-Histórico Estação de Trem- Itaperuna- Apenas uma imagem saudosa.
ft- Arq-Histórico[/caption]   O NBB perguntou a alguns itaperunenses sobre a ferrovia na cidade: [caption id="attachment_134" align="alignnone" width="300"]Uma das mais famosas e emblemáticas fotos feitas na Estação de Itaperuna. Uma família inteira pronta para viajar. Ou apenas posando com trajes de gala tendo a Maria-Fumaça ao lado? ft-Arq-Histórico Uma das mais famosas e emblemáticas fotos feitas na Estação de Itaperuna. Uma família inteira pronta para viajar. Ou apenas posando com trajes de gala tendo a Maria-Fumaça ao lado? ft-Arq-Histórico[/caption] CLEA FELIPE- Fotógrafa Em tempos de transito tão difícil e tantos acidentes, acredito  que a reativação da linha férrea, além do glamour que uma bela viagem de trem nos proporciona,  seria uma grande opção para minimizar esse caos em que vivemos, além,  de contribuir imensamente para redução da poluição ao meio ambiente, melhorando a qualidade de vida. Infelizmente, hoje não somos conhecidos como grandes produtores na agropecuária, nem de leite, nem de café, nem de NADA, como eramos na época em que foi construída a linha férrea, mas,  seria maravilhoso ver as pessoas esquecerem seus possantes carros na garagem e curtir uma viagem de trem, é lógico com um pouco mais de conforto, como em muitas outras pequenas cidades e transformar isso em uma  grande atração turística! LÁERCIO ANDRADE-Advogado Na década de 70, o governo brasileiro, foi motivado a erradicar as ditas malhas ferroviárias deficitárias. Motivo: As gigantes do petróleo precisavam vender mais diesel, e, as montadoras, caminhões! Resultado: -Aumentou o preço do transporte de mercadorias, alimentos etc. -Deformaram as estradas asfaltadas, que não têm quase nenhuma fiscalização sobre o peso da carga transportada. -Pior: Oitenta por cento dos acidentes nas rodovias são motivados direta ou indiretamente por caminhões! Como somos manipulados! (O mesmo aconteceu com a erradicação dos cafezais.)   IVONETE DE OLIVEIRA- Radialista Tenho muita saudade das viagens que fiz ao Rio. Era uma festa! Um dia inteiro, muita gente, conversa, nenhuma pressa e paisagens belíssimas. A Maria-Fumaça quando chegava na estação de Itaperuna, causava um alvoroço, sempre tinha novidades e alegria. Acho que a volta dos trens hoje, mesmo fazendo outro percusso, seria muito bom para todos, desde o transporte de cargas ao de passageiros, com mais velocidade e conforto, mas, com a mesma magia dos anos passados.   VALBER MEIRELLES- Cantor, compositor, poeta, empresário- O trem aqui chegou, trouxe gente, e trouxe coisas E foi levando daqui, para outras tantas bandas O café que aqui se plantava... aqui se colhia... e grande aqui foi! Mas o trem também se foi e se foi e se foi... e não mais voltou! Era lindo cortando as plantações, as vilas e arraiais... Hoje, quase não há mais vestígios, nem histórias... nem nada! Mas ainda nas poucas mentes de outrora permanecem as lembranças... Que são tantas e tantas e tantas e tantas... e que vão se enfumaçando... NOTA DO BLOG Em muitas outras cidades, estações ferroviárias sobreviveram de algum modo, sendo útil para a sociedade. Em Itaperuna, a principal delas, a do Centro, ( hã outras nos distritos), foi totalmente demolida, confirmando a tendência de uma não-preservação histórica de alto grau de indiferença.
Comentar
Compartilhe
PASSAGEM DE COMANDO NO 29º BPM
09/12/2014 | 15h48
Batalhão de Itaperuna tem novo comandante A passagem de comando do 29º BPM em Itaperuna aconteceu na tarde de ontem,  segunda-feira, 08, na sede social do batalhão. Assumiu o comando do famoso Guardião do Noroeste, o Tenente Coronel PM Sylvio Guerra. O Tenente Coronel PM Marcelo Freiman, atualmente comandando o 8º BPM em Campos, esteve na solenidade. Colaborou Redação TVi-tvi21.com [caption id="attachment_129" align="alignnone" width="300"]Comandantes PM Sylvio Guerra e Marcelo Freiman Comandantes PM Sylvio Guerra e Marcelo Freiman[/caption]
Comentar
Compartilhe
Vereadores se Estranham na Reeleição de Presidente
09/12/2014 | 10h34
Italva-RJ Uma tensa  discussão entre  vereadores não impediu  o vereador Wilson Nogueira de ganhar mais uma: foi reeleito para o seu sexto mandato como presidente da Câmara Municipal de Italva. Nogueira venceu o vereador Dinho da Farmácia por 5 votos a 3. Votaram em Wilson: João Nogueira, Zico Melo, Mazinho Macedo, Joel Enfermeiro e, óbviamente, o próprio. Já Alcirley Lima, Ademir Cararine e Dinho ficaram com a oposição. O vereador Antônio Elias chegou atrasado e não participou da votação, porém, em discurso fez duras críticas a reeleição de Wilson. Houve  também estranhamento verbal entre os vereadores Dinho e Joel, interrompido pelo presidente reeleito, encerrando a sessão sob protestos de alguns legisladores. Para o biênio 2015/2016,  a mesa diretora fica desse jeito: Presidente: Wilson Nogueira 1° Vice-presidente: João Nogueira 2° Vice-presidente:Zico Melo 1° Secretário: Joel Enfermeiro 2° Secretário: Mazinho Macedo O DONO DA CADEIRA Wilson Nogueira conquista mais uma vez a cadeira principal da Câmara de Italva, pelo período de dois anos. Experiente no cargo, comentou que ser presidente é vontade de qualquer vereador, sendo permitido pelo  regimento interno da casa, a reeleição: “Deixei o meu nome para apreciação dos colegas e fui reeleito com a presença da população em voto aberto. Eles poderiam escolher outro. Agradeço pela confiança, isso mostra que meu trabalho tem correspondido as expectativas da maioria”, finalizou o presidente na sessão realizada na noite da última terça-feira, 02/12.   [caption id="attachment_121" align="alignnone" width="300"]Vice-prefeito Glycério Rocha, prefeito Lèozinho e o presidente reeleito da CMI- Wilson Nogueira                                            ft-Arq-Pss Vice-prefeito Glycério Rocha, prefeito Lèozinho e o presidente reeleito da CMI- Wilson Nogueira               ft-Arq-Pss[/caption]  
Comentar
Compartilhe
Autorizado o EaD da Faculdade Redentor
08/12/2014 | 15h25
O Diário Oficial Nº 237,  desta segunda-feira, 8 de dezembro de 2014, traz um decreto importante para Campos e Itaperuna, via Faculdade Redentor, beneficiando as regiões Norte, Noroeste e estados vizinhos: a aprovação do Ensino a Distância  da Instituição, pelo MEC- Ministério da Educação.   PORTARIA Nº 1.020, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições, tendo em vista o disposto no Decreto no 5.773, de 9 de maio de 2006, na Portaria Normativa no 40, de 12 de dezembro de 2007, republicada em 29 de dezembro de 2010, e no Parecer no 130/2014, da Câmara de Educação Superior, do Conselho Nacional de Educação, conforme consta do processo e-MEC no 201109685, e diante da conformidade do Estatuto da Instituição e de seu respectivo Plano de Desenvolvimento Institucional com a legislação aplicável, resolve: Art. 1o Fica credenciada a Faculdade Redentor (FACREDENTOR), para oferta de cursos superiores na modalidade a distância, com sede na BR 356, nº 25, bairro Presidente Costa e Silva, Município de Itaperuna, Estado do Rio de Janeiro, mantida pela Sociedade Universitária Redentor (SUR). Art. 2o As atividades presenciais obrigatórias serão desenvolvidas na sede da instituição e no polo de apoio presencial situado à Rua Doutor Beda, nº 112, bairro Turf Club, Município de Campos dos Goyatacazes, Estado do Rio de Janeiro. Art. 3o Nos termos do Art. 2o da Portaria Normativa MEC no 1, de 2 de janeiro de 2014, Anexo III, este ato autorizativo é válido por 3 (três) anos a partir da publicação desta Portaria. Art. 4o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JOSÉ HENRIQUE PAIM FERNANDES ead_logo
Comentar
Compartilhe
Luz & Sombras
08/12/2014 | 15h08
Itaperuna-RJ Durante o dia, competindo com o Sol, uma lâmpada acesa. À noite, a Ponte de Ferro, por onde passava a linha férrea e atualmente, a principal conexão entre o Centro e o Bairro Niterói , ( só existem mais duas),  continua mal-iluminada. Por ela transitam centenas de pedestres em duas estreitas passarelas, tendo, às vezes que disputarem  espaço com os carros, quando grupos de pessoas se encontram no vai-e-vem. [caption id="attachment_82" align="alignnone" width="223"]14:00 h -Centro de Itaperuna 14:00 h -Centro de Itaperuna[/caption] [caption id="attachment_83" align="alignnone" width="224"]Ponte de Ferro, a principal das 3 da cidade. Ponte de Ferro, a principal das 3 da cidade.[/caption] [caption id="attachment_84" align="alignnone" width="224"]Ponte de Ferro vista da margem esquerda do Rio Muriaé Vista da margem esquerda do Rio Muriaé[/caption] [caption id="attachment_85" align="alignnone" width="224"]parapeito da ponte Parapeito da ponte[/caption]
Comentar
Compartilhe
Porciúncula faz manisfestação por jovem agredido e ainda na UTI em Itaperuna
06/12/2014 | 19h15
A Tvi, Canal 21, ÚNICA TV  de Itaperuna, acompanhou o protesto feito por centenas de pessoas na cidade de Porciúncula, extremo do Noroeste=RJ. O que motivou tudo isso? Artigo conta. http://youtu.be/L_GmcMqYijQ Hiruyto-Arq-Pess Saiba mais em www.tvi21.com
Comentar
Compartilhe
GLADIADORES DO NOROESTE
06/12/2014 | 13h53
Por Dariany Silgom Mesmo com tantas notícias que deixam claro todos os dias a banalização da vida pelo ser humano, ainda não consigo achar normal atitudes grotescas, quase primitivas de violência. Ainda mais quando acontecem no meu quintal... No último fim de semana minha “quase” pacata Itaperuna viveu um cenário lamentável, que infelizmente ilustra bem o que a barbárie humana é capaz de fazer. Uma inauguração de uma boate, um ambiente que deveria ser de música, descontração e alegria, tornou-se um palco de covardia e selvageria que na minha opinião, de quem tem enorme aversão a violência, nada justifica. Usei a palavra palco muito a contragosto para descrever o local do fato, já que palco me remete a lugar de artes e de encantamento. Havia pensado também em usar a palavra arena. Mas desisti, já que nas arenas da Roma Imperial antiga, cenário de batalhas sangrentas, os gladiadores duelavam com alguma honra e respeitavam seus adversários. Nunca se valendo de atos covardes, fora de uma Ética de Guerreiros. E no fato ocorrido aqui, nada se tem de honroso e respeitoso. O que se vê é uma geração de jovens que valoriza tanto a tecnologia dos seus celulares e computadores, a modernidade dos seus carros e motocicletas, enfeita seus corpos de músculos e roupas de grife, mas possui o cérebro de um homem das cavernas. “Mim não gostar de você e não concordar com o que é ou faz. Mim bater e você apanhar! Até a morte...” Quanta estupidez meu Deus! Eu renego, rejeito e me valho aqui da expressão muito usada nos manifestos desse ano: essa geração #NãoMeRepresenta. E deixo no ar a pergunta que não quer se calar: quantos Marcos Hiroyuki terão que ser covardemente espancados até o coma, para que algo seja feito contra essa impunidade intragável de gestos violentos e banais? E com a liberdade de finalizar mais leve, porém, não menos triste, pergunto: e agora? Quem poderá nos defender? Já que nosso saudoso Roberto Bolaños partiu desse nosso mundo insano também essa semana, nos deixando carentes do nosso herói colorado e atrapalhado. No meio desse caos eu só tenho a dizer que “sigam-me os bons”! E ao maus, leis mais rigorosas. [caption id="attachment_100" align="alignnone" width="300"]Ft- infoescola.com Ft- infoescola.com[/caption] NOTA DO BLOG A agressão sofrida pelo morador de Porcíúncula-RJ, Marcos Hiroyuky em Itaperuna, sucedeu-se fora das dependências de uma casa noturna inaugurada na noite de sexta-feira passada, 13 de Novembro e já ao final do evento. Marcos ainda está hospitalizado em estado gravíssimo no HSJA e o caso tomou repercussão nacional pelo número de agressores envolvidos e as consequências. Hoje em Porciúncula, as 10hs, houve uma manifestação por mais celeridade nas investigações.
Comentar
Compartilhe
Vida que Passa sem Vida
05/12/2014 | 17h32
Por Lívia Brasil* Um conhecido meu,  visitando os amigos em Fortaleza-CE, descobriu gente fazendo cirurgia bariátrica "como quem vai ao salão aparar a franja"! Ele descreveu a situação  assim mesmo. E fiquei pensando: Quem não quer ficar triste, faz uso de antidepressivo, quem não quer passar por apuros, usa calmante. Quem quer ficar forte, faz uso de anabolizantes. Quem quer ficar com o " corpo da moda", entra no bisturi Quem se acha gordo, costura o estômago. Estamos vivendo apressados ou  falta boa vontade? Estamos mais fracos para sentir, ou os sentimentos ficaram tão pesados que é melhor nos anestesiar? A vida parece ter perdido o sentido para a maioria, ou, ganhou um novo significado ainda incompreensível para muitos de nós. Ansiedade por estar só, ansiedade por estar acompanhado, pressa para chegar a lugar nenhum e um tédio monumental. Nenhum programa de tv, nenhum site de relacionamento, festas badaladas, viagens e muito dinheiro,  remédio algum vai nos curar de nós mesmos. O que as  selfies nos revelam?  Apenas caras e poses, closes e biquinhos, ou é algo,  muito mais óbvio, e mesmo assim, não conseguimos perceber? *Lívia é atriz e principalmente, carioca da gema dourada. [caption id="attachment_90" align="alignnone" width="251"]Livia Brasil Arq-Pess Livia Brasil
Arq-Pess[/caption]
Comentar
Compartilhe
Mamãe Noel chega à Itaperuna
05/12/2014 | 11h52
E as crianças, se perceberam a diferença, não se incomodaram. No campo de treinamento do Tiro de Guerra de Itaperuna, no Bairro Aeroporto, a secretaria municipal de Ação Social, Trabalho e Habitação promoveu o último de uma série de eventos em que foram distribuídos mantimentos e artigos de primeira necessidade. Hoje, foi a vez  de brinquedos, para, aproximadamente, 800 crianças de várias entidades e escolas  assistidas pela prefeitura e outras instituições independentes. Uma demonstração do canhão d'água de uma unidade do Corpo de Bombeiros Militar e a chegada da Mamãe Noel, fizeram as crianças esquecerem-se dos picolés, pipocas, balas,  pães recheados e da brinquedoteca, entrando em delírio. Fts- NB e Marcelo Nunes a1 unnamed (14) [caption id="attachment_73" align="alignnone" width="224"]Mamãe Noel Mamãe Noel[/caption] unnamed (16) unnamed (17) ssPrefeito Alfredão e o presidente da Câmara Municipal de Itaperuna Alexandre Pereira da Silva                                                                                                                                                           10417589_877666155600905_1657418011099191946_nAlfredo Marques-Alfredão- e a secretária de Ação Social Loíde Estides
Comentar
Compartilhe
Entrando numa Fria
05/12/2014 | 08h13
A primeira câmara  frigorífica de cervejas nas regiões Norte e Noroeste do Estado do Rio, vai ser montada em Itaperuna. A BeerCave, um cubo gelado,  com 1.2,5m de largura, por  2,5 m de comprimento, permite ao cliente entrar e pegar a cerveja desejada entre mais de 100 marcas, na temperatura aproximada de 0º centígrado. Inovação da rede de conveniência AM & PM, da Ypiranga, o espaço envidraçado, comporta até 1.500 litros de cerveja das mais variadas, nacionais e estrangeiras. Dentro de 15 dias, no Posto Timbozão, a novidade será incorporada, com estimativa de aumentar em até 50% o faturamento mensal de 150 mil reais. Um investimento de 70 mil reais, divididos com a petrolífera que, retorna  em produtos e descontos. Para João Victor Chequer, 23 anos de idade, estudante de Administração,  diretor de marketing do empreendimento, uma cidade quente como Itaperuna é a ideal para receber a "caverna de cervejas". No ano passado, a AM &PM itaperunense, recebeu o Prêmio Índice de Excelência, por ficar entre as 10 maiores do Brasil, garantindo um cruzeiro entre a Flórida-USA e as ilhas caribenhas. Uma única garrafa ou packs de 24 unidades geladas poderão ser adquiridas na BC e a reposição será imediata. Um gerador próprio é a segurança para a manutenção da temperatura adequada na loja que vai funcionar até às 3 da madrugada a semana inteira.   [caption id="attachment_65" align="alignnone" width="224"]ft-NB João Victor /ft-NB[/caption]   [caption id="attachment_66" align="alignnone" width="300"]ft ilustrativa ft ilustrativa[/caption]
Comentar
Compartilhe
O Respeito da Tropa
04/12/2014 | 11h45
Em pouco tempo à frente do 29º BPM- Batalhão de Polícia Militar, conhecido também como O Guardião do Noroeste, o Tenente- Coronel PM Marcelo Freiman, ( agora comandando o 8º BPM-Campos), conseguiu conquistar o respeito e a admiração da população e da tropa. O bacharel em Direito e sub-tenente PM Maurício Xavier fez questão de registrar para o blog:     Ao meu Comandante Sr. TEN CEL FREIMAN: Despedida, momento difícil na vida de um homem, contudo, não poderia deixar de exaltar o Comando de V.Sa., oficial inteligente e dedicado, digno de louvor, fiel cumpridor de sua missão, agiu com a mais clara e cristalina certeza de que cumpriu com seu dever, deixa um legado de exemplos humanos e profissionais, os quais ficarão registrados nos anais desta Unidade. Desejo - lhe sucesso, com a certeza de que, com seu idealismo, abnegação e conduta segura, a corporação haverá de continuar crescendo. Agradeço a Deus pela oportunidade de tê-lo como Comandante no período em que esteve conosco a frente do 29°BPM. Despeço-me com um verso de Bastos Tigre do seu poema "Envelhecer" "Do que tiveres no pomar plantado, Apanha os frutos e recolhe as flores. Mas lavra ainda e planta o teu eirado Que outros virão colher quando tu fores..." Itaperuna,  Dezembro de 2014. Sub Ten Xavier   [caption id="attachment_61" align="alignnone" width="194"]Ten-Cel PM Marcelo Freiman- ft- Arq-Pess Ten-Cel PM Marcelo Freiman- ft- Arq-Pess[/caption]
Comentar
Compartilhe
BERÇÁRIO DE LIXÃO
04/12/2014 | 10h43
  Em frente à sede do IFF- Instituto Federal Fluminense, em Itaperuna, há uma estrada vicinal. Basta percorrê-la por  500 metros e logo deparar-se com um, ainda discreto, lixão em formação.unnamed (10) unnamed (11)     fts-NB
Comentar
Compartilhe
A DEUSA DO FITNESS
03/12/2014 | 13h53
No final de semana passado, em Cabo Frio, a itaperunense Gabriela Rocha, pela primeira vez na vida entrou em uma competição de Fitness, na categoria Wellness. O Mr. Cabo Frio 2014. Gabi começou a treinar apenas por um estilo de vida mais saudável e pela estética, até que surgiu a vontade de competir, afinal, os resultados foram aparecendo no dia a dia e a garota bonita foi se destacando. Quando surgiu o desafio, estabeleceu uma hora e meia de exercícios de musculação e aeróbicos, de segunda a sábado, diminuindo o ritmo aos domingos, mas, sem descanso. Uma dieta específica, com carboidratos e proteínas em medidas exatas, suplementação adequada e muito foco, ( palavra-chave de quem se dedica ao Fitness), durante os 3 meses anteriores à competição, fizeram parte da sua rotina pesada. Afinal, seria a primeira vez de verdade, enfrentando público e juízes exigentes. Gabi queria render o máximo, mas, consciente do momento, mesmo com a ajuda da família, dos amigos e treinadores, tentou não sonhar muito, embora, o podium  estivesse logo ali, bem perto, desafiando-a. As horas de muita dedicação, os sacrifícios exigidos, as noites de sono perdidas, as festas deixadas, os gastos com a suplementação e roupas, a concentração total de todos os dias, passaram por sua mente como um filme em câmera lenta. [caption id="attachment_52" align="alignnone" width="300"]Gabi Rocha ft- Arquivo Pessoal Gabi Rocha
ft- Arquivo Pessoal[/caption]   Não queria ficar preocupada demais, mas, também, não poderia fazer feio. A ajuda fiel do irmão Felipe, a expectativa de uma cidade em torno de sua primeira performance, não a assustaram, dando ainda mais força. Quando veio o resultado, lágrimas e sorrisos se misturaram: Um Terceiro Lugar. Na primeira competição, o primeiro degrau do podium e a certeza de que os outros dois degraus a esperavam para a próxima vez. A Deusa do Fitness itaperunense, estreava bem e vinha para ficar. Nervos acalmados, pedidos de fotos e autógrafos, a menina estava feliz com o resultado, mas, tranquila, consciente do muito a fazer. Serenidade para manter o deslumbramento e a arrogância longe. Calma para continuar treinando cada vez mais forte, disciplinada, com os olhos no futuro e as pernas fortes no presente. E a o final, comentou com um sorriso vitorioso: Esse é o meu mundo apaixonante! Amo esportes desde pequena. Vi meus irmãos crescerem praticando judô, natação. Tenho um casal de sobrinhos atletas profissionais no jiu-jitsu, um irmão personal trainner e empresário no ramo de suplementação. Eu trabalho com ele, na Rocha Suplementos. Sou estudante de Educação Física e escolhi o bodybuilding como estilo de vida, não há sacrifícios para mim, apenas esse é o meu jeito, essa é a minha vida.
Comentar
Compartilhe
CPI é Aprovada por Unanimidade na Câmara de Natividade
03/12/2014 | 09h42
Por unanimidade, os vereadores de Natividade, aprovaram no início da noite de ontem, 02 de Novembro, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instalada há cerca de 90 dias na casa, para apurar supostas irregularidades na gestão do então prefeito Marcos Antônio Toledo, o Taninho. Durante a sessão, que contou com a presença de dezenas de espectadores, entre os quais o prefeito interino Fabiano França Vieira, o relator da comissão, vereador Bernardo de Pinho, leu as mais de 200 páginas da conclusão, onde segundo ele, teria ficado claro a existência de indícios que apontam para o desvio de verbas públicas, chegando a citar que teria sido formada uma quadrilha para dilapidar o patrimônio público. Durante os três meses de trabalho, foram analisados cerca de 800 empenhos, com destaque para 172 deles, que tratavam de concessões de diárias e prestação de serviços. No relatório, os integrantes da CPI chegaram a reclamar que muitos documentos que haviam sido solicitados à atual administração não teriam sido entregues, o que pegou de surpresa Fabiano França, que subiu à tribuna para dar esclarecimentos. - Tudo o que me foi solicitado eu atendi. Dei ordens para que tais documentos fossem enviados, até porque, nada tenho a esconder. Essa CPI investiga atos do governo passado, não do meu. Mais ainda assim, determinei abertura de um inquérito interno para apurar as responsabilidades. Se algum funcionário descumpriu esta ordem, será responsabilizado, – disse.   [caption id="attachment_49" align="alignnone" width="300"]Plenário da Câmara de Natividade Ft-Vanderson Garcia Plenário da Câmara de Natividade
Ft-Vanderson Garcia[/caption] Fonte http://natividadefm.com.br/
Comentar
Compartilhe
Fotógrafo Itaperunense tem imagem selecionada para Expo no Planetário da Gávea
02/12/2014 | 18h31
Ele se chama Igor Machado Pimentel, é itaperunense, tem 33 anos e uma imensa paixão por fotografia. Esta paixão cresce com ele desde a infância e não tem limites para acabar. Nos tempos das foto analógicas, aliado à falta de recurso, os resultados não eram nem um pouco agradáveis. Veio a tecnologia e o contato com uma singela Olympus de 1.3 mega pixel de resolução. Admirador da natureza e suas belezas , mistérios e de tudo que nela há, com muito suor e persistência, depois de alguns anos, em 2012, adquiriu uma Canon, categoria Superzoom,  com um grande poder de aproximação da imagem a ser fotografada. Neste mesmo ano, fez inúmeras fotos de pássaros, flores, formigas e de tudo o mais que encontrava pela frente, caçador compulsório e instintivo das imagens. E elegeu a Lua como o alvo principal. Da Crescente à Minguante, perseguiu-a  sem descansar, mas, foi a Lua Cheia, com seus encantos, que o fez desejar uma foto que fosse impactante e diferente de todas as outras já existentes. O impossível tornou-se seu aliado. Pesquisou sobre o movimento do satélite em relação à terra em sites especializados, enquanto pensava: "Será possível fotografar a estátua do Cristo Redentor de Itaperuna com a Lua ao fundo?". alua Foto: Igor Pimentel Sim, era perfeitamente possível, mas de onde? Experimentou vários lugares, desde o bairro Vinhosa, da Avenida Senador Sá Tinoco, (Beira-Rio), até o Morro dos Médicos, mas, todas as tentativas seriam frustradas, até o dia em que visitou o Ponto de Vista, área de loteamento nobre, acima da Faculdade Redentor e de lá, sentiu que a Caçada à Lua Perfeita estava perto do fim. Preparou-se ansiosamente, para a primeira Lua Cheia que viria em Junho de 2012, mas devido aos imprevistos, chegou atrasado ao encontro perfeito. Não conseguiu, mas não desistiu. No mês seguinte, no dia 3 de Julho , munido de GPS e softwares específicos no celular, chegou ao ponto da tocaia com 30 minutos de antecedência e quando a imensa Lua, redonda como um queijo do vizinho estado de Minas Gerias, surgiu no horizonte, percebeu estar mal posicionado, sozinho com a câmera no tripé e teve que sair correndo, feito um maluco, bem no meio da rua para reposicionar-se e finalmente, dar o tiro de misericórdia, aquele que capturaria para sempre uma imagem tão perseguida. A alegria foi enorme, equivalente a um gol numa partida decisiva de futebol. Na mesma hora, começou a telefonar para os amigos e familiares, contando o extraordinário momento. Passou a divulgar a amada foto e outras pela internet até que conheceu o perfil @riointerior mantido por Alexandre Macieira cujo foco é divulgar as belezas do Estado do Rio de Janeiro. O tempo passou e o Caçador da Lua, surpreendeu-se ao receber a notícia de que a sua tão cobiçada foto fora selecionada para uma exposição fotográfica: A Feira Carioquíssima, no Planetário da Gávea (http://www.carioquissimo.com.br/). Emocionado  com tudo tão rápido e inesperado para um "menino do interior", Igor comenta: Pra mim, é algo novo, é a certeza de que não devemos desistir de nossos sonhos e convicções. Tenho certeza de que não sou o melhor do mundo, mas que posso continuar a aprimorar este dom de fotografar. Tenho que agradecer à todos que acreditaram em mim, minha esposa, familiares, amigos e em primeiro lugar à Deus. Sem Ele nada disso seria possível, muito menos para mim, um "menino de Itaperuna." ---------------------------------------- Expo Fotográfica Carioquíssimo & RioInterior Carioquíssima, A Feira Dias 13 e 14 de Dezembro/2014 Planetário da Gávea- Rio de Janeiro
Comentar
Compartilhe
O que o campista pode esperar do novo comandante do 8º BPM
02/12/2014 | 10h06
O Tenente-Coronel PM Marcelo Freiman de Souza Ramos, é o novo o comandante interino do 8º BPM-Batalhão de Polícia Militar sediado em Campos. Substitui ao Coronel Ramiro Souza, que sai sob protestos da maioria da população, exatamente quando este vinha alcançando uma melhora considerável no combate e à prevenção ao crime em Campos e região. O mesmo acontece em Itaperuna. Setores da comunidade, clubes de serviço e o povo não entenderam a súbita troca, embora, normal quando há um novo comando da central da Polícia Militar. Marcelo Freiman, tem um currículo de quem se preparou com afinco para chegar aonde está chegando: Bacharel em Direito, Gestão e Extensão em segurança pública, pós-graduado em Limites Constitucionais, MBA em  Gestão de Segurança-Pública pela FGV, foi um dos criadores da Agência de Inteligência de Batalhão, é mestre- atirador, especialista em adestramento de cães para serviço de rastreamento, busca de reféns e captura de drogas. Possui cursos avançados de técnica investigativa e perícia criminal. Estava desde abril de 2014, no 29º BPM, em Itaperuna, onde ajudou a diminuir os índices de criminalidade em todos os níveis. O que o currículo dele não mostra, é a afabilidade, um militar franco, de conversa direta, olho no olho, atendendo bem à imprensa, justo com os seus comandados e presente nas principais operações, um homem de coragem e diálogo. O campista pode esperar dele, um militar de ação, disciplinado e disciplinador, mas, em nada arrogante, uma personalidade simples e cativante, dono de pronta-respostas aos desafios mais complicados. Esperamos que a sua interinidade seja efetivada, mas, na verdade, o que o itaperunense gostaria mesmo, é da sua permanência. [caption id="attachment_35" align="alignnone" width="224"]Ten-Cel PM Marcelo Freiman- Gabinete 29º BMP-Itaperuna Ten-Cel PM Marcelo Freiman- Gabinete 29º BMP-Itaperuna - ft:NB[/caption] Para o seu lugar, foi destacado o Tenente-Coronel PM Sylvio Guerra, que, também deixa a sociedade de Miracema, insatisfeita com a sua saída. Resumindo, das  trocas de comando na Região Norte e Noroeste, essas três não agradaram à população, causando perplexidade. E ansiosa, espera para ver como tudo vai ficar nos próximos dias e meses.  
Comentar
Compartilhe
PLACA MAIS DO QUE REAL
01/12/2014 | 15h34
Em frente à sede do IFF-Instituto Federal Fluminense, na chegada de Bom Jesus de Itabapoana, via Campos, a placa de trânsito é a mais realista possível. Desgastada pelo tempo e pelo descuido, acaba funcionando de um jeito  muito mais objetivo e assustador. Ft-NB =placa  
Comentar
Compartilhe