Basta de hipocrisia
02/06/2016 | 11h28

Todo vez é assim. A medida que o período eleitoral se aproxima, a hipocrisia e demagogia aumentam exponencialmente Brasil a fora. Em Campos, a situação se avoluma de forma preocupante. Um governo, que já tem como característica maior o populismo barato, se socorre ainda mais dessa estratégia agora, quando se vê atolado numa crise sem precedentes, atingindo índices cada vez menores de impopularidade. É hora de abrirmos o olho.

Ao longo dessa semana, tivemos mais dois exemplos de como esse governo, além de incompetente, trata a gestão pública de forma hipócrita e demagoga. Depois de sete anos e meio de governo, a Prefeita resolveu fazer um “mutirão” para tentar resolver os problemas da saúde pública municipal. Ora, se não fez em sete anos e meio fará agora, às vésperas do fim do mandato e sem o dinheiro que jorrou durante todo aquele período? Faça-me o favor Prefeita. A população está cansada de tanta história para boi dormir. É evidente que se trata de mais uma tentativa de jogar para a galera, buscando reverter a altíssima rejeição do seu grupo político.

O secretário municipal de governo também falou grosso ao longo da semana. Segundo ele, as empresas de ônibus que não prestarem um serviço de qualidade serão substituídas. Mais uma conversa fiada. Esse governo teve, repita-se, sete anos e meio para solucionar o problema do transporte. A licitação, que segundo eles resolveria todos os problemas, foi realizada e passados mais de um ano desde a implementação dos consórcios, nada foi resolvido. A grande verdade é que esse governo sucateia de forma proposital o serviço dos ônibus, deixando a população a mercê de um serviço de vans precário e não regulamentado, que ao invés de atuar de forma integrada, faz concorrência aos ônibus, numa situação que prejudica os dois modais. Enquanto isso, a população continua a ser enganada. Tem direito a passagem a um real, mas não consegue utilizá-la em sua plenitude. Agora pensem bem comigo: Quem não exerceu o seu papel de fiscalização ao longo dos últimos sete anos e meio vai tomar alguma medida efetiva agora, aos 45 do segundo tempo? Duvido.

É justamente por conta de ações irresponsáveis e eleitoreiras como essas que o município passa por esse caos que estamos vivenciando. A crise financeira é grave, não podemos negar. Mas se os gestores fizerem as coisas com um pingo de responsabilidade e competência, deixando a demagogia e a ambição desmedida pelo poder um pouco de lado, é possível prestar serviços básicos com o mínimo de qualidade.

As eleições estão chegando. Um momento importante de mudança de paradigmas para a nossa cidade. É hora de ficarmos atentos e exigirmos um pouco mais de responsabilidade dos nossos governantes. Do jeito que está, não dá para continuar.

Comentar
Compartilhe