Feriadão violento em semana de sangue na campanha presidencial e definições no RJ
09/09/2018 | 12h52
Violência sem fim
Campos, infelizmente, continuará a figurar entre as cidades mais violentas do mundo. E o que aconteceu neste feriadão justifica isso. A capa de sábado da Folha da Manhã destacou o 160º homicídio do ano na cidade. Poucas horas depois do fechamento da edição, nada menos que quatro homicídios foram registrados no município. Foram cinco mortes em dois dias. A média de mais de um morto por dia neste mês na principal cidade da região. É preciso que as forças de segurança tomem uma atitude. A única ação efetiva no município por parte da intervenção federal na segurança do Rio parece ter sido apenas para inglês ver.
Sem sinal da intervenção
Depois de quase seis meses, a intervenção federal na segurança do Rio chegou a Campos, efetivamente, com uma operação realizada no dia 9 de agosto em Guarus, área de conflito do município. A delegacia que atende ao subdistrito está entre as que registram mais homicídios no estado, e isso parece passar despercebido às autoridades. Com direito a 800 homens da PM, Bombeiros, PRF, PF e Exército, além de três carros blindados (um caveirão do Bope, tipo Urutu, e dois tanques modelo Guarani), a ação não teve grande resultado efetivo. E, pelo visto, não deixou nenhum recado à criminalidade, que continua atuando fortemente no município.
No cenário nacional
Além dos casos recorrentes de violência registrados no próprio município, Campos ainda foi parar no noticiário nacional devido a um táxi que saiu de São Paulo para a planície entre segunda e terça, mas o motorista foi encontrado morto em Rio Bonito e o veículo abandonado em Ibitioca. Neste caso, a integração policial de três estados foi eficaz para já ter identificado e prendido os suspeitos do crime.
Tem jeito?
E por falar em violência, ficará para a história o atentado ao candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante ato de campanha em Juiz de Fora na última quinta. Ele levou uma facada, passou por cirurgia e se recupera no Albert Einstein, em São Paulo. Com um discurso forte e muitas vezes classificado como odioso, Bolsonaro pediu para baixar o tom da campanha. Mas não demorou muito para aparecer nas redes sociais, hospitalizado, e fazendo sinal de arma. Pedir uma coisa e se comportar de outra forma será que resolve?
Semana tensa
A semana passada também não foi das melhores para o ex-governador Anthony Garotinho (PRP). Condenado à prisão em regime semiaberto pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) por formação de quadrilha, o político da Lapa teve seu registro de candidatura negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) devido à outra condenação, por desvios na saúde enquanto secretário da esposa Rosinha (Patri) quando ela foi governadora. A campanha continua, sub judice, mas a última pesquisa Datafolha, divulgada na quinta-feira, mostrou que ele perdeu força. É uma corrida contra o tempo, tanto na política, como na Justiça.
Gestão
Gestores da Educação Profissional e Tecnológica do Brasil e de diversos países estarão reunidos durante a 42ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec), que será organizada e sediada pelo Instituto Federal Fluminense (IFF), de 10 a 14 de setembro de 2018, em Búzios. A abertura do evento contará com a presença do ministro substituto da Educação, Henrique Sartori de Almeida Prado, e o secretário de Estado de Educação, Wagner Victer, representando o governador Luiz Fernando Pezão (MDB).
Lazer e economia
O primeiro final de semana do 6º Festival de Petiscos de Farol de São Thomé tem movimentado a praia campista. Além de ser uma opção de lazer para famílias, o evento também tem mostrado ser uma boa oportunidade para movimentar a economia local. O festival foi iniciado nesta quinta e segue neste domingo, voltando no próximo final de semana, com petiscos a R$ 15 cada e apresentações musicais gratuitas na estrutura montada na orla, próximo à Marinha.
*Com o jornalista Mário Sérgio
Comentar
Compartilhe
PRB confirma namoro com Garotinho
21/07/2018 | 05h36
Garotinho e o PRB
O PRB do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, deve mesmo caminhar com o pré-candidato a governador Anthony Garotinho (PRB). Nesse sábado (21), em reunião com pré-candidatos em Olaria, no Rio de Janeiro, o senador Eduardo Lopes, presidente estadual da legenda, confirmou a informação que começou a circular na imprensa nessa semana. Disse que as conversas estão adiantadas e que não tem outro candidato para apoiar. A postura, por sinal, pegou muita gente de surpresa e não foi bem recebida por alguns pré-candidatos, especialmente de Campos e região. No auditório lotado, poucos aplausos foram ouvidos.
Rosinha no TRE
A ex-prefeita de Campos Rosinha Garotinho (Patri) está inelegível, uma vez que a Câmara reprovou nessa semana a prestação de contas da sua gestão, referente ao ano de 2016, seguindo o parecer técnico do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ela alega que seu direito de defesa foi cerceado e diz que vai recorrer ao Judiciário. Só que, antes disso, existe outra questão a resolver com a Justiça. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou para esta segunda-feira (23) o julgamento do recurso da principal Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) da Chequinho, na qual ela foi condenada em primeira instância.
Inelegibilidade
A sentença do juiz Eron Simas, na Chequinho, condenou Rosinha a oito anos de inelegibilidade, a contar do pleito de 2016. Caso tal decisão seja referendada pelo TRE — e vale lembrar que a Corte manteve as condenações nos recursos de todas as Aijes que passaram por lá —, Rosinha pode ter uma dupla inelegibilidade no período de 2016 e 2024, o que anularia o seu anunciado desejo de disputar a Prefeitura de Campos, mais uma vez, em 2020. O plano de entrar no páreo em uma disputa municipal ficaria adiado para 2028.
E Chicão?
A ação principal da Chequinho condenou, além da ex-prefeita, o seu vice e então candidato a prefeito, Dr. Chicão (SD); o ex-vereador Mauro Silva (PSDB), então candidato a vice na chapa do grupo rosáceo; a ex-secretaria de Desenvolvimento Humano e Social Ana Alice Alvarenga e Gisele Koch, ex-coordenadora do programa Cheque Cidadão. Desses, só Chicão é pré-candidato neste ano, mas ficaria inelegível com a condenação em segunda instância. Recentemente, ele foi lançado como possível postulante a uma cadeira de deputado federal.
Dom Orani em Campos
A Rede Vida de Televisão transmitiu na manhã desse sábado (21), para todo o Brasil, ao vivo, a Santa Missa do XVII Congresso do Encontro de Casais com Cristo do Regional Leste da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no ginásio do Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora, em Campos. Presidida pelo cardeal arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta, a celebração foi exibida através do projeto “O Rio Celebra”, que transmite missas realizadas nas comunidades do Rio, nas manhãs de sábado. A informação foi publicada no Blog da TV, do jornalista Antônio Filho, hospedado aqui na Folha 1.
Encontro
Na celebração desse sábado, junto com dom Orani, estavam o bispo diocesano de Campos, dom Roberto Francisco Ferrería Paz, e o bispo de administração apostólica São João Maria Vianney, Dom Fernando Arêas Rifan, além de outros bispos da Regional Leste da CNBB. O Encontro de Casais com Cristo termina neste domingo (22). Participam do encontro casais do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.
Limitação
O aplicativo de mensagens WhatsApp vai passar a ter um limite de destinatários para o encaminhamento de mensagens. Segundo a empresa, o objetivo com isso é reduzir a disseminação de notícias falsas. O WhatsApp é a segunda maior rede social do planeta, com 1,5 bilhão de usuários. Até antes da mudança, uma mensagem poderia ser repassada a até 250 chats (conversas, que podem ocorrer com pessoas ou grupos) de uma vez. Com a limitação, o número será de 20 chats quando alguém desejar encaminhar um texto recebido.
Charge do dia
Publicado na edição deste domingo (22) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Líder do Chequinho em defesa dos condenados
19/01/2017 | 01h48
Defesa arriscada
O ex-governador Anthony Garotinho (PR), preso em novembro do ano passado apontado como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, resolveu comentar sobre o assunto para criticar o juiz Eron Simas, que até o momento condenou nove vereadores eleitos acusados de envolvimento no caso. Onze foram julgados e a expectativa é que as outras duas sentenças sejam proferidas nesta semana. O líder político tenta defender seu grupo, mas se expõe de forma arriscada.
Restrições
As Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) do “escandaloso esquema” são julgadas na 76ª Zona Eleitoral, onde Eron atua por impedimento de outros magistrados. Garotinho chegou a ser preso por decisão do juízo da 100ª, à época com o juiz Glaucenir de Oliveira cobrindo as férias de Ralph Manhães. No retorno do descanso, Ralph proibiu Garotinho de comentar sobre o caso, o que ele se arrisca a fazer agora.
Saúde em discussão
O prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS), esteve reunido com representantes dos hospitais contratualizados para conversar sobre os repasses de recursos federais e municipais e sobre a dívida da gestão anterior com a rede. Diniz, ao lado da secretária Fabiana Catalani, reafirmou o compromisso de priorizar a Saúde. Representantes de hospitais, bem como membros do governo, se mostraram satisfeitos com diálogo. A conferir os próximos capítulos na prática.
Economia
A Prefeitura de Campos conseguiu uma economia de R$ 55.320,00 em combustíveis na primeira quinzena de janeiro de 2017. O comparativo foi feito com o mesmo período do ano passado, quando foram gastos R$ 227.086,13. Segundo o diretor de Transportes do município, Igor Suisso, se nesses primeiros 15 dias a economia foi de 35%, o objetivo é chegar, em breve, 50%.
Polêmica
Atafona terá shows de artistas nacionais todos os fins de semana: deste ao que antecede o carnaval. A alternativa encontrada pela prefeita Carla Machado (PP) foi uma parceria com a iniciativa privada, que vai explorar a área do Balneário de Atafona para realização de eventos sem a cobrança de ingressos. Só uma empresa apresentou proposta, mas teve empresário que contestou nas redes sociais apontando um suposto jogo de “cartas de marcadas”.
Mudança
A versão online da Folha da Manhã está de cara e nome novos. Entrou no ar ontem a Folha1. A mudança apresenta layout mais leve e intuitivo, além da versão mobile, com a qualidade que é marca do Grupo Folha há quase 40 anos. Acesse www.folha1.com.br e confira as novidades.
Dor no bolso
Presos poderão ser obrigados a ressarcir o Estado pelos custos de sua permanência nos sistemas prisionais. A proposta é do senador Waldemir Moka (PMDB-MS), autor de um projeto de lei em discussão na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Se aprovado na CCJ, e não houver recursos para sua apreciação em Plenário, seguirá direto para a Câmara dos Deputados. Caso não possua recursos próprios para o ressarcimento, o preso deverá trabalhar para compensar esses custos.
Dinheiro na conta
Os vencimentos de dezembro dos pensionistas da Segurança (Polícia Militar, Polícia Civil, secretaria de Administração Penitenciária e órgãos vinculados, Bombeiros, Defesa Civil e secretaria de Segurança) foram depositados ontem pela secretaria estadual de Fazenda. O valor total depositado foi de R$ 66,7 milhões.
Entendimento
Os superintendentes de Igualdade Racial, Lucia Talabi, e Trabalho e Renda, Gustavo Matheus, se reuniram ontem para discutir um amplo programa de parceria entre os dois órgãos. A intenção é iniciar os trabalhos buscando parceiros fora do poder público municipal. Segundo Lucia, vai convidar, nos próximos dias, todas as instituições da sociedade civil organizada, coletivos e universidades para debater as ações da superintendência de Igualdade Racial para os próximos anos.
Com a colaboração do jornalista Antunis Clayton
Publicado na edição desta quinta-feira (19) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe