Vereador de SJB baleado em casa recebe alta
10/07/2017 | 03h12
O vereador Ronaldo da Saúde (Pros), de São João da Barra, que foi baleado dentro da sua casa, no dia 29 de junho, durante uma suposta tentativa de assalto, já deixou o hospital. Nesta segunda-feira (10), Ronaldo disse que está se recuperando bem, mas segue em repouso por orientação médica.
O parlamentar, que desempenha seu segundo mandato, tem 59 anos, ocupa o posto de segundo-secretário da Mesa Diretora e é presidente das comissões permanentes de Saúde e Vigilância Sanitária e Cultura e Assistência Social. Após ser baleado em casa, Ronaldo foi encaminhado ao Hospital Ferreira Machado (HFM). Ele chegou lúcido à unidade hospitalar, mas precisou passar por procedimento cirúrgico.
O caso é investigado pela 145ª Delegacia de Polícia de São João da Barra.
Comentar
Compartilhe
Marcos Bacellar: "Vamos para o embate. Do embate a gente gosta"
14/06/2017 | 03h27
Os quentes embates da Câmara de Campos, como os que ocorreram na sessão desta terça-feira (13), tendem a se repetir. Se pela oposição se destacaram os envolvidos na Chequinho que chegaram à Casa somente agora — Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB) e Thiago Virgílio (PTC) —, pela base governista o Marcão (Rede) e Marcos Bacellar (PDT). Oradores já conhecidos e de declarações polêmicas na tribuna, não fizeram diferente desta vez. Presidente da Câmara, Marcão não usou meio termo ao falar sobre o Restaurante Popular: “Fazer o Restaurante Popular voltar é fácil, é só Garotinho devolver os R$ 20 milhões que recebeu de propina da Odebrecht”. Na discussão, Bacellar já deixou seu recado:
— Vamos para o embate. Do embate a gente gosta.
Ex-assessora particular da ex-prefeita Rosinha Garotinho (PR), Linda Mara subiu à tribuna para dizer que o governo Rafael Diniz (PPS) precisa “quebrar o retrovisor” e “parar de culpar a última gestão”. Bacellar não deixou barato: “Infelizmente não sei dirigir sem olhar no retrovisor. O caos que está hoje é culpa da ‘Rosa’ e seu belo marido. Eles afundaram o município com Cepop, Cidade da Criança, só bobagem”.
A Folha 1 tem matéria completa sobre a polêmica sessão de terça (aqui). Nesta quarta-feira, às 17h, tem nova reunião prevista.
Comentar
Compartilhe
"O pit bull voltou", gritam apoiadores de Thiago Virgílio na Câmara de Campos
14/06/2017 | 10h10
Na quente sessão da Câmara de Campos (confira detalhes na Folha 1) dessa terça-feira (13), na qual quatro dos envolvidos na Chequinho — Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB) e Thiago Virgílio (PTC) — que nem tinham sido diplomados participaram pela primeira vez nessa Legislatura, o clima foi de festa e embates. Thiago Virgílio foi recebido pelos seus militantes aos gritos de “o pit bull voltou” e já mostra que seu primeiro embate será com o presidente da Casa, Marcão Gomes (Rede), devidos às CPIs das Rosas e da Lava Jato, que vão investigar possíveis irregularidades no governo Rosinha Garotinho (PR).
“Pit bull rosa” foi a forma como o parlamentar ficou conhecido na legislatura anterior, quando atuava na linha de frente em defesa ao governo Rosinha. Em seu discurso, porém, Thiago foi mais comedido. Fez críticas ao Judiciário com relação ao processo da Chequinho, afirmou que vai exercer seu papel de fiscalizador, mas que não fará uma oposição do “quanto pior, melhor”. Presidente do PTC em Campos, pediu que seu partido tivesse lugas nas CPIs, já que a legenda está entre as de maiores representatividade na Câmara, com três partidos. Marcão indeferiu o partido, afirmando que a Casa respeitou a questão da proporcionalidade. não satisfeito, Virgílio já informou que vai judicializar o caso.
Na Chequinho, Thiago Virgílio chegou a ser preso no curso das investigações e responde ação penal. Em primeira instância, foi condenado na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije). Como os outros sentenciados, recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
Comentar
Compartilhe
Na Câmara de Campos, "fora Temer" no plenário e no wi-fi
24/05/2017 | 09h50
A Câmara de Campos debateu nessa terça-feira (23) uma moção de repúdio ao presidente da República, Michel Temer (PMDB), e os parlamentares pediram a renúncia imediata do peemedebista, gravado em um diálogo nada republicano com o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS. O Supremo Tribunal Federal (STF) já autorizou a abertura de inquérito contra o presidente.
E quem estava acompanhando a sessão dentro do prédio da Câmara pode observar que o movimento "fora Temer" tinha força não só no debate proposto pelo vereador Silvinho Martins (PRP), mas também no sinal de wi-fi. A rede era de forte intensidade, mas quem estava compartilhando a ideia não estava com vontade de compartilhar seu sinal de internet: era preciso ter senha para acessar a rede.
Comentar
Compartilhe
Marcão oficializa suspensão dos mandatos de cinco vereadores de Campos
18/04/2017 | 03h58
Presidente da Câmara de Campos, o vereador Marcão Gomes (Rede) oficializou nesta terça-feira (18), por meio do ato Executivo 05/2017, o afastamento de cinco vereadores da atual Legislatura condenados em primeira instância pelo envolvimento no "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por votos. A medida tem como base a decisão do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, de afastar da Câmara os vereadores Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Roberto Pinto (PTC), Vinicius Madureira (PRP) e Thiago Ferrugem (PR) — a quem também foi determinada a prisão domiciliar. No blog Opiniões (aqui), Aluysio Abreu Barbosa foi o primeiro a informar sobre a determinação do juízo local.
Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro noticiou (aqui) que, segundo Marcão, a Casa vai prosseguir os trabalhos normalmente nesta semana, mas com 20 vereadores, até ser informado sobre os suplentes a serem chamados.
Veja aqui quem tomará posse na “dança das cadeiras” da Câmara de Campos.
Comentar
Compartilhe
Dança das cadeiras na Câmara de Campos
18/04/2017 | 11h59
Com a decisão do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, de afastar da Câmara os vereadores Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Roberto Pinto (PTC), Vinicius Madureira (PRP) e Thiago Ferrugem (PR) — a quem também foi determinada a prisão domiciliar —, cinco suplentes podem assumir a qualquer momento. Eles foram condenados em primeira instância por participação no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos.
A determinação de Ralph, revelada por Aluysio Abreu Barbosa no blog Opiniões (aqui), seguiu o mesmo entendimento da decisão que impediu a diplomação, em dezembro, dos denunciados pelo mesmo esquema, Kellinho (PR), Linda Mara da Silva (PTC), Ozéias Azeredo Martins (PSDB), Miguelito (PSL), Thiago Virgílio (PTC) e Jorge Rangel (PTB).
E as mudanças? A edição desta terça da Folha da Manhã (aqui) trouxe os que assumem as vagas:
Quem sai  Quem entra 
 Cecília Ribeiro Gomes*  Gilson Gomes (PRTB)*
 Vinicius Madureira Josiane Morumbi (PRP) 
 Roberto Pinto  Beto Cabeludo (PTC)
 Thiago Ferrugem Thiago Godoy (PR) 
 Jorge Magal  Roberta Moura (PR)
A tabela toma como base o resultado oficial das eleições 2016, tendo como base as decisões da Chequeinho proferidas até o momento em primeira e segunda instância, uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não manteve a determinação do juiz Eron Simas para retotalização dos votos.
(*)No caso de Cecília, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com o novo quociente, a coligação PRTB/PT do B perde uma cadeira. Logo, caso Gilson Gomes assuma nesta terça ou quarta, deixa a cadeira na quinta (20), quando os votos de Bacellar serão oficializados.
E tem mais, os suplentes Thiago Godoy e Roberta Moura também são acusados de participação no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Isso sem contar que mais dois parlamentares foram condenados em primeira instância — Geraldinho Santa Cruz (PSDB) e Carlinhos Canaã (PTC). Caso o mesmo entendimento seja seguido nessa situação, a Câmara passará por novas mudanças em breve.
Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro noticiou (aqui) na manhã desta terça: o presidente da Câmara Marcão Gomes (Rede) informou que a Casa vai prosseguir os trabalhos normalmente nesta semana, mas com 20 vereadores. Contudo, ele dizia o mesmo antes da sessão de 1º de janeiro, quando, minutos antes da solenidade, os suplentes dos não diplomados conseguiram uma liminar que determinou a posse imediata deles.
A sessão desta terça promete ser cheia de surpresas.
Comentar
Compartilhe
Moção de repúdio a Temer em SJB
29/03/2017 | 11h04
A Câmara de São João da Barra aprovou uma moção de repúdio ao presidente da República, Michel Temer (PMDB), proposta pelo vereador Elísio Rodrigues (PDT). O motivo é o projeto de reforma da previdência social. Segundo o parlamentar, existe uma orientação do partido contra a reforma. Por isso, vereadores pedetistas estão propondo moções de repúdio em todo país.
Comentar
Compartilhe
Aluizio Siqueira apresenta valores arrecadados e gastos no carnaval de SJB
14/03/2017 | 03h03
O presidente da Câmara de São João da Barra, Aluizio Siqueira (PP), aproveitou o tema livre da sessão desta terça-feira (14) para informar sobre a arrecadação oriunda da lei nº 008/17, enviada à Câmara pelo Executivo e aprovada na sessão do dia 21 de fevereiro, a respeito do Carnaval. O município arrecadou um total de R$ 71.279,16, sendo: R$ 39.415,00 (com estacionamento), R$ 7.685,00 (com arquibancada) e R$ 24.179,16 (taxa para ambulantes). A explanação de Aluizio ocorreu minutos após a negativa de um pedido de informações do vereador Franquis Areas (PR) sobre o mesmo assunto (aqui).
— A aprovação da lei proporcionou esta receita e gerou economicidade, pois só com a montagem de arquibancada, a Prefeitura gastou R$ 147 mil (em 2015) e R$ 35 mil (em 2016). Já em 2017 ela não pagou nada e ainda teve a receita de R$ 7.685,00 — explicou Aluizio, lembrando que, mesmo já existindo anúncio de crise econômica, a Prefeitura gastou R$ 4,8 milhões no carnaval de 2015 e R$ 2,4 milhões no do ano passado. “E este ano, o gasto foi de R$ 688 mil, que representa 6% do que foi gasto em 2015 e 14% se comparado ao que foi gasto em 2016”, concluiu.
Com informações da assessoria da Câmara
Comentar
Compartilhe
Câmara reprova pedido de informações sobre arrecadação no carnaval de SJB
14/03/2017 | 10h39
Reunião da Câmara de São João da Barra
A bancada governista na Câmara de São João da Barra, maioria absoluta no parlamento, reprovou requerimento apresentado pelo vereador de oposição Franquis Areas (PR) com intuito de solicitar à Prefeitura informações referentes aos valores arrecadados pelo município com as taxas de estacionamento e das arquibancadas cobradas durante o Carnaval.
Votaram contra o requerimento os vereadores Aluizio Siqueira (PP), Gersinho (SD), Jonas Gomes (PP), Sônia Pereira (PT) e Ronaldo Gomes (Pros). Outro integrante da base governista, Caputi (PTN) não compareceu à sessão. Elísio Rodrigues (PDT) não estava no plenário no momento da votação. Franquis e Eziel Pedro (PMDB) foram votos vencidos pela aprovação.
Requerimento 004/2017/
Comentar
Compartilhe
Câmara de SJB aprova subvenções para escolas de samba
21/02/2017 | 12h10
Em caráter de urgência, a Câmara de São João da Barra aprovou nesta terça-feira (21) as subvenções destinadas às escolas de samba Congos e Chinês. Segundo os vereadores, foi mantido o mesmo valor destinado às agremiações no ano passado: R$ 234 mil por instituição. A escola de samba Unidos da Chatuba não foi agraciada com o repasse. Em primeira instância (passível de recurso), a escola foi condenada (aqui) pelo uso de 'notas frias', com a impossibilidade de receber recursos públicos. A Trinca de Ouro, de Barcelos, também não terá subvenção. Parlamentares das bancadas de oposição e governistas divergiram na votação dos projetos.
O vereador Franquis Areas (PR) foi contra as subvenções. O parlamentar ressaltou que não é contra o carnaval, mas acredita que um município em emergência econômica deveria ter outras prioridades, não destinar quase R$ 500 mil para escolas de samba. “No município que não pode retornar com o cartão do servidor, Cartão Cidadão, bolsas universitárias, com o direito do servidor em ter seu vale-transporte, também não é a hora de gastar com o carnaval”, disse Franquis, único a votar contra o repasse.
Presidente da Casa, o vereador Aluizio Siqueira (PP) destacou que em menos de dois meses da atual gestão muitos problemas herdados foram solucionados, mencionando o pagamento de dezembro dos efetivos, a segunda parcela do 13º salário, e investimentos na área de saúde. “No ano passado a crise já existia, mas a subvenção neste mesmo valor foi aprovada por todos os vereadores”, afirmou Aluizio. O parlamentar lembrou que a expectativa é que mais de 250 mil pessoas participem da folia sanjoanense. Segundo Aluizio, em um cálculo especulativo, é possível que mais de R$ 5 milhões circulem no município nos dias de festa.
Autorização — A Casa também autorizou a Prefeitura a buscar patrocínios com a iniciativa privada para realização do Carnaval, além de exploração da área pública para estacionamento, arquibancadas, além da cobrança de uma taxa de R$ 250 aos ambulantes. O vereador Franquis contestou a votação do projeto, uma vez que a estrutura para o carnaval já estava sendo montada. Ele contestou o fato de uma matéria pedindo a autorização da Câmara entrar na pauta desta terça, embora o Executivo já tenha iniciado, segundo ele, as tratativas com as empresas sem a autorização. Além de Franquis, o vereador Eziel Pedro (PMDB) votou contra o projeto. A favor, votaram Caputi (PTN), Gersinho (SD), Jonas Gomes (PP), Ronaldo Gomes (PP) e Sônia Pereira (PT). Elísio Rodrigues (PDT) não compareceu à sessão. Como presidente, Aluizio só votaria em caso de empate.
Comentar
Compartilhe
Próximo >