Número recorde de embarcações no Açu
02/01/2018 | 01h15
A página oficial da Prumo Logística iniciou o ano celebrando uma boa notícia. O Porto do Açu, em São João da Barra, recebeu 2.401 embarcações ao longo de 2017. De acordo com a publicação da empresa, o número subiu 155%, se comparado ao registrado no ano anterior. Esse é o dado mais expressivo desde a inauguração do Complexo Portuário.
O aumento de embarcações atracando no Açu era fato perceptível aos munícipes, principalmente aos que trabalham no Porto. As atividades no Complexo favorecem a arrecadação de impostos, o que impulsiona a receita de São João da Barra.
A primeira operação no Porto do Açu foi realizada em 2014. A partir de então, o Complexo vem registrando índices constantes de crescimento em diferentes áreas.
Comentar
Compartilhe
Temer destaca parcerias ao criar ZPE do Açu
27/12/2017 | 04h00
O presidente Michel Temer (PMDB) assinou nesta quarta-feira (27) o decreto que cria a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Açu, localizada no Distrito Industrial de São João da Barra. A cerimônia foi realizada no Complexo Portuário do Açu e contou com a presença dos ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, além do governador do Estado do Rio Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e de deputados e autoridades locais. “Estamos vendo, nesse momento, uma união de esforços dos governos federal e estadual pelo desenvolvimento. A região vai ganhar grande progresso com a ZPE. Esse empreendimento é de enorme potencialidade por conectar o capital nacional ao estrangeiro com muito sucesso”, destacou Temer.
Com área de 2 km², a ZPE estará localizada a 10 km do Terminal Multicargas (T-MULT) do Porto do Açu e contará com infraestrutura viária terrestre para o transporte de diferentes tipos e tamanhos de cargas. Atualmente com 500 metros de cais e aproximadamente 200 mil m2 de área alfandegada, o terminal está em operação desde 2016 e pode movimentar granéis sólidos, cargas de projetos, veículos e contêineres, entre outros.
— A expectativa é de que a ZPE do Açu gere investimentos aproximados de R$ 40 milhões em infraestrutura local somente na sua primeira etapa de implantação. Não se trata de impulsionar apenas as exportações brasileiras, o que já é extraordinário, mas de estimular também o desenvolvimento de segmentos produtivos locais e regionais. O Porto impulsiona a produção brasileira, agrega valor à base exportadora, promove a difusão tecnológica do Brasil e, principalmente, gera empregos em uma cadeia produtiva gigantesca — ressaltou Marcos Pereira, ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), agradeceu aos empreendedores presentes na região: “O Açu é, hoje, um oásis no Brasil”.
Outro diferencial do Porto é a implantação do Açu Gas Hub, que contará com 2 termelétricas com geração de 3 GW e terminal de regaseificação com capacidade para 42 milhões m³/dia. Com investimento previsto de R$ 7 bilhões, o Hub é mais um atrativo para as empresas que usam gás como matéria-prima se instalarem na ZPE do Açu.
Além disso, o Porto do Açu contará com um ramal ferroviário que ligará o empreendimento às cidades do Rio de Janeiro e Vitória. A ferrovia, de alta capacidade, possibilitará o transporte de diversos produtos, como granéis, rochas ornamentais, grãos e entre outros.
— Estamos fechando 2017 com chave de ouro. Mais uma vez, comemoramos aqui no Porto o Brasil que dá certo. O Complexo Portuário do Açu será o maior polo logístico e industrial do país. E um dos maiores polos industriais do mundo. Todas as características do Açu nos levam para um desenvolvimento socioeconômico com sustentabilidade — celebrou José Magela, presidente da Prumo Logística, empresa que desenvolve e opera o Porto do Açu.
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), avalia que o Açu é um empreendimento único no Estado: “A ZPE vai alavancar a vinda de indústrias para a região, gerando mais emprego e renda”.
ZPE
A ZPE do Açu será a primeira da região Norte Fluminense e a 26º do País, sendo que apenas uma está em operação. A previsão é que a ZPE do Açu esteja em operação em 24 meses.
As ZPE’s são áreas de livre comércio, destinadas à instalação de empresas, com 80% de sua produção voltada para a exportação. As empresas localizadas em uma ZPE são beneficiadas com incentivos fiscais, como a isenção de impostos federais, entre eles o Imposto de Importação (II), Imposto sobre Produtos Fabricados (IPI), contribuição Social sobre Receita Bruta (PIS), Contribuição Social - Lucro Presuntivo Tributário (Cofins), e Taxa adicional de frete para a renovação da Marinha Mercante (AFRMM).
Fonte: Ascom/Prumo
Comentar
Compartilhe
Potência termelétrica no Açu: avanços para duas unidades no complexo
20/12/2017 | 03h04
A Prumo Logística recebeu da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a aprovação necessária para a transferência da autorização para a construção e operação da termelétrica Novo Tempo no Porto do Açu, em São João da Barra, informou a empresa em fato relevante nesta quarta-feira (20). Também nesta quarta, a Prumo ganhou um leilão para outra unidade, ainda maior, no complexo portuário — como já havia antecipado à imprensa, na semana passada, o presidente da companhia, José Magela. Em seu perfil no Facebook, a prefeita Carla Machado (PP) comemorou as notícias, afirmando que “o Porto do Açu se tornará o maior Parque Termoelétrico da América Latina”.
No caso da primeira térmica, com previsão de ter obras iniciadas no próximo ano, a agência reguladora também permitiu a transferência dos 37 contratos de comercialização de energia fechados pela usina junto a distribuidoras de eletricidade. A unidade terá 1.238 gigawatt de capacidade instalada, cujos contratos foram selados em um leilão de energia em 2014, foi adquirida em junho deste ano junto à Bolognesi Energia, que não teve recursos para a construção.
A publicação dessa autorização, frisou a Prumo no comunicado, viabiliza a implantação da primeira usina termelétrica no Porto do Açu, contribuindo para o desenvolvimento do Açu Gas Hub.
Já no leilão desta quarta, o novo projeto do Porto do Açu, com previsão de iniciar a operação em janeiro de 2023, terá potência de 1,672 MW. As termelétricas vão atender às demandas do próprio complexo, diminuindo custos das operações, e a energia excedente será comercializada. Para Carla Machado, que ainda destacou licenciamento do Terminal GNL (Gás natural liquefeito) que dará suporte as térmicas, são grandes passos “na atração de novas empresas para SJB”.
Atualizado às 19h2 — Inclusão da informação sobre o leilão e mudança no título
Com informações do jornal Extra
Comentar
Compartilhe
Prumo ganha prazo extra para resolver pendências de termelétrica
10/11/2017 | 03h29
A Prumo Logística recebeu um prazo extra para apresentar à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) comprovantes de que resolveu pendências relacionadas ao projeto da termelétrica Novo Tempo, que a empresa adquiriu recentemente junto à Bolognesi e precisa estar em operação em 2020. De acordo com despacho da agência no Diário Oficial da União desta sexta-feira (10), a companhia terá até 24 de novembro para celebrar contratos de suprimento de gás, obter licenças devidas e fechar contratos de fornecimento e serviços para a usina.
A empresa responsável pelo projeto também deverá se responsabilizar, "inclusive financeiramente", pela realização de melhorias necessárias para o acesso da termelétrica ao sistema elétrico do país.
A companhia ainda deverá arcar com "custos de ressarcimento ao consumidor relativos a eventual falha no atendimento ao contrato devido a restrições de escoamento de energia para o sistema", segundo o despacho do órgão regulador.
Antes de vender o empreendimento, a Bolognesi avaliava que a termelétrica Novo tempo, com 1,2 gigawatt em capacidade, deveria receber investimentos de 3 bilhões de reais. A usina será implementada pela Prumo no Porto do Açu, em São João da Barra, e a empresa prevê iniciar obras em 2018.
Fonte: Extra
Comentar
Compartilhe
Fila gigantesca para entrega de currículos no Açu; Prumo nega abertura de vagas
09/11/2017 | 12h35
A manhã desta quinta-feira (9) na praia do Açu, em São João da Barra, foi marcada por uma fila gigantesca para entrega de currículos. A informação, propagada nas redes sociais, é de vagas para a fase de construção da termoelétrica do Porto. A Prumo Logística, porém, já negou, por meio de sua página oficial no Facebook, que haja contratações imediatas. Os currículos estão sendo entregues ao Sindicato dos Trabalhadores Empregados em Empresas de Montagem e Manutenção (Sintramon), da cidade de Itaboraí, que está trabalhando para estender sua base até SJB. Por outro lado, o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil e Mobiliário (Sticoncimo) nega a competência de atuação da outra associação de trabalhadores.
Para José Eulálio, presidente do Sticoncimo, essa movimentação do outro sindicato é “um golpe”. “Não existe nem meia vaga, que dirá a empregabilidade que eles estão informando. Eles estão aplicando isso para outra finalidade. Nós já acionamos o Ministério Público do Trabalho e a Justiça do Trabalho com as denúncias. A finalidade é usar esses currículos para fazer uma invasão de base ou outra coisa política”, afirmou.
Presidente do Sintramon, Paulo César Quintanilha não nega que esteja ampliando sua base para o município sanjoanense. Segundo ele, não caberia ao sindicato presidido por Eulálio atuação nesta área. Paulo César negou, porém, que tenha agendado a entrega de currículos. Acredita que esse movimento é por conta do alto índice de desempregados que com a chegada de um novo sindicata passam a ter a esperança de um emprego. “Existe uma empresa que atuou com a gente aqui na Comperj [Centro Petroquímico do Rio de Janeiro] que está indo pra lá [Porto do Açu]. Eu conversei com a empresa preocupado com a situação dos trabalhadores de SJB. Perguntei qual a possibilidade de priorizar o trabalhador de SJB, o trabalhador de Campos, evitando a chegada de pessoas na cidade para trabalhar”, disse.
A empresa responsável pelo Porto do Açu, a Prumo Logística, já havia emitido uma nota negando a abertura de vagas de emprego. como mostram as fotos que circulam nas redes sociais, a medida não surtiu efeito. Filas gigantescas foram formadas. Confira a nota do Porto: “O Porto do Açu esclarece que as informações veiculadas nas Redes Sociais sobre a abertura de vagas para a obra da termelétrica não procedem”. Nesta quinta, a Prumo voltou a afirmar que a informação não procede:
As filas gigantescas, com milhares de candidatos, foram formadas na rua Nestor Rocha da Silva.
A empresa Andrade Gutierrez, que é apontada como a que fará a obra da termoelétrica no Açu, também negou as contratações:
Comentar
Compartilhe
Pezão e Hartung no Açu para parceria por ferrovia RJ-ES
08/11/2017 | 11h38
  • Governadores visitam Porto do Açu

    Governadores visitam Porto do Açu

  • Governadores visitam Porto do Açu

    Governadores visitam Porto do Açu

  • Governadores visitam Porto do Açu

    Governadores visitam Porto do Açu

Os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), estiveram no Porto do Açu, em São João da Barra, nesta quarta-feira (8) para celebrar uma parceria para o desenvolvimento do projeto da EF 118, ferrovia que ligará os dois estados, passando pelo complexo portuário sanjoanense. Eles assinaram uma carta, endereçada ao presidente Michel Temer (PMDB), reiterando a importância da instalação de um corredor ferroviário entre as cidades do Rio de janeiro e Vitória.
Pezão afirmou que ligou para Temer e o presidente agendou uma reunião na próxima terça-feira (14) para tratar do assunto. “A gente tem de ver se esses recursos serão destinados para cá. Vamos lutar juntos, os dois estados, e por isso a gente quer conversar com o presidente Michel Temer imediatamente para ver se a gente faz essa parceria e destina esses recursos dessa concessão pra fazer esse trecho. Vai ter uma parte pública e uma parte privada”.
Hartung, governador do ES, ressaltou a necessidade da parceria entre os dois estados. "Precisamos 'amarrar os bigodes'. Ao invés do Rio puxar pra lá e o Espírito Santo puxar pra cá; ao invés dos empresários cariocas puxarem para um lado e os empresários capixabas pro outro, a gente quer somar forças para ir ao presidente da República. Isso vai criar um pulmão de logística que não é para o Rio, não é para o Espírito Santo, é para o Brasil. Se ficarmos olhando para o próprio umbigo, vamos perder esse recurso", disse.
Autorizada pelo governo federal ainda em 2015, como parte do Programa de Infraestrutura e Logística (PIL), lançado pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, a construção da linha férrea tem orçamento inicialmente previsto de R$ 5,5 bilhões e a concessão será por meio de Parceria Público Privadas (PPP). O Governo do RJ chegou a negociar com empresários chineses investimentos para o empreendimento.
Os prefeitos de SJB, Carla Machado (PP); de Campos, Rafael Diniz (PPS), e de SFI, Francimara Barbosa Lemos (PSB), além de vereadores e membros das administrações municipais e dos Estados, deputados estaduais e federais também estiveram no Porto do Açu para o evento.
A prefeita Carla Machado afirmou que a concretização da ferrovia que ligará os dois estados será de fundamental para o desenvolvimento da região. “Com certeza, a região Norte Fluminense, que detém um dos menores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) do país, logo estará promovendo o desenvolvimento da nossa nação, sendo benéfico não só para nós aqui. O futuro é aqui em SJB, no norte do Estado”.
Para Rafael Diniz, a ferrovia “é mais uma luz que se abre não apenas para Campos, mas para toda região, que precisa repensar as cidades para além dos royalties”. O prefeito afirmou, ainda, que “esse caminho surge como uma das grandes chances de desenvolvimento da nossa região”.
Veja a carta que foi assinada pelos governadores e pelo presidente da Prumo Logística, empresa responsável pelo Porto do Açu, José Magela. O documento também foi assinado por entidades de classe, como Firjan, FINDES, Associação Comercial do Rio de Janeiro e Espírito Santo em Ação, entre outros:
Mais informações na edição desta sexta-feira (9) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Terminal Multicargas do Porto do Açu recebe primeiro navio do tipo Panamax
11/09/2017 | 09h17
O Porto do Açu registrou mais um marco, com a atracação do primeiro navio Panamax no Terminal Multicargas (Tmult), na primeira semana deste mês. A embarcação White Whale, vinda de Vancouver, no Canadá, trouxe 39 mil toneladas de carvão para o Açu e foi descarregada com o apoio de 18 carretas que fazem o transporte de carga do cais para o pátio de graneis do terminal.
Panamax é o termo usado para as embarcações que alcançaram o tamanho limite para passar nas eclusas do Canal do Panamá até 2016, quando o canal foi ampliado. O primeiro navio deste porte a atracar no terminal tem 225 metros de comprimento, 32 metros de largura e 10 metros de calado.
— É um orgulho para o nosso time do Tmult estar envolvido no registro de mais um marco para o empreendimento. A nossa missão é trabalhar para que toda a operação aconteça de forma segura e eficiente. Foi assim com o primeiro Panamax e será também com os próximos que virão — afirmou Marcelo Patrício, gerente geral de operações do terminal.
O Tmult, em operação desde junho de 2016, já movimenta bauxita, coque, carvão siderúrgico, carga de projetos e carga geral. Além disso, tem autorização para operar qualquer tipo de granéis sólidos e líquidos, contêineres e veículos. Representando uma nova alternativa de escoamento para o Sudeste brasileiro, o terminal conta com 160 mil m² de área alfandegada.
Fonte: Ascom
Comentar
Compartilhe
Terminal Multicargas do Porto do Açu bate recorde de produtividade
23/08/2017 | 06h20
O Porto do Açu alcançou seu recorde de produtividade na movimentação de coque, realizada ao longo da última semana, no Terminal Multicargas (Tmult). O navio Themistocles, que estava carregado com 53 mil toneladas do granel, ficou em operação de quarta-feira à sábado, completando uma média de descarregamento de 16,3 mil toneladas por dia. A produtividade aumentou em 20,6%, se comparada ao último recorde registrado, em uma operação com carvão, em março deste ano.
A descarga do material foi otimizada pelo suporte de 18 caminhões basculantes na movimentação, que inclui o transporte da carga desde o cais até o pátio de granéis. Os veículos pertencem à Cooperlog, uma cooperativa de transporte de São João da Barra, que foi contratada pelo Porto do Açu para atuar também nas próximas três operações envolvendo granéis sólidos no Tmult. Estão previstas, até setembro, a chegada de mais 50 mil toneladas de coque e outras 100 mil de carvão.
A cooperativa sanjoanense, que já havia prestado serviço para outras empresas instaladas no Porto, está otimista com o resultado do primeiro trabalho no Terminal Multicargas. “Ter a oportunidade de atuar dentro do Porto do Açu, no nosso município, é essencial para a nossa cooperativa, que foi criada no último ano. Além deste contrato ser fundamental para nossos 23 cooperados, ele possibilita o trabalho perto de casa e das nossas famílias. Agora, nosso objetivo é nos estruturar ainda mais para atender novas demandas do Complexo Portuário”, afirmou Alberto Pereira Chagas, presidente da Cooperlog.
Multicargas
O Terminal Multicargas do empreendimento, em operação desde junho de 2016, já movimenta bauxita, coque, carvão siderúrgico, carga de projetos e carga geral. Além disso, o terminal tem autorização para operar qualquer tipo de granéis sólidos e líquidos, contêineres e veículos. Representando uma nova alternativa de escoamento para o Sudeste brasileiro, o Tmult conta com 160 mil m² de área alfandegada.
Bons ventos
O dia é de boas notícias envolvendo o Porto do Açu. Antes do recorde divulgado pela assessoria da Prumo, o blog havia informado (aqui) que está em andamento, já com audiência pública marcada, o licenciamento para implantação do terminal portuário de importação e regaseificação de gás natural liquefeito (GNL).
Comentar
Compartilhe
Licenciamento do terminal de regaseificação no Açu com audiência marcada
23/08/2017 | 11h03
A Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca), da secretaria de Estado de Ambiente, já publicou a convocação para audiência pública para apresentação e discussão do Relatório de Impacto Ambiental (Rima) com relação ao requerimento da licença prévia para implantação do terminal portuário de importação e regaseificação de gás natural liquefeito (GNL). A audiência será no dia 14 de setembro, às 19h, no Grussaí Praia Clube.
A Gás Natural Açu (GNA), subsidiária da Prumo Logística, é a responsável pelo empreendimento. Neste mês, a GNA informou ao mercado a assinatura de contrato com a Siemens para desenvolvimento, implantação e exploração da UTE GNA I, do Terminal de Regaseificação do Açu e outros potenciais projetos no Complexo Industrial do Porto do Açu.
Desde o ano passado o Porto do Açu passou a ter como foco petróleo e derivados, aproveitando a localização estratégica no Norte do Rio de Janeiro, o que facilita a ligação do o empreendimento à malha de transporte e campos produtores.
Comentar
Compartilhe
Sem crise: Açu é quarto maior terminal privado em movimento de cargas
13/08/2017 | 12h35
O cenário de crise que assola o país, felizmente, não parece atormentar o Porto do Açu, em São João da Barra. O jornalista Lauro Jardim, em seu blog no jornal O Globo, destaca que no primeiro semestre de 2017 o Açu “tornou-se o quarto maior terminal privado do Brasil em movimentação de cargas, de acordo com dados da Antaq [Agência Nacional de Transportes Aquaviários]. Há um ano, era o oitavo”.
Veja a nota publicada no blog do Lauro Jardim:
Blog hospedado no jornal O Globo
Blog hospedado no jornal O Globo / Reprodução
Comentar
Compartilhe
Próximo >
Sobre o autor

Arnaldo Neto

[email protected]