Manifestantes saem às ruas após Justiça liberar comemorações de 1964  
31/03/2019 | 20h27
Manifestantes a favor e contra às comemorações alusivas ao 31 de março de 1964, quando foi instituído o governo militar no Brasil, saíram às ruas neste domingo (31) em várias cidades, incluindo Campos, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. À noite, na Esplanada dos Ministérios, um grupo favorável às celebrações exibiu 30 vídeos em um telão de 24 metros quadrados, mostrando a atuação das Forças Armadas de 1964 a 1985.
As manifestações foram convocadas após o presidente Jair Bolsonaro orientar a leitura de uma ordem do dia nas unidades militares em alusão à data. Segundo militares, a ordem do dia foi lida na sexta-feira (29), sem alterações de rotina.
No sábado (30) a Justiça Federal liberou as comemorações pela tomada de poder pelos militares e a deposição do ex-presidente João Goulart, há 55 anos.
Campos
 
 
Protesto aconteceu no Jardim São Benedito
Protesto aconteceu no Jardim São Benedito / Foto: Natália Soares Ribeiro
Em Campos, o Movimento Unificado de Mulheres convocou a população para um protesto no Jardim São Benedito. O “Ato Silencioso Ditadura Nunca Mais” foi em memória das vítimas da ditadura militar brasileira. Segundo a descrição do evento, a manifestação foi de “repúdio às iniciativas de comemoração a este triste e indigesto episódio da nossa história”. Os cartazes trouxeram nomes de mortos e desaparecidos durante a ditadura. Eles também lembraram que corpos de vítimas da ditadura teriam sido incinerados na usina Cambaíba, como aponta o ex-delegado do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), Claudio Guerra, no livro “Memórias de uma Guerra Suja”.
Foto: Natália Soares Ribeiro
Foto: Natália Soares Ribeiro
Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, os manifestantes se concentraram a partir das 16h na Cinelândia, no centro. Com cartazes críticos, os manifestantes exibiram fotografias de vítimas do regime militar e relatos de episódios que aconteceram no período. O começo do ato foi marcado por músicas como “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, “Cálice”, “Apesar de você” e “Vai passar”, de Chico Buarque.
No carro, de som, políticos, entidades estudantis e outras lideranças populares falaram sobre o período da história do Brasil, lembrando de atos como o incêndio da sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), na Praia do Flamengo, ocorrido no dia 1º de abril de 1964.
Filho do cartunista Henfil, o cronista Ivan Cosenza de Souza disse que há uma tentativa de reescrever a história do Brasil. “É incrível que pessoas tentem passar panos quentes nessa página horrível da história do Brasil”.
A funcionária pública Anabela Rocha disse que o ato foi espontâneo: “Eu acho importante deixar claro que a gente não quer que nunca mais aconteça algo parecido". “A gente repudia totalmente que haja qualquer tipo de comemoração”.
Manifestantes fazem ato contra o regime militar de 1964, na Cinelândia
Manifestantes fazem ato contra o regime militar de 1964, na Cinelândia / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Com informações da Agência Brasil
Comentar
Compartilhe
Flamengo é campeão da Taça Rio
31/03/2019 | 18h14
Vitória do Flamengo
Vitória do Flamengo / Reprodução TV
Um clássico com emoção do início ao fim no Maracanã neste domingo (31). O Flamengo foi campeão da Taça Rio ao conseguir o empate nos acréscimos da etapa complementar e levar a decisão para os pênaltis.
Os gols da partida só aconteceram no segundo tempo. O Vasco abriu o placar aos nove minutos. Danilo Barcelos cobrou escanteio pela esquerda, e o atacante se antecipou para cabecear para o fundo do gol. E tudo levava a crer que o Vasco levaria o título e garantiria vaga imediata na final do Estadual, já que havia levado a Taça Guanabara. Só que aos 48 da etapa complementar depois de cruzamento de Bill pela direita, Arrascaeta subiu para testar firme no canto direito de Fernando Miguel e deixar tudo igual.
Nos pênaltis, o Fla abriu a série de cobranças. Vitinho converteu a primeira cobrança para o Flamengo, enquanto Danilo Barcelos também marcou para o Vasco. Na segunda cobrança, Fernando Miguel defendeu a cobrança de Rodinei. O Vasco teve a chance de abrir vantagem, mas Rossi chutou para fora. Arrascaeta bateu no meio, com segurança, deixando o Flamengo na frente. Na sequência, brilhou a estrela de César. O jovem goleiro flamenguista defendeu a cobrança do atacante Tiago Reis, o autor do gol vascaíno na partida. Uribe converteu sua cobrança e, no fim, o zagueiro vascaíno Werley mandou a bola para fora.
Flamengo campeão e com muita demora para entrega da taça. O governador Wilson Witzel (PSC) iria entregar a taça ao campeão, mas demorou muito para chegar ao gramado. A organização resolveu, então, fazer a entrega sem esperar pelo governador.
Com o título do Flamengo, as semifinais do Estadual no próximo fim de semana serão entre o próprio Rubro-Negro e o Fluminense, enquanto Vasco e Bangu disputam outra vaga na decisão.
Comentar
Compartilhe
Veja: Açu vem assumindo protagonismo no setor de petróleo
29/03/2019 | 12h23
A edição 2682 da revista Veja, de 3 de abril de 2019, dedica quatro páginas a uma matéria especial da repórter Fernanda Thedim sobre o Porto do Açu, em São João da Barra. Com o título “Não era só Powerpoint”, a reportagem fala sobre o empreendimento desde a apresentação pelo idealizador, o empresário Eike Batista, passando pela derrocada do Grupo X e o atual perfil do terminal, sob administração da Prumo, com foco no setor de óleo e gás:
“Graças à localização privilegiada, a 123 quilômetros dos poços na bacia de Campos (algo de que a Marinha americana nem desconfiava), o porto está assumindo o protagonismo na logística do setor que pertencia a Macaé e Vitória, distantes 191 e 340 quilômetros das plataformas em alto mar. No ano passado, 10% de todo o petróleo exportado pelo Brasil passou pelo Porto do Açu. Contratos recém-assinados com a Petrobras e a Equinor farão esse número dobrar em 2019, chegando a 200000 barris por dia”, aponta a matéria.
Na reportagem, Eike defende que o Porto do Açu “foi todo desenhado para proporcionar eficiência na veia. Não é um puxadinho como vemos em muitos portos do Brasil”. Já o CEO da Prumo, José Magela, fala sobre os desafios de melhorar o acesso do porto ao restante do país. “Viabilizar o escoamento do petróleo e do gás é essencial para o desenvolvimento econômico de todo o país. E aí o Cristo vai voar novamente”, diz Magela, em referência à capa da The Economist, de 2009, na qual uma das maiores publicações econômicas do mundo sinalizava para um rumo promissor da economia nacional. Em 2013, o Cristo voltou para capa, mas desta vez caindo, depois de fazer um voo torto pelos céus, com um questionamento: “O Brasil estragou tudo?”.
A matéria completa da revista Veja pode ser conferida aqui.
Comentar
Compartilhe
Audiência pública para novo projeto de contenção do mar em Atafona
28/03/2019 | 15h23
Moradores ainda estão esperançosos para que projeto de contenção do mar em Atafona finalmente seja concretizado
Moradores ainda estão esperançosos para que projeto de contenção do mar em Atafona finalmente seja concretizado / Aluysio Abreu Barbosa
Um novo projeto de contenção do avanço do mar, que seria economicamente mais viável, será apresentado na próxima quinta-feira (4), às 18h, em audiência pública na Câmara de São João da Barra. A definição ocorreu durante uma reunião na manhã desta quinta (28), no Ministério Público Federal, em Campos, da qual participaram o procurador da República Bruno de Almeida Ferraz, a prefeita de SJB, Carla Machado (PP), representantes do SOS Atafona, da Marinha do Brasil, Defensoria Pública, Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e Porto do Açu.
Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Eduardo Bulhões apresentou um projeto como alternativa ao do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH). Este é o projeto que será apresentado na audiência. A solução consiste em bombear areias idênticas a da praia do leito do rio Paraíba e transpor para a praia de Atafona. “Ou seja, a gente faria artificialmente o que o rio naturalmente não consegue mais fazer”, disse Bulhões em recente entrevista à Folha (aqui).
Presidente do SOS Atafona, Verônica Ammar informou que o projeto do Eduardo teria deixado a prefeita satisfeita. “Esse novo projeto custaria cerca de R$ 15 a 20 milhões. A prefeita ficou empolgada, porque é um custo bem menor do que o do INPH, estimado em R$ 180 milhões. O Eduardo disse que o projeto do INPH é muito difícil, já que poderia proteger a orla em Atafona, mas em alguns anos causaria a erosão em Grussaí, por exemplo. Já com o projeto que ele apresentou, os gastos e impactos seriam menores, precisando apenas de manutenção periódicas”, contou.
Comentar
Compartilhe
TCE aprova contas de Rafael Diniz
27/03/2019 | 14h54
Rodrigo Silveira
O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro emitiu, na tarde desta quarta-feira (27), por unanimidade, parecer prévio favorável à aprovação das contas de 2017 do prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS). O processo foi relatado pela conselheira Marianna Montebello Willeman, presidente do TCE. O documento segue para a Câmara Municipal, que é responsável pelo julgamento final.
O corpo instrutivo e o Ministério Público Especial chegaram a sugerir, no ano passado, a emissão do parecer contrário à aprovação das contas. Após essas análises, a Prefeitura voltou a responder em ofício ao TCE. O Ministério Público acolheu parte das explicações da Prefeitura, mas manteve o entendimento que sugeria a reprovação das contas. Já o corpo técnico do TCE reviu a posição e sugeriu o parecer prévio pela aprovação.
O voto da relatora Marianna Montebello Willeman contém ressalvas, determinações e comunicações de ofício, mas emite parecer favorável à aprovação das contas do primeiro ano da gestão Rafael Diniz. Seu entendimento foi seguido pelos demais conselheiros.
Prestação de contas anterior — Também no dia 27 de março, em 2018, o TCE analisou as contas da ex-prefeita Rosinha Garotinho, referente ao ano de 2016. O parecer prévio da Corte, aprovado por unanimidade, foi pela reprovação, depois confirmada pela Câmara de Campos.
Foi a primeira vez que o TCE apontou pela rejeição das contas da ex-prefeita, que ficou oito anos à frente do cargo em Campos. A ocasião também foi a primeira em que a decisão foi tomada pelo corpo técnico do colegiado, já que a maior parte dos conselheiros está afastada após ter sido presa na operação O Quinto d’Ouro — deflagrada a partir da delação do ex-presidente do TCE Jonas Lopes de Carvalho, que chegou à Corte de Contas por indicação, em 2000, do então governador Anthony Garotinho.
Mais informações na edição desta quinta-feira (28).
Comentar
Compartilhe
Secretário estadual de Cidades em Atafona para ver impactos do avanço do mar
27/03/2019 | 14h37
O secretário estadual de Cidades, Juarez Fialho, esteve em Atafona, nesta quarta-feira (27), para conhecer de perto a situação causada pelo avanço do mar no litoral sanjoanense. A visita foi articulada pelo deputado estadual Bruno Dauaire (PRP), que no último domingo (24) também levou ao município o secretário estadual de Defesa Civil. O objetivo, segundo parlamentar, é conseguir apoio do Governo do Estado para projetos de contenção do avanço do mar. 
Bruno estava acompanhado de partidários de SJB e também lideranças políticas de São Francisco de Itabapoana. "Sabemos que a obra definitiva para conter o avanço do mar em Atafona demanda bastante recursos e que o Estado também está passando por dificuldades financeiras. A União é a única capaz de fazer essa intervenção e a presença de dois secretários estaduais em três dias chama a atenção para que possamos formar uma comissão e levar esse problema ao governo federal", disse Bruno, informando, ainda, que oficiou o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD-RJ), para que autoridades federais também possam conhecer a situação de perto.
No encontro, o secretário também conversou com lideranças ligadas ao movimento SOS Atafona. 
— Nosso papel na secretaria das Cidades é estar próximo de todos os municípios, para entender de perto as necessidades e buscar soluções, junto ao Governo do Estado, para atender às necessidades da população. A pedido do deputado da comissão de Defesa Civil da Alerj, viemos a Atafona ver de perto os danos causados pelo avanço do mar, um problema que já assusta os moradores há décadas. Vamos apresentar ao governador Wilson Witzel (PSC) todo este panorama e trabalharemos em conjunto buscando alternativas que sejam economicamente viáveis e ambientalmente sustentáveis para abordar o problema— afirmou Fialho.
Depois da agenda em Atafona, eles seguiram para SFI. A prefeita Francimara Barbosa Lemos (PSB), aproveitou o encontro para entregar ao secretário um relatório sobre a questão do avanço do mar. Na última ressaca, na semana passada, o avanço foi mais intenso na praia de Guaxindiba.
Na Câmara de SJB — O problema causado pelo avanço do mar no pontal de Atafona foi discutido na Câmara de SJB nesta quarta, conforme requerimento do vereador Ronaldo Gomes (Pros) à empresa Prumo Logística. Na matéria, ele sugere à empresa que viabilize com a Prefeitura, a colocação em certos pontos do mar em Atafona, de blocos de concreto usados no quebra-mar e que estariam, segundo ele, sem utilização no Porto do Açu. “Quando estive lá na última vez eu vi um monte dessas pedras. Quem sabe, elas poderiam ser usadas aqui, após um estudo detalhado para ver se seria viável...”, justificou.
Comentar
Compartilhe
Campos convoca mais 108 professores substitutos do Processo Seletivo
27/03/2019 | 11h00
A secretaria municipal de Educação, Cultura e Esporte (Smece) publicou no Diário Oficial desta quarta-feira (27) mais uma chamada para professores substitutos aprovados no Processo Seletivo Simplificado 2018 para contratação temporária (confira a relação no fim do post ou aquinas páginas 5 e 6). Foram mais 108 convocados, sendo 65 para Professor II (25h), 2 para Professor II (35h) e 41 para Professor I, divididos por áreas do conhecimento: História (3), Português (14), Geografia (5), Matemática (11), Ciências (1), Inglês (2) e Arte (5).
Os selecionados devem comparecer à sede da Smece nesta quinta-feira (28) para entrega de documentos, habilitação e cadastro. Os convocados como Professor II (25h e 35h) devem se apresentar às 9h. No caso de Professor I, às 14h. A secretaria fica na Praça Cinco de Julho, 60 (prédio da antiga Estação Ferroviária).
É necessário levar: Cédula de Identidade; CPF; Título de Eleitor com comprovação de regularidade com a Justiça Eleitoral; Documentação comprobatória de nível de escolaridade e formação para o cargo pretendido; 01(uma) foto colorida 3X4 recente; Carteira de Trabalho (cópia da parte da foto frente e verso); Certificado de Reservista ou Dispensa de Incorporação, para os candidatos do sexo masculino; Certidão de Nascimento dos filhos menores de 18 anos; Cartão PIS/PASEP; Comprovante de Residência; Certidão Negativa de Antecedentes Criminais; e habilitação para a função pretendida.
Após esta etapa, haverá o encaminhamento para escolha de local de atuação, que ocorrerá na segunda-feira (1). No turno da manhã a escolha será para Professor II (25h). Já para Professor II (35h) e Professor I, a escolha acontece no turno da tarde.
Aqueles que faltarem, sem justificativa, serão considerados desistentes. As chamadas ocorrem de acordo com a demanda das unidades de ensino, seguindo a ordem de classificação.
Comentar
Compartilhe
Secretário estadual de Cidades nesta quarta em Atafona
26/03/2019 | 17h48
Crédito: Paulo S. Pinheiro - Divulgação
Após a visita do secretário estadual de Defesa Civil (aqui) no último domingo, mais um integrante do primeiro escalão do governador Wilson Witzel (PSC) estará em Atafona para ver de perto os impactos do avanço do mar. Juarez Fialho, secretário estadual de Cidades, estará na praia sanjoanense, em agenda articulada pelo deputado estadual Bruno Dauaire (PRP), nesta quarta-feira (27).
A visita de Fialho já havia sido antecipada por Bruno no encontro de domingo. A previsão é que eles estejam na praia entre 12h e 13h desta quarta. O parlamentar e o secretário devem conversar, ainda, com integrantes do movimento SOS Atafona. A intenção, segundo o deputado, é conseguir apoio do governo estadual para buscar soluções para os projetos de contenção do avanço do mar.
Durante o encontro com o secretário estadual de Defesa Civil, a prefeita Carla Machado (PP) também reforçou a questão das parcerias, salientando que o município não teria condições de arcar sozinho com o projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), pois levaria ao risco, inclusive, de paralisação de serviços. O município também participa nesta quinta-feira (28), de uma reunião com Ministério Público Federal (MPF), representantes da sociedade civil, órgãos públicos e especialistas para discutir alternativas para o fenômeno da erosão costeira que seja economicamente viável e ambientalmente sustentável. Um projeto de bombeamento artificial de dunas para crescer ou "engordar" a praia de Atafona, com areia compatível à da praia é um dos estudos de viabilidade, que depende de trâmites ambientais.
Agenda em São Francisco — Além de passar por Atafona, o secretário estadual de Cidades e o deputado Bruno Dauaire vão passar por São Francisco de Itabapoana. A última ressaca, na semana passada, causou estragos no litoral do município, principalmente na praia de Guaxindiba.
Comentar
Compartilhe
Garotinho é condenado de novo por injúria contra Zveiter
26/03/2019 | 14h12
Folha da Manhã
Do site Consultor Jurídico, o Conjur (aqui):
O juiz Marcello de Sá Baptista, da 43ª Vara Criminal, condenou o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho a 6 meses e 6 dias de detenção em regime aberto por injúria contra o desembargador do Tribunal de Justiça fluminense Luiz Zveiter. Na queixa-crime, o magistrado aponta um programa de rádio que foi ao ar em agosto de 2017 no qual o réu disse que Zveiter recebeu R$ 30 milhões de um empresário “todo poderoso”.
Também acusa Garotinho de injúria por texto publicado no blog do político, em julho de 2017, no qual foi dito que o desembargador recebeu propina de Fernando Cavendish, dono da Delta, e que seria o “braço” de Sérgio Cabral na Justiça.
Ao julgar o caso, Marcelo Baptista afirmou que as condutas imputadas ao autor geram lesão à sua honra subjetiva sem provas nos autos que confirmem as afirmações de Garotinho. Ele ressaltou ainda que o réu afirmou concretamente, sem falar em tese. “A liberdade de expressão, não afasta os demais direitos e garantias, que o legislador, outorgou aos cidadãos e agentes público no exercício de suas funções”, afirmou o magistrado. “Em um Estado Democrático de Direito, o cidadão deve aprender a exercer seus direitos, observando os deveres que também lhe são impostos”, completou.
Garotinho já foi condenado em pelo menos outros dois processos ajuizados pelo desembargador. Em setembro de 2018 por ter escrito em seu blog que um emissário de Zveiter tentou pressioná-lo para não denunciar supostos crimes do magistrado. E, em outubro de 2018, por acusar Luiz Zveiter de receber propina e persegui-lo.
Comentar
Compartilhe
Petrobras e Açu Petróleo assinam contrato para operação de transbordo no Açu
25/03/2019 | 17h30
A Petrobras e a Açu Petróleo (parceria da Prumo Logística e Oiltanking) assinaram contrato para realizar operações ship to ship no Terminal de Petróleo (Toil) da companhia, localizado no Complexo do Porto do Açu, em São João da Barra.
O contrato tem duração de 24 meses e prevê a realização de até 48 operações com navios tipo Suezmax e VLCC (Very Large Crude Carrier), podendo ser prorrogado por igual período. A Petrobras atualmente opera somente nos Terminais de Angra dos Reis (TEBIG) e São Sebastião (TEBAR) para a exportação de petróleo.
— A assinatura deste contrato com a Petrobras reforça a importância dos diferenciais do nosso Terminal na tomada de decisão por partes dos clientes. Somos o único terminal privado no país com capacidade para receber navios VLCC, além de oferecermos previsibilidade e segurança nas operações, que são realizada em área abrigada, com eficiência, confiabilidade, respeito e cuidado com o meio ambiente. Estes diferenciais tem se mostrado, cada vez mais, fatores prioritários para os nossos clientes, como a Petrobras e a Equinor — disse Victor Snabaitis Bomfim, presidente da Açu Petróleo.
Na última semana, a Açu Petróleo assinou também contrato com a norueguesa Equinor para a realização de operações ship to ship no terminal. Com duração de 36 meses, o contrato prevê escoar, a partir de janeiro de 2020, principalmente o petróleo produzido no campo de Roncador. “Para este ano, a previsão é movimentarmos o dobro de 2018, quando atingimos aproximadamente 40 milhões de barris no ano. Além disso, estamos avançados no desenvolvimento do projeto para tancagem onshore que, além de proporcionar uma melhor otimização da frota de navios DPs para os nossod clientes, irá oferecer novos serviços, como armazenagem, dewatering e blending”, destacou Bomfim.
Comentar
Compartilhe
Municípios produtores recebem royalties de março com queda
25/03/2019 | 13h37
Os municípios produtores de petróleo recebem, nesta terça-feira (26), o repasse de royalties referente à produção de janeiro com queda em comparação com os valores pagos no mês passado e no mesmo período de 2018. A baixa já era esperada devido a paralisações de plataformas para manutenção.
Campos recebe neste mês R$ 33.022.622,59, valor 1,9% inferior ao do repasse de fevereiro ( R$ 33.662.552) e quase 11% menor que o depósito de março de 2018 (R$ 36.988.723).
Para São João da Barra serão depositados nesta terça R$ 8.886.726,59, que representa uma queda de 1,3% em relação a fevereiro. Em março de 2018, o repasse foi de R$ 8.847.952.
Município da região que recebe os maiores repasses de royalties, Macaé terá R$ 44.905.020,16 depositados neste mês. O valor é 2,5% menor que o repassado em fevereiro (R$ 46.043.633) e 2,5% menor que o depósito de março de 2018 (R$ 46.079.222).
Segundo o superintendente de Petróleo e Tecnologia de São João da Barra, Wellington Abreu, a queda era aguardada e deve ser registrada novamente no próximo mês.
— A queda era prevista devido à variação de produção obtida em janeiro em virtude de manutenção nas plataformas P-74, FPSO Cidade de Mangaratiba e FPSO Cidade de São Paulo, localizadas, respectivamente, nos campos de Búzios, Lula (área de Iracema Sul) e Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos. Foram paralisadas também as operações nas plataformas FPSO Cidade de Niterói, localizada no campo de Marlim Leste, e P-58, no Parque das Baleias, ambas na Bacia de Campos. E para o mês de abril deve ocorrer mais uma pequena queda, assim como a Participação Especial em maio — explicou Wellington.
Comentar
Compartilhe
Carla e Bruno: Situação de Atafona está acima das questões partidárias
24/03/2019 | 20h02
Prefeita e deputado estiveram no carro dos Bombeiros junto com o secretário estadual de Defesa Civil
Prefeita e deputado estiveram no carro dos Bombeiros junto com o secretário estadual de Defesa Civil
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), já foi aliada política do ex-prefeito Betinho Dauaire, pai do deputado estadual Bruno Dauaire (PRP). Inclusive, foi a primeira líder do governo na Câmara nos dois primeiros anos de governo do ex-prefeito. O rompimento aconteceu em 1999, quando Betinho era pré-candidato à reeleição e Carla já presidia a Câmara. De lá pra cá, o duelo Dauaire x Machado polarizou a política sanjoanense. Neste domingo (24), durante a visita a Atafona do secretário estadual de Defesa Civil, Coronel Roberto Robadey Costa Júnior, Carla e Bruno estiveram no mesmo carro e conversaram sobre parcerias para solucionar a questão do avanço do mar, independente de questões partidárias.
— Fiquei feliz, deputado Bruno, do senhor estar se engajando. Na Alerj tem vários deputados já comprometidos com isso, no governo federal também. O senhor [Bruno] conhece alguns, eu conheço outros. O que a gente quer, independente de questões partidárias, é que a situação se resolva. O problema em Atafona está acima disso — afirmou Carla.
Bruno seguiu na mesma linha: “Aqui a gente está longe dessas questões partidárias. O secretário atendeu nosso pedido no sábado (23), às 22h30. Nesta semana a gente deve ter a presença de outro secretário estadual. E, numa terceira agenda, se Deus quiser, a gente conta, com a articulação do senador Flávio Bolsonaro, com a presença do ministro da Infraestrutura [Tarcisio Gomes de Freitas]”.
Apesar das trocas de gentilezas — Carla chegou a convidá-los para um almoço, mas devido à agenda deles não foi possível, e ela ainda disse que teria outra oportunidade para cozinhar um peixe para o deputado —, também houve uma “alfinetada”. Na despedida, Bruno foi agradecer a Carla por participar da agenda. De imediato, a prefeita respondeu que não tinha o que agradecer, afinal ela é “a representante do município”.
No recente histórico político sanjoanense, Betinho e Carla se enfrentaram em 2000, com a vitória do então prefeito sobre a presidente da Câmara. Em 2004, Carla venceu Ari Pessanha, candidato apoiado por Betinho. Já em 2008, duelo da prefeita com o ex-prefeito. Nova vitória de Carla. Já em 2012, ela, no seu segundo mandato consecutivo, não pode disputar. Betinho tentou de novo, mas perdeu para Neco (MDB), apoiado pela prefeita. Do pleito teve origem a ação da Machadada, que condenou parte do grupo liderado por Carla em primeira e segunda instâncias a oito anos de inelegibilidade. Existe recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a ser julgado.
Já em 2014, Carla e Bruno foram candidatos a uma cadeira na Alerj. Ela não foi eleita, ficou como segundo suplente na legenda do PT, mas foi a mais votada do município, apesar de não ter o apoio do então prefeito Neco, com que já tinha rompido. Bruno conquistou seu primeiro mandato, mas, no município, também sem apoio de Neco, foi o terceiro mais votado, atrás de Carla do ex-vereador Kaká (Avante). A partir daí, começou a especulação de mais um embate Dauaire x Machado em 2016.
Só que na última eleição municipal, a família Dauaire não lançou candidato em SJB e não declarou publicamente apoio a nenhum dos nomes que disputaram a Prefeitura. Carla venceu com folga o prefeito que ajudou a eleger em 2012. Já em 2018, Bruno conseguiu a reeleição para Alerj, sendo o deputado estadual mais votado em SJB, superando os candidatos com apoio da prefeita e seus aliados.
Para 2020, o deputado ou seu pai, Betinho, são apontados como possíveis candidatos. Carla e seu grupo ficam no aguardo do desfecho da Machadada para definição de um nome. Precisa ser lembrado, ainda, que outros grupos articulam candidaturas a Prefeitura de SJB, com objetivo de colocar um fim no dualismo das tradicionais famílias políticas.
Comentar
Compartilhe
Vandalismo na ciclovia entre Atafona e SJB
24/03/2019 | 13h17
Como se não bastasse a destruição causada pelo mar em Atafona, o município de São João da Barra amanheceu neste domingo (24) com boa parte dos guarda-corpos da ciclovia entre a sede e a praia destruídos. Ainda não há relatos de suspeitos na ação criminosa, que ocorreu durante a madrugada. Em tom, mais que compreensível, de revolta, o sanjoanense Gustavo Souza mostrou em sua página na rede social o estrago que foi feito. Confira:
Quem paga por esses atos de depredação do patrimônio público — crime com pena de até três anos de detenção — é a população. Afinal, a Prefeitura terá de fazer os reparos e usar o dinheiro público que poderia ser investido em outras áreas.
É necessário que a Prefeitura tente identificar o autor (ou os autores) deste ato para punição e até mesmo coibir a repetição de tal prática. Aliás, não é a primeira vez que acontece.
A Prefeitura informou que “já retirou todo material do vandalismo, ocorrido na madrugada de hoje (domingo). O prejuízo está sendo avaliado. A próxima ação é restaurar a ciclovia”.
Comentar
Compartilhe
Secretário estadual de Defesa Civil em Atafona para ver impactos do avanço do mar
24/03/2019 | 10h05
Arnaldo Neto
O secretário estadual de Defesa Civil, Coronel Roberto Robadey Costa Júnior, e o deputado estadual Bruno Dauaire (PRP) sobrevoaram na manhã deste domingo (24) a praia de Atafona, em São João da Barra. A convite do deputado, o secretário verificou de perto os impactos do avanço do mar no litoral sanjoanense. Robadey foi recebido pela prefeita Carla Machado (PP), além de secretários e vereadores do município. A prefeita de SJB, o secretário e o deputado seguiram no mesmo carro para o Pontal de Atafona. Segundo Dauaire, o objetivo é conseguir apoio do Governo do Rio de Janeiro para uma medida de contenção do avanço do mar no litoral sanjoanense.
O reconhecimento da situação de emergência em Atafona — que em outra oportunidade não foi atestada pela Defesa Civil estadual — será decretada novamente pela prefeita, após informar pessoalmente ao secretário estadual, que reconheceu a necessidade de intervenção.
— Nossos técnicos estão acostumados com aquele desastre que ocorre da noite para o dia, que morre gente. Esse aqui é um desastre que acontece ao longo dos anos. Acabei de ver uma foto dos anos 90, com mais duas ruas, e no passado eram muitas outras que foram dragadas pelo mar. Não é uma solução fácil, da noite para o dia. O que nós estamos propondo junto com o deputado Bruno Dauaire, que nos procurou ontem (sábado, 23), e o governador [Wilson] Witzel (PSC) determinou que viéssemos aqui imediatamente, é  trazer um ministro aqui para ver essa situação. Não é uma situação municipal, é uma situação que demanda apoio federal — afirmou Robadey. O secretário informou ainda que o governador participaria da visita neste domingo, mas não pode participar devido a uma forte gripe.
Bruno Dauaire anunciou que, ainda nesta semana, mais um secretário estadual vai visitar o município para conhecer a realidade devido ao avanço do mar. “Este é um momento histórico para o município. É a primeira vez que um secretário estadual de Defesa Civil vem conhecer a nossa realidade, com relação ao avanço do mar, e pode constatar de perto. A agenda foi confirmada na noite de sábado. Temos que prosseguir com o pedido da situação de emergência e colocamos nosso trabalho na Alerj, na Comissão de Defesa Civil, para ajudar no que for preciso. Vamos, juntos, buscar uma solução”, afirmou Dauaire, salientando que também articula com o senador Flávio Bolsonaro (PSL) uma visito do ministro de Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, ao município.
Além de informar sobre o novo pedido da situação de emergência, Carla salientou os impactos do avanço do mar ao longo dos anos, atinge a atividade pesqueira, o setor turístico e causou a perda de muitas residências de moradores e veranistas de Atafona. A prefeita voltou a destacar que o município não tem condições de arcar sozinho com o projeto de contenção do mar do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), pois geraria paralisação, inclusive, nos serviços básicos, como Saúde e Educação. Ela entregou uma cópia ao secretário e o deputado, e lembrou que o documento também foi levado ao presidente da Câmara dos Deputados. Carla também falou sobre outras possibilidades de projetos e destacou a importância das parcerias.
— Se cada um for fazer sua parte, a gente consegue sim. Sabemos que o problema do avanço do mar não acontece só aqui em SJB [ela ressaltou também a questão do Açu e outras cidades durante o encontro]. Mas a gente tem um município em franca ascensão, temos um dos maiores investimentos privados da América Latina. A gente precisa buscar uma solução — afirmou a prefeita.
A destruição por conta do avanço do mar no distrito de sanjoanense é notícia desde a década de 1950. A ressaca da última semana causou transtornos, em especial, aos moradores da Baixada, próximo ao antigo Pontal, e destruiu parte do muro da residência de Sônia Ferreira. A casa, que por muitos anos foi palco do Atafolia, fica ao lado dos escombros do antigo prédio do Julinho.
Confira uma das fotos registradas durante o sobrevoo pela praia de Atafona. A imagem mostra o que restou do Pontal, perto do antigo bar do Almir Largado, que depois foi do Santana, e parte da Baixada, área dos pescadores, fábricas de gelo e frigoríficos. O registro foi feito durante período de maré baixa. 
Comentar
Compartilhe
Mar continua avançando e derruba mais um pedaço do muro de casa em Atafona
22/03/2019 | 17h25
Mar continua avançando em Atafona
Mar continua avançando em Atafona / Victor Azevedo
O avanço do mar continua assustando em Atafona nesta sexta-feira (22). Na quinta-feira (21), como o blog noticiou (aqui), uma parte do muro da residência de Sônia Ferreira desabou. Ela é filho do ex-deputado federal Alair Ferreira (1920-1987) e a casa uma referência na praia sanjoanense, já que por muitos anos foi palco do Atafolia. Nesta sexta, ainda com a maré alta de lua cheia, mais um pedaço do muro desabou. Um tapume tinha sido improvisado no local que o mar derrubou na quinta, mas não resistiu às novas investidas do mar.
Além da casa de Sônia Ferreira, outras residência estão sofrendo com o avanço do mar, principalmente ao nas proximidades da foz do Paraíba, já atingindo algumas casas do bairro da Baixada. 
Água continua avançando no litoral de SJB
Água continua avançando no litoral de SJB / Sônia Ferreira
O avanço do mar na praia de Atafona já é notícia, ao menos, desde a década de 1950, quando foi noticiado pelo extinto jornal campista Folha do Povo, em 17 de fevereiro de 1959. E desde lá, existia a expectativa sobre um “espigão” para salvar o Pontal. Depois de 60 anos, a esperança é a mesma.
Há 10 anos, o prédio do Julinho caiu. Durante esse tempo, as ruínas do edifício funcionaram como uma espécie de um pequeno “quebra-mar” para a casa vizinha, a de Sônia Ferreira.
A situação no balneário sanjoanense é uma queixa antiga de moradores e entidades da sociedade civil organizada, mas enquanto o projeto de contenção do mar, viabilizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) e aguardado há pelo menos cinco anos, não sai do papel, a Defesa Civil de SJB realiza medidas paliativas para tentar amenizar a situação. No próximo dia 28, o procurador da República, Bruno de Almeida Ferraz, irá se reunir com representantes da sociedade civil, órgãos públicos e especialistas para discutir sobre a erosão costeira em Atafona. O mar revolto também provocou transtornos no Açu.
Em nota, a Prefeitura de São João da Barra informou que a tábua da maré prevê para essa semana a altura do mar em até 1,70m, com previsão de ressaca: “Após analisar a tábua de maré, prevendo para essa semana cheia de até 1,70, com previsão de ressaca, a coordenadoria de Defesa Civil utilizou caminhões de areia para formar uma barragem e evitar a chegada da água em pontos mais vulneráveis da praia. No entroncamento das ruas Nossa Senhora da Penha com Feliciano Sodré, onde fica a residência que teve parte do muro derrubada, também já foi realizada recentemente contenção com areia e sacos de areia e novas ações emergenciais no local estão previstas. A areia utilizada foi proveniente da limpeza e manutenção da avenida Atlântica, para retorno ao mar, atendendo a condicionante da licença ambiental do Inea (Instituto Estadual do Ambiente)”.
Comentar
Compartilhe
Concurso de SJB fica mais distante com adiamento de licitação
22/03/2019 | 10h31
Prefeitura de SJB
Prefeitura de SJB / Folha da Manhã
A novela com relação à realização de um novo concurso público (aqui) em São João da Barra volta a apresentar sinais preocupantes para quem criou expectativas. Em 2018, o município chegou a escolher o organizador do certame, que seria o Instituto de Avaliação Nacional (IAN), mas revogou a licitação com objetivo de adequar o quadro de cargos divulgados no projeto básico. Neste ano, após anunciar o pregão para o dia 28 de março, a Prefeitura acaba de adiar, sem prazo, a realização da licitação.
Atualização na quarta-feira, 10 de abril: Câmara de SJB autoriza concurso com 87 vagas
O adiamento “sine die” está no Diário Oficial desta sexta-feira (22). A única explicação é que a medida foi tomada “por motivo de conveniência e oportunidade”. A publicação informa, ainda, que “assim que for marcada nova data para realização da sessão do mencionado pregão, será publicado novo aviso”.
Em tempo — Não há mais detalhes sobre o adiamento da licitação, informação que está sendo solicitada à Prefeitura. No entanto, é muito estranho o fato de o município ficar anunciando pregão e depois adiar. Sem contar que o país ainda vive uma fase de altos índices de desemprego e qualquer possibilidade de um concurso público gera grande expectativa. Tomara que a “novela do concurso de SJB” neste ano tenha um final melhor do que a de 2018, que não passou de especulação.
Posicionamento da Prefeitura (atualização às 17h51) — "A administração pública municipal, por razões de interesse público, decidiu realizar algumas adequações no quadro de cargos e no número de vagas a serem disponibilizadas no concurso, razão pela qual adiou o pregão. Não há qualquer impedimento à realização do concurso. Em até 15 dias será publicado novo aviso de licitação".
Comentar
Compartilhe
Mar avança em Atafona e derruba muro da casa de Sônia Ferreira
21/03/2019 | 15h03
Mais uma referência em Atafona começa a ser atingida diretamente pela força do mar. Na tarde desta quinta-feira (21), as revoltas águas de março derrubaram parte do muro da casa de Sônia Ferreira. Uma referência em Atafona, ao lado do antigo prédio do Julinho, a residência da filha do ex-deputado federal Alair Ferreira (1920-1987) foi palco durante muitos anos da famosa festa de Carnaval "Atafolia".
Minutos antes de o mar derrubar o muro, Sônia usou o seu perfil nas redes sociais para mostrar o estrago que o mar estava fazendo. Segundo ela, o avanço começou a ficar mais intenso nesta quarta-feira (20), com o início da lua cheia. “Foi tudo muito rápido. Fiz a foto e um vídeo e o muro estava de pé. Logo depois, caiu”, contou Sônia.
Foto feita minutos antes de o muro cair nesta quinta-feira
Foto feita minutos antes de o muro cair nesta quinta-feira / Sônia Ferreira / Facebook
O avanço do mar na praia de Atafona já é notícia, ao menos, desde a década de 1950, quando foi noticiado pelo extinto jornal campista Folha do Povo, em 17 de fevereiro de 1959. E desde lá, existia a expectativa sobre um “espigão” para salvar o Pontal. Depois de 60 anos, a esperança é a mesma.
Há 10 anos, o prédio do Julinho caiu. Durante esse tempo, as ruínas do edifício funcionaram como uma espécie de um pequeno “quebra-mar” para a casa vizinha, de Sônia Ferreira. Mas, sem nenhuma outra tentativa de obstrução, o mar venceu novamente. E, como mostra o vídeo de Sônia Ferreira, sua casa não é a única atingida pela força das ondas:
Entre 2013 e 2014 surgiu uma esperança, quando o Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) garantiu a viabilidade de um projeto para ser desenvolvido na praia sanjoanense. Só que, até hoje, as discussões ainda são burocráticas. A prefeita Carla Machado (PP) chegou a apresentar o documento ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), mas, até o momento, nenhuma resposta foi dada. Isso sem falar nas inúmeras “caravanas” de parlamentares que foram até Atafona para “assistir” ao avanço do mar e prometer “ajudar como puder” (o que, na maioria das vezes, representa não fazer nada).
Vários movimentos sociais foram criados em Atafona na tentativa de mobilizar as autoridades com relação à questão do avanço do mar. Manifestações foram feitas em diversos pontos do município e um abaixo-assinado virtual chegou a ser criado. E nenhuma intervenção prática ocorreu ainda. Neste ano, em fevereiro, o SOS Atafona — um dos movimentos criados por iniciativa popular — foi oficializado, ganhando personalidade jurídica. Sônia Ferreira, inclusive, é vice-presidente da associação, fundada em reunião que aconteceu na casa dela. Dentre as metas do SOS Atafona está a viabilidade de uma intervenção para contenção do avanço do mar. Vídeo mostra mais um trecho onde o mar avança, na Baixada:
Na praia do Açu, extremo sul do litoral sanjoanense, também há imagens que registram os estragos da força das águas. Os moradores relatam que a ressaca está jogando água em diversas casas e ruas do 5º distrito de SJB. Um vídeo está disponível na página do Facebook “Praia do Açu SJB I”, mostrando a situação da praia nesta quinta:
Em nota, a Prefeitura informou que “após analisar a tábua de maré, prevendo para essa semana maré de até 1,70, com previsão de ressaca, a coordenadoria de Defesa Civil utilizou caminhões de areia para formar uma barragem e evitar a chegada da água em pontos mais vulneráveis da praia. No entroncamento das ruas Nossa Senhora da Penha com Feliciano Sodré, onde fica a residência que teve parte do muro derrubada, também já foi realizada recentemente contenção com areia e sacos de areia e novas ações emergenciais no local estão previstas”.
Ainda de acordo com a nota, “a areia utilizada foi proveniente da limpeza e manutenção da avenida Atlântica, para retorno ao mar, atendendo a condicionante da licença ambiental do Inea. Está agendada, para o próximo dia 28, uma reunião com Ministério Público Federal (MPF), representantes da sociedade civil, órgãos públicos e especialistas para discutir alternativas para o fenômeno da erosão costeira que seja economicamente viável e ambientalmente sustentável. Um projeto de bombeamento artificial de dunas para crescer ou ‘engordar’ a praia de Atafona, com areia compatível à da praia é um dos estudos de viabilidade, que depende de trâmites ambientais”.
 
 
 
 
Comentar
Compartilhe
Todos os ex-governadores do RJ vivos e eleitos desde 1982 estão ou foram presos
21/03/2019 | 13h06
Com a prisão nesta quinta-feira (21) do ex-ministro e ex-governador do Rio de Janeiro Moreira Franco (MDB), o Rio de Janeiro completa um ciclo de desastre nas escolhas políticas. Todos os eleitos desde de 1982, a primeira eleição no processo de redemocratização do país após anos de ditadura militar, estão ou estiveram presos.
Desde a abertura política de 1982 foram eleitos Leonel Brizola, Moreira Franco (1986), Brizola (1990), Marcelo Alencar (1994), Anthony Garotinho (1998), Rosinha Garotinho (2002), Sérgio Cabral (2006 e 2010) e Luiz Fernando Pezão (2014).
Cabral está preso desde 2016. Pezão foi preso em 2018. Os dois ex-governadores do MDB foram alvos da Lava Jato. Garotinho foi preso três vezes entre 2016 e 2017, pelas operações Chequinho e Caixa d’Água — esta, também levou Rosinha para prisão em 2017. Brizola morreu em 2004 e Marcelo Alencar, em 2014.
Nilo Batista (em 1994) e Benedita da Silva (2002), chegaram a assumir o governo do Rio por alguns meses. Eles eram vices, respectivamente, de Brizola e Garotinho, que se licenciaram para disputar a presidência da República no fim dos seus mandatos no Rio. Desta forma, não entram na relação de ex-governadores eleitos (e também não foram presos).
Moreira foi preso em um dos desdobramentos da Lava Jato no Rio, na qual também foi preso o ex-presidente Michel Temer. Confira mais detalhes no Folha 1:
Comentar
Compartilhe
Prestação de contas de Rafael Diniz na pauta do TCE
20/03/2019 | 15h57
Rodrigo Silveira
O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro colocou na pauta de votação a prestação de contas do primeiro ano do governo Rafael Diniz (PPS). O relatório, referente ao ano de 2017, será apreciado pela Corte na próxima quarta-feira (27). A relatora do processo é a conselheira Marianna Montebello Willeman, presidente do TCE. A Corte emite um parecer prévio, recomendando a aprovação ou reprovação das contas. No fim, cabe à Câmara Municipal o julgamento do relatório.
O corpo instrutivo e o Ministério Público Especial chegaram a sugerir, no ano passado, a emissão do parecer contrário à aprovação das contas. Após essas análises, a Prefeitura voltou a responder em ofício ao TCE e o resultado será conhecido na leitura do voto da presidente. O julgamento pode mudar de data caso algum dos conselheiros faça um pedido de vista — a data limite é 22 de março, sexta-feira.
Última prestação de contas — Também no dia 27 de março, em 2018, o TCE analisou as contas da ex-prefeita Rosinha Garotinho, referente ao ano de 2016. O parecer prévio da Corte, aprovado por unanimidade, foi pela reprovação, depois confirmada pela Câmara de Campos.
Foi a primeira vez que o TCE apontou pela rejeição das contas da ex-prefeita, que ficou oito anos à frente do cargo em Campos. A ocasião também foi a primeira em que a decisão foi tomada pelo corpo técnico do colegiado, já que a maior parte dos conselheiros está afastada após ter sido presa na operação O Quinto d’Ouro — deflagrada a partir da delação do ex-presidente do TCE Jonas Lopes de Carvalho, que chegou à Corte de Contas por indicação, em 2000, do então governador Anthony Garotinho.
Comentar
Compartilhe
SJB volta a planejar concurso público: confira as 91 vagas
19/03/2019 | 14h44
Divulgação
A Prefeitura de São João da Barra voltou a planejar um concurso público. Na última segunda-feira (18), o Diário Oficial do município trouxe um aviso de licitação para contratação da organizadora do certame. O pregão está previsto para 28 de março. No edital de licitação, disponível também no site da administração municipal, é possível verificar quais são os cargos e salários do futuro certame. Serão 91 vagas, distribuídas em 26 cargos, para os níveis Médio e Superior. Os salários variam entre R$ 1,689,45 (Médio) e R$ 3.629,01 (Superior). A carga horária, em todas as funções, é de 40 horas.
Atualização na quarta-feira, 10 de abril: Câmara de SJB autoriza concurso com 87 vagas
Atualização na sexta-feira, 22 de março: Concurso de SJB fica mais distante com adiamento de licitação
Para o nível Médio, serão oferecidas vagas para Agente de Tributos (6), Agente de Fiscalização de Transporte Público (6), Agente de Fiscalização de Trânsito (14), Agente de Fiscalização de Saúde (6), Agente de Fiscalização de Postura (6), Agente de Fiscalização de Obras (4) e Guarda Ambiental (6).
Já para o nível Superior as vagas são para Estatístico (1), Engenheiro de Trânsito (1), Auditor Fiscal de Obras (6), Engenheiro Civil (1), Auditor Fiscal de Tributos (12), Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária - Especialidade I (1), Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária - Especialidade II (1), Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária - Especialidade III (1), Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária - Especialidade IV (1), Auditor Fiscal de Vigilância Sanitária - Especialidade V (1), Contador (5), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade I (2), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade II (1), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade III (1), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade IV (2), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade V (1), Analista Fiscal de Meio Ambiente - Especialidade VI (1), Auditor Municipal de Controle Interno (2) e Tecnólogo Ambiental (2). 
Confira as especialidades exigidas para cada cargo de nível Superior:
Se confirmado, este será o primeiro concurso na atual gestão da prefeita Carla Machado (PP). Recentemente, foram convocados os últimos aprovados no concurso da Educação, de 2015, que expirou em março. Além do Educação, também foi realizado na gestão do ex-prefeito Neco (MDB), e continua em vigência até junho, o concurso da Saúde.
Vale lembrar que em 2018 a Prefeitura iniciou um processo de concurso, com 34 vagas, e chegou a escolher a organizadora do concurso, que seria o Instituto de Avaliação Nacional (IAN). No entanto, a Prefeitura revogou a licitação com objetivo de adequar o quadro de cargos divulgados no projeto básico. A previsão era de que um novo processo para a escolha da organizadora fosse realizado ainda em 2018, mas acabou sendo adiado.
Comentar
Compartilhe
Reajuste dos servidores de SJB em pauta
19/03/2019 | 12h37
A coluna Ponto Final (aqui), da edição desta terça-feira (19) da Folha da Manhã, informa que “servidores da Prefeitura de São João da Barra vivem a expectativa do reajuste salarial. No município, a chamada data base é em março. Caso seja concretizado, o reajuste salarial anual é concedido aos servidores públicos municipais efetivos, abrangendo os ativos, inativos e pensionistas. Até a tarde de ontem (segunda-feira), nenhum projeto, que deve ser de autoria do Executivo, havia chegado ao Legislativo municipal. O pagamento deste mês está previsto para acontecer até o último dia útil. O que ainda não se sabe é se será ou não com reajuste”.
Também nesta terça, os vereadores de SJB fizeram, em conjunto, um requerimento ao Executivo solicitando o envio de um projeto de lei para conceder o reajuste anual aos servidores públicos municipais.
Sessão da Câmara — Além da questão do servidor, a vereadora Sônia Pereira (PT) sugeriu a reforma do Centro Municipal de Emergência, com a implantação de um centro de atendimento para a mulher e a criança. Em matéria publicada no domingo (17), a Folha informou que o espaço está em obra, segundo a Prefeitura, e que vai passar de atendimento de emergência para todas as especialidades ambulatoriais, além de contar com centros de odontologia e fisioterapia.
O vereador Aluizio Siqueira (PP) requereu à Tecban a colocação de um caixa eletrônico (24 horas) em Atafona. Ele também indicou a contratação de funcionários para função de agentes de endemias. “Já tivemos aqui 120 agentes e hoje eu soube que tem 97 atuando, o que é uma defasagem grande”, explicou Aluizio.
O vereador Ronaldo da Saúde (Pros) requereu à secretaria de Obras a revisão na rede de iluminação pública da praça na rua Marechal Rondon. E por meio de indicação, pediu o calçamento da rua João Batista Ribeiro de Abreu. Já o vereador Eziel Pedro (MDB) indicou a construção de um campo de futebol society no bairro Nova Grussaí. Em conjunto, Ronaldo e Aluizio sugeriram um projeto de reabertura da antiga estrada da Restinga (que liga a avenida Liberdade a Chapéu do Sol), a fim de desafogar o trânsito.
Duas indicações foram aprovadas para Rua Nova: construção de um abrigo de passageiros (proposta pelo vereador Eziel) e construção de uma praça com área de lazer (proposta por Elísio Motos, PDT). Já o vereador Gersinho (SD) indicou a construção de uma creche em Cazumbá e o asfaltamento da estrada que liga Sabonete a Campo de Areia (incluindo a “estrada do meio”). Por fim, Elisio pediu o calçamento de ruas de Barcelos e Roças Velha.
Comentar
Compartilhe
Açu Petróleo assina contrato com empresa da Noruega para operação de transbordo
18/03/2019 | 16h41
A Açu Petróleo (parceria da Prumo Logística e a Oiltanking) e a empresa norueguesa Equinor assinaram contrato para realizar operações ship to ship (operação de transbordo) no Terminal de Petróleo (Toil) da companhia, localizado no Complexo do Porto do Açu, em São João da Barra.
O contrato tem duração de 36 meses, contados a partir de janeiro de 2020, e será destinado ao alívio da produção de petróleo da Equinor no campo de Roncador, na Bacia de Campos. Este contrato permite que a Equinor opere, através de navios classe Suezmax e VLCC (Very Large Crude Carrier), a maior parte da sua exportação de petróleo do Brasil através do Terminal da Açu Petróleo.
— A Equinor é mais uma empresa que optou por utilizar a moderna e segura infraestrutura do Toil. A entrada de mais este importante cliente irá reforçar ainda mais o nosso compromisso por excelência em segurança e cuidado com o meio ambiente em nossas operações — disse Victor Snabaitis Bomfim, presidente da Açu Petróleo.
Toil
No T-OIL, a operação de transbordo de petróleo é realizada por um operador de classe mundial, Oiltanking, em área abrigada por quebra-mar, possibilitando uma operação confiável e segura, com eficiência e redução no custo final para os clientes, o que aumenta a competitividade do petróleo brasileiro. A operação conta com os dois navios atracados no quebra-mar, ambos cercados por barreiras de contenção, o que minimiza o risco de impacto para o meio ambiente.
O terminal tem capacidade e é licenciado para movimentar até 1,2 milhão de barris de petróleo/dia.
 Com 25 metros de profundidade, o Toil é o único terminal privado brasileiro com capacidade para receber navios da classe VLCC, que tem capacidade de armazenamento de até 2 milhões de barris de óleo cru.
Comentar
Compartilhe
Definida programação da festa do padroeiro de São Francisco de Itabapoana
18/03/2019 | 12h43
Chegada da procissão do padroeiro de SFI
Chegada da procissão do padroeiro de SFI / Foto: VNotícia
A festa de São Francisco de Paula, padroeiro do município de São Francisco de Itabapoana, está com a programação definida. As atividades religiosas começam neste domingo (24), com a abertura do novenário, e seguem até o dia 2 de abril, quando o santo é celebrado no calendário litúrgico. Durante os dias do novenário, os católicos poderão fazer doações de alimentos para posterior distribuição de cestas de alimentos. Cada dia a doação de um alimento específico no chamado “gesto concreto”. A festa também conta com atividades recreativas, esportivas e culturais, incluindo shows, com apoio da Prefeitura. A festa é realizada pela Paróquia São Francisco de Paula.
Confira a programação completa:
24/03 - Domingo
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Luciano Gomes. Gesto concreto: café
Comunidades convidadas: Itaquaruçú, Funil e Divisa
25/03 - Segunda
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Alexandro Matos. Gesto concreto: macarrão
Comunidades convidadas: Bela Vista, Pingo D’Água e Praça Imaculada
26/03 - Terça
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Emerson Ramos. Gesto concreto: arroz
Comunidades convidadas: Alegria dos Anjos, Valão Seco e Imburi
27/03 - Quarta
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Fabiano Ferreira. Gesto concreto: Feijão
Comunidades convidadas: Floresta, Santa Rita e Aroeira
28/03 - Quinta
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Luciano Gomes. Gesto concreto: Açúcar
Comunidades convidadas: Morro Alegre, Sossego e São Domingos
29/03 - Sexta
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Lucas Mendes. Gesto concreto: Farinha
Comunidades convidadas: Santo Antônio, Barro Branco e Estreito
21h - Luau da Juventude
30/03 - Sábado
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Dênison Gleison. Gesto concreto: Leite
Comunidades convidadas: Gargaú, Santa Clara, Cacimbas e Campo Novo
21h - Show com Davidson Silva
31/03 - Domingo
8h - Santa Missa
14h30 - Atividades recreativas
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Alexandre Mothé. Gesto concreto: Óleo
Comunidades convidadas: Bom Jardim, Ponto de Cacimbas e Volta Redonda
21h - Show com Edivane Santos e Banda
01/04 - Segunda
19h - Adoração
19h30 - Santa Missa, celebrada pelo padre Wallace Azevedo. Gesto concreto: Biscoito
Comunidades convidadas: Esquina, Macuco e Sonhos
21h - Show com a cantora Michele Freire
02/04 - Terça
5h30 - Alvorada
7h - Santa Missa. Na sequência, café comunitário
10h - Batizados
10h - Corrida Ciclística
19h - Santa Missa Solene, celebrada pelo bispo diocesano dom Roberto Francisco. Logo depois, procissão.
21h30 - Show com Ministério Frutos do Espírito
Comentar
Compartilhe
Centro de Emergência de SJB passará para atendimento ambulatorial
17/03/2019 | 15h38
A edição deste domingo (17) da Folha da Manhã traz uma matéria especial sobre o Centro de Emergência de São João da Barra, em reforma desde 2017. A previsão da secretaria de Saúde é que a obra seja concluída ainda no primeiro semestre. No momento, as adequações acontecem no setor elétrico, já que todos fios foram furtados. Mas a principal mudança é que o conhecido Centro de Emergência não terá mais o setor de emergência. A matéria informa que a unidade vai “atender a população em todas as especialidades ambulatoriais, além de contar com centros de odontologia e fisioterapia”. Já a Santa Casa de Misericórdia “continuará a atender as demandas de obstetrícia, emergência, internações, cirurgias gerais e de traumaortopedia de baixa e média complexidade”.
Confira a matéria completa no Folha 1.
Comentar
Compartilhe
Escola não combina com sangue derramado
17/03/2019 | 13h29
Trabalho da perícia após o massacre em Suzano
Trabalho da perícia após o massacre em Suzano
Não dá para esquecer a época da escola. Afinal, de lá saem amigos para vida toda, alguns que se tornam irmãos. Histórias da infância e adolescência que carregamos sempre, motivo de muitos risos a cada reencontro. Ainda nos vinte e tantos anos, com a casa dos 30 batendo à porta, dá para dizer que grande parte da vida foi em uma escola. Primeiro por ser filho de professora, e já ser levado para uma antes mesmo de iniciar os estudos. No fim do ensino fundamental, passava a manhã como estudante e trabalhava, contratado como bolsista, nos turnos da tarde e/ou noite. Depois, adulto, concursado como servidor público, por alguns anos a rotina inclui novamente o ambiente escolar, já dividido com a maior paixão profissional, que é o trabalho jornalístico. No entanto, por mais que a gente tente se afastar, tudo o que foi vivido dentro de uma escola marca para sempre.
Grande parte dos brasileiros passou por uma escola — e não cabe aqui falar sobre a qualidade, tema para uma outra discussão, com quem tem embasamento. Fato: é um ambiente comum a quase todos. Não é só o paraíso, existem muitos problemas, mas todo mundo guarda recordações. E isso, talvez, tenha sido até um potencializador da perplexidade com a qual o país assistiu, na última quarta-feira (13), ao ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP). Foram 10 mortes: duas funcionárias, cinco alunos adolescentes, que entre 15 e 17 anos tiveram seus sonhos interrompidos, os dois autores do massacre e o tio de um dos assassinos, morto pouco antes da ação covarde na escola.
Na mídia, psicólogos são acionados, debates sobre comportamento de jovens adolescentes dentro de casa são explorados, a questão da segurança nas escolas é novamente levantada e chega até a política, principalmente porque continua em voga a discussão sobre a questão armamentista, flexibilização da posse e debates sobre porte de arma. Tudo é necessário, mas, no fim, parece em vão.
Cabe lembrar que outros ataques aconteceram no país em outros momentos políticos, como o massacre de Realengo, em 2011, que deixou 13 mortos: 12 alunos, com idades entre 13 e 16 anos, e o assassino, que acabou cometendo suicídio. Contudo, naquela época, não tinha senador filho de presidente usando a rede social para dizer que o episódio trágico “atesta o fracasso do malfadado estatuto do desarmamento”, enquanto, por outro lado, os partidos da esquerda aproveitaram para criticar a flexibilização da posse de arma, um decreto já assinado por Jair Bolsonaro — e que foi promessa na sua campanha. Tem também outro ponto que ganha destaque, a redução da maioridade penal, como forma de tentar inibir crimes por parte de quem ficaria impune, ou com a pena mais amena, em atos cometidos antes dos 18 anos. O debate é mais quente na internet.
E é nesse terreno virtual que pode ser encontrado a raiz do problema. As famílias, realmente, muitas vezes nem conhecem quem está dentro de casa, já que crianças e adolescentes agora vivem trancados no seu mundo com um computador. De lá podem sair grandes ideias, algumas boas, outras nem tanto. Jogos com interfaces cada vez mais próximas da realidade podem até atrair e despertar algo de ruim em alguém. Porém, quem já jogou (ou joga) sabe que esse não é o maior perigo. A gravidade está em quem fica online para atrair os jovens psicologicamente mais fracos para o chamado submundo da internet.
Levado até lá (a tal Deep Web), o acesso a drogas, armas e munição, notas falsas, pornografia infantil e tudo de ruim está disponível muito facilmente. Como define uma matéria da BBC, lá é “o esgoto em que se submergem atividades repugnantes que não querem ser descobertas”. A família tem papel importante e poderia suspeitar se algo de errado estiver acontecendo, mas não pode ser julgada caso não consiga perceber. Afinal, é tudo novo para muita gente. Aprender a lidar com o mundo virtual não é um processo rápido, assim como a legislação sobre os crimes neste ambiente ainda engatinham.
A perplexidade do bárbaro crime em Suzano assusta porque é tudo muito próximo. Muita gente recebeu imagens com os corpos, o sangue derramado no chão da escola, quase que em tempo real pelas redes sociais — e atônitos, na quinta-feira (14), o mundo assistiu a um ataque na Nova Zelândia, com 49 mortos, transmitido ao vivo no perfil do atirador. Todo mundo conhece alguém que vive mais tempo no mundo virtual do que no real. Todo mundo passa, passou ou conhece alguém que está em uma escola. É essa realidade, muito próxima de todos, que deixa a todos perplexos: uma brutalidade daquela em Suzano poderia acontecer com qualquer um, em qualquer lugar.
Não são mais ou menos armas que vão resolver. O crime em um ambiente escolar só vem a destacar que as políticas públicas precisam valorizar a educação — o profissional, mais condições de trabalho, projetos, acompanhamento dos alunos além da grade curricular. Da época de escola, guardo a lembrança nítida do jornal mural, das redações de sala de aula, em que a professora de Português — baixinha, rígida, católica tradicionalista, Maria Auxiliadora — dizia que ainda iria ler artigos da mesma autoria em jornais (e aqui está mais um). Da turma, de filhos de pescadores da praia de Atafona, a maior parte é bem-sucedida (na vida pessoal e profissional). A escola, como segunda casa, fez parte da construção do caráter de todos. Lá estão muitas histórias nossas — aquelas que nos fazem rir a cada reencontro. Oxalá fosse assim para todo mundo! Escola é lugar de aprendizado, e também de alegria. Não combina com sangue derramado, como foi em Suzano.
Comentar
Compartilhe
Prefeitos da região já de olho em 2020
17/03/2019 | 10h33
A eleição de 2016 no Norte Fluminense trouxe um cenário até então considerado atípico. A chamada “força da máquina” não conseguiu eleger seus candidatos em sete dos nove municípios da região. Parecia uma prévia do que aconteceria em 2018, quando houve rupturas, quebrando anos de continuidade de grupos no poder e os candidatos considerados não políticos conseguiram mandatos no Executivo — como é o caso do governador Wilson Witzel (PSC) — e renovaram boa parte das Assembleias Legislativos e da Câmara dos Deputados. E 2019, que mal começou, já começa a desenhar o futuro político para eleição de 2020. Inclusive já começam a ser especuladas as intenções de candidaturas para reeleição.
Para o cientista político Hamilton Garcia, os eleitores no ano que vem devem continuar penalizando oligarquias políticas, mas também não devem estar dispostos a perdoar as novidades que não estiverem correspondendo às expectativas.
— O eleitor continua procurando o governo representativo, onde o interesse da sociedade é maior do que a do político, e isto deve continuar impactando as máquinas oligárquicas especializadas na corrupção do voto, ao mesmo tempo que penaliza as novidades políticas de 2016 que frustraram as expectativas — avalia Garcia.
Dos nove prefeitos da região (como mostra o infográfico acima), seis estão, por ora, em condições de elegibilidade para o próximo pleito e dois não podem concorrer porque estão no segundo mandato consecutivo. Já a prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), tem pendência em um processo eleitoral, originado da operação Machadada, que ainda será julgada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Em entrevista à Folha, o prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS), afirmou que pretende disputar a reeleição: “Assim como eu tive o direito de ser candidato a prefeito, e assim como serei candidato à reeleição, todo cidadão tem o direito de se candidatar. Faz parte do processo democrático”, respondeu ao prefeito ao falar sobre o número de pré-candidatos que já estão aparecendo no cenário eleitoral.
No caso de SJB, a decisão do TSE sobre a Machadada será essencial para definir o futuro cenário. Enquanto o julgamento não acontece, Carla já se colocou no jogo, após alguns opositores terem associado o bom desempenho de Witzel e Jair Bolsonaro (PSL) no município ao fato de a prefeita ter apoiado os adversários deles. “Essas palhaçadas só me animam para colocar meu nome na disputa novamente e agora estou repensando e acho que irei disputar a eleição de 2020 novamente”, escreveu Carla.
Por falar na eleição de Witzel, o atual governador obteve sucesso no pleito de 2018 com um discurso de “não político”. Para Hamilton Garcia, este não será o único diferencial da eleição de 2020: “O diferencial não é ‘político profissional’, mas político que encarna interesses sociais, o que pode beneficiar o ‘não político’, mas sem excluir o ‘político’. A reversão das expectativas é o objetivo do debate eleitoral: os mal avaliados pretendem a positivação, e os bem avaliados almejam a manutenção/ampliação de sua boa imagem. Tem eleição tranquila quem, já no governo, conseguir aliar a imagem de bom gestor à capacidade de fazer reformas em benefício de todos. A habilidade em usar as novas ferramentas de interação aumentam as chances em ambos os casos”.
Publicado na edição deste domingo (17) da Folha da Manhã
 
 
Comentar
Compartilhe
Educação de SJB firma, em Brasília, parceria para projetos
14/03/2019 | 20h38
O Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações (MCTIC), assinou acordo de cooperação técnica com a Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São João da Barra (Semec). O convênio prevê o desenvolvimento e a execução de programas e projetos de pesquisa, difusão e formação de recursos humanos de alto nível, no campo da ciência e tecnologia da informação e áreas conexas, contribuindo para fortalecer suas missões institucionais e ações diversas de cooperação técnica entre o IBICT e a Semec.
Segundo o secretário municipal de Educação e Cultura da Prefeitura de São João da Barra, Daniel  Damasceno, a secretaria está exultante em poder estabelecer parceria com o IBICT. “Com a característica do nosso município, nós temos um projeto claro de extensão da carga horária de aulas, vista como educação pública, nós trabalhamos com uma camada de alunos que precisa ter acesso a um capital cultural não só nas quatro horas de escola, mas também nas outras 20 horas”, disse o secretário.
Daniel Damasceno acredita que a implementação de um experimento de educação integral no município beneficiará os alunos. “Pelo know-how que o IBICT possui e pelo histórico que o instituto tem em desenvolvimento de inovação e de tecnologia, nós acreditamos que a contribuição será grande no que diz respeito à formação dos nossos professores, além do incentivo dos nossos alunos à ciência, à pesquisa, à inovação, e à ampliação dos horizontes dos nossos alunos”, salientou.
A matéria foi divulgada no site do IBICT nesta quinte-feira (14).
Comentar
Compartilhe
Sanjoanenses na Tailândia para o Campeonato Mundial de Muay Thai
14/03/2019 | 13h18
Gabriel, o treinador Sérgio Miranda e Alysson
Gabriel, o treinador Sérgio Miranda e Alysson / Divulgação
Os sanjoanenses Gabriel Batista e Alysson Almeida viajaram na última quarta-feira (13) para a Tailândia, na Ásia, onde vão representar o município no Campeonato Mundial de Muay Thai. Em 2018, Gabriel conquistou o 3º lugar em sua categoria, neste mesmo evento. Para o Alysson, esta é a primeira competição em outro país, porém já disputou no Brasil, com atletas internacionais, e obteve o 1º lugar no Campeonato Internacional de Muay Thai, em Pouso Alegre, Minas Gerais.
Os dois atletas disputarão profissionalmente o torneio da WMO (World Muay Thay Organization), sendo Gabriel na categoria até 63 kg, e Alysson na categoria até 71 kg. Os dois garantiram a participação neste Campeonato Mundial durante a Copa Sudeste de Muay Thai, realizada em janeiro, em Grussaí.
Bicampeão brasileiro e três vezes campeão estadual, Gabriel Batista, da equipe Miranda Top Team, foi um dos destaques na competição, conquistando o Cinturão Estadual na categoria até 60 kg e garantindo vaga para o Mundial. Alysson Almeida, categoria até 71 kg, da equipe Makarios, também também de destacou na Copa Sudeste, assegurando a vaga para o Mundial.
— Intensificamos o treinamento nos últimos três meses, desde a parte técnica, física e estratégias de luta, até os cuidados com a alimentação. Chegamos a treinar três vezes ao dia — disse Sérgio Miranda, atual presidente da Federação de Muay Thai Carioca e treinador do Gabriel Batista.
Segundo Miranda, a expectativa é de vitória. “Devido à experiência em mundial, apesar de estar lutando contra os melhores lutadores profissionais do mundo, ele está indo para buscar o ouro”, completou.
George Góes, treinador de Alysson Almeida, comentou que a preparação foi árdua, nas áreas técnica, de condicionamento físico, alimentação e estratégias de luta. “Estou confiante na vitória, porque houve todo um treinamento, além disso, o atleta é muito dedicado à arte marcial, abrindo mão de tudo, mantendo o foco. Já podemos comemorar o fato de ele estar competindo com os melhores do mundo, e sei que com o esforço e dedicação vai conquistar muito mais vitórias no decorrer da vida”, finalizou.
Os atletas estão sendo patrocinados pelo projeto “Bolsa Atleta”, da Prefeitura de São João da Barra, por meio da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer. “Sabemos que esta contribuição é muito importante para alavancar a carreira de nossos esportistas, em contrapartida é o nome de nossa cidade que se projeta nesta área também. O pagamento de passagens internacionais se deu através de alteração da lei, que ocorreu no ano passado”, frisou o coordenador de Esporte, João Paulo Almeida.
Os atletas retornam ao Brasil no dia 22 de março.
Fonte: Secom/SJB
Comentar
Compartilhe
Campos convoca mais 75 professores substitutos do Processo Seletivo
14/03/2019 | 09h55
A secretaria municipal de Educação, Cultura e Esporte (Smece) publicou no Diário oficial desta quinta-feira (14) mais uma chamada para professores substitutos aprovados no Processo Seletivo Simplificado 2018 para contratação temporária (confira a relação no fim do post ou aqui). Foram mais 75 convocados, sendo 50 para Professor II (25h) e 25 para Professor I, divididos por áreas do conhecimento: História (1), Português (5), Geografia (8), Matemática (3), Inglês (2) e Arte (6).
Os selecionados devem comparecer à sede da Smece na segunda-feira (18) para entrega de documentos, habilitação e cadastro. Os convocados como Professor II devem se apresentar às 9h. No caso de Professor I, às 14h. A secretaria fica na Praça Cinco de Julho, 60 (prédio da antiga Estação Ferroviária).
É necessário levar: Cédula de Identidade; CPF; Título de Eleitor com comprovação de regularidade com a Justiça Eleitoral; Documentação comprobatória de nível de escolaridade e formação para o cargo pretendido; 01(uma) foto colorida 3X4 recente; Carteira de Trabalho (cópia da parte da foto frente e verso); Certificado de Reservista ou Dispensa de Incorporação, para os candidatos do sexo masculino; Certidão de Nascimento dos filhos menores de 18 anos; Cartão PIS/PASEP; Comprovante de Residência; Certidão Negativa de Antecedentes Criminais; e habilitação para a função pretendida.
Após esta etapa, haverá o encaminhamento para escolha de local de atuação, que ocorrerá na terça-feira (19), nos turnos da manhã e da tarde, dependendo da classificação, para Professor II. Já para Professor I, a escolha acontece na quarta-feira (20), pela manhã.
Aqueles que faltarem, sem justificativa, serão considerados desistentes. As chamadas ocorrem de acordo com a demanda das unidades de ensino, seguindo a ordem de classificação.
Comentar
Compartilhe
Mais uma mudança prevista na Câmara de Campos
13/03/2019 | 18h07
As alterações na Câmara de Campos vão continuar. Enquanto Rosilani do Renê (PSC) aguarda para ser convocada após o afastamento, por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), de Marcos Bacellar, mais uma suplente pode se preparar. O blog Ponto de Vista, de Christiano Abreu Barbosa, anunciou (aqui) que o vereador Abdu Neme (PR) vai assumir a secretaria de Saúde do município. Desta forma, Marcelle Almeida (PR), conhecida pelo grupo Protetores Amigos de Todos os Animais (Pata) — e que apresenta o "Pata no Ar", na Plena TV —, herdaria uma cadeira.
Marcelle teve 572 votos no pleito de 2016. Ela ficou na 8ª suplência na coligação PR/PTB/PSD. Vai ficar com a vaga porque sete candidatos que estavam na sua frente foram condenados na Chequinho. A coligação elegeu, em 2016, cinco parlamentares, na seguinte ordem: Jorge Rangel (PTB), Thiago Ferrugem (PR), Dr. Abdu, Kellinho e Magal. Destes, Abdu não estava envolvido nos processos da Chequinho e continuou no mandato. Como a Justiça Eleitoral não determinou a anulação dos votos, foram convocados, ao longo dos últimos anos, Nénem (PTB), Joilza Rangel (PSD), Thiago Godoy (PR) e Roberta Moura (PR). Godoy e Roberta também foram condenados e deixaram a Câmara. Eduardo Crespo (PR) e Dr. Ivan Machado (PTB) ficaram com os mandatos. Agora, na lista de suplência, a próxima seria Vera Bensi (PR), só que ela também já foi condenada na Chequinho.
Agora, confirmando a saída de Abdu para a Saúde, a vaga é de Marcelle Almeida.
Comentar
Compartilhe
Campos-Atafona: 1001 não cumpre horário e ainda não vai até Chapéu de Sol
13/03/2019 | 16h24
Foto - Isaias Fernandes
As reclamações com relação ao transporte intermunicipal entre Campos e São João da Barra não terminaram com a intervenção do Departamento de Transportes Rodoviários (Detro), em dezembro de 2017, que tirou a concessão da Sanjoanense Campostur. As principais queixas são com relação às linhas que atendem a sede do município e Atafona, sob responsabilidade da 1001. Os horários não são cumpridos e, mesmo com a afirmação do Detro que seria área de cobertura da empresa, os ônibus da até o momento não voltaram a passar pela localidade de Chapéu de Sol, que faz parte de Atafona. Uma licitação para as linhas intermunicipais é aventada há muito tempo, mas ainda não há nada concreto.
No último domingo, a jornalista Suzy Monteiro, da Folha, relatou o problema do horário em sua rede social: “Absurdo os horários de ônibus de Atafona para Campos. Depois de esperar 40 minutos chega um (às 15h10) que só sairá às 16h. Falta de respeito com os passageiros. E não é a primeira vez. No carnaval tiraram horário sem falar nada. Dá até saudades da Campustur”. Os comentários da publicação foram todos concordando com a denúncia e fazendo mais queixas ao serviço prestado.
Em contato com o Detro, a assessoria informou que os horários da linha entre Atafona e Campos (N430) estão disponíveis no site do departamento (aqui). É possível constatar a previsão de que saia um ônibus de Atafona a cada 90 minutos, de domingo a domingo. O primeiro horário previsto é de 6h, enquanto o último é às 22h30.
Em nota, a 1001 diz cumprir os horários nos dias de semana: “A Viação 1001 informa que a linha entre Campos - Atafona teve início na alta temporada com um número maior de veículos. Atualmente, a linha está se adequando à demanda, dentro do que foi especificado, e opera com intervalo de 30 minutos a 1h30 durante a semana e com intervalos de 2 horas aos domingos”. A própria empresa admitiu o não cumprimento do horário no domingo.
Com relação ao atendimento a Chapéu de Sol, o Detro informou que “a empresa foi notificada a retomar imediatamente a operação regular da linha, para atender a população da região” e que “vai intensificar as fiscalizações na região”. O departamento salientou ainda que, neste ano “houve cinco registros na Ouvidoria do Detro de reclamações na linha N430 Atafona – Campos”.
Por sua vez, a 1001 reafirma que não atende à localidade de Chapéu do Sol “em função do esquema operacional da linha”. O Detro ressalta que os cidadãos podem encaminhar suas denúncias para a Ouvidoria, por meio do telefone da (21) 3883-4141, pelo e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp Fale Detro (21 – 98596-8545). Além das operações de inteligência, o Detro utiliza as denúncias feitas pela população para nortear suas ações.
Comentar
Compartilhe
Indio da Costa renuncia presidência e deixa PSD com a chegada de Wladimir
13/03/2019 | 13h06
Folha da Manhã e divulgação
Ex-deputado federal e candidato derrotado na eleição para governador em 2018, Indio da Costa renunciou nessa terça-feira (12) à presidência estadual do PSD e anunciou que está saindo do partido. O motivo é a recente filiação do deputado federal Wladimir Garotinho, filho do ex-governador Anthony Garotinho, adversário político de Indio. Em entrevista à Folha, que repercutiu em parte da mídia nacional, Indio afirmou ser contra a forma de fazer política da família campista. Então pré-candidato ao Governo do Rio, Indio afirmou em agosto de 2017 que a política do ex-governador e Garotinho é “manter o pobre na pobreza” (aqui).
A chegada de Wladimir ao PSD foi articulada pelo deputado federal Hugo Leal. Na ocasião, o blog falou com Indio, que se limitou a dizer que não tinha muitas informações, não estava à frente desta aproximação e sugeriu que o contato fosse feito com Leal. Agora, ele torna pública sua decisão: “Renunciei à presidência do PSD e me desfilei do partido porque não compactuo com a filiação do deputado federal, filho do ex-governador Garotinho no PSD. (...) Entre a presidência estadual do partido e a coerência, fico com a coerência” (confira a íntegra da carta de desfiliação, endereçada ao presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, no fim do post).
Não é a primeira vez que a entrada de um membro da família Garotinho causa reações e desfiliações partidárias. Em 2016, quando ainda era aventada a chegada do ex-governador ao PRP, o então vereador de Goiânia Jorge Kajuru mandou “o partido para PQP”. Agora senador de Goiás pelo PSB, Kajuru afirmou ao blog, à época: “Jamais vamos estar em um mesmo palanque, em um mesmo partido de Garotinho. Até porque, na minha opinião, o único partido que deve merecer a filiação do Garotinho é o PCC (sigla da organização criminosa Primeiro Comando da Capital). Nada mais tenho a declarar”.
Atualização às 14h33 — O deputado federal Wladimir Garotinho, por meio da assessoria, emitiu posicionamento sobre a saída de Indio do partido por conta da sua filiação: “Acho estranho uma pessoa delatada por recebimento de 2,5 milhões de dólares em propina, para blindar alguém numa CPI, dizer que quer estar conectado às ruas. Além do mais, ele buscou apoio da família Garotinho nas eleições de 2016 e 2018. Acho que ele queria uma desculpa pra sair. De todo modo, lhe desejo sorte”.
Atualização às 14h50 — Indio nega qualquer tipo de conversa com o grupo político de Garotinho na última eleição, de 2018, mas admite que tentou diálogo na anterior. “Em 2018 não teve nenhuma conversa. Em 2016, eu tinha interesse no apoio do partido deles, por causa do tempo de televisão. O Garotinho não é do meu campo político e nunca foi. Nem quero que seja, porque ele pensa de um jeito e eu penso de outro”, afirmou.
Agora ex-presidente e fora dos quadros do PSD, ele não acredita que a legenda seja o caminho do pai de Wladimir: “Tem muita resistência ao Garotinho dentro do partido. Não foi uma entrada [de Wladimir] cujo o corpo partidário participou. Há muito constrangimento nesse sentido”.
Atualização às 16h50 — Apontado como um dos principais interlocutores da chegada de Wladimir ao PSD, o deputado federal Hugo Leal se limitou a dizer que a saída de Indio “foi uma decisão pessoal”, “comunicada diretamente a nacional do partido”, e que “não houve qualquer discussão interna em nenhum momento”. Com relação a uma possível aproximação do pai de Wladimir ao PSD, Hugo descarta: “Não existe essa previsão. O deputado Wladimir é um deputado federal eleito com uma trajetória própria e está construindo sua carreira política, com base no diálogo e boas relações”.
Ex-presidente do PSB estadual, Leal não descarta ocupar o posto no futuro no PSD. “Esta decisão caberá à direção nacional, assim como os demais deputados federais e estaduais do PSD, além do senador Arolde, estão à disposição para continuar construindo o futuro do partido”.
Comentar
Compartilhe
SJB com processo seletivo para cadastro de reserva na Educação
12/03/2019 | 18h11
A Prefeitura de São João da Barra está com um processo seletivo simplificado aberto para formação de cadastro de reserva, com possibilidade de contratação no programa “Educa-Ação”. O documento estava disponível desde o dia 27 de fevereiro. A seleção é organizada pela FunRio (Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência à Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a UniRio).
O quadro de vagas, para reserva, contempla as seguintes funções: Cuidador; Professor / Instrutor de Música; Educador de Oficinas Culturais; Auxiliar de Educação Infantil; Professor de Xadrez; Coordenador de equipe de Xadrez; Professor II (Monitor II); Professor Mediador; Auxiliar Administrativo Pedagógico; Professor (Monitor I); Professor Equipe Multidisciplinar; Professor e Intérprete de Libras; Professor e Tradutor de Braile e Supervisor de Projeto.
As inscrições acontecem até o dia 31 de março. O certame está organizado em quatro etapas. A primeira é de inscrição e currículo online. Na segunda, análise curricular de caráter seletivo e eliminatório. Já a terceira etapa é de entrevista diagnóstica de perfil profissional classificatório e eliminatório. A última etapa é de conferência/análise de documentos comprobatórios de caráter eliminatório.
Após a análise dos currículos, os candidatos classificados serão convocados para entrevista. A primeira lista seria chamada nesta terça-feira (12). Contudo, uma retificação foi publicada, alterando a data para sexta-feira (15).
Os salários (colocados como bolsa) vão de R$ 1.065 a R$ 3.800. Apesar de vagas para monitores, uma oportunidade para muitos jovens terem inicio no mercado de trabalho, é considerado obrigatório a experiência mínima de um ano.
Em tempo — Tem repercutido em SJB o fato de que não houve divulgação até o momento nos meios de comunicação da Prefeitura. No próprio edital do processo seletivo consta que “todas as informações oficiais referentes ao Processo de Seleção Simplificado (Cadastro de Reserva) regulamentado pelo presente Edital serão divulgadas no endereço eletrônico https://cadastroreserva.selecao.net.br/informacoes/1/, sendo este o único veículo de disseminação de informações relativo a este processo”.
Confira o edital completo, antes da primeira ratificação: 
  
Comentar
Compartilhe
Aluizio Siqueira volta, temporariamente, à presidência da Câmara de SJB
12/03/2019 | 12h25
Divulgação Câmara SJB
Atual vice-presidente da Câmara de São João da Barra, Aluizio Siqueira (PP), está no comando da Casa, como ficou nos últimos seis anos. Só que desta vez, o posto é temporário. Aluizio está no lugar do presidente da Câmara, Alex Firme (PP), solicitou, conforme orientação médica, uma licença de 15 dias devido a problema de saúde. Este tipo de licença está previsto no artigo 10, inciso I da Lei Orgânica e no artigo 51, inciso I e parágrafo 2º do Regimento Interno do Legislativo.
Os vereadores de São João da Barra aprovaram nesta terça-feira (12), dois requerimentos à Cedae – ambos do parlamentar Elísio Motos (PDT). No primeiro, o pedido é de extensão de rede de água potável para Rua Nova e, no outro, a reforma da caixa d'água (incluindo o muro) de Barcelos. Gersinho (SD) requereu à secretaria municipal de Saúde, a colocação de ambulância no posto de Palacete. Em conjunto, Aluizio , Ronaldo da Saúde (Pros) e Sônia Pereira (PT) requereram o retorno da ambulância para Atafona e um veículo para o CAPS do mesmo distrito. 
 
 
Por meio de indicação à Prefeitura, Gersinho pediu o retorno da “bolsa universitária”. Franquis Arêas (PR) pleiteou ao Executivo, a possibilidade de manter o “Cartão do servidor” nos períodos de férias e licença. Soninha indicou a urbanização do Porto do Graça e a reforma do ginásio de esportes (ambos na sede). Aluizio propôs drenagem e urbanização na Rua Hilda Moreira (Cajueiro) e a colocação de chuveiros nas cabeceiras das passarelas de acessibilidade na orla marítima do município. Três indicações foram aprovadas para Grussaí: construção de uma praça em frente à igreja de São Sebastião e calçamento das ruas do bairro Nova Grussaí, de autoria do vereador Eziel Pedro (MDB) e calçamento de ruas (Izabel Rosa da Silva e Amaro Pedro Viana), solicitado por Ronaldo.
Comentar
Compartilhe
SJB convoca dois concursados da Educação
08/03/2019 | 18h21
Como noticiado pelo blog (aqui), terminou nessa quinta-feira (7) a validade do concurso 01/2014, o da Educação, realizado na gestão do ex-prefeito Neco (MDB). No entanto, o Diário Oficial desta sexta-feira (8) trouxe a convocação de mais dois aprovados, após desistência de outros candidatos. Cabe salientar que as portarias publicadas nesta sexta são datadas de 7 de fevereiro. No dia 1º de março houve publicação do DO, mas, devido ao Carnaval, a nova publicação oficial só aconteceu nesta sexta.
Os convocados deverão se apresentar à secretaria de Administração na próxima segunda-feira (11), às 15h, com a documentação exigida na publicação oficial. As chamadas são para os cargos de Supervisor de Ensino (1) e Auxiliar de Creche (1).
Confira os convocados:
Comentar
Compartilhe
Justiça bloqueia bens do prefeito e do ex-secretário de Itaperuna
08/03/2019 | 14h09
Marcus Vinícios
Marcus Vinícios / Divulgação
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva — Núcleo Itaperuna, obteve na Justiça, na quinta-feira (07), liminar que decreta a indisponibilidade de bens do prefeito de Itaperuna, Dr. Marcus Vinicius (PR), do ex-secretário municipal de Meio Ambiente, Waldriano Terra, e da JL&M Incorporadora e Construtora Ltda.
O pedido consta de ação civil pública, ajuizada em 26 de fevereiro, por ato de improbidade administrativa, em função de contrato firmado entre a Prefeitura e a empresa, que, segundo o MP, teria causado prejuízo de R$ 16.434.000,70 ao erário municipal. O contrato, destinado à coleta de lixo, já soma a duração de dois anos, apesar de celebrado em caráter emergencial.
A Justiça deferiu ainda pedidos de busca e apreensão nos endereços dos denunciados, cumpridos na quinta (07), ocasião em que não foram localizados sete caminhões basculantes e uma retroescavadeira, conforme previsto no contrato. Também foi constatado menor número de funcionários empregados nas atividades coleta do lixo e varrição.
O MP aponta que o endereço da JL&M, empresa do ramo da construção civil, com sede em Brasília, na verdade pertence à revendedora de pneus Apollo Pneus e Rodas, de propriedade do pai do empresário Luiz Henrique Barbalho de Souza, sócio majoritário e administrador da JL&M.
O pagamento da Prefeitura à empresa também está suspenso, devendo ser feito depósito do valor acordado, por ora, em conta judicial. As investigações apontaram a “fabricação” ilícita de situação emergencial para, através de simulação de pesquisa de preço, celebrar contrato administrativo superfaturado e não executado conforme previsto por lei. Além disso, foram apontados vícios na motivação e no objeto do acordo.
Atualização às 22h10 — Em nota, o prefeito informa que “ainda não foi notificado. Sobre prejudicar a carreira dele, acreditamos que não, uma vez que a Justiça acata a denúncia para averiguação e o prefeito apresenta documentos provando sua inocência, como já ocorreu em outras denúncias. No meio político é normal oposição fazer denúncias a todo tempo e cabe a justiça analisar cada caso”. O blog não conseguiu contato com os demais citados.
Comentar
Compartilhe
Validade do concurso da Educação em SJB chega ao fim
07/03/2019 | 17h55
Termina nesta quinta-feira, 7 de março, a validade do concurso da Educação, 01/2014, realizado na gestão do ex-prefeito Neco (MDB). O certame, inicialmente, seria para 24 vagas distribuídas em 15 cargos públicos. Contudo, no último Diário Oficial do município, publicado no dia 1º de março, o cargo de Auxiliar de Creche chegou ao 101º aprovado, 100 a mais que o número previsto inicialmente no edital — devido à abertura de novas vagas, com aprovação da Câmara, desistências e exonerações a pedido. Os últimos convocados devem se apresentar à Prefeitura nesta sexta-feira (8). 
A última grande chamada de aprovados no concurso da Educação aconteceu no Diário Oficial do município do dia 22 de fevereiro. Na oportunidade, foram chamados candidatos aprovados para os cargos de Professor I – Português; Professor I - Educação Artística; Professor I – Inglês; Professor II - 1° ao 5° ano; Professor II - atendimento à Educação Especial; Professor II - Educação Infantil - Pré-Escola; Professor II - Educação Infantil — Creche; Auxiliar de Creche; Orientador Educacional e Supervisor de Ensino. No total, foram 33 vagas, criadas após o envio de projeto da prefeita Carla Machado (PP), logo aprovado pelo Legislativo.
No dia 27 de outubro de 2016, já derrotado nas eleições, Neco prorrogou por dois anos a validade dos concursos realizados em sua gestão. Desta forma, o da Educação expira nesta quinta-feira e o da Saúde, homologado em 2015, tem validade até o dia 10 de junho.
Depois desses dois concursos, entre 2014 e 2015, a Prefeitura de SJB não realizou outro certame. Um para fiscal chegou a ser aventado, inclusive com estimativas de vagas, mas a situação não prosperou.
Comentar
Compartilhe
Fim da folia em SJB. E como foi?
06/03/2019 | 17h38
O Carnaval chegou ao fim na terça-feira (5) para tristeza de muitos e felicidade de outros. São João da Barra mostrou que ainda pode ostentar o título que a Prefeitura tanto divulga, de ter a melhor folia do interior do Estado. Durante os dias de festa, ainda que sem um aviso prévio, o blog ficou sem nenhuma atualização. Agora, cabe um balanço dos principais destaques, que ganharam o noticiário regional.
A polêmica pré-carnavalesca com relação ao fim da festa todos os dias chegou a um consenso entre Prefeitura e Polícia Militar. O acordo foi cumprido e todos os dias o som foi desligado por volta das 3h — teve dia que passou um pouquinho, mas nada que chegasse até a madrugada. Aliás, a atuação da PM foi constante na folia. Até mesmo o atual comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar, Rodrigo Ibiapina, atuou nas ruas da sede durante o Carnaval.
E por falar em segurança, teve um caso que marcou: o assassinato de Wagner Pereira Gonçalves, de 26 anos, na praça São João Batista, atrás das arquibancadas, onde muitas famílias aguardavam para assistir aos desfiles das tradicionais escolas Chinês e Congos no domingo (3). Inclusive, uma pessoa chegou a ser baleada de raspão. A arquibancada fica de frente para o palanque das autoridades. Seria o que pode ser classificado como área mais nobre da avenida.
Nas redes sociais, tentaram, de forma muito equivocada, politizar o crime. Com respeito à família da vítima, o caso é de execução. Não foi uma confusão em que alguém sacou uma arma e atirou. O assassino tinha um alvo determinado e executou o crime. Em uma festa gigantesca como é o caso do Carnaval de SJB, não há como prever uma situação como essa. A prefeita Carla Machado (PP), de forma prudente, suspendeu a programação do domingo. O corpo foi retirado do local após um tempo e chegaram a noticiar que a vítima morreu na Santa Casa. Isso não procede. Quem estava ali sabe que o homem morreu na praça — e até funcionários do hospital, em off, afirmam que a vítima já chegou à unidade hospitalar morto.
Não tem como pegar um caso isolado como foi o de domingo para criticar a atuação da Prefeitura, policias Militar, Civil e Rodoviária, Guarda Civil Municipal e Segurança Privada. Soa até como mesquinharia uma atitude como essa. O que tem de acontecer, logo, é a elucidação do crime. E não há dúvidas que a delegada Madeleine Farias está empenhada nisso.
O Carnaval tem outros problemas. Um antigo, e que precisa de solução, é a questão dos atrasos das escolas de samba. Apesar de a concentração do Chinês ter sido marcada para as 21h no domingo, a escola foi entrar na avenida por volta da meia-noite. Por causa do crime, nem chegou a concluir a apresentação. É uma falta de respeito com o público. E enquanto não houver punição por parte da Prefeitura, casos como este continuarão a acontecer. Na terça-feira (5), foi a vez do Congos atrasar, mas muito menos que o Chinês na terça. Teve também escola nova na avenida, foi a estreia da Vila Imperial, na mesma segunda-feira (4) do tradicional bloco Os Indianos. Destaque positivo também para o Bloco dos Mascarados, que vem se consolidando como forte representante dos antigos carnavais, no sábado (2) da folia.
A prefeita Carla Machado já esteve à frente da Prefeitura durante 11 carnavais. O 12º será no ano de 2020. E apesar de todo empenho da secretaria de Turismo, atrasos das escolas de samba não foram os únicos problemas. A iluminação próxima ao palco e na praça de São João Batista não foi das melhores neste ano — no restante da avenida, tudo muito bem iluminado. E falta mais apoio para o Carnaval nas praias. Em Atafona, nem banheiro químico mandaram para o já tradicional Borracha Fraca. Uma multidão também participou do Bloco das Piranhas no Açu. Em Grussaí, a Boneca do Waldir arrastou muita gente. Aliás, a matéria da Prefeitura falava da Boneca e do Bloco do Gordo. Com todo respeito ao bloco, muito elogiado pela organização, quem merece todo crédito pela multidão é a Boneca do Waldir.
Acertos precisam ser feitos, muita coisa precisa melhorar, mas São João da Barra ainda oferece, sem dúvidas, a melhor festa na região. Até mesmo por isso, atrai cada vez mais gente. E talvez esteja na hora até de a Prefeitura pensar toda logística do evento, não deixando o público todo concentrado na Joaquim Thomaz de Aquino Filho.
Comentar
Compartilhe
Alerj vai investigar Enel no Norte e Noroeste Fluminense
01/03/2019 | 14h31
A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a concessionária de energia elétrica Enel Distribuidora. Responsável pelo serviço em 66 municípios fluminenses – incluindo 100% do Norte e do Noroeste – a empresa vem sendo alvo de inúmeras reclamações quanto ao serviço prestado e ao preço da conta de luz. O deputado estadual Bruno Dauaire (PRP) será o responsável por conduzir a apuração na região e afirma que vai cobrar soluções para a população.
— Vale lembrar que a Enel, antiga Ampla, atua em uma concessão do Estado, então precisa esclarecer sobre todos os problemas e oferecer um serviço de excelência à população. Apesar do valor alto da conta, que acaba pesando no bolso do consumidor e das nossas indústrias, vemos que as reclamações não param de aumentar", disse o deputado.
Proposta pela deputada Rosângela Zeidan (PT) — que será a presidente —, a CPI vai ter seu trabalho regionalizado, uma vez que a concessionária também atua nas regiões Serrana, dos Lagos, Metropolitana e Sul Fluminense, abrangendo 2,15 milhões de pessoas, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Além de Zeidan e Bruno, também irão fazer parte da comissão os deputados Jair Bittencourt (PP), Max Lemos (MDB), Gustavo Schmidt (PSL), Monica Francisco (Psol), André Silva (DEM) e Jorge Felipe Neto (PSD).
Na última semana, Bruno Dauaire recebeu em seu gabinete uma comissão de vereadores de Campos, formada por Eduardo Crespo (PR), Renatinho do Eldorado (PTC), Josiane Morumbi (PRP) e Cabo Alonsimar (PTC), que pedem a apuração sobre um aumento na conta de energia elétrica em janeiro no município.
Além do preço, as reclamações também são sobre o serviço prestado pela Enel. No final do ano passado, São João da Barra sofreu com dois apagões em um espaço de apenas um mês. O último, no dia 20 de dezembro, deixou a população no escuro por mais de quatro horas em pleno período de alta temporada. “São João da Barra sempre sofreu com a falta de luz no período do verão, principalmente nas praias, o que acaba prejudicando a economia local e afastando turistas. Também temos relatos de problemas em Itaperuna e outras cidades. Vamos apurar, ouvir a empresa e também cobrar investimentos na região”, finalizou Bruno.
Comentar
Compartilhe