Justiça Eleitoral na UFF: denúncia e apreensão
29/09/2018 | 13h51
A Justiça Eleitoral realizou no último dia 13, no campus da Universidade Federal Fluminense (UFF) de Campos, uma ação de fiscalização, inclusive com a presença do chefe da fiscalização eleitoral na comarca, juiz Ralph Manhães, após o recebimento de denúncia anônima: 
 
 
Como o blog Opiniões, de Aluysio Abreu Barbosa, informou (aqui), desde a primeira ação de fiscalização o conflito se avolumou, com novas ações da Justiça Eleitoral, além das reações. No centro da polêmica o limite imposto pela legislação eleitoral e o direito à livre manifestação.
A primeira denúncia que chegou ao TRE foi confirmada. Abaixo, o relatório da equipe de fiscalização que esteve na universidade no dia 13:
Comentar
Compartilhe
MP realiza operação contra a exploração sexual de mulheres em SJB
28/09/2018 | 18h22
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de São João da Barra, com o apoio Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça (GAP), deflagrou uma operação para combate à exploração sexual de mulheres em São João da Barra, nessa quinta-feira (27).
Como resultado, foi cumprido mandado de busca e apreensão em uma suposta casa de prostituição,  localizada no trevo que liga São João da Barra a Grussaí — “Boate Dia e Noite” — sendo presas em flagrante quatro pessoas que, segundo o MP, seriam responsáveis pela exploração sexual e pela manutenção da casa de prostituição.
Ao todo, 17 pessoas foram levadas para a 145ª DP, entre elas a gerente do estabelecimento e algumas garotas de programa.
Segundo confirmado, o local contava com quartos para a realização dos programas, sendo apreendidos no local preservativos, cadernos de contabilidade, máquina de cartão de crédito, celulares e drogas.
Em depoimentos prestados em sede policial, foi confirmado que uma parte do valor dos programas era repassada para os exploradores do esquema criminoso, podendo chegar até 50% da quantia cobrada do “cliente”.
As investigações terão prosseguimento para apurar o possível envolvimento de outros agentes que possam ter ligação com tal atividade criminosa em toda a Comarca.
Fonte: Ascom/MP
Comentar
Compartilhe
Lewandowski autoriza Folha de S. Paulo a entrevistar Lula na prisão
28/09/2018 | 11h41
Ex-presidente Lula
Ex-presidente Lula / Diomarcelo Pessanha
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na prisão.
Lula está preso em Curitiba desde 7 de abril após ser condenado em segundo instância na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá.
O despacho é desta sexta-feira (28) em uma reclamação feita pelo jornal, que argumentou ao STF que uma decisão da 12ª Vara Federal em Curitiba que negou a permissão para a entrevista impôs censura à atividade jornalística e mitigou a liberdade de expressão, em afronta a decisão anterior do Supremo.
Ainda não foi divulgada a data da entrevista.
 
 
Comentar
Compartilhe
STJ nega suspender condenação de Garotinho que o enquadrou na Ficha Limpa
27/09/2018 | 19h24
O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gurgel de Faria indeferiu nesta quinta-feira (27) um pedido para atribuir efeito suspensivo ao recurso especial (ainda não admitido na origem) do ex-governador Anthony Garotinho (PRP) contra acórdão de segunda instância que, em ação por improbidade administrativa, condenou-o à suspensão dos direitos políticos. Garotinho pretendia disputar a eleição para o governo do Rio de Janeiro, mas teve o registro negado por unanimidade pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também nesta quinta.
O ex-governador e outros réus foram condenados por improbidade pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) em virtude de supostas fraudes ocorridas na Secretaria de Saúde do estado entre 2005 e 2006, época em que Garotinho ocupava o cargo de secretário. Além da suspensão dos direitos políticos por oito anos, o tribunal fluminense também condenou solidariamente Garotinho a ressarcir os cofres públicos em mais de R$ 234 milhões.
O ministro Gurgel de Faria destacou que não se vislumbra, no caso, a elevada probabilidade de êxito do recurso interposto, já que a condenação foi fundamentada após extensa análise das provas colhidas nos autos. Essa probabilidade de êxito seria um dos pressupostos para a suspensão dos efeitos da condenação até o julgamento do recurso, mas, segundo o ministro, a pretensão da defesa exigiria o reexame das provas do processo, o que não é admitido em recurso especial.
“Desse modo, forçoso convir que as questões levadas a deslinde foram decididas com esteio no suporte fático-probatório e, por essa razão, a desconstituição de tais posições, sobretudo no tocante à materialidade da conduta tida como ímproba, levaria necessariamente à reavaliação de toda a estrutura probatória trazida aos autos, desiderato que não se coaduna com a via especial eleita”, afirmou.
Comentar
Compartilhe
Ação que pedia cassação de Carla Machado e Alexandre é negada e arquivada
27/09/2018 | 17h19
Está arquivado o único processo originado no pleito de 2016 que pedia a cassação da atual prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), e do seu vice, Alexandre Rosa (PRB). O processo foi movido após denúncia do ex-vereador Zezinho Camarão, antigo adversário político de ambos. Após negativas do juízo local e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) foi arquivada na 37ª Zona Eleitoral nessa quarta-feira (26).
Camarão sustentava que a prefeita e o vice, enquanto candidatos, utilizaram sinal de rádio “pirata” para divulgar suas passeatas e comícios. O argumento foi negado pelo juízo local e depois de superados os embargos de declaração, o assunto subiu para o TRE. A Corte também rejeitou as alegações e o processou parou, sem seguir para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Comentar
Compartilhe
Garotinho está inelegível e fora da disputa ao Governo do Rio, decide TSE
27/09/2018 | 11h06
Divulgação
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por unanimidade, na manhã desta quinta-feira (27), que o ex-governador Anthony Garotinho (PRP) está inelegível e fora da disputa ao Governo do Rio de Janeiro. Garotinho foi considerado inelegível pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no dia 6 de setembro, mas conseguiu uma liminar 10 dias depois, do ministro Og Fernandes, que lhe garantiu o direito de continuar com atos de campanha. Nesta quinta, no julgamento do mérito, o ministro relator Og Fernandes negou provimento ao recurso, suspendendo os efeitos da liminar para manter a inelegibilidade e determinar a imediata suspensão dos atos de campanha, inclusive a proibição do repasse de novos recursos do fundo eleitoral.   
Cabe ainda recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas ele só volta a participar do processo eleitoral se obtiver uma decisão liminar favorável. Porém, a mera apresentação do recurso, não garante a participação do candidato nas eleições.
Causas da inelegibilidade — O ex-governador foi condenado à suspensão dos direitos políticos por órgão colegiado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro por ato de improbidade administrativa que lesou o patrimônio público e promoveu o enriquecimento ilícito de terceiro, com desvio de R$ 234 milhões da Saúde, durante a gestão Rosinha Garotinho (Patri) no Palácio Guanabara. Em outro processo, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) aplicou a Garotinho pena de reclusão e pagamento de multa por calúnia contra um juiz federal em seu blog. A decisão já transitou em julgado.
Também no TRF-2, o político da Lapa foi condenado, recentemente, pelo crime de formação de quadrilha armada no processo resultante da Operação Segurança Pública S/A. A pena de Garotinho é de quatro anos e seis meses de prisão, em regime semiaberto, que poderá começar a ser cumprida após o julgamento dos embargos no próprio TRF-2. A Procuradoria-Geral Eleitoral queria incluir essa condenação no pedido de inelegibilidade, mas o pedido foi negado pelo  relator.
No blog Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro informou nessa quarta-feira (26) que, condenado, Garotinho não pode votar neste ano (aqui). No blog Opiniões, Aluysio Abreu Barbosa antecipou (aqui) que o TSE decidiria o julgamento do registro de Garotinho. Na Curva do Rio, Suzy acompanhou o julgamento da Corte em empo real (aqui).  
 
 
Comentar
Compartilhe
Ibope repete seis pontos de vantagem de Bolsonaro sobre Haddad
26/09/2018 | 14h39
O Ibope divulgou mais uma pesquisa de intenção de voto para presidente nesta quarta-feira (26). O levantamento foi encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa ouviu 2 mil eleitores em 126 municípios entre sábado (22) e segunda-feira (24). Os números apontam similaridade com os divulgados pelo próprio Ibope na segunda (aqui), em sondagem encomendada pelo Estadão e a TV Globo. Como na anterior, a vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) para Fernando Haddad é de seis pontos percentuais. Bolsonaro tem 27% (ante 28% na pesquisa de segunda), enquanto Haddad tem 21% (22% na anterior). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.
O pedetista Ciro Gomes oscilou positivamente em um ponto percentual e agora registra 12%. Geraldo Alckmin (PSDB) manteve os 8%. Marina Silva (Rede) oscilou positivamente e chega a 6%.
João Amoêdo (Novo) registrou 3%, seguido por Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB), ambos com 2%. Guilherme Boulos (Psol) aparece com 1%. Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.Os indecisos oscilaram de 6% para 7% e os brancos ou nulos, de 12% para 11%. Todos as ocorreram dentro da margem de erro.
Rejeição — Líder nas pesquisas, Bolsonaro também está na ponta no quesito rejeição. O candidato do PSL bate 44% no índice negativo. Na sequência aparecem Haddad, com 27%; Marina (27%); Alckmin (19%); Ciro (16%); Cabo Daciolo (11%), Meirelles (11%); Eymael (10%); Alvaro Dias (9%); Boulos (9%); Vera Lúcia (9%); Amoêdo (8%); Goulart Filho (7%). Poderia votar em todos somam 2%. Não sabe/não respondeu, 7%.
Segundo turno — O Ibope simulou quatro cenários do segundo turno, todos com Bolsonaro. No limite da margem de erro, mas atrás numericamente, o ex-capitão do Exército está tecnicamente empatado com Haddad e Alckmin. Já com Marina, é Bolsonaro que está numericamente à frente, mas em empate técnico. Ciro Gomes é o único do pelotão da frente que bate Bolsonaro com certa folga Confira os números: 
- Haddad 42% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 16%; não sabe: 4%)
 
 
- Ciro 44% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)
- Alckmin 40% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)
- Bolsonaro 40% x 38% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 3%)
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob a inscrição BR-04669/2018.
Comentar
Compartilhe
Petrobras aposta em tecnologia e parcerias estratégicas para extensão da vida útil da Bacia de Campos
25/09/2018 | 15h53

O futuro da Bacia de Campos continua na pauta de especialistas do setor. No primeiro dia da feira bianual Rio Oil&Gas, no Riocentro (RJ), nessa segunda-feira (24), representantes da Petrobras destacaram a importância e os projetos na região, que ainda responde por cerca de 50% da produção de petróleo e gás no país. Recentemente, a Petrobras adquiriu 12 novos blocos em áreas exploratórias na Bacia de Campos.
— Podemos falar com muita tranquilidade que a Bacia de Campos está longe de ser esgotada. Temos a missão de construir esses próximos 40 anos. O conhecimento geológico que temos possibilita descobertas relevantes, mesmo numa bacia madura. As tecnologias avançadas que temos contribuem para o aumento do fator de recuperação e, além disso, estamos trabalhando em parcerias estratégicas para que isso possa acontecer — ressaltou Vaney Cunha, gerente de segurança, meio ambiente e saúde da Bacia de Campos. “Para esse novo capítulo da história, podemos destacar aqui como conquistas a descoberta dos reservatórios de Forno, em Albacora, Brava, em Marlim, Tracajá, em Marlim Leste, Poraquê Alto, em Marlim Sul, e Carimbé, em Caratinga”, complementou.
Cunha também lembrou da extensão das concessões de Marlim e Voador, Marlim Sul e Marlim Leste até 2052 e comentou que há outras em negociação positiva com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Raio-x da Bacia de Campos:
- área de 100 mil km quadrados (equivalente a mais do que a soma dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo);
- produção acumulada de quase 13 bilhões de barris de óleo equivalente;
- 53 unidades de produção;
- mais de 800 árvores de natal molhadas instaladas;
- mais de 700 poços em operação;
- quase 15 mil km de dutos submarinos (quase 3,5 vezes a distância entre o Oiapoque e o Chuí ou aproximadamente 3 vezes a distância entre as cidades de Nova York e São Francisco);
- ampla infraestrutura: operação de 6 aeroportos para transportar 12 mil trabalhadores por mês até unidades de operação, unidades de perfuração e embarcações de apoio; portos de Açu e Imbetiba; e as UTGs (Unidade de Tratamento de Gás Natural) de Cacimbas (em Linhares, no norte capixaba), Sul (em Anchieta, no ES também), e Cabiúnas (em Macaé, no RJ).
Comentar
Compartilhe
Prumo assina acordo de cooperação com o Porto de Houston
24/09/2018 | 20h25
A Prumo Logística, empresa que opera e desenvolve o Porto do Açu, em São João da Barra, assinou nesta segunda-feira (24) um acordo de cooperação com o Porto de Houston (EUA). A parceria visa estabelecer um parâmetro de referência para troca de conhecimentos e boas práticas. De acordo com Prumo, “novas empresas vão resultar desta sinergia a partir de 2019”.
O acordo foi assinado no estande do Poto do Açu no Rio Petróleo & Gás 2018 por José Magella (CEO do Grupo Prumo), Tadeu Fraga (CEO do Porto do Açu Operações), João Cuttino (representante do Porto de Houston no Brasil), Marcio Felix (secretário executivo do ministério das Minas e da Energia) , Décio Oddone (presidente da Agência Nacional de Petróleo — ANP), Jorge Camargo (presidente do Rio Petróleo & Gás), e Camille Richardson (oficial comercial do consulado-Geral dos Estados Unidos no Brasil).
Comentar
Compartilhe
Ibope: Bolsonaro estaciona em 28%; Haddad sobe para 22%
24/09/2018 | 18h54
A pouco menos de duas semanas das eleições 2018, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, parou de crescer e se manteve com 28% das intenções de voto. Seu principal adversário, Fernando Haddad (PT), subiu três pontos porcentuais e chegou a 22%. Os dados são do Ibope, em pesquisa encomendada pelo Estadão e a TV Globo, divulgada nesta segunda-feira (24). Desde a semana passada, o candidato do PSL vem sofrendo ataques dos adversários, principalmente da campanha do tucano Geraldo Alckmin.
Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro passou a perder para todos os adversários, com exceção de Marina Silva (Rede), com quem empata.
Desde o dia 11 de setembro, data em que Haddad foi oficializado como candidato do PT, a vantagem de Bolsonaro sobre ele caiu de 18 pontos porcentuais para 6. O petista é agora o único presidenciável que apresenta tendência de alta em toda a série de cinco pesquisas Ibope divulgadas desde 20 de agosto.
Além de se aproximar do líder, Haddad ampliou a vantagem sobre o terceiro colocado, Ciro Gomes (PDT), de 8 para 11 pontos porcentuais. Ciro tem 11% das preferências, mesma taxa da pesquisa anterior do Ibope, divulgada na última terça-feira (18).
O tucano Geraldo Alckmin oscilou um ponto para cima, de 7% para 8%. Marina passou de 6% para 5%, mantendo a trajetória de queda iniciada no início do mês, quando chegou a ter 12%.
João Amoêdo (Novo) tem 3%, seguido por Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB), ambos com 2%. Guilherme Boulos (Psol) tem 1%. Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram. Votos brancos e nulos somam 12%, enquanto 6% não sabem em quem votar ou não responderam à pesquisa.
Rejeição — A rejeição a Bolsonaro passou de 42% para 46% em uma semana. Depois de uma trégua e aumento de visibilidade causadas pela facada de que foi vítima, em 6 de setembro, o candidato do PSL voltou recentemente a ser atacado por adversários, tanto em eventos de campanha quanto em peças de propaganda eleitoral. 
A seguir no ranking da rejeição – parcela do eleitorado que diz não votar no candidato de jeito nenhum – aparecem Haddad (30%), Marina (25%), Alckmin (20%) e Ciro (18%).
O Ibope foi às ruas entre os dias 22 e 23 de setembro. Foram entrevistadas 2.506 pessoas em 178 municípios. A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que há 95% de chance de os resultados refletirem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi contratada pelo Estado e pela TV Globo. O registro no Tribunal Superior Eleitoral foi feito sob o protocolo BR06630/2018.
Simulações de segundo turno
Haddad 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)
Ciro 46% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)
Alckmin 41% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 4%)
Bolsonaro 39% x 39% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 4%)
Fonte: Estadão/G1
Comentar
Compartilhe
Candidatos só podem ser presos, a partir deste sábado, em flagrante
22/09/2018 | 00h41
Prisões só em flagrante
Os candidatos a cargos eletivos neste ano não podem mais ser preso, com exceção dos casos em flagrante. O impedimento está previsto na legislação eleitoral e veda prisões nos 15 dias anteriores à eleição. A proibição se estende para as 48 horas seguintes à votação. O objetivo das proibições, previstas no Código Eleitoral, é garantir ao máximo o direito de voto e de participação nas eleições. A possibilidade de prisão de eleitores também fica restringida no período eleitoral, mas o prazo é diferente: são cinco dias antes do pleito.
Garotinho sem risco
Condenado à prisão no regime semiaberto pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), o ex-governador e candidato ao mesmo cargo, Anthony Garotinho (PRP) poderia ter a prisão decretada no curso da campanha, caso os embargos de declaração fossem analisados — o que ainda não ocorreu. Para evitar o risco, o político campista até tentou um habeas corpus preventivo no Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas o pedido foi negado. Agora, com o amparo da legislação eleitoral, segundo advogados, mesmo se os embargos forem analisados pelo TRF-2 e a prisão decretada, ela não pode ser executada até a realização do primeiro turno.
Expectativa em campo
As condições são as melhores possíveis para o Americano, que encara o Audax hoje, às 15h, em Cardoso Moreira, para voltar à elite do futebol estadual. Como venceu o jogo de ida pela semifinal da Série B1, o Alvinegro pode até perder por um gol de diferença que estará na disputa da Série A em 2019. Caso a vantagem construída no primeiro jogo seja confirmada, Campos voltará a contar com dois clubes na elite, já que o rival do Glorioso, o Goytacaz, também está na Série A. Isso não acontecia desde 1992. É uma pena que as duas equipes ainda tenham de passar por uma seletiva, conforme prevê o esdrúxulo regulamento da Federação de Futebol do Estado (Ferj).
Há 30 anos
Em 22 de setembro de 1988, 30 anos atrás, a Assembleia Nacional Constituinte aprovava a redação final do texto da atual Constituição. Popularmente conhecida como Constituição Cidadã, foi concebida durante o período de redemocratização do Brasil, após um longo e duro regime militar. Instalada em 1º de fevereiro de 1987, a Constituinte entregou o Projeto de Constituição em 24 de novembro do mesmo ano. Só em 2 de setembro de 1988 o presidente da Assembleia, Ulysses Guimarães, discursou comemorando o encerramento das votações. A aprovação da redação final se deu em 22 de setembro e a Constituição Cidadã foi promulgada em 5 de outubro do mesmo ano.
Positivo
Puxado pelo setor de serviços, o emprego formal registrou crescimento de 0,29% em agosto, fechando o mês com um saldo positivo de 110,4 mil novas vagas. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho, houve no mês passado pouco mais de 1,353 milhão de admissões, contra 1,243 milhão de desligamentos em todo o país. Este é o oitavo mês consecutivo em que o número de novos contratos de trabalho supera as demissões.
Alerta
O Hemocentro Regional de Campos reforça sua campanha para doação de sangue. A unidade está com o estoque baixo para atender sua demanda e faz um alerta para que as pessoas ajudem a salvar vidas. O Hemocentro funciona todos os dias no Hospital Ferreira Machado (HFM). Além disso, a unidade conta com seu ônibus de coleta móvel que hoje estará no Cepop, das 8h às 14h, durante o 4º Moto Campos.
Tolerância
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), sancionou ontem a Lei 8.113, que cria o Estatuto Estadual da Liberdade Religiosa. O texto destaca que todo cidadão tem o direito de seguir e manifestar seus credos e doutrinas – exceto quando violar os direitos humanos – e ressalta que o poder público estadual é laico. Demorou quase 10 anos para que o estatuto fosse sancionado, agora resta saber como será colocado em prática, de fato.
*Com o jornalista Mário Sérgio
Publicado na edição deste sábado (22) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Prefeituras da região recebem royalties nesta sexta
21/09/2018 | 01h03
As prefeituras dos municípios produtores de petróleo recebem nesta sexta-feira (21), conforme previsão da Agência Nacional de Petróleo (ANP),  mais um repasse de royalties. Campos e São João da Barra registram leve queda quando os valores são comparados ao mês passado, mas o crescimento é expressivo se a base de cálculo for o mesmo período do ano anterior. Ficou para a Prefeitura de Macaé, mais uma vez, a maior fatia dos royalties.
O repasse para Campos é de R$ 41,6 milhões. Já o município de SJB vai receber R$ 10,2 milhões.
Mais informações na edição desta sexta-feira da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Justiça determina realocação de idosos para reforma no Asilo do Carmo
20/09/2018 | 10h31
Asilo do Carmo
Asilo do Carmo / Rodrigo Silveira
Em ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) em Campos dos Goytacazes (RJ), a Justiça Federal concedeu liminar determinando que o Iphan aplique a verba de R$ 1,5 milhão, prevista no orçamento 2018, na execução da restauração da estrutura edificada do Solar Santo Antônio. Além disso, o Iphan ficará impedido de devolver o montante, eventualmente ainda não aplicado, à União ao final do exercício financeiro, sob pena de multa de R$ 10 mil ao responsável pelo Departamento de Planejamento e Administração (DPA), o que permitirá a finalização das obras no ano seguinte, se necessário.
Além disso, na liminar, o município de Campos dos Goytacazes, em conjunto com a Associação Mantenedora do Asilo Nossa Senhora do Carmo, deverá promover, em até dois meses, o realojamento dos idosos abrigados no Asilo do Carmo, que funciona no Solar Santo Antônio. Em caso de descumprimento, é prevista a aplicação de multa de R$ 1 mil, até o limite de R$ 10 mil, ao prefeito e à presidente da Associação Mantenedora do Asilo Nossa Senhora do Carmo. Além disso, o município deverá promover imediatamente ações de monitoramento da estrutura edificada do casarão e de combate aos vetores no imóvel tombado, como animais e insetos aptos à transmissão de doenças.
Confira a liminar:
Entenda o caso — No começo deste ano, após comunicação do Iphan de que havia sido aprovada dotação orçamentária para a restauração do casarão, o MPF abriu o procedimento nº 1.30.002.000090/2018-61 para acompanhar o processo de licitação e execução da obra de restauração da estrutura edificada do Solar Santo Antônio, conhecido como “Asilo do Carmo”. Na investigação, foi constatado que o Solar de Santo Antônio está em avançado estado de degradação, inclusive com risco de perda iminente do imóvel. No local, funciona ainda o Asilo do Carmo, com atendimento atual de 59 idosos.
De acordo com informações do Iphan, é necessária, para a obra, a realocação dos idosos, por um período de cinco meses, a partir do início das obras, prazo este que teria sido objetado pelo município e pela Associação em reunião realizada em maio deste ano. “Como se observa, a omissão na remoção e instalação dos idosos em outro local já representou entrave ao início das obras em outra oportunidade. Após a devolução dos recursos previstos para a efetivação dos reparos no orçamento de 2014, seguiram-se quatro anos sem que o processo de deterioração fosse debelado, com o progressivo abalo na estrutura e condições de higiene do prédio urbano”, relata a decisão liminar.
Fonte: MPF
Comentar
Compartilhe
Datafolha: Paes lidera com Romário e Garotinho tecnicamente empatados
20/09/2018 | 00h40
O instituto Datafolha também divulgou nesta quinta-feira (20) a terceira pesquisa de intenção de votos para o Governo do Estado. Eduardo Paes (DEM) lidera, com 22%, seguido por Romário (Pode) e Anthony Garotinho (PRP). O ex-governador, assim como no Ibope, também é o primeiro colocado na rejeição. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.
- Eduardo Paes (DEM): 22%
- Romário Faria (Podemos): 14%
- Anthony Garotinho (PRP): 12%
- Indio da Costa (PSD): 7%
- Tarcísio Motta (PSOL): 6%
- Wilson Witzel (PSC): 4%
- Marcia Tiburi (PT): 3%
- Pedro Fernandes (PDT): 2%
- André Monteiro (PRTB): 1%
- Dayse Oliveira (PSTU): 1%
- Marcelo Trindade (Novo): 1%
- Luiz Eugenio (PCO): 0%
- Brancos/nulos: 20%
- Não sabe/Não respondeu: 7%
Confira os números da rejeição:
- Anthony Garotinho: 41%
- Eduardo Paes: 34%
- Romário Faria: 29%
- Indio: 20%
- Marcia Tiburi: 20%
- Tarcísio Motta: 16%
- Pedro Fernandes: 13%
- André Monteiro: 11%
- Dayse Oliveira: 11%
- Marcelo Trindade: 11%
- Luiz Eugenio: 10%
- Wilson Witzel: 9%
- Rejeita todos/ não votaria em nenhum: 8%
- Votaria em qualquer um/ não rejeita nenhum: 2%
- Não sabe: 5%
O Datafolha também apresentou cenários para o segundo turno:
- Paes 38% e 32% Romário (branco/nulo: 27%; não sabe: 2%)
- Paes 43% x 25% Garotinho (branco/nulo: 31%; não sabe: 1%)
- Romário 39% x 26% Garotinho (branco/nulo: 32%; não sabe: 2%)
Foram ouvidos 1.358 eleitores em 35 cidades, entre os dias 18 e 19 de setembro. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob a inscrição RJ 04258/2018.
Fonte: G1
Comentar
Compartilhe
Datafolha: Bolsonaro tem 28%, Haddad com 16%, tecnicamente empatado com Ciro
20/09/2018 | 00h07
O Datafolha divulgou nesta quinta-feira (20) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. Foram ouvidos 8.601 eleitores na terça-feira (18) e na quarta-feira (19). Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança com 28%, crescimento de dois pontos percentuais com relação à sondagem anterior do mesmo instituto. Fernando Haddad (PT) subiu de 9% para 16%. Ciro Gomes (PDT) aparece com 13%, em empate técnico com o petista, já que a margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais. É a primeira pesquisa desta semana que volta a colocar Ciro em empate técnico com Haddad.
Os demais candidatos registram os seguintes resultados:
- Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
- Marina Silva (Rede): 7%
- João Amoêdo (Novo): 3%
- Alvaro Dias (Podemos): 3%
- Henrique Meirelles (MDB): 2%
- Vera Lúcia (PSTU): 1%
- Guilherme Boulos (PSOL): 1%
- Cabo Daciolo (Patriota): 0%
- João Goulart Filho (PPL): 0%
- Eymael (DC): 0%
- Branco/nulos: 12%
- Não sabe/não respondeu: 5%
Rejeição
O Instituto também perguntou: "Em quais desses candidatos... você não votaria de jeito nenhum no primeiro turno da eleição para presidente deste ano?"
Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%. Os resultados foram:
- Bolsonaro: 43%
- Marina: 32%
- Haddad: 29%
- Alckmin: 24%
- Ciro: 22%
- Vera: 19%
- Cabo Daciolo: 19%
- Boulos: 18%
- Eymael: 17%
- Meirelles: 17%
- João Goulart Filho: 15%
- Alvaro Dias: 15%
- Amoêdo: 15%
- Rejeita todos/não votaria em nenhum: 4%
- Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%
- Não sabe: 5%
O levantamento também mediu os seguintes cenários de segundo turno:
- Bolsonaro 42% x 41% Marina (branco/nulo: 16%; não sabe: 2%)
- Ciro 41% x 34% Alckmin (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)
- Alckmin 40% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)
- Alckmin 39% x 36% Marina (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)
- Ciro 45% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 14%; não sabe: 2%)
- Alckmin 39% x 35% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 3%)
- Haddad 41% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 2%)
- Ciro 45% x 31% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)
- Marina 37% x 37% Haddad (branco/nulo: 24%; não sabe: 2%)
- Ciro 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a inscrição: BR-06919/2018.
Com informações do G1
Comentar
Compartilhe
Procuradoria vai ao TSE por inelegibilidade de Garotinho em três condenações
19/09/2018 | 21h28
Ministro do TSE suspendeu limitações na campanha, mas Garotinho tem nova contestação
Ministro do TSE suspendeu limitações na campanha, mas Garotinho tem nova contestação / Folha da Manhã
O vice-procurador-geral Eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para reverter liminar que suspendeu a inelegibilidade de Anthony Garotinho (PRP). No início deste mês, a partir de impugnação proposta pelo Ministério Público Eleitoral no Rio de Janeiro, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indeferiu, por unanimidade, o registro da candidatura de Anthony Garotinho ao governo do estado. A defesa do político apresentou recurso ao TSE e o ministro Og Fernandes reverteu a decisão anterior, liberando Garotinho para disputar as eleições. O assunto também foi divulgado pelo jornalista Aldir Sales, no blog De Fato
No documento, o vice-PGE destaca que há três causas relativas a Garotinho que configuram a inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa. Uma delas é a condenação em segunda instância por crimes específicos. O ex-governador foi condenado à suspensão dos direitos políticos por órgão colegiado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ/RJ) por ato de improbidade administrativa que lesou o patrimônio público e promoveu o enriquecimento ilícito de terceiro. Em outro processo, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) aplicou a Garotinho pena de reclusão e pagamento de multa por calúnia contra funcionário público. A decisão já transitou em julgado. Em outro processo julgado pelo TRF2 o político foi condenado, recentemente, pelo crime de formação de quadrilha armada.
Outro ponto abordado no recurso é relativo à possibilidade de Garotinho concorrer às eleições sub judice. O entendimento do vice-PGE é o de que o registro do ex-governador não tem mais esse aspecto, uma vez que já existe decisão colegiada “proferida por tribunal competente com escorreita aplicação da lei de inelegibilidade”. Nesse sentido, Humberto Jacques pede para que o TSE afaste a condição de sub judice da candidatura, determinando imediatamente a suspensão dos repasses de recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) ou de qualquer dinheiro de origem pública para financiar a campanha. Além disso, solicita que sejam suspensas as aparições de Garotinho na propaganda eleitoral no rádio e na TV, com determinação de retirada de seu nome da programação da urna eletrônica.
Parecer – O vice-PGE também encaminhou manifestação ao TSE relativa a outro recurso apresentado pela defesa do político que questionou, especificamente, a condenação definida pelo TJRJ por improbidade administrativa. Os advogados sustentam que, para que seja caracterizada a inelegibilidade por ato de improbidade, deve estar presente o dano ao erário e o enriquecimento ilícito, o que não seria o caso de Garotinho, que foi condenado por enriquecimento ilícito de terceiro. Para a defesa, a condenação seria incapaz de afastar a inelegibilidade.
Humberto Jacques reforçou que o MP Eleitoral, em sucessivas manifestações, tem reafirmado que, para determinar a inelegibilidade nesse caso, basta a demonstração de prejuízo ao erário ou de enriquecimento ilícito. Ele reconhece, no entanto, que a interpretação da Lei da Inelegibilidade (Lei 64/1990), que prevê os dois elementos, ainda não foi consolidada e deve ser analisada pelo TSE com urgência. “O tema em questão é capaz de influenciar diretamente as eleições vindouras. Com vistas à preservação da segurança jurídica e à integridade do Direito, urge que esse Tribunal Superior Eleitoral, como órgão de cúpula da Justiça especializada, venha a manifestar-se novamente sobre tema de inegável relevância”, ponderou o vice-procurador-geral Eleitoral.
Com informações da Ascom/PGE
Comentar
Compartilhe
Ibope: Paes e Romário em empate técnico; Garotinho estagnado em 12%
19/09/2018 | 19h16
A mais recente pesquisa Ibope para o governo do Estado do Rio de Janeiro, divulgada nesta quarta-feira (19), aponta o candidato Eduardo Paes (DEM) na liderança, com 24%. Ele oscilou positivamente em um ponto percentual, comparado ao levantamento anterior do mesmo instituto na semana passada. Em seguida aparece o senador Romário (Podemos), com 18% — oscilando negativamente em dois pontos em relação à sondagem anterior. Anthony Garotinho (PRP) manteve os 12%, também em empate técnico, no limite da margem, com Romário. 
Abaixo dos três primeiros, há uma série de candidatos também em empate técnico. Tarcísio Motta (PSOL) oscilou de 5% para 4%, mesmo número de Indio da Costa (PSD), que repetiu sua marca da pesquisa anterior. Pedro Fernandes (PDT), Márcia Tiburi (PT) e Wilson Witzel (PSC) marcaram 2%. Com 1%, aparecem Marcelo Trindade (Novo), André Monteiro (PRTB), Dayse Oliveira (PSTU) e Luiz Eugênio Honorato (PCO).
Brancos e nulos somaram 20%, mesmo índice do levantamento anterior. E 8% não souberam ou quiseram responder.
Segundo turno — O Ibope fez três simulações de segundo turno. Novamente, Paes e Romário aparecem em empate técnico no limite da margem. O ex-prefeito do Rio tem 37% das intenções de voto, contra 31% para o ex-jogador. Foram 29% os que responderam pretender anular ou votar em branco, e 4% não responderam.
No cenário contra Garotinho, Paes seria vencedor com boa margem. O candidato do DEM marcou 41%, contra 24% de Garotinho. Nesta simulação, os brancos e nulos somariam 32% e 3% não responderam.
O Ibope testou ainda um segundo turno entre Romário e Garotinho. O candidato do Podemos lidera, com 38%, contra 25% de intenções para Garotinho. Seriam 33% os que votariam branco e nulo e 4% não responderam.
Rejeição — O Ibope também mediu a rejeição. Garotinho foi o mais citado, com rejeição de 48%. Abaixo dele, aparece Paes, rejeitado por 31%. Romário tem a terceira maior rejeição, com 22%, seguido de Indio da Costa (16%), Tarcísio Motta (13%) e Márcia Tiburi (11%).
Com informações do jornal Extra
Comentar
Compartilhe
SFI tem novo vereador empossado
19/09/2018 | 17h36
Mazinho da Banda deve participar da sessão desta quinta-feira
Mazinho da Banda deve participar da sessão desta quinta-feira / Divulgação
O presidente da Câmara de São Francisco de Itabapoana, José Pinto de Souza Filho, o Pintinho (Pros), deu posse nessa terça-feira (18) ao primeiro suplente da coligação “Por Amor a São Francisco”, Mazinho da Banda (SD). Ele assume a cadeira no lugar de Jarédio Azevedo (SD), afastado do cargo por 180 dias por decisão judicial. O parlamentar afastado é acusado de compra de votos nas eleições de 2016 e falsidade de documentos.
Mazinho teve 377 votos no último pleito e já deve participar da sessão do Legislativo sanfranciscano nesta quinta-feira (20). Jarédio recorre ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para derrubar, liminarmente, a decisão do juízo local.
Comentar
Compartilhe
Candidatos ao governo do Rio em debate nesta quarta
19/09/2018 | 13h42
Convidados são os mesmos que participaram do debate na Band no dia 16 de agosto
Convidados são os mesmos que participaram do debate na Band no dia 16 de agosto / Reprodução
Candidatos ao governo do Rio de Janeiro participam nesta quarta-feira (19) de mais um debate, desta vez realizado pela parceria entre Folha de São Paulo, UOL e SBT, nos estúdios da emissora, na zona norte carioca. Retransmitido pelos três veículos, o debate começa às 17h45.
Conforme legislação eleitoral, foram convidados os oito candidatos dos partidos que possuem no mínimo cinco parlamentares no Congresso Nacional: Anthony Garotinho (PRP), Eduardo Paes (DEM), Indio da Costa (PSD), Marcia Tiburi (PT), Pedro Fernandes (PDT), Tarcísio Motta (PSOL), Romário Faria (Podemos) e Wilson Witzel (PSC).
O debate contará com três blocos com perguntas entre candidatos, em dois deles, e de jornalistas da Folha, do UOL e do SBT. A mediação será feita pela jornalista Isabele Benito, do SBT.
Com informações do UOL
Comentar
Compartilhe
Porto do Açu em destaque na Rio Oil&Gas 2018
19/09/2018 | 13h10
A Porto do Açu Operações estará presente na Rio Oil&Gas 2018, o maior evento de óleo e gás da América Latina, que acontecerá de 24 a 27 de setembro, no centro de convenções Riocentro, no Rio de Janeiro. A empresa do Grupo Prumo, em parceria com o Porto de Antuérpia, é a responsável pelo desenvolvimento e administração do Complexo do Açu e receberá os visitantes da feira no estande I-43 (Pavilhão 4). No espaço, será possível conhecer os principais diferenciais do Açu, o maior complexo portuário, industrial e energético brasileiro. Por meio de ferramentas interativas e audiovisuais, os visitantes poderão navegar por todas as áreas do Porto do Açu e conhecer as empresas já instaladas no complexo.
Em operação desde 2014, o empreendimento foi desenvolvido atendendo ao conceito one-stop-shop, visando se consolidar como principal polo provedor de soluções integradas para o setor de óleo e gás no país.
Com localização privilegiada em relação às principais bacias produtoras offshore, o Açu se apresenta como excelente alternativa para a instalação e operação de empresas do setor de óleo e gás, com uma infraestrutura diferenciada e um ambiente comprometido com a segurança, a eficiência a integridade e o desenvolvimento sustentável.
O CEO da Porto do Açu Operações, Tadeu Fraga, ressalta que as oportunidades de negócios no empreendimento vão além do setor offshore. “Além das atividades voltadas para o provimento de equipamentos e de serviços para a indústria de óleo e gás, inclusive no apoio logístico offshore, o complexo também se constitui numa importante alternativa para o escoamento do petróleo e do gás natural produzidos, e na transformação destes em energia e em produtos de maior valor agregado”, afirmou Fraga.
O Complexo do Açu, que tem 130 km² de área, sendo 40 km² de reserva ambiental, conta hoje com 11 empresas em operação, algumas líderes em seus setores: Porto do Açu, Açu Petróleo, BP Prumo, B-Port (empresa do Grupo Edison Chouest), InterMoor, NOV, TechnipFMC, Wartsila, Ferroport, Anglo American e Dome.
Fonte: Ascom/Prumo
Comentar
Compartilhe
Em Campos, presidente do Flamengo garante permanência de Barbieri
19/09/2018 | 11h17
Presidente do Flamengo esteve em Campos para campanha, mas também foi questionado sobre futebol
Presidente do Flamengo esteve em Campos para campanha, mas também foi questionado sobre futebol / Foto: Antônio Leudo
 
Candidato a deputado federal pelo Rede, Eduardo Bandeira de Mello fez campanha em Campos e na região nessa terça-feira (18). O presidente do Flamengo falou com orgulho sobre os ajustes que fez nas finanças do clube. Também comentou, ao ser questionado, sobre o futuro do técnico Maurício Barbieri, após o desempenho apático do time nas últimas partidas e a pressão que ronda a Gávea. Ele garantiu a permanência do treinador:
— O time perde, não joga bem, e tem gente que acha que o técnico deve sair. Não é assim. Treinador só sai quando perde as condições de fazer o seu trabalho. E acredito que esse não é o caso.
Comentar
Compartilhe
Ibope confirma polarização entre Bolsonaro e Haddad no primeiro turno
18/09/2018 | 21h00
O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 28% a corrida presidencial, segundo o mais recente levantamento do Ibope, divulgado na noite desta terça-feira (18), no Jornal Nacional. Fernando Haddad (PT) aparece isolado em segundo, com 19%. A sondagem confirma a tendência de polarização entre os dois candidatos, que vem ficando mais clara desde a semana passada. No cenário de segundo turno, os dois empatam com 40%.
Ciro Gomes (PDT) segue com 11%, mantendo distância do pelotão de liderança. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 7%; Marina Silva (Rede) aparece com 6%. Na sequência, Alvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB) aparecem com 2%. Cabo Daciolo (Patriota) tem 1%. 
Vera Lúcia (PSTU), Guilherme Boulos (Psol), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não alcançaram 1%. Brancos e nulos somam 14%. Já 7% dos entrevistados não sabem em quem votar ou não respondeu.
A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 177 municípios, entre os dias 16 e 18 de setembro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a inscrição BR-09678/2018. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.
Comparação com o levantamento anterior do Ibope, divulgado na terça passada(11):
- Bolsonaro oscilou positivamente dois pontos, indo de 26% para 28%;
- Haddad cresceu 11 pontos percentuais, passando de 8% para 19%;
-Ciro manteve os mesmos 11%; 
- Alckmin oscilou negativamente, de 9% para 7%;
- Marina foi de 9% para 6%;
- Os indecisos se mantiveram em 7% e os brancos ou nulos caíram de 19% para 14%.
Rejeição
O Instituto também perguntou: "Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?". Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%. Os resultados foram:
Bolsonaro — 42%
 
 
Haddad — 29%
Marina — 26%
Alckmin — 20%
Ciro — 19%
Meirelles — 12%
Cabo Daciolo — 11%
Eymael — 11%
Boulos — 10%
Alvaro Dias — 10%
Vera — 9%
Amoêdo — 9%
João Goulart Filho — 8%
Poderia votar em todos — 2%
Não sabe/não respondeu — 9%.
Simulações de segundo turno:
Haddad 40% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 5%);
Ciro 40% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 6%);
Bolsonaro 41% x 36% Marina (branco/nulo: 18%; não sabe: 5%).
Com informações do G1
Comentar
Compartilhe
MP Eleitoral pede que TRE reafirme suspensão dos direitos políticos de Garotinho
17/09/2018 | 17h37
Divulgação
Em manifestação ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Rio de Janeiro defendeu a suspensão dos direitos políticos do candidato a governador Anthony Garotinho (PRP). Ele teve seus direitos políticos suspensos em março por condenação do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) em processo por calúnia contra um juiz federal em seu blog (não cabe mais recurso contra essa decisão). Além de se manifestar no processo do registro da candidatura, a PRE encaminhou à Procuradoria-Geral Eleitoral, em Brasília, um ofício com as argumentações já submetidas à análise do TRE. Nesse domingo (16), o ministro Og Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), concedeu uma liminar que suspendeu a decisão que indeferiu registro de Garotinho até julgamento da mais alta Corte eleitoral.
No parecer protocolado nesta segunda-feira (17), a PRE discordou do recurso do candidato contra a execução da condenação definitiva. Além dessa suspensão, Garotinho foi punido com dois anos e oito meses de reclusão — pena já convertida em restrições de direitos como a prestação de serviço comunitário.
Condenação no TJ — Em maio deste ano, a 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJ) condenou Garotinho por ato doloso de improbidade administrativa com dano ao erário e enriquecimento ilícito de terceiros, tendo em vista o desvio de recursos públicos do projeto "Saúde em Movimento" no montante de R$ 234.354.400,00. Garotinho foi incluído no livro de condenados e essa condenação foi argumentada pelo MP Eleitoral para impugnar a candidatura do ex-governador.
Formação de quadrilha — No parecer, a PRE relatou ainda ao TRE que, embora o réu esteja ciente de sua condenação mais recente no TRF-2 por formação de quadrilha armada no processo resultante da Operação Segurança Pública S/A, o oficial de justiça tem tido dificuldades de localizá-lo, apesar de ter comparecido quatro vezes em sua residência e deixado seus contatos com empregado do próprio Garotinho e o porteiro do condomínio. Nesse caso, a execução penal definitiva tramita na 9ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.
A PRE mencionou súmula do TSE que indica que, nos processos de registro de candidatura, o juiz eleitoral pode admitir automaticamente a existência das causas de inelegibilidade e falta de condições de elegibilidade, resguardados os princípios do contraditório e da ampla defesa.
Fonte: Ascom/PRE
Comentar
Compartilhe
'Você não merece pagar pelos meus erros', diz Cabral em carta ao filho
17/09/2018 | 16h40
A Folha da Manhã trouxe neste domingo (16) uma matéria (aqui) sobre os filhos de políticos que defendem seus clãs no pleito deste ano — muitos deles com os patriarcas enrolados com a Justiça. Um dos citados foi Marco Antônio Cabral (MDB), deputado federal e candidato à reeleição. Ele é filho do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), preso e condenado a mais de 170 anos pela Lava Jato (além de responder a outros processos oriundos da mesma operação). Nesta segunda-feira (17), Marco Antônio publicou em seu Facebook uma carta recebida do pai. Nela, Cabral pede desculpas pelos erros e diz que o filho não merece pagar por aquilo que não fez.
Confira a carta abaixo:
Comentar
Compartilhe
Filhos de políticos e a defesa dos clãs nas urnas em 2018
17/09/2018 | 16h19
“Tal pai, tal filho”. Quem nunca ouviu essa expressão na vida? E quem não concorda que ao menos em algumas peculiaridades ela é verdadeira? Os filhos não são espelhos fieis de seus pais, mas refletem, sim, algumas de suas características, buscam suas inspirações: inclusive na vida profissional. Não é de se estranhar que filhos de políticos, então, sejam também políticos profissionais. E no Rio de Janeiro, no pleito deste ano, eles estão aí, defendendo seus clãs, ainda que os patriarcas tenham vários problemas na Justiça, estejam ou já estiveram na prisão recentemente. O que as urnas, no dia 7 de outubro, vão dizer aos filhos da política?
Para o cientista político George Gomes Coutinho, existe uma tradição na política moderna da figura que é conhecida como um político profissional. “São grupos que se dedicam diretamente a prática da política. Nesse campo não há uma grande diferença entre o empresário, o empreendedor do setor privado e o político. O cara tem um objetivo, então ele monta um aparato para atingir aquela meta”, avalia.
Apesar de todas as peculiaridades brasileiras, George analisa que a manutenção de clãs políticos não é uma exclusividade das terras tupiniquins. “Não é algo incomum, não é uma jabuticaba brasileira. Faz parte do métier”, disse Coutinho, exemplificando com famílias tradicionais da política estadunidense, como Kennedy (Partido Democrata) e Bush (Partido Republicano).
Confira a matéria completa, publicada na edição deste domingo (16), na Folha da Manhã, no Folha 1. Abaixo, alguns dos clãs na política fluminense:
 
 
Comentar
Compartilhe
Mais um nome de SJB na disputa eleitoral deste ano: agora são seis
17/09/2018 | 10h44
Na última semana (aqui), o blog fez um levantamento dos candidatos com registro eleitoral para deputado estadual e federal que contam com domicílio eleitoral em São João da Barra. Na oportunidade, foram apurados cinco nomes: Amelinha (PRB), Bruno Dauaire (PRP), Dominguinhos Abreu (SD) e Mazinho do Rádio (DC), candidatos a estadual; e Fernanda Queiroz (Psol), a federal. No fim do post, uma mensagem pedia para que entrassem em contato caso houvesse mais algum. E tem: Gleyson Silva (PMB), candidato a deputado estadual, como mostra o registro no DivulgaCand:
Então, no pleito de 2018, são seis candidatos que votam em SJB:
 
 
Em tempo — Conhece outro candidato com registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que tenha domicílio eleitoral em SJB? Se sim, nos informe que o post será atualizado.
Comentar
Compartilhe
Ministro suspende decisão que indeferiu registro de Garotinho até julgamento do TSE
16/09/2018 | 20h03
O ministro Og Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu, na noite deste domingo (16), a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que havia negado o registro de candidatura de Anthony Garotinho (PRP) a governador do Estado. Desta forma, até que o recurso do registro seja julgado pelo TSE, Garotinho garante que seu nome apareça na urna eletrônica no pleito deste ano. 
 
 
O Ministério Público Eleitoral (MPE) contestou a candidatura, com base numa condenação do Tribunal de Justiça de desvios de R$ 234,4 milhões na saúde em 2005 e 2006, quando ele era secretário. O indeferimento, conforme decidiu o TRE por unanimidade,não foi por causa da condenação do início do mês, em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), por formação de quadrilha.
Vale destacar que a decisão do TSE não muda em nada a condenação pelo TRF-2. Nesse caso, inclusive, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou um habeas corpus preventivo, o que pode resultar na prisão do ex-governador após o julgamento dos embargos no próprio TRF-2.
Entrevistado na última segunda-feira (10) pelo RJTV, da TV Globo, Garotinho afirmou: “Tenho certeza que TSE fará justiça, eu não sou ladrão, não sou ficha suja e o povo do Rio de Janeiro me conhece”. Contestado pela apresentadora, pelo fato de o TSE já ter negado recursos a pretensos candidatos na mesma situação que ele, o político da Lapa rebateu: “Veremos!”.
Mesmo com o registro negado pelo TRE, Garotinho continuou suas atividades de campanha normalmente. 
 
 
Comentar
Compartilhe
Haddad ameaça Ciro no Datafolha; em Campos, Marcão e Wladimir duelam na rede
15/09/2018 | 00h26
Datafolha aponta ascensão
A semana de pesquisas presidenciais terminou, nessa sexta-feira (14), confirmando as tendências que o mesmo Datafolha apontou na segunda-feira (10): Jair Bolsonaro (PSL) cresceu após o atentado a faca em Juiz de Fora; Fernando Haddad também, depois de o PT defini-lo como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Preso desde abril, condenado em segunda instância na Lava Jato, Lula foi barrado na Ficha Limpa. Apesar disso, liderava as intenções de voto. Não era possível aferir se conseguiria, da prisão, transferir ao seu “ungido”. Haddad, que patinava em 4% antes de ser lançado oficialmente, começou a semana com 9% e termina com 13%. 
Números consolidados
Bolsonaro fecha a semana no Datafolha com 26%, crescendo positivamente na margem de erro do mesmo instituto com relação à sondagem de segunda. O presidenciável do PSL teve resultados parecidos no Ibope (26%) e Paraná (26,6%). Outros dados semelhantes nas quatro principais pesquisas da semana são relativos a Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede). O tucano estagnou na casa dos 9%, depois de ter batido 10% na Datafolha de segunda. Já a ex-senadora desidrata. Perdeu de vez a segunda colocação nos cenários sem Lula que vinha sustentando desde o período pré-eleitoral.
Ainda na briga
Com relação a Ciro Gomes (PDT), todos os institutos apontaram que sua candidatura ganhou força quando oficializada a saída de Lula da disputa. Mas, apesar da tendência, as sondagens também apontam uma correlação do crescimento de Haddad à estagnação de pedetista. Consolidado em segundo pelo Datafolha na segunda, com 13%, Ciro também teve bom desempenho no Ibope (11%) e Paraná (12%), sempre em segundo. Na mais recente Datafolha, a de ontem, manteve-se no mesmo patamar, o que é um alerta quando comparado ao franco crescimento, acima da margem de erro, do candidato do PT. 
Potencial
E o empate entre Ciro e Haddad na última Datafolha nem é o primeiro sinal de alerta para a campanha do pedetista. Na qualitativa do mesmo instituto, divulgada segunda-feira, Ciro é um dos candidatos a presidente mais conhecidos (85% afirmam que o conhece). Já para Haddad, o percentual é de 65%. Nesses 35% que não o conhecem, o ex-prefeito de São Paulo pode conquistar voto. Sobretudo na conjuntura de que quem ainda não o conhecia também pode não saber que ele é o indicado de Lula. E se for assim, as pesquisas da próxima semana — Ibope na terça-feira (18); e Datafolha na quinta (20) — já devem demonstrar.
Caim e Abel
Com o potencial de crescimento de Haddad e o empate na Datafolha, é certo que Ciro vai partir para cima de Haddad, e vice-versa. O percentual de Bolsonaro, no cenário atual, coloca o candidato do PSL no segundo turno. A outra vaga é, pelo que as pesquisas mostram, de Ciro ou Haddad. Eles disputam o mesmo eleitor e, por certo, um tentará desconstruir o outro. E não há outro caminho. É um confronto entre Caim e Abel que, como o Ponto Final anteviu (aqui) na última terça-feira, as sondagens anteriores sinalizavam que poderia acontecer.
Embate...
A disputa por votos, que se vê nas ruas, acabou resvalando para as redes sociais, no caso dos candidatos a deputado federal Marcão Gomes (PR) e Wladimir Garotinho (PRP). A polêmica começou com o vídeo de um homem, que seria parente da esposa do presidente da Câmara, e que teria declarado apoio a Wladimir. O caso chegou ao TRE, mas foi negado o pedido para que o vídeo fosse removido. Ontem, Marcão negou que a pessoa fosse seu parente. “Mas, mesmo que fosse, não teria problema o fato de um parente meu ter intenção de votar em outro candidato, porque o voto é livre. Isso não seria vergonhoso”, disse na postagem.
...nas redes
Marcão acrescentou: “Vergonha eu teria caso algum parente meu fosse um criminoso condenado, que ‘esperneia’ para tentar se manter livre e no poder. O povo de Campos e de todo Estado do RJ necessita de política pautada em idéias”. Wladimir rebateu: “Tenho orgulho dos pais que eu tenho, da história de vida e de luta deles. Luta essa que muitas vezes fez com que pagassem um preço alto por colocarem o dedo na ferida de algumas organizações”. Finalizou, falando de problemas do governo municipal. Enquanto Marcão contra-atacou: “O que fez a irmã, deputada federal? Querem se vingar do prefeito e prejudicam a população”.
*Com a jornalista Suzy Monteiro
Publicado na edição deste sábado (15) da Folha da Manhã 
 
 
 
 
Comentar
Compartilhe
Processo contra Neco por apropriação indébita perto do desfecho
14/09/2018 | 16h28
Denunciado pelo Ministério Público (MP) do Estado do Rio de Janeiro em março deste ano por nove crimes de apropriação indébita referente à contribuição previdenciária dos servidores municipais, o ex-prefeito José Amaro Martins de Souza, o Neco (MDB), é réu e o processo está próximo do desfecho em primeira instância. A audiência aconteceu no último dia 5 de setembro. Agora, correm os prazos para manifestação do MP e alegações finais da defesa, antes da sentença.
A denúncia do MP aponta que no período de abril a dezembro de 2016 a gestão Neco recolheu do servidor a contribuição previdenciária, no montante de 11% dos proventos mensais, mas não repassou ao SJBPrev, fundo municipal de previdência criado na gestão do emedebista.
Na audiência, foram colhidos depoimentos do próprio Neco, da atual prefeita, Carla Machado (PP), do atual secretário de Fazenda, Allan Barcelos, do atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Luiz Paulo Madureira (que chegou a presidir o SJB Prev), e do advogado Geraldo Beyruth, aposentado da Prefeitura e membro do conselho de administração do SJBPrev. “Ainda em 2016, como membro do conselho, eu ficava muito preocupado com a situação do SJBPrev. Ele (o ex-prefeito) falava sempre que a dificuldade era grande. Mas, uma vez que descontava do servidor, esse dinheiro não era mais da Prefeitura”, contou Geraldo.
Quando a denúncia foi apresentada, Neco fez uma postagem em sua rede social afirmando: “Tudo isso irá passar e a minha defesa mostrará a verdade para todos”. O crime imputado ao ex-prefeito tem pena prevista de dois a cinco anos de prisão para cada uma das denúncias.
Comentar
Compartilhe
Cinco nomes de SJB com candidaturas registradas neste ano
13/09/2018 | 17h06
A corrida pré-eleitoral foi agitada em São João da Barra. Muitos nomes se colocaram no páreo, afirmaram que seriam candidatos de qualquer jeito, mas perderam força no meio do caminho. No fim das contas, com pedido de registro eleitoral são cinco nomes com domicílio eleitoral em SJB: quatro candidatos que pleiteiam cadeiras na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e uma na busca de vaga na Câmara dos Deputados.
Na disputa à Alerj constam os nomes de Amelinha (PRB), Bruno Dauaire (PRP), Dominguinho (SD) e Mazinho da Rádio (DC). Os quatro registros constam no DivulgaCand:
Atualização às 10h46, de 17 de setembro — Mais um candidato com domicílio eleitoral em SJB foi localizado, como mostra o blog aqui. Gleyson Silva (PRB) é candidato a deputado estadual, como mostra o registro do DivulgaCand:
Já para a Câmara dos deputados, o único nome com domicílio eleitoral sanjoanense é o de Fernanda Queiroz (Psol):
Ao blog, além de Bruno, que busca a reeleição, o ex-vereador Kaká (Avante), o jornalista Bruno Costa, o empresário Guto Gomes chegaram a especular candidaturas. Então presidente do PRP, Mayck Lalanga também garantiu que seu partido teria um nome sanjoanense no páreo.
Já para deputado federal, além de Fernanda, Kaká chegou a especular uma candidatura, além do ex-vice-prefeito e ex-vereador Chico da Quixaba.
Em tempo — Conhece outro candidato com registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que tenha domicílio eleitoral em SJB? Se sim, nos informe que o post será atualizado.
Comentar
Compartilhe
Presidente da Câmara de SJB recomenda votos nada ideológicos
12/09/2018 | 16h20
Tem gente parecendo querer surfar na onda do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que vive sua melhor fase nas pesquisas depois que o ex-presidente Lula (PT) foi barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na lei da Ficha Limpa, além da natural comoção após o atentado em Juiz de Fora.
Na reta final de seu terceiro biênio como presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PP) usou seu perfil no Facebook. O que é muito natural nesse período. O que chama atenção é a configuração, nada ideológica, da chapa proposta. Vai de candidata a deputada estadual pelo PT, passa por nomes do DEM e chega até o PSL de Bolsonaro ( e vale destacar aqui que o pedido de Aluizio foi antes do atentado ao presidenciável).
Só o tempo vai mostrar se a tática trará resultados políticos. Agora, o que se encara são águas revoltas no oceano de comentários das redes sociais por parte de quem não entende, e com certa razão, pedido de votos para o PT e o PSL ao mesmo tempo.
O assunto foi abordado na coluna Ponto Final (aqui) desta quarta-feira (12) da Folha da Manhã.
Em tempo — Isso é só mais uma prova que no Brasil não se vota por alinhamento partidário, mas em candidatos. Serve também para corroborar com o discurso de que passou da hora de reduzir as legendas, muitas delas de aluguel, no país.
O espaço fica aberto ao presidente da Câmara sanjoanense, Aluizio Siqueira, caso queira se manifestar.
Comentar
Compartilhe
Paraná Pesquisas: Bolsonaro tem 27%; Ciro, Marina, Alckmin e Haddad em empate técnico
12/09/2018 | 12h14
O candidato Jair Bolsonaro (PSL) alcançou a marca de 26,6% das intenções de votos para a Presidência da República, mostra uma pesquisa publicada nesta quarta-feira (12) pelo instituto Paraná Pesquisas. A sondagem confirma a tendência que Ibope e Datafolha apontaram nesta semana para o primeiro turno, com o presidenciável do PSL em crescimento, seguido por outros quatro candidatos tecnicamente empatados.
Ciro Gomes (PDT) aparece em segundo com 11,9%, Marina Silva (REDE) em terceiro com 10,6%. Geraldo Alckmin (PSDB) está na quarta colocação com 8,7% e está colado a Fernado Haddad (PT), que tem 8,3% das preferências.
Na sequência, aparecem Álvaro Dias (PODE) com 3,7%, João Amoêdo (Novo, 3,3%) e Henrique Meirelles (MDB, 2,4%).
A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a inscrição BR 02410/2018, foi realizada com 2.010 eleitores por meio de entrevistas pessoais em 167 municípios, de 26 estados e no Distrito Federal, entre os dias 07 e 11 de setembro, após o atentado a faca contra Bolsonaro. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
O instituto não divulgou simulações de cenários do segundo turno.
Comentar
Compartilhe
SJB convoca 58 aprovados no concurso da Saúde
11/09/2018 | 11h10
Ascom- SJB
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), convocou, no Diário Oficial desta terça-feira (11), 58 aprovados no último concurso da Saúde, realizado em março de 2015, com validade até 10 de junho do próximo ano. Todos deverão se apresentar à secretaria de Administração, nesta quarta-feira (12), com os documentos previstos em edital.
Os convocados são para o cargo de Enfermeiro (1); Enfermeiro – Auditor (1); Enfermeiro – Socorrista 2ª a 6ª (3); Farmacêutico (7); Médico – Socorrista sábado e domingo (2); Terapeuta ocupacional (1); Médico – Psiquiatra (4); Medico – Psicólogo (9); Técnico em Enfermagem (23); e Técnico em Enfermagem – Trabalho (1).
Dos 58 aprovados, 10 já trabalham no município por decisão da Justiça.
A convocação ocorre 11 dias após a prefeita convocar (aqui) aprovados para a área da Educação. No último dia 21, a Câmara (aqui) aprovou a autorização da convocação de 87 novos concursados nos dois concursos vigentes do município.
Confira a relação de classificados:
 
 
Comentar
Compartilhe
Datafolha: Bolsonaro cresce 2% após atentado; Ciro, Marina, Alckmin e Haddad em empate técnico
10/09/2018 | 21h06
O Datafolha divulgou nesta segunda-feira (10) uma nova pesquisa de intenção de voto para presidente da República. É o primeiro levantamento do instituto desde que o Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e depois do atentado sofrido pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Lula está preso em Curitiba, condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O Datafolha pesquisou o cenário em que o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT, aparece como possível substituto de Lula na chapa.
O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Os números:
Jair Bolsonaro (PSL): 24%
Ciro Gomes (PDT): 13%
Marina Silva (Rede): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 10%
Fernando Haddad (PT): 9%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
João Amoêdo (Novo): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 3%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Vera (PSTU): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 15%
Não sabe/não respondeu: 7%
Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado em 21 de agosto:
Jair Bolsonaro oscilou, dentro da margem de erro, de 22% para 24% (com a margem de erro, tem de 22% a 26%); Ciro Gomes (PDT) tinha 10%, agora tem 13% (pela margem de erro, de 11% a 15%); Marina Silva estava com 16%, agora caiu para 11% (com a margem de erro, tem de 9% a 13%); Geraldo Alckmin tinha 9%, agora, 10% (com a margem de erro, de 8% a 12%); Ciro, Marina e Alckmin estão tecnicamente empatados. Fernando Haddad tinha 4%, agora cresceu para 9% (com a margem de erro, de 7% a 11%). Fernando Haddad também está tecnicamente empatado, no limite da margem de erro, com Ciro, Marina e Alckmin.
Álvaro Dias tinha 4%, agora tem 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);
João Amoêdo tinha 2%, agora, 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);
Henrique Meirelles também tinha 2%, agora 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%). Os três estão empatados.
Guilherme Boulos, Vera Lúcia e Cabo Daciolo tinham 1% cada um e mantiveram 1% (com a margem de erro, têm de 0% a 3%);
João Goulart Filho tinha 1%, agora, 0% (com a margem de erro, tem de 0% a 2%);
Votos brancos e nulos somavam 22%, agora, 15%.
Não responderam ou não quiseram opinar eram 6%, agora, 7%.
Rejeição
O Datafolha também mediu a taxa de rejeição (o eleitor responde em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices:
Bolsonaro: 43%
Marina: 29%
Alckmin: 24%
Haddad: 22%
Ciro: 20%
Cabo Daciolo: 19%
Vera: 19%
Eymael: 18%
Boulos: 17%
Meirelles: 17%
João Goulart Filho: 15%
Amoêdo: 15%
Alvaro Dias: 14%
Rejeita todos/não votaria em nenhum: 5%
Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%
Não sabe: 6%
Em relação à pesquisa anterior, a variação da taxa de rejeição foi a seguinte: Bolsonaro, de 39% para 43%; Marina, de 25% para 29%; Ciro, de 23% para 20%; Alckmin, de 26% para 24%; Haddad, de 21% para 22%.
Simulações de segundo turno
Marina 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe: 2%)
Ciro 39% x 35% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 3%)
Alckmin 43% x 34% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)
Marina 38% x 37% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)
Ciro 45% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)
Alckmin 43% x 29% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)
Haddad 39% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)
Ciro 41% x 35% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)
Marina 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)
Sobre a pesquisa
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 2.804 eleitores em 197 municípios
Quando a pesquisa foi feita: 10 de setembro
Registro no TSE: BR 02376/2018
Nível de confiança: 95%
Contratantes da pesquisa: TV Globo e Folha de S.Paulo
Fonte: G1
Comentar
Compartilhe
Bolsonaro terá de fazer nova cirurgia de grande porte
10/09/2018 | 11h03
O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) terá que passar por uma nova cirurgia de grande porte para reconstruir o trânsito intestinal e retirar bolsa de colostomia, informou o boletim médico divulgado na manhã desta segunda-feira (10) pelo Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Atingido por uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora, na quinta-feira (6), o candidato segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
A colostomia foi feita em função de lesões graves do intestino grosso e delgado. Ainda de acordo com o comunicado, o estado do presidenciável "ainda é grave", mas sem sinais de infecção.
Bolsonaro permanece também com sonda gástrica aberta e em paralisia intestinal, que ocorre habitualmente depois de grandes cirurgias e traumas abdominais.
A rotina de Bolsonaro inclui sessões de fisioterapia respiratória e motora e ele se alimenta por via endovenosa.
Fonte: O Globo
Comentar
Compartilhe
Feriadão violento em semana de sangue na campanha presidencial e definições no RJ
09/09/2018 | 12h52
Violência sem fim
Campos, infelizmente, continuará a figurar entre as cidades mais violentas do mundo. E o que aconteceu neste feriadão justifica isso. A capa de sábado da Folha da Manhã destacou o 160º homicídio do ano na cidade. Poucas horas depois do fechamento da edição, nada menos que quatro homicídios foram registrados no município. Foram cinco mortes em dois dias. A média de mais de um morto por dia neste mês na principal cidade da região. É preciso que as forças de segurança tomem uma atitude. A única ação efetiva no município por parte da intervenção federal na segurança do Rio parece ter sido apenas para inglês ver.
Sem sinal da intervenção
Depois de quase seis meses, a intervenção federal na segurança do Rio chegou a Campos, efetivamente, com uma operação realizada no dia 9 de agosto em Guarus, área de conflito do município. A delegacia que atende ao subdistrito está entre as que registram mais homicídios no estado, e isso parece passar despercebido às autoridades. Com direito a 800 homens da PM, Bombeiros, PRF, PF e Exército, além de três carros blindados (um caveirão do Bope, tipo Urutu, e dois tanques modelo Guarani), a ação não teve grande resultado efetivo. E, pelo visto, não deixou nenhum recado à criminalidade, que continua atuando fortemente no município.
No cenário nacional
Além dos casos recorrentes de violência registrados no próprio município, Campos ainda foi parar no noticiário nacional devido a um táxi que saiu de São Paulo para a planície entre segunda e terça, mas o motorista foi encontrado morto em Rio Bonito e o veículo abandonado em Ibitioca. Neste caso, a integração policial de três estados foi eficaz para já ter identificado e prendido os suspeitos do crime.
Tem jeito?
E por falar em violência, ficará para a história o atentado ao candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), durante ato de campanha em Juiz de Fora na última quinta. Ele levou uma facada, passou por cirurgia e se recupera no Albert Einstein, em São Paulo. Com um discurso forte e muitas vezes classificado como odioso, Bolsonaro pediu para baixar o tom da campanha. Mas não demorou muito para aparecer nas redes sociais, hospitalizado, e fazendo sinal de arma. Pedir uma coisa e se comportar de outra forma será que resolve?
Semana tensa
A semana passada também não foi das melhores para o ex-governador Anthony Garotinho (PRP). Condenado à prisão em regime semiaberto pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) por formação de quadrilha, o político da Lapa teve seu registro de candidatura negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) devido à outra condenação, por desvios na saúde enquanto secretário da esposa Rosinha (Patri) quando ela foi governadora. A campanha continua, sub judice, mas a última pesquisa Datafolha, divulgada na quinta-feira, mostrou que ele perdeu força. É uma corrida contra o tempo, tanto na política, como na Justiça.
Gestão
Gestores da Educação Profissional e Tecnológica do Brasil e de diversos países estarão reunidos durante a 42ª Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec), que será organizada e sediada pelo Instituto Federal Fluminense (IFF), de 10 a 14 de setembro de 2018, em Búzios. A abertura do evento contará com a presença do ministro substituto da Educação, Henrique Sartori de Almeida Prado, e o secretário de Estado de Educação, Wagner Victer, representando o governador Luiz Fernando Pezão (MDB).
Lazer e economia
O primeiro final de semana do 6º Festival de Petiscos de Farol de São Thomé tem movimentado a praia campista. Além de ser uma opção de lazer para famílias, o evento também tem mostrado ser uma boa oportunidade para movimentar a economia local. O festival foi iniciado nesta quinta e segue neste domingo, voltando no próximo final de semana, com petiscos a R$ 15 cada e apresentações musicais gratuitas na estrutura montada na orla, próximo à Marinha.
*Com o jornalista Mário Sérgio
Comentar
Compartilhe
Em recuperação, Bolsonaro pede para baixar o tom da campanha
08/09/2018 | 14h06
Ainda internado, o candidato Jair Bolsonaro aparece sentado pela primeira vez depois de ataque em Juiz de Fora
Ainda internado, o candidato Jair Bolsonaro aparece sentado pela primeira vez depois de ataque em Juiz de Fora / Flávio Bolsonaro/Redes Sociais
O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) mantém-se consciente, em boas condições clínicas e neste sábado (8) foi movimentado do leito para a poltrona (pôde sentar pela primeira vez), de acordo com boletim médico divulgado nesta manhã pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no qual está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde sexta-feira (7). Bolsonaro foi esfaqueado na tarde de quinta-feira (6) durante uma atividade de campanha, em Juiz de Fora (MG). O vice de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, afirmou, em entrevista à GloboNews nessa sexta, que o objetivo da equipe de campanha e o pedido do próprio presidenciável é para que os militantes moderem o tom. Contudo, na primeira foto divulgada pelo filho Flávio Bolsonaro (PSL) nas redes sociais após a entrevista de Mourão, o presidenciável voltou a posar fazendo sinal de arma. Em matéria publicada neste sábado pela Folha, políticos da região repudiaram o atentado a Bolsonaro
Segundo o último boletim do Albert Einstein, não houve intercorrência nas últimas 24 horas e os exames de imagem e laboratoriais realizados na sexta durante avaliação médica mostraram resultados estáveis. “Encontra-se em boas condições cardiovascular e pulmonar, sem febre ou outros sinais de infecção. Mantém jejum oral, recebendo nutrientes por via venosa”, diz a nota.
O hospital continuará o tratamento clínico, considerado em boa evolução. Segundo o Albert Einstein, não há necessidade de novos procedimentos.
As visitas ao candidato permanecem restritas por ordem médica. Desde sexta, somente esposa e filhos podem entrar na UTI onde ele está internado. De acordo com o hospital, o local é de acesso controlado e o descanso é fundamental para Bolsonaro nesta fase de recuperação.
Pelo Twitter, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL) informou que o pai começou neste sábado a fazer fisioterapia. “Meu pai segue evoluindo e começou agora a fisioterapia. Muito obrigado a todos pela força e pelas orações!”, escreveu. Ele também divulgou uma foto do pai ao lado da maca e já sentado em uma poltrona.
Flávio convocou simpatizantes a fazer um ato pela vida do pai, neste domingo (9), em Copacabana, no Rio de Janeiro.
Baixar o tom — Segundo Mourão, confrontos nesse momento não vão ajudar ninguém e seria péssimo para o país. O general, que disse ter sido sempre a primeira opção para vice, ainda afirmou que vídeos estão sendo produzidos e disseminados entre simpatizantes de Bolsonaro pelos estados para que a mensagem de redução das tensões seja propagada. “Hoje (sexta) às 19h, Bolsonaro me ligou e disse que vamos moderar o tom, me pediu para não exacerbar essa questão que está ocorrendo. Nós vamos governar para todo o Brasil. Sem união a gente não chega a lugar nenhum, ter confronto nesse momento não vai ajudar a ninguém e é péssimo para o país”, disse o general à GloboNews.
O vice de Bolsonaro admitiu que, num primeiro momento, ele e outros membros da campanha exageraram nas declarações. Logo após o ataque, ainda na quinta-feira, o general afirmou que o PT seria o culpado pelo atentado e disse a frase "se querem usar a violência, os profissionais da violência somos nós".
— Quando ocorre um evento traumático assim, tem que ter muita calma. Realmente subiu um pouco o tom (no início), mas temos que baixar, porque não é caso de guerra. Que se investigue e julgue o caso — disse o general. 
 
 
Fonte: Agência Brasil/ O Globo 
Comentar
Compartilhe
Candidatura de Garotinho é barrada pelo TRE
06/09/2018 | 16h54
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou o registro de candidatura do ex-governador Anthony Garotinho (PRP), na tentativa de voltar ao Palácio Guanabara. A Corte considerou o político da Lapa inelegível, devido à condenação pelo Tribunal de Justiça por desvios de R$ 234 milhões na saúde, entre os anos de 2005 e 2006, quando ele era secretário no governo da esposa, Rosinha Garotinho (Patri).
Ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Em nota, Garotinho diz que “já imaginava o resultado porque as decisões do TRE têm sido políticas. Pelo menos, houve um mal menor: foi rejeitada a proposta do MP de proibir que eu faça campanha enquanto eu recorro ao TSE, o que farei nas próximas horas. A campanha continua firme, forte e vitoriosa”.
 
Mais informações no blog De Fato, do jornalista Aldir Sales.
Comentar
Compartilhe
Condenação que Garotinho disse estar 'superadíssima' é ampliada pelo TRF
05/09/2018 | 00h33
TRF-2 amplia pena
O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) vem desde 2010 tendo que se explicar sobre sua condenação, até ontem apenas em primeiro grau, por formação de quadrilha armada. Em junho, durante sabatina do UOL, Folha de S. Paulo e SBT, o político chegou a afirmar que a tal condenação estava “superadíssima”. Não demorou muito para a verdade aparecer: o processo continuava arrastando-se entre recursos. Agora, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) não só referendou a condenação, como ampliou a pena — de dois anos e seis meses em regime aberto — para quatro anos e seis meses em regime semiaberto.
Imbróglio
Quando foi condenado em 2010, nos desdobramentos da operação Segurança Pública S/A, Garotinho disputava uma cadeira na Câmara Federal. E como foi eleito, o processo subiu para o Supremo Tribunal Federal (STF) porque ele passou a ter foro privilegiado. Só em 2015, após o fim do mandato, houve decisão para baixa de instância. A defesa recorreu da decisão, ainda no Supremo, e somente em setembro de 2016 o ministro Ricardo Lewandowski determinou o retorno à 1ª instância. O processo voltou ao TRF-2 no início de 2017.
Segurança Pública S/A
Desencadeada pela Polícia Federal em 2008, a operação teve como alvo uma organização criminosa que usou a estrutura da Polícia Civil do Rio de Janeiro para praticar lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e corrupção. Condenado agora também pelo TRF-2, o então deputado estadual Álvaro Lins, ex-chefe da Polícia Civil, chegou a ser preso em flagrante. Ele é acusado de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha armada, corrupção passiva e facilitação ao contrabando. Já o crime imputado a Garotinho é o de formação de quadrilha armada.
Impugnação
O TRF-2 não decidiu sobre a inelegibilidade do político da Lapa, mas ordenou a expedição de ofícios ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e ao Ministério Público Eleitoral (MPE), para comunicar o resultado do julgamento. Caberá ao TRE decidir se o candidato ficará ou não inelegível. O MPE já pediu a impugnação da candidatura de Garotinho, por ele estar inelegível após o Tribunal de Justiça o condenar por ato doloso de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito de terceiro. O processo é sobre desvios de R$ 234,4 milhões da saúde no Estado em 2005 e 2006, quando Garotinho era secretário estadual de governo.
Semiaberto
A defesa de Garotinho ainda poderá apresentar recurso de embargos de declaração no TRF-2, além de instâncias superiores. No TRF-2, o instrumento não serve para questionar o mérito. Somente após o julgamento dos embargos, esgotando as possibilidades de recurso, deverá ser expedida a ordem de prisão contra o réu. E no caso de a prisão ocorrer, o cumprimento da pena em regime semiaberto nem sempre é imediato, conforme afirmou advogados consultados pela coluna. Existe um trâmite burocrático nessas questões.
Show do Garotinho
Ao velho estilo garotesco, a imprensa foi convocada. Garotinho disse que a decisão do TRF-2 não o surpreendia e que faz parte de um conjunto de ações elaboradas para inviabilizar sua candidatura, classificada por ele como a única contra o sistema. No aguardo dos desdobramentos e possíveis recursos, Garotinho afirmou que continuará normalmente a campanha ao Governo do Rio.
Violência urbana
A violência nas grandes cidades sempre assustou. Mas o caso de um taxista paulista mostrou que não é o tamanho do município que define o grau da violência. Ele saiu de São Paulo, a maior cidade do país, para uma corrida até Campos, segundo as investigações da polícia. Na planície, seu táxi foi encontrado na BR 101, na altura de Ibitioca, com marcas de sangue. Nem sinal do motorista, tampouco de passageiros. Mais uma evidência de que se o progresso da cidade grande nem sempre chega por aqui, a violência sabe bem o caminho.
*Publicado na edição desta quarta-feira (5) da Folha da Manhã
 
 
Comentar
Compartilhe
TRF-2 mantém condenação e aumenta pena de Garotinho por formação de quadrilha
04/09/2018 | 19h48
Divulgação
O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho teve a condenação mantida nesta terça-feira (4), por 3 votos a 0, pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) pelo crime de formação de quadrilha. A pena, que em 1ª instância era de 2 anos e 6 meses de reclusão, em regime aberto, foi ampliada para 4 anos e 6 meses e houve mudança para o regime semiaberto. Mais detalhes na Folha 1.
O mandado de prisão só poderá ser expedido, de cordo com o Tribunal, após o julgamento dos embargos no TRF-2.
Garotinho e o ex-chefe de Polícia Civil Álvaro Lins foram condenados no processo que investigou esquema de corrupção envolvendo delegados acusados de receber propina para facilitar a exploração de jogos de azar no estado, em 2008.
A condenação enquadra o ex-governador na Lei da Ficha Limpa e pode torná-lo inelegível, mas a questão da candidatura dele ao Governo do RJ ainda precisa ser decidida pela Justiça Eleitoral, após ação movida pela Procuradoria Regional Eleitoral ou por partidos políticos e coligações.
Segundo o TRF-2, a turma vai oficiar ao Tribunal Regional Eleitoral e o MP eleitoral.
Defesa vai recorrer
O cumprimento da pena também depende de recursos dos advogados. A defesa de Garotinho diz que vai recorrer e que entende que Garotinho ainda pode seguir na corrida a governador e não está inelegível.
Como a decisão foi unânime, o único recurso disponível para a defesa no TRF-2 são os chamados embargos de declaração, que não têm poder de reverter a condenação, mas somente esclarecer ambiguidades, pontos obscuros, contradições ou omissões no acórdão (documento que oficializa a decisão).
A defesa ainda poderá tentar inocentar Garotinho nas instâncias superiores (Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal). Mas, após o julgamento dos embargos no TRF-2, poderá ser expedida ordem de execução de sentença. Nesse caso, ao recorrer ao STJ e depois ao STF, Garotinho já poderá estar preso.
Com informações do G1 e O Globo.
Comentar
Compartilhe
Vereador é afastado do cargo em SFI
04/09/2018 | 15h24
O vereador de São Francisco de Itabapoana Jarédio Azevedo (SD) foi afastado do cargo pelo Juízo da 130ª Zona Eleitoral do município. A decisão, proferida nesta terça-feira (04) é oriunda de uma investigação do Ministério Público Eleitoral (MPE). O MPE acusa o parlamentar de compra de votos nas eleições de 2016 e falsidade de documentos.
Com a decisão da Justiça Eleitoral, Jarédio se tornou réu numa ação penal, já que houve o acolhimento da denúncia. O afastamento do vereador é pelo prazo de 180 dias.
Na decisão, o juiz Alexandre Rodrigues de Oliveira determina o prazo de 5 dias para o presidente da Câmara de SFI, Pintinho (Pros), afastar Jarédio “sendo que as questões administrativas relacionadas a remuneração e demais vantagens do cargo serão regulados pela legislação local e decididas pela Presidência da Câmara”. O réu também não pode manter contato com as testemunhas, sob pena de decretação de prisão preventiva.
A investigação feita pelo Ministério Público Eleitoral teve como ponto de partida doações de campanha feitas ao parlamentar. Para o MPE, as doadoras, quatro mulheres inscritas no programa de transferência de renda Bolsa Família, não teriam condições de fazer doação ao até então candidato. As doações que contam na prestação de contas é no valor de R$ 600.
O vereador pode recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro e tentar derrubar a decisão que o afastou do cargo. Caso o parlamentar continue afastado, o primeiro suplente da coligação, Mazinho da Banda (SD), pode ser convocado. 
A informação foi publicada primeiro no site sanfranciscano VNotícia.
Comentar
Compartilhe
TRE afasta multa, mas mantém Neco inelegível até 2024
04/09/2018 | 11h39
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou na última semana o recurso apresentado pelo ex-prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco (MDB), de São João da Barra, na ação eleitoral em que ele foi condenado por contratações irregulares de aproximadamente dois mil funcionários em 2016, último ano da sua gestão. Na sentença, o juízo local aplicou a sanção de oito anos de inelegibilidade (até 2024), além de multa de R$ 50 mil. A Corte regional, porém, decidiu por “afastar a imposição da multa”, mas manteve a inelegibilidade.
Nos documentos da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije), proposta pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), constam que em maio de 2016, após um decreto de emergência econômica, o então prefeito Neco rescindiu o contrato com empresas terceirizadas, mas parte do pessoal que prestava serviço nas empresas foi admitida diretamente pela Prefeitura entre os meses de junho e julho, com a contratação de aproximadamente dois mil funcionários.
Para o juízo local, ficou configurado “flagrante uso da máquina pública em benefício do grupo político do investigado”, já que Neco foi candidato à reeleição, bem como contava em seu palanque com quatro vereadores que buscavam mais um mandato. O então prefeito foi derrotado por Carla Machado (PP). Dos quatro vereadores do palanque de Neco, três foram reeleitos.
Cabe recurso ao próprio TRE e, posteriormente, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Mais detalhes sobre a condenação aqui.
Comentar
Compartilhe
Ideb: SJB supera meta nos anos iniciais, mas fica longe no segundo segmento
03/09/2018 | 16h12
Divulgação
São João da Barra cumpriu a meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) estabelecida para 2017 apenas nos anos iniciais do ensino fundamental, etapa que vai do 1º ao 5º ano. A nota foi de 5,3 (em uma escala que vai de 0 a 10), quando a meta estipulada era de 5,0.
Nos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, a meta foi descumprida. O Ideb alcançado foi de 4,1, enquanto o esperado era de 4,9.
No raio-x do Ideb, é possível constatar que a Escola Municipal José Alves Barreto, com 7,4, foi a que obteve a melhor pontuação no município (anos iniciais). Já o Ciep Municipalizado Professora Gladys Teixeira obteve o pior desempenho, com 4.
No segundo segmento, as escolas Luiz Gomes da Silva Neto e João Flávio Batista empataram na primeira posição com 5. A pior nota foi a do Chrisanto Henrique de Souza, com 3,7.
Anos anteriores — Em 2015, SJB registrou a nota 5 no primeiro segmento do ensino fundamental, já no segundo, a nota foi 4.
A Folha 1 tem matéria com a nota de outros municípios da região.
Comentar
Compartilhe
Justiça Federal julga processo contra Garotinho em 2ª instância nesta terça
03/09/2018 | 15h03
A 2ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) vai julgar na tarde de terça-feira (4) o processo em que o ex-governador Anthony Garotinho, candidato do PRP ao governo do Rio, foi condenado em primeira instância a dois anos e seis meses de reclusão, em regime aberto, por formação de quadrilha. Na mesma ação, é réu o ex-chefe da Polícia Civil do Rio Álvaro Lins, condenado a 28 anos, pelos crimes de quadrilha armada, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O processo em que os dois foram condenados investigou o esquema de corrupção envolvendo delegados acusados de receber propina para facilitar a exploração de jogos de azar no Estado. A ação começou a tramitar em primeira instância em 2008.
O processo havia sido desmembrado em relação a Álvaro Lins, mas o relator do caso no TRF-2, desembargador federal Marcello Granado, ordenou o remembramento da ação.
Em nota, a defesa de Garotinho argumenta que resultados de julgamentos posteriores ao pedido de registro não geram efeito sobre a elegibilidade de um candidato e que "o julgamento de amanhã não influencia nos rumos da eleição deste ano e, certamente, no de pleitos futuros, uma vez que Garotinho tem revertido em tribunais superiores todas as decisões da Justiça estadual". A defesa diz que as acusações são absurdas, fruto de perseguição política.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem entendido que o limite temporal para reversões fáticas ou jurídicas relativas ao registro de candidatura que venham a atrair a inelegibilidade é a data do pleito eleitoral.
Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro também registrou a inclusão na pauta de julgamento. 
Fonte: O Globo
 
 
 
 
Comentar
Compartilhe
Terminal do Porto Açu supera, em oito meses, volume movimentado em 2017
03/09/2018 | 11h32
O Terminal Multicargas do Porto do Açu (Tmult) movimentou 600 mil toneladas nos primeiros 8 meses deste ano, superando o volume registrado ao longo de todo o ano passado. Em dois anos de operação, já são 1 milhão e trezentas mil toneladas movimentadas, 55 embarcações recebidas e quase 38 mil carretas expedidas. Hoje, o Tmult movimenta coque, carvão, bauxita e gipsita, além de carga geral e de projetos. O terminal ainda tem autorização para operar veículos e contêineres.
Segundo o diretor de Operações da Porto do Açu, Ideraldo Goulart, superar a movimentação de um ano inteiro em 8 meses é só o indício de um desenvolvimento natural: “O Tmult tem atingido um volume de movimentação de carga crescente e isso é resultado dos esforços das nossas áreas comercial e operacional. Investimos constantemente na melhoria de nossos processos e treinamentos e, aos poucos, nos consolidamos como importante alternativa logística e portuária para as empresas brasileiras”, salientou.
O Tmult movimentou cargas inéditas neste ano, incluindo pás eólicas e gipsita, também conhecida como pedra de gesso ou somente gesso. É um minério composto por sulfato de calcário hidratado e tem diversas aplicações. O navio Star Grip, carregado com 10 mil toneladas de gipsita, veio do Porto de Garrucha, na Espanha, e atracou no início do mês, no terminal. Todo o material foi expedido para cimenteiras localizadas em Matozinhos, em Minas Gerais.
Para o gerente comercial da Porto do Açu, Ricardo Collares, a atração de novas cargas confirma a eficiência operacional do Tmult: “A ampliação do portfólio de cargas no terminal reforça nossa vocação original multicargas e abre mais uma porta de entrada e saída aos nossos clientes, mantendo excelência operacional e foco em segurança”, afirmou.
Entre os equipamentos disponíveis no Tmult estão dois guindastes MHCs Terex/Gottwald 4406B, que possuem um alcance de lança de 46 metros cada e capacidade de içamento de carga de até 100 toneladas. O terminal conta, ainda, com duas empilhadeiras de pátio, duas moegas com capacidade nominal de 360 toneladas/hora cada e duas balanças rodoviárias, além de 10 caixas metálicas, 4 grabs para movimentação de granel e duas garras para operações com sucata.
Comentar
Compartilhe