SJB: reforma administrativa é uma necessidade
29/04/2017 | 15h16
/
Reforma necessária
Voltou a ter destaque em São João da Barra o debate sobre a necessidade de uma reforma administrativa. O assunto foi abordado pelo deputado estadual Bruno Dauaire (PR) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e bastante repercutido nas redes sociais. Antes do deputado, esta coluna vem tratando sobre o assunto exaustivamente. Então candidata, a prefeita Carla Machado (PP) disse em entrevista à Folha que enxugar a máquina era uma necessidade. Ao tomar posse e decretar emergência econômica deu o primeiro passo, reduziu em 20% o número de cargos comissionados. Depois, em nova entrevista, afirmou que vai reduzir as secretarias. E isto é mais que necessário. Na verdade, já o era no ano passado, quando a crise realmente apertou. Como era ano eleitoral, o então prefeito Neco (PMDB) relaxou e não a fez, talvez com receio de perder os seus já poucos aliados. Carla tem todo um governo pela frente e seu mandato foi constituído com apoio de mais de 70% dos eleitores. Ela também tem maioria absoluta na Câmara. O momento para reforma, não poderia ser melhor. Afinal, não há necessidade de uma cidade do interior ter mais secretarias do que a capital do Estado.
Vigência
Expira na próxima semana a vigência do decreto de emergência que vigora em SJB. A prefeita pode renová-lo por mais 120 dias.
Atafona...
O avanço do mar em Atafona ganhou as páginas do jornal O Globo, com direito a vídeo na versão online. Bela reportagem, mas, como sempre, retratando apenas um cenário melancólico, como se nada mais existisse além de escombros, uma nova Atlântida.
...resiste
E quem conhece a praia das águas douradas sabe que não é bem assim. A colônia pesqueira existe, o litoral é bem frequentado na alta temporada, tem a maior festa religiosa da região, sem contar que, neste ano, recebeu um Festival Gastronômico de alto nível.
Sem protestos
As prefeituras de São João da Barra e São Francisco de Itabapoana decretaram ponto facultativo ontem devido à manifestação nacional contra as reformas trabalhista e previdenciária. Nas duas cidades, porém, nada de protesto.
Feriadão
O ponto facultativo serviu mesmo para ampliar o feriadão. Com exceção dos serviços essenciais, o atendimento normal da administração pública só retorna na terça-feira.
Síndrome PT
No cenário nacional, o PT sempre fez oposição como ninguém. Chegou ao poder, não suportava ser criticado. Saiu dele, voltou a ser um leão ao fazer cobranças. Em SJB tem muito personagem com a síndrome PT.
Trânsito
A secretaria de Transportes e Trânsito de SJB, visando o ordenamento das principais vias públicas, iniciou o trabalho de melhoria na sinalização. Falta agora que a população, de modo geral, se conscientize e respeite as regras, o que nem sempre ocorre.
Aftosa
A secretaria de Agricultura de SJB iniciará no dia 02 de maio a vacinação gratuita contra a Febre Aftosa para produtores que possuem até 170 animais. Dos 502 cadastrados no município, 488 produtores se enquadram na condição.
Publicado na edição deste sábado (29) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Avaliação do governo Rafael Diniz na edição deste sábado da Folha
28/04/2017 | 20h55
A Folha da Manhã traz na edição deste sábado (29) a primeira pesquisa de percepção e avaliação do governo Rafael Diniz (PPS). A sondagem foi realizada pelo instituto DSPC entre os dias 22 e 24 de março. Ao todo, foram 1.000 entrevistados, todos maiores de 16 anos e moradores de Campos.
Além da avaliação do governo, os números mostram a análise da população sobre o prefeito nos aspectos modernidade, tomada de decisões, trabalho, sinceridade, honestidade e grau de confiança em Rafael Diniz.
Mais detalhes na edição deste sábado da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Gilmar Mendes manda soltar Eike Batista
28/04/2017 | 19h01
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acatou, na noite de hoje, o pedido da defesa de Eike Batista e determinou que o empresário seja colocado em liberdade. Os advogados de Eike, que está preso preventivamente desde janeiro, alegam que não há justificativa legal para que ele seja mantido em prisão preventiva.
Em sua decisão, Mendes afirmou que "o perigo que a liberdade do paciente representa à ordem pública ou à instrução criminal pode ser mitigado por medidas cautelares menos gravosas do que a prisão".
A informação é do colunista Ancelmo Gois, em seu blog no jornal O Globo (aqui).
Comentar
Compartilhe
SJB: Festival Gastronômico com sucesso comprovado em números
28/04/2017 | 14h53
Números referentes ao Festival Gastronômico Sabores da Barra, realizado em São João da Barra entre os dias 13 e 16 de abril, comprovam o sucesso de mais uma parceria entre Prefeitura e iniciativa privada. Nos quatro dias, 27 mil pessoas passaram pelo evento, no Balneário, em Atafona, movimentando R$ 650 mil em vendas.
O Prato Festival, oferecido por 14 restaurantes locais ao valor de R$ 20,00, teve uma saída de 14.300 unidades. Somadas aos 8.100 pratos consumidos nesses estabelecimentos e em outros pontos de venda, como food truks e food bikes, o total chega a 22.400 pratos vendidos. Complementaram o montante comercializado artigos de artesanato e produtos da agroindústria familiar.
Os números são da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio/Sesc), que promoveu o Festival com apoio da Prefeitura de São João da Barra e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento. Para receber o evento, uma estrutura de 4 mil metros quadrados foi montada na área do Balneário, com organização da empresa B2B Empreendimentos.
Apostando nas parcerias desde que assumiu a Prefeitura para seu terceiro mandato, a prefeita Carla Machado (PP) reafirmou seu compromisso em promover iniciativas como essa. “É a solução encontrada para fomentar nosso turismo, movimentar a economia local e proporcionar lazer e entretenimento ao nosso povo e aos visitantes. Fiquei muito feliz com o resultado alcançado no Festival Gastronômico e só tenho a parabenizar a todos os envolvidos”.
De acordo com o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Analiel Vianna, o Festival Gastronômico injetou não só dinheiro na cidade, como também trouxe alegria, diversão e reafirmou o potencial turístico do município. “O resultado foi muito acima de nossas expectativas. A população e os turistas aprovaram a iniciativa da prefeita Carla Machado junto com a Fecomércio”, pontuou.
Fonte: Secom/SJB
Comentar
Compartilhe
Chequinho: juiz antecipa audiência de Thiago Godoy
28/04/2017 | 14h33
O juiz Eron Simas, responsável pelos julgamentos das Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, antecipou para a próxima sexta-feira, 5 de maio, às 10h, a audiência de instrução e julgamento do acusado Thiago Godoy (PR). Ex-subsecretário de Governo de Campos, Godoy, considerado braço direito de Anthony Garotinho (PR), deve assumir uma cadeira na Câmara na próxima semana. Antes da possibilidade de ser empossado, já que o 3º suplente da coligação PR/PTB/PSD, a audiência do seu caso estava marcada para 27 de junho. Godoy enviou posicionamento ao blog (confira no fim do post). Ele diz que caso seja julgada procedente a investigação, será “a maior atrocidade que já vi nos 10 anos em que atuo na advocacia eleitoral”.
Por ironia do destino, Godoy só vai tomar posse no Legislativo porque quatro eleitos na sua coligação foram condenados pela participação no mesmo esquema de troca de votos, com uso do benefício social da Prefeitura, que ele é acusado de fazer parte. Até o momento, as 18 sentenças proferidas nas ações que tramitam na 76ª Zona Eleitoral, sob responsabilidade do juízo 99ª ZE, foram pela condenação dos acusados.
Nesta sexta-feira (28), teve audiência de instrução e julgamento de Roberta Moura (PR), que ficou atrás de Godoy na coligação, também é ré na Chequinho e está convocada para assumir uma cadeira na Câmara.
Os eleitos na coligação que Godoy faz parte condenados nas Aijes são Jorge Magal (PSD), Jorge Rangel (PTB) Kellinho (PR) e Thiago Ferrugem (PR). Rangel e Kellinho nem chegaram a ser diplomados por decisão de Ralph Manhães. Em outra Ação Penal, Magal e Ferrugem também foram afastados. No caso de Thiago, foi imposta, ainda, prisão domiciliar.
Outros condenados nas Aijes e afastados por decisões em ações penais são Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB), Roberto Pinto (PTC), Thiago Virgílio (PTC) e Vinicius Madureira (PRP). Para Linda Mara, houve imposição de prisão domiciliar.
Até então considerada vereadora eleita, Cecília Ribeiro Gomes (PT do B) foi condenada na Aije e afastada da Casa por decisão em Ação Penal. De qualquer forma, perdeu o mandato com a validação dos votos de Marcos Bacellar (PDT).
Todos os condenados recorrem em instâncias superiores. Na Câmara, dois suplentes que herdaram as vagas dos afastados — Geraldinho de Santa Cruz (PSDB) e Carlinhos Canaã (PTC) — também foram condenados nas Aijes.
Atualização às 18h34 — O suplente de vereador Thiago Godoy entrou em contato com o blog para comentar sobre a Aije em que é investigado. Confira abaixo:
Minha situação jurídica é diferente das demais pessoas citadas na matéria, pois não pesa qualquer acusação contra mim. Há, sim, uma investigação, porque o MP associou um nome que aparece em uma planilha com a anotação ‘nenhum cheque entregue’ a uma pessoa que fez campanha para mim. Tanto eu como essa militante ficamos surpresos quando fomos notificados para responder a essa Aije, pois ela nunca foi chamada para cadastrar beneficiários de programa social e nunca prometeu Cheque Cidadão a ninguém. Eu tive um papel de destaque no governo, porém não usei a máquina para me ajudar em absolutamente nada na campanha, e mesmo que me oferecessem eu não teria aceitado e nem permitido a nenhum militante que aceitasse. Sou advogado eleitoral, conheço bem o que pode ou não ser feito em uma campanha, e não cogito que essa investigação seja julgada procedente, pois seria a maior atrocidade que já vi nos 10 anos em que atuo na advocacia eleitoral”.
Comentar
Compartilhe
Janot propõe intervenção federal no Tribunal de Contas do Rio
27/04/2017 | 19h33
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, propôs ao Supremo Tribunal Federal (STF) que decrete intervenção federal no Rio de Janeiro para garantir e viabilizar o funcionamento regular do Tribunal de Contas do Estado (TCE), após afastamento do cargo de seis dos sete conselheiros da entidade investigados pela possível prática de corrupção e lavagem de dinheiro.
A medida foi tomada após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolher uma medida cautelar e afastar do cargo por 180 dias os conselheiros do Tribunal de Contas. Janot diz em seu pedido que a situação anômala da Corte, que permitiu a substituição dos seis conselheiros afastados por seis auditores substitutos, pode causar a anulação do parecer prévio das contas do governo do Rio do ano passado.
Isso porque a presidente interina do TCE, Marianna Montebello, na tentativa de viabilizar o funcionamento da corte, deliberou uma norma para permitir a substituição de mais de um conselheiro por auditores substitutos. Janot sustenta no pedido de intervenção que, embora louvável, a atitude pode causar o anulação de julgamentos feito pela corte com tal composição.
O pedido, segundo Janot, busca assegurar o cumprimento do dever de “prestação de contas da administração pública direta e indireta”, tendo em conta o impedimento de funcionamento válido do tribunal de contas estadual, decorrente do afastamento de seis conselheiros e da ausência de substitutos devidamente convocados.
— Essa situação anômala, por comprometer a prestação de contas da administração direta e indireta no Estado do Rio de Janeiro, autoriza a representação para que, após julgada procedente pelo Supremo Tribunal Federal, seja decretada intervenção federal pelo Presidente da República — defende em um dos trechos do pedido.
O suposto esquema de corrupção na Corte de Contas foi delatado pelo ex-presidente Jonas Lopes de Carvalho e pelo filho Jonas Lopes Neto. Os dois foram conduzidos coercitivamente em dezembro do ano passado e posteriormente firmaram acordo de delação. Eles foram autorizados pela Justiça a deixar o país com a família após a delações.  
Com informações do jornal O Globo
Comentar
Compartilhe
Mais de 1.400 eleitores já fizeram a biometria em SJB
27/04/2017 | 16h31
Iniciada no último dia 17, a revisão biométrica de São João da Barra já cadastrou mais de 1.440 eleitores do município do Norte Fluminense até o momento. Para agendar o atendimento, o interessado deve acessar www.tre-rj.jus.br/biometria ou ligar para (21) 3436-9000. Quem não fizer a identificação biométrica terá o título cancelado e, além de não poder votar nas próximas eleições, ficará sujeito a uma série de impedimentos, como tirar passaporte, prestar concurso público e obter empréstimos em bancos oficiais, entre outros.
 
O atendimento está sendo realizado no Cartório Eleitoral (rua São Benedito, 173,próximo ao Fórum), de segunda a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h. O cadastramento, que vai até 15 de julho deste ano, é obrigatório para todos os eleitores do município, com exceção daqueles que já tiveram seus dados biométricos coletados anteriormente pela zona eleitoral do município. Também precisam fazer a revisão biométrica os eleitores cujo voto é facultativo, como os menores de 18 anos, os maiores de 70 anos e os analfabetos.
 
Documentos necessários
 
No momento do atendimento, o eleitor deverá apresentar documento de identidade oficial com foto e um comprovante de residência, como conta de luz, água ou correspondência bancária, desde que emitido até três meses antes da data do atendimento.
 
Vale lembrar que o comprovante deve estar no nome do próprio requerente, do cônjuge ou de parente até o 2º grau, juntando-se cópia de documento que demonstre o vínculo familiar. Além disso, quem tiver o título de eleitor também deverá levá-lo.
 
No caso de nova inscrição, os eleitores do sexo masculino maiores de 18 anos deverão apresentar, ainda, o comprovante de quitação militar. Já quem quiser atualizar o nome deve levar um documento que comprove a alteração dos dados, como a certidão de casamento, por exemplo.
Fonte: Ascom/TRE
Comentar
Compartilhe
SJB: convocados da Saúde com nova data para entrega de documentos
27/04/2017 | 15h17
/
Com ponto facultativo (aqui) decretado para esta sexta-feira (28), devido à manifestação nacional contra reformas trabalhistas e previdenciárias, a prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), adiou para o dia 2 de maio, às 10h, na secretaria de Administração, a entrega das documentações dos 27 convocados do concurso da Saúde.
A publicação da convocação foi realizada no dia 12 de abril. Foram chamados os que ficaram na primeira colocação nos cargos de Endocrinologista, Geriatra, Gastroenterologista, Mastologista, Neuropediatra, Neurologista, Oftalmologista, Ortopedista, Pediatra (2ª a 6ª), Pediatra, Pediatra (sab. e dom.), Proctologista, Reumatologista, Socorrista (2ª a 6ª), Urologista, Odontopediatra, Psicólogo, Sanitarista, Téc. de Enfermagem, Auxiliar de Saúde Bucal, Enfermeiro, Enfermeiro-Trabalho, Enfermeiro (2ª a 6ª), Enfermeiro (sab. e dom.), Enfermeiro Socorrista (2ª a 6ª), Enfermeiro Socorrista (sab. e dom.) e Farmacêutico.
Comentar
Compartilhe
Desembargador volta atrás e Adriana Ancelmo não irá para presídio
26/04/2017 | 19h24
O desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, depois de um pedido do advogado de Adriana Ancelmo, reconsiderou a decisão tomada hoje (26) à tarde de suspender a prisão domiciliar da ex-primeira-dama do Rio (aqui).
O desembargador vai esperar que a defesa dê entrada nos embargos infringentes (recurso cabível quando uma decisão da Corte não é unânime) a que tem direito.
Enquanto os embargos infringentes não forem julgados, ela não voltará para a prisão.
A informação foi publicada Lauro Jardim, em seu blog no jornal O Globo (aqui).
Comentar
Compartilhe
Chequinho: mais três não eleitos são condenados
26/04/2017 | 18h26
Marcos Gonçalves (Folha da Manhã)
Documentos foram apreendidos durante período eleitoral / Marcos Gonçalves (Folha da Manhã)
O Diário Eletrônico da Justiça traz a sentença de mais três candidatos a vereador não eleitos que foram acusados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de participação no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Paulo Henrique PH (PTC), Kelynho Povão (PHS) e Heloísa Rocha (PR) foram condenados a oito anos de inelegibilidade, tiveram seus registros cassados e os votos anulados. A decisão de primeira instância é do juiz Eron Simas.
No total, já foram 18 condenados, entre eleitos e suplentes. As primeiras sentenças foram dos eleitos Jorge Magal (PSD), Jorge Rangel (PTB), Kellinho (PR), Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB), Roberto Pinto (PTC), Thiago Ferrugem (PR), Thiago Virgílio (PTC) e Vinicius Madureira (PRP). Até então considerada vereadora eleita, Cecília Ribeiro Gomes (PT do B) completava a primeira leva dos onze condenados.
Entre o julgamento das primeiras Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) na 76ª zona Eleitoral (ZE) e a diplomação, o juiz Ralph Manhães, da 100ª ZE, impediu que recebessem o documento, e, consequentemente, de serem empossados Rangel, Kellinho, Linda Mara, Ozéias, Miguelito e Virgílio. As decisões de Manhães foram em distintas Ações Penais ainda em curso. Para o lugar deles, seis suplentes foram chamados, dos quais dois também são réus na Chequinho: Geraldinho de Santa Cruz (PSDB) e Carlos Alberto Canaã (PTC).
Posteriormente, Geraldinho e Canaã foram condenados nas Aijes. Outros suplentes sentenciados em primeira instância foram Pepeu de Baixa Grande (PSD) e Binho de Conselheiro (PRTB).
Mais afastados — A Chequinho já foi responsável pelo afastamento de outros vereadores da Câmara. Em outra Ação Penal, Ralph Manhães seguiu o mesmo entendimento da decisão que impediu a diplomação de seis, para afastar da Casa Magal, Roberto Pinto, Ferrugem, Madureira e Cecília. A Ferrugem foi imposta, também, prisão domiciliar. Cecília acabou perdendo o mandato de outra forma, com a validação dos votos de Marcos Bacellar (PDT), por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Comentar
Compartilhe
Justiça manda Adriana Ancelmo de volta à prisão
26/04/2017 | 16h26
O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) revogou na tarde desta quarta-feira (26) a prisão domiciliar de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), durante julgamento em plenário da Primeira Turma. Votaram a favor do retorno dela à cadeia os desembargadores Abel Gomes, Paulo Espírito Santo e Ivan Athié. 
O benefício concedido a Adriana foi questionado pelo Ministério Público Federal (MPF). Em recurso apresentado ao TRF-2, os procuradores sustentaram que, em casa, a ex-primeira-dama pode continuar praticando os crimes pelos quais ela responde na Operação Calicute, como lavagem de dinheiro. No ano passado, antes de a prisão ser decretada, agentes da Polícia Federal encontraram joias sem nota fiscal e R$ 53 mil em espécie em uma busca e apreensão no apartamento dela, no Leblon, Zona Sul do Rio. “Esse fato, por si só, evidencia que Adriana e sua organização estão, no momento, ocultando e movimentando valores de forma a impedir sua apreensão, o que demonstra, extreme de dúvidas, a necessidade da custódia cautelar para garantia da ordem pública”, escreveram os procuradores da força tarefa da Lava Jato no Rio.
Com informações da revista Veja e jornal O Globo
Comentar
Compartilhe
Carla Machado decreta ponto facultativo nesta sexta
26/04/2017 | 16h09
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), anunciou nesta quarta-feira, em seu perfil no Facebook, que vai decretar ponto facultativo no município nesta sexta-feira (28). Segundo Carla, a medida é “em respeito à manifestação legítima dos trabalhadores”. Em todo país, centrais sindicais, servidores, a Igreja Católica e outras entidades se mobilizam para protestos contra as reformas trabalhista e previdenciária.
Comentar
Compartilhe
Protesto e polêmica no 5º distrito de São João da Barra
25/04/2017 | 18h37
Manifestantes fecharam uma rua de Mato Escuro, em São João da Barra. O protesto foi motivado pela possibilidade do encerramento do atendimento de urgência no posto de saúde que funciona na localidade. Cerca de 40 moradores colocaram fogo em pneus e pedaços de pau e interditaram a passagem de veículo na avenida principal, como mostrou matéria da Folha 1 (aqui). A manifestação aconteceu na manhã desta terça-feira (25). A polêmica foi provocada por um áudio que circulou em um grupo de WhatsApp, no qual uma mulher falava sobre a distribuição de cestas básicas para os participantes: “Gente, só quem vem para a manifestação vai ganhar sacolão. Vem, vem, vem logo”.
No seu perfil do Facebook, a prefeita Carla Machado (PP) criticou o protesto. Ela compartilhou a matéria do Portal Ozk (aqui), com destaque para o áudio da distribuição de cestas básicas, e atribui o ato a “aqueles que contribuíram para o caos financeiro do município”. Carla relata que na sua primeira gestão a unidade de saúde de Mato Escuro estava fechada, além de comentar sobre dívidas herdadas:
Antecessor de Carla no comando da Prefeitura, Betinho Dauaire (PR) também falou sobre o assunto, negando que tenha deixado a unidade de saúde fechada:
A Prefeitura confirmou, na semana passada, que vai encerrar o atendimento de urgência em Mato Escuro. No local, a comunidade vai contar com uma Clínica da Família que, segundo a administração municipal, terá médicos em várias especialidades a partir de junho. Ainda de acordo com a Prefeitura, devido à mudança, o atendimento de urgência e emergência será reforçado no P.U. do Açu. Em Mato Escuro, além da Clínica da Família, continuará funcionando a unidade do Programa Saúde da Família.
 
— Temos dados mostrando que em Mato Escuro a demanda não é suficiente para a emergência. Optamos, portanto, em manter a emergência no Açu e uma ambulância ficará disponível em Mato Escuro para necessidade de remoção. São medidas que representam um avanço para o quinto distrito, que terá uma Clínica da Família — destacou o secretário de Saúde Godofredo Gomes de Sá.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Vinicius Madureira com novo recurso no TRE
25/04/2017 | 17h20
Folha da Manhã
Vinicius Madureira / Folha da Manhã
Condenado em primeira instância pelo envolvimento no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por voto, Vinicius Madureira (PRP) teve recurso negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Antes de apelar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Madureira apresentou nesta terça-feira (25) embargos de declaração à decisão do colegiado estadual.
Mantida a condenação em segunda instância, Madureira perde o mandato. Atualmente, ele está afastado da Câmara por outra decisão, do juiz Ralph Manhães, em ação penal. O magistrado já determinou o afastamento dos 11 eleitos que foram condenados nas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes).
Quem assume no lugar de Madureira é Josiane Morumbi.
Comentar
Compartilhe
Romaria traz imagem restaurada de N. Srª da Penha para Atafona; confira programação da festa
21/04/2017 | 12h41
 
Atafona está em festa desde o domingo de Páscoa (16), com as tradicionais homenagens à padroeira Nossa Senhora da Penha. Nesta sexta-feira (21), acontece pela primeira vez a “Romaria Luminosa”. A partir das 16h, os devotos vão sair em caminhada da igreja matriz de São João Batista, na sede do município, até o templo de Nossa Senhora da Penha, em Atafona. A romaria trará de volta ao altar a imagem da padroeira, após trabalho de restauração do artista sanjoanense Jorge Renato Amaral, que realizou o trabalho por cerca de um ano. A recepção aos romeiros será com a celebração de uma missa campal, programada para as 19h.
O trabalho de restauração fica exposto para visitação dos fiéis na igreja matriz de São João Batista, até a saída da caminhada. Confira:
Foto: Adyvan Pedra
Patrimônio Imaterial — A programação religiosa segue até segunda-feira (24). Os momentos de maior concentração acontecem no domingo e na segunda. Antes, no sábado, às 20h, os jovens da comunidade apresentam o Auto de Maria, com o tema “As sete alegrias da Virgem Maria”. No domingo, a procissão fluvial acontece às 15h. Na segunda-feira, dia dedicado à padroeira, o bispo diocesano dom Roberto Ferrería Paz celebra a missa solene às 10h. Já às 17h, acontece a tradicional procissão terrestre, patrimônio imaterial do Estado do Rio de Janeiro, que reúne milhares de fiéis. No dia da padroeira, a banda Dom Divino vai acompanhar a procissão. Já o cantor Dom Américo vai recepcionar os fiéis e a imagem de Nossa Senhora da Penha no retorno ao templo, após cerca de três horas de caminhada pelas principais vias da praia de Atafona.
Programação recreativa e cultural
Nesta sexta-feira (21), tem início também as atividades recreativas e cultural da festa da padroeira de Atafona. Visitantes — principalmente das cidades de Macaé, Campos, São Francisco de Itabapoana — e ambulantes de todo país já movimentam a mais conhecida praia sanjoanense. A programação desta sexta conta com Café Literário, às 20h, e shows locais com “A barca do forró", às 22h. Na sequência, se apresentam Ariana e Fabrício do forró. Sábado tem show com Swing Moleque e, logo depois, Henrique Luxúria. No domingo, as atrações musicais são Zé Carlos e Rogério, com Odilei do forró na sequência, e ainda a banda Delloreon.
Tradicionais atividades recreativas, como a pega do pato no Paraíba, concurso de tarrafa, cabo de guerra e pau de sebo, acontecem no domingo e na segunda.
Como a Prefeitura de SJB não pode colaborar como nos outros com os festejos, devido a arrecadação em queda, fiéis, o comércio local e políticos se uniram para realização dos tradicionais festejos, apoiado, na medida do possível, também pelo poder público municipal.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: TRE nega habeas corpus a vereadores afastados nesta semana
21/04/2017 | 11h44
Chequinho
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou Habeas corpus aos vereadores afastados Roberto Pinto (PTC), Vinicius Madureira (PRP), Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD) e Thiago Ferrugem (PR). Em contato com a Folha, Magal afirma que não entrou com recurso e que Fernando Fernandes não é seu advogado. (Leia mais informações no final do texto)
Os cinco vereadores foram afastados das funções legislativas na última segunda-feira (17) pelo juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral (ZE). A Ferrugem ainda foi determinada prisão domiciliar. O recurso tinha a intenção de suspender as medidas cautelares impostas em ação penal aos cinco vereadores que foram condenados, em primeira instância, nas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, que tramita na 76ª ZE, sob responsabilidade do juízo da 99ª.
Para afastar os cinco condenados em primeira instância, o magistrado seguiu o mesmo entendimento da decisão que impediu a diplomação, em dezembro, dos denunciados, em outras ações penais, pelo envolvimento no mesmo esquema, Kellinho (PR), Linda Mara da Silva (PTC), Ozéias (PSDB), Miguelito (PSL), Thiago Virgílio (PTC) e Jorge Rangel (PTB).
Ao negar a liminar para suspender as medidas restritivas, a desembargadora eleitoral Cristina Serra Feijó observa que “não se vislumbra a ilegalidade arguida pelos impetrantes. A imposição das medidas foi devidamente justificada pelo juízo impetrado com base em diversos fundamentos, em especial a conveniência da instrução criminal”. Ao juízo local, a desembargadora solicitou informações.
No caso de Cecília, o afastamento da Casa se torna inevitável com a retotalização dos votos de Marcos Bacellar (PDT). A validação dos votos do pedetista, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), resultou na diplomação e posse, ambas realizadas na última quinta-feira (20). O cálculo do novo quociente eleitoral tira uma cadeira da coligação PRTB/PT do B. Segunda mais votada na lista, Cecília perde a cadeira na Casa.
Atualização às 14h — Em contato com a redação da Folha, Jorge Magal disse que ainda não entrou com nenhum recurso no caso do afastamento e que Fernando Fernandes não é seu advogado. No Diário Oficial da Justiça, o nome dele aparece como "paciente" no HC 103-77, impetrado dia 18 de abril. A decisão da desembargadora Cristina Feijó é do dia 19 e, no movimento do processo, no dia 20, há desistência em nome de Magal e do vereador Roberto Pinto: "Também não homologuei desistência. Fiquei sabendo através da mídia. O advogado Fernando Fernandes desistiu por conta própria, assim como entrou com Habeas corpus por conta própria".
Por certo, se o habeas corpus fosse deferido, a decisão beneficiaria Magal, como a todos os afastados.
Comentar
Compartilhe
SJB oficializa suspensão do vale transporte do servidor
21/04/2017 | 11h14
/
O feriado prolongado em São João da Barra trouxe uma notícia nada agradável para os servidores do município que residem em outras cidades. Já suspenso desde o início do ano, o vale transporte do servidor agora está oficialmente cortado, sem previsão de retorno. No Diário Oficial desta sexta-feira (21) foi promulgada a lei que “estabelece a suspensão do benefício denominado 'vale transporte'”. Segundo texto assinado pela prefeita Carla Machado (PP), a suspensão será mantida “até que o município detenha condições financeiras em arcar com esse benefício tão necessário e importante aos servidores públicos”.
Desde o início do ano os servidores estão sem o vale transporte. Entre Campos e SJB, alguns estão pagando 50% do valor da passagem, com a compra do passe disponibilizado pela empresa que faz o serviço. A publicação é datada de 19 de abril. Confira:
Comentar
Compartilhe
SJB recebe R$ 6,6 milhões em royalties
20/04/2017 | 18h14
/
A Prefeitura de São João da Barra recebe nesta segunda-feira (24), conforme previsão, o repasse dos royalties de petróleo. No mês de abril, o valor depositado será de R$ 6.607.633,82. Houve queda, se comparado ao mês anterior, quando o repasse foi de R$ 7,5 milhões.
Se a comparação for com o mesmo período do ano passado, porém, houve aumento. A Prefeitura recebeu R$ 4.733.032,53 de royalties em abril de 2016.
A Folha 1 tem matéria sobre os municípios da região (aqui).
Comentar
Compartilhe
SJB convoca 58 aprovados no concurso da Educação
20/04/2017 | 10h03
No dia seguinte à aprovação pala Câmara da lei que autorizou a abertura de novas vagas com base no último concurso da Educação (aqui), a prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP) convocou 58 classificados no certame. Eles vão ocupar o quadro permanente de funcionários do município. No dia 5 de maio, todos deverão apresentar os documentos e exames admissionais, conforme consta no edital.
Confira os convocados:
Comentar
Compartilhe
Delator cita doação de R$ 500 mil, via caixa dois, ao prefeito de Macaé
19/04/2017 | 21h15
A delação premiada do ex-diretor regional da Odebrecht Renato de Medeiros cita uma doação por caixa dois ao prefeito de Macaé Dr. Aluizio (PMDB) no valor de R$ 500 mil. O vídeo está anexado à petição 6697, encaminhada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao Tribunal Regional Federal (TRF) 2ª Região. O prefeito considera a delação “lacônica, patética” e nega que tenha recebido doação irregular.
Segundo Renato, que fala sobre a Parceria Público Privada (PPP) do esgoto, “a Odebrecht recebeu uma demanda de contribuição dos senhores Marcos André Riscado de Brito, que na época ocupava a função de Controlador do município, e do Jean Vieira de Lima, que era um dos procuradores do município, procurador de contratos, se não me engano. Essas pessoas se identificaram como representantes do grupo político do prefeito Aluizio e solicitaram contribuições. Não falaram especificamente em valores”. O Marcos André Riscado de Brito citado na delação, atualmente é Controlador Geral em São João da Barra.
O delator, porém, não soube especificar quem fez o pedido e diz nunca ter tratado sobre o assunto com o prefeito de Macaé. Porém, ao falar sobre os pagamentos assegura que foram feitos em quatro parcelas, entre o fim de 2013 e início de 2014. Renato de Medeiros diz que no setor de propina da Odebrecht os repasses ilegais ao prefeito macaense eram identificados ao apelido “Baleia”.
Nesta quarta-feira (19), em entrevista ao RJ InterTV, Dr. Aluizio diz que nunca recebeu doações ilegais: “Não existe nenhuma delação na história de todas essas delações que fala de coisa tão abstrata, tão evasiva e ao mesmo tempo protege o gestor desse processo, o gestor maior que é o prefeito, dizendo que não teve com o prefeito. De forma muito clara, isso deixa a gente muito triste, muito chateado, muito encabulado, mas ao mesmo tempo muito seguro de que isso nunca aconteceu conosco, muito menos com o governo”.
A petição 6697 inclui, ainda, a delação de Roberto Cumplido. São citados na petição o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e o ex-candidato a presidente Everaldo Dias Pereira, conhecido como pastor Everaldo, entre outros.
Veja o vídeo:
Comentar
Compartilhe
STJ mantém afastamento de conselheiros do TCE
19/04/2017 | 17h20
A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, nesta quarta-feira (19), manter o afastamento dos seis conselheiros do Tribunal de Contas (TCE) do Rio de Janeiro, investigados pela suposta prática de corrupção e lavagem de dinheiro. Por unanimidade, os ministros confirmaram a liminar do relator, ministro Felix Fisher, que atendeu ao pedido do vice-procurador-geral da República, José Bonifácio de Andrada.
Além do afastamento das funções, os conselheiros estão proibidos de se comunicar com funcionários do TCE, de se ausentar sem autorização judicial e também tiveram que entregar os passaportes à Justiça. Segundo o relator do caso, diante da gravidade dos fatos, as medidas são necessárias para garantir a continuidade das investigações, buscando evitar a utilização de cargos públicos para a prática de crimes ou interferência nas apurações.
Os conselheiros foram alvo da operação Quinto do Ouro, deflagrada no final de março, que investiga crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro no TCE e em outros órgãos. Como resultado, cinco dos sete integrantes da Corte de Contas chegaram a ser presos. A operação foi deflagrada com base nas delações de outro conselheiro, o ex-presidente Jonas Lopes de Carvalho e do filho dele Jonas Neto.
Fonte: O Globo
Comentar
Compartilhe
SJB: Câmara autoriza abertura de 58 vagas do último concurso da Educação
19/04/2017 | 14h09
A Câmara de São João da Barra aprovou na sessão desta quarta-feira (19), a lei n° 012, do Executivo, que permite a criação de novas vagas para a convocação de candidatos aprovados no último concurso público na área educacional no município. São 30 vagas para cargo de auxiliar de creche; três vagas para cargo de Professor I (Português); 10 vagas para professor I (Matemática); 14 vagas para o cargo professor II (educação infantil – creche) e uma vaga para secretário de escola. Segundo o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PP), esta lei é de grande importância e visa suprir necessidade na educação.
Comentar
Compartilhe
MST e pequenos agricultores ocupam terras do Porto do Açu
19/04/2017 | 10h22
O site do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) anuncia que na manhã desta quarta-feira (19), os pequenos agricultores do Açu, 5º distrito de São João da Barra, junto com o MST, reocuparam as terras das quais foram desapropriados. Segundo o site, a ação faz parte da jornada nacional de luta pela terra que ocorre em todo o Brasil, de 17 a 21 de abril.
No local da desapropriação, a pretensão do empresário Eike Batista, hoje preso pela Lava Jato, era a criação de um distrito industrial na área do entorno do Porto do Açu, à época controlado pela LLX. Cerca de 500 pequenos proprietários foram desapropriados.
Segundo o texto no site do MST, a decisão de voltar para as terras foi tomada pelos agricultores e organizada pela Associação dos Proprietários Rurais e de Imóveis do Município de São João da Barra (Asprim). Representante da Asprim, Rodrigo Santos diz que cerca de 200 pessoas estão no local neste momento. 
Atualização às 11h40 - Em nota, a Prumo, responsável pelo Porto do Açu, informa que "em conjunto com o Estado do Rio de Janeiro, contribui para o desenvolvimento do Distrito Industrial de São João da Barra, promovendo a atração de empresas para gerar emprego e renda para a sociedade, bem como acelerando a economia local e o aumento na arrecadação de tributos em toda a região Norte Fluminense. Para que este desenvolvimento econômico aconteça, é importante que as áreas estejam livres de desembaraços para o uso industrial – que é vocação das áreas, de acordo com o Plano Diretor do município e o planejamento de desenvolvimento socioeconômico do Estado do Rio de Janeiro.
A empresa acredita na importância do diálogo com a comunidade, medida que sempre foi prioridade desde o início da instalação do Distrito Industrial. As ações de desapropriação, realizadas pelo Estado, tramitam no poder judiciário e transcorrem de acordo com a legislação brasileira".
A Codin ainda não se posicionou sobre o assunto.
Mais informações a qualquer momento
Comentar
Compartilhe
SJB: pais de alunos protestam em escola municipal de Cajueiro
18/04/2017 | 22h53
Pais de alunos da Escola Municipal João Flávio Batista, em Cajueiro, 4º distrito de São João da Barra, fizeram uma manifestação na porta da unidade de ensino, na manhã desta terça-feira (18). O motivo: a falta de pessoal de apoio. Segundo os manifestantes, a escola estaria frequentemente suja e sem merenda. Em nota, a Prefeitura de São João da Barra informou que a meta é resolver a situação o mais rápido possível. Um vídeo do protesto ganhou as redes sociais.
A Prefeitura informou, também, que a secretária de Educação e Cultura Lúcia Siqueira e a subsecretária Denise Machado realizaram uma visita técnica à unidade de ensino. Na oportunidade, uma reunião com pais de alunos foi realizada. Entre os assuntos em pauta, segundo a nota, a carência de pessoal de apoio, ocasionada pela grave crise econômica enfrentada pelo município e pela necessidade de quitar a dívidas relativas a 2016 com os funcionários terceirizados.
Com informações do repórter Mário Sérgio Júnior. Matéria completa na edição desta quinta-feira (19) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Delatores do Odebrecht citam caixa dois aos irmãos Mussi
18/04/2017 | 18h26
Ex-executivos da Odebrecht, os mesmos que delataram o casal Garotinho, Leandro Andrade Azevedo e Benedicto Barbosa Silva júnior, declararam que fizeram doações irregulares ao ex-prefeito Riverton Mussi (hoje PDT) e ao ex-deputado federal Adrian Mussi (hoje PHS). À época das doações, segundo os delatores, ambos estavam no PMDB.
Leandro relata que os pedidos de doações nas campanhas de 2008, para reeleição de Riverton, e 2010, quando Adrian se elegeu deputado federal, partiram do ex-prefeito. O objetivo era, segundo delatores, manter uma boa relação com o então prefeito macaense, já que a Odebrecht realizava, em sociedade com uma empresa local, uma obra de macrodrenagem.
Os valores doados a Riverton, segundo delatores, não foram devidamente contabilizados. Contudo, Leandro Azevedo disse acreditar que em 2008 tenha sido “em torno de R$ 500 mil” e que em 2010, foram R$ 475 mil. Nos dois casos, ainda conforme relatado por Leandro, as doações irregulares foram entregues na casa do ex-prefeito.
A Folha não conseguiu contato com os irmãos Mussi. Ao portal G1, Riverton negou que tenha recebido recursos da empresa em campanhas políticas. Disse, ainda, que o contato com Leandro Andrade Azevedo era apenas institucional, e afirmou que não conhece Benedito Júnior (fato também relatado pelo delator). Já Adrian, em nota também ao G1, alegou ter sigo pego de surpresa com a citação na delação da Odebrecht e afirmou não ter ligação com a empresa e não conhecer nenhum funcionário da companhia. Ele disse que não sabe o motivo da citação e que se trata de uma “armação para sujar seu nome”. O ex-deputado, que no ano passado disputou a Prefeitura de Rio das Ostras, afirma que não recebeu dinheiro algum da empresa.
Veja os vídeos:
Comentar
Compartilhe
Marcão oficializa suspensão dos mandatos de cinco vereadores de Campos
18/04/2017 | 15h58
Presidente da Câmara de Campos, o vereador Marcão Gomes (Rede) oficializou nesta terça-feira (18), por meio do ato Executivo 05/2017, o afastamento de cinco vereadores da atual Legislatura condenados em primeira instância pelo envolvimento no "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por votos. A medida tem como base a decisão do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, de afastar da Câmara os vereadores Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Roberto Pinto (PTC), Vinicius Madureira (PRP) e Thiago Ferrugem (PR) — a quem também foi determinada a prisão domiciliar. No blog Opiniões (aqui), Aluysio Abreu Barbosa foi o primeiro a informar sobre a determinação do juízo local.
Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro noticiou (aqui) que, segundo Marcão, a Casa vai prosseguir os trabalhos normalmente nesta semana, mas com 20 vereadores, até ser informado sobre os suplentes a serem chamados.
Veja aqui quem tomará posse na “dança das cadeiras” da Câmara de Campos.
Comentar
Compartilhe
Dança das cadeiras na Câmara de Campos
18/04/2017 | 11h59
Com a decisão do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, de afastar da Câmara os vereadores Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Roberto Pinto (PTC), Vinicius Madureira (PRP) e Thiago Ferrugem (PR) — a quem também foi determinada a prisão domiciliar —, cinco suplentes podem assumir a qualquer momento. Eles foram condenados em primeira instância por participação no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos.
A determinação de Ralph, revelada por Aluysio Abreu Barbosa no blog Opiniões (aqui), seguiu o mesmo entendimento da decisão que impediu a diplomação, em dezembro, dos denunciados pelo mesmo esquema, Kellinho (PR), Linda Mara da Silva (PTC), Ozéias Azeredo Martins (PSDB), Miguelito (PSL), Thiago Virgílio (PTC) e Jorge Rangel (PTB).
E as mudanças? A edição desta terça da Folha da Manhã (aqui) trouxe os que assumem as vagas:
Quem sai  Quem entra 
 Cecília Ribeiro Gomes*  Gilson Gomes (PRTB)*
 Vinicius Madureira Josiane Morumbi (PRP) 
 Roberto Pinto  Beto Cabeludo (PTC)
 Thiago Ferrugem Thiago Godoy (PR) 
 Jorge Magal  Roberta Moura (PR)
A tabela toma como base o resultado oficial das eleições 2016, tendo como base as decisões da Chequeinho proferidas até o momento em primeira e segunda instância, uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não manteve a determinação do juiz Eron Simas para retotalização dos votos.
(*)No caso de Cecília, por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com o novo quociente, a coligação PRTB/PT do B perde uma cadeira. Logo, caso Gilson Gomes assuma nesta terça ou quarta, deixa a cadeira na quinta (20), quando os votos de Bacellar serão oficializados.
E tem mais, os suplentes Thiago Godoy e Roberta Moura também são acusados de participação no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Isso sem contar que mais dois parlamentares foram condenados em primeira instância — Geraldinho Santa Cruz (PSDB) e Carlinhos Canaã (PTC). Caso o mesmo entendimento seja seguido nessa situação, a Câmara passará por novas mudanças em breve.
Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro noticiou (aqui) na manhã desta terça: o presidente da Câmara Marcão Gomes (Rede) informou que a Casa vai prosseguir os trabalhos normalmente nesta semana, mas com 20 vereadores. Contudo, ele dizia o mesmo antes da sessão de 1º de janeiro, quando, minutos antes da solenidade, os suplentes dos não diplomados conseguiram uma liminar que determinou a posse imediata deles.
A sessão desta terça promete ser cheia de surpresas.
Comentar
Compartilhe
Sabores da Barra movimenta litoral sanjoanense
17/04/2017 | 18h21
  • Fotos: Paulo Pinheiro

    Fotos: Paulo Pinheiro

  • Fotos: Paulo Pinheiro

    Fotos: Paulo Pinheiro

  • Fotos: Paulo Pinheiro

    Fotos: Paulo Pinheiro

A brisa da praia de Atafona, feriado prolongado, comida de qualidade a preço acessível, uma bela estrutura, música ao vivo e entrada franca foram os ingredientes. A receita não poderia ser outra: sucesso. Assim foi o primeiro Festival Gastronômico Sabores da Barra que, de quinta-feira (13) até esse domingo (16), levou milhares de visitantes ao Balneário. Além do melhor da culinária em pratos oferecidos por 14 restaurantes do município, as opções de consumo e de lazer se estenderam a estandes de produtos da agroindústria familiar e de artigos artesanais, food trucks, food bikes, oficinas de culinária e espaço para a recreação infantil. O movimento foi intenso não só no festival. Do Pontal a Grussaí, o domingo de Páscoa foi de praia lotada. E quem pensa que o clima de festa na praia acabou, se engana. No domingo também foram iniciadas as homenagens à padroeira Nossa Senhora da Penha, que prossegue até a próxima segunda-feira (24) em Atafona.
A prefeita de SJB, Carla Machado (PP), esteve no Festival. No seu perfil nas redes sociais, agradeceu aos participantes, organizadores e apoiadores do evento. Na tarde desse domingo, o vice-prefeito Alexandre Rosa (PRB) comentou que os restaurantes venderam até sexta, nos dois primeiros dias do evento, o que tinham programado para trabalhar até domingo, superando todas as expectativas:
— Isso demonstra o sucesso desse evento, terminando e deixando esse gostinho de saudade. Acredito que vai entrar no calendário do nosso município o festival gastronômico. Ainda tem mais, com tudo isso que está acontecendo, os nossos restaurantes ganharam mais visibilidade, tiveram a oportunidade de mostrar sua culinária de qualidade.
Quem esteve trabalhando, também não teve do que reclamar. “O evento ofereceu uma estrutura muito boa, música de qualidade, um ambiente totalmente familiar. Com certeza superou as expectativas, principalmente neste cenário de crise que a gente vem enfrentando. A prefeita foi muito feliz ao apostar em um evento como este. A gente espera que venham outros”, relatou João Batista, 49 anos, proprietário de um restaurante na praia de Grussaí.
Entre os visitantes, os campistas eram maioria. Mas não faltou turista de todo Estado do Rio e também dos estados vizinhos. Da principal cidade do Noroeste Fluminense, Itaperuna, Elenita Pereira visitou SJB pela primeira vez. Atraída pelo Festival Gastronômico, aprovou a iniciativa. “Valeu muito a pena ter vindo a São João da Barra. O evento foi maravilhoso e aproveitei para participar da oficina de reaproveitamento de alimentos, onde foram passadas boas dicas”, disse a visitante.
O primeiro Sabores da Barra foi realizado pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) via Serviço Social do Comércio (Sesc) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), com apoio da Prefeitura de São João da Barra e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento.
Publicado na Folha Dois desta segunda-feira:
Comentar
Compartilhe
Dinheiro de caixa dois foi entregue onde vendia Bíblia, diz delator do casal Garotinho
17/04/2017 | 17h45
Então superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro, Leandro Azevedo esteve em Campos no dia 1º de outubro de 2009. O motivo: a assinatura do primeiro contrato do Morar Feliz em Campos. Foi o primeiro encontro dele com a então prefeita Rosinha Garotinho (PR), segundo Leandro. Mas as relações começaram antes. Leandro relatou repasse por caixa dois de R$ 5 milhões para a primeira campanha dela a prefeita, a pedido do seu marido, o ex-governador Anthony Garotinho (PR).
Nos cálculos de Leandro, designado por Benedicto Júnior para operacionalizar os pagamentos aos Garotinho — de acordo com a delação —, o repasse foi de cerca de R$ 20 milhões, sem contar a campanha a deputado federal de 2010.
Leandro destacou, também, que o dinheiro era entregue, em espécie, no escritório de garotinho no Palavra de Paz. Durante a delação, ele cita que a empresa vendia Bíblia. Só um repasse, que atrasou, foi deito em um escritório de obras da Odebrecht na Tijuca. De acordo com Leandro, Garotinho designou uma pessoa para buscar o dinheiro no dia 13 de agosto de 2012: só nesse dia, R$ 1,5 milhão.
O ex-executivo também falou sobre o contrato do Morar Feliz. Após o início da obra, apesar de a prefeita ser Rosinha, todos os assuntos eram tratados com o marido dela: “Existia uma dedicação minha, como empresário, de estar sempre cobrando ele: olha, a fatura venceu; o cara não pagou esse mês, preciso que pague no próximo. Isso eu não fazia com a Rosinha Garotinho, nem com o secretário de Obras. Talvez minha equipe fizesse com o secretário. Eu procurava o ex-governador Garotinho para tratar isso. Ele sempre atendeu, com presteza, os meus pedidos de reuniões.(...) Eu acabei tendo uma convivência com o ex-governador Garotinho, operacional, por causa do programa Morar Feliz”.
O ex-governador Anthony Garotinho assegura que nunca recebeu qualquer contribuição não contabilizada em seu nome ou em nome da família. Em nota, complementa que “se a petição chegar a virar inquérito, vai provar que o delator está mentindo. O ex-governador se coloca à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento”.
Veja o vídeo completo:
Em seu blog, o jornalista Saulo Pessanha falou sobre a delação de Leandro (aqui). Os dois vídeos das delações de Benedicto Júnior pode ser conferido aqui e aqui.
Comentar
Compartilhe
Sônia Pereira quer desengavetar projeto de recuperação da orla de Atafona
16/04/2017 | 17h28
/
Hora de tirar da gaveta
A vereadora Sônia Pereira (PT), de São João da Barra, fez uma indicação ao poder Executivo, solicitando cópia do projeto apresentado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) para a recuperação da orla de Atafona. O objetivo, segundo ela, é analisar o material com os demais vereadores e tentar obter recursos com o governo federal para realização. Apesar do momento de crise que vive o país, é preciso buscar forças para tirar o projeto do papel, fazer virar realidade. O tempo é implacável e, com ele, o mar avança cada vez mais no litoral sanjoanense. Não vai ser fácil, mas o primeiro passo é mostrar a boa vontade. Os deputados federais que representam o Rio, todos, independentemente de partido, devem ser procurados para alocar parte das emendas para a intervenção. Parcerias devem ser buscadas também com o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa do Rio (apesar de toda dificuldade enfrentada). A iniciativa privada, em especial grandes empresas, deve ser procurada. A Prumo, responsável pelo Porto do Açu, não pode ficar de fora. Estimativas da gestão anterior informaram que são necessários cerca de R$ 200 milhões para recuperação da orla e contenção do avanço do mar. Difícil, na atual instabilidade política e econômica que vive o país, é. Se o projeto continuar na gaveta, passa a ser impossível.
Festival
Já é sucesso o festival gastronômico Sabores da Barra, em Atafona. Realizado numa parceria da Fecomércio, através do Sesc, com a Prefeitura de São João da Barra e a secretaria de Estado de Agricultura, o evento segue até o domingo de Páscoa, no Balneário.
Avaliação
A prefeita Carla Machado (PP) reuniu seu secretariado, além de funcionários comissionados e função gratificada, para avaliação da gestão e estabelecimento de metas administrativas. O encontro aconteceu na última quinta-feira.
Feriadão
A Prefeitura de SJB não decretou ponto facultativo na última quinta-feira, como acontecia tradicionalmente. Por outro lado, no próximo fim de semana, tem feriado na sexta (21 de abril, Tiradentes) e na segunda-feira (24 de abril, dia de Nossa Senhora da Penha).
Resgate
A tradicionalíssima programação da Semana Santa de SJB termina neste domingo (15), com a procissão da ressurreição. Ponto de destaque neste ano foi a procissão do Fogaréu. Resgatada em 2013, após mais de 100 anos sem ser realizada, reuniu bastante gente na última terça.
Sugestão
A procissão do Fogaréu pode ser mais bem aproveitada. Uma sugestão é mudar o dia, de terça para quinta-feira, quando a cidade já começa a receber turistas.
Paixão
Nem as dificuldades financeiras enfrentadas pelo município de SJB impediram a apresentação do Auto da Paixão, na última sexta-feira (14). A encenação percorreu a cidade, passando pelos principais prédios históricos.
Tradições
Nem bem terminou a Semana Santa, as comemorações que começam são as da padroeira de Atafona, Nossa Senhora da Penha. Neste domingo tem início o oitavário, com missa às 17h e carreata em seguida.
Romeiros
A festa da Penha recebe romeiros de vários lugares. Destaque para os macaenses e os devotos de São Francisco de Itabapoana, principalmente os de Gargaú, que acampam em Atafona no período de festa.
Histórico
Há registros de acampamento dos romeiros de Gargaú no entorno da igreja da Penha durante a festa. Com a construção da capela mortuária e do salão de festas, eles passaram a usar um terreno ali perto, onde foi construída a E.M. Profª Dionélia G. Santos. Já há alguns anos, eles ficam em tendas montadas no terreno da Colônia dos Pescadores Z-2. Para eles, não importa o lugar, mas manter vivas a fé e a tradição.
Nomeação...
A coluna publicou na semana passada notas sobre o ex-coordenador da campanha de Pedrinho Cherene (PMDB), nomeado por Francimara (PSB) como sub de Administração. Renato Cunha participa de todas as gestões desde Beto Azevedo.
... em SFI
Apesar das mudanças de grupo político, algumas pessoas de São Francisco entraram em contato com a coluna para informar que a nomeação de Renato é considerada necessária, por conhecer os meandros da pasta. Seria uma ação responsável tomada pela prefeita.
Estranho
Tem causado estranheza, e vem sendo explorado por opositores, o fato de a prefeita Carla Machado ter colocado no primeiro escalão do governo moradores de outros municípios.
Um exemplo
O secretário de Administração de Carla, Sávio Saboia, é de Bom Jesus do Itabapoana. Savinho foi candidato a prefeito de sua cidade no ano passado pelo PMDB, partido adversário de Carla no último pleito em SJB.
Confiança
Por mais que queiram reclamar, só a prefeita tem o poder de decidir quem terá cargo de confiança. Se ela não encontra entre seus apoiadores locais, tem direito de chamar de onde quiser.
*Publicado na edição desse sábado (14) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Doações da Odebrecht geravam relação diferenciada, diz delator do casal Garotinho
15/04/2017 | 22h53
A segunda parte da delação de Benedicto Barbosa Silva Júnior, ex-executivo da Odebrecht, que está vinculada à petição do casal Garotinho não trata diretamente de Rosinha (PR) e Anthony (PR). Na verdade, é uma introdução de como o sistema da empresa com os políticos funcionava. Benedicto fala, com tranquilidade e riqueza de detalhes, como a Odebrecht atuava junto aos políticos e o que esperava em troca. Obras, por exemplo, não entravam na negociação direta. Mas a empresa sabia que poderia contar com apoio daqueles que ela investiu na campanha — no popular, não existe almoço grátis. Ele também fala sobre as modalidades de doação que a companhia adotava: oficial, caixa dois e por empresas parceiras. Na parceria, a Itaipava era quem mais atuava (e depois recebia da Odebrecht  de alguma forma). No fim, a maior empreiteira do país conseguia o que queria:
— A gente buscava, efetivamente, que, a partir daquela doação, aonde a gente estivesse operando e o candidato tivesse influência, nós não tivéssemos dificuldades para fazer nossos contratos, dificuldades normalmente ilegítimas, que poderia gerar pedidos de pessoas que não estivessem envolvidas no assunto. Uma agenda muito fluida na busca de apoio daquele candidato para nós. Eu acho que as principais contrapartidas eram essas.
Veja o vídeo:
Comentar
Compartilhe
Garotinho citado na delação do fim do mundo: veja o primeiro vídeo
14/04/2017 | 21h53
“Bolinha”, “Bolinho” e “Pescador”. Esses três apelidos identificam o mesmo beneficiário de doações irregulares do setor de operações estruturadas da Odebrecht, o "setor de propina”: Anthony Garotinho (PR). Foi revelado nesta sexta-feira (14) o conteúdo da primeira parte da delação premiada de Benedicto Barbosa Júnior que cita o casal de ex-governadores do Rio. Assuntos como o “Morar Feliz” e a relação próxima de Benedicto com Garotinho foram citados. O ex-executivo da Odebrecht também comenta as doações eleitorais irregulares de 2008 a 2014.
Benedicto comenta ainda que, a partir da primeira eleição de Rosinha como prefeita de Campos, Garotinho passou a ter mais contato com Leandro Andrade Azevedo. Leandro também assinou o “Morar Feliz” e cita o casal Garotinho em sua delação, de teor totalmente desconhecido.
Questionado pelos procuradores se Garotinho teria beneficiado a Odebrecht em seu mandato como deputado federal, Benedicto responde: "Em Brasília mesmo ele era mais folclórico do que uma pessoa com ideias específicas para fazer projeto de lei, coisas importantes".
Confira o vídeo da primeira parte da delação de Benedicto sobre o casal Garotinho:
Em nota enviada pela assessoria, Garotinho "assegura que nunca recebeu qualquer contribuição não contabilizada em seu nome ou em nome da família. Se a petição chegar a virar inquérito, vai provar que o delator está mentindo. O ex-governador se coloca à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento".
Comentar
Compartilhe
Carla Machado reúne estafe para avaliação de governo
14/04/2017 | 15h06
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), fez uma reunião nessa quinta-feira (13) com seu secretariado, além de funcionários com função gratificada e comissionado. O objetivo foi fazer uma análise desse início de gestão, que chegou aos 100 dias nesta semana, além de reavaliar me. Mas também houve cobrança. Carla alertou que precisa do empenho de todos juntos com ela e, se não for assim, vai sair do governo, mesmo se for seu “amigo de infância”. Resumindo: quem não estiver trabalhando junto, é como se estivesse contra. 
Nas redes sociais, ela comentou sobre o encontro e as dificuldades encontradas: “Não está sendo fácil. Na realidade, já sabíamos que não seria, devido ao caos que a gestão passada instaurou em nossa cidade. Mas, temos muita fé e muita força de vontade de vencer”.
Confira a publicação da prefeita:
Comentar
Compartilhe
Com R$ 13 milhões, Garotinho é o 6º em ranking de repasses ilegais da Odebrecht liderado por Cabral
14/04/2017 | 13h26
Convenção do PMDB em 2006. Casal Garotinho e Cabral eram aliados
Uma tabela apresentada ao Ministério Público pelo ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Junior detalha pagamentos que teriam sido feitos via caixa dois a 182 políticos. Entre 2008 e 2014, há registro de R$ 246 milhões em repasses ilegais. Dos 10 primeiros do ranking de repasses ilegais, seis são do Rio de Janeiro. Entre eles está o “Bolinha”, apelido relacionado ao ex-governador Anthony Garotinho (PR). Em Campos, a Odebrecht foi responsável pelas obras do programa Morar Feliz, durante a gestão da prefeita Rosinha Garotinho (PR). O contrato de quase R$ 1 bilhão foi assinado por Benedicto, Rosinha e Leandro Andrade Azevedo, também executivo da empreiteira. Benedicto e Leandro firmaram acordo de delação e citaram o casal, mas o conteúdo dos depoimentos ainda não foi revelado. 
O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) lidera com folga o ranking dos que mais receberam caixa 2 da Odebrecht entre os anos de 2008 e 2012, segundo o documento: foram R$ 62 milhões. O ex-ministro das Comunicações Gilberto Kassab (PSD) é o segundo, com R$ 21,2 milhões. Depois, mais cinco nomes do Rio, em ordem: o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), com R$ 20,3 milhões; o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), com R$ 16,1 milhões; o deputado federal Júlio Lopes (PP), com R$ 15,6 milhões e Garotinho, com R$ 13 milhões.
O senador Lindbergh Farias (PT) fecha a lista “Top 10”, com R$ 5,4 milhões. Antes dele aparecem o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com R$ 9,6; o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha (PMDB), com R$ 7,2; e o senador Antonio Anastasia (MG), com R$ 5,47.
O documento, revelado pela Folha de S. Paulo (aqui), conta ainda com o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (PSDB), com R$ 5,25 milhões; Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e do PMDB fluminense. Outros políticos são citados.
Os citados negam que tenham recebido recursos ilícitos ou não comentam.
Info divulgado pela Folha de S.Paulo/Reprodução
Comentar
Compartilhe
Jonas Lopes cobrou R$ 4 milhões de propina à Odebrecht, diz delator
13/04/2017 | 21h33
O delator foi delatado. Ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro, que delatou um esquema de corrupção na corte e levou à prisão cinco conselheiros, Jonas Lopes de Carvalho pediu R$ 4 milhões ao executivo da Odebrecht Leandro Andrade Azevedo para liberar o edital do Maracanã.
Segundo o delator, a forma de pagamento foi esquematizado com Jonas Lopes Neto, filho do ex-presidente do TCE, no escritório de advocacia da família. Leandro contou ainda que só a primeira parcela foi paga, em 2014. Depois, com a deflagração da Lava Jato, a empresa não pagou as outras parcelas.
Ainda de acordo com o delator, Jonas Lopes o chamou no fim de dezembro, até sua sala no TCE. Lá fez a cobrança das demais parcelas:
— Lembro bem que era véspera de Natal, de sair de férias, de recesso no Tribunal. Ele me recebeu na mesa de trabalho dele. Perguntou se eu me importava de sentar à mesa de trabalho dele, por que ele estava assinando cartões de Natal. Nessa ocasião ele me cobrou a continuidade do pagamento do que havia sido combinado. Eu fiquei sem graça por que a gente estava no meio da Lava Jato, tinha acabado de acontecer a prisão, se não me engano, do presidente da OAS. Era capa de jornal todo dia. Em cima da mesa tinha O Globo. Eu delicadamente virei para ele e falei: presidente, eu vou ao toalete, o senhor dê uma olhada na capa do Globo e eu volto. Ele ficou super sem graça, virou pra mim e falou: “eu peço mil perdões, eu sei do momento que vocês estão vivendo, mas estou sendo pressionado por outros conselheiros”.
Confira a delação completa no vídeo acima
Comentar
Compartilhe
Mais uma ação penal da Chequinho com audiência marcada
13/04/2017 | 14h26
O juiz Ralph Manhães marcou para o dia 18 de maio, às 12h, a primeira audiência para oitiva de testemunhas de mais uma ação penal, originada da operação Chequinho, que tem como réus Jorge Rangel (PTB), Kellinho (PR), Linda Mara (PTC) e Thiago Virgílio (PTC). Os quatros, acusados de participação no esquema da troca de Cheque Cidadão por votos, tiveram votos suficientes para serem eleitos no ano passado. Contudo, minutos antes da diplomação, o juízo da 100ª Zona Eleitoral não permitiu que eles recebessem o documento e, consequentemente, eles não foram empossados.
Os quatro também foram condenados nas ações eleitorais do “escandaloso esquema”. O juiz Eron Simas imputou oito anos de inelegibilidade, anulação dos votos e a manutenção da suspensão do diploma dos quatros até o fim do processo.
Comentar
Compartilhe
Prefeita de SFI, Francimara raspa a cabeça em tratamento contra câncer
12/04/2017 | 14h33
A prefeita de São Francisco de Itabapoana, Francimara Barbosa Lemos (PSB), em tratamento contra um câncer de mama, raspou a cabeça e publicou fotos numa rede social. Ela já iniciou as sessões de quimioterapia. Na última sexta, passou por procedimento cirúrgico para colocação do cateter. Nas fotos divulgadas nas redes sociais, Francimara está acompanhada do marido, o ex-prefeito Frederico Barbosa Lemos. Ele também raspou a cabeça em apoio à esposa.
Nos comentários, a prefeita recebeu centenas de manifestação de apoio. Ela também deixou uma mensagem: “A pior fase do meu tratamento chegou e estou pronta pra enfrentar, pois a guerreira está de pé. Juntos somos mais fortes!”.
Comentar
Compartilhe
Carla Machado convoca 27 aprovados no concurso da Saúde
12/04/2017 | 08h50
Divulgação
/ Divulgação
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), convocou no Diário Oficial desta quarta-feira (12) mais uma leva de aprovados no concurso da Saúde. Foram chamados os que ficaram na primeira colocação nos cargos de Endocrinologista, Geriatra, Gastroenterologista, Mastologista, Neuropediatra, Neurologista, Oftalmologista, Ortopedista, Pediatra (2ª a 6ª), Pediatra, Pediatra (sab. e dom.), Proctologista, Reumatologista, Socorrista (2ª a 6ª), Urologista, Odontopediatra, Psicólogo, Sanitarista, Téc. de Enfermagem, Auxiliar de Saúde Bucal, Enfermeiro, Enfermeiro-Trabalho, Enfermeiro (2ª a 6ª), Enfermeiro (sab. e dom.), Enfermeiro Socorrista (2ª a 6ª), Enfermeiro Socorrista (sab. e dom.) e Farmacêutico.
Os convocados para o quadro permanente do município devem apresentar a documentação, conforme consta no edital, à secretaria de Administração no dia 28 de abril, às 10h. No mês passado, Carla fez outra convocação, de oito aprovados.
Confira os convocados desta quarta:
Reprodução
/ Reprodução
Comentar
Compartilhe
Lava Jato: Garotinho e Rosinha delatados pelos que assinaram o Morar Feliz
12/04/2017 | 08h01
As delações dos executivos da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Leandro Andrade Azevedo “relatam o pagamento em favor de Rosângela Barros Assed Matheus de Oliveira [Rosinha Garotinho, PR], nos anos de 2008 e 2012 de vantagens não contabilizadas, quando da campanha eleitoral para a Prefeitura Municipal de Campos”. “No mesmo contexto, narra-se o repasse de recursos também em favor de Anthony William Matheus de Oliveira [Garotinho, PR], para fins da campanha eleitoral do ano de 2014, quando candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro”.
Os trechos aspeados foram publicados no Diário Oficial da Justiça, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na petição em que o ministro Edson Fachin determinou o envio à instâncias inferiores para que seja decidido pelo juiz a instauração do inquérito. Fachin declinou competência porque o casal não tem foro privilegiado. Coincidência ou não, os dois delatores que citaram Rosinha e Garotinho foram os que assinaram junto com a ex-prefeita de Campos o contrato da primeira fase do “Morar Feliz”.
Desde o ano passado era cogitado que nas planilhas da Odebrecht, apreendidas pela Polícia Federal na casa de Benedicto, na 23ª fase da Lava Jato, batizada de “Acarajé”, estavam listados os campistas ex-governadores. Agora, é oficial. Embora a imprensa ainda não tenha tido acesso ao teor total das delações, das quais foram levantadas o sigilo, a manifestação de Edson Fachin ao pedido do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, deixa claro as campanhas nas quais, segundo a delação, Rosinha e Garotinho foram beneficiados ilegalmente pela maior empreiteira do país, envolvida até a medula no maior escândalo de corrupção do país, desvendado pela Lava Jato.
A revista Veja chegou a divulgar que na delação de Leandro Azevedo foi citado o repasse da empreiteira de R$ 9,5 milhões em doações oficiais e caixa dois a campanhas de Garotinho e Rosinha. À época, Garotinho disse que sempre manteve com os diretores da Odebrecht relação amistosa e que gostaria que o delator Leandro Azevedo informasse o país, o banco e número da conta em que teria depositado dinheiro no nome dele ou de Rosinha.
Após Benedicto e Leandro assinarem a primeira etapa do “Morar Feliz”, em outubro de 2009, com a então prefeita Rosinha, somados os três aditivos de pagamento entre janeiro de 2011 e março de 2012, mais a assinatura da segunda etapa do programa, em 28 de fevereiro de 2013, a Odebrecht levou no total R$ 996.434. 912,43 dos cofres públicos de Campos — maior contrato da história do município. Entretanto, a parte final da obra foi abandonada por falta de pagamento.
O contrato da primeira etapa foi assinado em 1º de outubro de 2009, para a construção de 5,1 mil casas, no valor total de R$ 357,4 milhões — numa licitação cujo resultado favorável a Odebrecht foi antecipado pela coluna “Ponto final”, da Folha da Manhã, em quase quatro meses.
Na edição da Folha desta quarta (12), a coluna “Ponto Final” cita que o casal Garotinho poderia estar “na lista do fim do mundo” devido aos contratos do Morar Feliz. Salienta também a coluna, bem como a matéria da mesma edição, que Benedicto e Leandro estão entre os executivos da Odebrecht que firmaram acordo de delação. A expectativa, agora, é pela íntegra dos depoimentos.
Região —
Alcebíades Sabino (PSDB), ex-prefeito de Rio das Ostras, é citado em duas petições. Em uma, junto com ex-secretário de Obras Wayner Gasparello, pelos mesmos executivos que delataram o casal Garotinho. Na outra, Sabino, o atual prefeito de Macaé, Dr. Aluízo (PMDB), o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), preso pela Lava Jato desde outubro, e o ex-candidato a presidente Pastor Everaldo (PSC), entre outros, são citados pelos delatores Renato Amaury Medeiros e Roberto Cumplido como receptores de dinheiro ilícito. De acordo com as delações, o objetivo era garantir interesses da Odebrecht em contratos do setor de saneamento de municípios do Rio.
O ex-prefeito de Macaé Riverton Mussi (PDT) e o irmão Adrian Mussi foram delatados por Benedicto e Leandro. Os executivos da empreiteira citaram pagamentos indevidos nas campanhas de 2008 e 2010.
Aos citados, o blog abre espaço para o posicionamento. Serão feitas tentativas de contato durante o dia.
Mais informações na edição desta quinta-feira (13) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Aluizio: Doação de faixas refletivas a carroças foi indicada desde 2013 em SJB
11/04/2017 | 17h52
O presidente da Câmara de São João da Barra, Aluizio Siqueira (PP), entrou em contato com o blog após a leitura da coluna “Caiu na Rede”, publicada na edição desta terça-feira (11), da Folha da Manhã. A publicação (que pode ser conferida aqui) alerta sobre a necessidade de projetos para regulamentar o uso de veículos de tração animal e salienta que o assunto não deve ser abordado apenas em período de comoção, como ocorre agora com mortes recentes em acidentes envolvendo carroças. Aluizio salientou que um anteprojeto dele, com os vereadores Sônia Pereira (PT) e Ronaldo Gomes (Pros), entrará na pauta da próxima semana. Além disso, lembrou que já fez indicação relacionada ao assunto, mas foi ignorada na gestão passada:
— Em 25 de março de 2013, fiz a indicação 097/13, solicitando ao prefeito da época, no sentido que o mesmo viabilizasse junto à secretaria municipal de Transportes estudos que se fizessem necessários para que todos os proprietários de veículos de tração animal (carroças, charretes e outros veículos de tração animal) existentes no município passassem a fazer um cadastramento e recebessem da secretaria faixas refletivas. Essa indicação foi ignorada, não fizeram nada.
Comentar
Compartilhe
Fachin autoriza investigar ministros, deputados e senadores na Lava Jato
11/04/2017 | 17h14
O ministro Edson Fachin, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquéritos contra nove ministros do governo Michel Temer (PMDB), os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), além de outros 28 senadores e 41 deputados federais, segundo informação publicado no blog do Fausto Macedo (aqui), do jornal O Estado de S. Paulo veiculada nesta terça-feira.
A reportagem diz ter tido acesso a despachos assinados eletronicamente no dia 4 de abril. Também serão investigados no Supremo um ministro do Tribunal de Contas da União, três governadores e 24 outros políticos e autoridades que, apesar de não terem foro no tribunal, estão relacionadas aos fatos narrados pelos colaboradores.
O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou ao STF com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos da Odebrecht, todos com foro privilegiado no Supremo. Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, não aparecem nesse conjunto, segundo o jornal, porque não possuem mais foro especial.
Os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: cinco cada. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado e atual líder do PMDB na Casa, vem em seguida, com 4.
Os ministros alvos de inquérito são Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Roberto Freire (PPS), da Cultura, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab terão duas investigações cada um.
Do Rio de Janeiro, além de Rodrigo Maia e Moreira Franco, estão na lista o senador Lindbergh Farias (PT), os deputados federais Julio Lopes (PP) e Pedro Paulo (PMDB), e os ex-prefeitos do Rio Eduardo Paes (PMDB) e Cesar Maia (DEM).
Os pedidos de Janot foram enviados no dia 14 de março ao Supremo. Foram 320 pedidos – além dos 83 pedidos de abertura de inquérito, há 211 de declínios de competência para outras instâncias da Justiça, nos casos que envolvem pessoas sem prerrogativa de foro, sete pedidos de arquivamento e 19 de outras providências. Janot também pediu a retirada de sigilo de parte dos conteúdos.
Comentar
Compartilhe
Procissão do Fogaréu nesta terça em SJB
11/04/2017 | 15h49
Um dos grandes rituais da Semana Santa, a Procissão do Fogaréu traz novamente para São João da Barra tradições de um passado não muito distante. Luzes apagadas... Som de tambores, caixas, matracas... O ritual, que representa a perseguição dos soldados romanos a Jesus na antiga Jerusalém, acontece nesta terça-feira (11), às 20h, saindo da Igreja de São Pedro, local da concentração. A realização é da Irmandade São João Batista com apoio da Prefeitura de São João da Barra.
Com as luzes do trajeto apagadas, soldados judeus (os chamados “farricocos”) com túnicas de cor, encapuzados, descalços e conduzindo tochas, são enviados pelo sumo sacerdote Caifás (João, 18:12) para prender Jesus. Eles saem pelas principais ruas da cidade, passando pelas igrejas de São Benedito, São João Batista e terminando na Igreja da Boa Morte. Em alguns momentos, parecem mesmo correr, o que transmite a sensação de uma real perseguição. Participam da procissão cerca de 70 homens encapuzados em cortejo.
A Procissão do Fogaréu já tinha registro no jornal sanjoanense ‘O Progressista’, de 26 de março de 1879 e voltou a ser realizada em 2013 no centro histórico da cidade. A publicação do referido jornal citava: “Nesse mesmo dia, pelas 7 horas da tarde, haverá as solemnes Matinas de Trevas, e findas estas, terá lugar o Mandato, ou Lava-pés, seguindo-se, depois de tudo isto, a Procissão do Fogaréu”.
— A Procissão do Fogaréu é uma grande e importante manifestação cultural popular e de fé. O resgate deste ritual foi importantíssimo para a cultura e tradição de São João da Barra — ressalta a secretária de Educação e Cultura, Lúcia Siqueira.
Fonte: Secom/SJB
Comentar
Compartilhe
Na cidade do maior Porto da América Latina, carroças ainda tiram vidas
11/04/2017 | 14h02
/
Tragédias que se repetem
A trágica morte do jovem Neilor Colbert em acidente envolvendo uma carroça na última sexta, poucos dias depois de outro acidente, também envolvendo veículo de tração animal, vitimar fatalmente o popular Miltão do Caldo, reacende velhas discussões em São João da Barra. É inadmissível que acidentes com carroça continuem a ocorrer na cidade que tem o maior empreendimento privado da América Latina em seu território. Vale lembrar que o Estado do Rio chegou a sancionar uma lei que proíbe o uso de carroças (mas confesso não ter conhecimento profundo sobre sua aplicabilidade). Em SJB, parar com a circulação de todas as carroças causaria grande impacto, principalmente com as famílias que vivem na área rural. Os vereadores podem buscar informações para a elaboração de projetos, que não firam a lei estadual, e garantias para aplicabilidade. A obrigatoriedade do uso de faixas refletivas e a limitação dos horários de circulação das carroças são sugestões consideráveis e que, certamente, vão entrar na pauta da Câmara na sessão desta terça-feira (11), às 9h. É uma pena que esses debates só ocorram quando famílias choram a perda de um ente querido. É uma pena, também, a sensação de que o mesmo tempo que dará conforto às famílias, pode fazer com que o debate seja esquecido, jogado para debaixo do tapete, sem nenhuma solução.
Iluminação
A mudança com a questão das carroças é o primeiro passo necessário a ser adotado nas questões do trânsito em SJB. O segundo, tão importante quanto, é rever a iluminação nas estradas: na avenida Atlântica, na SB 02 (locais dos acidentes), além de outros pontos.
Mudança
Claro que alguns acidentes podem ocorrer por imprudência ou tantos outros motivos, mas a maior parte, quando não envolve carroça, é com animal solto na pista. Os bichos não pensam. Os donos devem ter atenção redobrada e a Prefeitura, fiscalização contínua.
Boas ações
Atafona recebeu reforma, feita pela população, em três praças neste fim de semana. No entorno da igreja de Nossa Senhora da Penha, a comunidade e pessoas ligadas à Irmandade da padroeira fizeram a revitalização em duas. Na praça dos Meireles, a ação foi de jovens adventistas.
Candidatura...
A prefeita Carla Machado (PP) descarta a participação do seu filho, Pedro Machado, como candidato a deputado no próximo pleito. O nome chegou a ser aventado nos bastidores, como uma forma de testar a receptividade no município ao nome do rapaz.
... descartada
Ao jornalista Saulo Pessanha, que publicou nota, nessa segunda (10), em sua coluna, Carla garantiu: “Isto nunca foi ventilado da minha parte, e da parte de Pedro”. A prefeita, em 2018, retribuirá o apoio que recebeu no ano passado.
Foto: Izabele Cintra
/ Foto: Izabele Cintra
TURISMO RELIGIOSO Com a procissão de Nossa Senhora das Dores, na última sexta, a igreja matriz de São João Batista, em SJB, deu início às tradicionais solenidades da Semana Santa. Hoje tem a procissão do Fogaréu, às 20h, com saída da igreja de São Pedro. Amanhã, às 19h, acontece a procissão do Encontro. A Irmandade do Santíssimo Sacramento acompanha a imagem do Senhor dos Passos, que sai da Matriz. Já a de Nossa Senhora das Dores sai com a irmandade da devoção da igreja da Boa Morte. 
Publicado na edição desta terça-feira (11) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Chequinho: juiz rejeita embargos e multa Canaã e Santa Cruz
10/04/2017 | 18h04
O juiz Eron Simas, responsável pelos julgamentos em primeira instância do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por voto, rejeitou os embargos de declaração apresentados pelas defesas dos vereadores Carlos Alberto Canaã (PTC) e Geraldinho Santa Cruz (PSDB). Os dois foram condenados a oito anos de inelegibilidade, cassação dos registros de candidatura (e, consequentemente, dos diplomas), além da anulação dos votos. Eles ainda podem recorrer às instâncias superiores.
O magistrado ainda condenou os dois embargantes ao pagamento de multa no valor de 50% do salário mínimo. Segundo Eron, nas decisões, a aplicabilidade da multa se deu “em virtude do manifesto intuito protelatório”.
Em primeira instância, já foram condenados os onze vereadores eleitos acusados de participação na Chequinho: Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Jorge Rangel (PTB), Kellinho (PR), Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PTC), Thiago Ferrugem (PR), Thiago Virgílio (PTC) e Vinicius Madureira (PRP).
Réus em ação penal decorrente, também, da Chequinho, Rangel, Kellinho, Linda Mara, Miguelito, Ozéias e Virgílio sequer chegaram a ser diplomados. Foram empossados seus suplentes, entre eles Canaã e Santa Cruz, que também eram réus no “escandaloso esquema” e acabaram condenados. O juízo local também condenou Pepeu de Baixa Grande (PSD).
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) já confirmou as condenações de Magal e Madureira. Eles, provavelmente, apresentaram embargos de declaração e, ainda, recorrerão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Comentar
Compartilhe
Riverton Mussi pagou propina ao TCE, diz Jonas Lopes em delação
10/04/2017 | 14h19
Os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio receberam propina para ignorar irregularidades em gestões municipais, segundo Jonas Lopes, ex-presidente da corte. Em depoimento de delação premiada, ele revelou um esquema de arrecadação digno de máfias italianas, que incluía fidelidade na divisão da propina, lealdade aos “acordos” firmados por colegas e acusações de traição. Os depoimentos de Lopes, e de seu filho, Jonas Lopes Neto, citam Macaé (litoral norte), Duque de Caxias (Baixada Fluminense) e Niterói (região metropolitana).
As delações feitas à força tarefa da Lava Jato no Rio revelam a ramificação da corrupção além de editais de obras públicas no Estado, como o Maracanã, durante a gestão Sérgio Cabral (PMDB), e envolvem também prefeituras.
A Operação O Quinto do Ouro, no fim de março, levou à prisão cinco dos sete conselheiros do TCE e mais um conselheiro aposentado. Eles foram soltos por decisão judicial na última sexta. As defesas dos conselheiros negam as acusações. Ao deixar a prisão, o conselheiro Marco Antônio Alencar disse que os dois delatores, chamados de “bandidos”, induziram procuradores e Justiça ao erro.
Conforme o relato de Lopes, o suposto esquema causou problemas entre os conselheiros. Um desses casos envolveu um acordo que teria sido firmado com Riverton Mussi, prefeito de Macaé de 2005 a 2013 pelo PMDB, e candidato a vereador pelo PDT no ano passado. A cidade é a principal base de operações de exploração na Bacia de Campos, cujos royalties turbinam o orçamento da prefeitura, de R$ 1,9 bilhão para 2017.
O delator contou que, após assumir a presidência do TCE, em 2013, foi procurado por Mussi, que teria dito que, apesar de um “acerto” com os conselheiros, quando ainda estava no cargo, estaria “apanhando muito do tribunal”. Mussi teria dito a Lopes que o acordo fora combinado com o conselheiro José Maurício Nolasco.
Outras cidades — No caso de Niterói, o “acerto financeiro” envolvia o então prefeito, Jorge Roberto Silveira (PDT). Em Duque de Caxias, o esquema envolvia uma empresa responsável pela coleta de lixo, segundo Jonas Lopes Neto. O contrato foi firmado na gestão de Alexandre Cardoso (2013-2017), na época no PSB e hoje no PSD, sem mandato. Segundo o delator, Cardoso não teria conhecimento da ilicitude.
Riverton e Silveira não foram localizados pelo Estadão, que publicou matéria extensa sobre o assunto (aqui). O blog também tenta contato com o ex-prefeito de Macaé.
Comentar
Compartilhe
Secretário de Ciência e Tecnologia do Rio visita Uenf nesta segunda
09/04/2017 | 16h27
O secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, é aguardado nesta segunda-feira (10) em Campos. A visita foi agendada pelo deputado estadual Bruno Dauaire (PR), em encontro com o secretário e representantes do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Sintuperj-Uenf). Fernandes estará na Uenf e também em escolas da rede Faetec.
Pedro Fernandes assumiu a Ciência e Tecnologia em fevereiro. Deputado estadual licenciado, ele é do mesmo partido do governador Luiz Fernando Pezão, o PMDB. Ainda assim, adotou uma postura crítica devido à situação que passa as universidades estaduais e a Faetec, chegando a convocou até protesto para pressionar o governo.
Comentar
Compartilhe
Carla Machado aponta avanços nos 100 dias de governo, apesar das dificuldades
09/04/2017 | 15h21
Divulgação
/ Divulgação
Os eleitores dos municípios da foz do Paraíba do Sul, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana, apostaram em mulheres candidatas de oposição no último pleito. Na terra de Narcisa Amália, Carla Machado (PP) governa pela terceira vez, de volta ao cargo quatro anos após deixá-lo. Já no “antigo sertão”, a escolhida foi Francimara Barbosa Lemos (PSB), que se candidatou pela primeira vez. Nos dois municípios, o processo de transição não foi tranquilo e as atuais gestoras apontam dificuldades, um início para “arrumar a casa”. Carla faz um balanço das medidas adotadas. Francimara fará uma reunião nesta segunda-feira, o 100º dia de gestão, para que todo secretariado apresente o que já foi desenvolvido. O economista Ranulfo Vidigal, último prefeito antes da emancipação de São Francisco, embora não tenha concluído seu mandato, cassado meses antes do fim, diz que são otimistas as perspectivas para os dois municípios.
Em SJB, Carla aponta que os desafios foram muitos. A prefeita diz que herdou do governo Neco (PMDB), um montante de dívidas que ultrapassa a casa dos R$ 180 milhões. O ex-prefeito não quitou com os servidores efetivos a segunda parcela do décimo terceiro e o pagamento do mês de dezembro — ambos já pagos pela atual prefeita, além das férias coletivas da Educação e os proventos deste ano em dia. Ainda de acordo com Carla, o governo Neco “utilizava 66% da receita com despesa de pessoal, excedendo em muito o limite de 54% previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal”.
— Encontramos uma situação caótica em termos financeiro, econômico, estrutural e de funcionamento da máquina administrativa. Além da descontinuidade dos vários programas devido ao endividamento da máquina, soma-se a precariedade das instalações, equipamentos e frota de veículos — comenta a prefeita.
Os contratos temporários de 2016 passam por processo de auditoria. De acordo com Carla, já foi constatado que grande parte “sequer foram assinados pelo gestor anterior e/ou não há indicativo da lotação e da prestação de serviço”. Ainda com relação aos pagamentos passados, Neco não quitou dívidas com terceirizadas que atenderam à Prefeitura. Consequentemente, as empresas não pagaram aos funcionários. A atual gestão esteve na Justiça do Trabalho e entrou em acordo para pagar aos terceirizados da Mothé & Mothé e Portlimp.
O Centro de Emergência municipal foi fechado para reforma. Carla comenta que a OS Humanizada, que atuava no local, cobra uma dívida na casa de R$ 20 milhões. O contrato passa por auditoria. “Ressaltamos que o atendimento oferecido, por diversas vezes, foi alvo de denúncias da população, onde há um inquérito em curso no Ministério Público Federal”, salienta a prefeita.
Se é o município quem paga conta, a atual gestão não tem meio termo ao citar como a situação chegou a tal ponto: “Parte do montante da dívida se deve à ausência total de compromisso com a eficiência da gestão pública de modo a definir e dimensionar os serviços adequadamente para as necessidades reais”, pontua nota enviada pela Prefeitura, que ainda cita, como exemplo, “a contratação e locação de geradores na saúde com especificações técnicas imensamente superiores às necessárias para o atendimento dos Postos de Saúde, acarretando uma despesa que custou 500 vezes mais cara aos cofres públicos”.
Carla governa sob decreto de emergência econômica. A medida, de acordo com a atual gestão, permitiu reduzir em 51,2% o quantitativo de contratos, cargos de confiança e funções gratificadas em relação a dezembro do ano passado, além da redução de cerca de 70% dos aluguéis.
E como ações para aumentar a receita do município são necessárias, Carla aponta alternativas: “Uma delas é a realização do concurso público para área fiscal do município, a fim de dotar a secretaria de Fazenda de recursos humanos qualificados para fiscalizar e apurar a arrecadação tributária, especialmente em relação ao ISS”.
/
Parcelamentos, novas parcerias e incentivos
A situação do Regime Próprio de Previdência Social, o SJBPrev, foi outro “abacaxi” encontrado pela nova gestão. A dívida acumulada, desde abril, chega à casa dos R$ 20 milhões. A Câmara aprovou um projeto para que o município parcele parte dessa dívida em até 60 vezes. Ainda na questão previdenciária, a dívida com o INSS encontrada foi de cerca de R$ 25 milhões.
Na Saúde, o governo aponta ações importantes como a reabertura da maternidade da Santa Casa e outras: “Já estamos realizamos cirurgia geral dentro do município, onde a população também passa a ter acesso a diversos exames e medicamentos para tratamento e de uso contínuo. Reativamos o Programa Pé Diabético e continuamos trabalhando na recuperação das ambulâncias e dos carros que transportam pacientes para fora do município”.
Em meio à grave crise econômica e com a necessidade de explorar o potencial turístico na alta temporada, alternativa encontrada foi a parceria com a iniciativa privada, que viabilizou uma programação de verão e carnaval.
São ações destacadas pelo governo nestes primeiros 100 dias, entre outras, a revitalização da Feira do Produtor, reativação do Posto da Guarda Civil Municipal em Grussaí; reabertura dos prédios históricos; resgate das atividades no Espaço da Ciência e o incentivo à prática esportiva.
Segundo a Prefeitura, este início de governo deixa como lição um conceito simples de gestão: responsabilidade no lidar com a coisa pública é fundamental.
Economista confiante; oposição com críticas
Ex-prefeito de SJB, antes da emancipação de São Francisco, Ranulfo Vidigal afirma: “Sou, particularmente, otimista com os dois municípios”. Para Vidigal, este primeiro ano do governo Carla será de forte restrição fiscal, “mas tem no Porto do Açu uma fonte inesgotável de receita, basta estruturar a máquina fazendária. A cidade já tem o segundo melhor salário médio dá região, em torno de R$ 5 mil”.
Para São Francisco, as perspectivas são um pouco mais futuristas: “Vai deslanchar com a conclusão da ponte (da Integração) e com o início das obras em Presidente Kennedy (ES) do novo porto”, destacou o economista.
Opositor ao governo Carla, o vereador Fraquis Areas (PR) acredita que a prefeita passa por um desgaste com o corte de programas:
— O governo não está conseguindo atender aos anseios da população. Os universitários continuam sem bolsa de estudos e agora também não têm mais passe gratuito de ônibus, o cartão alimentação do servidor não voltou, nem o programa municipal de transferência de renda. É nítido que há um aumento do desgaste e isso ocorre porque se investe em questões não prioritárias e o que é essencial vem sendo deixado em segundo plano.
*Publicado neste domingo (9) na Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Machadada com novos recursos
08/04/2017 | 14h03
/
Machadada: novo recurso
A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) originada das investigações da operação Machadada, que terminou condenando a oito anos de inelegibilidade, a contar de 2012, a prefeita Carla Machado (PP), o vice Alexandre Rosa (PRB), o ex-prefeito Neco (PMDB) e Alex Firme (PP), vereador licenciado para atuar como secretário de Meio Ambiente, tem novo recurso em andamento. O juiz Leonardo Cajueiro D’Azevedo, intimou os investigados para apresentação de contrarrazões no prazo de três dias. Caso mantidas as condenações da Machadada até a última instância, os quatro não poderão disputar os pleitos de 2018 e 2020. Contudo, há um logo caminho de recursos pela frente. Basta lembrar que o processo foi iniciado em 2012 e o resultado do juízo local só saiu em 2017. É bom lembrar, também que a decisão proferida não atinge os mandatos, em vigência, de Carla, Alexandre e Alex.
Pagamento
A Prefeitura de SJB paga nesta sexta-feira (7) funcionários efetivos, contratados e comissionados. Com o depósito, a gestão Carla Machado mantém o salário em dia, além de já ter quitado salários de dezembro e a segunda parcela do 13º, herdados do ano passado, além das férias de Educação.
 
Espera
Quem não recebeu ainda foram os contratados e comissionados do governo passado. Neco terminou o mandato sem pagar a eles e não há perspectiva para quitação.
 
Câmara
Não teve quórum para a sessão de quarta-feira (5) da Câmara de SJB. Tem muito vereador angustiado. Eleitores cobram por emprego, até mesmo na sessão, como fosse obrigação de quem legisla conseguir. Não é. Por outro lado, em campanha, muitos candidatos os prometem.
 
Ajuda
Quem puder colaborar com doações para aquisição flores e fogos da festa de N. Srª. da Penha, em Atafona, pode procurar a Irmandade.
Amigo do poder?
Toda a cidade tem personagens que não saem do lado do governo, independente de qual grupo chegue ao poder. Em São Francisco de Itabapoana não é diferente. Um dos coordenadores da campanha, não vitoriosa, à reeleição do ex-prefeito Pedrinho Cherene (PMDB), Renato Cunha foi nomeado subsecretário de Administração pela atual prefeita.
 
Sempre...
E o histórico do rapaz é grande na cidade. Foi subsecretário de Administração na gestão Beto Azevedo, prefeito cassado. Quando Frederico Barbosa Lemos assumiu, Renato bateu de frente, no ar, com o radialista e pai de Frederico. Acabou nomeado secretário de Educação.
 
... no governo
Na gestão de Pedrinho, chegou cheio de moral para o grupo e foi um dos mais fiéis aliados, implacável no ataque e na defesa nas redes sociais. Agora, com a mudança na Prefeitura, “não esperou nem o defunto esfriar” para ter um cargo.
Publicado nessa quinta-feira (6) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
STJ manda soltar conselheiros do TCE presos na Quinto do Ouro
07/04/2017 | 16h35
O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Félix Fischer mandou soltar hoje (7) os cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), presos na semana passada na Operação Quinto do Ouro, deflagrada pela Polícia Federal. Na mesma decisão, o ministro determinou que os investigados fiquem afastados das funções por 180 dias. A decisão atinge os conselheiros Aloysio Neves, Domingos Brasão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco.
De acordo com as investigações da Polícia Federal, os alvos da operação são acusados de fazerem parte de um esquema de pagamentos de vantagens indevidas que pode ter regularmente desviado valores de contratos com órgãos públicos para agentes do Estado, em especial membros do TCE-RJ e da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).
Comentar
Compartilhe
Pezão diz que vai processar Jonas Lopes Neto por acusações
06/04/2017 | 18h01
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), disse nesta quinta-feira (6) que vai processar Jonas Lopes Neto por acusações feitas contra ele na delação premiada. O filho do ex-presidente do TCE-RJ, Jonas Lopes Filho, falou em depoimento que cerca de R$ 900 mil de dinheiro ilícito foram usados para pagar despesas pessoais do governador, por meio do subsecretário de Comunicação, Marcelo Amorim.
— Mentira deslavada. Tenho muita tranquilidade quanto a isso. Marcelo já depôs. Quem conhece meu padrão de vida sabe que foge a qualquer propósito. Nem meus quatro anos de salário da um dinheiro desses — declarou, dizendo que não conhece Jonas Lopes Neto. “Nem meus quatro anos de salário dão um dinheiro desses (...) A única coisa que eu sei é que vou processá-lo”. Pezão já havia afirmado que os delatores esqueceram “do chefe deles” nos depoimentos.
O ex-presidente do Tribunal de Contas do Rio, Jonas Lopes Filho, disse em delação que discutiu o repasse de propina aos conselheiros numa reunião na casa de Pezão. Esse encontro teria acontecido em 2013 na zona sul do Rio, quando Jonas era presidente do TCE e Pezão, vice-governador. Segundo o documento, “Pezão acompanhou toda a reunião e dela participou ativamente, inclusive intervindo para acalmar as discussões iniciais e que toda a discussão sobre as vantagens indevidas pagas ao TCE foi feita às claras na presença de Pezão”.
Pezão confirmou que houve uma reunião na casa dele, mas negou que tenha sido discutido qualquer tipo de propina. Segundo ele, a reunião foi para cobrar mais celeridade na aprovação dos editais que demoravam muito cumprindo exigências e recomendações do TCE. “Estava demorando muito essa análise e nenhum estado faz isso. Muitas vezes corríamos até risco de perder recursos”.
Pezão disse que a situação que o estado vive hoje com tantas autoridades presas “faz parte da democracia”. Segundo ele, todos devem ter direito à defesa.
Fonte: G1
Comentar
Compartilhe
Rafael tem 500 comissionados a menos que Rosinha; promessa é de mais cortes
06/04/2017 | 14h10
A Comissão Especial de Gestão Governamental está finalizando os detalhes para o processo de reforma administrativa a ser realizado em todas as repartições da Prefeitura, com foco na redução de cargos e despesas. Também ocorrerá uma reforma estrutural, que encontra-se em fase de estudos. A proposta é reduzir em no mínimo 20% o número de cargos comissionados e gratificados, dentro da proposta de implantação de uma administração eficiente com o mínimo possível de custos.
— Hoje temos criados por lei e decretos 1.815 cargos, entre comissionados e funções gratificadas. Atualmente em nossa gestão temos nomeados cerca de 1.150. Em termos comparativos, a administração passada chegou ao final do ano passado com 1.658 pessoas nomeadas, ou seja, estamos com 508 cargos a menos — afirmou o secretário de Governo, Fábio Bastos.
Ainda segundo Fábio, as nomeações que porventura ainda ocorrem, são em decorrência de questões pontuais.
— Com base na reforma que pretendemos fazer, a nossa intenção é cortar de 20% a 30% no número de cargos e na despesa com pessoal comissionado e gratificado. Assim, acreditamos estar muito próximos de atingir nossa meta e finalizar as nomeações. Portanto, as nomeações que estão ocorrendo a partir de agora, são em substituições a outras, não são novos cargos. Em outros casos, são nomeações que ainda não haviam saído por pendência de documentação — concluiu, lembrando que o objetivo é que o projeto seja apresentado à sociedade e vereadores, através de audiência pública.
Fonte: Superintendência de Comunicação
Comentar
Compartilhe
Carla Machado: SJB tem potencial para caminhar na contramão da crise
06/04/2017 | 08h00
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), comentou em seu perfil no Facebook sobre a difícil situação econômica vivida na Prefeitura, mas afirmou, que o “município tem potencial para caminhar na contramão dessa crise que afeta o país”. O relato de Carla foi feito ao mostrar um encontro com um diretor do Grupo Chouest para a América Latina e presidente da Brasil Port — empresas que atuam no Porto do Açu. No diálogo, Carla ressaltou “a importância de termos um relacionamento público privado mais próximo visando minimizar os entraves que prejudicam o desenvolvimento da nossa cidade”.
A prefeita aproveitou para anunciar a criação de 20 vagas de emprego pela Gastro Service que estará a serviço da Brasil Port. Serão contratados chefe de cozinha, estoquista, cozinheiro(a), copeiro(a), ajudante de cozinha e auxiliar de serviços gerais. “Os cidadãos sanjoanenses que tiverem interesse, favor entregarem seus currículos no Balcão de Oportunidade para que esses sejam encaminhados para que o setor de recursos humanos da empresa possa proceder a seleção”, informou.
Carla ainda falou sobre desafios desafios para facilitar a atração das empresas , como a instalação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no município e a viabilização do transporte alternativo para atender o Porto do Açu. 
Comentar
Compartilhe
Chequinho: TRE mantém condenação de Vinicius Madureira
05/04/2017 | 18h57
Folha da Manhã
Vinicius Madureira / Folha da Manhã
O vereador Vinicius Madureira (PRP), um dos 13 condenados na esfera eleitoral da Chequinho, teve seu recurso negado nesta quinta-feira (5) junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Segundo a assessoria do TRE, o recurso “foi desprovido por unanimidade”.
Na primeira instância, o vereador foi condenado pelo juiz Eron Simas a oito anos de inelegibilidade, anulação de votos e cassação do diploma. O TRE não informou, porém, se houve a revogação de alguma das penalidades impostas.
Madureira foi o mais votado do seu partido, com 2.333 votos. A legenda fez três vereadores. A primeira suplente do partido é Josiane Morumbi. 
Nos julgamentos das Aijes da Chequinho, madureira foi o único a comparecer à audiência no Fórum de Campos.
Na última segunda (3), Jorge Magal (PSD) também teve recurso negado pelo TRE.
Nos dois casos, cabem recursos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 
Comentar
Compartilhe
SJB: secretário de Ordem Pública pede reforço do policiamento ao 8º BPM
05/04/2017 | 17h36
O secretário de Ordem Pública de São João da Barra, Maxuell Araújo, se reuniu nesta quarta-feira (5) com o comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar, Tenente-coronel Fabiano dos Santos Souza. Na pauta, o reforço no policiamento no município, em especial nos distritos de Barcelos, Atafona e Açu.
De acordo com o secretário, algumas ações foram alinhavadas em relação à atuação conjunta entre a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar, visando contribuir para a sensação de segurança, prevenção de crimes e prisão de criminosos. Também participou do encontro o subcomandante do 8º BPM, major Aluízio Luz.
– Durante a reunião, o comandante do 8º BPM fez contato com o comandante da 5ª Companhia de Polícia Militar em São João da Barra, tenente Israel Carmo, para que o policiamento seja intensificado em todo município – esclareceu o secretário.
Atafona – O secretário municipal de Ordem Pública, Maxuell Araújo, destacou o empenho e eficiência da Polícia Militar em um caso registrado na noite de terça-feira (4) em Atafona. Quatro homens armados assaltaram duas casas e fizeram reféns. De uma das residências eles levaram um veículo. “Operações resultaram na recuperação de um veículo roubado. Um suspeito de envolvimento na ação criminosa foi preso e o trabalho de investigação poderá levar aos demais envolvidos e à recuperação do material roubado”, destacou Maxuell.
Com informações da Secom/SJB
Comentar
Compartilhe
Concurso da Câmara de SJB, do ano passado, em fase de homologação
05/04/2017 | 16h53
/
E o concurso da Câmara?
A Câmara de São João da Barra realizou, no ano passado, um concurso público com cinco vagas de nível médio: almoxarife (1) e motorista (4), com salários de R$ 1.608,92; e duas vagas de nível superior, para tesoureiro e contador, com remuneração de R$ 4.591,17. Mais de cinco meses após a divulgação do resultado final, em 27 de outubro, nenhum dos aprovados foi chamado. A alegação de quem está na espera pela convocação é que outras pessoas foram contratadas para o desempenho das funções, enquanto a Casa não emitia nenhum posicionamento sobre o assunto. Provocada, ontem, a Câmara informou que “o processo referente ao último concurso público está em fase de homologação na procuradoria do Legislativo para posterior convocação dos aprovados”.
Viralizou
Pessoas públicas ou as que são ligadas a elas têm de tomar cuidado redobrado ao postar qualquer coisa nas redes sociais. Fotos do filho da prefeita Carla Machado (PP), no ano passado, com maços de dinheiro, viralizaram nas redes sociais.

Estancar
A proporção foi tamanha que Carla teve de ir ao seu perfil na rede social prestar um esclarecimento, quando revelou que as imagens são antigas e o dinheiro seria da movimentação de uma lotérica, de sua propriedade. Classificou o ato como maldoso e desrespeitoso.

Análise
A questão dessas fotos, inicialmente de foro íntimo, ganha proporções maiores pelo fato de envolver pessoa pública. Goste ou não, é um preço a se pagar. E não é de hoje que esse tipo de discussão esquenta nas redes sociais de SJB.

Herdeiro
Carla Machado tem grande popularidade em SJB e região. Pedro, seu filho, caso tome gosto pela política, será seu herdeiro. A coluna Ponto Final, na semana passada, já aventou a possibilidade de ele ser candidato no próximo pleito.
Apoio
Mês de abril é de tradições em SJB, principalmente com relação a eventos religiosos. As irmandades responsáveis pelas programações da Semana Santa e da festa de Nossa Senhora da Penha ainda precisam de colaborações dos fiéis.

Mutirão
Os jovens da Irmandade Nossa Senhora da Penha programaram uma reforma comunitária da praça padroeira de Atafona. A ação acontecerá no sábado e no domingo, a partir das 10h. O objetivo é que a festa, de 16 a 24 deste mês, aconteça em lugar agradável e limpo.

Desiludido
Tem vereador em SJB que anda tão desiludido, que tem evitado sair às ruas. Não imaginava que a situação do município era tão grave, a ponto de não poder cumprir os compromissos firmados com eleitores.

GCM
O secretário de Ordem Pública de SJB, Maxwell Araújo, participará, no dia 8 de abril, da 1ª Conferência dos Guardas Municipais do Noroeste Fluminense. O encontro, em Itaperuna, terá como tema “A importância das Guardas Municipais na Segurança Pública”.
Publicado na edição dessa terça-feira (4) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Sanguessuga: STF condena Paulo Feijó; julgamento está suspenso e cabe recurso
05/04/2017 | 10h08
A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), em sessão nessa terça-feira (4), condenou o deputado federal Paulo Feijó (PR-RJ) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Por unanimidade, foi reconhecida a prescrição dos crimes de fraude em licitação e formação de quadrilha. O julgamento está suspenso. A definição da pena e as consequências da condenação serão definidas na próxima sessão ordinária do colegiado, em 18 de abril.
Feijó nega a participação em qualquer ato ilícito. A defesa do deputado aguarda a definição do processo, mas salienta que, de qualquer forma, ainda cabe recurso: “O julgamento ainda não acabou. Está suspenso, não tem um resultado ainda. E todos os ministros podem, pelo menos em tese, mudar o voto até a proclamação do resultado. Depois de julgado e publicado o acórdão, ainda cabe recurso. Não tem nada definitivo. Tem muita água para correr debaixo da ponte. Essa condenação inclusive pode ser alterada pelos próprios ministros, pode ser revertida por meio de recurso, sem contar que o julgamento ainda não acabou”, informou o advogado Jutahy Magalhães Neto.
O caso é um desmembramento da operação Sanguessuga, da Polícia Federal, na qual foi revelado, em 2006, um esquema criminoso, atuando em diversos estados, para o desvio de recursos públicos por meio da aquisição superfaturada, por prefeituras, de veículos – especialmente ambulâncias – e equipamentos médicos, com licitações direcionadas para favorecer o grupo Planan. Segundo a acusação, caberia ao deputado federal apresentar emendas ao orçamento geral da União, destinadas a municípios das regiões Norte e Noroeste do Rio de Janeiro, para beneficiar as empresas do grupo.
Defesa
Em manifestação na tribuna, a defesa sustentou que o parlamentar rotineiramente destinava emendas à área de saúde e que quando se encontrou com representantes da Planan, ocasião na qual, segundo o Ministério Público, teria sido oferecida a propina, as emendas para utilização dos recursos já haviam sido apresentadas. Alegou, ainda, não haver comprovação da participação do parlamentar no recebimento dos valores e que o assessor apontado como intermediário foi absolvido da acusação em primeira instância.
Relatora
Em relação ao crime de corrupção passiva, a ministra Rosa Weber, relatora, observou que há elementos de provas nos autos comprovando o recebimento de vantagens indevidas por meio de depósitos em contas correntes de terceiros – um assessor parlamentar e sua esposa. A ministra salientou que o livro-caixa da Planan, apreendido na Operação Sanguessuga, continha registros de pagamento ao acusado com datas e valores de repasses relacionados ao parlamentar. Destacou também que, em acordo de colaboração premiada, os proprietários da empresa, os irmãos Luiz e Darci Vedoin, afirmaram ter um acordo com o parlamentar para o pagamento de comissão de 10% sobre o valor de emenda apresentada e, para comprovar a afirmação, apresentaram recibos de 20 operações de crédito – transferências via DOC e TED – para pessoas ligadas ao parlamentar. A relatora foi acompanhada por unanimidade neste ponto.
Quanto ao crime de lavagem, a relatora ressaltou que as provas colhidas nos autos apontam que os valores recebidos por terceiros foram utilizados para o pagamento de despesas do deputado com aluguel de imóveis, aquisição de veículos e quitação de impostos. Segundo a ministra, dessa forma, o acusado fez a circulação dissimulada dos valores de propina, via terceiros e em benefício próprio, convertendo dinheiro “impuro”, oriundo de corrupção, em bens e serviços incorporáveis ao seu patrimônio formal.
“Após o recebimento dissimulado da propina houve uma conversão do produto do crime por via de nova dissimulação, em ativos de aparência lícita em benefício do acusado, por dissimulação sucessiva, que visou afastar o dinheiro de sua origem ilícita”, afirmou a relatora.
O ministro Marco Aurélio divergiu quanto a este delito, pois entende não ter sido imputado um crime anterior, conforme exige a lei, para configurar a lavagem. Em seu entendimento, o recebimento dissimulado dos valores é característica do crime de corrupção, inviabilizando que o delito seja apontado como o fato anterior. Para o ministro, como foi reconhecida a prescrição do crime de fraude em licitação, esse delito também não pode ser definido como fato anterior. Assim, ele votou pela absolvição do acusado quanto ao crime de lavagem de dinheiro.
Com informações do STF
Atualização às 11h35: Inclusão da defesa e alteração no título
Comentar
Compartilhe
Picciani é diagnosticado com câncer na bexiga
04/04/2017 | 17h47
O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani (PMDB), foi diagnosticado com câncer na bexiga, após exames realizados nessa segunda-feira (3). Segundo sua assessoria, ele vai passar por uma cirurgia, ainda sem data marcada, para a retirada do tumor, que é de 15 milímetros. O presidente da Alerj já havia tido a doença no mesmo órgão, em 2010.
Picianni procurou um médico depois urinar sangue, na madrugada de segunda-feira. Ainda de acordo com sua assessoria, o tumor, além de estar numa região da bexiga mais fácil de ser retirado, é menor do que o que ele teve em 2010, quando precisou passar por duas cirurgias. A expectativa é que ele seja operado apenas uma vez e o mais breve possível.
A atual gestão administrativa do Rio tem um histórico de doenças. Em março do ano passado, o governador Luiz Fernando Pezão se licenciou do cargo depois de ser diagnosticado com câncer, um linfoma não-Hodgkin. Este ano, o vice-governador, Francisco Dornelles, submeteu-se a uma cirurgia urológica, no dia 20 de março. O procedimento foi bem-sucedido e ele já teve alta.
Na semana passada, o presidente da Alerj foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento à Polícia Federal, na deflagração da operação O Quinto do Ouro, que terminou com a prisão de cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE).
Comentar
Compartilhe
SJB: eleitores já podem agendar cadastramento biométrico obrigatório
04/04/2017 | 14h35
A partir desta terça (4), os eleitores do município de São João da Barra já podem agendar o atendimento para o cadastramento biométrico obrigatório, que terá início no dia 17 de abril. Para marcar dia e hora para fazer a biometria, o interessado deverá acessar www.tre-rj.jus.br/biometria ou ligar para (21) 3436-9000. O cadastramento e a revisão do eleitorado, que é superior ao número de habitantes, foi anunciado em primeira mão neste blog (aqui).
O cadastramento, que vai até 15 de julho deste ano, é obrigatório para os 37.569 eleitores do município, inclusive aqueles cujo voto é facultativo, como os menores de 18 anos, os maiores de 70 anos e os analfabetos. O atendimento será realizado no Cartório Eleitoral, à rua São Benedito, 173 (próximo ao Fórum), de segunda a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h. Nos feriados, o posto de cadastramento não irá funcionar.
Quem não realizar o procedimento terá o título cancelado e, além de não poder votar nas próximas eleições, ficará sujeito a uma série de impedimentos, como tirar passaporte, prestar concurso público e obter empréstimos em bancos oficiais, entre outros.
Documentos necessários
No momento do atendimento, o eleitor deverá ter em mãos original e cópia de um documento de identidade oficial com foto e de um comprovante de residência, como conta de luz, água ou correspondência bancária, desde que emitido até três meses antes da data do atendimento.
Vale lembrar que o comprovante deve estar no nome do próprio requerente, do cônjuge ou de parente até o 2º grau, juntando-se cópia de documento que demonstre o vínculo familiar. Além disso, quem tiver o título de eleitor também deverá levá-lo.
No caso de nova inscrição, os eleitores do sexo masculino maiores de 18 anos deverão apresentar, ainda, o comprovante de quitação militar. Já quem quiser atualizar o nome deve levar um documento que comprove a alteração dos dados, como a certidão de casamento, por exemplo.
Tecnologia
O sistema com leitor biométrico identifica as impressões digitais e impede que alguém vote no lugar de outro eleitor, ou mesmo que utilize um documento falso de identidade para tirar o título, já que cada pessoa possui impressões digitais únicas. Quando comparecer ao posto de atendimento, o eleitor fará a coleta da impressão digital, irá tirar fotografia digital e também atualizará os dados cadastrais.
No dia da eleição, ele será identificado em sua seção eleitoral por meio da impressão digital, e o sistema biométrico irá liberar a urna eletrônica para votação. No estado do Rio, os municípios de Armação dos Búzios e Niterói já realizaram o cadastramento biométrico obrigatório de seus eleitores.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Carlos Canaã e Geraldinho de Santa Cruz são condenados
03/04/2017 | 17h50
O juiz Eron Simas proferiu sentenças de mais dois envolvidos no “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Carlos Canaã (PTC) e Geraldinho de Santa Cruz (PSDB) estão condenados. O magistrado julgou procedente a representação do Ministério Público Eleitoral (MPE) e decretou a inelegibilidade dos dois pelo prazo de oito anos, a contar do pleito de 2016, cassou os registros, bem como anulou todos os votos atribuídos a eles. Com as decisões, sobe para 13 o número de condenados em primeira instância no que o juiz considerou “um dos maiores e mais audaciosos esquemas de compra de votos de que se tem notícia na história recente deste país”.
Anunciado o resultado das eleições do ano passado, Geraldinho e Carlos Canaã apareciam como suplentes. Contudo, acabaram “herdando” cadeiras na atual Legislatura. No dia da cerimônia de diplomação, o juiz Ralph Manhães decidiu que seis eleitos, acusados de participação na Chequinho, não receberiam o documento e, por consequência, estariam impedidos de tomar posse: Jorge Rangel (PTB), Kellinho (PR), Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB) e Thiago Virgílio (PTC).
Seis suplentes foram empossados no dia 1º de janeiro, sendo que dois, Canaã e Santa Cruz, também são réus, agora condenados, nas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) do “escandaloso esquema”.
Como a decisão proferida nesta segunda-feira (3), todos os eleitos e suplentes empossados julgados até o momento foram condenados. As sentenças conhecidas anteriormente eram de Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (PSD), Roberto Pinto (PTC), Thiago Ferrugem (PR), Vinicius Madureira (PRP) e os seis não diplomados. Eles já apresentaram recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), caminho que deve ser trilhado também outros dois condenados.
Comentar
Compartilhe
TCE convoca auditores substitutos para sessão plenária desta terça
03/04/2017 | 17h05
O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro comunicou a realização de sessão plenária para terça-feira (4), com conselheiros substitutos. Será a primeira sessão do órgão após a prisão de cinco dos sete conselheiros no dia 29 de março, na Operação Quinto do Ouro, que investiga esquema de pagamento de vantagens indevidas relacionadas a contratos com órgãos públicos. O delator do esquema de propinas, conselheiro Jonas Lopes de Carvalho, está fora do país, com a família, em viagem autorizada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Félix Fisher. Ele presidiu o tribunal de 2011 a 2016.
A convocação foi feita pela conselheira Marianna Montebello Willeman, única não envolvida no esquema e que exerce interinamente a direção do TCE, de acordo com o que dispõe o artigo 140 do regimento interno. Os auditores Marcelo Verdini Maia e Andrea Siqueira Martins, substitutos de conselheiros, vão compor o plenário, junto com o auditor substituto Rodrigo Melo do Nascimento, que já vinha participando das sessões.
Sem conselheiros, o tribunal não poderia realizar sessões plenárias. A Lei Complementar 63/90 e o regimento interno do TCE-RJ exigem o mínimo de quatro conselheiros para as sessões. “Com isso, completa-se o quórum mínimo de quatro conselheiros previsto no Regimento Interno do Tribunal", diz a nota.
No entendimento da Procuradoria-Geral do Tribunal (PGT), “torna-se antijurídica, na situação atual, a aplicação da limitação legal sobre o exercício dos auditores substitutos em Plenário, já que paralisaria o conselho deliberativo do TCE”.
A decisão será publicada no Diário Oficial esta terça. O comunicado esclarece que os demais setores do Tribunal de Contas continuam trabalhando “sem qualquer interrupção das atividades no âmbito da Secretaria-Geral de Controle Externo“.
Comentar
Compartilhe
Relatório da reforma política prevê fim dos vices e voto em lista
03/04/2017 | 11h25
Relator da reforma política na Câmara, o deputado Vicente Cândido (PT-SP) adiantou ao portal G1 (aqui) que vai propor em seu parecer final o fim dos vices em todas as instâncias de governo. Com isso, deixariam de existir vice-presidente, vice-governadores e vice-prefeitos.
O relatório, que deverá ser apresentado na terça-feira (4) à comissão especial que discute o tema, também prevê a criação de um fundo para financiar campanhas eleitorais abastecido em 70% com recursos públicos. Os 30% restantes viriam de doações de pessoas físicas - atualmente, a legislação proíbe a doação de empresas a campanha eleitorais.
Outra mudança prevista no parecer de Vicente Cândido é no sistema de votação das eleições legislativas. Durante um período de transição seria instituído o voto em lista fechada, pela qual o eleitor vota em uma relação de nomes previamente escolhidos pelos partidos. Esse modelo prevê que as vagas destinadas a determinada legenda são preenchidas pelos candidatos na ordem em que aparecem na lista.
Depois, segundo a proposta do relator, esse sistema migraria para o distrital misto, por meio do qual metade das vagas no Legislativo é preenchida por lista fechada e outra metade pelo voto nos candidatos distribuídos em distritos (cada município ou estado é dividido em regiões que escolhem seus candidatos internamente). Atualmente, o eleitor vota diretamente no candidato ou no partido para preencher as vagas de vereador, deputado estadual ou federal - confira mais abaixo as principais mudanças propostas pelo relator.
No caso de presidente, governador, prefeito e senador, o modelo vigente seria mantido. Pela regra atual, vota-se diretamente no candidato ou no partido e é eleito aquele que receber o maior número de votos.
Comentar
Compartilhe
Prefeitura de Campos divulga calendário de pagamento dos servidores
03/04/2017 | 11h14
A secretaria de Gestão Publica de Campos divulgou no Diário Oficial desta segunda-feira (3) o calendário de pagamento dos servidores públicos. Confira:
Comentar
Compartilhe
Campos: recadastramento dos servidores ativos prorrogado até 12 de abril
03/04/2017 | 11h07
O recadastramento dos servidores ativos da Prefeitura de Campos, que terminaria nesta segunda-feira (3), teve o prazo estendido. Em portaria, publicada no Diário Oficial, o secretário municipal de Gestão Pública, André Oliveira, prorroga o procedimento até 12 de abril. O servidor que não comparecer, terá o pagamento suspenso a partir de maio. Segundo a publicação oficial, cerca de dois mil funcionários ainda não se recadastraram. Confira como o procedimento será realizado:
 
Nesta segunda, segue o recadastramento dos ativos “w”, “x”, “y” e “z”, mais os servidores que não se recadastraram dentro da data inicialmente prevista. Para o procedimento, o servidor deverá apresentar: Formulário de Recadastramento (Disponível no portal do servidor); Declaração de Acúmulo de Cargo (disponível no portal do servidor); CPF; RG; Título de Eleitor; Carteira de Trabalho (folha de rosto, frente e verso); Carteira de Motorista (Obrigatório para cargos que exigem essa documentação); Certificado de Reservista; Comprovante de Residência atual; 01 foto 3x4 (atual); Comprovante de Escolaridade; Cursos Extracurriculares; Carteira de Registro de Classe; Certidão de Nascimento/Casamento/Divórcio ou União Estável; Certidão de Nascimento de filhos menores de 21 anos; RG e CPF do cônjuge (somente cópia); PIS/PASEP.
Comentar
Compartilhe
SJB: polêmica nível 'ostentação' atinge prefeita Carla Machado
03/04/2017 | 10h19
Quando parece estar tudo tranquilo em São João da Barra, ao menos no campo político partidário, surgem novos fatos para manter as discussões efervescentes. Desta vez, foi com o filho da prefeita Carla Machado (PP), o jovem Pedro Machado. No decorrer da semana passada, opositores da prefeita, entre eles o ex-vereador Kaká (PT do B), começaram a questionar o fato de ela ter “fechado” a pousada do vice-prefeito Alexandre Rosa (PRB) para morar. Desde que seja pago com recursos próprios, não há nenhum problema nisso, apesar de os opositores alegarem a “ostentação” em meio à crise. Por tanto, apesar do burburinho inicial, a história não vingou. Agora, nesse domingo, a situação foi diferente. Fotos postadas por Pedro Machado, filho de Carla e apontado como provável candidato a deputado no próximo ano, com notas de dinheiro foram resgatadas das redes sociais e espalhadas pelos grupos de Whats’App e também no Facebook:
O próprio Pedro admitiu ter postado foto com o dinheiro, mas alegou que não era dele, mas de uma casa lotérica, da mãe, em Grussaí:
Reprodução
/ Reprodução
Para estancar a repercussão, Carla também fez um post no Facebook, salientando que é dona da lotérica desde 2013 e que o filho a ajuda, inclusive na conferência do dinheiro, antes de o depósito ser feito na Caixa. Ela também comentou sobre a foto, confirmando que o filho fez a postagem em janeiro do ano passado, em um grupo. A prefeita acredita que alguém tenha guardado a imagem para usá-la somente agora, com intuito de polemizar o assunto: “Essa atitude impensada de um jovem gerou a crueldade de alguns adultos que não devem ter noção da irresponsabilidade que praticam propagando uma coisa tão séria antes de buscar saber a verdade”.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Arnaldo Neto

[email protected]