Fred Machado: “Pacientes do HGG estão tomando água da torneira”
30/11/2016 | 19h27
Fred-MachadoCasa cheia, mas não foi dia de muitas discussões na Câmara de Campos. A sessão desta quarta-feira (30) foi marcada pela homenagem dos parlamentares ao atleta campista Bruno Rangel, atacante da Chapecoense, que morreu no trágico acidente (aqui) na madrugada dessa terça-feira (29), em Medelín. Já na palavra livre, o vereador Fred Machado (PPS), levantou o caos na saúde do município, principalmente nos hospitais Ferreira Machado (HFM) e Geral de Guarus (HGG). — Até água está faltando. Pacientes do HGG estão tomando água da torneira — disparou o parlamentar. Fred acrescentou, ainda, que está se mobilizando para doações ao hospital, pelo menos para que tenha água. Ele também declarou apoio aos motoristas de ambulância, que realizaram manifestação nesta quarta (aqui). Já o líder da oposição Nildo Cardoso (DEM) cobrou que a Prefeitura realize uma “operação tapa buraco” por todo município. Atualização às 13h20 - Em nota, a Fundação Municipal de Saúde informa que "o Setor de Ouvidoria e a Administração do hospital não receberam nenhuma reclamação a esse respeito. O consumo de água oferecido pelo hospital em galões de 20 litros aumentou significativamente nos últimos dias em razão do forte calor. A reposição destes galões tem se dado regularmente. Estranha-se esse tipo de denúncia, pois o hospital também dispõe de bebedouros de pressão em variados setores. Bruno Rangel — Durante a sessão, foram exibidas imagens de uma homenagem que o jogador recebeu do Legislativo campista no ano passado. De acordo com o presidente da Casa, Edson Batista (PTB), o atleta será velado na Câmara, após as homenagens que acontecerão em Chapecó.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: ainda foragido, sub de Governo tem habeas corpus negado
30/11/2016 | 16h06
Alcimar_Entre todos os presos e, posteriormente postos em liberdade (após liminar ou cumprido tempo preventivo de prisão), na operação Chequinho, um mandado até hoje não foi cumprido: o de Alcimar Avelino Ferreira, subsecretário de Governo de Campos. Na última segunda-feira (28), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou um habeas corpus impetrado pela defesa. A prisão de Alcimar expedida em 1º de novembro. Desde então, a Polícia Federal não encontrou o detentor do cargo, à época, imediatamente abaixo ao ocupado pelo marido da prefeita Rosinha Garotinho (PR). Aliás, o próprio Anthony Garotinho chegou a ser preso preventivamente como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos – 15 dias depois de decretada a prisão do sub na pasta que ele comandava. No TSE, a prisão de Garotinho foi convertida em medidas cautelares, que o proíbe, entre outras determinações, de visitar Campos até o fim do processo. Alcimar continua foragido. ALCIMAR_HC NEGADO
Comentar
Compartilhe
Sem vale-transporte e 13º, servidores planejam paralisação em SJB
30/11/2016 | 12h09
[caption id="attachment_10930" align="alignleft" width="300"]Mensagem está sendo propagada nas redes sociais Mensagem está sendo propagada nas redes sociais[/caption] A situação em São João da Barra não é das melhores há muito tempo, mas o governo Neco (PMDB), em seus dias finais, está conseguindo piorar. O vale-transporte dos servidores municipais mais uma vez não está liberado no período previsto (entre 25 e 30 do mês anterior ao trabalhado). Além disso, o município ainda não depositou a primeira parcela do 13º salário, inicialmente prevista para 17 de junho, mas adiada para esta quarta-feira (30). A junção dos fatores, aliada à suspensão desde maio do cartão do servidor, que teve o retorno especulado no período eleitoral, mas nenhum posicionamento oficial após o resultado das urnas, levou a movimentação nas redes sociais para que haja uma paralisação em todos os setores da Prefeitura nesta quinta-feira, 1º de dezembro. Nesta quarta, o município (aqui) quitou o pagamento referente ao mês de novembro dos servidores efetivos e dos comissionados, mas ainda deve pagar aos contratados. Porém, a primeira parcela do 13º salário não foi paga. No mês de outubro, chegou a ser especulado que o município não teria recurso para honrar o compromisso. Em uma das raríssimas manifestações após a acachapante derrota nas urnas, Neco escreveu (aqui) em seu perfil no Facebook uma mensagem para “tranquilizar” os servidores quanto ao pagamento até o fim deste mês – promessa, até o momento, não cumprida. A Prefeitura não se posicionou ainda sobre o assunto. Desde segunda-feira (30), o blog tenta contato com secretários do governo, mas o silêncio impera (como informado aqui). Sem previsão sobre a liberação do vale-transporte, os servidores podem cruzar os braços. Novamente, a Prefeitura foi questionada sobre o vale e o 13º. Caso um posicionamento, milagrosamente, seja enviado, o post será atualizado.
Comentar
Compartilhe
Gegê Cantarino inelegível por oito anos
30/11/2016 | 11h21
Cantarino_O prefeito de Cardoso Moreira, Gegê Cantarino (PMDB), que não venceu o pleito deste ano, teve mais um revés – desta vez na Justiça. Gegê foi condenado por abuso de poder e ficou inelegível por oito anos. A decisão foi proferida nessa terça-feira (29). De acordo com a denuncia, no dia 19 de julho, às 16:15h, ocorreu uma reunião do PMDB no Clube de Cardoso Moreira. “O clube mantém contrato com o município para a utilização do espaço, porém, não estipula prazo de hora, sendo utilizado por 24 horas, restando claro que caracteriza abuso de poder”. O juiz Rodrigo Pinheiro Rebouças entendeu que “estando o bem na posse direta da administração pública municipal, não poderia ser utilizado em qualquer evento político partidário”. O magistrado entendeu ainda que a multa deveria ser a mínima, já que “apesar de ferir norma expressa de lei, não causou grande prejuízo ao pleito ou benefício aos réus”. Gegê e o vice na sua chapa neste ano, Neto Sardinha(PMDB), foram condenados “a pena de multa no valor de 5 mil UFIR, e na declaração de inelegibilidade, pelo prazo de 8 anos”. Como a decisão é de primeira instância, cabe recurso.
Comentar
Compartilhe
SJB: pagamento na conta, mas sem 13º
30/11/2016 | 07h15
dinheiro_no_bolsoA Prefeitura de São João da Barra pagou nesta quarta-feira (30) o salário referente ao mês de novembro dos servidores efetivos, conforme previsto no calendário da administração municipal divulgado no início do ano. A primeira parcela do décimo terceiro salário, anunciada para ser paga também nesta quarta, ainda não foi depositado. Conforme já informado neste blog (confira aqui), secretários municipais foram questionados desde segunda-feira (28) sobre o pagamento do 13° e o montante injetado na praça, porém, ainda não houve resposta. Ainda existe a expectativa do depósito da primeira parcela do décimo terceiro até o fim do dia. Atualização às 11h29 - Como alertado pela leitora Marcelly nos comentários, também foi liberado o salário dos comissionados referente a novembro. Os contratados ainda não receberam.
Comentar
Compartilhe
Prefeitura não se posiciona sobre pagamento e 13º; e depois a culpa é da imprensa
29/11/2016 | 23h54
aereasaojoao_NovaDe acordo com o calendário de pagamentos divulgado no início do ano pela Prefeitura de São João da Barra, os servidores efetivos recebem nesta quarta-feira (30) o salário referente ao mês de novembro. Também nesta quarta, o município deve pagar a primeira parcela do décimo terceiro salário, anteriormente prometida para 17 de junho. Contudo, o clima é de instabilidade no município já que a Prefeitura, sequer, emitiu um posicionamento até agora sobre o valor a ser injetado na praça. Mais que isso, desde segunda-feira (28) secretários foram questionados sobre o assunto e não responderam. O governo Neco (PMDB), que vai chegando ao fim de forma melancólica, não se dá o trabalho de responder à imprensa um fato que inquieta os servidores. O resultado é uma onda de boatos nas redes sociais. Tomara que nesta quarta a primeira notícia deste blog seja o pagamento na conta do servidor. Mas isso não anula a falta de respeito com a imprensa e com os próprios funcionários do município. Quem vai receber? Os efetivos ou os comissionados também? O salário do mês, a parcela do 13° ou os dois? São perguntas que ficaram sem respostas. Aliás, não é de hoje que o governo Neco deixa a população sem respostas. A culpa recai sobre ele, como gestor, e por escolhas erradas ao longo do mandato. Raras exceções, no trato com a imprensa o secretariado dele sempre pareceu jogar contra, omitindo informações. Até mesmo nas chamadas pautas positivas era difícil ouvir os escolhidos para comandar algumas pastas. Se as secretarias não andam, a tendência é que o governo seja desastroso. E, pelo que as urnas mostraram, parece ter sido a avaliação que a população fez. É óbvio que a prefeita eleita Carla Machado (PP) tem seus méritos como candidata e liderança política, mas a melancolia da gestão Neco, aliada a má vontade de muitos que o "auxiliaram" e, também, a queda de arrecadação nos anos finais da gestão (quando muitos prefeitos aguardam para dar um "plus"), seria o suficiente para eleger a qualquer político sem muito esforço. Falta pouco para o governo chegar ao fim. Que seja com dignidade. O prefeito se orgulha de nunca ter atrasado o salário mensal dos efetivos - a única vez que houve atraso de um dia, foi avisado com antecedência. Isso é obrigação, na verdade. Mas, quando se compara ao que acontece no Estado e em outros municípios, dá para afirmar que é um ponto positivo. O governo errou em muito se calar (e teve outros erros). Ao traçar estratégias para a disputa eleitoral, o grupo político também errou (embora a equipe de marketing contratada tenha feito um bom trabalho). E até depois da campanha tem gente errando. No fim, querem botar a culpa até na imprensa. Ir para o Facebook dizer que a mídia persegue o prefeito não soluciona nada. Será que ainda não entenderam? Em tempo - Esse é um texto opinativo do jornalista que assina o blog. Divergências de opiniões que surgirem nos comentários serão respeitadas.
Comentar
Compartilhe
Transição em SJB: Justiça manda Neco fornecer informações a Carla
29/11/2016 | 20h10
Carla_Neco2016_ A novela da transição em São João da Barra acaba de ter mais um capítulo. Por decisão judicial, o prefeito Neco (PMDB) tem 48 horas para responder aos questionamentos protocolados pela equipe de transição da prefeita eleita Carla Machado (PP). Na semana passada, a prefeita eleita impetrou um mandado de segurança para ter acesso a informações que, garante ela, estariam sendo negadas pelo atual gestor. Além disso, Carla salienta que o atual prefeito não escolheu, até o momento, os nomes de sua administração que deveriam interagir com a equipe do próximo governo. O Ministério Público se manifestou pela concessão da liminar e pela “extração de peças e distribuição a uma das Promotorias de Tutela Coletiva do núcleo Campos, para exame de propositura de ação civil pública, com pedido, inclusive, de afastamento cautelar do atual prefeito, no fito de garantir os mais basilares princípios republicanos, dentre os quais a continuidade administrativa, já que o município de São João da Barra não é um feudo pertencente a José, Carla, ou quem quer que seja, mas, sim, uma Instituição, que está muito acima de quem momentaneamente a representa e, para tanto, deveria se portar com a dignidade que tal mandato popular exige, seja para iniciar a gestão, seja para terminar saindo pela porta da frente”. A liminar foi concedida pelo juiz Paulo Maurício Simão Filho. O magistrado destaca, entre outros pontos, que a negativa ao “acesso às informações solicitadas configura não só falta de espírito republicano e de cuidado com a coisa pública, mas principalmente desprezo a toda população de São João da Barra, que em última medida será a verdadeira prejudicada com a total paralisação do município”. Mais informações na edição desta quarta-feira (30) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
SJB: dificuldades na transição e para montar equipe?
29/11/2016 | 15h41
Sem títuloPeríodo de dificuldades? A transição de governo está emperrada em São João da Barra, com direito a recurso na Justiça para ter acesso a informações. Mas essa não aparece ser a única dificuldade que a prefeita eleita Carla Machado (PP) enfrenta neste período em que sua posse se aproxima. Enquanto em Campos o prefeito eleito Rafael Diniz (PPS) já esboça parte do seu secretariado, mesmo que sua vitória tenha sido constituída em uma pequena aliança partidária, Carla só revelou três nomes até o momento — e foram muitos aliados durante o pleito. Estão confirmados por ela Alex Firme (Meio Ambiente), Alexandre Magno (Obras) e Filipe Estefan (Procuradoria). Em sua coluna no último domingo, o jornalista Saulo Pessanha informou que é certo o nome de Alan Barcelos, que está na equipe de transição, novamente na Fazenda. Contudo, no “Calcanhar de Aquiles” do governo Neco (PMDB), a prefeita eleita parece enfrentar dificuldades para conseguir um nome. Não fechou Fabiana Catalani foi especulada como secretária de Saúde, mas acabou fechando com Rafael em Campos. Surgiram boatos de outros nomes, mas Carla teria convidado o médico Sandiano Mello, que teria recusado. Vice Se existe uma sala na Prefeitura que não precisará trocar a placa no próximo ano é a do vice-prefeito, Alexandre Rosa (PRB). Eleito em 2012 com Neco, ele continuará no cargo com Carla. Entretanto, há fortes rumores que ele assuma uma secretaria importante na próxima gestão, diferente da atual, quando se afastou do prefeito já em 2013. Pagamento De acordo com o calendário elaborado pela administração municipal de SJB, esta quarta-feira (30) é dia de pagamento dos servidores efetivos da Prefeitura. Por lei, é data limite também para pagamento da primeira parcela do 13º salário, antes anunciado para 17 de junho. Incerteza Mas se os efetivos, que receberam em dia durante a gestão Neco estão em dúvida sobre o que acontece na quarta, mais incerto ainda é o que acontecerá com os contratados e comissionados. Eles não recebem junto com os efetivos há muito tempo. Silêncio Os secretários de Administração e Fazenda foram questionados, no início da tarde dessa segunda-feira (28), sobre quem receberá nesta quarta e quanto será injetado na praça. Não houve retorno até o fechamento da coluna. União Os moradores de Atafona arregaçaram as mangas e preparam, sem apoio do poder público, uma decoração de Natal no Trevo do Cuíca. A árvore foi feita com pneus inservíveis e o todo material doado pela população. A iniciativa foi do historiador Fábio Pedra e do Grupo Cultural Lourenço do Espírito Santo. Hackers Já que perguntar não ofende: que fim levou a investigação do ataque de hackers na Prefeitura de São Francisco de Itabapoana? A população precisa de um esclarecimento. De volta Devido ao agitado período no noticiário político em Campos, a coluna não foi publicada nas últimas semanas. Volta, nesta terça, a ocupar seu espaço na página 5 toda terça, quinta e sábado (com reprodução neste blog). *Publicado na edição desta terça-feira (29) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Diplomação em São Francisco será dia 14 de dezembro
29/11/2016 | 14h25
FrancimaraJá tem data marcada a diplomação dos eleitos e suplentes em São Francisco de Itabapoana. A cerimônia acontecerá no salão do Tribunal do Júri, no Fórum do município, no dia 14 de dezembro, às 14h. Serão diplomados a prefeita eleita Francimara Barbosa Lemos (PSB), seu vice, Cláudio Henriques (DEM), os vereadores eleitos Renato de Buena (PP), Raliston Souza (PMDB), Alexandre Barrão (PPS), Cocoia (PEN), Bebeto Ramos (PSC), Eleno (SD), Caboclo (PMDB), Luciano Coutinho (PTN), Marquinhos de Santo Amaro (PR), Zé Cherene (PSC), Pintinho (Pros), Yara Cinthia (DEM) e Jarédio Azevedo (SD). Também receberão seus diplomas os suplentes.
Comentar
Compartilhe
Machadada: TRE rejeita suspeição do juiz alegada por réu
28/11/2016 | 17h48
ForumO Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro rejeitou, por unanimidade, a suspeição do juiz Leonardo Cajueiro D’Azevedo, da 37ª Zona Eleitoral, que julga a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) 40483, originada da conhecida “Operação Machadada”. A suspeição foi arguida pelo vereador Alex Firme (PP), um dos réus na ação, após as audiências de instrução e julgamento do caso, realizada em maio. Assim, a sentença do caso, aguardada desde 27 de maio, quando os autos estavam conclusos (aqui), pode sair a qualquer momento. No entanto, como explicou o advogado Robson Maciel Junior, independente de qual seja a decisão do magistrado ou de eventuais recursos em instâncias superiores, não haverá mudança no pleito eleitoral deste ano, no qual réus foram eleitos — entre eles Carla Machado (PP), Alexandre Rosa (PRB) e o próprio Alex Firme. Confira a matéria completa na edição desta terça-feira (29) da Folha da Manhã.  
Comentar
Compartilhe
SJB: diplomação dos eleitos no dia 15 de dezembro
28/11/2016 | 16h04
14524466_964256923680701_6079235305005144614_oA diplomação dos candidatos eleitos em São João da Barra já tem data marcada. Será no dia 15 de dezembro, às 14h. Por determinação do juiz eleitoral Leonardo Cajueiro D'Azevedo, na cerimônia receberão o diploma apenas a prefeita eleita Carla Machado (PP), o seu vice, Alexandre Rosa (PRB), os nove vereadores eleitos e os primeiros suplentes de cada coligação. A saber, foram eleitos os vereadores Elísio Motos (PDT), Sônia Pereira (PT), Franquis Areas (PR), Aluizio Siqueira (PP), Eziel Pedro (PMDB), Alex Firme (PP), Caputi (PTN), Gersinho (SD) e Ronaldo da Saúde (Pros). Além dos primeiros suplentes, também recebem os diplomas os segundos e terceiros suplentes. No entanto, eles não participarão da cerimônia com o juiz no Salão do Júri. Eles poderão retirar seus diplomas, também no dia 15, no Cartório Eleitoral.  
Comentar
Compartilhe
Moro veta parte de perguntas da defesa de Cunha para Temer
28/11/2016 | 15h56
Sergio-Moro-2O juiz federal Sérgio Moro decidiu nesta segunda-feira (28) vetar 21 das 41 perguntas feitas pela defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ao presidente Michel Temer que vai depor por escrito como testemunha no processo contra Cunha na Operação Lava Jato. Na decisão, Moro considerou os questionamentos inapropriados por não terem relação com a ação penal a que Cunha responde na Justiça Federal em Curitiba. A maioria das perguntas formuladas pela defesa trata de questões que envolvem os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró e Jorge Zelada. O restante das perguntas foi mantido por ter pertinência, “mesmo que um pouco remota” com as acusações. — Considerando o teor inapropriado de parte dos quesitos, que, nos depoimentos extrajudiciais do colaborador Nestor Cuñat Cerveró, apesar de sua afirmação de que teria procurado o então deputado federal Michel Temer para lograr apoio político para permanecer no cargo de diretor da Petrobras, não há qualquer referência de que a busca por tal apoio envolveu algo de ilícito ou mesmo que a conversa então havida tenha tido conteúdo ilícito — decidiu Moro. Mesmo não tendo relação com as acusações contra Cunha, Temer foi arrolado como testemunha de defesa. De acordo com o Código de Processo Penal (CPP), qualquer pessoa poderá ser testemunha, e a dispensa somente pode ocorrer nas hipóteses previstas na norma, como parentesco com o acusado, ou em casos em que a testemunha deva manter o sigilo profissional, como situações envolvendo médicos e advogados, por exemplo. Temer tem direito a responder a perguntas por escrito em função de outra regra do CPP. De acordo com o Artigo 221 do código, o presidente da República, ministros e outras autoridades podem marcar previamente local da audiência ou responder aos questionamentos por escrito. Fonte: Agência Brasil
Comentar
Compartilhe
Diplomação dos eleitos em Campos já tem data marcada
28/11/2016 | 15h00
[caption id="attachment_10886" align="alignleft" width="300"]Eleitos prefeito e vice de Campos, Rafael e Conceição serão diplomados Eleitos prefeito e vice de Campos, Rafael e Conceição serão diplomados dia 19[/caption] Os candidatos eleitos para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador de Campos serão diplomados no dia 19 de dezembro. A cerimônia será realizada no Teatro Trianon, às 19h. Também serão diplomados os suplentes, até a terceira colocação. O edital, assinado pelo juiz Heitor Campinho, da 76ª Zona Eleitoral, foi publicado nesta segunda-feira (28), no Diário oficial da Justiça Eleitoral. Dúvida — Se não existe dúvida quanto a diplomação do prefeito eleito Rafael Diniz (PPS) e de sua vice, Conceição Santana (PPS), com relação aos 25 vereadores nada é certo. Terminou nesta segunda (aqui) o julgamento das Aijes de 11 eleitos que são réus nas ações do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Em caso de condenação, ainda não se sabe se os votos serão anulados ou se ficarão para coligação. Tudo ainda é dúvida.
Comentar
Compartilhe
Garotinho sobre Cheque Cidadão: “Desvio de finalidade é diferente de corrupção”
28/11/2016 | 10h30
[caption id="attachment_10882" align="aligncenter" width="1000"]Cabrini_Garotinho Cabrini entrevistou Garotinho e também conversou com a esposa dele, Rosinha, e com os filhos Clarissa e Anthony. Conectado ao Facebook, clique na imagem para assistir a entrevista completa[/caption] O ex-governador Anthony Garotinho (PR) concedeu ao jornalista Roberto Cabrini sua primeira entrevista após ser preso acusado de liderar o “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, que foi exibida na madrugada desta segunda-feira (28). Não trouxe muitas novidades no que vem falando com relação ao caso: acusou juiz, delegado da Polícia federal e promotor. Questionado sobre o “desvio de finalidade” do programa social da Prefeitura, que, segundo a acusação, teve o acréscimo de 18 mil beneficiários entre junho e setembro, sem passar pelos critérios estabelecidos pela Assistência Social, ele respondeu: “Desvio de finalidade é diferente de corrupção”. Ainda de acordo com Garotinho, sua prisão “foi uma retaliação, foi uma perseguição e uma injustiça”. Ele apresentou a Cabrini um denso relatório que, segundo o ex-governador, envolve 105 empresas e pessoas em 95 casos de corrupção. Segundo Garotinho, há provas nessa documentação que atingirão muitas pessoas com poder e influência no governo do Rio. A prefeita Rosinha Garotinho (PR) falou sobre uma suposta proximidade de juiz e delegado com seus adversários políticos. Cabrini rebateu, dizendo que tal relação não comprovaria nada. Rosinha retruca: “Também não há provas contra nós”. Em alguns momentos, a prefeita chorou ao lembrar da prisão do marido e que nem no leito de morte da mãe conheceu tamanha tristeza. A deputada federal Clarissa Garotinho (PR), filha do casal, também falou sobre o que classificou de arbitrariedades do juiz de Campos. Garotinho também citou que temeu pela sua vida ao ser transferido para Bangu, onde passou pouco menos de um dia. Sobre a decisão do juiz de prendê-lo, disse: “Não quero julgar o juiz, ele vai responder pelo que fez”. O jornalista lembrou outros processos contra Garotinho e uma de suas condenações, a de chefe de quadrilha armada em 2010, no mesmo processo em que foi condenado Álvaro Lins. O programa ficou entre os cinco mais comentados no Twitter. Se o leitor estiver conectado ao Facebook, pode assistir aqui a entrevista completa. No seu blog Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro falou primeiro sobre a entrevista. No blog do Bastos, o assunto também foi comentado.
Comentar
Compartilhe
Clima de Natal em Atafona
27/11/2016 | 22h16
[caption id="attachment_10873" align="aligncenter" width="720"]FB_IMG_1480291477612 Foto: Daylane Bitencourth/Facebook[/caption] Foi inaugurada na noite deste domingo (27) a decoração de Natal, em Atafona, que conta com uma árvore e um presépio no Trevo do Cuíca. A árvore foi feita com pneus inservíveis, dos de trator ao de bicicleta infantil. A iniciativa foi popular, não contou com recursos da Prefeitura. Moradores abraçaram a ideia, levantada pelo historiador Fábio Pedra e o grupo cultural Lourenço do Espírito Santo, e fizeram doações do material utilizado. Já no relógio digital do Trevo, que, como os outros, está há muito tempo sem passar por manutenção, foi colocado um banner de boas-vindas e as palavras de Elvo Raposo: "Atafona não tem par, é sol, saúde e luar". [caption id="attachment_10876" align="alignleft" width="165"]Foto: Daylane Bitencourth/Facebook Foto: Daylane Bitencourth/Facebook[/caption] [caption id="attachment_10877" align="alignleft" width="165"]Foto: Daylane Bitencourth/Facebook Foto: Daylane Bitencourth/Facebook[/caption]
Comentar
Compartilhe
Garotinho concede entrevista exclusiva a Roberto Cabrini
26/11/2016 | 23h05
[caption id="attachment_10869" align="alignleft" width="300"]Divulgação Divulgação[/caption] O ex-governador Anthony Garotinho (PR), que chegou a ser preso como líder do "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por voto, é o entrevistado deste domingo (27) do programa "Conexão Repórter", do SBT, apresentado por Roberto Cabrini. A entrevista será exibida logo após o programa Silvio Santos. O ex-governador conversou com o jornalista sobre os dias nebulosos em que chegou a ficar internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo Penitenciário de Bangu. Na última quinta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revogou a prisão de Garotinho, decretada pelo juízo da 100 Zona Eleitoral de Campos, que foi substituída por medidas restritivas, como a que o proíbe de ir à sua cidade natal.
Comentar
Compartilhe
Justiça intima Pezão a esclarecer isenção fiscal a joalheria
26/11/2016 | 14h02
_seminario_______07A juíza Fernanda Rosado de Souza, da 3ª Vara da Fazenda Pública, intimou nessa sexta-feira (25) o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), para que explicar esclarecimentos a respeito do benefício fiscal dado este ano retroativo a 2013 para a joalheira Sara Joias. A juíza deu prazo de 48 horas para a prestação de esclarecimentos. No dia 24 de outubro, a mesma vara proferiu liminar que congelava a concessão de isenções fiscais até que o governo estadual detalhasse os benefícios para elucidar se as isenções haviam contribuído para a crise financeira no estado. Entretanto, nos dias 4 e 18 de novembro, o governo publicou no Diário Oficial portaria com retificações do regime tributário especial à joalheria. Em portaria anterior, com data que antecede a determinação da Justiça, limitava a concessão do benefício a 31/12/2015. A data foi retirada, sem encerramento da benesse fiscal, na portaria mais recente. Se ficar provado que houve desobediência, Pezão pode ser multado em R$ 20 mil. No processo, é pedido que a Procuradoria-Geral de Justiça do Estado apure se a isenção fiscal fere a Lei de Responsabilidade Fiscal e se Pezão incorreu em crime de desobediência à ordem judicial. A juíza também determinou a apreensão dos autos do processo administrativo que aprovou o benefício fiscal. Em nota, o Governo do Rio de Janeiro informou que não foi concedido incentivo fiscal retroativo a 2013 à joalheria Sara Joias. A portaria 2.137 da Secretaria de Fazenda, de 21 de outubro de 2016, foi republicada em 18 de novembro de 2016, devido a erro na publicação original. O erro ocorreu porque havia processos de dois estabelecimentos do mesmo contribuinte e o responsável pela análise informou a inscrição estadual de um no processo do outro. A publicação ocorre com efeitos retroativos porque a adesão é automática, estando o contribuinte apto a utilizar o incentivo desde a data da comunicação. Após as verificações, apesar de não haver disposição expressa quanto à republicação no Diário Oficial, a Secretaria de Fazenda faz a publicação para garantir transparência e controle pela população e órgãos competentes. O documento diz ainda que o governo do Estado cumpre a determinação judicial de não conceder ou renovar benefícios fiscais, conforme decisão divulgada em 26 de outubro de 2016: “É importante salientar que os incentivos ao setor joalheiro no estado do Rio de Janeiro visam a estimular a regularização do setor, que tem elevada portabilidade que facilita irregularidades na comercialização. Entre 2008, data do início do incentivo, e 2015, a arrecadação do setor teve aumento de 129%, enquanto o emprego teve incremento de 57%”, concluiu a nota.
Comentar
Compartilhe
Marcos Bacellar na Câmara de Campos
25/11/2016 | 19h55
bacellar-768x576O ex-presidente da Câmara de Campos Marcos Bacellar (PDT) terá uma cadeira na próxima legislatura. Uma decisão da ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), valida os 2.685 votos recebidos por ele no pleito deste ano. Até então, os votos estavam barrados já que Bacellar teve o registro foi indeferido no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), após uma ação movida pelo ex-subsecretário de Governo, Thiago Godoy (PR). Com a entrada de Bacellar, ainda não oficializada no sistema do TSE, quem deve sair é Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), que fica como suplente. Lóssio — A decisão sobre Bacellar foi expedida pela mesma ministra que concedeu liminar para o ex-governador Anthony Garotinho (PR) deixar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo Penitenciário de Bangu na semana passada e relatou o pedido de habeas corpus avaliado pelo Plenário na semana passada. Mais informações na edição deste sábado (26) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
SJB: consignado descontado em contracheque, mas não chega ao banco?
25/11/2016 | 15h32
Prefeitura sjbDois funcionários efetivos da Prefeitura de São João da Barra procuraram o blog por um motivo, no mínimo, estranho: eles estão com os nomes negativados devido ao atraso em parcelas de um empréstimo consignado, descontado regularmente dos seus contracheques. A Prefeitura foi consultada desde quinta-feira (25) sobre o problema, mas não havia respondido até o momento da postagem. Em um grupo do aplicativo Whasts'App que concentra servidores municipais do quadro permanente do município, há relatos de outras pessoas na mesma situação. Se confirmado que o município retém o valor e não repassa à instituição financeira, pode ser configurado crime de “apropriação indébita”. Atualização às 16h25 — A secretaria de Administração informou, em contato com o blog, que, atualmente, o repasse está em dia. “Se, por ventura, algum funcionário estiver negativado por isso [crédito consignado], o mesmo pode reclamar seus direitos com a instituição bancária. Não há nenhum débito com a Caixa Econômica Federal”.  
Comentar
Compartilhe
Comissão investigará violação de direitos humanos na prisão de Garotinho
24/11/2016 | 19h22
GarotinhoO presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, deputado Padre João (PT-MG), anunciou nesta quinta-feira (24) providências que serão tomadas pelo colegiado em relação às circunstâncias que envolveram a prisão do ex-deputado e ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho. Entre as medidas estão pedidos de apuração de supostas arbitrariedades cometidas pelo juiz, junto ao Conselho Nacional de Justiça, e pelos policiais responsáveis pela operação, junto à Corregedoria da Polícia Federal e à Procuradoria Geral da República. Em nota oficial, Padre João diz que a denúncia de violação de direitos foi feita formalmente pela filha do ex-governador, a deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ). Denúncias  De acordo com o relato da deputada, amparado em documentos pessoais, matérias de jornais e redes sociais, “a violência cometida contra seu pai foi institucionalmente determinada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira e cumprida por policiais federais comandados pelo delegado Paulo Cassiano, após ameaças de prisão ao médico-chefe da unidade coronariana do hospital Souza Aguiar, a serem apuradas”. A comissão também solicitou documentos e sindicâncias à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e ao Conselho Regional de Medicina para apuração da possível coação e assédio moral contra profissionais e violação dos princípios e procedimentos do Sistema Única de Saúde. Articulação midiática  Padre João disse que “a escalada da criminalização da política, com forte apelo e articulação midiáticas, tem produzido, a pretexto da justa e necessária luta contra a corrupção, atentados contra os direitos humanos individuais e coletivos, e é objeto de preocupação desta comissão". Segundo o deputado, a decisão tomada nesta quinta-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral de conceder habeas corpus a Garotinho para que ele responda ao processo em liberdade com restrições “parece ser muito mais equilibrada e de acordo com a legalidade e a Justiça." O colegiado colocou-se à disposição da família para respaldar uma solicitação formal de verificação das denúncias pelos por organismos internacionais de direitos humanos, em especial o Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos.
Comentar
Compartilhe
SJB recebe R$ 6 milhões de royalties em novembro
24/11/2016 | 16h40
PlataformaA Prefeitura de São João da Barra receberá R$ 6.040.287,46 nesta sexta-feira (25) referente aos royalties de petróleo do mês de outubro. O valor é 0,3 % superior ao repassado no mês passado, quando a administração pública recebeu R$ 6.020.116,34. No ano passado, no mesmo mês, o repasse dos royalties foi de 6,5 milhões. Confira o valor dos royalties para os municípios da região aqui, na Folha Online, e na edição desta sexta da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Rosinha convoca 228 concursados da Educação
24/11/2016 | 12h49
Prefeita Rosinha Inaulgura leitos pediatrico nos hgg 10-07-2015 foto Genilson Pessanha (234)A 39 dias para o fim do seu governo, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), convocou 228 aprovados no concurso da Educação, realizado em 2014. Estão sendo convocados 108 acompanhantes; 95 aprovados como inspetor de alunos e 20 professores de ensino religioso. Os exames admissionais terão início no dia 5 de dezembro. O decreto foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (24). Confira a publicação no Diário Oficial desta quinta-feira (aqui e aqui)  
Comentar
Compartilhe
TSE: Garotinho em liberdade, mas impedido de vir a Campos
24/11/2016 | 12h00
Garotinho_O ex-governador Anthony Garotinho (PR) conseguiu habeas corpus e não está preso, mas não pode vir a Campos, nem manter contato com as testemunhas do "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por voto, no qual é acusado de liderar "com mão de ferro". A decisão é do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em reunião extraordinária na manhã desta quinta-feira (24). Como o blog do Bastos mostrou, o advogado criminalista Fernando Fernandes faz a defesa de Garotinho e disparou contra os procedimentos da Polícia Federal (PF) em Campos. A ministra Luciana Lóssio, responsável pela relatoria, se posicionou pelo provimento parcial do habeas corpus, com fiança de 100 salários mínimos (R$ 88.000,00). O ministro Luiz Fux sugeriu uma alteração, proibindo a volta de Garotinho ao município de Campos. “Já que ele foi preso e atendido no Rio, ele deve permanecer no Rio até o fim da instrução processual”. Lóssio também comentou sobre seu suposto contato com Garotinho. “Minhas portas estão sempre abertas, mas repudio essas insinuações e venda de ilusões. Recebi a prefeita Rosinha e o secretário Garotinho. Tudo de forma transparente”. Os ministros seguiram o voto da relatora, com pequenas alterações. No blog Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro também acompanhou o julgamento. Mais informações ao longo do dia.
Comentar
Compartilhe
TRE adia análise de suspeição de juiz alegada pelo casal Garotinho
23/11/2016 | 18h58
[caption id="attachment_10826" align="alignleft" width="300"]a521e4800cbbff4bd0996f42b76b2c6c_390x293 Ralph é titular da 100ª ZE[/caption] A pedido do desembargador eleitoral Marco José Mattos Couto, relator do caso, foi adiado para está quinta-feira (24) a análise de suspeição do juiz Ralph Manhães, arguida pela defesa da prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), e do marido dela, Anthony Garotinho (PR). Ralph é titular da 100ª Zona Eleitoral de Campos, onde tramita as investigações envolvendo a suspeita de troca de Cheque Cidadão por votos. No entanto, foi durante as férias de Ralph que o juiz Glaucenir Oliveira decretou a prisão do, agora, ex-secretário de Governo de Campos. Como este blog mostrou aqui, Garotinho cumpre prisão domiciliar em um apartamento no Flamengo. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) chegou a divulgar (aqui) qua análise estaria na pauta desta quarta-feira (23). Não é de hoje que o ex-governador vem, em seu blog, levantando suspeitas sobre o juiz, delegado da Polícia Federal e promotores de Campos. O pedido de suspeição, contudo, foi protocolada no dia 24 de outubro.
Comentar
Compartilhe
Executivos da Odebrecht firmam delação e podem esclarecer “planilhas”
23/11/2016 | 17h36
odebrechtExecutivos da empreiteira Odebrecht, investigada na Operação Lava Jato, começaram a assinar nesta quarta-feira (23) acordos de delação premiada com a força-tarefa de procuradores que investiga desvios na Petrobras. Os termos dos acordos estão sob sigilo e os detalhes não serão divulgados. Um dos depoimentos mais esperados pelos procuradores é o do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro na Lava Jato. Em março, a operação “Xepa”, uma das fases da Lava Jato, teve a Odebrecht como principal alvo e prendeu diretores e executivos da companhia. A “Xepa” foi um desdobramento da operação “Acarajé”, na qual foram apreendidas com Benedicto Barbosa Silva Júnior as famosas planilhas da Odebrecht. Também nessa fase foi descoberta a chamada “diretoria de propina” da empreiteira. Nas planilhas (confira aqui), constam os prefeitos de Campos, Rosinha Garotinho (PR); de Macaé, Dr. Aluizio (PMDB); e de Rio das Ostras, Alcebíades Sabino. Outros políticos da região aparecem, entre eles o ex-governador Anthony Garotinho (PR), marido de Rosinha e preso como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos (aqui); o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), preso pela Lava Jato na última semana (aqui); e o governador Pezão (PMDB). Também estão na lista os deputados federais Clarissa Garotinho (hoje sem partido), Rodrigo Maia (DEM) e Otávio Leite (PSDB), o senador Lindbergh Farias (PT). O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), também é citado, assim como os deputados estaduais Paulo Melo e Jorge Piccini, ambos do PMDB. Também está na relação o deputado federal cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), preso na Lava Jato desde outubro, entre outros políticos fluminenses.
Comentar
Compartilhe
Neco cancela pedidos de férias em dezembro devido à transição
23/11/2016 | 14h27
Neco____Em publicação no Diário Oficial desta quarta-feira (23), o prefeito Neco (PMDB) cancelou todos os pedidos de férias solicitados para o mês de dezembro. O motivo é o período de transição entre os governos. A prefeita eleita Carla Machado (PP) tem reclamado que o atual gestor vem "barrando" a transição e afirmou que vai à Justiça para ter acesso às informações necessárias.
Comentar
Compartilhe
Clarissa chora na Câmara ao falar da prisão do pai; veja o vídeo
22/11/2016 | 15h52
[caption id="attachment_10810" align="aligncenter" width="560"]Clarissa Reprodução[/caption] A deputada federal Clarissa Garotinho (sem partido) chorou no começo da tarde desta terça-feira (22) ao subir na tribuna da Câmara dos Deputados e falar sobre a prisão de seu pai (aqui), o ex-governador Anthony Garotinho, na semana passada pela Polícia Federal. Clarissa defendeu o projeto de lei que prevê punição contra abuso de autoridade. Clarissa declarou que vai processar o juiz que determinou a prisão do seu pai e, segundo ela, vazou as interceptações telefônicas no curso das investigações da operação Chequinho, que apura a troca do programa social Cheque Cidadão por votos em Campos. — Senhor presidente, o senhor não tem noção do que nós vivenciamos. Não podemos permitir mais no Brasil esse tipo de coisa, esse tipo de desumanidade. Senhor presidente, a Ordem dos Advogados do Brasil emitiu uma nota por que de maneira criminosa, em mais uma das suas arbitrariedades, esse juiz vazou uma conversa do seu cliente/paciente com seu advogado, algo que é proibido. A Ordem dos Advogados do Brasil e o IAB [Instituto dos Advogados Brasileiros], inclusive, se manifestaram com relação a isso. e vão, inclusive, processar o juiz. Eu também o processarei mais à frente. E não havia nada de ilegal naquela conversa, pelo contrário. Mas, vazar uma conversa de um cliente com um advogado é ilegal — disse a parlamentar. Confira o vídeo da revista Época: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=OqPAeTBDpLU[/embed] Atualizado às 16h12 — Inclusão de informações.
Comentar
Compartilhe
Garotinho vai cumprir prisão domiciliar no Flamengo, não na "casinha da Lapa"
22/11/2016 | 15h18
Reprodução de vídeo
Saída de Garotinho do Hospital/Reprodução de vídeo
O ex-governador Anthony Garotinho (PR), preso preventivamente pela Polícia Federal na última quarta-feira, não virá para sua “casinha da Lapa” para cumprir prisão domiciliar. Como informou a jornalista Camilla Silva em seu blog Preto no Branco, Garotinho recebeu alta do hospital Quinta D’Or nesta terça-feira (22). A informação é da delegada Carla Dolinski, da Polícia Federal em Campos:
— Ele acabou de chegar (por volta das 10h) ao apartamento para prisão domiciliar, que ele pediu para ser no Flamengo. O Garotinho vai ficar no apartamento até a decisão final. Isso foi decidido pelo TSE. Se ele informou que tem domicílio no Rio também, domicílio é um conceito amplo. Pelo que entendi, ele prefere ficar no Rio e vai ficar.
O imóvel onde Garotinho ficará é o mesmo onde ele foi preso e que gerou polêmica. Como mostrou a jornalista Suzy Monteiro, em seu blog Na Curva do Rio, o imóvel, em área nobre da capital fluminense, estaria em nome da filha de uma funcionária da família Garotinho. Já o filho do ex-governador Wladimir Garotinho, em programa de rádio no dia posterior ao da prisão, informou que o imóvel seria alugado.
Garotinho passou uma noite em Bangu
Garotinho foi preso na quarta-feira no Flamengo por decisão do juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos, Glaucenir Oliveira, que cobre as férias de Ralph Manhães, como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. De lá, seguiu para Superintendência da Polícia Federal e deveria ser transferido para Campos. No entanto, alegou um súbito mal-estar e foi internado no hospital Souza Aguiar, onde passou a primeira noite preso.
Na quinta, ele foi levado para a UPA do Complexo Penitenciário de Bangu após uma decisão de Glaucenir que determinou sua transferência. Ele se recusou a sair do hospital municipal, foi levado à força, com direito a gritos da mulher e prefeita de Campos, Rosinha (PR), e da filha e deputada federal Clarissa (sem partido). As cenas da transferência logo se espalharam pelas redes sociais, com direito a memes. Ele passou a noite na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo de Gericinó.
Na sexta-feira, laudo da UPA de Bangu atestou que a unidade tinha condições de atender o ex-governador, como Aluysio Abreu Barbosa mostrou no blog Opiniões. No entanto, decisão da ministra Luciana Lóssio, do TSE, liberou o ex-governador para tratamento em hospital particular pago por seu próprio bolso, e, posteriormente, prisão domiciliar. Já nos primeiros minutos do sábado, Garotinho deu entrada no Quinta D’Or.
No domingo, Garotinho foi submetido a um cateterismo e a implantação de um stent. No mesmo dia, ele se recusou a ser examinado por uma equipe de peritos do Ministério Público, por ordem do juiz da 100ª. Glaucenir alegou suspeitar da idoneidade do médico Marcial Raul Uribe, que cuida do ex-governador. No blog Ponto de Vista, Christiano Abreu Barbosa mostrou que o médico já foi demitido pelo ministério da Saúde e teve cargo por indicação política quando Garotinho era governador. Para Uribe, o posicionamento do juiz se deve a “questões políticas”.
Mesmo sem a colaboração de Garotinho, os peritos tiveram acesso à documentação médico-hospitalar do ex-governador. No parecer técnico, divulgado em primeira mão no Ponto de Vista, eles afirmam que “o governador estava respirando em ar ambiente, sem precordialgia, em boas condições clínicas e com os sinais vitais e todos os parâmetros dentro da normalidade”. Segundo o MP, Garotinho tinha 60% de obstrução no ramo descendente posterior da coronária direita.
Enquanto Garotinho esteve internado, gravações telefônicas interceptadas no curso da investigação foram reveladas. Revelada neste blog, em uma delas o ex-governador tentaria uma manobra para barrar as investigações. No Fantástico do último domingo, outras gravações mostram Garitnho afirmando que teria “contato” com Luciana Lóssio e que a ministra, que concedeu liminar, estaria por dentro do assunto. O TSE informou que “todos os ministros têm idoneidade moral e que todas as decisões da Corte refletem profundo embasamento teórico”.
Nesse meio tempo, também, o juiz Glaucenir Oliveira denunciou que ocorreram tentativas “milionárias” de suborno por parte de Garotinho e Wladimir, por meio de terceiros, para influenciar suas decisões. A defesa nega e representou contra o juiz da 100ª Zona Eleitoral pelo crime de “denunciação caluniosa”.
O ex-secretário de Governo de Campos, exonerado pela esposa na última segunda, é acusado de coação, compra de votos e associação criminosa.
 
Comentar
Compartilhe
Chequinho: TRE analisa suspeição de juiz alegada por Rosinha e Garotinho
22/11/2016 | 14h28
Exceção Está na pauta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para esta quarta-feira (23) a análise de suspeição do juiz Ralph Manhães, arguida pela defesa da prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), e do marido dela, Anthony Garotinho (PR). Ralph é titular da 100ª Zona Eleitoral de Campos, onde tramita as investigações envolvendo a suspeita de troca de Cheque Cidadão por votos. No entanto, foi durante as férias de Ralph que o juiz Glaucenir Oliveira decretou a prisão do, agora, ex-secretário de Governo de Campos. Como este blog mostrou aqui, Garotinho cumpre prisão domiciliar em um apartamento no Flamengo. Não é de hoje que o ex-governador vem, em seu blog, levantando suspeitas sobre o juiz, delegado da Polícia Federal e promotores de Campos. O pedido de suspeição, contudo, foi protocolada no dia 24 de outubro. O relator do caso é o desembargador eleitoral Marco José Mattos Couto, com quem tem caído a maioria dos recursos relacionados à operação Chequinho.
Comentar
Compartilhe
Cabral diz que Pezão respondia por reforma do Maracanã
22/11/2016 | 12h57
[caption id="attachment_5485" align="alignleft" width="300"]Arquivo Arquivo[/caption] O atual governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), foi citado duas vezes no depoimento do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), prestado à Polícia Federal (PF) e protocolado na segunda-feira (21), na Justiça Federal do Paraná. Nos depoimentos, Cabral respondeu que a reforma no estádio do Maracanã começou quando o atual governador, Pezão, era secretário de Obras do estado. Ele comandou a pasta entre os anos de 2007 e 2011, quando era vice de Cabral. O ex-governador foi preso (aqui) na última quinta-feira (17) sob a acusação de comandar um esquema de corrupção que teria desviado cerca de R$ 224 milhões dos cofres públicos do Rio. Segundo Cabral, Pezão tinha contato com o empresário Fernando Cavendish e outros empreiteiros que tratavam com a secertaria de Obras. Cavendish era o dono da construtora Delta, responsável por parte das obras do estádio. Ele é acusado de pagar propina para ganhar os contratos e de lavagem de dinheiro. Segundo o Ministério Público Federal, Cabral é suspeito de cobrar proprina de empreiteiras para fechar contratos de obras com o estado. As principais obras fraudadas são: reforma do Maracanã (custo total de R$ 1,5 bilhão), PAC das Favelas (custo de R$ 1,14 bilhão) e Arco Metropolitano (custo de R$ 1,55 bilhão). Durante o depoimento, ele ainda se disse indignado com as denúncias e afirmou ter a "consciência tranquila quanto às mentiras absurdas". Pezão não quis comentar as citações ao seu nome. As suspeitas contra Ségio Cabral, segundo o MPF: – O ex-governador é suspeito de chefiar um esquema de desvios em obras do governo estadual feitas com recursos federais entre 2007 e 2014. Ele cobraria propina de empreiteiras para fechar os contratos. – Segundo o MPF, a propina exigida pelo ex-governador era de 5% por obra, mais 1% da chamada "taxa de oxigênio", que ia para a secretaria de Obras do governo, comandada na época por Hudson Braga. – De acordo com os procuradores, Cabral teria recebido "mesada" de R$ 350 mil da Andrade Gutierrez por pelo menos um ano. Da Carioca Engenharia, a "mesada" seria de R$ 200 mil no primeiro mandato, e de R$ 500 mil, no segundo. – Só da Andrade Gutierrez, Cabral teria recebido R$ 2,7 milhões em espécie por contrato em obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) entre os anos de 2007 e 2011. Fonte: G1
Comentar
Compartilhe
Garotinho vai cumprir prisão domiciliar no Flamengo, não na “casinha da Lapa”
22/11/2016 | 10h17
[caption id="attachment_10803" align="aligncenter" width="640"]garotinho-saindo de hospital Garotinho deixa Quinta D'Or e vai para apartamento no Flamengo (Reprodução de vídeo)[/caption] O ex-governador Anthony Garotinho (PR), preso preventivamente pela Polícia Federal na última quarta-feira (aqui), não virá para sua “casinha da Lapa” para cumprir prisão domiciliar. Como informou a jornalista Camilla Silva em seu blog Preto no Branco, Garotinho recebeu alta do hospital Quinta D’Or nesta terça-feira (22). A informação é da delegada Carla Dolinski, da Polícia Federal em Campos: — Ele acabou de chegar (por volta das 10h) ao apartamento para prisão domiciliar, que ele pediu para ser no Flamengo. O Garotinho vai ficar no apartamento até a decisão final. Isso foi decidido pelo TSE. Se ele informou que tem domicílio no Rio também, domicílio é um conceito amplo. Pelo que entendi, ele prefere ficar no Rio e vai ficar. O imóvel onde Garotinho ficará é o mesmo onde ele foi preso e que gerou polêmica. Como mostrou a jornalista Suzy Monteiro, em seu blog Na Curva do Rio, o imóvel, em área nobre da capital fluminense, estaria em nome da filha de uma funcionária da família Garotinho. Já o filho do ex-governador Wladimir Garotinho, em programa de rádio no dia posterior ao da prisão, informou que o imóvel seria alugado.

Garotinho passou uma noite em Bangu

Garotinho-presoGarotinho foi preso na quarta-feira no Flamengo por decisão do juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos, Glaucenir Oliveira, que cobre as férias de Ralph Manhães, como líder do "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por votos. De lá, seguiu para Superintendência da Polícia Federal e deveria ser transferido para Campos. No entanto, alegou um súbito mal-estar e foi internado no hospital Souza Aguiar, onde passou a primeira noite preso. Na quinta, ele foi levado para a UPA do Complexo Penitenciário de Bangu após uma decisão de Glaucenir que determinou sua transferência. Ele se recusou a sair do hospital municipal, foi levado à força, com direito a gritos da mulher e prefeita de Campos, Rosinha (PR), e da filha e deputada federal Clarissa (sem partido). As cenas da transferência (aqui) logo se espalharam pelas redes sociais, com direito a memes (aqui). Ele passou a noite na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo de Gericinó. Na sexta-feira, laudo da UPA de Bangu atestou que a unidade tinha condições de atender o ex-governador, como Aluysio Abreu Barbosa mostrou no blog Opiniões. No entanto, decisão da ministra Luciana Lóssio, do TSE, liberou o ex-governador para tratamento em hospital particular pago por seu próprio bolso, e, posteriormente, prisão domiciliar (aqui). Já nos primeiros minutos do sábado (aqui), Garotinho deu entrada no Quinta D’Or. No domingo, Garotinho foi submetido a um cateterismo e a implantação de um stent (aqui). No mesmo dia, ele se recusou a ser examinado por uma equipe de peritos do Ministério Público, por ordem do juiz da 100ª. Glaucenir alegou (aqui) suspeitar da idoneidade do médico Marcial Raul Uribe, que cuida do ex-governador. No blog Ponto de Vista, Christiano Abreu Barbosa mostrou que o médico já foi demitido pelo ministério da Saúde e teve cargo por indicação política quando Garotinho era governador. Para Uribe, o posicionamento do juiz se deve a “questões políticas”. Mesmo sem a colaboração de Garotinho, os peritos tiveram acesso à documentação médico-hospitalar do ex-governador. No parecer técnico, divulgado em primeira mão no Ponto de Vista, eles afirmam que “o governador estava respirando em ar ambiente, sem precordialgia, em boas condições clínicas e com os sinais vitais e todos os parâmetros dentro da normalidade”. Segundo o MP, Garotinho tinha 60% de obstrução no ramo descendente posterior da coronária direita. Enquanto Garotinho esteve internado, gravações telefônicas interceptadas no curso da investigação foram reveladas. Revelada neste blog (aqui), em uma delas o ex-governador tentaria uma manobra para barrar as investigações. No Fantástico do último domingo, outras gravações mostram Garotnho afirmando que teria "contato" com Luciana Lóssio e que a ministra, que concedeu liminar, estaria por dentro do assunto (aqui). O TSE informou que “todos os ministros têm idoneidade moral e que todas as decisões da Corte refletem profundo embasamento teórico”. Nesse meio tempo, também, o juiz Glaucenir Oliveira denunciou (aqui) que ocorreram tentativas "milionárias" de suborno por parte de Garotinho e Wladimir, por meio de terceiros, para influenciar suas decisões. A defesa nega e representou contra o juiz da 100ª Zona Eleitoral pelo crime de “denunciação caluniosa”. O ex-secretário de Governo de Campos, exonerado pela esposa na última segunda (aqui), é acusado de coação, compra de votos e associação criminosa.
Comentar
Compartilhe
SJB: Filipe Estefan escolhido por Carla para Procuradoria
21/11/2016 | 23h20
Carla_FilipeO advogado Filipe Estefan, ex-presidente da 12ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Campos, será o Procurador Geral de São João da Barra em 2017. O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira (17) pela prefeita eleita Carla Machado (PP). No ano passado, o nome do advogado chegou a ser especulado como pré-candidato a prefeito de São João da Barra. Na ocasião, Filipe negou tal interesse. Depois, chegou a figurar na lista de pretensos vices de Carla. Filipe já atuou na Procuradoria do município no segundo mandato do ex-prefeito Betinho Dauaire (hoje PR). Primeiro escalão -  Este é o terceiro nome divulgado por Carla para o primeiro escalão da sua gestão. Além de Filipe como na Procuradoria, estão confirmados Alex Firme (Meio Ambiente) e Alexandre Magno (Obras). Em seu blog, Alexandre Bastos falou primeiro sobre a escolha de Estefan para Procuradoria em SJB  (aqui).
Comentar
Compartilhe
Justiça nega habeas corpus a Sérgio Cabral
21/11/2016 | 18h30
O jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, informou em seu blog que foi negado o pedido de habeas corpus do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), preso na semana passada (aqui), como líder de associação criminosa na operação Calicute, desdobramento da Lava Jato.
 
Comentar
Compartilhe
PR expulsa Clarissa Garotinho
21/11/2016 | 17h23
clarissa-mrA deputada federal Clarissa Garotinho foi expulsa do PR na tarde desta segunda-feira (21). A Executiva Nacional do Partido da República decidiu, por unanimidade, acatar as recomendações propostas pelo Conselho de Ética da legenda, no processo disciplinar que pune a desobediência de parlamentares ao fechamento de questão do partido à PEC 241, nos termos previstos pelo Estatuto do Partido da República. A decisão prevê, em caráter irrevogável, a expulsão da deputada fluminense Clarissa Garotinho, além da suspensão para os deputados Silas Freire (PI) e Zenaide Maia (RN), por 9 e 12 meses respectivamente (que impede os mesmos de assumirem o cargo de Líder da bancada). A punição da deputada Clarissa Garotinho não ficou restrita à suspensão por agravantes que levaram seu caso a uma esfera além do flagrante de desobediência ao fechamento de questão. — Mesmo depois de ser comunicada da abertura do processo disciplinar, (Clarissa) divulgou nota oficial que desrespeita um colega de bancada e descarta a natureza democrática do PR — esclareceu em seu voto o relator do processo de Clarissa Garotinho no Conselho de ética, Benedito de Freitas que, inclusive, apresenta a nota à imprensa assinada pela deputada como prova. “Ora, não se pode atribuir inspiração democrática a uma manifestação que, além de vulgarizar uma posição a ser obedecida por toda bancada do PR, pretende desmoralizar a natureza de uma decisão do mais alto colegiado do Partido”, concluiu.
Comentar
Compartilhe
PRE pede ao ministério da Justiça mais segurança para autoridades em Campos
21/11/2016 | 15h59
Rodrigo Silveira
Fachada do Ministério Público Federal em Campos/Rodrigo Silveira
A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Rio de Janeiro quer que o ministério da Justiça garanta reforço da Polícia Federal em Campos, sobretudo para dar segurança aos membros da Promotoria e da Justiça Eleitorais na cidade. Em ofício remetido à Procuradoria Geral Eleitoral (PGE), o procurador regional eleitoral Sidney Madruga pede que o ministério tome ciência, por meio do vice-procurador geral eleitoral Nicolao Dino, de recentes casos de possível ameaça à segurança dos titulares da 100ª Promotoria Eleitoral e da 100ª Zona Eleitoral.
Na avaliação da PRE, situações graves englobaram a Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e Polícia Federal, os três órgãos ligados à investigação de supostas irregularidades relacionadas ao programa “Cheque-Cidadão”. No ofício à PGE, é solicitado que o vice-procurador-geral eleitoral também informe aos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os fatos graves reportados pelo promotor e pelo juiz em Campos.
— A situação de Campos é gravíssima e exige esforços conjuntos de todos os órgãos de perseguição e do Judiciário — afirma o procurador regional eleitoral Sidney Madruga.
Pedido de esclarecimentos — Em outro ofício, enviado ao superintendente da PF-RJ, o procurador regional eleitoral pediu até 4ª feira (23) dois esclarecimentos ao superintendente Mario Semprine: o motivo que levou à busca e apreensão de corregedores da PF na delegacia de Campos (e a razão por que isso ocorreu após a prisão de Garotinho) e o esclarecimento sobre eventual comparecimento do ex-governador na Superintendência da PF-RJ antes de ele ser preso. Se tiver comparecido, Sidney Madruga quer ser informado de quem foi contatado e que providências foram pedidas relacionadas ao delegado que preside o inquérito sobre Garotinho em Campos.
Comentar
Compartilhe
Justiça nega habeas corpus a Sérgio Cabral
21/11/2016 | 15h49
[caption id="attachment_10750" align="aligncenter" width="955"]cabral_ Reprodução do blog do Lauro Jardim, no site do jornal O Globo. Clique na imagem para acessar[/caption] O jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, informou em seu blog que foi negado o pedido de habeas corpus do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), preso na semana passada (aqui), como líder de associação criminosa na operação Calicute, desdobramento da Lava Jato.
Comentar
Compartilhe
PRE pede ao ministério da Justiça mais segurança para autoridades em Campos
21/11/2016 | 14h47
[caption id="attachment_10594" align="alignleft" width="300"]930fc49e9c518b0adf9a0b9fd39eb6f1_390x293 Reforço da Polícia Federal foi solicitada pela Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro[/caption] A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Rio de Janeiro quer que o ministério da Justiça garanta reforço da Polícia Federal em Campos, sobretudo para dar segurança aos membros da Promotoria e da Justiça Eleitorais na cidade. Em ofício remetido à Procuradoria Geral Eleitoral (PGE), o procurador regional eleitoral Sidney Madruga pede que o ministério tome ciência, por meio do vice-procurador geral eleitoral Nicolao Dino, de recentes casos de possível ameaça à segurança dos titulares da 100ª Promotoria Eleitoral e da 100ª Zona Eleitoral. Na avaliação da PRE, situações graves englobaram a Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e Polícia Federal, os três órgãos ligados à investigação de supostas irregularidades relacionadas ao programa “Cheque-Cidadão”. No ofício à PGE, é solicitado que o vice-procurador-geral eleitoral também informe aos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os fatos graves reportados pelo promotor e pelo juiz em Campos. — A situação de Campos é gravíssima e exige esforços conjuntos de todos os órgãos de perseguição e do Judiciário — afirma o procurador regional eleitoral Sidney Madruga. Pedido de esclarecimentos – Em outro ofício, enviado ao superintendente da PF-RJ, o procurador regional eleitoral pediu até 4ª feira (23) dois esclarecimentos ao superintendente Mario Semprine: o motivo que levou à busca e apreensão de corregedores da PF na delegacia de Campos (e a razão por que isso ocorreu após a prisão de Garotinho) e o esclarecimento sobre eventual comparecimento do ex-governador na Superintendência da PF-RJ antes de ele ser preso. Se tiver comparecido, Sidney Madruga quer ser informado de quem foi contatado e que providências foram pedidas relacionadas ao delegado que preside o inquérito sobre Garotinho em Campos. Fonte: Assessoria
Comentar
Compartilhe
SJB: Emergência no escuro leva vice-prefeito à DP para denúncia
20/11/2016 | 16h58
[caption id="attachment_10734" align="alignleft" width="225"]No escuro, funcionários atenderam pacientes em SJB (Foto: Leitor/Parahybano) No escuro, funcionários atenderam pacientes em SJB (Foto: Leitor/Parahybano)[/caption] No apagar das luzes do governo Neco (PMDB), é a Saúde que mais uma vez fica às escuras. Neste domingo (20), o Centro de Emergência Pedro Otávio Enes Barreto teve o atendimento comprometido. Faltou energia elétrica novamente e a unidade de saúde não contava com gerador emergencial em funcionamento.  Vice-prefeito de Neco e eleito vice-prefeito de Carla Machado (PP), Alexandre Rosa (PRB) afirmou que a Organização Social responsável pelo atendimento no Centro de Emergência teria a receber do município cerca de R$ 15 milhões. Sem o crédito, estaria em atraso com outras empresas, inclusive a do gerador. Alexandre foi à Delegacia de Polícia de São João da Barra e prestou depoimento. Em seu perfil no Facebook, relatou ainda que a cidade vive um caos. "O atendimento que já era ruim, ficou ainda pior nesse término de mandato. (...) Enquanto 'responsáveis' somem após a derrota eleitoral, infelizmente vidas estão sendo ceifadas", disparou o vice-prefeito. Ainda de acordo com Alexandre, um hospitalizado na área de pacientes graves precisou ser transferido para o Hospital Geral de Guarus (HGG), em Campos. Outros pacientes continuaram no Centro de Emergência até que a concessionária de energia elétrica restabeleceu o serviço. Não é a primeira vez neste mês que o problema acontece. No dia 10 (aqui), a unidade também ficou às escuras. Por ser domingo, o blog não conseguiu contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura. Em contato com o Centro de Emergência, por volta das 15h, um funcionário informou que o atendimento estava normalizado, já que o gerador havia sido acionado à tarde, enquanto a concessionária ainda efetuava reparos na rede elétrica. Alexandre_
Comentar
Compartilhe
Rosinha tem razão: “Tem muita coisa para explodir”
20/11/2016 | 11h25
Ponto-final1 Ela tinha razão A prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), em entrevista à Rádio Gaúcha, no dia seguinte à prisão do seu marido e secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), profetizou: “Tem muita coisa para explodir”. E ela tinha razão. A cada dia fatos novos caem como bomba na Planície, principalmente os que envolvem o líder do grupo rosáceo. Como mostram as reportagens da edição deste domingo da Folha (aqui e aqui), Garotinho, político que já foi líder de projeção nacional e chegou a superar a casa de 15 milhões de votos quando disputou a presidência da República, é acusado de comandar Prefeitura, Câmara, o “escandaloso esquema” do Cheque Cidadão, rádio, jornal. Propina milionária E tem mais. O juiz Glaucenir Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral, denunciou que Garotinho e o filho Wladimir, teriam oferecido, por intermédio de terceiros, quantias milionárias a pessoas conhecidas pelo magistrado, com o objetivo de influenciar suas decisões. Wladimir liderou um pequeno movimento na porta da Polícia Federal, na última quinta-feira, em apoio ao pai, além de uma mensagem publicada no Facebook, e rechaçou o depoimento da radialista Elizabeth Gonçalves dos Santos, a Beth Megafone, no qual é mencionado. Em troca de decisões judiciais favoráveis aos investigados, o juiz teria recebido ofertas de R$ 1,5 milhão e R$ 5 milhões. Resposta à população Neste período no qual o Brasil tem acompanhado de perto os desdobramentos de investigações com políticos, eviscerados principalmente pela operação Lava Jato, fez diferença em Campos os pedidos de celeridade, em movimentos nas ruas e nas redes sociais, com relação ao “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Nas decisões do juiz Glaucenir Oliveira, ele sempre destaca o clamor popular por uma resposta da Justiça, o mais rápido possível, sobre a suposta fraude no benefício social. Diploma inválido? Matéria publicada na edição de ontem do jornal O Globo põe em dúvida o diploma de Garotinho em Teologia. De acordo com o jornal, em um processo de 2014 do TRE, Garotinho afirmou ter feito a graduação na Fatun, no Rio. Nos autos, informou que o diploma foi expedido pela Faceten, em Roraima. Em publicação em seu blog, teria apresentado o diploma de uma terceira instituição do Rio. A defesa do ex-governador emitiu nota com declaração da Universidade Federal de Roraima informando sobre a validade do diploma da Faceten. Detentos com curso superior ficam em Bangu 8, mais confortável que outros presídios. Calamidade O Rio de Janeiro vive um de seus piores momentos. Com estado de calamidade pública reconhecido, a Alerj analisa um pacote de medidas severas, inclusive com aumento da contribuição previdenciária dos servidores. Enquanto isso, o Estado tem hoje dois ex-governadores presos. Garotinho, como já citado, no “escandaloso esquema” em Campos. Já Sérgio Cabral (PMDB), preso no dia seguinte na operação Calicute, é acusado de receber propina de empreiteiras que realizaram obras no Estado.   Políticos presos O Rio, aliás, teve, em menos de um mês, três políticos “de peso” presos. O primeiro, no dia 19 de outubro, foi Eduardo Cunha (PMDB), deputado federal cassado e ex-presidente da Câmara. Depois Garotinho, em 16 de novembro, e no dia seguinte Cabral. A prisão de Garotinho tem ampla repercussão no país. Cabral e Cunha, envolvidos na Lava Jato, tiveram repercussão internacional. Em algum momento da vida pública, já foram aliados. A calamidade, portanto, não é só econômica, é também na classe política. Ou melhor, a dos políticos parece ter sido a que levou à econômica. Em Campos Amanhã (21) é dia da segunda reunião de transição dos governos Rosinha para Rafael Diniz. O encontro estava marcado para última quinta, mas, devido aos recentes fatos, foi adiada. É difícil até que aconteça, já que a cidade está até sem prefeita — Rosinha está no Rio com o marido preso e internado. O município, porém, deve estar acima das questões pessoais. Os indicados por Rosinha e os indicados por Rafael devem se encontrar para discutir a real situação das finanças e contratos, entre outros assuntos. A transição é fundamental para o início da nova gestão.   Publicado na edição deste domingo (20) da Folha da Manhã. 
Comentar
Compartilhe
Garotinho manobrou para obstruir investigações da PF e MP; ouça o áudio
20/11/2016 | 01h03
Garotinho_Reunião Uma ligação de Anthony Garotinho (PR), interceptada no dia 23 de outubro, evidencia que o ex-governador tentou obstruir as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre a utilização do programa social “Cheque Cidadão” por troca de votos. Garotinho entrou em contato com uma pessoa não identificada para saber se o “amigo” dele teria contato com o novo corregedor da PF no Rio, e que seria despachado para trabalhar em Campos. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=qJV6eHEHU_4[/embed] Esse diálogo foi usado como prova que houve tentativa de obstrução do processo, um dos motivos pelos quais o ex-governador foi preso. Confira a transcrição: Manobra_   Coincidência ou não, dias depois, os autos do inquérito da PF, sem aparentes motivos justificáveis, teriam de ser remetidos para o Rio para realização de espécie de “correição extraordinária”. O Ministério Público Federal solicitou, e foi atendido pelo juízo da 100ª Zona Eleitoral de Campos, a busca e apreensão dos autos do inquérito em Campos ou onde quer que estivesse. Na ocasião, em 9 de novembro, o juiz Glaucenir Silva de Oliveira proibiu o compartilhamento das informações contidas no inquérito sem a sua autorização: “Infelizmente, no Brasil atual, a polícia, bem como a Justiça, vem sofrendo pressões e intromissões indesejáveis, principalmente de ordem política, com o fito de macular trabalhos legítimos, eficazes e extremamente necessários em prol da sociedade”, saliento  magistrado em trecho da decisão de busca e apreensão. Dois dias depois da busca e apreensão do inquérito, com denúncia do MP, Glaucenir Oliveira determinou a prisão de Garotinho, acusado de coação, compra de votos, associação criminosa e compra de votos. O magistrado afirmou que o secretário municipal de Governo e marido da prefeita Rosinha (PR), comandava “com mão de ferro um verdadeiro esquema de corrupção eleitoral no município”. Confira a decisão de busca e apreensão: IMG-20161119-WA0032 IMG-20161119-WA0031IMG-20161119-WA0034 Atualizado às 4h25 - Inclusão da decisão e alterações no texto.
Comentar
Compartilhe
Preso, Garotinho continua em observação no Quinta D’Or
19/11/2016 | 18h23
Garotinho_Preso como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos na última quarta-feira (aqui), o ex-governador Anthony Garotinho (PR) “ permanece internado no Hospital Quinta D'Or, sendo submetido a exames.  Ele encontra-se estável, em observação clínica, sob os cuidados do Dr. Marcial Navarrete Uribe”, conforme informou a assessoria de imprensa do hospital às 18h deste sábado (19). Na quinta-feira (aqui), por decisão do juiz Glaucenir Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral, Garotinho foi levado para o Complexo Penitenciário de Bangu, que dispõe de uma Unidade de Pronto Atendimento onde o secretário de Governo poderia ficar internado, conforme laudo divulgado na sexta (aqui). Na sexta-feira, porém, a ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luciana Lóssio determinou (aqui) a transferência de Garotinho para um hospital, que poderia ser  particular, desde que custeado por ele. Nos primeiros minutos de sábado, ele deu entrada no Quinta D’Or. A ministra determinou, também, que terminados procedimentos hospitalares necessários, o ex-governador  fique em prisão domiciliar —  enquanto não for apreciado o pedido de liminar pelo plenário do TSE.
Comentar
Compartilhe
Ex-presidente do TJ quer explicações de Rosinha sobre “insinuações”
19/11/2016 | 16h43
ZveiterO desembargador Luiz Zveiter, ex-presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, vai requerer, judicialmente, explicações da prefeita de Campos, Rosinha Garotinho (PR), sobre suas declarações à imprensa, consideradas por ele como “descabidas e levianas insinuações”. Na última quinta-feira (17), um dia após a prisão do seu marido e secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), em entrevista à “Rádio Gaúcha”, Rosinha afirmou que a detenção deve-se ao fato de o político estar denunciando “muita gente grande”. Ela citou nominalmente o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), preso na quinta; o atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB); o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB); e Luiz Zveiter. O desembargador, além de esclarecimentos, requer “imediata cessação da reprovável conduta”. — A propósito, a irresignação ao atuar firme e pautado nos preceitos legais que sempre nortearam minha conduta como Magistrado durante os períodos na administração judiciária judicial e eleitoral, não pode servir de fomento à manifestação pública revestida de insinuações maldosas e impertinentes — salienta Zveiter, que também já presidiu o Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
Comentar
Compartilhe
Lóssio exige de juiz embasamento que ela ignora
19/11/2016 | 14h10
Ponto-final1 Velha conhecida A ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é nome conhecido dos campistas e tem destaque na mídia nacional como quem atua de forma determinante em casos que envolvem petistas e aliados. Seu histórico com rosáceos é de decisões favoráveis, tanto que surpreendeu a muita gente a negativa do habeas corpus interposto pela defesa de Anthony Garotinho (PR) no dia em que ele foi preso como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Ontem, foi dela liminar que tirou Garotinho de Bangu e determinou que ele voltasse para um hospital, até mesmo particular, caso pague. Além disso, enquanto a liminar não for apreciada pelo plenário do TSE, Garotinho fica em prisão domiciliar.   Ignorou embasamento da UPA Lóssio classificou de “temerária” a atitude do juiz de “proceder sem qualquer embasamento técnico-pericial” e que não caberia à autoridade judicial avaliar o quadro clínico do réu, com base apenas em informações que chegaram ao conhecimento dele. Só que, na mesma decisão, ela tem como base o relato dos médicos de Garotinho, sem considerar o laudo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo Penitenciário, emitido ontem, que não encontrou anormalidade nos exames e atesta ter plenas condições de oferecer uma assistência adequada ao interno Garotinho. Antes de Lóssio atender ao pedido da defesa do secretário de Governo de Campos, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) havia negado o habeas corpus ontem.   Poderio além da Prefeitura As investigações do “escandaloso esquema” começaram a apontar que muita gente já defendia há muito tempo: a influência do ex-governador não só na Prefeitura comandada pela sua esposa, mas em muitas áreas da política da planície. Apontado como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, ligações interceptadas no curso das investigações mostram que o poderio ia muito além dos limites do Cesec e do “puxadinho”.   “É de graça” Uma das conversas é de Garotinho com um homem identificado como Cleiton de Souza Rodrigues. Ele queria saber se o “produto do Dalcir é bom”. Pelo que dá para entender do diálogo, o “produto do Dalcir” é o material didático que a Prefeitura de Campos pagou sem necessidade, de qualidade questionada por profissionais da Educação. O secretário de Governo responde que subiu o Ideb de Campos, mas admite que deu muita polêmica. Pudera, o Governo Federal oferece ao município o material de forma gratuita, enquanto a oposição calcula que foram pagos mais de R$ 40 milhões. Manda em Edson Outra escuta mostra que foi Garotinho quem orientou o presidente da Câmara Edson Batista (PTB) a não assumir a Prefeitura quando Rosinha (PR) e Chicão (PR) foram cassados pela corte eleitoral no mês passado. Edson descumpriu a decisão do TRE enquanto Rosinha ganhou tempo para conseguir uma liminar no TSE. Garotinho além de “prefeito de fato de Campos”, como definiu o juiz Glaucenir Oliveira na decisão da sua prisão, parece que dava as cartas também na mesa da Câmara.   Lendo a Folha Edson só ficou sabendo que já podia ser empossado prefeito de Campos ao ler o site da Folha da Manhã, como informou por telefone a quem, em outra ligação interceptada durante as investigações, disse que determinava o que devia ser capa de outro jornal da cidade. Além de editar o conteúdo do impresso do grupo, ele tem voz ativa em outro veículo de comunicação.   E para fechar o dia... Quem pensava que não poderia ter mais nenhuma surpresa, se depara com a notícia daquelas feitas para fechar o dia: Lula quer prender o juiz federal Sérgio Moro. Ao assistir à prisão de tantos que já chamou de companheiro e que, como ele, apostavam na constante impunidade, ele quer “cortar o mal pela raiz”. Moro é o responsável pela Lava Jato em primeira instância e quem, certamente, tem inspirado a atuação de membros do Judiciário em todo país. Prova disso foi a atuação consistente da Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e Polícia Federal no pleito deste ano — como pode ser acompanhada bem de perto em Campos.   Publicado na edição deste sábado (19) da Folha da Manhã. 
Comentar
Compartilhe
Garotinho ofereceu até R$ 5 milhões para evitar prisão, denuncia juiz
19/11/2016 | 12h29
[caption id="attachment_10684" align="alignleft" width="300"]Garotinho-preso Foto: Fábio Guimarães/Agência O Globo[/caption] A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE/RJ) requereu à Polícia Federal que instaure um inquérito para apurar suspeita de que o ex-governador Anthony Garotinho e o filho dele Wladimir Matheus teriam oferecido R$ 1,5 milhão e R$ 5 milhões, por meio de terceiros, ao juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, Glaucenir Silva de Oliveira, com o objetivo de influenciar as decisões do magistrado, inclusive para evitar a prisão do ex-governador. O relato foi feito pelo próprio juiz à Procuradoria Eleitoral, que decretou a prisão do ex-governador. De acordo com o procurador regional eleitoral Sidney Madruga, o magistrado relatou que intermediários do ex-governador procuraram pessoas próximas dele para oferecer dinheiro: “Foram duas propostas: uma de R$ 1,5 milhão e a outra de R$ 5 milhões”. Em ofício encaminhado na noite de sexta-feira (18) à chefia da Delegacia de Defesa Institucional da PF-RJ (Delinst), o procurador ressalta a gravidade dos fatos apontados, “que configurariam um caso explícito de corrupção”. “Os fatos serão apurados, em caráter urgente, pelo Ministério Público e Polícia Federal, pois a situação retratada pelo magistrado é extremamente grave", diz o procurador. O ex-governador foi preso (aqui) na quarta-feira (16) em um apartamento no Flamengo, Zona Sul do Rio, na Operação Chequinho. Ele é suspeito de liderar um esquema de compra de votos utilizando-se o Cheque Cidadão, programa de complemento de renda do governo de Campos. Fonte: O Globo Atualização às 15h: No blog Na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro falou primeiro sobre a acusação de propina. Nota do TRE: O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro entende que o revelado oferecimento de propina ao juiz eleitoral Glaucenir Silva de Oliveira para evitar a prisão do ex-governador Anthony Garotinho é de extrema gravidade. Para o TRE-RJ, os fatos devem ser apurados com rigor. A Justiça Eleitoral fluminense já encaminhou expediente ao Ministério Público Federal e à Superintendência da Polícia Federal para que sejam tomadas as providências necessárias. O desembargador eleitoral Marco Couto, relator dos Habeas Corpus em favor do ex-governador, e que indeferiu, em caráter liminar, os pedidos de liberdade, também já está ciente do fato. Atualização às 16h49 — Nota da defesa de Garotinho: O advogado de defesa da família de Garotinho, Fernando Augusto Fernandes, irá representar contra o juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, Glaucenir Silva de Oliveira, pelo Crime de Denunciação Caluniosa. “As atitudes do juiz, as cenas grotescas da semana passada e o  abuso de autoridade merecem resposta unicamente jurídica. E o juiz  irá responder criminalmente por denunciação caluniosa, previstos no Artigo 339”. afirma o advogado.  
Comentar
Compartilhe
Ministra do TSE determina que Garotinho vá para hospital particular
18/11/2016 | 18h18
Garotinho_A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luciana Lóssio determinou nesta sexta-feira (18) a transferência de Anthony Garotinho (PR), preso como líder do "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por voto na última quarta-feira (16), de Bangu para um hospital particular. Na quinta, por decisão do  juiz Glaucenir Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral, Garotinho foi levado do Souza Aguiar para o Complexo Penitenciário de Bangu. As cenas da transferência logo se espalharam por todo país, com direito a gritos do ex-governador (aqui), da esposa e da filha deputada. Luciana Lóssio determina ainda que, enquanto não for apreciado o pedido de liminar pelo plenário do TSE, Garotinho fique em prisão domiciliar. A decisão de Lóssio foi proferida depois de o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ter negado (confira aqui na Curva do Rio) o pedido de liminar. Atualização à 0h45 — Já nos primeiros minutos deste sábado (19), Garotinho saiu de Bangu para o hospital Quinta D'Or. Garotinho estava internado no Souza Aguiar desde quarta. No entanto, na quinta, o juiz Glaucenir Oliveira, que determinou a prisão do atual secretário de Governo de Campos, tomou ciência de algumas regalias que o réu estaria tendo direito e entendeu que a unidade hospitalar do Complexo Penitenciário de Bangu teria condições de atendê-lo. Lóssio tem outra interpretação e determina a transferência imediata para unidade da rede hospitalar, desde que custeado por ele. “(...) a fim de assegurar o adequado e necessário acompanhamento médico, determino à autoridade policial a imediata remoção do ora paciente, Anthony William Garotinho Matheus de Oliveira, para hospital - podendo ser na rede privada, desde que por ele custeado - o qual deverá estar apto à realização dos exames indicados no relatório médico, devendo permanecer sob custódia no estabelecimento enquanto houver necessidade devidamente atestada pelo corpo clínico, podendo receber a visita apenas de seus familiares e advogados, nos termos das regras estabelecidas pelo hospital, vedada, contudo, a utilização de aparelhos de comunicação, a exemplo de telefone celular”, determina a ministra. O blogueiro Ralfe Reis publicou a decisão primeiro (aqui). Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1Microsoft Word - Documento1  
Comentar
Compartilhe
Em escuta, Garotinho dá ordens a Edson Batista
18/11/2016 | 16h30
Edson_GarotinhoApontado pelo juiz Glaucenir Oliveira como “prefeito de fato” em Campos (aqui), Anthony Garotinho (PR), preso como líder do “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos, parece ter influência decisiva também nas ações da Câmara de Campos. Escutas telefônicas mostram que o presidente Edson Batista (PTB) procurou Garotinho ao saber que seria notificado para assumir a Prefeitura devido à cassação de Rosinha Garotinho (PR) e Dr. Chicão (PR) pelo Tribunal Regional Eleitoral. Após pedir orientação do líder do grupo político, Edson convocou uma coletiva de imprensa e não tomou posse (aqui), contrariando a decisão da Corte Eleitoral fluminense, que pede a condenação dele por desobediência. Somente depois da recusa, Rosinha conseguiu liminar para continuar no cargo Ouça o diálogo: Edson e Garotinho 1. Confira a transcrição da conversa: Orientação2Garotinho também “orientou” Edson a como proceder no caso da prisão de vereadores pela operação “Chequinho”, quando a Câmara emitiu uma nota em apoio aos parlamentares (aqui). O secretário de Governo mandou, inclusive, que a nota fosse publicada com destaque no jornal “O Diário”, e foi reproduzida na manchete e na página 3 da edição de 20 de outubro. Na conversa, Edson confessa que existe uma desmotivação no grupo devido aos episódios tornados públicos pelas ações da Justiça Eleitoral, Ministério Público Eleitoral e Polícia Federal. Ouça o diálogo: Edson e Garotinho. Confira a transcrição da conversa: Orientação_Orientação1    
Comentar
Compartilhe
Do Guanabara a Bangu, Cabral e Garotinho "próximos" de novo
18/11/2016 | 12h20
Ponto-final1   Dois homens e um destino Em menos de 24 horas, dois ex-governadores do Rio de Janeiro ingressaram no Complexo Penitenciário de Bangu. Aliados de outrora, ferrenhos adversários já há algum tempo, Anthony Garotinho (PR) e Sérgio Cabral (PMDB) se reencontram presos preventivamente por situações distintas. Cabral é acusado de ter recebido propina de grandes obres e teve dois mandados de prisão expedidos, no Rio e em Curitiba. Garotinho, preso um dia antes, é acusado de liderar o “escandaloso esquema” da troca de Cheque Cidadão por votos. Denúncias distintas, e de forma bem diferente eles foram para Bangu.   Calicute e manifestações Cabral foi levado pela Polícia Federal para Bangu no fim da tarde de ontem. Manifestações favoráveis ao andamento da Operação Calicute, que investiga desvio de recursos públicos federais, em obras realizadas pelo Governo do Estado, aconteceram durante todo dia, com direito a fogos e bolo. Segundo o Ministério Público Federal, o peemedebista chegou a receber R$ 850 mil mensais de propina de grandes empreiteiras. No presídio, Cabral foi saudado com nova manifestação. Contudo, pouco se expôs.   “Escandaloso” Do Souza Aguiar, onde ficou por mais de 24 horas já preso como líder do “escandaloso esquema”, Garotinho foi levado ontem à noite pela PF para Bangu. Na porta do hospital, uma exposição que parecia desnecessária. Com direito a gritos do ex-governador, da prefeita e da filha deputada. As imagens, tão ou mais marcantes do que as da greve de fome de 2006, logo se espalharam. A partir da greve, Garotinho não teve mais o poderio político do governador que se candidatou à presidência. Agora, preso, acusado de liderar esquema, condenado em 2010 por formação de quadrilha e com sucessivas derrotas nas urnas, parece sacramentado que nunca mais o recupere.   Transporte em ponto morto São muitas as necessidades imediatas no agenda do novo governo municipal, que se inicia em janeiro. Uma delas é a melhoria na condição urbanística e de segurança na orla do rio Paraíba do Sul, em Guarus. Um local bucólico, antes frequentado por famílias sem qualquer tipo de problema, em todas as horas do dia e da noite, hoje vive em completo abandono, deixando sob risco quem por ali passa.   Insegurança natalina Fim de ano chegando e, como sempre acontece, aumento substancial de assaltos nas ruas centrais de Campos. Com dezembro se aproximando, vale uma elevação do número de policiais, sobretudo na região do Calçadão. Tal providência garante uma condição melhor para os consumidores e para os comerciantes.   Olimpíadas O Instituto Federal Fluminense (IFF) vai realizar, no próximo dia 23, o I Encontro Estadual PIC-Obmep, no campus Santo Antônio de Pádua. A primeira palestra, intitulada “A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas mostrada pelas trajetórias de alunos”, será ministrada pelo professor Marcelo da Silva Corrêa. O evento tem entrada franca e é voltado a estudantes do ensino regular, de licenciaturas, docentes e acadêmicos.   Mega da Virada Com premiação acumulada, a Mega-Sena deve pagar um prêmio superior a R$ 8,4 milhões no próximo sábado, no sorteio do concurso 1878. Em Campos, as casas lotéricas funcionam sábado até as 12h. A aposta mínima custa R$ 3,50.   Vai fechar O clima esquentou na noite de ontem após os professores do Colégio Estadual Professor Manoel Gonçalves Ramos Junior, em Cambuci, terem sido comunicados de forma repentina sobre o encerramento das atividades da unidade de ensino, tradicional no município, com sessenta anos de história. A população se revolta com a notícia.   Com a colaboração da jornalista Antunis Clayton .  Publicado na edição desta sexta-feira (18) da Folha da Manhã. 
Comentar
Compartilhe
Garotinho é levado pela Polícia Federal para Bangu
17/11/2016 | 23h38
[caption id="attachment_10633" align="aligncenter" width="457"]Garotinho Reprodução da capa da versão online de O Globo[/caption] Cumprindo decisão do juiz Glaucenir Oliveira (aqui), a Polícia Federal levou Garotinho do hospital Souza Aguiar, onde estava internado após passar mal ao ser preso (aqui) na quarta-feira (16). A deputada federal Clarissa Garotinho (PR) tentou impedir a transferência (aqui), bem como a prefeita Rosinha (PR) e protesto do próprio político. Na Curva do Rio, Suzy falou primeiro sobre a prisão de Garotinho e mostra em vídeo o momento da transferência. Segundo o jornal O Globo, o ex-governador entrou na ambulância gritando para que não o levassem e pedindo respeito, “porque era um homem enfartado”: — Me solta, me solta. Eu sou um enfartado. Vocês me respeitem — gritou com a voz bem rouca. Rosinha também protestou, gritando. “Meu marido não é ladrão. Deixa eu ir com ele. Eu quero ir com ele”. protestou, ao lado da filha que também gritava para não levarem o pai para Bangu. Vários funcionários foram para a porta do hospital e comemoraram a ida de Garotinho para Bangu, durante a saída da ambulância. Garotinho foi preso pela PF no Rio de Janeiro em nova fase da operação Chequinho, apontado como líder do esquema. No blog na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro salientou que a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) foi assinada por oito promotores. Garotinho é acusado de liderar o esquema de fraude no Cheque Cidadão. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira. Os principais veículos de comunicação do país destacaram a prisão do ex-governador do Rio.    
Comentar
Compartilhe
TCE aprova contas de Neco referentes a 2015
17/11/2016 | 20h35
necoooApesar do gasto de pessoal ter ultrapassado o limite prudencial de 51,30% da Receita Corrente Liquida (RCL) definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), a prestação de contas da Prefeitura de São João da Barra foi aprovada, nesta quinta-feira (17), em sessão plenária, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro, acompanhando o voto do relator Marco Antonio Barbosa de Alencar. Uma das recomendações do TCE a ser seguida à risca pelo município é a redução da folha de pessoal, que encerrou o terceiro quadrimestre somando R$ 184.406.177,40, equivalente a 53,24% da RCL. As contas são de responsabilidade do prefeito Neco (PMDB) e o parecer técnico do Tribunal será encaminhado à Câmara Municipal para apreciação final. Também entre outras ressalvas do TCE, destaca-se a necessidade de elaboração de orçamento de acordo com a capacidade real de arrecadação para não colocar em risco o equilíbrio financeiro.  A prefeitura registrou déficit na execução orçamentária da ordem de R$ 127.153.434,66. A receita arrecadada somou no exercício o valor de R$ 346.740.458,84, inferior à despesa que foi de R$ 473.893.893,50, gerando o déficit. Receita Corrente Líquida – A prefeitura registrou uma queda na RCL, em 2015, de 18,48% se comparado com o resultado obtido no exercício anterior. No primeiro quadrimestre do ano, o somatório alcançou o valor de R$ 412.052.013,40; no segundo quadrimestre, a receita foi de R$ 385.588.493,10; no terceiro quadrimestre, o valor foi de R$ 346.366.732,90. Gasto com pessoal – A folha de pessoal aumento 2,07% em relação ao exercício anterior e consumiu dos cofres do município de São João da Barra o valor de R$ 177.767.583,70 (43,14% da RCL) no primeiro quadrimestre de 2015; no segundo quadrimestre, o desembolso foi de R$ 178.162.372,80 (46,21% da RCL); e no terceiro quadrimestre, o valor da despesa com pessoal foi de R$ 184.406.177,40 (53,24% da RCL). Educação - Os municípios têm obrigação constitucional de aplicar no mínimo 25% da receita de impostos e transferências na manutenção e desenvolvimento do ensino básico. A prefeitura de São João da Barra apresentou gasto de R$ 42.182.478,28, o que corresponde a 31,64% do total de receita de impostos, que somou R$ 133.326.434,23, cumprindo o estabelecido no artigo 212 da Constituição Federal. Fundeb – O município de São João da Barra destinou R$ 22.436.975,70 no pagamento da remuneração dos profissionais do magistério, o que representa 100% do total dos recursos recebidos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb). O mínimo fixado pela Lei 11.494/07 é de 60%. Saúde – O total dos recursos aplicados em ações e serviços públicos de saúde alcançou R$ 47.534.933,22, o que corresponde a 35,89% do total das receitas oriundas de impostos e transferências, que somou R$132.450.807,48. O resultado ficou acima do mínimo de 15% determinado pela Lei Complementar nº 141/12. Fonte: Ascom
Comentar
Compartilhe
Defesa de Garotinho entra com novo pedido de liminar no TSE
17/11/2016 | 19h29
Garotinho_A defesa de Anthony Garotinho (PR), feita pelo advogado Fernando Fernandes, entrou com um novo pedido de habeas corpus no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na tarde desta quinta-feira (17). O pedido foi feito depois que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro negou liminar (aqui) pela soltura do ex-governador. A ministra Luciana Lóssio, do TSE, havia extinguido outra liminar (aqui) pedida nessa quarta-feira (16) pela defesa, justamente porque ainda havia uma liminar ainda não julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral fluminense. Agora, com a negativa do TRE-RJ, o TSE poderá analisar o pedido.
Comentar
Compartilhe
Garotinho: de radialista popular a preso por “liderar esquema”
17/11/2016 | 17h05
[caption id="" align="aligncenter" width="586"] Infográfico de Eliabe de Souza[/caption] Clique na imagem para ver os detalhes do infográfico. Publicado na página 5 da edição desta quinta (17) da Folha da Manhã.  
Comentar
Compartilhe
Segunda reunião de transição em Campos é adiada
17/11/2016 | 15h29
Rosinha-e-Rafael-2-400x287 Com todo cenário político conturbado em Campos (aqui), a segunda reunião entre as equipes de transição da prefeita Rosinha Garotinho (PR) e do prefeito eleito Rafael Diniz (PPS), prevista para tarde desta quinta-feira (17), foi adiada para próxima segunda-feira (21). Após adiar duas vezes (aqui e aqui) a primeira reunião de transição entre o governo atual e o eleito de Campos, sob alegação de que queria estar presente, a prefeita Rosinha acabou não aparecendo no encontro do dia 10 de novembro (aqui). O novo prefeito Rafael Diniz (PPS), no entanto, estava lá, junto com os oito membros da sua equipe de transição, anunciados (aqui) pela coluna “Ponto Final”, da Folha da Manhã: Fábio Bastos (Governo), José Paes Neto (Procuradoria), Fabiana Catalani (Saúde), Leonardo Wigand (Fazenda), Felipe Quintanilha (Controle Orçamentário e Auditoria), Brand Arenari (Educação), André Oliveira (Gestão de Pessoas e Contratos) e Alexandre Bastos (Chefia de Gabinete). A reunião começou no horário marcado de 15h e durou cerca de 1h40. Quem esperava um clima de tensão, pelas críticas violentas que todos os coordenadores da equipe de Rafael sofreram do marido da atual prefeita e seu secretário de Governo, se surpreendeu com a cordialidade com que os representantes rosáceos se portaram com aqueles que os substituirão na Prefeitura, daqui a pouco mais de 40 dias.
Comentar
Compartilhe
Beth Megafone e diretores do grupo Diário na PF
17/11/2016 | 13h10
930fc49e9c518b0adf9a0b9fd39eb6f1_390x293 Além da radialista Beth Megafone, como a jornalista Camilla Siva informou em seu blog Preto no Branco, também estão na delegacia da Polícia Federal em Campos nomes da direção do Grupo Diário: o diretor de jornalismo, Hélio Cordeiro, e o diretor comercial, Carlos Cunha. Cabe lembrar que na decisão na qual determinou a prisão (veja aqui na Folha Online) de Garotinho (PR), o juiz Glaucenir Oliveira citou o rádio e jornal O Diário como meios de comunicação do ex-governador. A presença dos diretores do Diário na delegacia da Polícia Federal faria parte das investigações para descobrir a quem pertence o grupo de comunicação. Já Beth, que relatou à PF detalhes da participação de Garotinho na suposta distribuição irregular do Cheque Cidadão, esta na delegacia por outros motivos. Atualizado às 13h22 - para incluir informações.
Comentar
Compartilhe
Garotinho fez pedido "ousado" à Polícia Federal
17/11/2016 | 11h22
[caption id="attachment_10587" align="aligncenter" width="448"]Garotinho-preso Foto: Fábio Guimarães/Agência O Globo[/caption] Preso pela Polícia Federal como líder do “escandaloso esquema” na manhã de quarta-feira (16), no Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR) fez um pedido ousado ao delegado antes de ser transferido da Superintendência da PF ao hospital Souza Aguiar, quando passou mal: quis saber se podia dar uma paradinha para conceder uma entrevista. O pleito foi indeferido na hora. A informação foi publicada na coluna "Poder", da Folha de São Paulo.
Comentar
Compartilhe
Wladimir convoca apoiadores para esperar Garotinho na PF
17/11/2016 | 10h54
WladimirFilho do casal Garotinho, Wladimir comentou na manhã desta quinta-feira (17) na rádio Diário FM sobre a prisão do pai e encerrou sua participação no programa convocando militantes para comparecem à delegacia da Polícia Federal em Campos para manifestações de apoio ao secretário de Governo preso como líder do "escandaloso esquema" da suposta troca de Cheque Cidadão por votos. Ainda de acordo com Wladimir, a prisão do seu pai foi armada para jogar "no mesmo balaio" da prisão (aqui) de Sérgio Cabral (PMDB). “Enquanto estava na delegacia da Polícia Federal, o meu pai disse: ‘vocês estão fazendo isso comigo hoje (16), sem motivo, porque vocês sabem que Cabral vai ser preso nesta semana’. Garotinho é a única voz contra Cabral, armaram para prender Garotinho”. Wladimir é citado pela radialista Beth Megafone (aqui), em depoimento à PF que detalhou a participação de Garotinho no "esquema", como quem vazou para candidatos de sua preferência os supostos planos do pai para distribuição irregular do benefício social. Ainda de acordo com a radialista, ela chegou a ouvir uma discussão e "que Wladimir dizia: isso não vai dar certo, isso vai acabar com o governo da minha mãe”. Rosinha fala de um "cantinho do Souza Aguiar" - Antes do filho, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) participou do programa de rádio. Ela disse que estava em um "cantinho do Souza Aguiar", hospital em que o marido está internado, mas que não poderia deixar de falar do absurdo que foi a prisão. A prefeita afirmou que sua família "nunca roubou e que a prisão de Garotinho foi por ajudar os pobres". O blog do Bastos traz mais detalhes sobra a participação de Rosinha no programa de rádio.
Comentar
Compartilhe
Sérgio Cabral é preso como líder de associação criminosa na Lava Jato
17/11/2016 | 09h35

Cabral_Em ação coordenada entre as forças-tarefas do Ministério Público Federal (MPF) da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro e Curitiba, em conjunto com a Polícia Federal e a Receita Federal, foi desencadeada nesta quinta-feira (17) a Operação Calicute. O objetivo é aprofundar investigações sobre organização criminosa chefiada pelo ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) - dedicada à prática de atos de corrupção e lavagem de dinheiro, composta por dirigentes de empreiteiras e políticos do alto escalão do seu governo do Estado do Rio de Janeiro. O esquema envolvia o pagamento de propinas para a realização de obras públicas no Estado e posterior ocultação desses valores.

Nesta quinta, por decisão dos juízes da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro e da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, foram cumpridos mandados de prisão preventiva do ex-governador Sérgio Cabral e outras sete pessoas investigadas por integrarem organização criminosa destinada à prática de atos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados à realização de obras de engenharia no estado do Rio de Janeiro. São ainda cumpridos mandados de prisão temporária de outros dois investigados, além de mandados de condução coercitiva de Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral, e outras treze pessoas para serem ouvidas na investigação. Além disso, são executados nesta quinta-feira 38 mandados de busca e apreensão nos endereços relacionados às pessoas investigadas. Ainda foi determinado o sequestro e arresto de bens do ex-governador e outras 11 pessoas físicas e 41 pessoas jurídicas. Presos preventivamente (sem prazo para terminar): – Sérgio de Oliveira Cabral Santos Filho, ex-governador do Rio – Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho, ex-secretário de governo do RJ; – Hudson Braga, ex-secretário de obras; – Carlos Emanuel de Carvalho Miranda, sócio de Cabral na empresa SCF Comunicação; – Luiz Carlos Bezerra; – Wagner Garcia; – José Orlando Rabelo; – Luiz Paulo Reis Presos temporários (com duração de até 5 dias): – Paulo Fernando Magalhães Pinto, administrador de empresas, foi assessor de Sérgio Cabral – Alex Sardinha da Veiga No seu Ponto de Vista, Christiano Abreu Barbosa informou primeiro sobre a prisão de Cabral.

Comentar
Compartilhe
Garotinho passa a noite internado no Souza Aguiar
16/11/2016 | 19h20
Garotinho_*Com informações das jornalistas Channa Vieira e Daniela Abreu O delegado da Polícia Federal Paulo Cassiano informou que o ex-governador Anthony Garotinho (PR) será encaminhado para o presídio Frederico Marques, em Bangu, assim que for liberado do hospital. Preso pela PF na operação Chequinho, ele não veio para Campos nesta quarta (16) por ter passado mal na superintendência da PF no Rio de Janeiro. Ele chegou a ser encaminhado para o hospital Souza Aguiar, com suposto risco de AVC — de acordo com seus advogados. À noite, o jornalista Ancelmo Gois, em seu blog em O Globo, informou que o secretário de Saúde da cidade do Rio de Janeiro decidiu levar Garotinho para o Quinta D'Or. Na manhã desta quinta-feira (17), a secretaria de Saúde do Rio negou a transferência para o Quinta D'Or. O secretário de Governo de Campos passou a noite no Souza Aguiar, onde permanece nesta manhã. Cassiano acredita, ainda, que assim que for liberado dos cuidados médicos, Garotinho será encaminhado para Campos. “Ele vai ser hidratado no estabelecimento presidiário onde haja estrutura para prestar esse tipo de auxílio médico. A notícia é que ele seja encaminhado hoje (quarta) ainda”, afirmou Cassiano. Em nota, o criminalista Fernando Fernandes, responsável pela defesa de Garotinho, informa que o ex-governador está internado no Souza Aguiar sob cuidados médicos na tentativa de controlar alterações cardíacas apontadas em eletrocardiogramas. Ele relata uma situação absurda, pois o delegado Paulo Cassiano, da cidade de Campos, resolveu ampliar seus poderes e dar ordem aos policiais federais para levarem Garotinho, sem autorização médica, para um presídio. “Estamos vivendo um absurdo!”, diz o advogado. Existe a expectativa que após tratamento necessário, Garotinho seja encaminhado para Campos. Nesse meio tempo, e desde a manhã, o jurídico do ex-governador tenta um habeas corpus. O blog informou mais cedo (confira aqui) que o secretário de Governo não seria encaminhado para Campos. Inclusão de informações às 20h25. Inclusão de informações à 1h. Atualização no título e texto às 10h02 desta quinta-feira (17).
Comentar
Compartilhe
Garotinho passa mal e não virá preso para Campos nesta quarta
16/11/2016 | 17h54
Reunião Garotinho*Com informações das jornalistas Channa Vieira e Daniela Abreu Preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR) passou mal e não virá para Campos nesta quarta-feira (16). Ele foi encaminhado para o hospital Souza Aguiar, no Centro, com suposto risco de AVC. Segundo seus advogados, ele sofre de pressão alta e passou mal antes de ser transferido para Campos — para onde seria levado pela Polícia Federal de avião. O delegado Paulo Cassiano, da PF em Campos, confirmou que Garotinho não virá para Campos: “Ele não vem porque alegou um mal estar. Ele foi atendido por uma equipe médica do SAMU e lá foi diagnosticado que estava desidratado, ou algo parecido com isso, tem um termo semelhante a isso. Nada grave. Nossa expectativa era que ele fosse removido para cá ao término do dia”. Ainda de acordo com Cassiano, assim que receber alta Garotinho será transferido para Campos. Pouco depois, Cassiano informou que Garotinho seria encaminhado para Bangu. Como o blog do Bastos mostrou, Garotinho foi preso pela PF no Rio de Janeiro em nova fase da operação Chequinho. No blog na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro salientou que a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) foi assinada por oito promotores. Garotinho é acusado de liderar o esquema de fraude no Cheque Cidadão. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira. Os principais veículos de comunicação do país destacam a prisão do ex-governador do Rio. Com informações da Globo News e do portal G1. Última atualização às 19h. Cobertura completa na edição desta quinta-feira (17) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Quem comanda a secretária de Governo em Campos?
16/11/2016 | 17h32
question-158453_640Com o secretário de Governo Anthony Garotinho preso pela Polícia Federal (PF) e o subsecretário Alcimar Ferreira Avelino foragido desde 1º de novembro, quem comanda a secretária de Governo de Campos? Os dois são acusados de participação no “escandaloso esquema” de troca de Cheque Cidadão por votos. Isso sem falar que, como Christiano Abreu Barbosa informou no seu Ponto de Vista, o casal Garotinho estaria fora da cidade há 25 dias.
Comentar
Compartilhe
Conversa grampeada de Edson Batista com Garotinho também embasou prisão
16/11/2016 | 15h36
Edson_Garotinho*Com informações de Aldir Sales Além de testemunhas, a prisão do secretário de Governo de Campos e ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) na operação Chequinho também foi baseada em uma escuta telefônica com autorização da Justiça, informou o Estadão.  De acordo com o jornal, em uma interceptação de uma conversa entre Garotinho e o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), o presidente do Legislativo chamou Garotinho de “comandante”. No último dia 27 de outubro, Edson se negou a assumir a Prefeitura de Campos após a cassação da prefeita Rosinha Garotinho (PR) por causa de uso irregular do site oficial do Executivo durante a campanha eleitoral de 2012. Rosinha continua no cargo com uma liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) chegou a pedir a punição do presidente da Câmara por desobediência.
Comentar
Compartilhe
Garotinho é o “prefeito de fato de Campos”, diz juiz que decretou prisão
16/11/2016 | 14h38
Estadao O ex-governador do Rio e atualmente secretário de Governo de Campos dos Goytacazes (RJ), Anthony Garotinho (PR) – preso nesta quarta-feira, 16, na Operação Chequinho, da Polícia Federal -, era chamado de “comandante” pelo presidente da Câmara da cidade, Edson Batista (PTB). Segundo as investigações da PF e do Ministério Público Eleitoral, ele controlava com “mão de ferro” um esquema de compra de votos no município. Para o juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 100.ª Zona Eleitoral, que decretou a prisão do ex-governador, Garotinho é o “prefeito de fato” de Campos. Na Curva do Rio, Suzy Monteiro traz a decisão completa do juiz.
Comentar
Compartilhe
Defesa de Garotinho diz que prisão é ilegal e recorre ao TSE
16/11/2016 | 13h21
[caption id="attachment_10516" align="alignleft" width="210"]Criminalista Fernando Fernandes defende Garotinho Criminalista Fernando Fernandes defende Garotinho[/caption] O criminalista Fernando Fernandes, responsável pela defesa de Garotinho, afirma, em nota, que a prisão do ex-governador faz parte da "sequência de uma série de prisões ilegais decretadas por aquele juízo (100 ZE) e suspensas por decisões liminares do Tribunal Superior Eleitoral". “A prisão a qual está submetido o ex-governador é abusiva e ilegal e decorre de sua constante denúncia de abusos de maus tratos a pessoas presas ilegalmente naquela comarca. Estas denúncias de abuso foram dirigidas à Corregedoria da Polícia Federal e ao juiz, que nenhuma providência tomou. Pessoas presas mudaram vários depoimentos após ameaças do delegado. No entanto, o TSE já deferiu quatro liminares por prisões ilegais. A Justiça certamente não permitirá que este ato de exceção se mantenha contra Garotinho”, disse. Como o blog do Bastos mostrou, Garotinho foi preso pela PF na manhã desta quarta-feira (16), no Rio de Janeiro. No blog na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro salientou que a denúncia do MPE foi assinada por oito promotores. Garotinho é acusado de liderar esquema de fraude no Cheque Cidadão. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira. Os principais veículos de comunicação do país destacam a prisão do ex-governador do Rio.
Comentar
Compartilhe
Garotinho é acusado de liderar fraude do Cheque Cidadão, diz delegado da PF
16/11/2016 | 12h30
[caption id="attachment_10067" align="alignleft" width="300"]Delegado falou à imprensa na manhã desta quarta (Arquivo/Folha da Manhã Delegado falou à imprensa na manhã desta quarta (Arquivo/Folha da Manhã)[/caption] *Com informações do jornalista Jhonattan Reis  O delegado da Polícia Federal Paulo Cassiano comentou sobre a prisão do ex-governador Anthony Garotinho (PR), atual secretário de Governo de Campos. Segundo Cassiano, a denúncia foi feita pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e assinada por oito promotores. O secretário de Governo e marido da prefeita Rosinha é acusado de liderar o "escandaloso esquema" da troca de Cheque Cidadão por votos. - A denúncia diz respeito à participação do atual secretário na liderança da associação criminosa que fraudou o programa Cheque Cidadão com o propósito de comprar votos e fraudar as eleições 2016 - afirmou o delegado. Como o blog do Bastos mostrou, Garotinho foi preso pela PF na manhã desta quarta-feira (16), no Rio de Janeiro. No blog na Curva do Rio, a jornalista Suzy Monteiro salientou que a denúncia do MPE foi assinada por oito promotores. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira. Os principais veículos de comunicação do país destacam a prisão do ex-governador do Rio. O criminalista Fernando Fernandes, responsável pela defesa de Garotinho, afirma que o decreto de prisão vem na sequência de uma série de prisões consideradas por ele ilegais decretadas pelo juízo da 100 ZE e suspensas por decisões liminares do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “A Justiça certamente não permitirá que este ato de exceção se mantenha contra Garotinho” (veja mais detalhes sobre a nota aqui)
Comentar
Compartilhe
Prisão de Garotinho é manchete nos principais jornais do país
16/11/2016 | 11h15
Garotinho_Reunião   O ex-governador Anthony Garotinho (PR), atual secretário de Governo de Campos, foi preso pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quarta-feira (16) no Rio de Janeiro. O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira, que substitui o juiz Ralph Manhães, que está de férias, na 100ª Zona Eleitoral. . Trata-se de mais uma fase da operação Chequinho, que investiga o uso eleitoral do programa “Cheque Cidadão”. A prisão é preventiva. Antes de vir para Campos, Garotinho passará por exame de corpo de delito no Rio de Janeiro. A previsão é que ele chegue à delegacia da Polícia Federal no fim da tarde. Garotinho havia tentado uma liminar para garantir que o Juízo da 100ª Zona Eleitoral não decretasse qualquer prisão provisória contra ele. A notícia começa a ganhar destaque na mídia nacional e, às 11h, já era manchete na versão dos jornais O Globo, Estadão e Folha de S. Paulo um dos principais do país. A revista Veja também traz a notícia como destaque. Mais de meia hora antes, a Folha da Manhã noticiou a prisão de Garotinho pelo Blog do Bastos (aqui). [caption id="attachment_10493" align="aligncenter" width="765"]glob_ Reprodução site O Globo[/caption] [caption id="attachment_10494" align="aligncenter" width="995"]estadao_ Reprodução site do Estadão[/caption] [caption id="attachment_10503" align="aligncenter" width="985"]veja Reprodução site da Veja[/caption] [caption id="attachment_10519" align="aligncenter" width="705"]folSP Reprodução Folha de S. Paulo[/caption]
Comentar
Compartilhe
SJB: retorno de Carla ao governo com velhos secretários?
15/11/2016 | 15h55
Sem título Retorno de secretários O retorno de Carla Machado à Prefeitura de São João da Barra marcará, também, a volta de muitos dos que estiveram à frente de secretarias entre 2005 e 2012 — nos dois primeiros mandatos dela. Carla confirmou no fim de semana o nome de Alexandre Magno, seu presidente da comissão de transição, como secretário de Obras, posto ocupado por ele nos dois mandatos de Carla e no início do governo Neco (PMDB). Este é o segundo secretário confirmado para o próximo ano, o primeiro foi o vereador Alex Firme (PP) no Meio Ambiente. Nos bastidores, a expectativa é grande para a confirmação de outros nomes. Tem gente até preocupado, devido à demora em ter seu nome especulado na mídia ou confirmado pela prefeita eleita. Cota Por falar em secretariado, seria da cota do vice-prefeito Alexandre Rosa (PRB) os nomes que ficarão à frente do Turismo e da Defesa Civil. Essas indicações foram dele, também, no início do governo Neco. Continuou Alexandre foi eleito vice de Neco em 2012, mas se afastou do prefeito já em 2013, quando começou a desandar a relação dele com Carla. Ainda assim, Neco manteve por um tempo nomes ligados a Alexandre no Turismo e na Defesa Civil.   Feriadão A chuva na região não agradou muito aos comerciantes das praias neste feriadão. A expectativa de vendas altas no litoral sanjoanense foi por água abaixo.   Servidor A Câmara de SJB tem audiência pública nesta quinta, às 17h. Na pauta, temas de interesse dos servidores.   Repercutiu A matéria sobre o “sumiço” de Neco após a eleição teve grande repercussão, principalmente nas redes sociais.   Publicado na edição desta terça-feira (15) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Centro de Emergência de SJB fecha as portas de novo
15/11/2016 | 12h10
emergênciaA Saúde em São João da Barra não sai da UTI. Nesta terça-feira (15), o Centro de Emergência Dr. Pedro Otávio Enes Barreto voltou a fechar as portas, um mês e um dia após o fato acontecer pela primeira vez (aqui). Quem procura por atendimento de urgência e emergência na sede do município deve procurar os postos de urgência do município (Grussaí e Barcelos) ou se dirigir diretamente para o município vizinho, Campos dos Goytacazes. O fechamento do Centro de Emergência, desta vez, seria pela falta de colaboradores para manter a unidade de saúde em funcionamento. No dia 14 de outubro, as portas foram cerradas por algumas horas porque os funcionários cruzaram os braços em protesto, já que estavam com o salário atrasado. Em seu perfil no Facebook, o prefeito Neco (PMDB) informou que no dia 25 de outubro foi efetuado o pagamento de R$ 2.849.312,61 para a Organização Social que administra o Centro de Emergência. O prefeito não informou, porém, qual seria o valor total da dívida do município com a Organização. Devido ao feriado, o blog não conseguiu contato com a assessoria da Prefeitura. O blog tentou contato com a administração da unidade, por telefone. Uma funcionária, que preferiu não se identificar, disse que não poderia responder as perguntas. Caos na Saúde – O Centro de Emergência de SJB chegou a interromper alguns serviços no dia 14 de outubro. Na ocasião, a porta da unidade foi lacrada e um comunicado informou que o atendimento estava sendo somente na “emergência vermelha”. Uma semana antes, funcionários fizeram um protesto em frente à unidade de saúde, por conta de atraso em salários. Segundo os manifestantes, a Prefeitura não repassava o valor devido há dois meses. Outubro também foi o mês que a centenária Santa Casa de Misericórdia, com mais de R$ 4 milhões a receber da Prefeitura, fechou as portas. Mais informações ao longo do dia e na edição desta quarta-feira da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: quem não deve, o que tem a temer?
15/11/2016 | 11h33
Ponto-final1 Medo de quê?  O andamento das investigações do “escandaloso esquema”, como foi classificado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), da suposta troca de Cheque Cidadão por votos no último pleito parece estar incomodando. Tanto é que tem muita gente — de vereador eleito à líder de grupo político — tentando de algum jeito barrar as investigações em Campos. Se ninguém participou de nada irregular, como sempre falam, por que tentar impedir a investigação? Isso sem falar que não adianta ir às ruas pela manutenção dos programas sociais, se não for favorável à lisura na execução e que seja apurado qualquer suposto desvio de finalidade.   Subsecretário foragido A Prefeitura de Campos ainda tem um subsecretário de Governo? A dúvida é pertinente já que Alcimar Ferreira Avelino, detentor do cargo imediatamente abaixo do ocupado pelo marido da prefeita Rosinha Garotinho (PR), é considerado foragido pela Polícia Federal desde o dia 1º de novembro. É fato, então, que ele não presta ao município o serviço para o qual foi nomeado. Será que Rosinha vai nomear outro sub para o cargo ou vai manter uma pessoa que não pode, sequer, entrar em seu ambiente de trabalho? Pior será no fim do mês, caso o sub que nem pode trabalhar receba seu salário integral.   Efeito dominó Não é só o Governo do Estado que enfrenta dificuldades para quitar o pagamento dos servidores todos os meses. Levantamento do jornal O Globo, publicado na edição de ontem, apontou que 30 municípios adiaram, por dia ou meses, o pagamento de seus servidores ao longo do ano. Entre as cidades mais próximas na ingrata lista estão Cabo Frio e Miracema.   Planície alagada Tivemos nos últimos dias intensas chuvas caindo sobre a Planície. Em Campos, sobretudo no núcleo urbano, um velho problema que insiste em aparecer: os alagamentos. É voz corrente nestes casos a ácida crítica ao poder público, que não deixa de ter sua parcela de culpa pelo caos verificado, mas não pode responder sozinho por ele.   Sujeira que custa caro Motoristas e pedestres que reclamam das ruas e avenidas alagadas devem entender que são eles, em muitos casos, os principais responsáveis por isso, quando deixam de levar até uma lixeira um envelope de picolé ou copo plástico, entre outros, preferindo lançá-lo no chão e, consequentemente, nos bueiros e outros mecanismos de vazão da água.   Exposição na rede Em tempos de redes sociais, o caos por conta dos alagamentos ganha uma exposição imediata, com fotos e vídeos. Nas tardes de sábado e domingo, um dos pontos mais mostrados no Facebook foi a descida da ponte Leonel Brizola, na região do Parque Alberto Sampaio. Ali sim, se verifica um erro do poder público, quando a engenharia pecou contra qualquer lógica razoável, fazendo descer uma via expressa dentro de uma verdadeira bacia, no Centro da cidade.   Interrogada Cláudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha, será interrogada pelo juiz federal Sérgio Moro nesta quarta-feira (16), às 14h, na sede da Justiça Federal em Curitiba. Cláudia prestará depoimento na ação penal a que responde pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A jornalista é acusada de ser beneficiária das contas atribuídas ao ex-deputado na Suíça e tem o direito de ficar em silêncio e optar por não responder às perguntas do juiz e do representante do Ministério Público. Cunha está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 19 de outubro.   Mega da Virada A Caixa Econômica Federal já trabalha a divulgação da Mega da Virada. Antes mesmo do incremento das apostas, o prêmio já supera R$ 59 milhões. O sorteio será no dia 31 de dezembro. Em tempos de crise, muita gente deve apostar que a sorte pode sorrir no fechamento de 2016.   *Com a colaboração do jornalista Antunis Clayton. Publicado na edição desta terça-feira (15) da Folha da Manhã. 
Comentar
Compartilhe
Projeto de Bruno Dauaire entre sugestões para tirar o Rio da crise
14/11/2016 | 16h32
brunnO jornal Extra publicou (confira aqui) na edição desse domingo (13) uma lista de dez sugestões ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) para tirar o estado da crise. Entre os pontos apresentados está um projeto de lei do deputado estadual Bruno Dauaire (PR) que prevê a cobrança do imposto estadual sobre recursos declarados no programa de legalização de ativos mantidos ocultos no exterior. A ideia do jornal Extra em enviar sugestões foi em resposta aos pedidos de ajuda feitos pelo governador para tirar o Rio da crise. O jornal reuniu dez sugestões de órgãos, deputados e especialistas em administração pública, diferentes das medidas contidas no pacote de ajuste fiscal levado pelo governo à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). As propostas, se trabalhadas corretamente, poderiam resultar em aumento de receitas ou diminuição de despesas, segundo seus autores.
Comentar
Compartilhe
Carla Machado confirma Alexandre Magno como secretário de Obras
12/11/2016 | 15h35
Mais um nome antecipado pela Folha é confirmado no secretariado da prefeita eleita Carla Machado (PP), de São João da Barra. O primeiro (aqui) foi o do vereador Alex Firme (PP) como secretário de Meio Ambiente. Agora, como o jornalista Saulo Pessanha antecipou em sua coluna e este blog ratificou (aqui), Carla confirma o nome de Alexandre Magno como secretário de Obras. Ele já tinha ocupado o posto nas outras duas gestões de Carla e hoje é presidente da equipe de transição da prefeita eleita. 12_11_2016_15_27_46
Comentar
Compartilhe
“Rio de Janeiro está ficando ingovernável”, diz Pezão
11/11/2016 | 15h09
_seminario_______07O governador do estado do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou em entrevista exclusiva ao Jornal da CBN que o “Rio de Janeiro está ficando ingovernável”. Ele também disse que pediu a Temer e à secretária do Tesouro Nacional um período de trégua: “que cortasse apenas 60%, 70%, para respirarmos e fazer a travessia nesse momento de queda na arrecadação”. Pezão não confirmou que tenha pedido intervenção federal, mas disse que ligou para o presidente Michel Temer para pedir conselhos para saber como o governo federal pode ajudar o estado do Rio de Janeiro com recursos: — Eu liguei para o presidente Temer e falei que não tenho mais condições. Eu não posso emitir moeda, eu não posso colocar um déficit de R$ 170 bi, eu não posso governar com medida provisória, o estado está ficando ingovernável. Se há uma maneira de ajudar o estado, que ele me mostrasse uma maneira mais fácil de eu receber recursos da União. Eu não quero que a União me dê recursos extraordinários. Isso não resolve o problema do estado. O problema do estado é estruturante. Confira a matéria completa da CBN aqui.
Comentar
Compartilhe
Transição em SJB: Neco pede prazo maior para início
11/11/2016 | 13h22
Carla_Neco2016_Não parece nada fácil o processo de transição de governo em São João da Barra. A equipe do prefeito Neco (PMDB), que recebeu ofício da prefeita eleita Carla Machado (PP) com solicitação de informações desde 18 de outubro, enviou uma resposta nesta semana. Mas não foi para iniciar a transição. O grupo pediu a dilação do prazo devido à "complexidade das informações". Quem não gostou nada da ideia foi Carla. Ela que já informou que buscaria a Justiça, se necessário, para ter acesso a documentação que mostra a real situação do município, classifica a prorrogação em até dez dias para o início da transição como "má vontade" e "incompetência" da atual administração. A resposta partiu do chefe de Gabinete do prefeito Neco. A equipe do atual governo que vai atuar na transição ainda não foi anunciada. Mais informações na edição deste sábado (12) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Ponto facultativo nesta segunda em SJB
11/11/2016 | 12h55
Prefeitura  sjbCom o feriado da Proclamação da República na próxima terça-feira (15), o prefeito Neco (PMDB) decretou ponto facultativo na segunda-feira (14). Assim, o município terá mais um feriadão: a Prefeitura fecha as portas às 14h desta sexta-feira (11) e só volta a funcionar às 9h de quarta-feira (16). O decreto foi publicado no Diário Oficial desta sexta.
Comentar
Compartilhe
SJB: Prefeitura paga comissionados e contratados
10/11/2016 | 19h40
dinheiro_no_bolsoA Prefeitura de São João da Barra pagou nesta quarta-feira (10) o salário dos que exercem cargos comissionados e também dos contratados pela administração municipal. Os proventos são referentes ao mês de outubro. No fim do mês passado, os funcionários efetivos tiveram seus salários quitados.
Comentar
Compartilhe
SJB com problemas de telefonia móvel
10/11/2016 | 15h17
vivo_jpegUsar o aparelho celular é tarefa árdua em São João da Barra há mais de 24 horas. Os clientes da Vivo reclamam que o sinal da operadora tem oscilado bastante, mas que não funciona na maior parte do tempo. Os aparelhos indicam que estão disponíveis apenas chamada de emergência ou informam que o aparelho não está registrado na rede. Entre quarta-feira (9) e esta quinta (10), os usuários da Vivo também não conseguem acessar a internet pela rede de dados móveis. Em nota, a operadora informou que: “A Vivo registrou intermitências em seus serviços de voz e dados em pontos isolados em São João da Barra, RJ, devido à falta de energia causada pelo forte vento que atingiu o município na quarta-feira, 09/11. Os serviços já foram restabelecidos”. Atualizado às 19h02 - Inclusão da nota da Vivo.  
Comentar
Compartilhe
Alerta de maré alta com orientações a moradores de Atafona
10/11/2016 | 15h08
Sem títuloSJB: alerta de maré alta A Defesa Civil de São João da Barra está em alerta e tem conversado com a população para se preparar quanto à possibilidade de maré alta neste fim de semana. Ontem, o coordenador do órgão esteve conversando com os moradores da Baixada, próximo ao Pontal de Atafona. A orientação é para que os móveis sejam suspensos, já que é bem provável que a água volte a atingir as residências nestes dias, assim como chegou a acontecer em setembro. Segundo Felício Valiengo, coordenador da Defesa Civil, desta vez é possível que os estragos sejam maiores, já que com a maré alta chegará também uma frente fria. Para prevenir, a partir de amanhã já será aberta uma vala para ajudar a escoar a água que chega às residências pelo que restou de manguezal. Na última vez que a maré subiu assim, apesar dos transtornos, nenhuma casa precisou ser interditada, tampouco família removida. As medidas preventivas devem ser respeitadas até terça-feira. Na conta Está previsto para hoje o deposito de R$ 7,1 milhões na conta da Prefeitura referente a participação especial trimestral que o município tem direito sobre a produção de petróleo no último trimestre. Pouco Apesar de ser um valor considerável, é muito baixo se comparado a outros períodos. Este é o último repasse de participação especial, recurso que era considerado a salvação das contas públicas, que o prefeito Neco (PMDB) recebe em sua gestão. O próximo repasse será em fevereiro. Prioridades Como o recurso é pouco e as dividas, ao contrário, parecem ser muitas, basta saber quais serão as prioridades do atual gestor com recurso em conta. Fusão de... O governo da prefeita eleita Carla Machado (PP), de SJB, vai criar duas secretarias — a de Segurança Pública e a de Desenvolvimento Econômico. Ela também vai reduzir algumas. A aposta é na fusão de outras pastas. ...secretarias A secretaria de Comunicação deve ser extinta e os profissionais da área seriam vinculados ao Gabinete. Agricultura e Pesca são pastas que podem voltar a ser uma só. A secretaria de Transportes também passaria por mudanças. Por enquanto, tudo é apenas especulação. Fogo... A prefeita eleita de São Francisco de Itabapoana, Francimara Barbosa Lemos (PSB), recorreu ao Facebook para reclamar do “fogo amigo”. Como o blog do Bastos mostrou ontem, Francimara está vendo que nem tudo é festa após as vitórias. ...amigo Francimara reafirmou que não vai abandonar aqueles que caminharam com ela durante a campanha, mas que precisou se afastar um tempo para cuidar de afazeres pessoais. Ela se elegeu com uma estreita vantagem: 113 votos a mais do que o atual prefeito Pedrinho Cherene (PMDB). Servidor A Câmara de SJB vai realizar uma audiência pública na próxima quinta-feira. Na pauta, assuntos de interesse do servidor público municipal, como a suspensão do cartão alimentação e o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). De acordo com o presidente da Câmara Aluizio Siqueira (PP), o valor descontado mensalmente do servidor não teria sido repassado ao RPPS. Espera Além das questões que serão tratadas na audiência da Câmara, o servidor espera um posicionamento oficial com relação à primeira parcela do 13º. Neco disse que paga neste mês, mas não precisou a data. Por lei, o correto é pagar até o dia 30, mesmo dia que, segundo calendário da administração, está previsto o depósito do salário deste mês. Publicado na edição desta quinta-feira (10) na Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
SJB recebe R$ 7,1 milhões de participação especial da produção de petróleo
09/11/2016 | 18h17
PlataformaA Prefeitura de São João da Barra vai receber nesta quinta-feira (10) R$ 7.131.223,40. O valor é 4,8% inferior ao do trimestre anterior, quando o município recebeu R$ 7.488.370,05. A parcela deste mês, no entanto, é menor que a recebida em novembro do ano passado, quando chegaram R$ 16,4 milhões aos cofres do município. Na região, Campos vai receber a participação especial com aumento, como mostra a Folha Online (aqui).
Comentar
Compartilhe
Audiência na Câmara debate assuntos de interesse do servidor de SJB
09/11/2016 | 13h06
Fachada Câmara 3A Câmara de São João da Barra vai promover na quinta-feira da próxima semana (17), às 17h, uma audiência pública para debater questões relacionadas ao funcionalismo público municipal. O principal objetivo é discutir a suspensão do cartão alimentação e a situação do Instituto de Previdência Municipal de São João da Barra (SJBPrevi). O cartão alimentação, no valor de R$300, foi suspendo por meio de decreto municipal em maio deste ano. Desde então, o legislativo vem recebendo reclamações de servidores que querem saber quando o benefício voltará a ser concedido. Outra preocupação da categoria é a situação do SJBPrevi, popularmente chamado de caixa previdenciário, implementado neste ano. Segundo o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PP), alguns servidores relataram que a Prefeitura estaria atrasando para fazer os repasses financeiros ao instituto. “Tivemos conhecimento de que de abril até o momento, já foram descontados 11% dos salários dos servidores, mas que não foram repassados para o caixa previdenciário”, observou Aluizio, acrescentando que o repasse por parte da Câmara está em dia. Para a audiência, foram convidados: a diretoria do SJBPrevi, a secretaria de Administração e os funcionários públicos. “Fomos procurados pelos servidores, que estão preocupados com essas duas questões, e resolvemos promover este debate a fim de buscar uma solução. Convidamos todos os interessados a participarem, pois o assunto é muito importante”, disse. Fonte: Assessoria
Comentar
Compartilhe
Donald Trump é o novo presidente dos EUA
09/11/2016 | 05h32
f_trumplong_160308.nbcnews-ux-1080-600 De forma surpreendente, contrariando as pesquisas divulgadas nesta semana, o republicano Donald Trump venceu as eleições presidenciais dos Estados Unidos. Ele desbancou a candidata democrata Hillary Clinton, que contava com apoio e popularidade do presidente Barack Obama. Em pesquisas pelo mundo, Hillary era a preferida, ainda que considerada a "menos pior" entre as opções. O mercado financeiro não reagiu bem ao indicativo de vitória de Trump. É um dia histórico. Uma mudança de paradigma comparada por analistas como tão impactante para a história estadunidense como o fim da Guerra Fria. Há quem considere, inclusive, que este 9/11 pode ser considerado para alguns países do mundo, guardadas as devidas proporções, o que o 11/9 representou para os Estados Unidos. Se estes analistas têm ou não razão, só o tempo irá mostrar. Empresário e ex-apresentador de reality shows, sem nunca ter sido eleito para qualquer cargo, Donald Trump foi o convidado surpresa da campanha eleitoral: interpretando como ninguém – e contra todos os pronósticos – as frustrações e inseguranças dos americanos em um mundo em mutação. Com um discurso anti-imigração e sexista, impulsivo e corrosivo, Trump marcou para sempre um estilo de fazer campanha política. A Associated Press (AP) informou que Trump ultrapassou os 270 delegados necessários para ser eleito às 5h32, no horário de Brasília.
Comentar
Compartilhe
EUA: Trump liderou em quase todas parciais
09/11/2016 | 01h27
images Ao contrário do que apontavam todas as pesquisas divulgadas nesta semana, o candidato republicano Donald Trump é o  vencedor das eleições presidenciais nos Estados Unidos. Ele alcançou os 270 delegados necessários para ser eleito, enquanto a candidata democrata Hillary Clinton contava com 215. Os números parciais das eleições estadunidenses, divulgados neste blog durante toda madrugada, tiveram como fonte a Associated Press (AP). Confira aqui a surpreendente vitória do republicano. Desde as parciais divulgadas por volta das 3h, era considerado praticamente impossível que Hillary conseguisse reverter a vantagem de Trump. Nos Estados Unidos o voto do eleitor, que é facultativo, não é creditado diretamente ao seu candidato. Os eleitores escolhem o Colégio Eleitoral. Este órgão é composto por um total de 538 delegados provenientes de todos os Estados, incluindo Washington DC. O número de delegados correspondente a cada Estado é calculado proporcionalmente à sua população e ao número de parlamentares que os representam. Califórnia, o Estado mais populoso do país, tem 55 delegados. Washington D. C. e alguns Estados pequenos têm apenas três. A última atualização deste post foi às 5h40.
Comentar
Compartilhe
Contas de Rosinha aprovadas com ressalvas
08/11/2016 | 19h46
Prefeita Rosinha Inaulgura leitos pediatrico nos hgg 10-07-2015 foto Genilson Pessanha (234)Com superávit financeiro de R$ 23.298.225,59, a prestação de contas de governo da prefeitura de Campos dos Goytacazes, referente ao exercício de 2015, de responsabilidade da prefeita Rosinha Garotinho (PR), foi aprovada pelos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro, em sessão plenária, nesta terça-feira (8), acompanhando o voto do conselheiro relator Domingos Brazão. O parecer prévio, com ressalvas e determinações, seguirá para a Câmara Municipal para apreciação final sobre as contas. A arrecadação da Prefeitura amargou uma queda de 4,62% em relação à expectativa inicial. Enquanto a previsão inicial de ingresso de recursos nos cofres apontava para o valor de R$ 2.137.710.200, a arrecadação efetiva foi de R$ 2.038.919.406,36. A receita tributária própria somou R$ 219.865.324,61, o que representou 10,79% do total arrecadado. As receitas oriundas de transferências alcançaram o valor de R$ 1.370.620.280,48, o equivalente a 67,22% da arrecadação total. Excluindo o valor do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), o déficit orçamentário, diferença entre receita e despesa, foi de R$ 87.254.226,53. “Vendas do futuro” — Cabe salientar que em dezembro de 2015 o governo Rosinha sacramentou a segunda “venda do futuro” de Campos,  no valor de R$ 308.791.113,78 em transação firmada com a Caixa Econômica Federal. Com descontos do empréstimo anterior feito com o Banco do Brasil, ficou para Campos R$ 200,8 milhões. Neste ano, o governo recorreu novamente a um empréstimo junto à Caixa, no valor de R$ 367 milhões. Com informações da assessoria de imprensa do TCE. Confira a matéria completa aqui.
Comentar
Compartilhe
No fim do governo, rusgas ainda em evidência
08/11/2016 | 17h51
Sem títuloO fim do governo O governo Neco (PMDB) vai chegando ao fim e com muitas reclamações. Os servidores públicos, inconformados com a suspensão do cartão alimentação, travam agora batalhas mensais pela liberação do vale transporte. Somente hoje, no oitavo dia do mês, a empresa responsável pelo transporte intermunicipal, começa a liberar os vales (bem como o passe dos universitários). E o pior é que com a suspensão temporária do vale, o mais prejudicado foi o aluno da rede pública municipal. Algumas escolas tiveram que dispensar os estudantes porque os profissionais não foram trabalhar. Havia até ameaça de movimento por paralisação. Outra reclamação, como a Folha mostrou em matéria publicada no domingo, é por parte da equipe de transição da prefeita eleita Carla Machado (PP). Segundo Carla, ainda não houve sinalização do atual governo para iniciar a transição. O que tem, até agora, são boatos nada animadores sobre dívidas. Sem um movimento do prefeito até o fim da semana, Carla não vê outra solução a não ser acionar a Justiça. Ou seja, as polêmicas entre os ex-aliados que marcaram toda a gestão, são mantidas até o fim do governo. Desandou As especulações sobre o nome do endocrinologista André Fontoura como secretário de Saúde de São João da Barra, conforme a coluna informou no último sábado, até criou um movimento nas redes sociais, mas a aposta começou a perder força nos bastidores. Reconheceu O próprio médico fez um comentário nas redes sociais informando que possivelmente não seria ele o próximo a ocupar a pasta. Outro nome aventado foi o do vereador Ronaldo da Saúde (Pros), aposta que também não deve vingar. Carla continua fazendo mistério. Cultura SJB vai sediar nesta quarta-feira (9), no Auditório Municipal, das 9h30 às 13h, um encontro sobre o Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, além da oficina “Dinamização e Incentivo dos Espaços de Leitura”. Parceria O encontro foi viabilizado numa parceria entre o Sistema Estadual de Bibliotecas, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e Superintendência da Leitura e do Conhecimento com a Prefeitura de São João da Barra e o Porto do Açu. Verão... Os dias quentes de novembro já movimentam as praias sanjoanenses. No último fim de foi de movimento considerável em alguns pontos. Assim, como a ser criada expectativas para a grade de eventos da alta temporada. ...em SJB Carla ainda não antecipou nada sobre programação, mas deixou claro que já pensa no assunto: “Estamos iniciando algumas parcerias para viabilizarmos uma programação de verão simples e criativa, já que o Turismo é uma vocação importante do município”, disse em entrevista à Folha. Publicado na edição desta terça-feira (8) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
"Escandaloso esquema": vereadores eleitos não comparecem às audiências
08/11/2016 | 15h22
08_11_2016_15_10_22Como a Folha antecipou na edição desta terça-feira  (8), os vereadores eleitos denunciados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) no "escandaloso esquema" da possível troca de Cheque Cidadão por voto não compareceram às audiências de instrução e julgamento. Começou à tarde a do vereador Ozéias (PSDB), um dos denunciados. Ele não está no Tribunal do Júri, onde acontece a audiência. Pela manhã, a audiência foi do vereador eleito Roberto Pinto (PTC). Como a jornalista Suzy Monteiro noticiou Na Curva do Rio, Roberto também não compareceu à audiência. A prisão do vereador Ozéias no fim de agosto sob suspeita de compra de votos e distribuição de Cheque Cidadão sem que fossem seguidos os critérios estabelecidos pela assistência social, pode ter sido a ponta do iceberg que desencadeou toda a investigação. O advogado Maxuel Barros Monteiro, que defende os eleitos acusados, informou que na ação eleitoral não é obrigatória a presença dos réus. Julgamento – O “escandaloso esquema” envolvendo o programa Cheque Cidadão resultou em 37 ações de investigação judicial eleitoral (Aijes) contra candidatos rosáceos que disputaram cadeiras na Câmara. Destes, 11 foram eleitos e se preparam para ser diplomados em dezembro e empossados em janeiro. O vereador eleito para o próximo mandado Roberto Pinto é o primeiro a ter audiência realizada em decorrência da operação Chequinho da Polícia Federal. Veja na matéria desta terça da Folha o que muda caso os réus sejam condenados. Confira a cobertura completa na edição desta quarta-feira (9) na Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
MPF quer manter condenação de Garotinho por calúnia contra juiz
08/11/2016 | 13h29
Garotinho_ReuniãoO Ministério Público Federal (MPF) se contrapôs ao recurso de Anthony Garotinho (PR), ex-governador do Rio de Janeiro, contra sua condenação por cometer calúnia duas vezes contra o juiz federal Marcelo Leonardo Tavares, por acusá-lo de corrupção passiva e prevaricação em uma sentença contra ele. A manifestação da Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR2) refutou seus pleitos pela extinção da punibilidade, sob a alegação de que o ofendido protocolou representação fora do prazo, e pela revisão da pena. A punição foi calculada inicialmente em dois anos e oito meses de prisão e multa e depois convertida para o pagamento de 200 salários mínimos e prestação de serviços à comunidade. O recurso da defesa e o parecer da PRR2 serão apreciados pelos desembargadores da 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). No parecer, o procurador regional da República Paulo Roberto Bérenger argumentou que o juiz representou contra Garotinho dentro do prazo legal de seis meses, pois os textos com calúnias foram publicados no blog do político em 13 de novembro de 2011 e 7 de fevereiro de 2012, com a representação a respeito deles feita em 11 de maio de 2012. Outro entendimento do recurso rebatido pelo MPF foi a alegada ausência de dolo. Para a PRR2, houve a pretensão nítida de caluniar o juiz, imputando-lhe falsamente um fato criminoso e lhe atribuindo o fim de garantir para um de seus familiares um cargo de confiança no governo estadual. Recentes ataques — O desenrolar das investigações sobre o uso eleitoreiro do Cheque Cidadão tem levado o líder do grupo rosáceo a usar meios de comunicação para atacar juiz, promotor e delegado da Polícia Federal. Para mais detalhes sobre a condenação, clique aqui. Com informações da assessoria
Comentar
Compartilhe
Saúde em SJB: nome de possível secretário perde força
08/11/2016 | 11h00
4385_010216161947_4385_010216160844_saudeDesidratou. O nome do endocrinologista André Fontoura, que foi candidato a vereador no grupo da prefeita eleita Carla Machado (PP) perdeu força nos últimos dias, nos bastidores, como possível secretário de Saúde na próxima gestão. A pasta, que é uma das – se não a – mais importantes da administração, enfrenta um momento complicado no governo Neco (PMDB). O nome de André começou a ganhar força após a confirmação que Fabiana Catalani será secretária de Rafael Diniz (PPS) na Prefeitura de Campos. Fabiana era nome dado como certo na gestão de Carla. Agora, nem interlocutores bem próximos a prefeita eleita conseguem apostar em um nome para o comando da pasta. Mas, esses mesmo interlocutores, asseguram que a escolha não será André Fontoura. O endocrinologista, inclusive, chegou a fazer um comentário nas redes sociais que não seria ele o secretário, mas estaria a disposição para ajudar o município de qualquer forma.
Comentar
Compartilhe
SJB: vale transporte e passes liberados a partir desta terça
07/11/2016 | 17h14
Campostur A empresa Sanjoanense Campostur informou, em sua página no Facebook, que o vale transporte dos servidores públicos de São João da Barra e o passe dos universitários estarão liberados para retirada a partir desta terça-feira (8), no guichê da empresa. Os documentos, que normalmente são liberados no dia 25 do mês anterior, estão tendo atraso todo mês. Nos últimos dias úteis, algumas escolas da rede municipal precisaram dispensar alunos devido à falta de profissionais. Apesar de a empresa informar sobre a liberação, a Prefeitura não se posicionou e ninguém fala oficialmente sobre o motivo do atraso.
Comentar
Compartilhe
SJB: servidores ainda sem vale transporte e universitários sem passe
07/11/2016 | 13h23
Onibus_CamposA Prefeitura de São João da Barra ainda não regularizou a situação do vale transporte dos servidores públicos municipais. O documento que era liberado a partir do dia 25, já está até esta segunda-feira (7) sem ser expedido. Na semana passada, alguns servidores não estiveram em seus locais de trabalho pela falta do vale. O mesmo se repetiu nesta segunda. O maior reflexo é sentido nas escolas do município. Sem professores, alguns alunos estão sendo dispensados. Atualização às 17h15 — O vale e o passe estarão liberados nesta terça-feira (8). Confira mais detalhes aqui. Até o momento, a Prefeitura não emitiu posicionamento. Alguns servidores já especulam a possibilidade de paralisação nos próximos dias. Passe universitário — A mesma situação que ocorre com o vale dos servidores, atinge os universitários beneficiados com o passe. Não há previsão para liberação. A empresa responsável pelo serviço diz apenas que o benefício não foi liberado, sem explicar motivos.
Comentar
Compartilhe
Pudim, Josias Quintal e Silvio Lopes também denunciados pelo MPF por desvio de recursos públicos
06/11/2016 | 23h08
Pudimjosiassilvio lopes A lista de ex-deputados federais denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por uso indevido de recursos públicos, por meio da utilização das cotas de passagens aéreas oferecidas pela Câmara dos Deputados para o exercício da atividade parlamentar, conta com mais parlamentares da região. Entre os 443 ex-deputados federais estão Geraldo Pudim (PMDB) – hoje deputado estadual; Silvio Lopes (PSDB) – ex-prefeito de Macaé; e Josias Quintal (PSB) – prefeito reeleito de Santo Antônio de Pádua. Eles são acusados de desviar o benefício em favor de terceiros. As investigações apuraram os gastos com viagens no período de janeiro de 2007 a fevereiro de 2009. Também foram denunciados deputados federais com mandato. Em nota, Pudim afirmou que não conhece o teor da denúncia que cita mais de 90% dos parlamentares do Congresso Nacional à época, quanto a possível utilização indevida de passagens aéreas. O deputado ressaltou ainda que "nenhum parlamentar tem acesso em sua conta salário valores em dinheiro de passagens aéreas, apenas autorização de retirada de bilhetes junto às companhias". "Portanto, prefiro aguardar a notificação para me pronunciar a respeito, com a certeza de que nada fiz que contrariasse ato normativo da mesa diretora da Câmara dos Deputados número 42 de 2000, alterado pelo ato normativo de mesmo número de 2009, que disciplina a concessão de passagens aéreas dos deputados". O blog noticiou (aqui) também neste domingo (6) os nomes de Arnaldo Vianna (PMDB) e Paulo Feijó (PR). Arnaldo ainda não atendeu as ligações. Feijó destacou que não era deputado no período investigado, acredita que seja um equívoco, e diz nunca ter utilizado passagens da Câmara para beneficiar a terceiros. As denúncias aguardam a manifestação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). Os denunciados são acusados de peculato, incidindo na prática do crime do artigo 312 do Código Penal, por haverem desviado, em proveito de terceiros, valores de que tinham a posse em razão do cargo. A pena para o delito é de reclusão de dois a doze anos, mais multa. O blog está aberto ao posicionamento dos citados na denúncia do MPF e tentará, por telefone, contato nesta segunda-feira (7). Confira a lista de denunciados e saiba quantas passagens e o valor desviado por cada um. Acesse a lista das pessoas envolvidas, com prerrogativa de foro. Atualização às 13h42 - Inclusão da nota de Pudim.
Comentar
Compartilhe
Arnaldo Vianna e Feijó na lista de denunciados pelo MPF por desvio de recursos públicos
06/11/2016 | 15h51
Arnaldo-Vianna-400x267Paulo-Feijó-1O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra 443 ex-deputados por uso indevido de recursos públicos, por meio da utilização das cotas de passagens aéreas oferecidas pela Câmara dos Deputados para o exercício da atividade parlamentar. Entre eles está o ex-prefeito de Campos Arnaldo França Vianna, atualmente no PMDB. Outras 219 pessoas, com foro privilegiado poderão ter a situação examinada pela Procuradoria-Geral da República. Entre eles está o deputado federal Paulo Feijó (PR). Atualização às 23h09 - Os ex-deputados federais Geraldo Pudim (PMDB), Silvio Lopes (PSDB) e Josias Quintal (PSB) também estão na lista. Confira mais detalhes aqui. Eles são acusados de desviar o benefício em favor de terceiros. As investigações apuraram os gastos com viagens no período de janeiro de 2007 a fevereiro de 2009. Nos casos dos quem têm foro privilegiado, a Procuradoria Regional da República – 1ª Região, órgão do MPF –, solicitou que cópias do inquérito sejam enviadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que o processo seja continuado. Feijó diz nunca ter utilizado passagens da Câmara para beneficiar a terceiros e salienta que entre 2007 e 2009 ele não era deputado. O parlamentar acredita que tudo logo será esclarecido. “Nessa época eu nem deputado era. Nunca viajei, nunca fui para o exterior, nunca levei ninguém para Brasília com passagem da Câmara e de 2007 a 2010 eu não tive mandato. Estão fazendo uma caça às bruxas e nem deputado eu era”. Com prerrogativa do foro, também estão na lista os parlamentares fluminenses Rodrigo Maia (DEM) – presidente da Câmara dos Deputados, Leonardo Picciani (PMDB) – atual ministro dos Esportes, Indio da Costa (PSD), Arolde de Oliveira (PSC), Chico Alencar (Psol), Jair Bolsonaro (PSC), Luiz Sérgio (PT), Miro Teixeira (Rede), Simão Sessim (PP) e Deley (PTB). As denúncias aguardam a manifestação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). Os denunciados são acusados de peculato, incidindo na prática do crime do artigo 312 do Código Penal, por haverem desviado, em proveito de terceiros, valores de que tinham a posse em razão do cargo. A pena para o delito é de reclusão de dois a doze anos, mais multa. Confira a lista de denunciados e saiba quantas passagens e o valor desviado por cada um. Acesse a lista das pessoas envolvidas, com prerrogativa de foro. Atualização às 16h30 - Inclusão da versão do deputado Paulo Feijó. O blog tentou contato com Arnaldo Vianna, mas não conseguiu até o momento.  
Comentar
Compartilhe
Cenário político do Rio em 2018 começa a ser esboçado
06/11/2016 | 15h28
[caption id="attachment_10346" align="alignleft" width="300"]Prefeito do Rio, que não elegeu seu sucessor, é nome dado como certo na disputa pelo Governo do estado. Não se sabe qual será o partido Prefeito do Rio, que não elegeu seu sucessor, é nome dado como certo na disputa pelo Governo do estado. Não se sabe qual será o partido[/caption] Os resultados eleitorais mexeram no cenário e, ainda que dois anos sejam muito tempo nos parâmetros políticos, a configuração para 2018 já começou a ser rascunhada. Sem Marcelo Crivella (PRB), eleito prefeito do Rio, e com a possibilidade de o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) não tentar um novo mandato, a disputa pelas duas vagas do estado no Senado em 2018 promete ser acirrada. Para o governo estadual, Eduardo Paes, que já manifestou publicamente a vontade de concorrer ao cargo, é o nome que desponta — embora seja cedo para dizer se pelo mesmo PMDB de hoje ou por outro partido. O atual prefeito do Rio, que já passou por DEM (então PFL), PV, PTB e PSDB antes de chegar ao PMDB, em 2007, já despertou o interesse de outras legendas e será cortejado de forma mais intensa conforme o momento da definição das candidaturas for se aproximando. O presidente do PDT, Carlos Lupi, já manifestou o interesse de ter Paes entre seus quadros — para o partido, é fundamental ter um nome competitivo na disputa para dar sustentação no estado à provável candidatura de Ciro Gomes à Presidência. O peemedebista também se reaproximou do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o que facilitaria um possível retorno ao partido. Há na legenda quem defenda uma candidatura presidencial própria em 2018, e um palanque forte no Rio seria bem-vindo. O prefeito também mantém boa relação com o ministro Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia), presidente licenciado do PSD. No PSDB, Paes é próximo ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional da sigla. Para concretizar o retorno, porém, ele precisará quebrar a resistência de tucanos que ainda se queixam da forma com que o prefeito deixou o partido do qual foi secretário-geral. O PSDB vai conversar ainda com Bernardinho, técnico da seleção masculina de vôlei. Uma figura importante na negociação é o empresário Alexandre Accioly, amigo de Aécio e influente nas decisões partidárias no Rio. — O PSDB vai ter candidato a governador. Dentro da ótica da reformulação política, o Bernardinho cai como uma luva, mas não há conversa ainda. O histórico do Eduardo (Paes) é errático. O PSDB deu apoio a ele na época, e ele não ficou — diz o presidente do PSDB no estado, deputado federal Otávio Leite. Presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani confia na permanência de Paes e defende o nome do aliado para o governo. Fonte: O Globo Confira a matéria completa aqui
Comentar
Compartilhe
Carla vai à Justiça se Neco não iniciar transição
05/11/2016 | 16h26
[caption id="attachment_10342" align="aligncenter" width="666"]Carla_Neco2016_ Prefeita eleita aguarda posicionamento do atual prefeito[/caption] Qual é o valor da dívida da Prefeitura de São João da Barra? Essa é uma pergunta sem resposta para a população e que ainda não é de conhecimento, sequer, da equipe de transição da prefeita eleita Carla Machado (PP). Ela nomeou seu grupo desde 18 de outubro, mas ainda não teve sinalização do prefeito Neco (PMDB) sobre quem fará a transição pelo lado do atual governo, tampouco teve uma data agendada para a primeira reunião. — Me reuni essa semana com os membros da nossa equipe de transição e aguardaremos até a próxima semana. Caso não haja boa vontade do prefeito, nos restará buscar na Justiça esse direito. Precisamos ter conhecimento real dos fatos para que possamos nos planejar melhor, evitando com isso o aumento do caos instalado em nosso município através dessa gestão irresponsável e incompetente — disparou Carla. Desde que perdeu a eleição, Neco não fez nenhuma declaração à imprensa. Na sexta (4), o blog tentou contato com ele, por telefone, para comentar sobre as possíveis dívidas e a transição, mas não obteve êxito. Confira a matéria completa na edição deste domingo (6) da Folha da Manhã e aqui, na Folha Online.
Comentar
Compartilhe
SJB: transição de governo ainda é uma incógnita
05/11/2016 | 14h49
Sem título E a transição em SJB? A resposta das urnas já chegou há mais de um mês, mas ninguém sabe ainda como está o andamento do trabalho de transição entre os governos do prefeito Neco (PMDB) e da prefeita eleita Carla Machado (PP). Ela chegou a apresentar sua equipe e pediu apoio do Tribunal de Contas do Estado. Ele até agora não oficializou os nomes do seu governo que vão participar da transição, tampouco fez comentários sobre o assunto. Enquanto a transição não anda, sobram especulações quanto ao secretariado na próxima gestão. A médica Fabiana Catalini foi apresentada como membro da equipe de Carla e havia muita gente convicta quanto à sua permanência no governo. Contudo, como a coluna Ponto Final informou ontem, Fabiana será secretária no governo Rafael Diniz (PPS), em Campos. Mais um cargo vago para “bolsa de apostas” dos bastidores, que tem como mais cotado para a pasta o endocrinologista André Fontoura. Agenda A prefeita eleita Carla Machado tem utilizado seu perfil no Facebook para divulgar sua agenda nesse período entre a vitória nas urnas e a posse. Após cumprir compromissos e buscar recursos no Rio e em Brasília, os encontros agora são locais. IFF Na última quinta-feira ele esteve no campus São João da Barra do Instituto Federal Fluminense. No encontro, discutiu parcerias para 2017. O reitor Jefferson Azevedo participou da reunião. Segurança... Também na quinta, Carla esteve com o coronel Ramiro de Oliveira Campos, ex-comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar (Campos), para uma conversa sobre segurança. ...em pauta Carla vai criar a secretaria de Segurança Pública. Seria a visita de Ramiro, que disputou uma cadeira na Câmara de Macaé e não foi eleito, um indicativo sobre quem estará à frente da pasta? Infraestrutura Para completar a agenda da semana, a prefeita eleita almoçou na sexta com representantes da Caixa Econômica Federal. A conversa foi sobre projetos nas áreas de habitação e infraestrutura. Vistoria Futuro secretário de Meio Ambiente de SJB, o vereador Alex Firme (PP) esteve com representantes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) em vistoria pelos canais do município. A intenção é reativar, de forma rotineira, o trabalho de limpeza e manutenção dos canais. Por onde? Desde que perdeu a eleição, o prefeito Neco (PMDB), de SJB, pouco foi visto. Nenhuma declaração à imprensa, apenas poucos comentários no Facebook. Sobre a transição, não fez uma declaração sequer. Sem solução Os servidores públicos que tem direito ao vale transporte municipal vão iniciar mais uma semana de incertezas. A Prefeitura, até ontem, não disponibilizou nenhuma resposta sobre a regularização. O reflexo já está sendo sentido, principalmente, nas escolas da rede municipal. Os universitários que tem direito ao passe custeado pelo município, também estão sem resposta. Publicado na edição deste sábado (5) da Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Neco faz mudanças no alto escalão do seu governo
05/11/2016 | 12h46
necoooA menos de dois meses para o fim da sua gestão, o prefeito Neco (PMDB), de São João da Barra, ainda mexe em peças do seu estafe administrativo. As mais recentes mudanças foram publicadas no Diário Oficial deste sábado (5). O ex-secretário de Saúde Klaus Lisboa Tavares volta para o governo, mas dessa vez como Coordenador Geral de Assistência Social (símbolo CCE-1). Na secretaria de Administração, foi exonerada a subsecretária Lais Pessanha de Souza (CCE-1), que no mesmo dia foi nomeada como subsecretária (CCE-1) de Educação. Ainda na Administração, Felipe Miranda e Silva deixou a coordenadoria geral de Licitações e Contratos (CCE-1) para assumir a subsecretaria. Na mesma pasta, Edmar Jonas Serra Junior, que tinha Função Gratificada de Gestor Administrativo (FGE), foi destituído para assumir como coordenadoria geral de Licitações e Contratos (CCE-1). O mesmo Diário Oficial traz a destituição de Cristiano Inácio da Silva da Função Gratificada de Inspetor da Guarda (FGE).
Comentar
Compartilhe
Quem assumirá a Saúde no governo Carla Machado?
04/11/2016 | 17h04

4385_010216161947_4385_010216160844_saudeRevelado pelo blog Opiniões (aqui) que Fabiana Catalani vai assumir a secretaria de Saúde no governo Rafael Diniz (PPS), em Campos, paira a dúvida sobre o nome que será escolhido pela prefeita eleita de São João da Barra, Carla Machado  (PP). Ela chegou a colocar Fabiana na sua equipe de transição, o que indicava a possibilidade de continuar no governo.

Agora que Catalani firmou compromisso com a Saúde em Campos, as apostas nos bastidores se voltam para o endocrinologista André Fontoura, que foi candidato a vereador pelo PPS, como futuro secretário da pasta em SJB. Nada foi confirmado ainda, são apenas especulações. Carla, inclusive, pouco tem revelado sobre seu futuro secretariado.

A Saúde é uma das principais secretarias do município e a que gere a maior fatia do orçamento. Nos últimos meses, de forma mais acentuada, a pasta tem enfrentado diversos problemas e muitas denúncias, que inclusive serviram de base para abertura de uma CPI na Câmara.

Comentar
Compartilhe
Aluizio Siqueira nega que cadeira na Alerj esteja em seus planos
04/11/2016 | 11h22
AluizioPresidente da Câmara de São João da Barra de 2013 a 2016, e que será reconduzido ao posto em 2017, Aluizio Siqueira (PP) nega que esteja nos seus planos a disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) em 2018. Seu nome foi aventado na coluna Caiu na Rede publicada na edição da Folha da Manhã do dia 29 de outubro (aqui), que informou também a pretensão do atua prefeito de SJB, Neco, em disputar uma vaga na Alerj no próximo pleito. “Dos nove vereadores eleitos, pelo menos um poderia tentar uma cadeira na Alerj — há fortes rumores que o nome seja o de Aluizio Siqueira (PP), atual presidente da Câmara e que será reconduzido ao posto em 2017”, salientou este blogueiro na coluna do último sábado. Na edição desta sexta-feira (4) da Folha, o jornalista Saulo Pessanha informa em sua coluna a negativa de Aluizio. “O que se fala é especulação”, assegurou o vereador ao colunista. Parece cedo para especulações, mas na dinâmica política, mal terminou a eleição de 2016, já começaram as movimentações de bastidores para 2018. Até lá, muita água pode rolar. A conferir.
Comentar
Compartilhe
Crise no Rio: Estado propõe corte de 30% do servidor, aumento de impostos e outras medidas
04/11/2016 | 08h19
FB_IMG_1478254663861O Rio vai encarar, a partir do próximo ano, o pacote de austeridade mais duro da crise financeira que está enfrentando. Entre decretos que serão publicados no primeiro dia de 2017 e projetos de lei que estão previstos para chegar nesta sexta-feira (4) à Assembleia Legislativa, o Palácio Guanabara pretende adotar medidas como aumentar a contribuição previdenciária, inclusive com a criação de uma alíquota extraordinária, acabar com programas sociais, suspender reajustes salariais, cortar cargos comissionados, elevar impostos e recorrer aos fundos de outros poderes para pagar servidores. O resultado seria um ganho de arrecadação de R$ 13,4 bilhões em 2017 e de R$ 14,76 bilhões no ano seguinte. O governo do estado alega que, se nada for feito, o rombo ao fim de 2018 vai chegar a R$ 52 bilhões. Se o governo tiver o apoio da Alerj e a apreciação do pacote for ágil, parte das medidas que precisa do aval do Legislativo entrará em vigor em abril do ano que vem. A proposta de aumento das alíquotas previdenciárias, que pode gerar mais resistência, depende da habilidade política do presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), para fechar um acordo com os deputados. Os servidores ativos, que já contribuem com 11% dos vencimentos, vão passar a pagar 14%, além de uma alíquota extraordinária de 16% concebida para reduzir o déficit previdenciário. Inativos e pensionistas que ganham mais de R$ 5.189 também pagarão os mesmos percentuais. A mudança mais extrema será sentida na faixa de aposentados e pensionistas que ganham abaixo de R$ 5.189. Isentos até hoje, eles passarão a contribuir, caso o projeto de lei seja aprovado, com 30% de seus vencimentos. Com a medida, todos os funcionários, inclusive aposentados, terão, ao final, o mesmo desconto nos salários. A duração dessa alíquota extra, prevista em lei, é de quatro quadrimestres, ou dezesseis meses. O governo sabe que poderá haver reação, mas aposta numa estratégia de convencimento alegando que, se não houver um freio no desequilíbrio das contas públicas, demissões se tornarão inevitáveis, o que seria mais traumático. — Se não passar, será demissão em massa ou colapso — observou um técnico estadual. Entre os programas sociais, serão extintos por decreto o Aluguel Social, voltado para desabrigados, e o Renda Melhor, destinado aos que vivem em extrema pobreza. Os restaurantes populares também vão acabar, a menos que sejam absorvidos pelos municípios. Os gastos do Bilhete Único por pessoa ficarão limitados a R$ 150 por mês. Para crescer a receita, haverá aumento de ICMS de energia, telecomunicações, gasolina, cerveja, refrigerante e cigarro. O aparato administrativo não escapou à tesourada. O número de secretarias passará de 20 para 12, com a fusão de várias pastas, e oito autarquias e fundações estaduais serão extintas. Fonte: O Globo
Comentar
Compartilhe
Concurso da Câmara: MP quer posse imediata dos aprovados e punição a Edson
03/11/2016 | 18h46
EdsonO Ministério Público (MP) do Estado do Rio de Janeiro ajuizou ação civil pública, com pedido de liminar, em face da Câmara de Campos e do seu presidente, o vereador Edson Batista (PTB). A promotora Maristela Faria solicita posse imediata dos aprovados no polêmico concurso da Casa realizado em 2012. Até hoje não empossou nenhum dos candidatos — apesar de algumas decisões judiciais determinarem tal posse.  A validade do certame termina neste sábado, 5 de novembro: — O perigo de dano refere-se à possibilidade de que a manutenção da violação da ordem pública enseje o término do prazo de validade do concurso e sirva de nova justificativa para que o demandado Edson Batista deixe de proceder à nomeação e à posse dos candidatos, persistindo, com isso, a violação de normas constitucionais, e estendendo o sofrimento dos candidatos que investiram tempo e dinheiro na obtenção do tão sonhado cargo público — salienta a promotora ao justificar a necessidade de tutela antecipada. Com relação ao presidente da Câmara, a promotoria relata que Edson “incorreu na prática de improbidade administrativa, atentando drasticamente contra princípios da Administração Pública”. Na ação, consta que o presidente do Legislativo deixou inclusive de atender solicitação do Ministério Público acerca da relação de funcionários que teriam ocupado cargos na Casa entre 2012 e 2015, o que configuraria em crime, podendo ser “punido com reclusão de um a três anos, mais multa”. Cobra a promotora, ainda, que diante da resistência da presidência da Câmara em cumprir as determinações judiciais, sejam adotadas proativa, “procedendo-se à posse judicial dos candidatos”. A ação civil de improbidade administrativa foi distribuída na última segunda-feira (31). Até o momento, não houve decisão. Na edição da última terça-feira (1), a Folha da Manhã publicou matéria sobre o fim da validade do polêmico concurso (confira aqui). Mais informações na edição desta sexta-feira (4) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Atafona: por que tantos empecilhos ao tentar conter avanço do mar?
03/11/2016 | 15h21
Sem título Atafona e o mar Não é de hoje que o morador de Atafona se habituou a conviver com a guerra travada entre o mar e a praia. De forma natural a água avança, destrói, recua um pouco, avança mais. É um processo natural, acentuado no litoral sanjoanense desde a década de 1960, mas que hoje conta com um estudo em andamento do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) e pode haver controle. Carla Machado (PP) vai tomar posse em janeiro como prefeita de São João da Barra e deve dar prosseguimento ao projeto iniciado pelo prefeito Neco (PMDB). É uma necessidade, está acima das questões partidárias. Para quem mora em Atafona, ou pela praia é apaixonado, o mar voltou a assustar nesta semana. Mas para alguns, o cenário de destruição parece ter virado um bom atrativo turístico, e, por isso, nada é feito para que se alcance uma solução. IMG-20161031-WA0034 Pule de 10 Como antecipou o jornalista Saulo Pessanha na quarta-feira (2), em sua coluna, é pule de 10 o nome de Alexandre Magno como secretário de Obras no governo da prefeita eleita Carla Machado. Aliado Carla e Alexandre caminham juntos na política há muitos anos, ele chegou a ser presidente do diretório municipal do PMDB, enquanto Carla esteve no partido. Escolhido para presidir a comissão de transição, deve assumir a pasta que chefiou no governo Carla e no início do governo Neco. Sub Alexandre deve ter como subsecretário na pasta Marcos Sá. Ele assumiu a secretaria de Obras no governo Neco, mas pulou para Carla em abril. Na gestão dela, ele foi secretário de Meio Ambiente. Transição Nada de oficial foi anunciado pelo atual governo sobre a transição em São João da Barra. Até agora só se conhece a equipe apresentada pela prefeita eleita. Retorno Os servidores da Prefeitura de SJB voltam ao batente nesta quinta-feira (3), já que estavam de folga desde a tarde de sexta. O expediente, de 9h às 14h. Vento Foi forte a ventania dos últimos dias na região. Apesar de, felizmente, não trazer consequências graves, as rajadas deixaram, ainda mais, evidente a necessidade de reparo em alguns prédios públicos. Por pouco telhas não voaram. Em tempo Por falar em telhas, a cobertura de uma quadra esportiva que desabou na Água Santa, em SJB, até hoje não foi retirada, tampouco iniciado reparo. Já faz mais de um mês do incidente. Viver Melhor Mais um mês de incertezas para os beneficiários do programa de transferência de renda municipal Viver Melhor. A liberação deveria ocorrer nessa terça-feira (1), mas usuários alegam que isso não ocorreu. Servidor Os servidores da Prefeitura de SJB também vivem novamente uma incerteza: o vale transporte. Não liberado antes do feriadão, ninguém sabe se terá acesso ao documento nesta quinta ou quando será liberado pela Prefeitura e pela empresa responsável pelo serviço. Universitários O dilema vivido pelos servidores públicos sanjoanenses é compartilhado com os universitários. Eles também ainda estão sem saber se terão o passe liberado nesta quinta-feira. Nos últimos meses, o atraso tem sido rotineiro. Publicado nesta quinta na Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Thiago Virgílio, Ana Alice e Gisele Koch deixam prisão
03/11/2016 | 14h42
[caption id="attachment_10302" align="alignleft" width="300"]Gisa-Koch Gisele e Ana Alice tiveram prisão decretada no dia 26 (Fotos e montagem do Notícia Urbana)[/caption] A Secretaria de Estadual de Administração Penitenciária (Seap) confirmou que a ex-secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Ana Alice Alvarenga, além da ex-coordenadora do Cheque Cidadão Gisele Koch deixaram a prisão na tarde desta quinta-feira (3). Elas, que já haviam sido presas em setembro, na operação Vale Voto, tiveram a prisão preventiva decretada na segunda fase da operação Chequinho, em 26 de outubro. Também já está em liberdade o vereador Thiago Virgílio (PTC), preso temporariamente no último sábado (29), como informou o blog Na Curva do Rio. Até o momento, continua foragido o subsecretário de Governo de Campos, Alcimar Ferreira Avelino (confira na Folha Online). Ainda estão presos o vereador Kellinho (PR), que encontra-se no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca, e a vereadora eleita Linda Mara (PTC), no Presídio Nilza da Silva Santos. Ana Alice e Gisele tiveram habeas corpus concedido pela ministra Luciana Lossio, que estendeu a elas o mesmo que já havia concedido aos vereadores Ozéias (PSDB) e Miguelito (PSL). A ex-coordenadora do Cheque Cidadão foi presa no dia em que a segunda fase da operação Chequinho foi deflagrada. Já Ana Alice ficou foragida por cinco dias, até ser encontrada em Copacabana após denúncia anônima na última segunda. Ela estava com a vereadora eleita Linda Mara e com a radialista Beth Megafone, até então também foragidas.
Comentar
Compartilhe
Linda Mara e Ana Alice levadas para presídio; ex-secretária consegue habeas corpus
01/11/2016 | 18h14
IMG-20161101-WA0052 A vereadora eleita Linda Mara (PTC) e a  ex-secretária de Desenvolvimento Social e Humano Ana Alice Alvarenga, foram transferidas da delegacia da Polícia Federal de Campos para o presídio feminino no fim da tarde desta terça-feira (1). Desde então elas eram consideradas foragidas e foram presas na segunda-feira (31), em Copacabana, após denúncia anônima (confira aqui). Os mandados de prisão foram expedidos em mais uma fase da operação Chequinho, deflagrada na última quarta-feira (26), que apura supostas irregularidades na distribuição do Cheque Cidadão. As duas passam por exame de corpo de delito, antes de entrar no presídio. A radialista Beth Megafone e outra mulher presa nesta terça, continuam na delegacia da Polícia Federal. Apoio — Se no dia que foi presa Linda Mara foi recebida por dezenas de manifestantes na porta da Polícia Federal, nesta terça recebeu apoio de familiares amigos com mensagens de apoio. Habeas corpus — Poucos minutos depois de Linda Mara e Ana Alice darem entrada no presídio feminino, a jornalista Suzy Monteiro informou em seu blog, Na Curva do Rio, que a ministra Luciana Lossio, do TSE, estendeu à ex-secretária de Desenvolvimento Humano e Social Ana Alice Alvarenga e à ex-coordenadora do Cheque Cidadão Gisele Koch o habeas corpus já concedido aos vereadores Ozéias (PSDB) e Miguelito (PSL). A informação foi dada em primeira mão no blog de Ralfe Reis. Atualização às 19h09 — Para acréscimo de informações, alterações no texto e título.  
Comentar
Compartilhe
SJB: uso de material de campanha já é considerado propaganda extemporânea
01/11/2016 | 13h41
Sem títuloPropaganda extemporânea Os sanjoanenses que ainda mantêm seus carros adesivados com material da campanha eleitoral deste ano, ou qualquer outro tipo de propaganda que faz alusão ao pleito, correm risco de multa a partir desta terça-feira (1). De acordo com a portaria 17/2016, assinada pelo juiz Leonardo Cajueiro D’Azevedo, qualquer propaganda mantida a partir desta terça já pode ser considerada extemporânea e, portanto, passível de multa. A notificação foi afixada desde o dia 20 de outubro. Passado o pleito, o cartório eleitoral já começa a voltar ao seu ritmo normal de atendimento. Operações de inscrição, transferência, expedição de quitação eleitoral serão realizadas a partir de segunda-feira. Para atendimento, porém, é preciso fazer o agendamento no seguinte endereço eletrônico: http://www.tre-rj.jus.br/agendamento/publico. Biometria No próximo ano, os eleitores sanjoanenses vão passar por um recadastramento biométrico. Ainda não há muitos detalhes, mas é certo que será feito. O município, atualmente, conta com número de eleitores superior ao de habitantes. Saúde A prefeita eleita Francimara Barbosa Lemos (PSB), de São Francisco do Itabapoana, publicou no Facebook, documento que mostra a destinação de R$ 1 milhão para a área da saúde no município, por meio de emenda do deputado federal Chico D’Ângelo (PT). Expectativa... O vereador Kaká (PT do B), de SJB, que não conseguiu a reeleição, voltou a ter expectativa de assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na atual legislatura. Matéria exibida pelo Fantástico, no domingo, sobre supostas liminares irregulares, cita políticos e faria diferença para ele. ... de Kaká A denúncia envolve o desembargador Siro Darlan. Ele deferiu uma liminar para que Mandiocão (PP), prefeito eleito de Rio Bonito, pudesse concorrer mesmo com as contas reprovadas em 2013. Com os votos validados, Mandiocão venceu Marcos Abrahão (PT do B). Sem esses votos, Abrahão assume a Prefeitura e Kaká, a cadeira na Alerj. Ele é 1º suplente de Abrahão. Cedo Ainda é muito cedo, porém, para afirmar que pode haver mudança em Rio Bonito e com isso o vereador Kaká herdar uma cadeira na Alerj. O que tem de volta é a expectativa. Repercussão O fato revelado por esta coluna de o prefeito Neco (PMDB) disputar uma cadeira na Alerj em 2018 teve grande repercussão nas redes sociais em SJB. A possibilidade foi aceita por alguns, mas criticadas por outros. Feriadão Com a Prefeitura de SJB de portas fechadas desde sábado até amanhã, as ruas do Centro têm pouco movimento. Ruim para o comércio, que já sofre com a crise. Vendas Por falar em crise, a expectativa para venda de flores em todo país no Dia de Finados, amanhã, é de queda comparado a anos anteriores. Em SJB, os tradicionais vendedores já se preparam para o dia. Aguardar... No cenário político campista, as investigações sobre desvio de finalidade do Cheque Cidadão estão a todo vapor. Em SJB, muitos cobram explicações sobre os desdobramentos de uma ação que apreendeu documentos na Prefeitura. O mais prudente, por ora, é aguardar. ...investigação Não há nada de novo apontado pelo Ministério Público. Qualquer afirmação, tanto para acusar, como para inocentar alguém, não passa de especulação. Contenção A cada vez que o mar avança em Atafona, volta a ser comentado sobre o projeto para contenção. Depois, parece ficar esquecido. É importante cobrar da prefeita eleita Carla Machado (PP) que dê continuidade ao projeto iniciado no governo Neco. Está acima de divergências partidárias. Publicado na edição desta terça-feira (1) da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe