Prefeito Neco e equipe administrativa vão "prestar contas"
28/02/2015 | 13h46
[caption id="attachment_159" align="aligncenter" width="300"]No impasse entre a Mesa Diretora da Câmara e o Executivo, Neco é alvo de duras críticas. No impasse entre a Mesa Diretora da Câmara e o Executivo, Neco é alvo de duras críticas.[/caption] Após o presidente da Câmara de São João da Barra, Aluizio Siqueira (PMDB), fazer duras críticas à administração municipal e questionar o uso dos recursos públicos na última sessão da Câmara (aqui) e questionar com o bordão "cadê o dinheiro que estava aqui?", o prefeito Neco (PMDB) vai realizar um levantamento com todas as secretarias e mostrar os investimentos que foram feitos nos dois primeiros anos de administração. A informação foi divulgada na manhã deste sábado (28), durante o programa São João da Barra no Ar, transmitido simultaneamente pelas emissoras Barra FM (SJB) e Educativa FM, em Campos. Embora o prefeito não estivesse no programa, o fato foi abordado pelo secretário de Comunicação Social, Max Weber.
Comentar
Compartilhe
Juiz determina que Câmara de SJB realize sessão convocada pelo prefeito
27/02/2015 | 16h41
[caption id="attachment_789" align="aligncenter" width="300"]Impasse entre Executivo e Legislativo tem nova decisão judicial Impasse entre Executivo e Legislativo tem nova decisão judicial.[/caption] O impasse para a apreciação do projeto de Lei do prefeito Neco (SJB), que pede alteração da redação da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2015 no que diz respeito à abertura de crédito adicional suplementar por decreto, ganha novo capítulo. E jurídico. O juiz da Comarca de São João da Barra, Leonardo Cajueiro D’Azevedo, concordou com os argumentos apresentados pela Procuradoria do município, de que o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PMDB), não cumpriu o mandado de segurança (aqui) expedido no início de fevereiro, pedindo a apreciação do projeto. De acordo com o procurador do município, Jefferson Nogueira Fernandes, o juiz entendeu que a sessão realizada — convocada por Aluizio — não atendeu a solicitação do prefeito. “O que foi feito foi uma sessão convocada por ele (Aluizio). O juiz entendeu que o mandado de segurança não foi cumprido”, disse Jefferson. A nova decisão de Leonardo Cajueiro, expedida na última quarta-feira (25), afirma que “não havendo comprovação da efetiva realização de sessão extraordinária convocada pelo Executivo, persiste o objeto do Mandado de Segurança, não sendo o caso de extinção. No mais, mantenho a liminar anteriormente deferida”. O juiz conclui que “em síntese, o descumprimento da lei não é meio legítimo de disputas meramente políticas, mas sim violação aos princípios constitucionais da legalidade e moralidade, cabendo sanções típicas da Lei da Improbidade Administrativa e, no caso concreto, desobediência a determinação judicial”.  E determina: “renove-se a intimação para cumprimento imediato da liminar já deferida. Cumpra-se pelo OJA (Oficial de Justiça) de plantão”. A liminar jé deferida determinava o cumprimento da decisão em 72 horas. A última movimentação com relação ao projeto de Lei para alteração da Loa, foi a nomeação de comissões provisórias feita pelo presidente da Câmara Aluizio Siqueira (aqui).
Comentar
Compartilhe
MP protocola denúncia contra presidente do PT-Rio que pregou "porrada"
27/02/2015 | 15h36
[caption id="attachment_922" align="aligncenter" width="300"]Postagem de Quaquá no Facebook Postagem de Quaquá no Facebook[/caption] O Ministério Público de Maricá protocolou uma denúncia contra o presidente do PT do Rio, Washington Quaquá. O documento foi enviado ao procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Vieira, conforme revelado pelo colunista Ancelmo Gois na edição desta sexta-feira (27) de O Globo. A representação foi feita após o político, que é prefeito do município fluminense, defender publicamente "dar porrada" contra os adversários políticos, conforme mostrou aqui o blog do Bastos. Horas depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer um discurso no Rio de Janeiro pedindo que os petistas não fujam do embate com a oposição, mesmo que para isso tenham que recorrer à briga, Washington Quaquá usou seu perfil no Facebook para convocar a militância a “pagar com a mesma moeda” dos “burguesinhos” qualquer ataque que sofrer. “Agrediu, devolvemos dando porrada!”, propôs. Na terça-feira, uma manifestação em frente à sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio, em favor da Petrobras, terminou em tumulto, com socos e pontapés. De noite, um vídeo postado nas redes sociais mostrava Guido Mantega sendo hostilizado no saguão do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, enquanto internava sua mulher. Quaquá afirmou que a mensagem que publicou no Facebook foi a forma que encontrou para mostrar descontentamento com o grupo que havia hostilizado o ex-ministro da Fazenda. Na postagem, o petista acusa os adversários de falso moralismo e de "quererem achincalhar um partido (PT) e uma militância." O comentário do presidente regional do PT é acompanhado da foto de Mantega e do link de uma reportagem sobre o episódio no hospital. Fonte: O Globo
Comentar
Compartilhe
Kaká defende governo Neco e vai para o “enfrentamento” com Carla Machado
26/02/2015 | 21h14
10710600_907884052557851_4502998644843807144_nApós a ex-prefeita Carla Machado (PT) relatar que tem “boi voando” em São João da Barra — como o jornalista Alexandre Bastos publicou aqui, em seu blog —, ao falar sobre as alianças do prefeito Neco (PMDB) com ex-opositores, foi a vez de o vereador Kaká usar seu perfil nas redes sociais para rebater a adversária política. Kaká está na linha de frente de defesa ao governo na Câmara (aqui). O clima anda quente na política sanjoanense. E 2015 ainda nem é ano eleitoral. Segundo seu relato, Kaká afirmou que “pensou várias vezes se deveria responder ou não” a postagem feita pela ex-prefeita e anunciou que faria alguns esclarecimentos.Káká falou sobre acordos políticos e outras atitudes que, segundo ele, a ex-prefeita tenha cometido. “Não tenho dividas politicas com ninguém , cumpro todos meus compromissos antes de cumprirem comigo. Diferente da ex- prefeita que já traiu todos seus antigos aliados, Garotinho, Sérgio Cabral, Pezão, Picciane e no segundo turno da eleição de 2014,traiu o ‘Lindinho‘ e seu atual partido PT, não apoiando o candidato dos mesmos”, relatou. O vereador listou outros pontos e concluiu: “Tem pessoas que agem como um conhecido peixe em nossa região, o baiacu, incha quando precisa,se esconde quando necessário. Tem boa culinária quando se toma os cuidados devidos,mas também possui um veneno fatal . Para essas pessoas vai um conselho: cuidado para não morder a própria língua e sofrer com seu próprio veneno”, escreveu. Na era do Facebook: O último pleito já mostrou que o principal terreno pra debates políticos é virtual. Para se ter uma ideia, o perfil da ex-prefeita Carla Machado — então candidata a deputada estadual — e do prefeito Neco, viveu um período de embates. Isso sem falar nas militâncias aguerridas. A política sanjoanense é passional. Tudo indica que a eleição de 2016 será a mais quente da história de São João da Barra. E o clima vai esquentar tanto nas ruas, quanto na internet. Desde já, estamos de olho!
Comentar
Compartilhe
Camarão retruca declarações de Alexandre Rosa
26/02/2015 | 10h17
[caption id="attachment_451" align="alignleft" width="300"]Camarão foi citado em entrevista com o vice-prefeito. Camarão foi citado em entrevista com o vice-prefeito.[/caption] O vice-prefeito de São João da Barra, Alexandre Rosa (PMDB), concedeu entrevista a este blog (aqui) e relatou os motivos que teriam levado ao afastamento político do prefeito Neco (PMDB). Em uma das perguntas, Alexandre foi contestado sobre a aproximação do ex-vereador Zezinho Camarão com o prefeito. Uma confusão envolvendo os dois ex-vereadores terminou em agressão física e o caso teve repercussão na mídia nacional. Alexandre não negou que o fato de Camarão estar no grupo político de Neco seja um dos motivos do rompimento. Em seu perfil no Facebook, Camarão retrucou as declarações do vice-prefeito. O ex-vereador avaliou como “infeliz” a resposta de Alexandre sobre a confusão entre os dois. “Ele não poderia ser mais infeliz na sua resposta, quando praticamente diz que, para tomar suas decisões, se baseia em um ditado popular, que diz que ‘as palavras o vento leva’. Tudo vale do ponto de vista de cada um, e eu aprendi com os meus pais e até mesmo com muitos amigos que o homem que não tem palavra nunca será uma pessoa de confiança”, disparou Camarão. A aliança do antigo G-5, que também foi chamado de “cavaleiros do apocalipse”, foi lembrada por Camarão. Para ele, “da próxima vez que quiser justificar a sua falta de compromisso, companheirismo e acima de tudo, palavra comigo, Kaká, Gersinho e Franquis, e principalmente com o povo de São João da Barra (...) tente achar uma justificativa melhor, se é que isso é possível”. Com relação à sua aproximação com Neco, Camarão afirmou que o fato só incomodou Alexandre porque o vice-prefeito saberia do seu comprometimento com grupos políticos. “Na verdade, o que mais o incomodou, é que ele me conhece e sabe do amigo que sou e do comprometimento que tenho, porque se ele se preocupasse com o que os outros iriam falar, ele não teria feito o que fez”.
Comentar
Compartilhe
Kaká e Jonas na linha de frente de defesa ao governo
26/02/2015 | 00h39
[caption id="attachment_904" align="aligncenter" width="403"]Kaká e Jonas contestaram posicionamento dos ex-governistas Kaká e Jonas contestaram posicionamento dos ex-governistas[/caption] Se por um lado os vereadores Alex Firme (PMDB), Aluizio Siqueira (PMDB) e Ronaldo Gomes (Pros) metralharam (aqui) o governo na sessão desta quarta-feira (25), a base de apoio ao prefeito Neco também contou com discursos de defesa. Na linha de frente, o vereador Kaká (PT do B) e o líder do governo na Casa, Jonas Gomes (PMDB). Em resposta as palavras dos atuais oposicionistas, com relação ao percentual de remanejamento do orçamento por decreto concedido ao prefeito, Kaká e Jonas alegaram que nos dois primeiros anos, assim como na gestão anterior, a Câmara sempre concedeu 50% de remanejamento. Kaká destacou que o debate na Câmara tem sido pautado por “questões políticas” e frisou que ele e o vereador Jonas tentaram intermediar para que a situação não chegasse a este ponto. Com relação ao percentual de remanejamento, Kaká alegou que o discurso da oposição não se sustenta, pois na gestão anterior — assim como nos dois primeiros anos do atual prefeito — foi concedido o remanejamento de 50%. “Os discursos políticos partidários não colam. Nenhuma comissão desta casa convocou ninguém para dar explicações”, afirmou Kaká ao falar sobre as cobranças do vereador Alex, ao apontar problemas nos primeiros anos de gestão. Já o vereador Jonas, pediu que o projeto seja aprovado, da mesma forma que aconteceu nos outros anos. “Por que os outros tiveram 50% e agora não vai ter? A gente permite, então a gente tem o direito de cobrar”, disse. O líder do governo cobrou ainda uma revisão do Regimento Interno da Casa que, segundo ele, não está de acordo com a Lei Orgânica do município e, consequentemente, com a Constituição Federal. Além de Kaká e Jonas, a bancada governista — que é maioria na Casa — conta com mais quatro componentes: Elisio Rodrigues (PDT), Eziel Pedro (PSDC), Franquis Areas (PR) e Soninha Pereira (PT). Vereadores pleiteiam reajuste de 15% para os servidores A Câmara de São João da Barra deliberou sobre várias matérias, entre indicações, requerimentos, moções e projetos de resolução. Em conjunto, Aluizio Siqueira, Alex Firme e Ronaldo Gomes de Souza propuseram indicação ao Executivo para que envie ao Legislativo um projeto de lei concedendo reajuste de 15% nos salários dos servidores públicos municipais. Correção às 12h — Na primeira frase desta postagem, entre os vereadores que "metralharam" o governo, houve um erro com relação ao nome de Ronaldo Gomes (Pros), sendo digitado Jonas. A correção já foi feita.
Comentar
Compartilhe
Alex, Aluizio e Ronaldo “metralham” governo Neco
26/02/2015 | 00h28
[caption id="attachment_899" align="aligncenter" width="403"]Ex-aliados de Neco, Alex, Aluizio e Ronaldo não pouparam críticas ao governo Ex-aliados de Neco, Alex, Aluizio e Ronaldo não pouparam críticas ao governo[/caption] No início da sessão da Câmara de São João da Barra desta quarta-feira (25), durante a discussão da ata da reunião anterior — mais uma vez reprovada —, ex-aliados do prefeito Neco (PMDB) falaram sobre os motivos que levaram ao afastamento político. O primeiro foi o presidente da Casa, Aluizio Siqueira (PMDB), depois o ex-líder do governo Alex Firme (PMDB) e o vereador Ronaldo Gomes (Pros). O principal assunto: o que eles chamam de “pressa” da bancada governista em aprovar a alteração da redação da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2015, no que diz respeito à abertura de crédito suplementar por decreto. Os vereadores Kaká (PT do B) e Jonas Gomes (PMBD), líder do governo, entraram no debate em defesa a gestão Neco, como pode ser conferido aqui. Aluizio lembrou que o impasse com relação à LOA foi criado por um erro material causado por quem trabalha para a Prefeitura e redigiu o projeto. “Falei e repito, talvez o erro foi para criar esse mal estar entre o Executivo e o Legislativo”, afirmou o presidente da Casa. Aluizio criticou ainda o remanejamento que foi feito até o momento pelo prefeito Neco, salientando que o prefeito teria remanejado valores alocados para materiais para saúde, construção de casas populares. “Isso com 10%, imaginem com 50%”, indagou. Segundo Aluizio, a maior parte do remanejamento foi para pagamento de terceiros e contestou o interesse dos governistas em aprovar o projeto do Executivo. “Cadê o dinheiro que estava aqui? Para que dar essa liberdade, se as coisas não estão acontecendo?”, questionou. Ex-líder do governo Neco, Alex Firme afirmou que os vereadores eleitos no palanque adversário na última disputa municipal — Kaká e Franquis — ficaram com mais espaço no governo. “A oposição é bem prestigiada no governo. Quem batalhou tanto, foi deixado de lado”, disse.  Para Alex, outros motivos que o afastaram do governo foram problemas nos dois primeiros anos da gestão. Ele apontou problemas na área da saúde, esporte, trânsito, guarda municipal. Alex falou ainda de obras inacabadas desde a gestão anterior. “Lembro bem quando a gente visitou as obras. Foi marcada data para entrega. Será que em dois anos não conseguiram resolver o problema?”. Ronaldo seguiu a mesma linha de cobrança, ao questionar que o prefeito teve 50% para remanejamento nos dois primeiros anos. Para o vereador, mesmo com todo recurso disponível, os anos de 2013 e 2014 não foram apresentadas obras. “O que foi realizado? Queremos participar, saber onde estar o dinheiro”, disse o vereador.
Comentar
Compartilhe
SJB realiza segunda edição do Vestibular Comunitário
25/02/2015 | 16h01
3697_250215095846_VestibularComunitarioA prefeitura de São João da Barra, através das secretarias de Assistência Social, Direitos Humanos e de Educação e Cultura, oferece mais uma vez à população o projeto Vestibular Comunitário, que será realizado em parceria com a universidade Estácio. Na próxima quinta-feira, 26, haverá uma reunião explicativa e de apresentação do projeto no Cine Teatro São João, a partir das 10h. Neste mesmo dia, das 10h às 17h os interessados poderão se inscrever. “Durante a reunião será explicado quais os cursos disponíveis para o vestibular. É importante que os interessados levem a carteira de identidade, CPF e um comprovante de residência para fazer a inscrição”, ressaltou a secretária de Educação, Leide Cristina Soares. Vale lembrar que o vestibular é gratuito e pode ser feito por toda população sanjoanense. A prova será aplicada nesta sexta-feira (27), no Ciep Gladys Teixeira. O horário das provas será divulgado na reunião da próxima quinta-feira (26). A secretária de Assistência Social, Swany Gomes, também irá participar do encontro. “Nossa primeira edição em 2014 foi um sucesso, e lutamos para trazer novamente essa importante oportunidade para os nossos munícipes. Além disso, é a chance de integração das pessoas que têm mais dificuldade de acesso ao ensino superior. Espero que a população compareça, tire as dúvidas e se inscreva neste vestibular”, disse. Fonte: Secom/SJB
Comentar
Compartilhe
SJB: Câmara elege comissões permanentes
24/02/2015 | 20h16
[caption id="attachment_889" align="alignleft" width="300"]Primeira sessão ordinária de 2015 contou com a presença do vice-prefeito de SJB, Alexandre Rosa, e do deputado estadual Bruno Dauaire. Foto: Divulgação O vice-prefeito de SJB e o deputado estadual Bruno Dauaire participaram da sessão. Foto: Divulgação[/caption] Mais uma sessão quente na Câmara de São João da Barra, nesta terça-feira (24). O principal embate mais uma vez foi entre o presidente da Câmara Aluizio Siqueira (PMDB) e o vereador Kaká (PT do B). O clima pegou fogo durante a leitura da ata da sessão anterior. O líder do governo e secretário da Casa, Jonas Gomes (PMDB), pediu a retificação de alguns pontos, mas teve o pedido indeferido pelo presidente. Kaká entrou na discussão, pediu que o presidente avaliasse os pontos levantados por Jonas e disse que “não é preciso que ninguém faça cena na Câmara”. Aluizio rebateu e o debate entre os dois mais uma vez esquentou.  A ata foi reprovada por seis votos, dos vereadores Kaká, Jonas, Elisio Rodrigues (PDT), Eziel Pedro (PSDC), Franquis Areas (PR) e Soninha Pereira (PT) — que compõem a base de apoio ao governo Neco (PMDB) na Casa. Pela aprovação, votaram os vereadores Alex Firme (PMDB) e Ronaldo Gomes (Pros), membros do grupo liderado por Aluizio. Rolo compressor com força A eleição das comissões permanentes na Câmara mostrou que a bancada de apoio ao governo na Câmara está alinhada e não deve ceder às pressões da oposição. Em todas as comissões, a maioria dos eleitos é da base governista. Veja como ficaram as comissões: Justiça e Redação: Eziel (presidente), Kaká (relator) e Franquis (membro); Finanças e Orçamento: Kaká, Jonas e Franquis; Obras e serviços públicos: Jonas, Elizio e Alex; Elisio, Franquis e Jonas; Ética e decoro parlamentar: Jonas, Eziel e Franquis; Saúde e Vigilância Sanitária: Soninha, Elisio e Franquis; Cultura e Assistência Social: Elisio, Ronaldo e Soninha; Defesa de Ecologia e Meio Ambiente: Elisio, Franquis e Kaká; Defesa dos Direitos Humanos: Franquis, Soninha e Ronaldo. Alexandre Rosa e Bruno Dauaire na sessão A primeira sessão ordinária de 2015 teve como convidados de honra o vice-prefeito Alexandre Rosa (PMDB) e o deputado estadual Bruno Dauaire (PR). Eles fizeram parte da mesa durante a abertura da reunião e agradeceram o convite feito pela Câmara. Em seguida, conforme o artigo 19 do Regimento Interno, foi realizada a eleição para a composição das nove Comissões Permanentes da Casa para o biênio 2015 - 2016. O vice-prefeito Alexandre Rosa, o primeiro a falar, cumprimentou a plateia e desejou uma boa legislatura. Ele ressaltou que gostaria de estar atuando mais no atual governo, como falou também em entrevista a este blog (aqui). “Minha ausência se deve à opressão que tenho vivido. Que vocês, vereadores, estejam aqui para defender não os interesses do governo, mas da população de São João da Barra”, destacou. Já o deputado Bruno Dauaire  destacou os 64 anos de vida pública de sua família e agradeceu o convite para participar da sessão. “Ressalto aqui o amadurecimento desse parlamento, pois, mesmo defendendo bandeiras partidárias diferentes, isso não me impediu de voltar a esta Casa”, destacou o parlamentar, colocando o seu mandato à disposição do município. Com informações da Ascom/Câmara SJB
Comentar
Compartilhe
Alexandre Rosa: “Me senti tolhido desde o primeiro dia da administração”
24/02/2015 | 16h44
[caption id="attachment_885" align="aligncenter" width="756"]Foto: Reprodução Alexandre fala de motivos que levaram ao rompimento político com Neco. Foto: Reprodução[/caption] Vereador por dois mandatos e atual vice-prefeito de São João da Barra, Alexandre Rosa (PMDB), está afastado das decisões administrativas municipais desde 2013. Nesse período, Alexandre não comentou sobre o assunto em nenhum meio de comunicação, nem nas redes sociais. Na abertura do Carnaval 2015 – diferente do que aconteceu nos anos anteriores – Alexandre não participou com o prefeito Neco (PMDB) de nenhum ato oficial. No seu gabinete, o vice-prefeito não era encontrado, o que fortaleceu os boatos de um afastamento político com Neco. Alexandre resolveu romper o silêncio e fala sobre os motivos que o levaram aos problemas com o prefeito. Arnaldo Neto: Como você define sua atual relação política com o prefeito Neco? Alexandre Rosa: Nós estamos desligados, completamente desligados. O que levou ao nosso desligamento foram algumas posturas que ele veio tomando e que, automaticamente, eu fui me afastando por não concordar com o perfil de administração, com algumas atitudes que ele veio e vem tomando. A.N.: Durante o seu discurso de posse, você afirmou que não seria “vice para ficar em casa”. Entretanto, atualmente não é visto com regularidade no gabinete. O que determinou essa mudança de postura? Alexandre: O sanjoanense é testemunha de como eu me empenhei no início do mandato, ao exigir um gabinete para mim, ao estar na Prefeitura e atender de 30 a 40 pessoas por dia, tanto com demanda pessoal, como demanda para população como um todo, para resolver problemas do município, da cidade, bairros, comunidades. Porém, desde o primeiro dia do mandato, eu já comecei a me sentir tolhido em participar da administração. Eu sou uma pessoa que estou há 10 anos na política, tenho curso superior em gestão pública e sei que, posso não estar sendo modesto, mas eu teria uma certa bagagem para ajudar o governo, para ajudar o prefeito, ajudar o povo e ajudar o município. Como eu falei, desde o primeiro dia de governo eu já me senti excluído. A partir do momento que a minha sala tem uma porta que dá acesso a sala de reuniões e quando eu meti a mão na porta, para minha surpresa, ela estava fechada e sem uma chave. Pedi a chave até para que eu pudesse da minha sala ter acesso à sala de reuniões, ajudar na participação das decisões. Lógico que a gente sabe que o prefeito que tem sua obrigação e que tem a sua autonomia, é gestor, é ordenador de despesa. Mas, conforme foi dito em campanha, a gente iria governar junto, eu ia poder estar ajudando. Não foi isso que aconteceu. Portas fechadas, participação em decisão de nada eu tinha. Quando um secretário estava sendo nomeado ou exonerado, eu só sabia através do Diário Oficial do Município. Então, eu fui me sentindo excluído. E fui aos poucos me afastando, por conta desse perfil individualista e de autossuficiência do prefeito. A.N.: Em 2010, você fez parte da bancada de oposição à então prefeita Carla Machado, intitulado de G-5. No seu retorno ao grupo governista, você ficou com a secretaria de Turismo, como secretário. Desde então, o posto sempre foi de pessoas de sua confiança. O atual, Jorge Ribeiro, foi indicação sua. A permanência dele é ainda por sua influência? Você participa da indicação de nomes do primeiro escalão? Alexandre: Eu fiz a indicação do Flávio (Raposo, ex-secretário de Turismo) e, assim que iniciou o governo, ele sentiu que não tinha a autonomia que tinha no governo passado. Ele mesmo pediu a sua exoneração, porque estava vendo que estava secretário somente no nome, mas que não podia tomar nenhum tipo de atitude, administrar a secretaria. Seja lá o que fosse, a mínima coisa, tinha que depender do prefeito e muita das vezes sem conseguir ter acesso. O tempo passava, os eventos chegavam e não conseguia uma resolução. Quando ele saiu, eu ainda estava com um relacionamento razoável com o prefeito. Aí eu falei que o Flávio estava querendo sair, mas que eu tinha outra pessoa para indicar. Falei no nome do Jorge e ele (Neco) aceitou. Só que hoje eu não considero mais como indicação. Apesar de que, a indicação do Jorge foi só do nome. Eu nunca tive nenhum tipo de gestão sobre a secretaria neste mandato. Hoje eu não considero mais Jorge como uma pessoa indicada minha. Até porque ele tem o relacionamento dele com o prefeito, é leal ao prefeito e não nega isso. A.N.: Fato marcante da sua vereança foi a confusão com o ex-vereador Zezinho Camarão, que teve até agressão física e repercussão na mídia nacional. Como você encarou a aproximação de Camarão com um governo no qual você é o vice-prefeito? Alexandre: Um dos motivos... tanto na vida pessoal, na vida particular, na vida privada, como no poder, tem um ditado que diz que as palavras o vento leva. Porém, eu fui agredido fisicamente e isso repercutiu nacionalmente. E se eu não tiver um pouco de amor próprio, não serão os outros que terão por mim. Hoje você disse que ele se aproxima, não. O Camarão hoje faz parte do governo. Atuando, indicando, está sempre colado, envolvido com o prefeito em festinhas. Quando eu vi essa aproximação na campanha passada, para deputado e governador, foi um dos motivos que me afastaram. O que a população iria falar ao meu respeito, se me visse caminhando ao lado de uma pessoa que me agrediu? “Ah, Alexandre por uma questão de poder, ou por uma questão de interesse financeiro, está se sujeitando a estar caminhando lado a lado de uma pessoa que deu um soco na sua cara”, falando a grosso modo. Foi um dos motivos que me afastaram também. A gente vê aí hoje pessoas competentes sendo excluídas, pais de famílias sendo exonerados, pessoas que ajudaram a nos eleger estão fora do governo sem uma satisfação qualquer, pessoas competentes, que poderiam estar ajudando bastante. Hoje a gente vê pessoas que só querem usurpar o nosso município, tendo esse poder de indicar pessoas para cargos de confiança, cargos que são técnicos e não têm competência para tal. A.N.: Durante uma reunião com a presença da imprensa, o prefeito anunciou em agosto de 2013 o ingresso de Ranulfo Vidigal como secretário de Fazenda. Sua reação foi imediata, ao afirmar que não sabia da escolha. Desde essa época, a relação entre vocês já não estava “afinada”? Alexandre: Eu fui pego de surpresa quando me ligaram convidando para uma reunião no gabinete, onde todos os secretários estavam presentes, e seria apresentado Ranulfo como secretário de Fazenda. Fiquei surpreso, fui até lá para averiguar. Cheguei, continuei surpreso porque não estava acreditando naquela atitude. Quando o prefeito disse que Ranulfo estava vindo para somar, eu falei: espero que seja para somar mesmo. Fiz questão de colocar para todos os secretários que eu não sabia, que estava sendo uma surpresa. Demonstrei minha insatisfação naquele momento. Logo após, o prefeito chamou os secretários para um almoço na casa dele, para receber Ranulfo. Eu fui o primeiro a sair, bati a porta e fui embora, demonstrando ali a minha insatisfação com a vinda de Ranulfo para o grupo e a insatisfação de mais uma vez não ter sido comunicado ou ajudar a participar dessa decisão. Tanto a decisão foi ruim, que hoje ele não se encontra mais no governo. A gente fica sabendo pelos bastidores que o sua exoneração foi por um motivo desagradável. Não posso afirmar o que foi, porque não tenho provas. Mas sei que a relação entre ele o prefeito se estremeceu por atitudes, que me parece, não deixou o prefeito satisfeito.  A.N.: Neco já demonstrou interesse em ser candidato à reeleição no próximo ano. E os planos do Alexandre Rosa, quais são? Alexandre: Ainda não estou definido com relação a isso. Não sei se serei candidato. Se for, não sei a que serei candidato. Mas, como sanjoanense nato, tenho vontade, ao mesmo tempo que a política me trouxe muita decepção e muitos problemas; tenho vontade de me manter firme e continuar na luta por São João da Barra e pelo nosso povo. A.N.: Hoje você está filiado ao PMDB. Pretende trocar de partido? Já existe algum em mente ou ainda é cedo? Alexandre: Pode não ser mais tão cedo. A gente sabe que para ser candidato ano que vem, até outubro tem que tá definindo as questões partidárias. Como o ano acaba começando depois do Carnaval, eu acho que as articulações começam agora. Eu também vou buscar aí ver o que a gente faz, com relação à questão partidária. Estamos começando a analisar essa questão partidária. A.N.: O município hoje está dividido em três frentes políticas, uma liderada pelo prefeito Neco, outra pela ex-prefeita Carla e a do PR, sob o comando do ex-prefeito Betinho Dauaire e do filho e deputado estadual Bruno Dauaire. Você pertence a algum desses grupos? Qual? Alexandre: É uma pergunta delicada, porque existe a questão partidária. Eu não posso dizer que faço parte de outro grupo, como também não me considero fazendo parte do grupo do prefeito. Estou numa caminhada independente. E esperando ver o que a gente tem de oportunidade para o futuro. Futuro próximo, a gente estará definindo até no máximo em setembro, acredito eu. Posso dizer que sou do PMDB e não tem outro grupo partidário que eu esteja participando. A.N.: Rolou nos bastidores boatos que você teria apoiado a ex-prefeita Carla na campanha para deputada estadual. Isso aconteceu? Por que você não anunciou publicamente seu apoio a nenhum candidato durante as eleições? Alexandre: Eu fui a primeira reunião, onde o governador Pezão esteve aqui, e declarei meu apoio a ele. Como membro do PMDB, vice-prefeito do PMDB, declarei meu apoio ao Pezão. Como de fato, votei no Pezão. Porém, a questão de deputado, realmente eu neutralizei e não trabalhei para ninguém. Até por uma questão de fidelidade partidária. Não me identifiquei com os candidatos apresentados pelo partido aqui, eu preferi declara meu apoio somente ao governador. Pela primeira vez, em 10 anos na política, eu não participei dessa eleição proporcional de outubro passado. A.N.: Como você avalia o governo Neco até o momento? Alexandre: Como eu falei no início, tanto na questão dos novos aliados do prefeito, que também me fizeram afastar do governo, a postura do prefeito administrativamente, que não me deixou participar de decisões, de nada para ajudar o governo, eu me afastei também porque prefiro estar ao lado da população. A maioria da população sanjoanense está decepcionada com o atual governo. Ao ficar ao lado do prefeito ou ao lado da população, eu opto por ficar ao lado da população que tem a maioria insatisfeita. Assim também como hoje nós temos a maioria dos vereadores que foram eleitos no nosso palanque, insatisfeita com o governo. Isso demonstra que ele não está no caminho certo. Mesmo se eu não tivesse de acordo com a postura política ou de alianças políticas que o prefeito vem fazendo, eu poderia estar de repente afastado. Mas poderia estar aplaudindo, se o governo estivesse no caminho certo. Como sanjoanense, eleito pelo povo, e sendo cobrado do jeito que eu tenho sido, eu prefiro estar afastado do governo e junto a população que hoje se encontra insatisfeita com as atitudes administrativas e políticas do prefeito Neco.
Comentar
Compartilhe
Filipe Estefan: “Não estou pré-candidato a prefeito de SJB”
24/02/2015 | 10h30
[caption id="attachment_880" align="aligncenter" width="600"]Foto: Silésio Correa/Folha da Manhã Foto: Silésio Correa/Folha da Manhã[/caption] O advogado Filipe Estefan, ex-presidente da 12ª subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), negou ser pré-candidato à Prefeitura de São João da Barra nas eleições de 2016. Ao Blog do Bastos (aqui), o presidente do diretório do PC do B no município, Fábio Junior da Silva Alves, afirmou que Filipe seria mais uma peça no tabuleiro político sanjoanense. “Agradeço ao carinho e a lembrança do Fábio Junior, agradeço ao carinho das pessoas que deixaram seus comentários (no Blog do Bastos), mas eu não estou pré-candidato à prefeitura de São João da Barra”, afirmou o advogado, que já foi procurador do município. Em São João da Barra, Filipe é filiado ao PSD. Quanto ao seu nome ter sido citado como pré-candidato a prefeito, ele tem uma explicação. “Eu trabalho muito, sou bem relacionado. As pessoas querem pessoas boas e comprometidas”, afirmou. Filipe recordou a entrevista concedida em 2010 ao blog Opiniões (aqui), do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, sobre a possibilidade de disputar um cargo político. À época, ele informou que ainda precisava “amadurecer a ideia”. “Como falei ao Aluysio em 2010, ainda estou amadurecendo a ideia de concorrer a um cargo político”. Atualização às 12h: O presidente do PC do B em São João da Barra, Fábio Junior, entrou em contato com o blog informando que não foi feito o convite direto ao Filipe Estefan, mas que o PC do B demonstrou publicamente o interesse de lançar candidato e, na visão dele, Filipe seria o nome mais indicado no momento. Fábio Junior reiterou que Filipe seria "um excelente candidato, com perfil agregador e muito querido pela população sanjoanense".
Comentar
Compartilhe
“Rolo compressor” em SJB?
23/02/2015 | 11h39
CAM04518Se em Campos o “rolo compressor” governista já atua há um bom tempo, em São João da Barra não havia a necessidade, uma vez que os nove vereadores da Câmara davam sustentação ao governo Neco (PMDB) no primeiro biênio. Mas 2015 promete embates diferentes, com os vereadores Aluizio Siqueira (PMDB), Alex Firme (PMDB) e Ronaldo Gomes (Pros) com uma postura de oposição. A força do “rolo compressor” sanjoanense deve começar a despontar já na sessão desta terça-feira (24), com a entrada em pauta do projeto de Lei 006/2015, que pede a alteração da redação da Lei Orçamentária Anual (LOA), no que diz respeito à abertura de crédito suplementar por decreto, mudando de 10% para 50%, já que houve erro na digitação da LOA e o prefeito ficou autorizado a remanejar 10% do orçamento, ao invés dos 50% que era o interesse do Executivo. Na última semana, o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira, nomeou os vereadores para compor provisoriamente as comissões de Justiça e Redação e Finanças e Orçamento para emitirem parecer conjunto ao projeto de Lei (aqui). Em posições estratégicas (presidente e relator) nas comissões, Aluizio indicou seus aliados Alex e Ronaldo. Já a petista Soninha Pereira foi membro nas duas. As comissões já se reuniram. Fontes ligadas à Câmara garantem que Alex e Ronaldo votaram pela reprovação do projeto. Já Soninha, pela aprovação. O parecer das comissões deve entrar em pauta na reunião desta terça-feira às 17h. Será a primeira oportunidade do “rolo compressor” sanjoanense mostrar sua força e o seu verdadeiro tamanho.
Comentar
Compartilhe
Neco: "Carnaval inesquecível"
20/02/2015 | 13h42
[caption id="attachment_868" align="aligncenter" width="960"]Neco acompanha e se diverte com o desfile das escolas de samba em SJB. Foto: Paulo Pinheiro Neco acompanha e se diverte com os desfiles das escolas de samba em SJB. Foto: Paulo Pinheiro[/caption] O prefeito de São João da Barra, Neco (PMDB), usou seu perfil no Facebook para comentar os dias de folia no município. Para Neco, foi um “Carnaval inesquecível”. Pontos que funcionaram bem, principalmente na Avenida do Samba, foram destacados pelo prefeito. Entre eles a segurança. “Da nossa parte fizemos diversas reuniões com os setores de segurança para que o carnaval tivesse paz e tranquilidade. O folião pode brincar e se divertir com sua família e amigos”. Neco também falou sobre planejamento, de “uma festa feita em conjunto entre a prefeitura e o povo” e disse que está “trazendo de volta aquele carnaval familiar”. Como este blog postou aqui na Quarta-feira de Cinzas, o prefeito também falou sobre pontos que podem ser melhorados. “Certamente que vamos avançando, mas este ano mostrou porque temos o melhor carnaval”. O prefeito aproveitou a postagem para convidar a população e turistas para o show de encerramento do verão 2015. Neste sábado, na sede do município, o cantor Arlindo Cruz se apresenta às 22h. No Açu, domingo, às 22h, quem sobe ao palco é Cristiano Araújo. Veja o post completo  do prefeito Neco: “Carnaval inesquecível Meus amigos Queria parabenizá-los pelo belo carnaval que São João da Barra promoveu. Uma festa linda em todos os cantos do município. Uma festa feita em conjunto entre a prefeitura e o povo. Da nossa parte fizemos diversas reuniões com os setores de segurança para que o carnaval tivesse paz e tranquilidade. O folião pode brincar e se divertir com sua família e amigos. Movimentamos todas as secretarias para que a organização do carnaval nos trouxesse de retorno a certeza do dever cumprido. Com planejamento, mesclamos grandes shows nacionais, bandas regionais e locais, apoio aos blocos, brincadeiras, escolas de samba e concursos culturais. São João da Barra recebeu um público de qualidade nos dias de folia. Uma movimentação turística como não se via há anos que fomentou nossa economia nos bares, restaurantes, supermercados, pousadas, ambulantes. Nosso comércio em geral pode ganhar seu dinheiro. Estamos trazendo de volta aquele carnaval familiar. Certamente que vamos avançando, mas este ano mostrou porque temos o melhor carnaval. Investimos com responsabilidade para o bem estar de nossa população, dos veranistas e turistas. Tenho certeza de que em 2016 faremos outro grande carnaval”.
Comentar
Compartilhe
Aluizio Siqueira define comissões para avaliar pedido do Executivo
20/02/2015 | 10h03
[caption id="attachment_862" align="aligncenter" width="960"]Discussão intensa entre Aluizio e Kaká (PT do B) marcou última sessão extraordinária Discussão intensa entre Aluizio e Kaká (PT do B) marcou última sessão extraordinária[/caption] O impasse para a alteração da redação do inciso I do Artigo 7º da Lei Orçamentária Anual (LOA), que trata sobre a autorização para abrir créditos adicionais suplementares por decreto, ganha novo capítulo. No Diário Oficial desta sexta-feira (20), o presidente da Câmara de São João da Barra, Aluizio Siqueira (PMDB), designou os membros que vão compor as comissões de Justiça e Redação e Finanças e Orçamento, responsáveis por emitirem pareceres quanto ao pedido do Executivo — o projeto de lei 006. De acordo com a justificativa enviada pelo Executivo, a “necessidade é de alterar erro na redação (…) que em numeral consta 50% e por extenso dez por cento. Ocorre que o interesse do Executivo era que constasse no original 50%”, tanto por extenso, quanto em numeral. Por enquanto, a autorização de crédito suplementar por decreto é de 10%. Como ainda não houve eleição para as comissões permanentes neste biênio, Aluizio nomeou os vereadores incumbidos do parecer neste caso. Nomes próximos ao prefeito Neco (PMDB) ficaram de fora da lista de examinadores. Na quente sessão do dia 12 (aqui), Jonas Gomes (PMDB), atual líder do governo e relator da comissão de Justiça e Redação do primeiro biênio, questionou que não foi convocado para analisar o projeto de lei 003, que teve voto pela reprovação do presidente Ronaldo Gomes (Pros) e do membro Alex Firme (PMDB). Por enquanto, a autorização de crédito suplementar por decreto é de 10%. Em entrevista recente à Folha da Manhã (aqui), Aluizio declarou que seu grupo na Casa — o qual ele não chama de oposição — conta atualmente com os vereadores Alex e Ronaldo. Na indicação publicada nesta sexta, eles estão nas duas comissões, presidindo uma e como relator em outra. Para completar o trio, como membro nas duas, foi escolhida a vereadora Soninha Pereira (PT). As comissões são temporárias e válidas até a próxima terça-feira (24), quando voltam as sessões do Legislativo sanjoanense. Como era / como ficou: Na comissão de Justiça e Redação, o presidente Aluizio tirou o atual líder do governo, Jonas, que era relator. Ronaldo permaneceu como presidente. Confira: Presidente - Ronaldo Gomes / Ronaldo Gomes Relator - Jonas Gomes / Alex Firme Membro - Alex Firme / Soninha Pereira Já na comissão de Finanças e Orçamentos, as mudanças foram maiores. Saíram o presidente e o relator, Eziel Pedro (PSDC) e Elísio Rodrigues (PDT), aliados do prefeito Neco, para entrada de Alex e Ronaldo, aliados de Aluizio. Soninha continuou como membra da comissão. Confira: Presidente - Eziel Pedro / Alex Firme Relator - Elísio Rodrigues / Ronaldo Gomes Membro - Soninha Pereira / Soninha Pereira
Comentar
Compartilhe
Por onde anda o vice-prefeito de SJB?
19/02/2015 | 19h43
[caption id="attachment_855" align="aligncenter" width="960"]Neco e Alexandre juntos no Carnaval 2014. Cena não se repetiu em 2015. Foto: Paulo Pinheiro Neco e Alexandre juntos no Carnaval 2014. Cena não se repetiu em 2015. Foto: Paulo Pinheiro[/caption] Uma ausência marcante nos eventos oficiais durante os dias de folia foi a do vice-prefeito de São João da Barra, Alexandre Rosa (PMDB). No desfile de abertura do Carnaval, diferente do que aconteceu nos dois primeiros anos, Alexandre não acompanhou o prefeito Neco (PMBD) e a “corte da folia”. No camarote do prefeito, ele também não foi encontrado. A relação política entre o prefeito e o vice estaria abalada. Alexandre ainda não comentou sobre o assunto, mas vai conceder entrevista para este blog na próxima terça-feira (24). As aparentes rusgas políticas entre Neco e Alexandre tiveram início em setembro de 2013, quando a ex-prefeita Carla Machado (PT) se filiou ao Partido dos Trabalhadores. Um evento foi realizado no Clube Democratas, na sede do município. O prefeito não foi e alegou que sua presença seria “infidelidade partidária”, uma vez que o PT já caminhava para sair da base aliada do governo Sérgio Cabral (PMDB) e lançar o senador Lindbergh Farias como candidato ao governo do Rio. Por outro lado, Alexandre não só compareceu ao evento, como declarou que já havia firmado compromisso com Carla para campanha de deputada estadual. Desde então, o relacionamento político estaria abalado. Nas eleições do ano passado, Alexandre não declarou apoio oficial a nenhum candidato a deputado estadual, embora o governo tenha apoiado vários nomes. No entanto, nos bastidores da política a informação que circulava era que o vice-prefeito estaria cumprindo o acordo feito com Carla e estaria trabalhando de forma discreta para a campanha da ex-prefeita. No gabinete do vice-prefeito, sua presença não é tão recorrente como no início da gestão. Em discurso no dia da posse, Alexandre disparou: “Não serei vice para ficar em casa. A partir de amanhã, estarei na prefeitura todos os dias, ajudando ao prefeito Neco”. Entretanto, algo aconteceu nos últimos meses e a mudança de postura é evidente. E em breve será esclarecido.
Comentar
Compartilhe
Ampla não foi perdoada
19/02/2015 | 16h02
DSCN6531Responsável pelo maior número de reclamação nas redes sociais e meios de comunicação tanto pela população, como pelos veranistas na alta temporada em São João da Barra — numa disputa acirrada com a Cedae e a Vivo —, a concessionária Ampla não escapou das críticas carnavalescas. Durante o concurso de Máscaras e Dominós na segunda-feira de folia, um casal participou com as fantasias “Amplarão e Amplarona”, que reclamavam dos serviços prestados pela empresa no município. Entre os “adereços”, estavam velas e lamparinas, em substituição a luz elétrica, além de eletrodomésticos queimados, como televisão e chuveiro. A criatividade e crítica do casal “Amplarão e Amplarona” a terceira colocação no concurso, na categoria originalidade em grupo. As fotos desta postagem foram cedidas pelo fotógrafo João Batista Rocha, da Secom/SJB.   DSCN6599 DSCN6602
Comentar
Compartilhe
Durante folia, Aluizio Siqueira “alfineta” o governo
19/02/2015 | 14h40
Aluizio-SiqueiraTudo indica que o clima na Câmara de SJB será muito quente a partir da próxima semana, com a volta das sessões ordinárias da Casa. Embora ainda não use a palavra “oposição” para definir sua postura, o presidente da Câmara Aluizio Siqueira (PMDB) já demonstrou na sessão extraordinária da última quinta-feira (12), aqui e aqui, que o clima vai ficar mais quente. No primeiro biênio, as reuniões do Legislativo sanjoanense foram marcadas peça tranquilidade e pela totalidade dos vereadores na base de sustentação ao governo Neco (PMDB). Agora, a situação é outra. O prefeito enfrentará opositores que já foram aliados. Além de Aluizio, o grupo conta com o ex-líder do governa na Casa e atual vice-presidente, Alex Firme (PMDB), e o vereador Ronaldo Gomes (Pros). Durante o carnaval, o vereador Aluizio usou seu perfil no Facebook para criticar a estrutura oferecida pela prefeitura para realização do bloco “Borracha Fraca”, em Atafona. Confira a postagem feita no domingo: “Bloco borracha fraca,muito animado,muita gente,muita alegria,apesar da falta de apoio no trânsito(carros no meio dos foliões), segurança(alguns idiotas brigando), banheiros químicos (muros das casas sendo bem usados).Mas tudo bem é Carnaval!!!!!!!! Valeu Atafona !!!!!!!!” As sessões que prometem ser quentes na Câmara de São João da Barra começam na próxima semana. A primeira reunião do Legislativo sanjoanense pós-recesso acontece na terça-feira, 24 de fevereiro, às 17h. As sessões extraordinárias realizadas nos dias 02 e 12 de fevereiro já deixaram evidentes que o clima vai esquentar em 2015.
Comentar
Compartilhe
Hora de repensar o Carnaval sanjoanense
18/02/2015 | 15h57
[caption id="attachment_839" align="aligncenter" width="400"]Avenida lotada em todos os dias de folia. Foto: Paulo Pinheiro Avenida lotada durante todos os dias de folia. Foto: Paulo Pinheiro[/caption] Milhares de foliões, festa por toda parte da cidade. A mania de grandeza do sanjoanense faz com que se chame o Carnaval de São João da Barra de “o maior do interior do Rio de Janeiro”. Mas para continuar maior, ou o melhor, é preciso repensar muita coisa. Dos blocos de abadá à participação de crianças nas escolas de samba. E alguém tem que dar o primeiro passo. A primeira mudança evidente que deve ser feita é com relação aos blocos de abadá. Não dá mais para excluí-los da folia, afinal o tradicional Jiripoca já desfila pela Avenida do Samba há nada menos que 26 anos. O que tem de ser feito (e deve ser) é uma reorganização. A Joaquim Thomaz não suporta que nenhum outro bloco seja incluído e necessita que os existentes sejam reorganizados. Por que esses blocos não começam a desfilar às 13h ou pela manhã como acontece nos grandes blocos do Rio de Janeiro? Domingo, segunda e terça-feira precisam que a avenida fique livre mais cedo devido aos desfiles das escolas de samba. Por que não reduzir o número de blocos nesses três dias e remanejá-los para sexta-feira, que só tem dois, e sábado? São soluções simples e que precisam apenas de alguém para partir para o enfrentamento e determinar essas questões. Descentralizar os blocos é outra questão que deve ser pensada. Poderia ser usado outro espaço — como a Barão de Barcelos, por exemplo — para a passagem desses blocos. Uma experiência bem legal tem sido realizada em Atafona, com um bloco no Pontal, com concentração às 14h. A brincadeira se restringe àquela localidade, sem atrapalhar a programação que segue na Avenida do Samba. Alguns blocos não poderiam mudar de endereço e desfilar em bairros ao invés de passar exclusivamente pela Avenida do Samba? Algumas pessoas podem pensar que seria um aumento de custeio para o poder público, mas o bloco no Pontal (do qual faço parte e ajudei a  fundar) não conta com apoio nenhum da Prefeitura. Ele “se sustenta”, do jeito que deveria ser com todos. Durante o concurso de máscaras e dominós, tradicional evento do município na segunda-feira, a entrega da premiação teve de ser adiantada para a passagem do bloco. Com isso, a organização do concurso fica ainda impossibilitada de preparar um espaço mais amplo para os participantes, já que é necessário deixar o local livre para passagem do trio. E esse não foi o único “inconveniente”. Até um caminhão de gelo disputando espaço com os foliões na tarde de segunda-feira foi possível ver. Crianças e escola de samba Não sou fã de desfile de escola de samba, não nego. No entanto, sou fã da cultura local e sei que os desfiles fazem parte dela e, por isso, devem ser preservados. Através do jornalista Bruno Costa, editor do jornal Quotidiano e defensor do carnaval sanjoanense, tomei ciência de uma decisão judicial que proíbe a participação de menores de 14 anos nas escolas de samba. Isso afasta as crianças das agremiações e impossibilita a criação de vínculo, de paixão com a escola. Por outro lado, os blocos arrastam centenas de menores desacompanhados de seus responsáveis e não é difícil de encontrar alguns deles embriagados. Não seria também o momento de repensar essa decisão e de ampliar a fiscalização durante os blocos? São apenas alguns pontos para serem repensados, mas a reorganização do Carnaval em São João da Barra é muito mais complexa. Se começarem por essas, talvez, a festa que  já é grandiosa e muito animada, pode ficar ainda maior.
Comentar
Compartilhe
Muita folia e difícil comunicação
18/02/2015 | 14h50
desespero_usuario O sinal de telefonia móvel não quis participar dos blocos durante a folia sanjoanense. Completar uma ligação era raridade e usar a internet pelo smartphone, artigo de luxo. No caso deste blogueiro, o rompimento de um cabo — segundo informou um técnico da Oi — impossibilitou também o acesso à internet pela Velox de sábado (14) a terça-feira (17). Por esses motivos, as postagens estão desatualizadas desde o primeiro dia de Carnaval. E não é de hoje que a operadora Vivo deixa os sanjoanenses na mão nas datas comemorativas. No Natal e no Ano Novo foram registrados os mesmos problemas. No dia a dia, a situação é recorrente. Agora é a hora de produzir. Os cinco dias de folia deixaram boas histórias, de política à cultura, para contar.
Comentar
Compartilhe
Começa a folia em SJB
14/02/2015 | 00h50
[caption id="attachment_830" align="aligncenter" width="300"]Neco entrega chave da cidade ao Rei Momo, acompanhado da "Corte da Folia", e abre oficialmente o Carnaval de SJB Neco entrega chave da cidade ao Rei Momo, acompanhado da "Corte da Folia", e abre oficialmente o Carnaval de SJB[/caption] Se tem uma coisa que o sanjonense gosta tanto quanto a política, é o Carnaval . Durante os cinco dias de folia, os bastidores do conturbado ambiente político, sempre em combustão, devem ficar mornos - para não dizer frio. Pode até aparecer um folião ou outro com as famosas "críticas", mas o que todo mundo quer é festejar. A briga política agora dá espaço para outra disputa: Quem vai distribuir chocolate, Congos ou Chinês? E já começou... São João da Barra já está em ritmo de carnaval. A festa no município foi aberta oficialmente na noite desta sexta-feira (13), quando o prefeito José Amaro de Souza Neco entregou a chave da cidade ao Rei Momo em uma solenidade que contou, também, com as presenças da Musa e da Rainha do Carnaval. A "Corte da Folia" foi conduzida ao palco oficial em cortejo ao som da bandinha Pica Pau e o gesto simbólico da entrega da chave foi a senha para que milhares de foliões tomassem conta da Avenida Joaquim Thomáz de Aquino Filho, a Passarela do Samba sanjoanense, ao som da bandinha 2001, antecedendo os blocos Eu soube, Diga que valeu e os shows da noite com o músico Zeca do Trombone e a banda TB-6. Após passar o comando da cidade ao Rei Momo, o prefeito fez a contagem regressiva para a inauguração iluminação da Avenida e falou da alegria em abrir o melhor carnaval do interior do Estado do Rio de Janeiro. “É uma festa feita por uma população que recebe a todos com carinho e amor. Vejo na avenida pessoas de todas as faixas de idade e assim é o carnaval em nossa cidade e que, esse ano, vem coroar um verão maravilhoso, de muita paz e que fomentou o comércio local”. A festa prossegue até terça-feira na sede de município, no litoral – Açu, Grussaí e Atafona – e no distrito de Barcelos, que tem como ponto alto o desfile na principal avenida da localidade da escola de samba Trinca de Ouro. Bandas regionais, trios elétricos, bois pintadinhos e blocos, como o Boneco Batoré, em Grussaí, Borracha Fraca, em Atafona, e Bloco das Piranhas, no Açu, prometem arrastar multidões no litoral. Na sede do município, desfiles das escolas de Samba Chinês, Congos e Unidos da Chatuba, além de tradicionais blocos como Indianos, Raiz, blocos representando torcidas dos quatro maiores times de futebol do Rio de Janeiro e os blocos de abadá, entre eles Jiripoca, Tô ki tô, Kamalyão e Kebretes e tilangos  irão ditar o ritmo da folia até o amanhecer da quarta-feira de Cinzas. Com informações da Secom/SJB.
Comentar
Compartilhe
Câmara de SJB deixa projeto do prefeito sob análise
12/02/2015 | 10h52
[caption id="attachment_789" align="alignleft" width="300"]Racha: relação entre prefeito e presidente da Câmara, ambos do PMDB, está evidentemente desgastada Racha: Sessão evidenciou relação abalada[/caption] O projeto de Lei 006 enviado à Câmara de SJB pelo Executivo para alteração da redação da Lei Orçamentária Anual (LOA), ficou sob análise na comissão de Justiça e Redação, com o prazo de 10 dias para emissão do parecer. O prefeito Neco (PMDB) pedia a análise do projeto com urgência, na sessão realizada nesta quinta-feira (12). De acordo com o presidente da Casa, Aluizio Siqueira (PMDB), a decisão foi da maioria dos membros da comissão. Ele apontou ainda que o projeto continha vícios. Durante a sessão, Aluizio afirmou que a intenção da base de sustentação ao governo na Casa é retirá-lo, na Justiça, do cargo de presidente. Segundo ele, para isso, usariam de meios para induzi-lo ao erro e depois formalizar acusação por improbidade administrativa. Discussão intensa na Câmara de SJB - A apreciação do parecer ao projeto de Lei 003, que abriu a sessão extraordinária da Câmara de São João da Barra, deu o tom que deve ser repetido em todas as reuniões do Legislativo a partir de agora: intensa discussão. Os principais embates ficaram por conta do presidente da Câmara, e o vereador Kaká (PT do B). O líder do governo na Casa, Jonas Gomes, também fez questionamentos. Aluizio ressaltou que a pauta da Casa estava trancada pelo projeto 003, e colocou em discussão o parecer da comissão de Justiça e Redação. O vereador Jonas, relator da comissão, questionou que não foi convocado para analisar o projeto, que teve voto pela reprovação do presidente Ronaldo Gomes (Pros) e do membro Alex Firme (PMDB). Causou certa confusão a análise do parecer. A base de sustentação ao governo votou pela reprovação em primeira discussão e pela aprovação na segunda. O vereador Kaká questionou que há erros no parecer, pois, segundo ele, a comissão só poderia emitir parecer com a totalidade de todos os membros. Com a retirada do 003 da pauta, o 006 entrou em análise. O projeto pede alteração na redação da Lei Orçamentária Anual (LOA), quanto ao artigo que trata da abertura de crédito adicional suplementar por decreto. De acordo com a justificativa enviada pelo Executivo, a “necessidade é de alterar erro na redação (...) que em numeral consta 50% e por extenso dez por cento. Ocorre que o interesse do Executivo era que constasse no original 50%”, tanto por extenso, quanto em numeral. Por enquanto, a autorização de crédito suplementar por decreto é de 10%. Mais informações na Folha da Manhã desta sexta-feira (13).
Comentar
Compartilhe
Câmara de SJB aprecia projeto do Executivo em sessão extraordinária
12/02/2015 | 08h41
20150102_095314A Câmara de São João da Barra realiza nesta quinta-feira (12), às 9h30, a segunda sessão extraordinária durante o recesso parlamentar deste ano. Serão apreciados dois projetos de leis do Executivo. Em um deles, a retirada de pauta do projeto de lei 003/2015 e no outro, a apreciação do projeto de lei 006/2015. A intenção é alterar a redação do inciso I do Artigo 7º da Lei Orçamentária Anual (LOA). O inciso I do Artigo 7º da LOA trata sobre a autorização para o Executivo abrir créditos adicionais suplementares. Na Lei, que foi publicada no Diário Oficial do município no dia 07 de janeiro, a autorização é de 10%. O projeto pede a alteração para que o prefeito possa suplementar por decreto até 50% da despesa total fixada na LOA 2015. Na última sexta-feira, a Procuradoria do município entrou com um mandado de segurança contra o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PMDB), para garantir a realização de sessão extraordinária, que se chegou a ser convocada pelo prefeito Neco (PMDB) para ser feita na última segunda-feira. Mais informações aqui.
Comentar
Compartilhe
Após Quaquá, Carla Machado tem encontro com Rodrigo Neves
12/02/2015 | 00h54
[caption id="attachment_816" align="alignleft" width="169"]Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook[/caption] O futuro político da ex-prefeita de São João da Barra Carla Machado (PT) deve ser definido nos próximos meses e a tendência é que ela permaneça no Partido dos Trabalhadores. Após receber em Atafona o presidente estadual do partido, Washington Quaquá (aqui), Carla publicou nos primeiros minutos desta quinta-feira (12), em seu perfil no Facebook, uma foto de um encontro com outra forte liderança petista no estado, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves. De acordo com a postagem, o encontro, na quarta-feira (11), teve na pauta conversas políticas. “Mesmo bem próximo da maior festa popular que é o Carnaval, continuo a fazer o que tanto gosto...Conversar política com lideranças comprometidas com o seu povo é muito bom! Hoje (na quarta) estive com Rodrigo Neves-Prefeito de Niterói, que tem a sua administração muito bem avaliada nesses 02 anos. Boas surpresas nos aguardam esse ano”, escreveu a ex-prefeita no Facebook, deixando . A principal diferença entre as lideranças petistas Washington Quaquá e Rodrigo Neves é a relação com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Na eleição do ano passado, Quaquá fez campanha contra o peemedebista inclusive no segundo turno. Já o prefeito de Niterói esteve mais próxima a Pezão que a Lindberg Farias no primeiro turno, além de ter comandado a ala petista que apoiou o governador candidato à reeleição no segundo turno.
Comentar
Compartilhe
Leonardo Picciani é eleito líder do PMDB na Câmara Federal
11/02/2015 | 15h57
LPEm uma disputa acirrada, o deputado Leonardo Picciani (RJ) foi eleito o novo líder do PMDB na Câmara dos Deputados, em substituição a Eduardo Cunha (RJ), que derrotou o petista Arlindo Chinaglia (SP) na disputa pela presidência da Casa. Picciani venceu o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) por um voto. Foram 34 votos favoráveis ao novo líder contra 33 para Vieira Lima. Picciani comandará um dos principais aliados do governo federal, com a segunda maior bancada da Câmara. No discurso, o deputado destacou a unidade partidária e o respeito às decisões coletivas. Ele minimizou o resultado apertado dizendo que o partido tem tradição em disputas. “A partir desse momento não existem aqueles que votaram no Lúcio [Vieira Lima] ou em mim”. Sobre a relação da bancada do PMDB com o governo, Picciani ressaltou que a legenda integra a base governista, mas caberá a bancada peemedebista definir “a medida exata” do apoio. “Temos na figura do vice-presidente Michel Temer a presença no próprio governo. O PMDB sempre foi garantidor da governabilidade e tem consciência dessa responsabilidade. Agora, a medida exata da postura da bancada, só a bancada pode falar e não ouvimos ainda a bancada para falar desse relacionamento”. Relação Dilma x PMDB está abalada: Não bastasse a presidente Dilma Rousseff (PT) enfrentar a divisão com a ala "lulista" do próprio partido e as críticas dos tucanos, os resultados recentes na Câmara Federal mostram que a relação com o maior aliado, o PMDB, estão abaladas. Primeiro o partido elegeu Eduardo Cunha para a presidência da Casa. O deputado é desafeto antigo e declarado do Planalto. Agora, o parlamentar fluminense que assume a liderança peemedebista, a da maior bancada da Câmara, é filho de Jorge Picciani, deputado estadual e presidente da Alerj. Para quem não se lembra, Jorge Picciani, que também é presidente do PMDB do Rio de Janeiro, foi um dos principais líderes do movimento Aezão, que pregou o voto casado em Aécio Neves (PSDB) e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) nas eleições do ano passado. Com informações: Agência Brasil
Comentar
Compartilhe
Secretário de Administração de Campos multado pelo TCE
10/02/2015 | 18h38
99f994226e24d444d97a5de8f9d860ef_390x293O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), na sessão plenária desta terça-feira (10), seguindo o voto do conselheiro-relator Aloysio Neves, decidiu multar em R$ 6.779,75 (2.500 Ufir-RJ) o secretário de Administração e Recursos Humanos de Campos, Fábio Augusto Viana. Ele foi multado por não atendido à determinação do TCE-RJ, para que comprovasse as vantagens obtidas pelo município no contrato celebrado, em 2009, no valor R$ 13.899.600,00 pela Prefeitura de Campos e a empresa George A. P. da Silva Comércios Produtos Automotivos Ltda, para a locação de ambulâncias. O secretário terá 30 dias para pagar a multa, a contar da data em que for notificado da decisão do TCE-RJ. Fonte: Ascom/TCE O jornalista Ricardo André Vasconcelos, no seu blog Eu penso que, noticiou primeiro aqui. Resumo do caso da “fantasma” GAP — A polêmica entre a GAP e a prefeitura ganhou repercussão após matéria da revista Época (aqui), em abril de 2013, sobre investigação realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de supostas irregularidades na campanha do grupo político do então deputado federal Anthony Garotinho (PR). Segundo a matéria, o MPE entrou com uma ação na Justiça, contra a prefeita Rosinha Garotinho (PR) por improbidade administrativa pela contratação da GAP, por R$ 32 milhões, para alugar 56 ambulâncias. Para o MPE, a empresa tinha de contratar motoristas para dirigir as ambulâncias, mas funcionários da prefeitura estariam fazendo esse papel. O contrato entre a empresa e o município foi suspenso em maio de 2013, após o Garotinho dizer em entrevista que estava decepcionado com a falsificação de documentos do empresário Fernando Trabach Gomes, que se fez passar por pelo fantasma George Augusto Pereira, suposto dono da GAP.  
Comentar
Compartilhe
SJB tem novo secretário de Administração
10/02/2015 | 08h41
[caption id="attachment_798" align="aligncenter" width="300"]Alan e Neco, durante cerimônia na qual o prefeito foi homenageado pelo TRT. Foto: Paulo Pinheiro Alan e Neco, durante cerimônia na qual o prefeito foi homenageado pelo TRT. Foto: Paulo Pinheiro[/caption] O Diário Oficial do município revelou nesta terça-feira (10) o nome do novo secretário de Administração. Como este blog antecipou aqui, Alan Henrique Ribeiro Rios, que era subsecretário, assume a titularidade da pasta. Desde a saída de Lara Valentim (aqui), no início do ano, o cargo estava vago. Na publicação desta terça, o prefeito Neco (PMDB) não indicou o nome que assumirá a função que era ocupado por Alan. Continua vago — Sem secretário desde dezembro último, o cargo na Pesca continua vago. Se para a Administração não houve especulação sobre quem assumiria, sendo Alan o mais cotado para chefiar a pasta, vários nomes já foram ventilados para a Pesca. De concreto, apenas o convite que o prefeito Neco fez a vereadora petista Soninha Pereira (aqui). Entre os nomes cotados (aqui e aqui), está o de Rimaldo Almeida, que presidiu a Colônia Z-2. No último sábado (7), houve eleição não entidade representativa dos pescadores e, como este blog já havia informado, Rimaldo não concorreu à presidência, sendo eleito o pescador Elialdo Bastos Meireles. Embora Rimaldo não tenha envolvimento direto com o meio político, o cargo vago desde dezembro e a subsecretaria ficar sob responsabilidade de Joel Serra, homem de confiança na Colônia Z-2 desde 2007, reforçam os comentários sobre sua possível nomeação para a pasta. A princípio, é apenas especulação. O Diário Oficial traz outras alterações que podem ser conferidas na edição desta terça da Folha da Manhã e, posteriormente, no portal da Prefeitura (aqui).
Comentar
Compartilhe
Prefeitura vai à Justiça para garantir sessão extraordinária
09/02/2015 | 17h07
[caption id="attachment_789" align="aligncenter" width="300"]Racha: relação entre prefeito e presidente da Câmara, ambos do PMDB, está evidentemente desgastada Racha: relação entre prefeito e presidente da Câmara de São João da Barra, ambos do PMDB, está evidentemente desgastada[/caption] A Prefeitura de São João da Barra, através do procurador do município, Jefferson Nogueira Fernandes, entrou com um mandado de segurança contra o presidente da Câmara, Aluizio Siqueira (PMDB), na última sexta-feira (6) para garantir a realização de sessão extraordinária, que o prefeito Neco (PMDB) tinha convocado no Diário Oficial para acontecer nesta segunda-feira (9). Após a decisão judicial, a Câmara convocou os vereadores para reunião na quinta-feira (12), às 9h30 (aqui). O procurador do município explicou que na sexta-feira foi verificado que o presidente da Câmara não tinha tomado as providências para que a sessão acontecesse na segunda, como havia sido convocado pelo prefeito. No mesmo dia ele entrou com um mandado de segurança na Justiça. A decisão do juiz Leonardo Cajueiro D’Azevedo ordena que a sessão seja convocada em até 72 horas, sob pena de desobediência, prevaricação e comprovação de improbidade administrativa. Por outro lado, o vereador Aluizio assegura que a sessão já seria convocada para quinta-feira mesmo, mas está cumprindo a decisão judicial. Para ele, o prefeito se precipitou ao acionar a Justiça na sexta-feira, pois a Câmara ainda estaria no prazo para chamar os vereadores. “O prefeito pode convocar a sessão, mas quem marca o dia e a hora é o presidente”, disse Aluizio. Mais informações na Folha da Manhã desta terça-feira (10). O impasse (editado às 18h05 para inclusão de informações ) — O projeto nº 003/2015, de autoria do Executivo, visa alterar a redação do inciso I do Artigo 7º da Lei Orçamentária Anual (LOA). Na sessão extraordinária do dia 02 de fevereiro (aqui), o projeto não entrou em votação em virtude de estar em análise na Comissão de Justiça e Redação. Na prática, o que aconteceu foi que o projeto 003 pedia a alteração da redação da Lei 244/2014, ao invés da 344/2014, que é a LOA. Na redação da Lei Orçamentária, houve erro onde consta a autorização para abertura de crédito suplementar por decreto. O percentual numérico e por extenso está diferente, com isso, o prefeito ficou autorizado a suplementar 10%, ao invés dos 50% que tem direito. O presidente da Câmara alegou que a convocação do prefeito teria mais um equívoco, pois deveria pedir a apreciação e retirada do projeto 003 da pauta, para então pedir a apreciação e votação do projeto 006/2015, esse sim com os números corretos, o que foi feito na convocação da Câmara.  
Comentar
Compartilhe
Câmara SJB convoca sessão extraordinária para análise de Projeto de Lei
09/02/2015 | 15h06
[caption id="attachment_279" align="alignleft" width="300"]Arquivo/Divulgação Arquivo/Divulgação[/caption] Visando cumprir ao artigo 114 do Regimento Interno, a Câmara de São João da Barra realizará na próxima quinta-feira (12), às 09h30, uma sessão extraordinária para apreciação de dois projetos de leis do Executivo. Em um deles, a retirada de pauta do projeto de lei n º 003/2015 e no outro, a apreciação do projeto de lei nº 006/2015. O Executivo encaminhou o Projeto de Lei nº 003/2015 com erro material na redação, o que foi detectado pela Comissão de Justiça e Redação. Diante deste fato, esta comissão permanente ficou impossibilitada de emitir parecer sobre a matéria em 10 min — tempo solicitado para apreciar em caráter de urgência na sessão extraordinária do último dia 02. O segundo projeto (006/2015) visa consertar o erro de redação na matéria anterior e alterar o percentual de autorização ao Poder Executivo em criar créditos adicionais suplementares, sem necessidade de Lei Ordinária. Executivo convocou sessão para esta segunda — O prefeito Neco, de São João da Barra, publicou no Diário Oficial da última quinta-feira (05), a convocação da Câmara para realizar sessão extraordinária na segunda-feira (09), às 17 horas, com o objetivo de apreciar projeto de lei de alta relevância e urgência, como este blog noticiou aqui. Entretanto, o presidente da Câmara convocou a sessão somente para quinta-feira. O embate entre as datas deve ficar somente nisso, após entrar em pauta o projeto de Lei deve ser aprovado sem muita dificuldade.   Com informações da Ascom/Câmara SJB.
Comentar
Compartilhe
Neco e Aluizio Siqueira assinam documento com propostas para enfrentar crise
07/02/2015 | 15h10
[caption id="attachment_775" align="alignleft" width="300"]neco2 Reprodução/Facebook de Edson Claudio[/caption] O prefeito de São João da Barra, Neco, participou com os demais Prefeitos da região de um encontro em Búzios, onde foi assinado um documento de solicitações ao governo do estado e ao governo federal, com o propósito de mitigar a atual crise da indústria petrolífera. A redução do preço do barril de petróleo e consequente perda de arrecadação dos royalties e participações especiais preocupam os prefeitos de todas as cidades do estado do Ri de Janeiro, em especial os municípios produtores, no qual se enquadram Campos, São João da Barra, Macaé entre outros. Presente no encontro, o secretário de Fazendo de São João da Barra, Edson Claudio, postou em seu perfil no Facebook que a crise acarreta em “graves problemas em todos os municípios”. Várias cidades do Norte/Noroeste Fluminense e Lagos — bem como o governo do estado — já anunciaram “cortes na própria carne” para enfrentar um ano de crise. [caption id="attachment_777" align="alignright" width="300"]Reprodução/Facebook de Alex Firme Reprodução/Facebook de Alex Firme[/caption] Vereadores também foram convidados. De São João da Barra,  Aluizio Siqueira e Alex Firme, respectivamente presidente e vice da Câmara, também participaram do encontro. Em seu perfil no Facebook, Alex Firme informou que “a carta tem como objetivo, a busca de maior apoio e investimentos do governo Estadual e Federal para o enfrentamento da crise econômica em nossa região, decorrente dos problemas da queda do preço do barril do petróleo”. E completou: “Estamos trabalhando juntos em busca de dias melhores para a nossa cidade e nossa população”. O blog tentou contato por telefone com o prefeito Neco, mas não obteve êxito. Atualização às 15h45: A reunião — Com a caracterização da crise da indústria do petróleo, prefeitos do Norte Fluminense e Região dos Lagos assinaram, na manhã deste sábado (7), em Búzios, uma carta de manifesto que aponta uma série de medidas para garantir os compromissos com os investimentos na região. No encontro, que aconteceu no Cine Teatro Rasa – INEFI, o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio, anunciou a criação do Núcleo de Desenvolvimento Regional. O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Júlio Bueno, afirmou que o governo do estado apoia o movimento. - A crise é um momento internacional, mas vai passar. A queda no preço do barril de petróleo impacta diretamente nas nossas receitas. Porém, o petróleo é sempre uma variável. Por isso, precisamos avançar na exploração de reservas que já temos -, destacou Bueno. Para o prefeito Dr. Aluízio, as medidas visam o fortalecimento de uma região que conta com 1,2 milhão de habitantes. “Precisamos garantir o emprego dessas pessoas, pois ele é a maior ferramenta de dignidade humana. O Núcleo, que ainda tem o apoio de vereadores e entidades comerciais, vai buscar ações junto aos governos estadual e federal, já que com o desaquecimento econômico essas cidades obtiveram uma redução de aproximadamente 20% na arrecadação dos royalties”, disse Dr. Aluízio. A carta tem cinco eixos: Formação de Núcleo de Desenvolvimento Regional, composto por representantes de municípios da região; Traçar políticas públicas para a diversificação da economia, reorganizando os arranjos produtivos locais para estimular as vocações de cada cidade e, assim, reduzir a dependência da indústria petrolífera; Criação de agenda com os governos estadual e federal, bem como com a nova diretoria da Petrobras; Buscar, junto às autoridades estaduais e federais, obras e investimentos como, por exemplo, duplicação da RJ-106, aumento da captação e distribuição de água, do fornecimento de energia elétrica. Com informações da Secom/Macaé.
Comentar
Compartilhe
Juiz ordena entrada de maquinário para salvar gados em área do Porto
06/02/2015 | 15h04
[caption id="attachment_771" align="aligncenter" width="300"]Foto: Secretaria Municipal de Agricultura/Quotidiano Foto: Secretaria Municipal de Agricultura / Quotidiano[/caption] Os produtores rurais do 5º distrito de São João da Barra conseguiram na Justiça o direito de efetuar a limpeza e abastecimento de poços secos e sujos em áreas onde gados morreram de sede nos últimos dias. A iniciativa de acionar o tribunal de pequenas causas foi noticiada aqui. Na manhã desta sexta-feira (06), com autorização do juiz Leonardo Cajueiro d’Azevedo, produtores rurais, máquinas da prefeitura municipal, o vereador Franquis Areas (PR) e o secretário municipal de Agricultura, Pedro Nilson Alves Berto, estiveram em uma propriedade na estrada Saco D'antas. De acordo com o jornal Quotidiano (aqui), Franquis relatou que funcionários da Prumo tentaram impedir a entrada. O maquinário, que chegou ao local por volta das 7h, só conseguiu entrar às 9h. “Eu perguntei onde estava o setor de relação institucional, a relação com a comunidade. E disse que ia entrar. Para se ter uma ideia, tinha entre quatro e cinco viaturas da PM no local”, disse Franquis. A Prumo Logística acionou o setor jurídico da empresa, questionando a deliberação do juiz e mobilizou mais de 20 policiais militares, além do setor de segurança da empresa. Segundo o secretário de Agricultura de São João da Barra, Pedro Nilson Berto, é preciso encontrar uma solução para o problema, para que o produtor rural não saia prejudicado. De acordo com Pedro Nilson, cerca de 1500 cabeças de gado estão no local e pelo menos 30 já teriam morrido devido à seca.
Comentar
Compartilhe
Franquis Arêas: Não há nada definido para 2016
05/02/2015 | 16h11
[caption id="attachment_757" align="alignleft" width="300"]Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook[/caption] Se o meio político sanjoanense estava morno, voltou a pegar fogo. E desta vez a “combustão” não envolve o prefeito Neco (PMDB) e sua ex-aliada Carla Machado (PT), nem os vereadores do bloco “independente”. A troca de farpas é entre outros ex-aliados, o vereador Kaká (PT do B) e o ex-prefeito Betinho Dauaire (PR), que estiveram no mesmo palanque nas eleições municipais de 2012. O início da discussão foi o fato de Betinho lançar nas redes sociais o vereador Franquis Areas (PR) como possível candidato a prefeito em 2016. Kaká, no Facebook, disse que ele e Franquis, eleitos na oposição, hoje são “da base do governo”. Com relação a todo assunto, o vereador do PR resumiu: “Ainda não há nada definido para 2016”. De acordo com Franquis, atualmente ele é da base de sustentação ao governo Neco na Câmara, mas afirmou que segue no PR. Sobre as próximas eleições municipais, o vereador acredita que ainda é muito cedo para qualquer tipo de definição. “Eu sou do PR, estou em entendimento com o meu partido. Não tem nada definido pelo partido ainda, nenhuma aliança, nada. Ainda é cedo”, declarou Franquis. O diretório do Partido República em São João da Barra tem como presidente o deputado estadual Bruno Dauaire, que é filho de Betinho. Recentemente, Betinho já deixou claro que o partido terá candidato em 2016 e, como publicado aqui, ele é uma das opções novamente. [caption id="attachment_759" align="alignright" width="255"]betinho Reprodução/Facebook[/caption] Kaká x Betinho — O embate entre o vereador Kaká e Betinho aconteceu pelas redes sociais, como o blog do Bastos mostrou primeiro aqui. Em resposta a uma postagem de Betinho lançando Franquis como possível candidato a prefeito, Kaká disse que isso não passa de “blá, blá, blá”. Ele aproveitou para compartilhar uma nota da jornalista Berenice Seara, do jornal Extra, que informa sobre cargos da família Dauaire na Alerj (aqui). Betinho rebateu: “Se a minha intenção de apoiar como candidato a prefeito o vereador Franquis Áreas contraria interesses financeiros de falsos oposicionistas,eu não tenho culpa. Eu não faço negócio, eu faço política”, avisou. Mesmo com a intenção de lançar candidato em 2016, as possibilidades do PR para 2016 estão reduzidas. Nomes como o ex-presidente da Câmara de SJB e candidato a vice em 2012 pelo partido, Gersinho Crispim, e o ex-vereador Zezinho Camarão, estão alinhados com o prefeito Neco.
Comentar
Compartilhe
Neco convoca Câmara para mais uma sessão extraordinária
05/02/2015 | 10h09
[caption id="attachment_265" align="alignleft" width="300"]Divulgação Divulgação[/caption] O prefeito Neco, de São João da Barra, publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (5), a convocação da Câmara para realizar sessão extraordinária na segunda-feira (09), às 17 horas, com o objetivo de apreciar o seguinte projeto de lei de alta relevância e urgência, como este blog antecipou aqui. O projeto de Lei altera a redação do inciso I do artigo 7º da Lei Municipal nº 344/2015, que estima a receita e fixa a despesa do Município de São João da Barra para o exercício financeiro de 2015, e dá outras providências. De acordo com a publicação no DO, a “matéria possui grande relevância e urgência para o Poder Executivo Municipal, eis que visa corrigir o percentual constante do inciso I do artigo 7º da Lei Orçamentária Anual (LOA), que possibilita que o Poder Executivo Municipal abra, por Decreto, até determinado percentual, créditos adicionais suplementares, a fim de reforçar dotações orçamentárias que, por diversos motivos, estejam, ou possam vir a se tornar insuficientes em razão de situações imprevistas, que podem surgir a qualquer momento no curso da execução orçamentária”. No projeto da LOA, que foi aprovado e publicado, consta um erro de digitação no percentual que possibilita ao Executivo abrir crédito suplementar por decreto. Ao invés dos 50% aprovados pela, na LOA consta 10%. O projeto para alteração da redação seria apreciado na última sessão extraordinária da Casa (aqui), mas ficou sob análise, pois a comissão de Constituição e Justiça teria encontrado erro na numeração de uma lei. O projeto, se não tiver nenhum erro, deve ser aprovado sem problemas.
Comentar
Compartilhe
Impasse entre produtores rurais e Prumo chega à Alerj
04/02/2015 | 20h30
ewegttgEm pronunciamento na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quarta-feira (4), o deputado estadual Bruno Dauaire pediu a abertura de diálogo entre a Codin, a Prumo e os produtores rurais do 5º distrito de São João da Barra, para solucionar o problema dos gados que estão morrendo (conforme publicado aqui) devido à grande estiagem na região. Os produtores alegam que os tanques estariam secando e eles estão impossibilitados de usar máquinas para aprofundar ou abrir novos, pois teriam que passar com o maquinário por terras de propriedade da empresa, que não estaria permitindo a ação. Procurada, a Prumo não comentou. Bruno afirmou que a relação conflituosa não é recente. O deputado, que acompanhou de perto o processo de desapropriação na região do Porto do Açu, falou do trauma deste período e cobrou a intervenção da Codin e da Prumo na solução do impasse. — Não se pode admitir que uma empresa que se diz preocupada com o meio ambiente, assista a morte de animais em suas propriedades sem qualquer intervenção. Faz se necessário abrir o diálogo e ser sensível a questão — disse Bruno. Na sessão de hoje na Alerj, como o blog do Bastos relata detalhadamente aqui, Bruno indicou a implantação de uma delegacia especializada em homicídios para o município de Campos, que irá também atender aos municípios de São João da Barra e São Francisco do Itabapoana, e no seu primeiro discurso na tribuna, homenageou a história política de seu avó, o ex-deputado estadual Alberto Dauaire.
Comentar
Compartilhe
Produtores do Açu vão à Justiça para tentar salvar gados
04/02/2015 | 14h55
[caption id="attachment_743" align="aligncenter" width="300"]Reprodução/Facebook_Emilson Amaral Reprodução/Facebook_Emilson Amaral[/caption] Na última segunda-feira (02), através da Rádio Barra FM, o vereador Franquis Arêas tornou pública uma denúncia sobre a morte de vários gados de produtores rurais do 5º distrito de São João da Barra. Segundo o vereador, devido à grande estiagem na região, os tanques estariam secando e os produtores impossibilitados de usar máquinas para aprofundar ou abrir novos tanques, pois teriam que passar com o maquinário por terras de propriedade da Prumo Logística. Por telefone, Franquis explicou que essas terras estariam sub judice, na questão da desapropriação para o complexo industrial. Na terça-feira (03), mais de 10 produtores acionaram o juizado de pequenas causas para buscar uma solução para o impasse. — Os produtores não estão podendo limpar os bebedouros, máquinas não podem entrar nas propriedades, a situação está complicada — destacou o vereador. Ainda de acordo com o vereador, os gados estariam morrendo de sede ou, como nos tanques que estão secando surgiram lamaçais, os animais estariam ficando presos no terrenos. Sem o auxílio de máquinas para retirada, os bichos morrem no local. Um dos produtores que estiveram no fórum de São João da Barra, Paulo Toledo contou que o número de gados mortos aumentou nesta semana e classificou a situação como preocupante. “Não tem como a gente entrar com as máquinas porque os acessos estão todos fechados”, disse o produtor. Ainda na terça-feira, o blog tentou contato com a Prumo Logística por e-mail. A resposta chegou na quarta-feira. A assessoria de imprensa da empresa informou que “a Prumo não irá comentar”.
Comentar
Compartilhe
Caminho do PR em SJB pode ser Betinho novamente
04/02/2015 | 11h00

bruno e betinho

Prefeito de São João da Barra por dois mandatos — e derrotado nas duas últimas eleições — Betinho Dauaire pode ser o candidato do PR na disputa pela prefeitura em 2016. No fim do ano passado, após a diplomação dos eleitos e suplentes na Assemblei Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Betinho disse que não acredita em uma candidatura do seu filho e deputado estadual, Bruno Dauaire, para prefeito de São João da Barra, pois considera que a campanha de Bruno teve uma “repercussão regional”, já que foi o candidato mais votado no Norte/Noroeste Fluminense. Questionado se disputaria o cargo, Betinho afirmou que era “muito cedo para tocar no assunto”, mas não descartou a possibilidade. Já no início deste mês, como o blog do Bastos mostrou aqui, Betinho lançou o vereador Franquis Arêas como pré-candidato do PR. “Já começaram as articulações para a sucessão de Neco. Entre os nomes para candidato a prefeito do PR está o vereador Franquis Áreas que foi prestigiar a posse do deputado estadual Bruno Dauaire”, postou no seu perfil do Facebook. Em contato com o jornalista Alexandre Bastos, que especulou uma dobradinha entre Neco e Franquis, já que o vereador do PR faz parte da base de sustentação do prefeito na Câmara, Betinho descartou essa possibilidade, considerando que o fato de os dois serem do mesmo distrito eleitoral, não somaria nada politicamente. “Caso o vereador prefira continuar seu belo trabalho na Câmara, o PR buscará novas opções e caminhos”. Com o quadro de experientes políticos reduzidos, já que nomes como seu candidato a vice em 2012, Gersinho Crispim, e o ex-vereador Zezinho Camarão estão alinhados com o governo Neco, um dos principais nomes para encabeçar uma chapa do PR em São João da Barra está o de Betinho Dauaire. Como os partidos já articulam para lançar nominatas para o Legislativo e já devem apontar que terá candidatura própria na majoritária, não vai demorar muita para saber quem serão os candidatos para disputa majoritária em São João da Barra.
Comentar
Compartilhe
Prefeitura de SJB notifica Campostur por não cumprir contrato
04/02/2015 | 09h12
onibus municipalComo o prefeito Neco já havia antecipado durante o programa de rádio São João da Barra no Ar, no último sábado, e publicado aqui, a empresa Sanjoanense Campostur, prestadora do serviço de transporte coletivo municipal — o ônibus com passagem a R$ 0,90 — foi notificada pelo não cumprimento de cláusulas contratuais. A publicação no Diário Oficial desta quarta-feira (4), datada de 02 de fevereiro, estabelece o prazo de 15 dias para a empresa apresentar defesa. A comprovação do não cumprimento do contrato pode acarretar no cancelamento da licitação, que teve a Campostur como única concorrente. O edital exigia ônibus com computador de bordo, GPS, bilhetagem eletrônica, televisão com transmissão de informações de utilidade pública e dispositivo de comunicação online com a garagem, que deveria ter área de, pelo menos, 2.000 m² entre outras condições para a atuação da concessionária. Essas exigências deveriam ter sido cumpridas até 90 dias após o início do atendimento, ou seja, até o dia 24 de novembro de 2013. A passagem municipal custa R$ 2,75. O município subsidia a diferença do valor pago entre o usuário, que é R$ 0,90, e o valor real da passagem. Processo antigo — O processo administrativo que pode retirar da Sanjoanense Campostur da prestação do serviço das linhas municipais, foi instaurado em maio de 2014, com o objetivo de apurar suposta precariedade do serviço de transporte coletivo prestado pela empresa. Já em novembro do ano passado, a secretaria de Transporte e Trânsito concedeu o mesmo prazo de 15 dias para que Campostur apresentasse defesa com relação aos fatos que foram imputados. A notificação publicada no DO de hoje é o terceiro passo do mesmo processo administrativo.
Comentar
Compartilhe
TCE manda DER corrigir edital para obras em São João da Barra
03/02/2015 | 18h33
O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), em sessão plenária realizada nesta terça-feira (3), determinou que a Fundação Departamento de Estradas e Rodagens do Estado do Rio de Janeiro (DER-RJ) mantenha adiado o processo de licitação destinado à realização das obras, estimadas em R$ 4,3 milhões, de recuperação da rodovia RJ-240, no trecho que liga a BR-356 ao Açu, no município de São João da Barra (o trecho tem 7,1 km de extensão). Seguindo o voto do relator Aluisio Gama, os demais conselheiros deram prazo de 30 dias para que o DER-RJ, após ser notificado da decisão, cumpra todas as determinações feitas pelo Tribunal de Contas, em 2014, para que o edital possa ser lançado. O edital do DER-RJ foi analisado pela Corte de Contas em novembro do ano passado, quando foram definidas várias providências a serem tomadas pela fundação. Mas apenas uma das oito mudanças determinadas pelo TCE-RJ foi cumprida pela autarquia: a de manter a licitação adiada até sua total regularização. Dentre as exigências técnicas não atendidas estão a apresentação de licença ambiental para a obra ou o termo de dispensa de licenciamento e a entrega dos projetos de terraplenagem - este, revisado -, drenagem e sinalização. Fonte: Assessoria
Comentar
Compartilhe
Câmara deixa projeto do Executivo sob análise
03/02/2015 | 15h42
20150202_172406A Câmara de São João da Barra, em sessão extraordinária realizada nesta segunda-feira (02), deixou sob análise o projeto nº 003/2015, de autoria do Executivo, que visava alterar a redação do inciso I do Artigo 7º da Lei Orçamentária Anual (LOA). Na prática, o que aconteceu foi que a redação consta autorização de 10% para remanejamento, enquanto o percentual aprovado pelo Legislativo foi de 50%. Um erro de digitação — por parte de quem redigiu o projeto de lei e, por isso, pede alteração. No entanto, o projeto ficou sob análise porque houve outro erro, desta vez no número de uma lei. Assim que o problema for corrigido, o projeto deve voltar ao plenário da Casa. Desta vez a tendência é que seja aprovado. A sessão extraordinária deve acontecer no fim desta semana ou no início da próxima. Outros projetos — Foram apreciados outros quatro projetos de lei, todos aprovados. O primeiro dispõe sobre a remuneração de servidores municipais dos quadros permanente e especial que venham a ocupar cargo de provimento em comissão ou função gratificada, bem como dos servidores cedidos ao município. Em seguida, o plenário aprovou o projeto nº 002/2015, que autoriza o Executivo a deferir parcelamento de eventuais débitos não tributários mediante solicitação do interessado. A mesa diretora da Câmara apresentou um projeto substitutivo ao projeto de lei nº 004/2015, do Executivo, autorizando o mesmo a abrir crédito adicional suplementar no valor de R$ 10. 636.000,00 para reforço de dotações orçamentárias – matéria também aprovada. O último projeto aprovado, nº 005/2015, de autoria da mesa diretora da Câmara, dispõe sobre os bens patrimoniais do Legislativo para atendimento à nova contabilidade pública. Com informações da Ascom/Câmara SJB
Comentar
Compartilhe
Deputados tomam posse na Alerj; SJB tem um representante
01/02/2015 | 15h59
[caption id="attachment_724" align="alignleft" width="300"]O deputado Bruno Dauaire com a filha Antônia em frente ao seu gabinete, após a posse O deputado Bruno Dauaire com a filha Antônia em frente ao seu gabinete, após a posse[/caption] Os 70 deputados eleitos para a 11ª Legislatura tomaram posse no Plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) neste domingo (01). Entre os parlamentares, uma cadeira foi destinada a um representante de São João da Barra. Bruno Dauaire, candidato do PR, tem domicílio eleitoral nas terras de Narcisa Amália, onde o pai, Betinho Dauaire, e o avô, Alberto Dauaire, já foram prefeitos. E por falar no avô, Bruno não é o primeiro dos “Dauaires” a ocupar uma cadeira no Palácio Tiradentes. Alberto, seu avô, é recordista de mandatos consecutivos na Casa. No ano passado, mesmo com domicílio eleitoral sanjoanense, o principal reduto de Bruno foi Campos, onde contou com Wladmir Garotinho como principal “puxador de voto”, sendo o mais votado na cidade. Ele também foi o mais bem votado em São Francisco de Itabapoana e o terceiro em São João da Barra. O jovem deputado, de 29 anos, obteve no total 35.645 votos, que lhe renderam o melhor desempenho nas urnas nas regiões Norte/Noroeste fluminense. Na Alerj, o presidente da Casa, Paulo Melo, presidiu a solenidade, que contou com a presença do governador Luiz Fernando Pezão. Além de Bruno, da região foram empossados os deputados Geraldo Pudim, Bruno Dauaire, Jair Bitencourt e João Peixoto. Aliados de Bruno, como os vereadores campistas Cecília Ribeiro Gomes e Genásio, participam da solenidade, assim como o ex-presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho. Mesa Diretora — A eleição da nova Mesa Diretora da Alerj será realizada nesta segunda-feira (02). Detentor da maior bancada da Casa, o PMDB deve ficar com a presidência e quem ficará com a cadeira é o deputado Jorge Picciani. Já a segunda maior bancada, a do PR — que faz oposição ao governador Pezão — fechou acordo e terá representante na mesa, com Geraldo Pudim como primeiro secretário. O PSD deve ficar com a vice-presidência e o nome provável é o de Wagner Montes. O blog do Bastos também noticiou sobre a posse dos deputados estaduais na Alerj (aqui).
Comentar
Compartilhe