100 primeiros passos dados, 100 dias trabalhados, 100 noites mal dormidas
09/04/2017 | 01h46
De onde e do jeito que observo. Os primeiros passos foram dados por uma estrada esburacada, sob constante temporal, em uma noite sem lua.
Coloquemos-nos nesta situação: caminhando sem ver onde pisar, sem saber o tamanho do buraco em que se está colocando o pé, e até sem perceber os que estão à sua volta, que podem lhe orientar para a direção correta ou para a queda em algum poço fundo cavado pelos antigos “cuidadores” destas vias planicianas.
Já nestes 100 primeiros passos, é óbvio aos olhos o avanço de novas e boas práticas de gestão,  é fácil entender, que a vontade de fazer melhor e diferente pra toda a gente, é mais forte que o maior adversário, que a disposição para o trabalho se mostra grande, maior que a manipulação dos fatos cotidianos, das fofocas e dos fofoqueiros nas calçadas e nas modernidades das vias digitais, das tentativas de atrapalhes, que parecem vir de viúvas do poder. Maior até do que os insubordinados e persistentes “enguasgues” dos que não se livraram ainda das escaras de um recente relacionamento passado.
Das noites mal dormidas, não deverá ser fácil o livramento, pois que todos os dias, independente do horário que entregue pronta a tarefa diária, deve ser coisa comum aos gestores que se envolvem na causa, voltar seus pensamentos para as formas de fazer e as ações a serem realizadas em um dia seguinte, para que ele seja melhor e diferente para toda essa gente. Vão em frente, postem as redes um #BORACAMINHARTRABALHAR, #BORACONTARESTRELAS, #BORAOBSERVAROSOLNASCERINSONE, e aí, deem mais um passo e, se ofereçam mais e mais, à oportunidade de construir o futuro de Campos dos Goytacazes ao lado do amigo Rafael e de toda sua força de trabalho e reconstrução...
Da redação
ZéA
Comentar
Compartilhe