Ele que se cuide
26/02/2016 | 12h33

Coluna de 26-02-2016

Clique na " Coluna Comentários"  para ampliar Clique na " Coluna Comentários" para ampliar
Comentar
Compartilhe
Rádio quase oficial
25/02/2016 | 14h27
MordaçaFã do rádio Sou fã da radiodifusão e, sempre ouvinte atento aos mais diversos programas de rádio de nossa cidade,  e hoje de todo o mundo via internet, fã das produções  "quase oficiais" e de todas os demais; dos jornalisticos, entretenimentos, esportivos  e até dos "sentimentais",   passando aos ouvidos inclusive no   pseudo 'propagandista político eleitoral', como é o do secretário.  Em quase todos:  os nomes, entidades e instituições ou mesmo seus membros e representações citadas  aos microfones,  tem o sagrado direito de respostas. Virando a página Esta manhã bem cedo,  me negaram o direito de informar que existe o  bem e o bom,   onde eles insistem em dizer que só tem o mal.   Não vou citar o nome da rádio,  tenho  o entendimento de que uma rádio, um veículo de comunicação e formação de opiniões,    não deve se  sentir amordaçada ou aviltar-se a ponto de servir apenas a ser a  via de recados de secretários e entes do poder público municipal de Campos dos Goytacazes, muitos deles reconhecidamente  desqualificados e ineficientes;  dos quais também não vou citar o nome. De forma cidadã, sigo aguardando que o nosso  direito seja respeitado. Armando perfil suave   Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
Serra e PSDB entregam o Pré Sal a "forças estrangeiras"...
25/02/2016 | 06h19

O Plenário do Senado aprovou ontem (24) o projeto de lei que acaba com a participação obrigatória da Petrobras na exploração dos campos do pré-sal. O texto, que agora será votado na Câmara,  estabelece que a estatal terá a prerrogativa de escolher se quer ser operadora do campo ou se prefere se abster da exploração mínima de 30% a que a lei a obriga atualmente.  O projeto de lei revoga a participação obrigatória da Petrobras na exploração do petróleo da camada do pré-sal, propondo alterações naLei nº 12.351, de 22 de dezembro de 2010, que rege o tema. A proposta é de autoria do senador José Serra (PSDB-SP) e tem exaltado as discussões entre os parlamentares.

Deputados já se pronunciam  contrários ao projeto de lei do Senador José Serra(PSDB-SP),  leiam abaixo:

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) alertou nas redes sociais sobre o projeto a ser votado no Senado:
— "Não permita que entreguem o patrimônio nacional, que é do POVO, nas mãos de formas estrangeiras", diz publicação da página da deputada.
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) relembrou, no Facebook, o episódio revelado pelo Wikileaks: "Em 2009  
O Wikileaks vazou conversa de José Serra com executivos da Chevron na qual ele assumia o compromisso de mudar as regras do pré-sal para beneficiar a empresa e outras petroleiras estrangeiras. Muita gente não acreditou, a grande mídia abafou".   Armando perfil suave Por Zé Armando  Barreto  
Comentar
Compartilhe
Minc convoca tropa ambientalista em defesa do FECAM
24/02/2016 | 06h02
A crise atinge todos a todos seguimentos da gestão pública. E quando as restrições de recursos  chegam aos já reduzidos investimentos na recuperação e proteção do ambiente natural,   a poderosa tropa ambientalista se põe em movimento. Dia 26 de Fevereiro, todos pra ALERJ... A natureza vai agradecer, com certeza !   Aqui o convite para a Audiência Pública Alerj Audenc FECAM Armando perfil suave Por Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
O que faz um vereador ?
22/02/2016 | 16h04

Eleições 2016: o que faz um vereador

Além de propor leis e votar, vereadores devem fiscalizar o Executivo. Em 2012, 56 mil vereadores foram eleitos em todo o país.

Do G1, em São Paulo

A cada quatro anos, brasileiros em todo o país se mobilizam para eleger os vereadores das suas cidades. Em 2012, mais de 56 mil vereadores foram eleitos em todo o país para ocupar as Câmaras de cada uma das cidades do Brasil. Mas o que faz um vereador? Veja abaixo os principais pontos para entender melhor o cargo político. Requisitos Para se candidatar a vereador, a pessoa precisa ter o domicílio eleitoral na cidade em que ela pretende concorrer até o dia 2 de outubro de 2015 – ou seja, um ano antes da eleição – e precisa estar filiada a um partido político até o dia 2 de abril de 2016. Além disso, precisa ter nacionalidade brasileira, ser alfabetizada, estar em dia com a Justiça Eleitoral, ser maior de 18 anos e, caso seja homem, ter certificado de reservista. Número de vagas Cada Câmara pode ter no mínimo 9 e no máximo 55 vereadores. O total de vagas depende do tamanho da população de cada cidade. Em São Paulo, por exemplo, que é a maior cidade do país, com quase 12 milhões de habitantes, são 55 vereadores eleitos a cada quatro anos. Já no menor município do país, Serra da Saudade (MG), que tem apenas 818 pessoas, são apenas 9 vereadores. Salário e horário de trabalho O salário dos vereadores segue a mesma lógica, ou seja, depende do número da população da cidade. Em cidades pequenas, de até 10 mil pessoas, os salários devem ser no máximo 20% do salário de um deputado estadual daquele estado. O percentual aumenta de acordo com o número de habitantes, até chegar a 75%, no caso das cidades com mais de 500 mil habitantes. Quanto ao horário de trabalho, ele muda de cidade para cidade, pois não há uma regra fixa. É possível propor e aprovar projetos de lei determinando horários específicos ou cargas horárias a serem cumpridas, mas isso depende de cada cidade.
GUIA DO ELEITOR
Veja datas e regras das eleições 2016
Trabalho no Legislativo Os vereadores fazem parte do poder Legislativo e, como tal, elaboram, discutem e votam as leis municipais – ou seja, que envolvem impostos municipais, educação municipal, linhas de ônibus, saneamento, entre outros temas da cidade. Para discutir e votar durante as sessões legislativas, os vereadores se organizam em partidos. Há os partidos que são considerados da base do governo (não apenas o partido do próprio prefeito, mas outros que apoiam a sua gestão) e os considerados de oposição. Mas isso não quer dizer necessariamente que um vereador que faz parte da oposição vai votar sempre contra as propostas do prefeito, pois, apesar das disputas políticas, os parlamentares devem ter seus interesses pautados pelo interesse da coletividade. Isso porque cada vereador é eleito de forma direta, pelo voto, sendo um representante da população. Por isso, deve propor projetos que estejam de acordo com os interesses e o bem-estar da população. Votações de projetos Mesmo com as disputas políticas, acordos têm que ser feitos para chegar a decisões, já que são os votos da maioria que contam. Isso acontece quando são apresentados projetos, emendas e resoluções, por exemplo. Eles têm que passar por comissões, como a de Constituição e Justiça e a de Finanças, e ir para votação no plenário. Mesmo depois de aprovados, projetos e emendas precisam passar pelo prefeito, que pode vetar total ou parcialmente ou aprovar. Quando há aprovação, o projeto é publicado no Diário Oficial da cidade e vira lei. Caso o projeto seja vetado, mesmo que parcialmente, ele deve voltar a ser discutido pelos vereadores, que têm que decidir se aceitam ou não a decisão do prefeito. É importante destacar que não são apenas os vereadores e o prefeito que podem apresentar projetos de lei. Os eleitores também podem propor mudanças na Lei Orgânica do município. Para isso, precisam coletar assinaturas de pelo menos 5% do eleitorado da cidade.
[caption id="" align="alignright" width="376"]Vereadores no plenário da Câmara de São Paulo (Foto: Roney Domingos/G1) Vereadores no plenário da Câmara de São Paulo (Foto: Roney Domingos/G1)[/caption] Vereadores no plenário da Câmara de São Paulo (Foto: Roney Domingos/G1)
Função fiscalizadora Além das votações, os vereadores também têm o poder e o dever de fiscalizar a administração, cuindando da aplicação dos recursos e observando o orçamento. Ou seja, é dever deles acompanhar o poder Executivo, principalmente em relação ao cumprimento das leis e da boa aplicação e gestão do dinheiro público. São os vereadores que julgam as contas públicas da cidade – julgamento que acontece todo ano com a ajuda do Tribunal de Contas, que é um órgão assessor de fiscalização do próprio poder legislativo, apesar de seu nome sugerir que ele faça parte do poder judiciário. É dever dos vereadores examinar bem as contas da cidade, sendo que ela apenas são rejeitadas se dois terços dos parlamentares concordarem com isso. Juntamente a esse dever, os vereadores também devem checar se o prefeito e outros funcionários públicos, incluindo eles mesmos, estão desrespeitando alguma lei. Dever do eleitorado Para companhar se os vereadores estão cumprindo bem seus deveres perante a população, os eleitores podem ir às sessões legislativas ou mesmo conversar com os vereadores em seus gabinetes. Caso o eleitor descubra alguma irregularidade, é possível fazer uma denúncia ao Ministério Público. Isso porque, resumindo, o vereador é a ligação entre o governo e o povo. Ele tem o poder de ouvir o que os eleitores querem, propor e aprovar esses pedidos na Câmara e ficar de olho para ver se o prefeito e seus secretários estão colocando essas demandas em prática. Por isso, é importante acompanhar para ver se o trabalho está sendo bem desenvolvido.   Matéria do G1, em São Paulo
 
Comentar
Compartilhe
Governo Federal mobiliza escolas para conscientização dos estudantes
19/02/2016 | 12h48
A estratégia envolve estudantes e professores de todo o país, além das autoridades dos estados e municípios, para reforçar o combate ao mosquito Aedes aegypti O Governo Federal realiza uma grande mobilização nacional contra o Aedes aegypti a partir desta sexta-feira (19) em toda a rede escolar, envolvendo a educação infantil e ensinos fundamental, médio e superior. Ministros, governadores, secretários de educação municipais e estaduais, além de outras autoridades e militares das Forças Armadas, percorrerão as capitais brasileiras e 115 municípios considerados prioritários no combate ao mosquito. A Mobilização Nacional da Educação Zika Zero integra o permanente esforço do Governo Federal, em parceria com os estados e municípios, no enfrentamento do vetor e na conscientização da população e será uma estratégia continuada na rede escolar. O objetivo é aproveitar o período de volta às aulas para incluir as comunidades escolares nas ações de combate e prevenção. [caption id="attachment_9905" align="aligncenter" width="1068"]Print da página do Ministério da Saúde - http://combateaedes.saude.gov.br/ Print da página do Ministério da Saúde -  combateaedes.saude.gov.br[/caption]   O Ministério da Saúde mobilizou ainda as equipes do Programa Saúde na Escola para ampliar as ações de saúde aos estudantes da rede pública. O programa está presente em mais de 78 mil escolas em 4.787 municípios brasileiros. São, atualmente, 32 mil equipes da Atenção Básica envolvidas no programa e que começam a ser mobilizadas a partir desta sexta-feira. Na chegada das autoridades às escolas, serão realizadas atividades no formato de aula e palestras para os estudantes com orientações sobre prevenção e combate aos criadouros do mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do vírus Zika. Em seguida, percorrerão o entorno das escolas para orientar a comunidade sobre a importância do envolvimento de todos os brasileiros na eliminação dos criadouros do mosquito, inclusive, com distribuição de materiais informativos sobre medidas de prevenção. Essa ação visa intensificar a conscientização da população para a importância do enfrentamento ao mosquito Aedes no setor educacional, que envolve 60 milhões de brasileiros, entre estudantes, professores e servidores técnicos administrativos da educação superior em todo o país. Participam desta ação 188.673 escolas de educação básica, as 63 universidades federais e os 40 institutos federais e Centros Federais de Educação Tecnológica, além de diversas entidades do setor educacional. A expectativa é usar o alcance das redes federal, distrital, estaduais e municipais de educação da pré-escola a pós-graduação para levar informações sobre as formas de combate ao mosquito. Como alguns municípios não iniciaram o ano letivo, a mobilização com ações educativas irá continuar. Enquanto ainda não existe disponível no mundo uma vacina para o vírus Zika, o combate aos focos do mosquito é a única forma de prevenção da doença, protegendo gestantes e crianças. Esse vírus tem sido associado ao aumento de casos de microcefalia em bebês quando as mães são infectadas durante a gestação. PLANO NACIONAL – No final do ano passado, com o aumento do registro de casos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti e suas complicações, o Ministério da Saúde decretou Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e a presidenta Dilma Rousseff lançou o Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes e à Microcefalia com medidas emergenciais que estão sendo colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito. Todos os órgãos federais estão mobilizados para atuar conjuntamente neste enfrentamento, que conta também com a participação dos governos estaduais e municipais. O Dia Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti, realizado no último sábado (13), alcançou 2,8 milhões imóveis em 428 municípios do País. A ação contou com 220 mil integrantes das Forças Armadas, em conjunto com os agentes comunitários de saúde e os agentes de controle de endemias. As visitas de rotina às residências para eliminação e controle do vetor foram reforçadas ainda na última segunda-feira (15) com a terceira etapa de mobilização nacional, que reuniu 55 mil militares das Forças Armadas, 46 mil agentes comunitários de endemias, que já atuavam regularmente nessas atividades, e 266 mil agentes comunitários de saúde. O número de imóveis vistoriados pelos agentes de saúde e militares das Forças Armadas, na mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti, já representa 41% dos 67 milhões estimados em todo o Brasil. Ao todo, 27,4 milhões de imóveis foram percorridos pelas equipes até quarta-feira (17), em busca de criadouros e para orientar a população sobre medidas de prevenção ao mosquito. O número inclui domicílios e prédios públicos, comerciais e industriais, conforme balanço da Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) de Enfrentamento à Microcefalia. Somam-se a esse esforço a mobilização voltada aos servidores públicos no dia 29 de janeiro, no chamado “Dia da Faxina”, cujo objetivo foi inspecionar e eliminar possíveis focos do mosquito nos prédios dos órgãos federais. A ação aconteceu em ministérios, autarquias, agências e demais órgãos vinculados em todo o Brasil. Foi publicado ainda no Diário Oficial da União, em fevereiro, decreto que determina adoção de medidas rotineiras de prevenção e combate ao vetor em todos os prédios públicos. COMO ELIMINAR CRIADOUROS - Para erradicar o Aedes aegypti e todos os seus possíveis criadouros, o Ministério da Saúde recomenda à população a adoção rotineira de medidas simples para eliminar recipientes que possam acumular água parada. Quinze minutos de vistoria são suficientes para manter o ambiente limpo. Pratinhos com vasos de planta, lixeiras, baldes, ralos, calhas, garrafas, pneus e até brinquedos podem ser vilões e servir de criadouros para as larvas do mosquito. Outras iniciativas de proteção individual também podem complementar a prevenção das doenças, como o uso de repelentes e inseticidas para o ambiente. O Brasil tem um programa permanente de prevenção e controle do Aedes aegypti, com ações compartilhadas entre União, estados e municípios, durante todo o ano. Os recursos federais destinados ao enfrentamento aoAedes aegypti cresceram 39% nos últimos anos (2010-2015), passando de R$ 924,1 milhões para R$ 1,29 bilhão neste ano. Para 2016, a previsão é de um incremento o valor chegará a R$ 1,87 bilhão. Além disso, foi aprovado no orçamento um adicional de R$ 500 milhões para apoio as ações de combate e erradicação do Aedes, totalizando, assim, mais de R$ 1 bilhão a mais para a área este ano. Além desses recursos, o Ministério da Saúde realiza a aquisição de insumos estratégicos, compra e distribuição de insumos estratégicos, como inseticidas e kits de diagnósticos para auxiliar os gestores locais no combate ao mosquito, que são responsáveis pela coordenação e execução destas ações. MICROCEFALIA - O Ministério da Saúde e os estados investigam 3.935 casos suspeitos de microcefalia em todo o país, sendo 60,1% dos casos notificados em 2015 e 39,9% em 2016. De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, 508 casos já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central. Outros 837 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 5.280 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 13 de fevereiro. O Ministério da Saúde está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central, informados pelos estados, e a possível relação com o vírus Zika e outras infecções congênitas. A microcefalia pode ter como causa, diversos agentes infecciosos além do Zika, como Sífilis, Toxoplasmose, Outros Agentes Infecciosos, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes Viral. Atendimento à imprensa: (61) 3315-3580
Comentar
Compartilhe
E você, vai votar em quem ?
11/02/2016 | 12h30

Leia a nota(28/03) ao final da Página

Começou 2016 ! O  carnaval jaz em cinzas!       " Press start"   na economia,  nas atividades cotidianas   enfim,   na vida da gente.  Primeiros verdadeiros,  ainda que tropegos  passos e direção ao futuro   da  união,   dos estados e dos mais de 5000 municípios desta nossa   imensa 'Terra Brazilis'. Futuro sendo decidido nos  municípios Nos últimos tempos,  a velocidade  e as oportunidades  de   compartilhamento interpessoal de informações,   boas ou más, relevantes ou desnecessárias,  verdadeiras ou falsas   é realmente de impressionar qualquer sujeito.   Não  existem  mais  disfarces   ou lugares   neste planeta onde possam se esconder  os pequenos delinquentes ou   os grandes marginais da política.   As mídias digitais e as redes sociais " botam as caras no sol",   expondo as suas  condutas desviadas  e  suas  faces falsas,  as suas ligações mais escabrosas e as caras mais deslavadas, que subsistem   servindo   a política menor e hipócrita,  e de interesses apenas venais,  de objetivos  pessoais, mesquinhos e insistentemente pequenos.  Já deu pra estes figurões conhecidíssimos por  com seus gestos mecânicos   e   suas falas terceirizadas, donos  de muitos sorrisos  vazios  de sinceridade.   Vai  errar se quiser Não existe espaço para  usar aquela  desculpa papuda  do   Lula:  " eu não sei de nada"...       Sem  achismo.   É certo  afirmar... No hoje   todos sabemos de tudo dessa gente que rouba, corrompe  e despreza  o que é moral e  decente!  E aí companheiro,  gente boa,  cidadão do bem,   ficam a perguntas: De qual   lado  nós  estamos? Já parou pra pensar no que, ou  em  quem você entregar  futuro de sua cidade? Serve pra vereador  e prefeito... Vai votar em quem? Zé Armando Barreto
 

Março, 27-03-2-16 19:36

O conteúdo do artigo acima, publicado originalmente em Fevereiro deste mesmo ano, tem ressonado em nossa cabeça; são muitas as perguntas e, nenhuma resposta fácil.  As novas informações chegaram aos milhões; a mais recente é que a poderosa operação "Lava Jato" finalmente chegou no nosso quintal;  também se ouve nas cercanias  que  velhos inimigos agora são aliados, o tal do "desta água não beberei", ficou mais difícil de ser pronunciado;  em outros rincões,  lideranças poderosas se mostram e os comandantes instalados  balançam em suas cadeiras,  em alguns lugares, assim,  meio  que  "do nada" a insatisfação da população, parece fazer surgir as soluções para substituir as "desacreditadas" administrações instaladas e também os nomes já testados em gestões antecessoras, levanta-se à máxima: " quem pode fazer e não fez, perdeu a vez"...   A verdade é que todas as armas e munições necessárias a uma revolução pela moralidade e decência,  está na ponta dos dedos do eleitor brasileiro.   Até a crise instalada, poderá dar sua contribuição positiva nesta necessária reforma político-institucional;  na União, no Estado e nos municípios as máquinas eleitoreiras engrimpadas, sinalizam para o empobrecimento  das campanhas, o que acabará reduzindo a corrupção eleitoral,  dizemos reduzindo, até porque todos sabemos  que   independente disso,  as cooptações eleitoreiras acontecem à superfície, diuturnamente, nas entregas de cheques isso, bolsa aquilo e uma infinidade de atos oficiais eleitoreiros e programas assistencialistas. Tudo bem, vamos a luta,  vai ser acrescentador observar   como vai ser este  jogo,  com as novas regras e este clima de insegurança social e econômica engasgando a população, sem dinheiro das empresas e,  com a "Dona Justa" nem tão cega assim, quem se arriscará aos ilícitos eleitorais aos quais estão habituados e, quem terá a fé e a coragem pra sair às ruas e buscar na sola do sapato o voto?  Ainda assim,  as dúvidas crescem  e a pergunta inicial se torna ainda mais incômoda e  inquietante:

- "E ai,  vai se votar em quem"?

Pois é !    Caminhando nesta direção, estamos aqui pra somar na solução de nossas dúvidas,  e vamos partir pra estrada, a ideia é trazer informações  que possam contribuir, ajudar nos esclarecimentos de nossos e_leitores(leitores digitais),   o Blog da Coluna vai fazer um giro regional,   buscando os fatos  gerados pelas prévias nos 22 municípios dos Territórios Norte e do Território Noroeste Fluminense.  Vamos trazer informações do panorama político eleitoral, articulações e movimentações de pré candidatos e  seus partidos.  Então é ficar atento,  ás quartas e Sábados  do BLOG DA COLUNA.     Começamos a partir do dia 02 de Abril.   Até  lá...

Perfil6

Zé Armando Barreto 


   
Comentar
Compartilhe
Política nos buracos em Campos e em São Francisco de Itabapoana
04/02/2016 | 20h46
É buraco A estratégia de se  mostrar buracos nas ruas e estradas nos municípios é muito utilizada nas guerrilhas de bastidores em contendas eleitorais.  É fato que,   se não existe atenção ao surgimento e imediato reparo  das crateras urbanas, que causam prejuízos ao bolso do cidadão e interferem  no direito de ir e vir da população,  está   configurada   a   gestão ineficiente  das  prefeituras. Buraco Rosa    Em  Campos, temos  os famosos buracos e crateras  contornados em tons rosa, uma alusão a cor preferida e ao nome político da atual prefeita. Buraco fake A inovação, se é que pode ser chamada assim,   vem na conta de São Francisco de Itabapoana,   onde internautas   opositores ao atual atual gestor do município,   importam buracos de estradas do Nordeste.   É isso mesmo !   Fotos  de buracos em rodovias de outra região do País, postadas em sites,    foram copiadas,  editadas  e postadas nas páginas do Facebook,  acrescidas de citações negativas e cobranças de reparos feitos por cidadãos inventados,  como se os tais "buracos fakes"  estivessem na área do município. Buraco sem fundo No caso dos buracos rosas, soa até como uma brincadeira debochada,  ou pilhéria para com a prefeita de Campos, e é um bom alerta, já que que muito imediatamente a máquina vai pra rua tapar os buracos.    Nesta situação de se utilizar o buraco alheio,  sem a necessária autorização  , copiando  fotos de terceiros, incluindo textos negativos que incitem à formação de  opinião negativa quanto a gestão e atuação do gestor público, a situação  aparenta caminhar para um viés  diferente;  o da submissão a impossibilidade de responder com o trabalho de reparo,  ao que foi denunciado na internet.    Parece o tal do buraco sem fundo esta coisa do  falso,  da Calúnia, da tentativa de difamação nas redes sociais,  todos  são crimes passíveis de severas punições e até de prisão. Buraco sujo Este blogueiro tem ojeriza a estas práticas de perfis falsos(fakes),   manipulados  por interesses políticos eleitorais[já denunciamos AQUI],  e não  poderia ter postura diferente nesta infeliz  "inovação" vinda do município vizinho.  Me entristeço por perceber que há evidente qualificação laboral , à  serviço deste fim esdrúxulo.   Penso que o que está sendo compartilhada na internet, em especial no Facebook, muito mais do que a comprovação de um dolo de quem desenvolveu e postou a notícia falsa,  é a socialização da imagem feita negativa do município de São Francisco de Itabapoana,  justo em temporada turística, justo quando mais se precisa mostrar suas qualidades, belezas e atrativos. Saindo do buraco Hora boa de  examinar o  histórico político, social de São Francisco de Itabapoana, e   fazer auto crítica.  Perceber o útil e acrescentador e desprezar o desnecessário e o vulgar.   Hora de dar um basta na mesquinharia, na pequenez das intenções, na venalidade dos interesses e nesta prática de política menor,  que insistentemente vem sendo aplicada por alguns dos que estiveram no comando e seus  seguidores.  Hora observar as qualidades de nossa gente: são guerreiros, trabalhadores, produtores de riquezas da terra, da água e dos ventos.    Hora boa de ser mais que uma cópia boquirrota,   das  ações e práticas políticas ultrapassadas e muitas vezes ilegítimas, ilegais. Mudar é sempre uma construção.  Hora boa de começar.  Hora de ser parte da solução. Parece um discurso.   De verdade é um apelo pela evolução do caráter político, pelo  resgate da dignidade, da moralidade e da decência. Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
Vírus Zika em SJB: 2 agentes de endemias contaminadas
03/02/2016 | 12h08
Pelo Wats App   A súplica foi recebida pelo Blog da Coluna através de mensagem do Wats App. - Os agentes de combate a endemias continuam  encarando o trabalho e o risco de contaminação sem nenhum tipo de proteção, nem mesmo as luvas nos são fornecidas, temos que colher as larvas e combater  a infestação pondo  nossa vida ainda mais em risco por falta de EPI -Luvas, repelente , botas e uniformes adequados ao serviço não estão sendo oferecidos pela prefeitura. Quando pedimos bonés  e protetor para nos reguardar da radiação dos raios UV -Somos respondidos com piadas e deboche.  Ter o equipamento adequado ao desempenho da função é um direito do trabalhador  que não é respeitado aqui , pelo prefeito Neco, pior é que é uma obrigação. -Enquanto isso duas de nossas amigas que trabalham em Grussai foram contaminadas pelo Zika, fomos ao coordenador falar sobre as meninas que ficaram doentes, ele riu e disse que as doenças são todas iguais;  ele riu,  mas a vida de nossas companheiras de trabalho e a de todos, não deve ser tratada como uma piada! Não temos mais a quem apelar,  da prefeitura não esperamos mais nada". [caption id="attachment_9876" align="aligncenter" width="900"]391825b4-28e2-466d-96e3-90533c457af4 Funcionária flagrada no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya, sem equipamentos de proteção[/caption]    

Leia também

Infestação do mosquito Aedes Aegypti em São João da Barra coloca região em perigo  

  O apelo desesperado veio com fotos anexas,  enviada  por mensagem no aplicativo Wats App.   Por Zé Armando Barreto      
Comentar
Compartilhe
FIM DE FUNDAÇÕES SERÁ DISCUTIDO APÓS ENVIO DE INFORMAÇÕES PELO GOVERNO
02/02/2016 | 20h28

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB) afirmou durante reunião nesta terça-feira (02/02) que o projeto de lei 1.292/15, de autoria do Executivo, que extingue seis fundações e uma autarquia, só voltará à pauta de votações após o envio, pelo Governo, de um estudo detalhando a economia estimada para o Estado. A proposta foi criticada por servidores e pelos deputados.

O projeto foi publicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 17 de dezembro de 2015 e prevê a extinção da Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj), da Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Ceperj), da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), da Fundação Santa Cabrini, da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj), da Fundação Museu da Imagem e do Som (MIS) e da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj). A proposta recebeu 125 emendas dos deputados e saiu de pauta no dia 23 de dezembro do ano passado.

De acordo com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), a economia estimada para o Estado é de R$300 a R$500 milhões por ano. Os representantes das instituições alegam que as fundações geram pouco impacto orçamentário, pois mais da metade de seu orçamento é destinado ao pagamento da folha dos servidores.

Debate Segundo o deputado Paulo Ramos (PSol), a posição do presidente Picciani é unânime na Casa. "Todos compreendem que a mensagem é confusa, não explicita a sua finalidade e causa sofrimento ao servidor público", disse o parlamentar. "Muitos a rotularam de irresponsável e incompetente, o Governo não pode se prestar a esse papel, é preciso um amplo debate para que haja um esclarecimento do seu verdadeiro propósito.”

Diretor administrativo da Funarj, Odmar Silva disse que é preciso esclarecer aos servidores as consequências para depois tomar decisões em relação à reforma administrativa das fundações. “Não houve uma aceitação dos servidores, precisamos aperfeiçoar esse projeto para que se decida se a proposta vai prosseguir ou não.”

(Texto de Camilla Pontes)

Fonte: Site ALERJ
Comentar
Compartilhe
Dilma pede apoio do Congresso para recriação da CPMF e prorrogação da DRU
02/02/2016 | 12h59
Durante seu discurso, parlamentares contra a recriação da CPMF vaiaram a presidente.
[caption id="attachment_9869" align="alignright" width="300"]Vaias e aplausos no momento em que a presidente defendeu a CPMF Vaias e aplausos no momento em que a presidente defendeu a CPMF[/caption]

A presidente da República, Dilma Rousseff, defendeu, há pouco, uma agenda fiscal de curto e longo prazo e pediu o apoio do Congresso Nacional para a aprovação de medidas como a recriação da CPMF - PEC 140/15, a prorrogação da Desvinculação de Receitas da União (DRU) - PEC 4/15 e apensadas, ambas em tramitação na Câmara dos Deputados, e a aprovação das reformas previdenciária e tributária, que o governo vai enviar este ano.

Segundo a presidente, a agenda fiscal terá pouco impacto no curto prazo, mas garantirá a sustentabilidade fiscal do Estado para retomar o crescimento econômico. “Seu impacto fiscal será mínimo no curto prazo. É uma questão do Estado brasileiro. Precisamos ter como horizonte o futuro do País e não apenas meu governo”, disse Dilma. Outro projeto que ela pretende enviar ao Congresso trata do controle dos gastos primários da União. Dilma defendeu a adoção de uma meta para o resultado fiscal, que acomode as flutuações da economia. - Fonte: Agência Câmara

Comentar
Compartilhe
Prefeito de Cardoso Moreira exonera por eficiência
02/02/2016 | 12h23
DO FACE AO BLOG Indignação nas redes sociais Não mais me admiro da força das redes sociais.   Uma onda de indignação coletiva entre os utilizadores  do Facebook em Cardoso Moreira, por conta da exoneração do secretário de Saúde Humberto Junior. Sem racha [caption id="attachment_9864" align="alignright" width="300"]Ministro da Saúde Arthur Chioro, Secretário de saúde do Estado Felipe Peixoto e ex-Secretário de Saúde de Cardoso Moreira Humberto Chaves Dias Júnior, em agenda recente no ministério Ministro da Saúde Arthur Chioro, Secretário de saúde do Estado Felipe Peixoto e ex-Secretário de Saúde de Cardoso Moreira Humberto Chaves Dias Júnior, em agenda recente no ministério[/caption] O secretário  alega aos amigos,  não haver nenhum tipo de "racha"  com o governo.  Fato é que  pela eficiência na gestão da saúde de um município de tão poucos recursos,  o agora ex secretário Humberto Junior,   vem recebendo seguidos  elogios dos gestores da saúde membros do  COSEMS RJ,  construiu um importante canal de interação com o Ministério da Saúde e com a secretaria Estadual de Saúde, na gestão do Felipe Peixoto e,   ainda mais importante que isso,  ele  detém  a maior aprovação e satisfação  popular entre os secretários do município.   Mesmo assim  ou talvez por isso e   para surpresa geral, foi exonerado sumariamente. Bem vindo 2016 Segundo se sabe, o Junior  como é conhecido pela gente de Cardoso,  ficou muito em evidência  pelo  excelente relacionamento nos círculos  da administração municipal,   comprovadamente fez uma  gestão eficiente, com bom nível  satisfação  popular,  que legou ao setor da  saúde  o primeiro lugar entre todos os seguimentos da administração.     Então: sendo 2016 um ano de  eleições municipais,  em que os índices de rejeição do atual prefeito  Gegê  Cantarino são altos,    poderia representar uma situação de que prejudicasse aos interesses de reeleição do atual prefeito?      Uma boa pergunta,   para ser respondida até Outubro.   por Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
Indícios de fraude em Licitação na Câmara de São Francisco de itabapoana
01/02/2016 | 18h56

..." pude assistir presencialmente,   parte de um processo licitatório para a execução da obra de pavimentação no pátio da nova câmara municipal de vereadores em São Francisco de Itabapoana, construída na gestão do ex presidente Claudinho Viana.   Este novo feito, está conduzido pelo  vereador Renatinho de Buena,  novo presidente da casa,  que esteve presente durante praticamente todo o dia no recinto.     Fato é, que após assistir atentamente e poder sentir o calor e a realidade do “certame”, nos foram acrescidas alguma dúvidas e firmaram umas outras certezas:   não deve ser o ideal a  forma conduzem;     deve existir uma maneira mais simples, qualificada e eficiente.   Não afirmamos de maneira nenhuma, que ali existe fraude ou dolo de qualquer parte; mas é certo que, do jeito que é feito,  deixam a  porta  escancarada ao ilícito !

Acima o trecho do artigo  Lava jato nos municípios do Norte Noroeste . Publicado no Blog da coluna em  13-10-2015 (AQUI) .   

Faz um pouco mais de 90 dias que este blogueiro percebeu que algo de muito estranho estava ocorrendo naquela licitação em são Francisco. A confirmação de nossas suspeitas está na decisão do TCE-RJ, que acolheu a Representação formulada pela sociedade empresária Winner Empreendimentos e Serviços Ltda., quanto a possíveis irregularidades na Tomada de Preços n.º 002/2015, realizada pela Câmara Municipal de São Francisco de Itabapoana.    No link de página  do Tribunal Contas do Estado(AQUI), a informação de que serão comunicados e devem colaborar com encaminhamento de documentos relativos ao processo licitatório,  o atual presidente Renatinho de Buena, o Sr. Mateus Chaves de Souza, Presidente da Comissão Permanente de Licitação,  o Sr. Ezequiel Batista de Araújo, Membro da Comissão Permanente de Licitação,  o Sr. Yanquel Souza Azeredo,  Membro da Comissão Permanente de Licitação.  Consultado sobre a decisão do TCE RJ,  o presidente da câmara, vereador Renatinho de Buena,  disse que falará após ser notificado pelo órgão. Os demais citados no processo, fazemos a solicitação que enviem nota via  email ao Blog da Coluna,  compartilhado aqui: [email protected].   

[caption id="attachment_9854" align="aligncenter" width="795"]Print de tela do documentos disponibilizado no site do TCE-RJ Print de tela do documentos disponibilizado no site do TCE-RJ[/caption]

Por Zé Armando Barreto

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Murillo Dieguez

[email protected]