Projeto do Orçamento 2016 prevê salário mínimo a R$ 865,50 e crescimento econômico de 0,2%
31/08/2015 | 23h27
http://www.slideshare.net/BlogDoPlanalto/plano-plurianual-201619-e-o-projeto-de-lei-oramentria-2016   O governo encaminhou ao Congresso Nacional, na tarde desta segunda-feira (31), a proposta de Orçamento da União para o ano que vem e o Plano Plurianual (PPA) para o período 2016-2019. _89A7453-Editar No cenário econômico projetado para os próximos anos, o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá 0,2% no ano que vem, após cair 1,8% em 2015, e apresentará um crescimento de 1,7% em 2017, chegando a aumentar 2,5% em 2019. A inflação oficial, por sua vez, deverá ficar em 5,4% em 2016, dentro da meta, portanto, e voltará ao centro da meta, em 4,5%, nos três anos seguintes. Já o salário mínimo, por sua vez, sairá dos atuais R$ 788 para R$ 865,50 em 2016, chegando a R$ 1.020,80 em 2019. O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou que as projeções para o ano que vem já apontam para recuperação do crescimento e redução da inflação, o que contribuirá para a construção de um programa fiscal realista e de acordo com a capacidade do governo, sem comprometer programas e investimentos. O ministro apontou que o início da recuperação está sendo puxado pelo aumento do saldo da balança comercial, que deve ter resultado positivo de US$ 8 bilhões em 2015. Barbosa também destacou a manutenção de programas fundamentais para o governo na área social e de infraestrutura, tais como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ainda assim, explicou, as despesas obrigatórias e discricionárias do governo crescerão R$ 88,4 bilhões em 2016, aumento fortemente concentrado nos gastos da Previdência Social. Com isso, o resultado primário projetado para o próximo ano é um déficit de R$ 30,5 bilhões, que equivale a aproximadamente a 0,5% do PIB. O ministro lembrou, contudo, que o déficit pode ser eliminado a partir de medidas que serão debatidas com a sociedade e o Congresso Nacional. “Esse é um déficit primário que pode ser eliminado, resolvido de diversas formas, mas essas ações envolvem medidas legais, como projetos de Lei e de Emenda Constitucional; envolvem medidas que precisam ser construídas com o diálogo com a sociedade e com o Congresso Nacional. O objetivo do governo é investir nesse diálogo”, afirmou Barbosa. O ministro destacou que o governo está propondo uma discussão fiscal de longo prazo, o que envolve várias iniciativas, e sustentou que “hoje o principal desafio fiscal do Brasil é controlar o crescimento dos gastos obrigatórios da União”. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, destacou que o reequilíbrio da economia brasileira já está em curso, e afirmou que o governo brasileiro está tomando diversas medidas para recolocar o Brasil “na rota do crescimento”. Levy também disse que o Orçamento foi elaborado de forma “muito transparente”, e ressaltou o fato de haver uma redução da expectativa da inflação para o ano que vem. O ministro da Fazenda também avaliou que diversas medidas estão sendo tomadas para readequar a economia brasileira a um cenário que envolve o fim do chamado “superciclo das commodities”, o crescimento dos gastos obrigatórios da União e o crescente gasto da Previdência Social decorrente da transição demográfica pela qual passa o Brasil. Ele também disse que para poder consolidar o que o Brasil já alcançou será preciso encontrar caminhos para trazer o orçamento ao equilíbrio necessário, e lidar com as questões estruturais de médio e de longo prazo. “Isso vai dar resultado, vai botar o Brasil na rota do crescimento, e vai nos trazer para vencer todos os desafios no século 21, no período pós-crise. Tudo que a gente precisa para a juventude ter emprego, para a gente, inclusive, consolidar os ganhos dos últimos anos”, frisou Levy.
Novas medidas tributárias Visando o reequilíbrio do cenário fiscal, o governo prevê a adoção de novas medidas tributárias e de venda de ativos. No caso das tributárias, estão previstas ações como as revisões da desoneração do PIS/Cofins de computadores, tablets e smartphones, da tributação de bebidas quentes, do Imposto de Renda sobre direito de imagem e do IOF sobre operações de crédito do BNDES. “Essas são ações tributárias nas quais se espera arrecadar adicionalmente R$ 11,2 bilhões”, enfatizou Barbosa. No caso das operações com ativos, o ministro destacou a venda de participações acionárias não prioritárias da administração direta e indireta, alienação de imóveis e de direitos de domínio da União, aperfeiçoamento e aumento da cobrança da Dívida Ativa da União e o leilão da folha de pagamentos. Somando essas operações com a ampliação das concessões, com nova rodada no ano que vem, o governo estima arrecadar R$ 37,3 bilhões. Eixos estratégicos Durante a apresentação das peças, o ministro Nelson Barbosa destacou que o PPA é dividido em quatro eixos: educação de qualidade; inclusão social e redução das desigualdades; ampliação da produtividade e da competitividade da economia; e fortalecimento das instituições públicas. O ministro destacou a elaboração participativa do PPA, que envolveu governo, fóruns com a sociedade civil e articulação com os estados. Entre os destaques do PPA 2016-2019, Barbosa citou a ampliação de 39 mil para 46 mil as equipes de Saúde da Família, a ampliação para 1,4 milhão o número de matrículas nas instituições federais de ensino superior e o apoio à construção de 3 mil escolas de educação básica. O plano ainda prevê a construção ou pavimentação de 1,1 mil km de rodovias e a concessão de 6,9 mil km de rodovias federais, além de duplicar 2,7 mil km de rodovias federais já concedidas. O governo também estima, conforme o PPA, adicionar capacidade instalada de geração de energia elétrica em 29.365 MW e implantar 23 mil km de novas linhas de transmissão no Sistema Elétrico Nacional. Fonte: Palácio do Planalto
Comentar
Compartilhe
Só sei que nada sei!
29/08/2015 | 18h17
Forças terríveis O velho e saudoso presidente Jânio Quadros em sua carta de renúncia levantou a existência de "forças terríveis"  a fazer movimentar o universo da política.  Escreveu:   "Desejei um Brasil para os brasileiros, afrontando, nesse sonho, a corrupção, a mentira e a covardia que subordinam os interesses gerais aos apetites e às ambições de grupos ou de indivíduos, inclusive do exterior. Sinto-me, porém, esmagado. Forças terríveis levantam-se contra mim e me intrigam ou infamam, até com a desculpa de colaboração"....  Forças ocultas Hoje aos 52 anos, alguns meses e certos dias, entendi finalmente que;  o que desprezo é o que me sustenta e me engorda e,   atento me espreita;  é um "Yang" que quer devorar meu "Yin".    Compreendi, que  estas "forças terríveis e ocultas", fazem suas ações em todas as estâncias.  Desde   a construtiva até a ácida.   Desde o Olímpo ao sepulcro.  De Brasília ao Rio,  do Rio a Campos.    Me sobra a angústia do auto reconhecimento de meu analfabetismo funcional  político.   Me sobra a certeza de  que, o que  me sopraram ao ouvido é o correto:  " não seja um idiota arrogante, a pensar que está no jogo, não está;  pois nada se decide aqui em baixo" ! Controverso que sou, decidi:  de  agora em diante,  é observar o que disseram que disse Sócrates:  "ipse se nihil scire id unum sciat". -  Só sei que nada sei ....   perfilZé Armando Barreto @ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Nome dos bois . Coluna Comentários 28082015
28/08/2015 | 17h17
[caption id="attachment_8886" align="aligncenter" width="1500"]Clique para ampliar Clique para ampliar[/caption]
Comentar
Compartilhe
Vende-se uma lagoa em São Francisco de Itabapoana
28/08/2015 | 04h37
Assentamentos precários Houve um tempo em que os poucos moradores das comunidades tradicionais de pescadores em São Francisco de Itabapoana conviviam harmoniosamente com o  seus manguezais , rios e lagoas.   E isso faz muito tempo.  O crescimento populacional  provocou um inevitável e desordenado avanço sobre áreas alagadas e de manguezais. Estes antes paraísos ecológicos, passaram a vivenciar o despejo in natura de esgoto domésticos em seus veios hídricos e mananciais, derrames de dejetos, lixo e restos de obras sobre manguezais, além de aterros irregulares, muitas vezes custeados por interesses e barganhas eleitoreiras de políticos locais. Sem planejamento urbano Emancipado de São João da Barra, o município passou por  sucessivas gestões administrativas, um traço comum entre elas, a pouca ou nenhuma  preocupação com planejamento urbano e nenhum cuidado com a preservação ambiental.  Neste cenário, uma prática comum é a grilagem de terra: "o indivíduo cerca o lote, ou os lotes, aguarda um certo período e não havendo quem reclame a propriedade, toma a posse e muitas vezes parte para as negociações, o dinheiro fácil é o foco. Mas, se contam causos de troca de pedaços de mangues e terras por mula, por cachaça, por bagre seco e um mais esperto, por uma mulher nova; mas essas são estórias e lendas de Gargaú que contamos noutro tempo". Vamos nos  ater a grande e moderna novidade: " estão vendendo uma lagoa  e a terras  a sua volta pela internet, ferramenta reconhecida como  a mais moderna forma informação social, educacional e de interação pessoal, negócios suspeitos  prospectados pelas redes digitais,   local que deveria ser  de evolução da comunicação interpessoal.    É esta seara da modernidade  que anda  oferecendo espaço para que se cometa ou ameace cometer crimes ambientais irreparáveis. Já falei demais! Vamos a ação:      "é, ou não é um abuso à inteligência do ser humano o absurdo fato denunciado na página do "Preserva Gargaú" no Facebook?   Vou compartilhar  os prints com as "ofertas imobiliárias"  e passar a pergunta para o nosso secretário de Meio Ambiente de São Francisco de Itabapoana, Dr. Claudio Heringer. Diga secretário: é abuso ou não é?   Aqui o apelo na página do Facebook do Preserva Gargaú:
 "Ganhar dinheiro loteando a natureza de Gargaú é fácil ! Peço que compartilhem esse descaso com essa área de restinga. Ou ADEUS lagoa, seus pássaros, caranguejos, etc, pois sem essa proteção natural, o vento irá aterrar a lagoa"!
  Gargaú Barra Velha vendo lote Gargaú Barra Velha vendo loteq     Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
PSD com Nildo Cardoso
26/08/2015 | 06h59
[caption id="attachment_8862" align="alignleft" width="598"]Secretário de estado André Corea, vereador Nildo Cardosom dep. federal Sérgio Zweiter, governador Pezão Secretário de estado André Corrêa,  Vereador Nildo Cardoso,  Dep. Federal Sérgio Zweiter, Governador  Luiz Fernando Pezão[/caption] Se alguém em pureza  d'alma,  acreditou na  aparente tranquilidade do vereador Nildo Cardoso,  com a tomada de assalto de seu PMDB, pelo grupo comandado por Picciani e,  que busca viabilizar uma candidatura do deputado Geraldo Pudim, está ai  a resposta do comandante da baixada:  o comando estadual do PSD  sinalizou que estará ao lado do Nildo Cardoso,  em uma provável caminhada para a prefeitura de Campos. Vale lembrar que o vereador campista, esteve e atuante na recente campanha do deputado estadual André Corrêa, secretário de estado e homem forte  do PSD, além de ser  uma dos líderes políticos do estado do Rio de maior credibilidade,   confiança e proximidade com o governador Pezão. Nesta  complexa engenharia  política , pode estar sendo aberto o terreno para a  amarração com a estrutura do PP,  do  deputado estadual Papinha: força na baixada de Nildo e de Papinha na centésima e  Guarús, esta seria  com certeza uma aliança com base sólida  e alguma lógica.   É esperar o andamento do jogo e o resultado da previsão acontecer, ou não. Afinal, o amigo leitor sabe que política é ciência absolutamente;   inexata ! Comentário.:  como reforço de nossa aritmética:   "Nildo Cardoso  foi responsável pela  campanha do deputado federal Sérgio Zweiter(PSD) Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
O culpado é quem manipula a prefeita ?
25/08/2015 | 12h25
Logo ali, num horizonte limítrofe, uma história muito parecida está acontecendo. Uma ainda jovem prefeita,  um  "ser amado" nos bastidores do poder, manipulando os cordéis, o município desperdiçando em desvios,  festas e eventos os recursos públicos.    E o povo óh.... Reproduzo abaixo, na íntegra a matéria do G1.   Carregando comigo a incômoda impressão de que os atores não são estranhos, o espetáculo está montado por aqui, que este cenário nos é próximo, muito próximo...  Só falta para completar, aqueles que encenarão o ato onde se apresenta a Polícia Federal. Ah: cuidado a outras companhias teatrais, para não vestirem as carapuças que não lhes é destinadas... Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto  
 
23/08/2015 08h01 - Atualizado em 23/08/2015 08h04

Polícia Federal segue sem pistas da prefeita de Bom Jardim (MA)

Operação Éden investiga denúncias de desvios de verbas no município. Na quinta-feira (20), foram presos dois ex-secretários.

Prefeita que ostentava boa vida nas redes sociais sumiu (Foto: Fotos: Divulgação)
Três dias após ser iniciada a Operação Éden, da Polícia Federal (PF) no Maranhão, que investiga denúncias de desvios de verbas da educação no município de Bom Jardim – a 275 km de distância da capital maranhense, São Luís –, a prefeita da cidade Lidiane Leite (PP), de 25 anos, segue foragida. A investigação foi iniciada após denúncia do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão (MP-MA) e Ministério Público Federal (MPF). Na quinta-feira (20), foram presos o ex-secretário de Agricultura, Antônio Gomes da Silva, conhecido como "Antônio Cesarino", e de Assuntos Políticos, Humberto Dantas dos Santos, conhecido como Beto Rocha, ex-namorado da prefeita. Com o sumiço da prefeita, moradores da cidade estão sem saber quem está no comando do município, com 39.049 habitantes. Na cidade, o clima é de incerteza. Vereadores estão impedidos de realizar votação para afastar a prefeita do comando da cidade por causa de uma medida cautelar obtida por Lidiane na Justiça. Ela já havia sido afastada três vezes do cargo: na primeira vez, em abril de 2014, pelo prazo de 30 dias após denúncias de improbidade administrativa, retornando ao cargo em 72 horas, depois de obter liminar na Justiça; na segunda, pelo período de 180 dias, em dezembro de 2014, com liminar suspensa pelo Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) em 48 horas; e  terceira em maio de 2015, retornando em 72 horas. Na prefeitura, o expediente é de 8h às 12h, mas poucas pessoas foram encontradas no prédio nessa sexta-feira (21). Somente o secretário de Administração e Finanças, Dal Adler Castro, poderia responder pelo órgão, mas não quis falar com a imprensa. Investigações Lidiane Leite está foragida desde quinta-feira, quando foi iniciada a Operação Éden, da PF, que investiga denúncias de desvios de verbas da educação no município de Bom Jardim. Nessa sexta-feira, a PF reforçou a vigilância em aeroportos e rodoviárias do Maranhão a fim de capturar a prefeita. Na quinta-feira, foram presos o ex-secretário de Agricultura, Antônio Gomes da Silva, conhecido como "Antônio Cesarino", e de Assuntos Políticos, Humberto Dantas dos Santos, conhecido como Beto Rocha, que seria ex-namorado da prefeita. A repercussão nacional do caso acelerou a operação.
[caption id="" align="alignright" width="352"]PF faz busca na sede da Secretaria de Agricultura de Bom Jardim (Foto: Divulgação / PF) PF fez busca na sede da Secretaria de Agricultura de Bom Jardim (Foto: Divulgação / PF)[/caption] PF faz busca na sede da Secretaria de Agricultura de Bom Jardim (Foto: Divulgação / PF) PF fez busca na sede da Secretaria de Agricultura de Bom Jardim (Foto: Divulgação / PF) Desvios A polícia investiga transferências de cerca de R$ 1 mil realizadas da conta da prefeitura para a conta pessoal de Lidiane que chegam a R$ 40 mil em um ano. Também foram feitas transferências para o advogado da prefeitura, Danilo Mohana, que somam mais de R$ 200 mil em pouco mais de um ano. Além da prefeita, secretários, ex-secretários e empresários também estão sendo investigados por causa de irregularidades encontradas em contratos firmados com "empresas-fantasmas". Houve duas licitações para reformar 13 escolas, pelas quais a Zabar Produções obteve R$ 1,3 milhão e a Ecolimp recebeu R$ 1,8 milhão. Nenhuma das empresas foi encontrada. Em 2013, a prefeitura firmou contrato com 16 agricultores para o fornecimento de merenda escolar nas escolas municipais, pelos quais cada agricultor receberia em média R$ 18 mil por ano. Os agricultores afirmaram que não receberam os pagamentos. Luxo na internet Lidiane se tornou prefeita aos 22 anos, em 2012, depois que o namorado dela na época Beto Rocha, candidato a prefeito, teve a candidatura impugnada ao ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Ela assumiu o lugar dele e foi eleita. Depois que assumiu o cargo, Lidiane passou a compartilhar fotos da nova rotina nas redes sociais. Nos perfis pessoais, ela escreveu: "eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem. Beijinho no ombro pros recalcados". Em outro post, ela diz: "devia era comprar um carro mais luxuoso pq graças a Deus o dinheiro ta sobrando". Afastamentos A Justiça do Maranhão havia determinado o afastamento da prefeita pelo prazo de 180 dias em dezembro de 2014, com base no descumprimento da regularização das aulas e do fornecimento de merenda e de transporte escolar em Bom Jardim. Na ação, o Ministério Público do Estado afirma que Lidiane havia apresentado informações falsas a respeito das irregularidades, mas as informações acabaram desmentidas por meio de denúncias dos próprios moradores da cidade. A gestora também já havia sido citada pela Justiça por má conduta no início de 2014, quando foi deferida liminar, a pedido do MP-MA, para declarar a ilegalidade de decreto municipal que tornou nulas as nomeações dos excedentes do concurso público homologado em novembro de 2011 Por G1
Comentar
Compartilhe
Morar Feliz, nem " Títulos de Posse", nem escritura...
24/08/2015 | 12h11
As ações da prefeitura de Campos, todas,  sem exceção tem um fundinho de intenção politiqueira.    Só não vê , quem não quer !     A máquina não para de produzir  " factóides "  e a mídia oficial e oficiosa, azeitada e abastada  a espalhar os feitos, como se a descoberta da pólvora fosse.    Perdem a noção e limites,  quando socializam meias "verdades" ou,  inverdades intencionadas. Como evidencia do fato, um um enorme banner veiculado  em um dos sites de notícias ,  onde por um clique,  seguimos direcionados para o site do [caption id="attachment_8842" align="alignleft" width="175"]Informes da entrega de "títulos de posse"... Informes da entrega de "títulos de posse"...[/caption] vereador Mauro Silva, oficiosamente lançado pré candidato pra 2016,  defendendo a bandeira de sua liderança maior e do atual governo municipal.     Divulgado ali,     a entrega de  " Títulos de posse" das casinhas, que sabemos, acontecem  em eventos intitulados "Viver Feliz",  títulos estes que alguns dos  discípulos mais eufóricos  alcunham de "Escrituras",  quando na verdade  entregam na mão do povo, pouco ou nada informado  um "Título de legitimação de posse", este  de  verdade  um  instituto jurídico criado quando da  Lei n. 11.977/2009,  também conhecida como Lei do Programa Federal Minha Casa Minha Vida, que passou a disciplinar, de forma bem completa, a regularização fundiária de assentamentos urbanos. Cumpre informar que:    o prazo legal para a regularização fundiária e da posse  definitiva,  passará a contar a partir da data da outorga do título de de legitimação, desprezando o período anterior de ocupação.    Também que,   será necessário  atender a outras condicionantes e,  o cumprimento de exigências legais. Resumindo o caso:  é muito importante o que se faz , desde que faça com a exigida  atenção e obediência ao  legal, e mais que tudo: dê ao povo  a necessária e completa informação daquilo que eles estão recebendo do político,  do que de verdade tem em suas  mãos.   Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Sobre suposto calote da PMCG na Vital Engenharia...
24/08/2015 | 01h29
No prego Neste 12 de Agosto, foram transferidos dos cofres do tesouro municipal de Campos dos Goytacazes para as contas da Vital Engenharia/Queiroz Galvão,  R$ 6.083.625,84 ( seis milhões, oitenta e três mil, seiscentos e vinte e cinco Reais e oitenta e quatro centavos), referentes a  Março/2015 por serviços de limpeza pública.   Obviamente  o pagamento inclui: serviços de  manutenção e limpeza de vias públicas, coleta de resíduos sólidos, reciclagem e destinação dos mesmos.   Como estamos em Agosto/2015,  hoje teríamos apenas cinco meses  de serviços prestados a cidade pela empresa Vital , sem o devido pagamento ter sido feito pela prefeita Rosinha.   Fiz esta conta pro meu "alter ego" aqui, e ele me mandou esta:  "vá lá  Armandão,  releve,   mais amor neste coração,   não deve ser isto tudo, e se for;  que mané calote, que atraso que nada; isso é um cisco no olho, apenas uma  bagatela de 30 milhões "pendurados no prego" da poderosa empresa Vital Engenharia/Queiroz Galvão...... Prática comum Sinceramente me preocupo, o valor devido acumulado, agigantado, se transforma numa poderosa ferramenta de barganha. Serviço essencial, centenas devital funcionários, mobilização política acontecendo por todo lado. Eita sô !   Conhecendo os históricos, multiplicam-se as  preocupações.     No mais, sugiro que façam vocês, caros amigos,  suas próprias contas e  conclusões, ponham na  "ponta do lápis", os custos e  o enorme  sacrifício na manutenção destes serviços, que são essenciais  pela empresa contratada pela PMCG, sobre a pressão de funcionários insatisfeitos.    Tem que ser forte no arreio e nã o se apavorar, até porque    nem mesmo parece se tratar de calote;  o que se mostra é    um atraso natural de pagamentos a serviços essenciais,     prática comum em administrações municipais de eficiência duvidosa e cujos interesses políticos   e de  realizações pessoais,   são colocados pelos seus líderes  e conchavados agentes fiscalizadores(vereadores),  acima das necessidades  da população e das obrigatórias  atenções ao bem comum.    Esta reincidente incompetência é com certeza vergonhosa,  mas  absolutamente não é privilégio do povo campista.     Nos municípios vizinhos a coisa também está neste baixo nível.   Ou não?   Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Pesquisa INFORMA com dados de Campos - Coluna Comentários 21-08-2015
21/08/2015 | 12h33
[caption id="attachment_8832" align="aligncenter" width="599"]CLIQUE NA IMAGEM PARA MELHOR VISUALIZAR CLIQUE NA IMAGEM PARA MELHOR VISUALIZAR[/caption]
Comentar
Compartilhe
Recomenda-se não caminhar ao lado de...
20/08/2015 | 06h14
Números não mentem ! O que mais é importante nos algébricos resultados de rejeição, das enquetes e pesquisas de opinião, não são a magnitude dos números; o que encanta aos analistas eleitorais, alerta aos intentores eleitorais e sinalizam aos possíveis aliados e até aos  eleitores mais atentos,   são as mensagens subliminares dos dados implícitos. Índices de rejeição, são   um exemplo:   eles são quase impossíveis de serem revertidos.  São legados de um histórico de uma  vida pública,  onde as  ações negativas, desvios de ética, de moral,  de conduta e até de erário estão ali, sinalizados, pontuados negativamente.   Os donos destes ônus,  por mais vestidos de dourado que se apresentem aos olhos do público,   nesta situação inseridos como  atores eleitorais,  trazem junto a negatividade de  sua  vida  pregressa,   de iniquidades  ou de  concordância cega,  e até de endosso  as perversões de  seus párias corrompidos,  as manchas  adquiridas  em  suas antigas alianças, lhes deixam sem máscaras, de cara suja. As verdades nos números de rejeição de alguns pretendentes a cargos públicos, aconselham e indicam em todas as suas letras:    ' sejam prudentes,  não caminhem ao lado dele '. Por Zé Armando Barreto perfil @ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Denúncia de esquema e favorecimento a instituições financeiras durante discussão na câmara(17/08)
17/08/2015 | 15h49
[caption id="" align="alignright" width="402"] Rafael Diniz apresentou emenda pedindo transparência no processo do empréstimo internacional pretendido pela prefeitura[/caption] Uma denúncia  de extrema gravidade  foi feita  a pouco, na câmara de vereadores de Campos, durante a discussão de emenda apresentada pelo vereador Rafael Diniz ao decreto da venda do futuro de Campos.    Foi  denunciada e com provas feitas por apresentação de cópias de emails entre funcionários da prefeitura e agentes financeiros;   existir em andamento,  "esquema"  de  favorecimento a instituições e,  em nosso entendimento   talvez,  até a pessoas,  na captação de recursos  internacionais pretendida pela prefeitura de Campos dos Goytacazes.   Um destaque;  a  sugestão do agente financeiro,  de que uma lei municipal seja preparada para criar as condições ideais para a transação e a garantia de que os ajustes feitos entres as partes serão respeitados.  "  Para um bom entendedor, um pingo é letra".   Não parece haver  nenhuma outra situação que não seja uma imediata provocação a organismos federais, para a  imediata e necessária intervenção neste seguimento do   município.      O Tesouro Nacional já se pronunciou desfavorável a novas  transações com recursos internacionais para estados e municípios.   A insistência nesta forma de captação, parece ter agora uma razão evidente de acontecer.   A denúncia precisa ser levada adiante e com celeridade.  Caso seja realmente comprovada: aos culpados,  a punição. Campos vive de novo a situação de absoluta incerteza, uma gestão questionada, com ações sendo postas em dúvida, além de ter a  prefeita Rosinha cassada e  governando por força de liminar,  junta se a isto,  a total  incerteza  econômica,  em parte  causada pela queda da arrecadação, lastreada em royalties, na  evidente  desqualificação administrativa e na eminência de uma queda da  liminar que garante hoje,  o recebimento mensal de royalties pelos municípios. O cenário não é nada agradável, onde apenas o governos e os governistas veem positividade. O povo rejeita a captação destes "empréstimos", na proporção de: nove contra pra um a favor. Atualização ás 16: 20.    Ao final da discussão; a emenda foi rejeitada como todos os votos favoráveis da bancada da oposição, hoje aumentada com as  duas recentes recuperações para a base do governo; o  s vereadores Albetinho e Magal.   Numa rápida análise nos últimos diários oficiais do município, mostram que estas reaquisições, não foram nada de graça.  Resta saber se estes aliados renomeados vão trabalhar realmente ou apenas arrecadar para os seus "Misters"   Por  Zé Armando Barreto perfil@ArMando Barreto
Comentar
Compartilhe
Funcionários da Vital Engenharia prestam serviço político para Prefeitura de Campos, invadindo a Câmara de Vereadores.
17/08/2015 | 10h29
Neste  momento lugares que seriam destinados ao povo de Campos dos Goytacazes estão tomados por funcionários da limpeza pública  que deveriam estar em serviço.  A estratégia se presta a exatamente isso deixar o povo de Campos mais uma vez a mercê da vontade de empreiteiras e seus interesses. A ordem, segundo um dos funcionários partiu da direção do "chefe",   que os mandou parar o serviço e se dirigir para a Câmara.    Ainda segundo o mesmo, alguns , nem mesmo são funcionários, os uniformes lhes foram entregues com o pagamento para participar da ação na câmara.    A Vital Engenharia é a  empresa que faz a coleta e a limpeza Urbana em Campos dos Goytacazes.   [caption id="attachment_8814" align="aligncenter" width="599"]Funcionários receberam ordem de deixa o serviço de limpeza nas ruas e seguir para câmara de Campos Funcionários receberam ordem de deixar  o serviço de limpeza nas ruas e seguir para câmara de Campos[/caption]   [gallery size="medium" ids="8819,8818,8814"] Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto    
Comentar
Compartilhe
Morre Farith Mansur...
16/08/2015 | 12h02
Farith foi encontrado caído,  no banheiro da casa da fazenda  pelo Sr. Gilberto, zelador de sua  fazenda em Maguinhos, São Francisco de Itabapoana. Por volta das 8 horas deste domingo(16/08), segundo Gilberto, o fazendeiro Farith Adolpho Mansur Saleme Eyer,  como sempre fazia,    na noite de sábado saiu para um bate papo com com os amigos na Praia de Manguinhos.  Retornou para casa a seguir para sede da fazenda
Ainda segundo o  Sr.  Gilberto, zelador da  propriedade,  foi um grande susto encontrar o Faridinho como era carinhosamente chamado pelos amigos,  caído e aparentemente já sem vida.  Era um excelente patrão e muito querido em  por toda São Francisco, vamos sentir muita falta dele.
O Blog está buscando  maiores informações sobre local e horário  do sepultamento, que deverá acontecer em Campos.  Faridinho deixa dois filhos e viúva.
Atualização ás 18:33 hs
Em conversa a poucos instantes com nosso amigo  comum e vizinho de Farith em Manguinhos, Luis da Fazenda,  tivemos a informação que só no início da noite o corpo foi recolhido ao IML de Campos dos Goytacazes. Fizemos  contato com a perícia técnica e estamos aguardando mais informações.   
Atualização ás 20:21 hs.
Acabamos de receber nova informação  da polícia técnica, informando que o corpo já está liberado e será encaminhado para  a  Capela Mortuária do Cemitério do Cajú.    Foi confimado , enfarto como a causa da morte.
[caption id="" align="aligncenter" width="598"] A Praia de Manguinhos SFI, amanheceu mais triste o dia de hoje Fotos: Arthur Gomes / Julio Cezar[/caption]   Por Zé Armando Barreto
perfilArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Ministério da Fazenda suspende análise de empréstimos internacionais.
15/08/2015 | 00h00
Tesouro Nacional recomenda que estados e municípios não tomem empréstimos externos O Tesouro Nacional recomendou que os estados e os municípios não contraiam novos empréstimos no exterior. O pedido foi feito na reunião da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), órgão vinculado ao Ministério do Planejamento e encarregado de liberar os financiamentos de organismos internacionais a governos locais. Em nota, o Tesouro informou que os pedidos podem voltar a ser discutidos em reuniões futuras. Segundo o órgão, as operações de crédito dos estados e dos municípios com instituições multilaterais, como o Bancos Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento, cresceram muito nos últimos anos e ampliaram o endividamento dos governos locais. “Ao propor tal encaminhamento, a STN [Secretaria do Tesouro Nacional] está cumprindo sua missão, que é gerir as contas públicas de forma eficiente e transparente, zelando pelo equilíbrio fiscal e pela qualidade do gasto público, com vistas a contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável”, informou o Tesouro Nacional em comunicado. De 2011 a 2014, ressaltou o Tesouro, a Cofiex liberou R$ 44,9 bilhões em financiamentos externos para os estados. Os números para os municípios não foram divulgados. Desse total, R$ 3,5 bilhões foram liberados em 2011, R$ 16,2 bilhões em 2012, R$ 16,4 bilhões em 2013 e R$ 8,8 bilhões em 2014. Essas operações têm garantia da União, com o Tesouro Nacional assumindo a dívida em caso de calote. Segundo o Tesouro, as mudanças no ambiente econômico, inclusive os recentes rebaixamentos da nota de crédito do Brasil pelas agências de classificação de risco, forçaram o governo federal a reavaliar a política de garantias da União e a revisar a expansão da dívida dos estados e dos municípios. Essas operações de crédito têm impacto na dívida bruta do Governo Geral e na dívida externa do setor público, indicadores divulgados pelo Banco Central. O encarecimento dos juros de algumas operações, informou o Tesouro, também interferiu na decisão de não recomendar a concessão de novos financiamentos. De acordo com o comunicado, o Tesouro tem levantado informações sobre o endividamento dos estados e dos municípios, que incluem o detalhamento de riscos, o impacto sobre o resultado primário (economia para pagar os juros da dívida pública) e a qualidade da dívida pública brasileira nos próximos anos.   Fonte EBC
Comentar
Compartilhe
"Covardia" Coluna Comentários 14082015
14/08/2015 | 12h24
Comentários 14082015
Comentar
Compartilhe
Erik Schunck deixa PSol pelo PPS
13/08/2015 | 12h17
Acabamos de receber por Wats App,  a notícia já está sendo compartilhada nas redes sociais. Erik Schunk em 2012 foi candidato a prefeito de Campos,  em 2014 veio a  Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo Partido Socialismo e Liberdade e não foi eleito.  Obteve 6.649 votos. Vale conferir ouvir e entender os motivos do  Dr. Erik  Schunk  deixar a presidência do PSol e se filiar ao  PPS.   Uma visão simplista do cenário político atual,  é  a de que os bons nomes, principalmente os que vem credenciado por condução digna,  e de não alinhamento ou  envolvimento com os desarranjos dos três últimos governos instalados em Campos dos Goytacazes estão buscando ambientes partidários que lhes proporcionem  manter-se nesta direção. O PPS,  tem demonstrado por postura e exemplos ser este ambiente ideal.   Um exemplo claro,  a conduta  decente  e totalmente avessa  às falcatruas e desacertos administrativos  do governo municipal atual,  de  seu  representante na Câmara, vereador  Rafael Diniz. Folder encaminhado ao Wats App. eRIK NO pps    Errata:  O Dr. Erik Schunk hoje estava  secretário geral do PSOL Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto  
Comentar
Compartilhe
Dia mundial do Manguezal "VIVA A VIDA MANGUEZAL".
11/08/2015 | 12h32
O Mar do Rio de Janeiro, o Rio Paraíba do Sul de todo o Sudeste, a Barra de Atafona e da minha Gargaú;  o homem impotente e à mercê de suas ações e atitudes,  inerte e refém da resposta da natureza. Tem tempo, mas tem que ter a vontade coletiva de recuperar o que foi magoado e conservar o que temos do presente divino que nos foi dado. Viva a vida Manguezal... Por Zé Armando Barreto [embed]https://youtu.be/vP0kchO94Aw[/embed] perfil@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Neco em dificuldades para 2016, aponta instituto "INFORMA".
10/08/2015 | 19h03
[caption id="attachment_8783" align="aligncenter" width="597"]Print do Portal OZK- Notícias de São João da Barra  e região. Print do Portal OZK- Notícias de São João da Barra e região.[/caption]
Comentar
Compartilhe
Bomba à vista.... Coluna Comentários 08.08.2015
08/08/2015 | 18h07
[caption id="attachment_8775" align="aligncenter" width="597"]CLIQUE NA COLUNA PARA MELHOR VISUALIZAR CLIQUE NA COLUNA PARA MELHOR VISUALIZAR[/caption]
Comentar
Compartilhe
Governo Neco tem reprovação de 66% em São João da Barra, aponta pesquisa
08/08/2015 | 14h27
Uma pesquisa divulgada neste sábado (08), realizada na cidade de São João da Barra no início do mês de agosto, aponta um índice de reprovação altíssima do Prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB). De acordo a pesquisa do conceituado Instituto Informa, do Grupo Informa, o Prefeito de São João da Barra tem 66.1% de reprovação de governo, já os que aprovam somam 18.1%. Para 71.4% da população de São João da Barra o Prefeito Neco não tem competência para governar/administrar. Já 10.7% da população acredita que ele tem competência e 17.9% acredita que ele tem pouca competência. Os munícipes sanjoanenses pouco confiam no Prefeito Neco. 73.1% diz não confiar no Prefeito Neco, 15.4% diz confiar pouco em Neco e apenas 11.5% confiam no atual Prefeito. Sobre a questão do Cartão Cidadão, feita pelo Prefeito Neco, a população acredita que foi ele mesmo o culpado pelo corte do benefício. A questão foi espontânea, ou seja, os entrevistados poderiam citar qualquer um que ela julgasse culpado ou culpada pelo corte do Cartão Cidadão em São João da Barra. Neco aparece em primeiro como real culpado do corte do benefício com 68.1% (Neco e Prefeitura de São João da Barra). Já o Presidente da Câmara de Vereadores, Aluízio Siqueira, aparece com 3.2% e a Câmara no geral aparece com 2,4% da culpa. Até a Presidente Dilma Rousseff foi citada e a crise no país também. Sobre o empréstimo que o Prefeito Neco deseja contrair, resguardado por uma resolução do Senado, na casa dos cem milhões de reais com juros - segundo Aluízio Siqueira - exorbitantes, a população em sua maioria é contra. A pesquisa mostra que 72.5% dos munícipes são contra a operação financeira desejada por Neco. Apenas 10.6% aprovam o empréstimo e 15.7% são indiferentes. Sobre este assunto, 1.2% preferiram não responder. Fonte: Portal OZK Por Zé Armando Barreto Perfil 4@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Dilma reúne-se domingo com Temer e ministros da coordenação política
08/08/2015 | 12h51
A presidenta Dilma Rousseff marcou para este domingo (9) à noite a reunião de coordenação política. O encontro, que costuma ocorrer todas as segundas-feiras, desta vez foi adiantado em decorrência da viagem que Dilma fará segunda-feira (10) a São Luís. A reunião está marcada para as 19h, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. Além do vice-presidente Michel Temer, participam ministros do governo de diferentes partidos, como tradicionalmente ocorre nas reuniões semanais promovidas pela presidenta.
Fonte EBC
Comentar
Compartilhe
Pesca esportiva ganhará regras modernas em Serra da Mesa
07/08/2015 | 17h45
Pesca esportiva Serra da Mesa Medida garante a preservação ambiental e era reivindicação do setor Brasília – O lago formado pela barragem da Usina Serra da Mesa, em Goiás, terá regras modernas que garantirão a prática da pesca esportiva. Os Ministérios da Pesca e Aquicultura (MPA) e do Meio Ambiente (MMA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) vão editar instrução normativa interministerial disciplinando as duas atividades. “A Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe), assim como resto do setor, pleiteava esse ordenamento desde 2012. A falta de regras específicas praticamente impossibilitava o desenvolvimento da pesca amadora na região”, explicou o secretário de Planejamento e Ordenamento da Pesca (Sepop/MPA), Fábio Hazin. Ele acrescentou que a pesca esportiva motivou a criação do ordenamento para a pesca amadora. No lago de Serra da Mesa não é permitida a pesca comercial – aquela em que o pescador comercializa o peixe capturado – e isso dificultava a prática. Se não houvesse um ordenamento, muitos profissionais da cadeia produtiva da pesca amadora no país ficariam prejudicados. Cabe ressaltar que em Serra da Mesa a pesca amadora constitui um dos principais meios de vida, assegurando trabalho e renda para operadores de turismo de pesca, condPesca esportiva Serra da Mesa 1utores de turismo de pesca amadora e grande número de pessoas que habitam nas comunidades próximas ao local. A medida mantém a proibição à comercialização e o transporte de espécies capturadas no lago. Porém, permite a pesca de tucunarés exclusivamente no sistema pesque e solte. Além disso, possibilita o consumo de um peixe para cada pescador. “A norma também estabelece, dependendo da espécie, um tamanho máximo do peixe que pode ser capturado para consumo”, acrescenta Fábio Hazin. No período de defeso fica proibida a realização de competições e torneios de pesca amadora, e o pescador amador em atividade de pesca deve portar documento de identificação pessoal e a licença, excetuando-se os casos de dispensa previstos em lei “A publicação desta instrução normativa marcará novo momento para a pesca amadora e esportiva no Brasil”, finalizou o secretário. Texto: Da redação Fotos: Kelven Stella Lopes Siga-nos: www.mpa.gov.br/redessociais
Comentar
Compartilhe
Sem transporte rural para alunos do EJA
07/08/2015 | 12h48
As empresas que fazem o transporte de alunos jovens e adultos, matriculados em escolas no município  interrompem o serviço até que os pagamentos sejam restabelecidos. .  O recurso é repassado direto para as associações de educando das escolas,  que segundo informações das diretoras,  não acontecem desde Fevereiro.  Mais de 100 alunos do curso noturno de  alfabetização da região rural do Imbé estão impossibilitado de frequentar as aulas. Onde estaria a "Pátria Educadora", da propaganda oficial.   por Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
El abismo bajo el pie izquierdo
07/08/2015 | 06h39
Um lugar certo, na hora certa e fazer a coisa certa, por mais dolorosa que possa ser. La movilización es la derecha, es quien tiene el poder económico, exactamente quién corrompe y los malos tratos.  Así es, el dinero es la compra, usted ha visto una pequeña charla seduzca "autoridad"?  Sin embargo, aunque,  este es uno de esos momentos en la vida que sirve un paso detrás de la supervivencia de la especie. El PT tiene que dar un paso atrás. El abismo no es el futuro, la brecha es ahora por debajo del pie izquierdo. El grito es: compañeros de retiro Por Zé Armando Barreto
Comentar
Compartilhe
Secretários de saúde Humberto Jr e Dr. Chicão em Brasília
06/08/2015 | 12h33
[caption id="attachment_8750" align="alignleft" width="340"]Humberto Chaves Dias Júnior - Secretario de Cardoso Moreira, Francisco Oliveira(Dr Chicão) - Secretário de Campos dos Goytacazes,  Adriano -  Secretário de Macuco,  Tereza - Secretária de Silva Jardim, Daniel Soranz Secretário do Rio de Janeiro, Denise - Secretária de São João da Barra e Marcela - Cosems RJ e . Humberto   Chaves    Dias    Júnior    -   Secretario   de  Cardoso Moreira, Francisco  Oliveira(Dr Chicão)  -  Secretário de Campos dos Goytacazes, Adriano - Secretário de Macuco,      Tereza - Secretária de Silva Jardim, Daniel Soranz  -  Secretário  do  Rio de Janeiro,     Denise - Secretária de São João da Barra e       Marcela - Cosems RJ e .[/caption] Esta interação entre secretários de saúde é com certeza uma estratégia ideal na troca de conhecimento, compartilhamento de informações das experiências e de práticas eficientes que os gestores vem aplicando em seus municípios. Informação é tudo Também, e isso é nossa opinião, para que se esclareça as dúvidas de relacionamento institucional.  Está oportunizando no encontro, o ambiente ideal para que se faça necessários informes e,    que se sanem eventuais dúvidas.   Num exemplo claro:  poderia o secretário de Cardoso Moreira, Humberto Junior,    levar ao conhecimento do Dr. Chicão, secretário de Campos, dos valores de recursos orientados para a saúde de Cardoso Moreira, valores estes que são repassados pelo estado, diretamente ao FMS_Fundo Municipal de Saúde de Campos, para atender aos pacientes destinados de Cardoso Moreira, na atenção a média e alta complexidade hospitalar. Estes valores , que não são pequenos estão ajustados em conselho estadual, atendendo as orientações da PPI_Programação Pactuada e Integrada.  Esta situação se aplica ou qualquer outro secretário daqui da região presente ao congresso, citei o senhor Humberto por estar na foto acima , publicada no Facebook. No vídeo ao final do artigo tem informações sobre PPI. A culpa é do vizinho Este diálogo entre secretários, com certeza evitaria que a cada problema ou denúncia contra "equívocos na atenção a saúde" e, de atendimentos ruins dos hospitais de Campos, aconteçam uma avalanche de acusações, falsas é verdade, contra Cardoso e contra os demais municípios de menor população. Dizem assim: " os municípios ao nosso redor(normalmente nominam os vizinhos), só fazem entulhar os hospitais de Campos com doentes que deveriam ser tratados por lá, e sem nenhuma compensação. Campos paga toda esta despesa, por isso não consegue atender bem a sua população". Essas sandices e mentiras são ditas nas mídias controladas e rádios, inclusive nas oficiosas, sempre que um cidadão campista reclama de ter sido, ele ou um parente mal ou não atendido pela sistema de saúde em Campos dos Goytacazes.   Fazemos a sugestão aos nossos caros amigos e leitores sempre ávidos por informação, que assistam ao vídeo abaixo. Afinal a informação é grande canal para extirpar as doenças do mundo, inclusive os males da política e da sociedade como um todo. Pacto pela Saúde, pela Vida, em Defesa do SUS e da Gestão - 2006 Publicado em 27 de set de 2013 "Esse é um vídeo que apresenta O Pacto pela Saúde 2006, e as mudanças que o mesmo trouxe ao SUS. Embora o Decreto 7508 tenha aprimorado muitos pontos que o Pacto definiu, o Pacto pela Saúde 2006" [embed]https://www.youtube.com/watch?v=cRtqixwU7I4[/embed] Vídeo do YOUTUBE Correção: Recebemos a informação que o Sr. Adriano é  na realidade  Secretário de Saúde de Levy Gasparin.  Está feita aqui a correção. Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarreto  
Comentar
Compartilhe
As moedinhas os "NOS" leva embora...
06/08/2015 | 00h01
Não é difícil entender a "pluralidade restrita" dos garotinhos.  Simples assim: ameaçou feder ou, fedeu de verdade, lá vem uma nova mobilização  voluntária de DAS e aquela correria pra contratar e nomear as  conhecidas "lideranças" locais.  Inventam programas, pajelanças e cursinhos de" politiquês".  No  agora,  andam dizendo que é melhor cuidar dos "NOS". Desta vez porém a coisa descambou pra pilhéria, pro deboche  popular.  Mais cedo no terminal urbano um vendedor de picolé gritava:  " chupa meu povo, chupa que é de uva, e aproveita  as moedinhas que tá  no bolso, porque se não gastar logo,  os "NOS" qué  levá  imbora"... E "NOS" é quem?    
Comentar
Compartilhe
A UENF é 10 ...
04/08/2015 | 22h01
[caption id="" align="alignleft" width="296"] Prof. Luíz Passoni e Prof. Tereza Peixoto[/caption] Encerrada  a poucos instantes a eleição para a Reitoria da Universidade Estadual  Norte Fluminense. A chapa de oposição foi vencedora, à  frente da UENF pelos próximos anos estarão o  Prof. Luís Passoni e Professora Thereza Peixoto.    A festa é muito grande no Campus, a vitória é comemorada entusiasticamente por parte dos estudantes. Comandar uma estrutura acadêmica referência e com o porte da UENF não é uma tarefa fácil e nem simples.  Missão  árdua espera os novos gestores da maior instituição acadêmica do  interior do estado do Rio de Janeiro.   Passoni e Tereza, venceram com a proposta de confrontar o passado e decidir o futuro: " queremos construir  o futuro da UENF.  Vamos deixar no passado as práticas que provocaram a divisão e o desânimo;  nossa proposta é união, solidariedade, respeito pelo estatuto, regimentos, colegiados e, principalmente, pelos colegas".
O que vem pela frente é sempre muito trabalho. Boa sorte ao eleitos...     Por Zé Armando Barreto Perfil 4@ArMandoBarreto
Comentar
Compartilhe
Jordy: PT traiu populações do Xingu ao receber propina de empreiteiras de Belo Monte
04/08/2015 | 19h03
[caption id="" align="alignright" width="364"]Jordy: PT traiu populações do Xingu ao receber propina de empreiteiras de Belo Monte Arnaldo Jordy: Foi uma punhalada nas costas da população Foto: Robson Gonçalves[/caption] O vice-líder do PPS na Câmara, deputado Arnaldo Jordy (PA), classificou de “punhalada com um punhal enferrujado nas costas das populações ribeirinhas, indígenas e de trabalhadores rurais” a atitude do PT de receber propina das empreiteiras que constroem a usina de Belo Monte, enquanto as condicionantes que minorariam os efeitos deletérios da obra não são cumpridas.
O empresário Milton Pascowitch, preso pela operação Lava Jato, declarou ter pago propina de mais de R$ 532 em dinheiro vivo ao PT. Quem desembolsou o dinheiro foi a empreiteira Engevix, que faz parte do consórcio de Belo Monte.“É lamentável que o PT, que ficou a vida inteira se dizendo defensor dos interesses dos desprotegidos da sociedade, esteja sorrindo esse sorriso generoso, caridoso de propina para as grandes empreiteiras, deixando as populações que o partido jurou apoiar subjugadas pelos interesses que agora ele defende e privilegia”, disse o parlamentar. Traição “É uma traição. Não consigo ver de outra forma o favorecimento dessas grandes empresas em troca de propina. É mais um episódio do lamaçal em que o PT envolveu o Brasil e que prejudica de forma capital populações que acreditaram, outrora, que o PT pudesse fazer um governo comprometido com o interesse dos trabalhadores”, protestou o vice-líder do PPS. Jordy disse que a prática não o surpreende, pois esta é a segunda vez que um delator da operação Lava Jato informa sobre o repasse de dinheiro ao Partido dos Trabalhadores em troca de participação nas obras da usina no Pará. “Não é a primeira vez que um delator do esquema do petrolão denuncia que para obtenção de contratos com a maior obra do PAC – quase R$ 40 bilhões – a negociação se deu à base de propina. Dalton Avancini, presidente da Camargo Corrêa, também afirmou que teve de pagar R$ 51 milhões para o PT e R$ 51 milhões pata o PMDB para conseguir 16% de participação nos contratos de Belonte”, lembrou o deputado. Jordy disse que é lamentável que venha ocorrendo o pagamento de propina, enquanto o cumprimento das condicionantes, que protegem populações ribeirinhas, indígenas, pequenos produtores rurais não foram cumpridas e quase 70% da obra já estão prontos. Segundo o parlamentar, a licença para funcionamento está para ser liberada. “Não tem 30% sequer das condicionantes cumpridas”, informou. O deputado contou que realizou uma reunião em Belém com a presidente do Ibama, Marilene Ramos, a representante das populações indígenas, Socorro Arara, representantes do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública da União, do ISA (Instituto Socioambiental) e do Movimento Xingu Vivo, que é um conjunto de organizações do qual fazem parte mais de 30 entidades. “Os efeitos colaterais dessa usina são deletérios, realmente prejudiciais aos interesses dessas populações. As condicionantes são previsões contratuais para amenizar os impactos ambientais e sociais da obra. Em qualquer país civilizado do mundo isso acontece antes de a obra ser iniciada, mas aqui ela já está para ser concluída e nada”, disse Jordy. O deputado declarou esperar que “com esse constrangimento moral” o Ibama não libere a licença de funcionamento para a usina de Belo Monte antes que as condicionantes definidas em contrato sejam totalmente cumpridas. Por: Valéria de Oliveira Site Portal PPS
Comentar
Compartilhe
Uma contribuição argumentativa para a discussão sobre a recomposição das receitas públicas na rota do petróleo fluminense
03/08/2015 | 23h48
Alcimar das Chagas Ribeiro (economista, D. Sc., pequisador da UENF); Claudio de Carvalho Marouvo (economista , Ms. Sc.)
A proposta relativa à operação financeira para recomposição das receitas dos municípios produtores de petróleo, aprovada pelo Congresso Nacional, e com franca discussão em Campos dos Goytacazes, precisa de justificativas técnicas e não políticas para a viabilidade de sua implementação. O argumento dos interessados na engenharia financeira é simplista, quando afirmam que não se trata de vender o futuro do município. Afirmam que a emissão de títulos públicos lastreados em royalties na bolsa de Nova York não trará implicações negativas para o próximo governante, além de não gerar dificuldades de caixa, já que o comprometimento é de somente 10% da arrecadação futura. Ainda como benefício os municípios em crise financeira, por conta da queda do preço internacional do petróleo, poderão evitar a paralisação de serviços importantes nas áreas de saúde, educação, saneamento, transporte, dentre outras, que estão sob o risco de suspensão.
Especificamente sobre a operação financeira, a mídia tem divulgado a necessidade de recomposição das receitas para equilíbrio das contas do município, numa perspectiva em torno de R$1,0 bilhão em 2015. Neste caso é importante entender que o uso de poupança de terceiros (empréstimos) implica na absorção de custos (juros) que variam segundo o grau de confiança do tomador (Município de Campos). Neste caso o país passa por dificuldades, já que teve o seu grau de investimento reduzido da perspectiva estável para negativa pela agência Standard & Poor's (S&P). Nas últimas semanas, o país tem sofrido com a fuga de investidores de seus ativos, fato definidor da perda do selo de bom pagador. Por outro lado, é real a fuga dos investidores dos mercados emergentes em direção aos países ricos e o Brasil é o que mais sofre entre os emergentes. Assim, a expectativa de alto deságio no valor de face dos títulos públicos dos municípios representará, de fato, um custo muito elevado que cairá sobre os ombros dos munícipes e que deverá ser pago pelo próximo governo. Uma segunda questão que merece ser tratada é relativa ao descontrole das contas públicas, em função da queda do preço internacional do petróleo. Segundo os gestores públicos, eles foram surpreendidos com a queda abrupta da transferência das rendas de petróleo, o que implicou na descontinuidade de contratos fundamentais em favor da população. Base da justificativa para a recomposição da receita orçamentária. Neste caso, é importante lembrar que a Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar nº 101 - 04/05/2000) foi flexibilizada, permitindo a antecipação de receitas futuras por conta da crise econômica. Entretanto, as regras orientadoras do equilíbrio das contas públicas, a exemplo do planejamento, envolvendo as receitas e as despesas, estão mantidas. É obrigação do gestor público, manter um padrão de excelência no planejamento fiscal em cada exercício. Ai está o grande gargalo! Técnicas de planejamento parecem não fazer parte do "cardápio" da gestão pública municipal. Em uma avaliação temporal, podemos observar que as transferências de renda do petróleo para o caixa do município de Campos dos Goytacazes vêm caindo desde 2013. Nesse ano, a receita retraiu 2,55% em relação ao ano anterior e em 2014 a queda foi de 1,79% em relação a 2013. No contexto da conjuntura macroeconômica, os fundamentos também vêm se deteriorando há alguns anos, em função da recessão mundial, posterior à crise americana de 2008. O saldo da Balança Comercial saiu de US$40,0 bilhões superavitário em 2007, para US$3,9 bilhões deficitário em 2014. No primeiro semestre de 2015 o saldo foi superavitário em US$4,5 bilhões. Outro aspecto importante e responsável pelo enfraquecimento da conjuntura nacional foi a deterioração dos preços das commodities no mercado internacional. O preço do minério de ferro se desvalorizou em 64,2% em junho de 2015 em relação a junho de 2012, enquanto o preço do açúcar desvalorizou 39,5% no mesmo período. Consequentemente, vimos desacelerar fortemente a geração de emprego. Em 2010 o país gerou um saldo de 2,1 milhões de empregos, enquanto o Rio de Janeiro gerou um saldo de 190,6 mil empregos. Em 2014 o país gerou um saldo de 152,7 mil empregos e o Rio de Janeiro gerou um saldo de 34,7 mil empregos. No primeiro semestre de 2015 o saldo foi negativo. Ou seja, o País eliminou 389,5 mil empregos, enquanto o Rio de Janeiro eliminou 80,0 mil empregos. Fica evidente, portanto, que a crise não aconteceu de repente. A mesma vem se desenrolando em um processo, cujo marco fundamental é a crise financeira nos Estados Unidos no final de 2007. Neste caso, os gestores públicos que projetam os seus gastos em função da previsão de receitas futuras, deveriam com cautela ir ajustando as suas contas. Contrariamente, imaginaram que o crescimento das receitas de royalties estaria garantido e não mediram esforços em ampliar a estrutura pública, com terceirização de contratos de toda natureza e uma grande pitada de ineficiência na gestão dos recursos oriundos de transferência constitucional. Como evidências claras da presente situação, basta um exame sobre alguns indicadores econômicos internos ao município. Por exemplo, o município tinha uma participação de 2,27% no total do emprego do estado em 2004, a qual caiu para 2,14% em 2013. Em relação ao Valor Adicionado Fiscal, indicador de dinâmica econômica municipal, o município apresentou uma participação de 3,11% do valor total do estado em 2004, evoluindo levemente para 3,22% quase dez anos depois, mesmo na condição de produtor de petróleo e com um orçamento na casa R$2,4 bilhões em 2014. A renda média do trabalho assalariado no município está em torno de 2,5 salários mínimos, caracterizando uma forte concentração. O relatório da RAIS de 2013 mostra que 36,34% da renda do trabalho estão concentrados no setor de administração pública e 27,56% no setor de serviços. Se considerarmos ainda o comércio com 18,24%, podemos afirmar que 82,14% da renda do salário no município são oriundos de atividades não industriais, com baixo padrão de conhecimento e, consequentemente, baixos salários. O setor industrial é responsável somente por 6,53% da renda, representando um grande problema, já que a indústria de transformação gera riqueza e estrutura cadeias produtivas essenciais para a dinâmica do setor econômico. Como podemos observar não se evidenciou uma preocupação dos gestores públicos com o planejamento de médio e longo prazos. Os resultados da crise econômica foram se materializando no tempo e não de repente. Nesse caso, faltou eficiência na leitura da conjuntura econômica nacional e sobraram iniciativas populistas e absorvedoras de grandes volumes de recursos alocados no curto prazo, já que a taxa média de investimento, considerando somente os recursos de royalties e participações especiais, no período de 2007 a 2013, se situaram no nível de 31,53%, sendo o restante de 68,47% gastos em custeio. Assim, de acordo com a presente contextualização, reafirmamos que a alternativa à crise deveria ser canalizada para o ajuste nas despesas. Uma melhor gestão orçamentária eliminaria algumas despesas não prioritárias, não necessitando da recomposição das receitas, via empréstimos, e que levará o município, mantida a tendência de estagnação da economia brasileira, a uma situação insustentável de liquidez para honrar seus compromissos nos próximos anos. Sobrará uma herança "maldita" para os próximos governos!  
[caption id="" align="aligncenter" width="600"] CLIQUE    (aqui)  PARA SITE ORIGINAL DO ARTIGO[/caption]
 

Conjuntura Econômica Fluminense | 2015

Todos os direitos reservados

Comentar
Compartilhe
PRB estadual também diz não a Garotinhos em Campos
03/08/2015 | 17h32
[caption id="attachment_8722" align="alignright" width="340"]Divulgação PRB Henrique Monforte em reunião do PRB na Câmara de Campos[/caption] Uma  reunião entre o  líder do grupo governista de Campos dos Goytacazes e o ex ministro da Pesca Eduardo Lopes, da executiva estadual do PRB,  definitivamente não teria tido  o resultado esperado pelo politico campista. De posse da informação,  buscamos  contato com o coordenador regional do PRB,  Henrique Monforte e, lhe questionamos sobre a suposta tentativa do  Sr. Anthony Garotinho, abraçar o partido por cima e ,  atropelar  a decisão do grupo local em seguir na oposição ao governo da prefeito Rosinha. Segundo afirmou o senhor Henrique, o  Garotinho,  teria ouvido o seguinte do Eduardo Lopes:     " Campos tem lideranças estabelecidas do partido,  que tem total autonomia sobre as decisões locais, temos o vereador Tô Contigo em uma situação bastante favorável,  para 2016, qualquer aliança passaria impreterivelmente por uma  discussão entre eu, que represento a executiva estadual e o Henrique ,  sem jamais  passar por sobre  os interesses e  decisões do PRB  municipal".    O que eu digo, como presidente do PRB em Campos e coordenador regional  do PRB, é que temos óbvia obediência hierárquica, mas nossos líderes nos respeitam como companheiros que somos e,   não desrespeitam nossas decisões internas. Temos sim,  a intenção de buscar alianças para lançar um candidato a prefeito do partido em Campos, nesta direção estamos caminhando.  O Garotinho precisa saber ter, pelo PRB de Campos,   este mesmo respeito.    Afirmou o presidente Henrique Monforte a este blogueiro.   SJB, SFI e Cardoso Moreira Ainda questionado dobre a situação de uma provável  candidatura própria em São João da Barra, respondeu  o  Henrique Monforte:  estamos conversando muito,   internamente,  talvez tenha havido uma precipitação de nossos companheiros por lá,  ainda é cedo pra decisões neste sentido em SJB, aproveitando o espaço; seria importante falar também sobre São Francisco e Cardoso Moreira; em SFI temos a princípio, um  diálogo com o prefeito Pedrinho,   a executiva estadual recebeu o deputado João Peixoto na sede,  no Rio de Janeiro para uma bate papo,  as coisas vão se definindo na medida em que alinhamentos e compromissos anteriormente feitos,  estejam sendo cumpridos.    Em Cardoso   temos  problemas sérios, a situação com o prefeito Gege Cantarino,  eleito pelo PRB   é de distanciamento, ele não dá ao partido a necessária atenção, tentamos em vão  ouvi-lo sobre as denúncias que vem acontecendo contra sua administração;  a intensão é apoiar se forem infundadas mas,  caso comprovadas,  as necessárias  medidas precisam ser  tomadas por esta coordenação regional.   O PRB tem uma conduta reta e séria,  cobramos probidade e moralidade de nossos membros,  estejam em qual posição  estiveram, a estância maior é o partido, cuja imagem precisa ser preservada. Finalizou Henrique Por Zé Armando Barreto perfil@ArMandoBarereto
Comentar
Compartilhe
Samba pra imolar Patrícia
02/08/2015 | 12h00
Enredo do Meu Samba Jorge Aragão Não entendi o enredo Desse samba amor Já desfilei na passarela do teu Coração Gastei a subvenção Do amor que você me entregou Passei pro segundo grupo e com razão Passei pro segundo grupo e com razão Não entendi Não entendi o enredo Desse samba amor Já desfilei na passarela do teu Coração Gastei a subvenção Do amor que você me entregou Passei pro segundo grupo e com razão Passei pro segundo grupo e com razão Meu coração carnavalesco Não foi mais que um adereço Teve um dez em fantasia Mas perdeu em harmonia Sei que atravessei um mar De alegorias Desclassifiquei o amor de tantas alegrias Agora sei Desfilei sob aplausos da ilusão E hoje tenho esse samba de amor, por comissão Fim do carnaval Nas cinzas pude perceber Na apuração perdi você
Segura a emoção que o desfile ainda vai começar,
  Por Zé Armando Barreto @ArMandoBarreto    
Comentar
Compartilhe