Tempo de Recomeçar...
26/04/2019 | 13h40
A origem da comemoração da Páscoa remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska, porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach ou Peseach, cujo significado é passagem. A celebração da páscoa retrata muitos momentos, mas dois momentos merecem ser analisados: a morte e a ressurreição. Eles nos levam a refletir sobre os desafios que a vida nos impõe, pois temos duas opções: focalizar a morte ou nos alegrar com a ressurreição.
Certamente somos conscientes da celebração da ressurreição de Jesus, mas não sabemos se todos sentem esse milagre acontecer em suas vidas. Percebe-se que muitos continuam diante do Jesus crucificado. Pois, apesar da mensagem da ressurreição, muitos continuam, por causa dos mais diversos problemas e dificuldades, sem razão para viver. As tensões, as angústias, as depressões, a violência, a doença, as mudanças e tantas outras dores e contratempos transformam a vida, de muitos, numa eterna crucificação, num eterno muro de lamentações! Lamentar-se, entristecer-se é focalizar a morte. Todavia, é essencial transformar esse sentimento de morte em vida, em ressurreição. Creio que é possível transformar o sofrimento em uma vida plena de sentido. Cheia de realizações. A diferença está em administrar os sofrimentos no interior e acreditar que, a partir dele, algo de muito melhor irá acontecer. Fácil é condenar... difícil é amar... Sentir o perfume de Jesus...
Para ilustrar essa concepção há um exemplo de como o sofrimento se transforma em uma vida plena de sentido: “Um corpo estranho penetra na concha, ferindo-a. A areia áspera machuca sua carne. A concha sofre. A concha tenta expelir o intruso e fracassa. O grão de areia fixou-se. A dor não pode ser eliminada. Então o animal, a partir do âmago da sua natureza, busca a força para transformar o sofrimento em triunfo. Do sofrimento e da aflição, da seiva de suas lágrimas, surge, em longos processos de crescimento interior, a PÉROLA. Um objeto tão precioso e admirado!”
Assim surge a pergunta: como transformar o sofrimento em uma pérola? Existe, dentro de nós, um âmago chamado Jesus. Um Deus que venceu a morte e fez ressurgir a vida. E é esse Deus que nos dá a força para transformar o sofrimento em uma vida plena de sentido. Transformar o sofrimento significa mudar. Entendo que amar consiste em amar o todo, respeitando as diferenças. Amar significa respeitar e tolerar sentimentos ambivalentes, frustrações... Saber transformar o sofrimento em uma vida plena de sentido significa deixar alguém te amar, deixar alguém te cuidar, deixar alguém te proteger. Temos a obrigação de fazer ressurgir o belo, bonito e maravilhoso que existe dentro de cada um de nós. E quem se sente amado por Deus encontra a força para transformar sofrimento em pérola... Espalhe o perfume de Jesus!!!
Há um provérbio que diz: "Não podemos evitar que os pássaros da preocupação e da aflição sobrevoem nossas cabeças, porém podemos impedir que façam ninhos em nossos corações".
Portanto, não podemos ficar estagnados na sexta-feira da paixão, mas devemos lembrar que Jesus vive para que possamos viver. Ressurreição quer dizer levantar-se sempre de novo, trilhando novos caminhos. Somos protagonistas de nossa vida e não espectadores. E, como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.
Celebrar a Páscoa deve ser momento de reflexão, mas também de profunda alegria! Vamos vivenciar com renovada alegria a experiência de Maria Madalena e dos apóstolos que foram ao sepulcro, e ouviram com emoção: “Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui, mas ressuscitou!” (Lc 24,5-6). A Páscoa é uma das celebrações mais importantes da humanidade, pois ela revela que temos um Deus apaixonado por nós, que partilhou conosco o seu bem mais precioso, seu filho muito amado! A cruz não faz vencidos nem vencedores... Faz-nos IRMÃOS... Podemos escolher ser o Judas que traiu, ser Pedro que negou, ou ser Verônica que enxugou o rosto de Jesus... A escolha é sempre nossa... Esse é o milagre da vida! Desejo um Jesus Vivo em todos os nossos atos num coração misericordioso, cordes significa (coração), olhar para o outro com o coração... E então teremos um mundo melhor... Uma Páscoa de paz e de reflexão para todos nós... Jesus está vivo entre nós! Deixemos então que a Páscoa aconteça em nossos corações, pois é o momento de sair do lugar, da rotina... de transformar... de trocar uma vida gasta e empoeirada por um modo novo de ser e de viver... é ajudar mais gente a ser gente, é viver em constante libertação, é crer na vida que vence a morte. Páscoa é renascimento, é recomeço, é uma nova chance para melhorar as coisas que não gostamos em nós e sermos mais felizes! Uma boa e Feliz Páscoa! Então desejo que você SINTA e ESPALHE o perfume de Jesus por onde for...
 
 
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Simplesmente a paz...
26/04/2019 | 13h30
Se você tem sabedoria para falar, fale! Há pessoas precisando de quem lhes rasgue novos horizontes. Se tem o dom de ouvir, ouça! Há pessoas precisando falar para reorganizar os pensamentos e sentimentos. Se tem o dom de enxergar os talentos alheios, enalteça-os! Há pessoas que desabrocham por conta de alguém que lhes reconheça um dom. Se tem discernimento o bastante para fazer uma observação construtiva, faça-a! Há pessoas persistindo no mesmo erro, por falta de alguém que as alerte com carinho e firmeza. Se você não tem vocação para engajar-se em movimentos filantrópicos de grande alcance, tenha em mente que o maior bem a ser semeado começa dentro do seu lar. Oferte a sua canção, a sua poesia, a sua hospitalidade, aquele prato que ninguém sabe fazer igual. Oferte a sua diplomacia, a sua liderança ou a sua capacidade de atuar em segundo plano para o bem comum. Oferte o seu talento para contar piadas e fazer rir. A sua ternura natural no trato com crianças, idosos ou animais. A sua capacidade de manter o sangue frio nas horas de crise, quando todos em sua volta desabam. Há um jeito que é só seu e todo seu, mesmo que seja ofertar uma flor sem ser dia de nada. Mesmo que seja uma prece sincera feita no silêncio do seu quarto. Na contabilidade Divina, pouco importa se o seu jeito de semear o bem vai alcançar uma criatura ou milhões de criaturas. Você está fazendo a sua parte, de um jeito que é só seu. É só isto que realmente importa!
A letra da música - A Paz - nos diz: “Deve haver um lugar dentro do seu coração onde a paz brilhe mais que uma lembrança. Sem a luz que ela traz já nem se consegue mais encontrar o caminho da esperança. Sinta, chega o tempo de enxugar o pranto dos homens se fazendo irmão e estendendo a mão. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz. Se você for capaz de soltar a sua voz pelo ar, como prece de criança, deve então começar e outros vão te acompanhar e cantar com harmonia e esperança. Deixe que esse canto lave o pranto do mundo pra trazer perdão e dividir o pão. Só o amor, muda o que já se fez e a força da paz junta todos outra vez. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz. Quanta dor e sofrimento em volta a gente ainda tem, pra manter a fé e o sonho dos que ainda vem. A lição pro futuro vem da alma e do coração, pra buscar a paz, não olhar pra trás, com amor. Se você começar outros vão te acompanhar e cantar com harmonia e esperança. Só o amor, muda o que já se fez e a força da paz junta todos outra vez. Venha, já é hora de acender a chama da vida e fazer a terra inteira feliz.” ... Porque, há um jeito que é só seu, de semear o bem...
Deixo então com vocês o que Drummond maravilhosamente escreveu em Almas Perfumadas: “Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver. Tem gente que tem cheiro de colo de Deus. De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel. Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração. Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias. Pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos, Deus está conosco, juntinho ao nosso lado. E a gente ri grande que nem menino arteiro. Tem gente como você que nem percebe como tem a alma perfumada! E que esse perfume é dom de Deus.”
Então, seja você sempre! Do seu jeito, mas faça com que todos ao estarem ao seu lado, na convivência diária, possam ouvir e sentir a canção do amor... que todos nós podemos cantar... exalar... por um mundo melhor, uma vida feliz, não sem problemas, mas de forma que prevaleça sempre o lado bom da vida... Cantemos, então, a canção do amor em nossas vidas... sempre...
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Ser sincero não custa nada...
26/04/2019 | 13h29
A palavra sincera tem origem romana. Os romanos fabricavam vasos com uma cera especial tão pura e perfeita que os vasos se tornavam transparentes. Em alguns casos era possível distinguir os objetos guardados no interior do vaso. Para um vaso assim, fino e límpido, diziam os romanos: Como é lindo! Parece até que não tem cera! Sine cera queria dizer sem cera, uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado, que deixava ver através de suas paredes. Com o tempo, o vocábulo sine cera se transformou em sincero e passou a ter um significado relativo ao caráter humano.
Sincero é aquele que é franco, leal, verdadeiro, que não oculta, que não usa disfarces, malícias ou dissimulações. A pessoa sincera, à semelhança do vaso, deixa ver, através de suas palavras, os nobres sentimentos de seu coração. Assim, procuremos a virtude da sinceridade em nossos corações. Sim, pois na forma de potencialidade, ela está lá, aguardando o momento em que iremos despertá-la e cultivá-la em nossos dias. Se buscamos a riqueza do Espírito, esculpindo seus valores ao longo do tempo, devemos lembrar da sinceridade, desse revestimento que nos torna mais límpidos, mais delicados. Por que razão ocultar a verdade, se é a verdade que nos liberta da ignorância? Por que razão usar disfarces, se cedo ou tarde eles caem e seremos obrigados a enfrentar as conseqüências da mentira? Por que razão dissimular, se não desejamos jamais ouvir a dissimulação na voz das pessoas que nos cercam? Quem luta para ser sincero conquista a confiança de todos, e por conseqüência seu respeito, seu amor... a dignidade da palavra firmada. Quem é sincero jamais enfrentará a vergonha de ser descoberto em falsidades. Quem luta pela sinceridade é defensor da verdade, a verdade que liberta.
Sejamos sinceros, lembrando sempre que essa virtude é delicada, é respeitosa, jamais nos permitindo atirar a verdade nos rostos alheios como uma rocha cortante. Sejamos sinceros como educadores de nossos filhos. Primemos pela honestidade ensinando-lhes valores morais, desde cedo, principalmente através de nossos exemplos. Sejamos sinceros e conquistemos as almas que nos cercam. Sejamos o vaso finíssimo que permite, a quem o observa, perceber seu rico conteúdo. Sejamos sinceros, defensores da verdade acima de tudo, e carreguemos conosco não o fardo dos segredos, das malícias, das dissimulações, mas as asas da verdade que nos levarão a vôos cada vez mais altos. Por fim, lembremo-nos do vaso transparente de Roma, e procuremos tornar assim o nosso coração.
As pessoas estão tão acostumadas a ouvir mentiras, que sinceridade demais choca e faz com que você pareça arrogante. A única coisa que importa é colocar em prática, com sinceridade e seriedade, aquilo em que se acredita. Para Villa Lobos a sua música refletia a sua sinceridade... Por isso muitas vezes as ações são muito mais sinceras que as palavras. Vemos que a maneira de falar e de escrever que nunca passa da moda é a de falar e escrever de forma sincera... Nos diz Charles Chaplin que... “Se tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando, falei muitas vezes como um palhaço, mas jamais duvidei da sinceridade da platéia que sorria.”
A sinceridade não custa nada, pelo contrário, só nos faz bem. Eu descobri que as coisas boas da vida são de graça, não custam nada. Eu descobri que o mundo inteiro pode ser o meu jardim, a minha casa, o teu abraço, não custa nada, um beijo seu, não custa nada, a boa idéia, não custa nada, missão cumprida, não custa nada, e quando tudo parecer que está perdido de uma boa gargalhada. Eu descobri que as coisas boas da vida são de graça, não custam nada. Eu descobri que o mundo inteiro pode ser o meu quintal, a minha casa, o por do sol, não custa nada, a brincadeira, não custa nada, um gol de placa, não custa nada, vento no rosto, não custa nada... E quando tudo parecer que está perdido dê uma boa gargalhada... A flor do campo, não custa nada, onda do mar, não custa nada, a poesia, não custa nada, a nossa história, não custa nada, fruta no pé, não custa nada, água da fonte, não custa nada, banho de sol, não custa nada, um bom amigo, não custa nada... E quando tudo parecer que está perdido de uma boa gargalhada... Eu descobri que as coisas boas da vida são de graça, não custam nada...
Já nos dizia Confúcio no século VI a.C. que a sinceridade é o principio e o fim de todas as coisas, sem sinceridade nada seria possível.
Ser sincero não custa nada... Ser sincero é a melhor riqueza que podemos amealhar ao longo da nossa caminhada...
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Amigos...
05/04/2019 | 12h27
 
 
Confúcio falava que para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade. Porém, eu particularmente, discordo em parte desta afirmação. Para mim o verdadeiro amigo é aquele que fica feliz com a sua felicidade, com o seu sucesso, com a sua realização. É muito mais difícil ficarmos felizes com a felicidade do outro, sem fazermos comparações, sem termos uma pontinha de ciúme ou inveja. Este total desprendimento, só é alcançado quando a amizade é genuinamente sincera! É lógico que precisamos dos amigos para as horas tristes ou incertas, pois para que serve um “candeeiro” se for para ficar escondido embaixo da cama!? O candeeiro serve para clarear e iluminar, assim são os amigos nas horas difíceis! Amigos nos proporcionam discernimento, fé, luz, companhia, energia, mesmo no silêncio. Um silêncio tão confiante, que diz: “Estou com você para o que der e vier!”
Ter um amigo é falar sem precisar pensar antes, é poder pensar alto e não ter censura, é ser você mesmo em total liberdade e sintonia com seus valores e desejos. É saber respeitar a individualidade e as escolhas do outro. Ser amigo é ter bom senso, mas, acima de tudo, ter um olhar sempre de esperança.
Existe um texto de William Shakespeare, intitulado “Amigo” que expressa belissimamente o verdadeiro sentido da amizade, enfatizando a diferença entre ela e o amor...
“O amor é mais sensível, a amizade mais segura. O amor nos dá asas, a amizade o chão. No amor há mais carinho, na amizade compreensão. O amor é plantado e com carinho cultivado, a amizade vem faceira, e com troca de alegria e tristeza, torna-se uma grande e querida companheira. Mas quando o amor é sincero ele vem com um grande amigo, e quando a Amizade é concreta, ela é cheia de amor e carinho. Quando se tem um amigo ou uma grande paixão, ambos sentimentos coexistem dentro do seu coração.”
Fazer amigos verdadeiros é a chance que Deus nos dá de escolher uma segunda família! E família é isso, a intercessão do amor e da amizade, regada pela fraternidade e pelo companheirismo.
Os amigos preenchem nossas vidas, nossos dias alegres e tristes! Amigos são como um tesouro precioso que precisamos guardar bem no fundo do coração, num lugar muito especial!
Entretanto existem amigos de todos os tipos e tamanhos: uns são GRANDES, outros, nem tanto, porém não importa o tamanho, os verdadeiros amigos sempre respeitarão seu modo de ser, mesmo que diferente. Eles estarão lá quando você precisar de um ombro amigo ou de um grande abraço. Um verdadeiro amigo se interessa por você como você realmente é. Eles enxergam além do preto e branco para descobrir suas verdadeiras cores, mas, às vezes, basta um olhar para fazer a sua própria música, para ir contigo para qualquer lugar, para te dar muito amor. Cultive seus amigos! Cultivar amigos demanda muito esforço, demanda tempo, mas vale à pena! Afinal, são desses encontros que virão as melhores lembranças de nossas vidas. Cultivar amigos é preservar a vida. É abrir espaço para a compreensão. É se descobrir generoso. É jamais se sentir sozinho. É agradecer os momentos juntos e preservar essa amizade com amor e carinho.
Amigos podem ser amigos para a vida inteira, por isso, pratique com eles a paciência e a tolerância, porque bons amigos são difíceis de se achar, difíceis de deixar, e sobretudo, impossíveis de se esquecer!!!
Nos diz Saint Exupéry que ... "Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada. Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso."
Dê valor as pessoas enquanto elas estão por perto… pois saudade não será motivo suficiente para que elas voltem… O ideal é ser feliz e não perfeito.
Desejo a todos os meus amigos um bom fim-de-semana pleno de paz e de harmonia!
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Páginas em branco...
05/04/2019 | 12h26
 
 
“Certa vez, dois homens estavam seriamente doentes na mesma enfermaria de um grande hospital. O cômodo era bem pequeno e nele havia uma janela que dava para o mundo. Um dos homens tinha como parte do seu tratamento, permissão para sentar-se na cama por uma hora durante as tardes (algo que tinha a ver com a drenagem de fluido de seus pulmões). Sua cama ficava perto da janela.
O outro, contudo, tinha de passar todo o seu tempo deitado de barriga para cima. Todas as tardes, quando o homem cuja cama ficava perto da janela era colocado em posição sentada, passava o tempo descrevendo o que via lá fora.
A janela dava para um parque onde havia um lago. Havia patos e cisnes no lago, e as crianças iam atirar-lhes pão e colocar na água barcos de brinquedo. Jovens namorados caminhavam de mãos dadas entre as árvores, e havia flores, gramados e jogos de bola. E ao fundo, por trás da fileira de árvores, avistava-se o belo contorno dos prédios da cidade.
O homem deitado ouvia o sentado descrever tudo isso, apreciando todos os minutos. Ouviu sobre como uma criança quase caiu no lago e sobre como as garotas estavam bonitas em seus vestidos de verão. As descrições do seu amigo eventualmente o fizeram sentir que quase podia ver o que estava acontecendo lá fora...
Então, em uma bela tarde, ocorreu-lhe um pensamento: Por que o homem que ficava perto da janela deveria ter todo o prazer de ver o que estava acontecendo? Por que ele não podia ter essa chance? Sentiu-se envergonhado, mas quanto mais tentava não pensar assim, mais queria uma mudança. Faria qualquer coisa!
Numa noite, enquanto olhava para o teto, o outro homem subitamente acordou tossindo e sufocando, suas mãos procurando o botão que faria a enfermeira vir correndo. Mas ele o observou sem se mover... mesmo quando o som de respiração parou. De manhã, a enfermeira encontrou o outro homem morto e, silenciosamente, levou embora o seu corpo.
Logo que pareceu apropriado, o homem perguntou se poderia ser colocado na cama perto da janela. Então o colocaram lá, aconchegaram-no sob as cobertas e fizeram com que se sentisse bastante confortável. No minuto em que saíram, ele apoiou-se sobre um cotovelo, com dificuldade e sentindo muita dor, e olhando para fora da janela viu apenas um muro.”
Esta mensagem nos convida a muitas reflexões sobre a forma como encaramos as nossas dores, as nossas alegrias, os nossos problemas e as nossas dificuldades. Vemos como duas pessoas em situações semelhantes reagiram diante das possibilidades que se apresentaram para elas. Cada um de nós vê o mundo sob a ótica dos nossos horizontes.
Se buscamos avaliar as circunstâncias que nos cercam de forma positiva, seremos capazes de visualizar em um simples muro, um filme colorido, em terceira dimensão, e não só trazer alegria para o nosso coração, como também exercer a influência positiva sobre o nosso próximo, fazendo com que ele também seja capaz de partilhar conosco momentos de prazer e de alegria. Se, por outro lado, nos fechamos em nossos problemas e em nossas dores, podemos estar diante de uma das sete maravilhas do mundo e estaremos vendo um mundo preto e branco, onde tudo que há de bom não será capaz de modificar a nossa ótica diante do belo contexto.
Assim somos nós em nossa caminhada. Na maioria das vezes, não conseguimos visualizar como somos privilegiados diante de tantas tragédias e tantos sofrimentos que o mundo vive e que chegam até nós com requintes de detalhes pela mídia, pela internet, e pelas formas mais diversas de divulgação. Em muitos momentos até paramos para comentar o fato, mas não temos o hábito de analisar como somos abençoados diante de tudo que a vida nos oferta. Obviamente que passamos por dores e provações, mas na maioria das vezes nos prendemos nelas, sem força para reação, assistindo o tempo passar pela janela da nossa vida, nos dizer adeus, seguir adiante, e estes momentos nunca mais retornarão, essas oportunidades não serão mais nossas.
Com certeza passaremos por momentos que requerem de nós uma postura de recolhimento para que não sejamos repetitivos em nossas recaídas, freqüentes em nossas frustrações, negativos diante de Deus e do mundo, pessoas que perdem tempo com coisas pequenas. Mas a vida sempre nos convida a novas etapas, e o tempo não nos espera. Temos que levantar a cabeça, reagir diante de Deus, de nós mesmos, da vida, e seguir com firmeza a nossa estrada.
Cada um de nós pode, nas mesmas páginas em branco, com apenas uma frase ou uma figura, escrever um belo conto ou uma bela tragédia. Como você está olhando o mundo que te rodeia neste momento? Você sabia que é responsável não somente por você, mas também por todos que convivem com você no seu dia-a-dia. Quanta responsabilidade!
Que este texto de Ligia Barreto possa nos acordar diante da vida, das oportunidades e nos deixar com a certeza de que a vida é, sempre foi e será aquilo que nós a tornamos.
Desejo a todos uma boa semana, com a certeza de que a aquarela das cores que escolhemos para pintar o muro das nossas vidas possa estar repleta de cores bem alegres e vibrantes, nos trazendo alegrias, esperanças e muita vontade de compartilhar com todos os que nos cercam a beleza da vida que existe dentro de cada um de nós, pois o homem é do tamanho dos seus sonhos, do horizonte que vislumbra!
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

bethlandim99@gmail.com