Miseráveis em Reis...
24/11/2018 | 11h23
 
Um dia, uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: “Que tamanho tem o universo?” Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu: “O universo tem o tamanho do seu mundo”.... Nos diz Augusto Cury. Perturbada, ela novamente indagou: “Que tamanho tem o mundo?” O pensador respondeu: “Tem o tamanho dos seus sonhos”. Se os seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil. Shakespeare disse que “quando se avistam nuvens, os sábios vestem seus mantos”. Sim! A vida tem inevitáveis tempestades. Quando elas sobrevêm, os sábios preparam seus mantos invisíveis: protegem sua emoção, usando sua inteligência como paredes e os seus sonhos como teto.Os sonhos regam a existência como sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalhos, sua emoção não terá romance.Moisés, Buda, Confúcio, Sócrates, Platão, Sêneca, Abrahan Lincoln, Gandhi, Einstein, Freud, Thomas Edson, Machado de Assis, John Kennedy, Agostinho, Madre Tereza de Calcutá, Madre Mazzarello, Dom Bosco e muitos outros foram grandes sonhadores.Estes homens e mulheres mudaram a história porque tiveram grandes projetos. Tiveram grandes projetos porque tiveram grandes sonhos. Seus sonhos aliviaram suas dores, trouxeram esperança nas perdas e renovaram suas forças nas derrotas. Seus sonhos transformaram sua inteligência num solo fértil. Assim, os sonhos são como os ventos. Você os sente, mas não sabe de onde vieram e nem para onde vão. Eles inspiram o poeta, animam o escritor, arrebatam o estudante, dão ousadia ao líder. Os jovens de hoje estão perdendo a capacidade de sonhar! Eles estão adoecendo coletivamente. São agressivos, mas introvertidos; querem muito, mas se satisfazem com pouco. A solução é investir na valorização da capacidade de sonhar e na educação, pois só se realiza aquele que tem um sonho, quem tem um ideal. Sonhos trazem saída para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, renovam as forças do ansioso, animam os deprimidos, transformam os inseguros em seres humanos de raro valor. Os sonhos nos fazem construtores de oportunidades. A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, e a ausência dos sonhos transforma milionários em mendigos. A presença dos sonhos faz, de idosos, jovens, e a ausência de sonhos faz, de jovens, idosos. Por isso, não podemos nunca parar de sonhar, de desejar, de acreditar que é possível construirmos uma família, um trabalho, uma cidade, um país, um mundo melhor. É preciso acreditar que os sonhos são para sempre, e que, se os semearmos em nossas mentes e corações, seremos e poderemos fazer muito mais do que imaginamos. Dessa forma, o sonho é o impulsionador para que possamos dar os primeiros passos rumo aos nossos objetivos. Sonhamos porque existe um Deus que também sonha conosco e por nós. Um Deus que é o arquiteto do universo e que, por trás da cortina da nossa existência, tem um plano para cada um. Porém, só os mais sensíveis ouvem sua voz. Esse é o segredo da felicidade, da realização: descobrir o sonho que o Arquiteto da vida tem para cada um. Mas aí está o desafio: ter a coragem de lutar para realizar o plano que Deus tem para cada um de nós. Devemos lutar sem esmorecer, nos lembrando de recomeçar a cada manhã. Devemos lutar sem olhar para trás, nos lembrando que cada passo que damos é um novo caminho que se descortina a nossa frente, nos fazendo vislumbrar outra auroras em nossas vidas. Devemos lutar caminhando e sentindo o frescor da brisa de Deus, que nos convida sempre a asserenarmos as nossas emoções e a sermos felizes e sobretudo gratos, por tantas bênçãos que recebemos. Quando assim fazemos, sentimos a liberdade que ecoa em nossos corações por nos permitirmos olhar e sentir a vida com amor e leveza, com inspiração e alegria, com cores e amores, com sentimentos de esperança e de muita paz. O caminho se faz ao caminhar. As lutas fazem parte, porém a essência deste caminho está em nosso foco com relação a nossa vida, aos nossos sonhos e as nossas construções. Que façamos a nossa parte enquanto temos tempo... Ah... o tempo... senhor da razão... nos traz sempre todo o entendimento que necessitamos em quaisquer circunstâncias que a vida nos leve a viver. Portanto, nunca pare de sonhar, não permita o envelhecer da sua alma, alimente sempre os seus sonhos com o frescor da juventude... e seja imensamente feliz, lembrando-se sempre que é sempre tempo de recomeçar.
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Para minha mãe, Elza...
14/11/2018 | 20h43
Você me carregou em seu ventre, em seu colo, me deu a mão para os meus primeiros passos, me carregou também na garupa de sua bicicleta, quando ia trabalhar e me deixar na casa de vovó Dagmar, depois em seu fusca (uma das primeiras mulheres a dirigir em Campos). Lembro-me tanto de você dirigindo o seu Jeep, até da placa me lembro 2317, para nossos banhos de mar em Grussaí, nossas pescarias e piqueniques na lagoa de Iquipari, nossos passeios nas restingas da nossa praia... Você me ensinou a gostar de cavalos, pois os adora também, e sempre ouvíamos suas estórias, das cavalgadas pelas restingas em Grussaí, sem hora para acabar... Você sempre adorou dirigir, e mesmo com 17 anos já dirigia o carro do seu pai, dirigia trator, bicicleta, caminhão... gostava do que era diferente para as moças de sua época.
 Você sempre adorou viajar e praticamente rodou meio mundo, e fazíamos as nossas viagens de diversas formas, desde acampar com nossa barraca, a passarmos um mês inteirinho viajando de carro até o Uruguai e Argentina... do nosso passeio de triciclo em Bariloche... dos nossos passeios de carroça e charrete... Da nossa Semana Santa em Roma e tantos lugares e países que sempre fomos juntos... Sua caminhada retrata muito a mulher ousada que você é. Uma das mulheres que fundaram o Tênis Clube de Campos, que realizou os Jogos Primavera em Campos, voluntariamente, em uma época em que a mulher não participava ativamente do esporte. Uma empresária que lidera tantas pessoas e que lá atrás teve a sensibilidade de abrir uma firma de limpeza e serviços gerais, quando isto não fazia parte do dia-a-dia das pessoas aquela época. Advogada atuante, não se eximiu de voltar aos bancos escolares, já com seus filhos com 15, 13 e 8 anos... Foi mais um exemplo seu! Então aprendemos outra lição com você... Nunca é tarde para perseguir nossos sonhos, para buscar o conhecimento incessantemente e não ter limites para realizar. Você nos deixava com nossa Tia Maria Eugênia e ia para a faculdade com papai! E de longe você controlava a casa, o trabalho, e dava conta de estudar e ser feliz... Não posso negar que dávamos trabalho a Lelê (a chamávamos assim), não só porque éramos levados, mas, sobretudo pela rigidez dela... e nem descalço “Fridirico” (como ela o chamava), podia andar. Lembra-se? Tínhamos que estudar com ela, inclusive inglês e nos comportar bem... e toda esta disciplina e exemplo nos fez pessoas melhores... Neste período de muita dor da doença de papai (que a emoção não me permite escrever para ele ainda, mas o farei assim que conseguir), você foi exemplar, dedicada, companheira, paciente e acima de tudo sempre corajosa e tranquila. Num mundo em que as pessoas querem tanta “visibilidade”, seu jeito manso e sereno torna seu jeito invisível de ser, VISÍVEL aos nossos corações, pois vem carregado de pureza, de amor, de presença em todos os segundos da minha vida... No silêncio ou na ausência física, sua presença é totalmente perceptível em minha consciência, nos meus valores, através dos seus conselhos, ensinamentos, de seu exemplo de vida, do equilíbrio das atitudes, do seu discernimento e disponibilidade, do seu silêncio que nos fala muito alto SEMPRE... Na sua tranquilidade do dia-a-dia, seja nos dias difíceis ou na alegria... na sua disposição em nos acompanhar para qualquer programa de lazer ou trabalho, você nunca nega nosso chamado ou convite! Em sua família ou no trabalho, é sempre assim, aparece algum problema, todos pensamos, chama Elza... sua tranquilidade chega com sua bonança, e tudo vai indo para o lugar, sempre com a serenidade característica dos sábios... Você tem a capacidade de adivinhar nosso pensamento, meus sentimentos e de encontrar a palavra certa nos momentos incertos e de nos fortalecer sempre... E, então, você faz 80 anos neste domingo, e nada que eu dissesse aqui representaria o amor e admiração que sentimos por você! Conciliadora sempre... nunca eleva sua voz... E assim eu poderia enumerar inúmeras realizações, mas a maior delas, é o perfume que exala das suas mãos e nos faz sentir o cheiro do amor, do aconchego do seu colo, da sua casa sempre aberta a nos ouvir, da sua forma de falar com os olhos, de ser uma mulher antenada com o mundo e a tecnologia, que adere a tudo acompanhando a evolução dos tempos... e que tem na família seu maior refúgio! Amanhã também comemoramos o aniversário de Eleonora Martins, brincamos de ser sua “gêmula”, pois a vida nos proporciona estas coincidências, e como você tem afinidades e amizade a ela! Eleonora é um anjo em nossas vidas, desprendida, sempre com olhar para o outro, com uma disponibilidade indescritível! Competente, organizadíssima, espiritualizada, desprendida de tudo! Um anjo da guarda que tive a bênção de me tornar irmã da vida. Um ser de luz!!!
 Minha mãe Elza!!! Exemplo de Mulher, Mãe e Honradez! Você nos agasalha sob as suas asas... sua luz nos ilumina, seu carinho e sua firmeza se transformam em energia transformadora para multiplicarmos em nossos lares o seu exemplo de amor... “A vida é boa quando você está feliz, mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por sua causa.” Papa Francisco. E você nos faz sentir assim todos os dias... muito feliz pelos seus 80 anos bem vividos e por muito mais que temos para viver... E assim você me carrega no seu ventre, tenha a certeza de que carregamos você em nossos corações, SEMPRE... Te amamos, mãe!
 Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]