DETOX DA ALMA...
27/03/2017 | 09h52
 
Em tempos de tanta dieta detox, vale a pena investirmos no detox da alma... na quaresma tempo próprio para refletir, repensar, redirecionar, converter pensamentos e atitudes, um detox, uma limpeza de maus pensamentos, pessimismo, falta de valores, se torna alimento imprescindível destes tempos difíceis!
Todos nós passamos por períodos de “inverno”, é nestes longos invernos, que temos que atravessar a dureza que o inverno nos impõe... Assim como na natureza, nos longos invernos, as sementes adormecem e tudo fica árido!
Porem, as sementes continuam lá! Invernando, se fortalecendo, pois para tudo temos um tempo... Um tempo de Deus... Assim como as Ilhas Cagarras, na praia de Ipanema, em dias nublados, não a avistamos da praia... o que não significa que não estejam lá! Então para atravessarmos o longo inverno precisamos de persistência, determinação, competência e fé... Mas principalmente, precisamos ser otimistas, bem humorados, atrair as energias boas, sem deixar nos contagiar pelo pessimismo. Precisamos enxergar além do que os nossos olhos vêem.
Penso que vivemos no mundo e em nosso país, em longo inverno. O mundo passa por um total desequilíbrio. A situação dos refugiados deixa claro este longo inverno. Ter que abandonar sua casa, sua pátria, famílias parte das crianças órfãs, milhares e milhares de pessoas fugindo sem saber para onde ir... No Brasil, vivemos uma crise moral, em que os valores estão sendo colocados à parte.
Falta humanidade, valores, caráter... E são estes valores, que temos que alimentar, junto à esperança de dias melhores, porque nós podemos mudar o curso da história... Às vezes, estamos tão concentrados na dificuldade da nossa escalada que nos esquecemos de agradecer simplesmente por temos uma montanha para escalar.
“Não passam as dores, também não passam as alegrias. Tudo o que nos fez feliz ou infeliz serve para montar o quebra-cabeça da nossa vida, um quebra-cabeça de cem mil peças. Aquela noite que você não conseguiu parar de chorar, aquele dia que você ficou caminhando sem saber para onde ir, aquele beijo cinematográfico que você recebeu, aquela visita surpresa que ela lhe fez, o parto do seu filho, a bronca do seu pai, a demissão injusta, o acidente que lhe deixou cicatrizes, tudo isso vai, aos pouquinhos, formando quem você é. Não há nenhuma peça que não se encaixe. Todas são aproveitáveis. Como são muitas, você pode esquecer-se de algumas, e a isso chamamos de "passou". Não passou. Está lá dentro, meio perdida, mas quando você menos esperar, ela será necessária para você completar o jogo e se enxergar por inteiro.” Martha Medeiros
E é no amálgama deste quebra-cabeças que entra a nossa fé. O verdadeiro sentido da nossa vida, que nos norteia e nos mostra o quanto vale a pena lutarmos para restabelecermos a nossa paz, a nossa tranquilidade, o nosso equilíbrio, a nossa harmonia interior.
E ainda que os invernos venham... e com eles os seus solstícios (paradas do sol em sua trajetória)... ainda assim ficamos com a certeza de que os invernos são antecedidos pelo outono e precedidos pela primavera. Possibilitando-nos reciclar as nossas emoções antes do inverno, nos outonos da vida, tempo de deixar sair de nós tudo que não vale a pena levarmos em nossos corações... e após o inverno... nos alegrarmos com a chegada da primavera que nos encanta os olhos e as emoções com a beleza e a suavidade que as flores nos trazem...
Sentir-se grato o tempo todo, não é fácil. Mas é justamente quando você se sente menos grato que mais precisa daquilo que a gratidão pode lhe dar: Perspectiva.
E é exatamente isto que precisamos: Olhar com olhos de perspectiva – ver longe, ver ao longo, ver com olhos de esperança, ter atitudes otimistas para alterar toda e qualquer vibração negativa em positiva.
Que possamos então “quaresmar” sem perder a perspectiva em dias melhores, em momentos de alegria em nossas vidas, na união da família, no querer bem que contagia, na palavra que acolhe e socorre, no ombro amigo que podemos sempre emprestar, nas palavras que aliviam as dores alheias, nas vibrações positivas que podemos endereçar aos que nos cercam, em ter um coração amoroso e grande o suficiente para amar a todos que estão em nossas trilhas, na certeza de que mesmo em períodos de detox da alma, jamais seguimos sozinhos.
O maior benefício da esperança e da gratidão, é que para senti-las, temos que deixar nosso ego de lado. E o que floresce é a compaixão e uma compreensão maior da vida. Porque por piores que sejam os momentos, eles passarão. Nada dura para sempre.
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Cérebros e Atitudes
24/03/2017 | 13h01
 
Rir sozinha, cantarolar olhando para o céu, sentir a brisa afagar o rosto, andar descalça, soltar os cabelos abraçando o vento, tomar banho de rio, de mar, de cachoeira... Se permitir...
Se permitir desobedecer, revolucionar, comemorar aquela alegria “boa” da vida, rir do nada... Ser você e se amar do jeito que você é, sem julgamentos ou regras... “Que nada nos limite, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.” Simone de Beauvoir... Ser mulher... E ser mulher é estar preparada para a vida... Os tremores do dia-a-dia são inevitáveis... Mas estar preparadas para o terremoto, nos faz nos sentirmos vivos... E nós mulheres, damos sempre um passo à direita, ou à esquerda, em busca de um novo centro de gravidade. Talvez duas palavras que nos definam: novo e gravidade... Estamos sempre “descascando”, trazendo um jeito novo, um novo olhar, uma nova forma de vestir e ser da nossa alma, e isso, nos permite transgredir o velho, o absoluto, o preconceito, o enrijecimento da sensibilidade...
Buscar a gravidade, sendo sempre, o tempero do equilíbrio das relações, o porto seguro, o meio termo, os pés no chão e a cabeça nas estrelas, nos permite sonhar e com isso manter a juventude dos planos, o frescor da alma, o centro de gravidade das nossas famílias...
Que possamos sempre cultivar o amor, pois tristeza não dá flor... E está em nossas mãos florir sempre, plantar e replantar, trazer leveza e boas energias aos nossos ambientes, sermos plenas de vida onde quer que estejamos, enfim... Sermos mulheres de cérebros e atitudes.
O compositor Dominic Mc Clurkin canta uma música que diz: “O que fazer quando você já fez tudo o que podia e mesmo assim nunca parece o bastante? O que você dá quando já deu tudo e mesmo assim parece que não vai conseguir?” A resposta do refrão é simples: “Se mantém firme”. E é nisto que reside a nossa força: na capacidade de enfrentar, resistir e prosseguir, seja qual for o cenário, ou o centro de gravidade. O tempo voa. Não nos espera... E desta forma, só temos um caminho. Continuar crescendo como pessoas, profissionais, em nossas relações... E todo aquele que passa pelo nosso caminho faz parte do que somos hoje... Portanto, mutação, também nos traduz... Nos vestimos e revestimos de tantas mulheres, em tantos papéis, com tantas facetas, que só podemos nos amar pela infinita aquarela que permitimos nos transmutar e desfiar um infinito de cores....
“Acordei, fui ao banheiro, olhei no espelho e vi alguém pelo qual vale a pena viver.” Como nos diz com propriedade Clarice Lispector, que possamos ser sempre esta mulher pela qual vale a pena viver. Depende simplesmente de nós alcançarmos que se não eliminarmos algumas coisas de nossa vida, essas coisas eliminarão a vida que existe em nós. É sempre tempo de recomeçar!
E diante de tantas possibilidades que a vida nos oferece: “Suba bem alto, inspire o ar rarefeito, veja o que nunca foi visto, parta, perca-se, mas faça a escalada” Edna St. Vincent Millay... Partimos sempre, não aceitamos um não como resposta, se um sim será melhor para o coletivo. Evoluir é um processo de escavação que dura a vida inteira! É preciso cavar fundo. É preciso se auto conhecer para então vislumbrar o por do sol que a vida nos descortina todos os dias... “Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores... Eu sou aquela mulher, a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida e não desistir da luta, recomeçar na derrota, renunciar as palavras e pensamentos negativos. Acreditar nos valores humanos e ser otimista. Creio numa força imanente que vai ligando a família humana numa corrente luminosa da fraternidade universal. Creio na solidariedade humana. Creio na superação dos erros e angústias do presente.” Cora Coralina
Porque nada faz uma mulher mais bonita do que acreditar em si mesma, e acreditar sempre... E a maturidade chega a medida que vivemos em paz com aquilo que não podemos mudar... Nos tornamos plenas e felizes... Pois as culpas, desculpas e culpados são pesos desnecessários que travam os nossos passos, corroem os nossos laços e nos impedem o caminhar. Assumamos pois a responsabilidade que nos cabe, reparemos o que for possível e avancemos sem olhar pra trás.
Escalar, plantar flores e amores, não se limitar, que a liberdade seja nossa forma de amar e nos ensinar a amar.... Não guardamos mágoas, guardamos boas lembranças que nos façam crescer, e quando a vida quiser tirar o nosso folego, simplesmente aproveitemos... porque a vida sempre nos tira para dançar... mesmo quando achamos que ela não está no nosso ritmo... Somos Mulher de Flores e Aço, Cérebros e Atitudes.
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]