Sempre as flores...
31/03/2016 | 13h29

"No mesmo instante em que 

recebemos pedras em nosso caminho,

flores estão sendo plantadas mais longe...

...Quem desiste não as vê."

William Shakespeare

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Liberdade...
30/03/2016 | 11h32
c45806c3-215c-49d1-aaaf-1d5ac1d44654

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
E quando os ventos sopram...
28/03/2016 | 10h13

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Tempo de Recomeçar...
27/03/2016 | 14h33

  

É tempo de Páscoa!

Tempo de relembrar o símbolo da cruz e comemorar a ressurreição através de lições que despertam em nós o desejo de crescer como indivíduo, como profissional, como amigo, como cristão...            

Cada dia é um presente único e deve ser vivido intensamente, buscando uma vida melhor, de um Brasil de mais justiça, de um mundo mais humano! Mas isso depende de cada um de nós e de todos, cada um dando sua contribuição e não apenas estendendo as mãos...

Páscoa é renascimento, é recomeço, é uma nova chance para melhorarmos as coisas que não gostamos em nós, para sermos mais felizes por conhecermos a nós mesmos mais um pouquinho e vermos que hoje somos melhores do que fomos ontem. Páscoa é tempo de começar tudo de novo! Tempo de abandonar tudo o que é velho e antigo e olhar pra frente com coragem. Nos dedicarmos à vida como quem sorve o sumo de um fruto saboroso.

RENOVE-SE!!!

Marque sua presença com a vida que faz desabrochar coisas novas. Cante com  alegria a sua vida, faça da sua caminhada uma canção da esperança. Sorria e continue andando, porque é uma alegria poder caminhar. Sinta a felicidade de transformar-se em homem novo. Páscoa é tornar as coisas novas. É libertar-se..  É o encantamento do amanhecer. Páscoa é você deixando rastros de paz e salpicando sementes de esperança por onde passa. Jesus é o sentido pleno e magno de PÁSCOA. Procuremos, efetivamente, seguir a mensagem de amor, de retidão deixada pelo grande exemplo que Jesus nos deixou. Seu sacrifício de amor não foi em vão. Que em nossa imperfeição possamos melhorar a cada dia para superarmos os obstáculos e não esquecermos de transmitir às novas gerações os exemplos do bem viver e as palavras do nosso Mestre. Que as belas mensagens enviadas sejam fixadas em nossas mentes e em nossos corações para todo o sempre e não se esgotem no domingo de Páscoa.   

Desejo a todos uma Páscoa plena de renovação e de libertação!!!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Verbos novos, novo mundo! Borboletar, Flor...
22/03/2016 | 09h21

943843_150244545368021_2654387619548546633_nCom afeto e flores ...

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
O meu partido é o Brasil
19/03/2016 | 09h50

Bandeira do Brasil estilizada com Gorse

“Primeiro vieram…” é um poema atribuído ao Pastor Martin Niemöller sobre a inatividade dos intelectuais alemães depois da subida ao poder dos Nazistas e da perseguição que se seguiu a determinados grupos que, uns após outros, foram alvo das suas atividades de limpeza: Judeus, Social-Democratas, Mulheres, Ciganos, Homossexuais, Negros e inclusivamente Católicos, mas também outras muitas vozes incômodas ao regime, como foi o caso do Pastor alemão Martin Niemöller. Inicialmente apoiante de Hitler, Niemöller veio, por volta de 1934, a opor-se totalmente ao Nazismo e graças às suas boas relações de amizade com influentes homens de negócios, conseguiu ser salvo da prisão até 1937, altura em que foi encarcerado, eventualmente, nos campos de concentração de Sachsenhausen e Dachau. O Pastor sobreviveu e depois da Segunda Guerra Mundial, tornou-se a principal voz de penitência e reconciliação do povo alemão. O seu poema é bastante conhecido e frequentemente citado tendo-se tornado um modelo popular para descrever os perigos de uma apatia política que, começando muitas vezes, com um alvo específico de medo e ódio, assume rapidamente proporções assustadoras e completamente fora de controle.

O poema tem apresentado diversas variantes ao longo dos tempos.

“Primeiro vieram prender os judeus, e eu não levantei minha voz, porque não era judeu. Depois vieram prender os democratas e eu não levantei minha voz porque não era democrata. Depois vieram prender os homossexuais e eu não levantei minha voz porque não era homossexual. Depois vieram prender as mulheres e eu não levantei minha voz porque não era mulher. Depois vieram prender os negros e eu não levantei minha voz porque não era negro... Depois vieram prender-me e já não havia mais ninguém que levantasse a voz por mim...”

Ao longo da história, aspectos como a busca pelo poder, muitas vezes desenfreada, a corrupção, as desigualdades sociais e os privilégios para os políticos fazem com que o processo político ganhe descrédito e antipatia. Não raramente, jovens, adultos, homens e mulheres afirmam que não se interessam, nem gostam de política. Contudo, a questão é: para viver em sociedade, de forma consciente e livre, como é possível se renegar e não buscar compreender a política?

Para entender a dinâmica da sociedade, estar consciente de seus direitos, deveres, bem como dos espaços a conquistar, por quais caminhos transitar, perpassa-se pela importância de mínima consciência política. Entender de política ou saber para onde esta caminha não significa estar vinculado a partidos ou tornar-se um estudioso desta ciência. Mas, na verdade, consiste em exercitar, minimamente, a vida em sociedade, de uma forma consciente e amadurecida. Somos agentes co-participantes desse processo de consciência e atuação política.

Numa democracia, como ocorre no Brasil a escolha de um péssimo governante pode representar uma queda na qualidade de vida. Sem contar que são os políticos os gerenciadores dos encargos que nós tanto pagamos.

 Aprimorar o processo eleitoral e as nossas leis deve ser objetivo de nossos representantes políticos, e a nós cidadãos, de forma organizada, cabe cobrar os resultados, além de participar efetivamente.

Devemos escolher políticos com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade. Para escolhermos bem, em primeiro lugar, temos que eliminar candidatos que visam poder, ações imediatistas e assistencialistas, ascenção, seja financeira ou para outros cargos, como trampolim eleitoral.

Nossa escolha não pode ser direcionada para políticos que usam a miséria da população contra ela própria. Não podemos permitir que o candidato que se utiliza da necessidade do outro para se beneficiar politicamente, seja eleito. O critério equivocado de distribuição não favorece a melhoria de vida da população, mas contribui para o aumento da miséria financeira, afetiva e social. Quando falo de miséria afetiva e social, quero falar da baixa-estima criada pelo assistencialismo barato, que não contribui para suscitar, nas mentes dos cidadãos, a idéia de que todos são capazes de lutar e conseguir uma vida melhor através do trabalho e da luta diária! Escolha conscientemente é prover resultados positivos...

Como nos diz o juiz federal Sérgio Moro: “Perdemos a dignidade, temos dificuldade de encarar a nós mesmos no espelho ou a comunidade internacional num cenário de corrupção sistêmica. Minha crença maior é que temos um governo de leis e as regras tem que ser aplicadas a todos. É dever de ofício.”

Nossas ruas estão pintadas de verde e amarelo e milhões de pessoas clamam pela moralidade, pela justiça, pela liberdade, por um Brasil passado a limpo...

A moralidade dos nossos atos tem que estar de acordo com a nossa fala.

Não deixemos que o poema se repita na apatia de nossa vida política...

Cabe a cada um de nós fazer a sua parte.

Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Caminhada Luminosa
15/03/2016 | 19h39
  CONVITE 15 ANOS

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Meu Partido ...
14/03/2016 | 21h09

Transparente...livre ...

bandeira-do-brasil-sil-silCom afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
As coisas boas da vida são de graça... não custam nada...
10/03/2016 | 17h35

Tire um tempinho e permita-se ser envolvido pelos aconchegantes momentos da vida... que não custam nada...

Eu descobri que as coisas boas da vida são de graça, não custam nada.

Eu descobri que o mundo inteiro pode ser o meu jardim, a minha casa,

o teu abraço, um beijo seu, a boa ideia, missão cumprida, não custa nada,

e quando tudo parecer que está perdido de uma boa gargalhada!!!

Eu descobri que o mundo inteiro pode ser o meu quintal, a minha casa, o por do sol, não custa nada, 

a brincadeira, um gol de placa, vento no rosto, não custa nada,

A flor do campo,  onda do mar, a poesia, a nossa história, fruta no pé, água da fonte, banho de sol,

um bom amigo, não custa nada...

[embed]https://www.youtube.com/watch?v=B_YcHDd4WC4[/embed]

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Mulheres Contemporâneas...
07/03/2016 | 14h45

Nesta semana em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, quero comemorar não só a data internacional, mas a alegria das conquistas que nós, mulheres contemporâneas, vamos somando a cada novo dia... Após as lutas por igualdade de direitos travadas no último século, a mulher contemporânea acumula funções que antes eram delegadas apenas aos homens. As responsabilidades e a carga de trabalho tornam-se cada vez maiores e a mulher sente-se angustiada frente a tantas demandas.

Saber coordenar o investimento de energia em diferentes setores da vida é uma capacidade que permite que a mulher cuide de si, de sua família e de seus afazeres de maneira satisfatória, mesmo que não obtenha a perfeição em nenhuma delas. A aceitação das limitações pessoais possibilita que a mulher reconheça a necessidade de dividir responsabilidades com outras pessoas e lhe permite pedir ajuda sempre que necessário. Tudo isto contribui para que se possa viver de maneira menos angustiada e mais equilibrada.

Família, trabalho, saúde e beleza são áreas da vida em que a mulher geralmente se cobra perfeição. Além das expectativas que ela impõe a si mesma, há também as pressões externas: os filhos querem dedicação exclusiva, o marido deseja uma mulher atraente e atenciosa, o mercado de trabalho exige profissionais disponíveis e competentes, etc. Para corresponder a tantas cobranças a mulher moderna tem que fazer um esforço sobre-humano e ainda assim, na grande maioria dos casos, não obtém o sucesso desejado.

Reconhecer os próprios limites é uma forma de respeitar a si própria e permite que você viva de maneira mais coerente e realista, não exigindo de si mais do que é capaz de oferecer. Mais importante do que ser uma super mulher livre de falhas é saber encarar suas obrigações com tranqüilidade e poder cuidar de maneira equilibrada dos diversos setores de sua vida.

Ser mulher é um mistério divino! Choramos facilmente, rimos com o coração. Nem sempre quando dizemos "não" significa que estamos dizendo "não." Descobrimos que um sorriso pode produzir milagres... e uma lágrima também! Damos à luz sob uma dor terrível e nos esquecemos imediatamente depois de termos nossos filhos nos braços. Corajosas, frágeis e fortes, vamos à luta sem capacete e sem espada. Temos um coração ao lado do cérebro. Não temos músculos, temos garra. Como mulheres, agimos como mães sempre, para os outros e para nós mesmas. Não buscamos igualdade! Mesmo se nós pudermos exercer várias profissões, há emoções que correm como turbilhões dentro de nós que jamais poderão ser experimentadas pelo sexo oposto, a dor e o prazer de oferecer a luz do dia a um anjo, por exemplo.

Não estamos mais à espera de príncipes encantados montados em cavalos brancos! Há muito entendemos que esses só existem nos contos de fadas. O que queremos é simplesmente sermos amadas. Nada mais, nada menos. Não nos preocupamos com músculos e caras, queremos simplesmente alguém que possa nos amar. Parece complicado e, no entanto, é tão simples: só precisamos ser amadas!

Dentro de nós habita uma fada romântica, uma estrela que brilha constantemente que nem os desenganos, nem os casamentos e nem os anos poderão matar. Talvez seja essa uma das diferenças básicas entre um homem e uma mulher: o duende morre mais rápido, morre depois da conquista... Nós, mulheres, seremos sempre... jovens, idosas, maduras, imaturas, belas, fortes, dengosas, charmosas, mimadas, vaidosas ou não... apaixonadas ou à espera... mas sempre, sempre, vai pulsar no nosso peito esse coração de mulher. Coração que ninguém entende, mas que sabe muitas vezes adivinhar a vida!

Nós mulheres temos uma força que impressiona os homens. Suportamos dificuldades, mas mantemos a alegria, o amor e o contentamento. Lutamos por aquilo que acreditamos e nos erguemos contra a injustiça. Não aceitamos "não" como resposta quando acreditamos que há uma solução melhor.

Amamos incondicionalmente, pois nosso coração é o que faz o mundo continuar girando! Temos compaixão e ideais. Como mulheres, não devemos ser apenas fortes, devemos ser mulheres de força!

Uma mulher de força dá o melhor de si a todos e percebe que os erros na vida também podem ser bênçãos inesperadas, aprende com eles. Uma mulher de força tem a graça e tem fé que é durante a jornada que ela se tornará forte. Que sejamos mulheres descomplicadas, pois as mulheres descomplicadas são naturalmente felizes... portanto, descompliquemos a vida.

Desejo a cada mulher que, ao ler este texto, lembre-se de que, com sensibilidade e sabedoria, tem o dom de transformar a vida dos que se aproximam!

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]