Coisas simples... grandes ensinamentos!
28/08/2015 | 22h20

 

            O texto de Ninon Rose Hawryliszyn e Silva nos conta...

“Estes dias vi uma formiga que carregava uma enorme folha. A formiga era pequena e a folha devia ter dez vezes o tamanho dela. A formiga a carregava com sacrifício. Ora a arrastava, ora a tinha sobre a cabeça. Quando o vento batia, a folha tombava, fazendo cair também a formiga. Foram muitos os tropeços, mas, nem por isso, a formiga desanimou de sua tarefa. Eu a observei e acompanhei, até que chegou próximo a um buraco, que devia ser a porta de sua casa. Foi quando pensei: “Até que enfim ela terminou seu empreendimento”. Ilusão minha. Na verdade, havia apenas terminado uma etapa. A folha era muito maior do que a boca do buraco, o que fez com que a formiga a deixasse do lado de fora para, então, entrar sozinha. Foi aí que disse a mim mesmo: “Coitada, tanto sacrifício para nada.” Lembrei-me ainda do ditado popular: “Nadou, nadou e morreu na praia.” Mas a pequena formiga me surpreendeu. Do buraco saíram outras formigas, que começaram a cortar a folha em pequenos pedaços. Elas pareciam alegres na tarefa. Em pouco tempo, a grande folha havia desaparecido, dando lugar a pequenos pedaços e eles estavam todos dentro do buraco. Imediatamente, comecei a refletir sobre minhas experiências. Quantas vezes desanimei diante do tamanho das tarefas ou dificuldades? Talvez, se a formiga tivesse olhado para o tamanho da folha, nem mesmo teria começado a carregá-la. Invejei a persistência, a força daquela formiguinha. Naturalmente, transformei minha reflexão em oração e pedi a Jesus que me desse a tenacidade daquela formiga, para “carregar” as dificuldades do dia-a-dia. Que me desse a perseverança da formiga, para não desanimar diante das quedas. Que eu pudesse ter a inteligência, a sabedoria dela, para dividir em pedaços o fardo que, às vezes, se apresenta grande demais. Que eu tivesse a humildade para partilhar, com os outros, o êxito da chegada, mesmo que o trajeto tivesse sido solitário. Que eu possa, como aquela formiga, não desistir da caminhada, mesmo quando os ventos contrários nos fazem virar de cabeça para baixo, mesmo quando, pelo tamanho da carga, não consigo ver, com nitidez, o caminho a percorrer. A alegria dos filhotes que, provavelmente, esperavam lá dentro pelo alimento, fez aquela formiga esquecer e superar todas as adversidades da estrada. Após meu encontro com aquela formiga, saí mais fortalecida em minha caminhada. Agradeci pela presença daquela formiga em meu caminho ou por me ter feito passar pelo caminho dela. Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente.”

            Em nossa caminhada, não devemos nos fixar nas dificuldades e nos erros, pois ambos são quase que inevitáveis para quem quer avançar e crescer. São acidentes de percurso, contingências do processo evolutivo que todos estamos destinados a vivenciar. O excesso de rigidez e severidade faz com que criemos um padrão mental que influenciará os outros para que nos tratem da mesma forma como os tratamos. Teimosia é uma forma de rigidez da personalidade. É um apego obstinado às próprias idéias e gostos, nunca admitindo insuficiência e erros. Conviver com criaturas que estão sempre com a razão, que acreditam que nasceram para ensinar ou salvar todo mundo e que jamais transgridem a nada, é viver relacionamentos desgastantes e insatisfatórios. Quase sempre fugimos desses indivíduos dogmáticos, incapazes de aceitar e considerar um ponto de vista diferente do seu.

Nesses relacionamentos, ficamos confinados à representação de papéis instrutor-aprendiz, orientador-orientado, mentor-pupilo. Somente escutamos, nunca podemos expressar nossa opinião sobre os eventos e as experiências que compartilhamos. As pessoas teimosas vão ao excesso do desrespeito, por não darem o devido espaço para as diferenças pessoais que existem nos amigos e familiares. Ser flexível não que dizer perda de personalidade ou ser volúvel, mas ser acessível a compreensão das coisas e pessoas. Para melhorarmos as circunstâncias de nossa vida, precisamos transformar nossos padrões de pensamentos limitadores. Isolando-nos dentro dessas fronteiras estreitas, passamos a encarar o mundo de forma reduzida e nos condicionamos a pensar que a vida é uma fatal provação. Assim, não mais vivemos intensamente, limitamo-nos apenas a sobreviver. Explorando opções, diversificando nossas opiniões, conceitos, atitudes e recolhendo os frutos do progresso aqui e acolá, teremos expandida a nossa visão, que será a base para agirmos com prudência e maleabilidade diante das nossas decisões. A arquitetura de uma ponte prevê os movimentos oscilatórios, para que sua estrutura não sofra dano algum. As estruturas imobilizadas nunca são fortes como as flexíveis. Mentalidades rígidas não são consideradas desembaraçadas e rápidas, pois nunca estão prontas para mudar ou para receber novas informações.

Neste contexto, todos nós devemos aproveitar a oportunidade para refletirmos um pouco sobre as nossas atitudes, sobre os pesos desnecessários que carregamos por imposição própria, e buscarmos levar a vida de uma forma mais amena, na interação com as pessoas e situações. Estamos nos aproximando do início da primavera... Quantas oportunidades e bênçãos recebemos e não somos capazes sequer de percebê-las, que dirá de agradecer por elas. Vamos aproveitar o momento para refletir e perceber que sempre é tempo para mudar! Não vamos continuar presos a padrões rígidos que nos causam dor e sofrimento. Liberte-se... Sejamos flexíveis como as formigas, que trabalham sempre no coletivo, na complementaridade... Assim a vida fica mais leve...

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
Casas futuristas têm mesas de jantar que surgem do piso e cama que brota do teto...
26/08/2015 | 09h20

Projetos buscam aproveitamento máximo de espaço. O loft de um quarto de onde emergem sala de jantar, cozinha, banheiro e quarto.

2B8654C500000578-3204956-YO_Homes_is_a_convertible_and_compact_apartment_that_will_be_bui-a-6_1440144163078

Imagine uma casa onde as paredes deslizam com um empurrão suave, a sala de jantar brota de um compartimento no assoalho e uma cama king-size surge a partir do teto. Embora a cena possa soar como filme de ficção científica, graças ao fundador da YO! Sushi, Simon Woodroffe, esses apartamentos em breve estarão disponíveis no Reino Unido.

Home são projetadas para espremer uma cama, cozinha, sala de estar, sala de jantar e banheiro em um estúdio de um quarto.

2B8654D300000578-3204956-At_a_push_of_a_button_a_dining_room_table_emerges_from_the_floor-a-8_1440144163108 Com o toque de um botão, uma mesa de jantar que acomoda quatro pessoas emerge do chão

A mesa desaparece de volta para o chão e uma cama king-size surge do teto

2B8BD88E00000578-3204956-The_table_disappears_back_into_the_floor_and_a_king_size_bed_low-m-15_1440146400019 Um conjunto de 24 apartamentos com as funcionalidades está sendo construído em Manchester e deverá ficar pronto em um ano. Os flats terão um preço que fica em torno de £150 mil (cerca de R$ 750 mil) e serão equipados com sensores de segurança para que quem estiver lá não se machuque durante a troca de cômodos, por exemplo.

2B8BD7DA00000578-3204956-image-a-13_1440146097696 A cama é bem espaçosa

2B8654EF00000578-3204956-Another_feature_is_a_king_size_bed_which_lowers_from_the_ceiling-a-3_1440144162862

Do teto, também surge um telão, e nos armários estão embutidos cozinha e banheiro

2B8654CE00000578-3204956-Upon_opening_some_full_length_cabinet_doors_a_compact_kitchen_un-a-5_1440144162893

Dos armários de armazenamento ao longo da parede aberta revelam uma cozinha completa, com forno, pia e armários Como uma fábrica de automóveis,o apartamento é construído em módulos e, em seguida, entregue praticamente pronto no local onde será instalado.

2B8654E300000578-3204956-Hinged_hatches_can_open_up_for_additional_storage_space_hidden_i-a-7_1440144163083-1 O loft conta ainda com espaços para guardarmalas e outros pertences

2B8654F700000578-3204956-There_is_also_an_attached_bathroom_complete_with_a_modern_bath_t-a-4_1440144162877

O banheiro conta até com banheira..

Com afeto ,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Desafios Contemporâneos... V Congresso Internacional do ISECENSA
24/08/2015 | 19h48

V CICC - ok

É sabido que existem diferenças profundas entre culturas e sociedades. Uma palavra, no entanto - Universidade - parece permanecer constante no espaço e no tempo. A universalidade das instituições universitárias explica-se, em parte pelo menos, pelo fato de que elas desempenham papéis similares em todas as sociedades, relacionados com a existência de instituições e pessoas dedicadas à criação, manutenção e transmissão da cultura. Uma universidade não está fora, separada, mas está dentro da tessitura complexa e contraditória da sociedade, em relações de mútuos interesses. Os problemas da universidade não dizem respeito somente a ela. São problemas de toda a sociedade. Assim, nem se resolvem apenas com medidas internas, muito menos em gabinetes, nem seguros são os caminhos a palmilhar. Cada vez mais, é necessário investir no novo por cima do novo. Cabe à universidade elaborar uma compreensão ampla e fundamentada quanto às finalidades e transformações da sociedade.

Desta forma, o ISECENSA no período de 9 a 11 de setembro se abre para respirar novos ares e saberes com a realização do V CICC - Congresso Internacional do Conhecimento Científico com o tema: Desafios Contemporâneos e a Universidade: sustentabilidade, tecnologia e humanização. O principal objetivo do congresso é servir como um fórum de discussão interdisciplinar sobre os principais conhecimentos e oportunidades de pesquisa, aumentando o intercâmbio de conhecimento e a parceria em projetos conjuntos. A programação técnico-científica será abrangente e participativa, estando previstas discussões sobre as quatro grandes áreas do conhecimento científico, com a proposta de integrar os diversos segmentos da ciência na busca de soluções para as problemáticas atuais.

Para proferir a Palestra Magna teremos o educador e filósofo, Prof. Dr. Mário Sérgio Cortella, com a palestra “Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética”.

Destaca-se ainda a participação do PhD Soleiman Dias (Chadwick Internacional da Coréia do Sul) que apresentará para as Engenharias e Arquitetura a palestra “Cidades Sustentáveis: o caso se Songdo na Coréia do Sul”, a experiência coreana para construir cidades sustentáveis frente ao novo paradigma da sustentabilidade, principal desafio do planeta frente aos graves problemas ambientais que o assolam, e para o Curso de Pedagogia a palestra “Educação e Desenvolvimento” onde irá abordar a experiência educacional coreana que mais uma vez entrou no ranking dos melhores sistemas educacionais do mundo, enquanto o Brasil não consegue melhorar sua classificação.

O Administrador nos EUA e membro da BYU Management Associate da América do Sul, Dr. Ryan Boothe em sua palestra “Uma carreira empoderada: estratégias para transformar seu chefe em seu maior fã” apresentará a técnica do empoderamento para que as pessoas possam melhorar o desempenho profissional das equipes e das organizações. O palestrante é uma das principais autoridades no mundo da mediação dirigida e tem muita experiência na melhora e eficiência das companhias, resolvendo os conflitos que surgem na vida profissional.

Dra. Carla Damásio (Presidente do Conselho Pedagógico da Escola Superior da Saúde do Instituto Politécnico de Leiria/Portugal) com a palestra “Ajuda mútua expressa no blog da pessoa com doença oncológica”.

O médico psiquiatra de Portugal, Dr. Vitor José Amorim Rodrigues, com 30 anos de prática clínica e forense, licenciando em Medicina pela Universidade de Lisboa, mestre em Filosofia e doutor em Psicologia pela Universidade Extremadura – Espanha, irá falar sobre os “Transtornos na Clínica e na Escola”, abordando as práticas clínicas e os transtornos da personalidade. A fisioterapeuta argentina de RPG Souchard na América do Sul, Dra. Julieta Rubinetti irá abordar a “Síndrome de Impacto Subacromial sobe o enfoque do RPG Souchard”. Os arquitetos urbanistas argentinos Jorge Hampton e Emilio Rivoira do escritório Hampton+Rivoira+Arquitectos de Buenos Aires abordarão o tema Idéias e Projetos. A psicóloga Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo com a palestra “Solidão e angústia na contemporaneidade: estratégias de enfrentamento da perspectiva da fenomenologia-existencial”, entre muitos outros.

O ISECENSA, desde sua criação, investe em pesquisa através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), que já contemplou 25 projetos de pesquisa, onde orientadores e bolsistas recebem para exercer estas atividades. Destacamos os projetos em andamento: Biodiversidade de fungos endofíticos de mangue e restinga e a atividade biológica de extratos dos isolados contra Aedes aegypti, desenvolvido em parceria com a Universidade de Bath/Inglaterra; Estudo de demandas para novas funcionalidades para simuladores empresariais baseados em software livre; Análise do padrão do fluxo inspiratório no modo controlado a pressão (PCV) e sua correlação com a mecânica respiratória em pacientes ventilados mecanicamente; Arquitetura do conforto ambiental: otimização do conforto acústico e lumínico em ambientes corporativos; Formação de identidade resiliente e competente de adolescentes de escola pública e da Comunidade Tamarindo: Uma análise comparativa; Efeitos agudos da ingestão de cafeína sobre os níveis de potencia muscular e tempo de reação motora em jogadores de handebol; Tecnologias emergentes e seu impacto no ensino, na aprendizagem, na investigação e no ambiente escolar.

Na educação a aprendizagem é diária... para ensinar a gente aprende e como nos diz o grande cientista Albert Einstein: “A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original”... Conhecimento e comprometimento são a nossa marca... Esperamos você no V Congresso Internacional do Conhecimento Científico no ISECENSA.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
V Congresso Internacional do Conhecimento Científico - ISECENSA
19/08/2015 | 14h26
[embed]https://www.youtube.com/watch?v=leLgX84vqJY[/embed]

Nos dias 09, 10 e 11 de Setembro de 2015, nos Institutos Superiores de Ensino do CENSA - ISECENSA, será realizado o V Congresso Internacional do Conhecimento Científico - V CICC, com o tema: Desafios Contemporâneos e a Universidade: sustentabilidade, tecnologia e humanização.

O principal objetivo do congresso é servir como um fórum de discussão interdisciplinar sobre os principais conhecimentos e oportunidades de pesquisa, aumentando o intercâmbio de conhecimento e a parceria em projetos conjuntos. A programação técnico-científica será abrangente e participativa, estando previstas discussões sobre as quatro grandes áreas do conhecimento científico, com a proposta de integrar os diversos segmentos da ciência na busca de soluções para as problemáticas atuais.

Inscrição e informações pelo site http://isecicc.com.br/event/vcicc/site/index

V CICC - ok

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
As vezes o coração...
04/08/2015 | 11h25

Muito bom recomeçar...sempre...

Com afeto,

Beth landim

Comentar
Compartilhe
Segunda-feira...
03/08/2015 | 11h45

"A vida começa todos os dias..."

Érico Veríssimo

Com afeto,

Beth Landim 

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]