Receita de beleza...
31/10/2014 | 09h12

receitaCom afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Qual é o caminho ?...
29/10/2014 | 11h33

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=VjR5gO71mwQ[/youtube]

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Boas energias para receber os amigos...
28/10/2014 | 11h30

Compartilho com vocês uma mesa em tons de amarelo procurando trazer para um jantar especial toda a energia, luz, disposição, força, alegria e otimismo que essa cor inspira.

Todas essas sensações e sentimentos associados à cor amarela traduzem muito bem o momento agradável de receber os amigos...

A escolha das cores que predominarão na decoração de uma mesa é uma etapa muito importante na deliciosa arte de receber. Além das flores que comporão os arranjos, é essa escolha que determina a louça, talheres, taças, guardanapos...

Sobre jogos americanos rendados brancos, a louça Vista Alegre maravilhosa nos tons azul, branco e amarelo, talheres Bugatti com cabo de madrepérola,  descansos de talher e marcadores de lugar de prata. Taças Strauss amarelas e taças transparentes harmonizaram perfeitamente com a louça... guardanapos de linho branco e porta-guardanapos de orquídea amarela.

Para começar o jantar... aperitivos servidos sobre tábua de queijos.

 Para terminar... cafezinho com cocadinhas baianas...

 

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
O Segredo ...
27/10/2014 | 11h19

details"O segredo é não correr atrás das borboletas...

É cuidar do jardim para que elas venham até você."

Mário Quintana

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Consciência e Liberdade...
24/10/2014 | 21h10

De uma forma geral, a palavra "liberdade" significa a condição de um indivíduo não ser submetido ao domínio de outro e, por isso, ter pleno poder sobre si mesmo e sobre seus atos. O desejo de liberdade é um sentimento profundamente arraigado no ser humano. Situações como: a escolha da profissão, o casamento e o compromisso político, fazem o homem enfrentar a si mesmo e exigem dele uma decisão responsável quanto a seu próprio futuro.

hibiscoredA liberdade se manifesta à consciência como uma certeza primária que perpassa toda a existência, especialmente nos momentos em que se deve tomar decisões importantes e nos quais o indivíduo sente que pode comprometer sua vida.

passarosCecília Meireles nos diz que: “Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.” A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua. Existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência. Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama. É abraçar, se entregar, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção, mas acima de tudo, ser livre é ter um caso de amor com a própria existência e desvendar seus mistérios. É ter CONSCIÊNCIA aliada as suas atitudes.

53407_Papel-de-Parede-Cachoeira_800x600Os sonhos não determinam o lugar em que você vai estar, mas produzem a força necessária para tirá-lo do lugar em que está. Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes. Não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la intensamente. Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos. Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas têm perdas. Não tenha medo de mudar. Portanto, se você quer viver uma vida com liberdade, busque ser feliz. Amarre-se a uma meta, não as pessoas ou as coisas. Tenha a certeza de que a felicidade não é a ausência de problemas, mas a habilidade para lidar com eles, pois a verdade de cada um de nós está em nós mesmos, em nosso ser. Da mesma forma que a paz que precisamos para viver, está instalada em nosso coração. Quando somos pessoas felizes e em paz sentimos com mais intensidade que somos seres livres. Muitas vezes sonhamos com coisas tão longínquas, enquanto tudo o que necessitamos está ao nosso alcance, tão perto de nós, e não somos capazes de perceber.

199564Como nos diz Cora Rónai... “Ao contrário de tanta gente que apoia o partido, eu não acho que democracia seja essencial só para nós brasileiros, mas desnecessária para iranianos, cubanos ou venezuelanos. Eu quero que todo mundo tenha as mesmas prerrogativas que eu tenho, quero que todas as pessoas do mundo possam viver e respirar em ambientes de liberdade, dizendo o que têm vontade de dizer sem risco de desaparecer no dia seguinte. Eu quero ouvir a voz do meu país denunciando ditaduras, e não compactuando com elas.” Um grande estadista inglês afirmou que: “Um povo educado é fácil de governar, difícil de dominar, impossível de se escravizar”. O meu desejo é que cada um de nós possa buscar e exercer sua liberdade infinitamente, pois só assim seremos justos com o direito do outro, e só assim seremos totalmente livres. Precisamos respirar esperança, confiança, mas sobretudo liberdade. Não queremos um país dividido entre pobres e ricos, entre negros e brancos, como é apregoado! Queremos um país unido em torno da pessoa HUMANA, dos valores éticos e morais, pois estes devem ser a base para todo as pessoas. Que possamos amanhã exercer nossa liberdade, com consciência, neste momento tão decisivo de exercer a nossa cidadania, ao votarmos.

SOLQue ecoe dentro de cada um de nós as palavras do nosso Hino Nacional... “Ouviram do Ipiranga às margens plácidas, de um povo heroico o brado retumbante e o sol da Liberdade, em raios fúlgidos, brilhou no céu da Pátria nesse instante. Se o penhor dessa igualdade, conseguimos conquistar com braço forte, em teu seio, ó Liberdade, desafia o nosso peito a própria morte! Ó Pátria amada, Idolatrada Salve! Salve! Brasil, um sonho intenso, um raio vívido, de amor e de esperança à terra desce, se em teu formoso céu, risonho e límpido, a imagem do Cruzeiro resplandece. Gigante pela própria natureza, és belo, és forte, impávido colosso e o teu futuro espelha essa grandeza, terra adorada, entre outras mil és tu, Brasil Ó Pátria amada! Dos filhos deste solo és mãe gentil Pátria amada Brasil! ... Do que a terra mais garrida, teus risonhos, lindos campos têm mais flores, nossos bosques têm mais vida, nossa vida no teu seio mais amores... Ó Pátria amada Idolatrada Salve! Salve!...” Pensemos ao votar conscientemente que o Brasil precisa de nós. Não tenhamos medo de MUDAR...

93683_Papel-de-Parede-Aves-Voando_1280x1024Liberdade Sempre!!! “Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós!

Das lutas na tempestade, dá que ouçamos tua voz!”

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
É sempre tempo... de ser feliz...
24/10/2014 | 12h59

 Como nos diz Drummond...

ser-feliz-sem-motivo-carlos-drummond-de-andradeCom afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Os melhores points de Copenhague...
21/10/2014 | 22h49
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

Capital dinamarquesa esbanja gastronomia e lifestyle...

...

O povo mais feliz do planeta. Assim foram eleitos os dinamarqueses no ano passado, segundo o Relatório Mundial de Felicidade da ONU. E a capital,Copenhague , figura no topo das “melhores cidades para se viver no mundo”. Por aqui, todos amam o sol e, quando ele sai, até mesmo no inverno, os hipsters vestem seu suéter e se acomodam ao ar livre – por isso, quase todos os cafés têm mesas a céu aberto e uma cesta cheia de cobertores ao lado. No inverno, nada de depressão: hygge  que pode ser traduzido como “aconchego”, é um conceito extremamente dinamarquês. Ou seja, apagamos as luzes não para economizar na conta, mas para criar uma sensação calorosa auxiliada pela presença de velas, suéteres, meias de tricô, chocolate quente e conversas sobre a vida e o amor....

Se a reputação no mobiliário e na moda já está estabelecida e a cena gastronômica é vibrante, esta “cidade de torres” – são mais de 500 – também produziu alguns dos arquitetos mais criativos do século passado, de Arne Jacobsen e Jørn Utzon a outros contemporâneos, como Bjarke Ingels. Reino mais antigo da Europa, a Dinamarca costuma ser vendida como um “país de conto de fadas” e os personagens desta fábula valorizam a igualdade, a individualidade e a democracia.

Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

Aqui, mais da metade dos moradores (55%) se locomove em duas rodas! Seguindo esta tendência, embarque na Cycle Snake – a mais nova ciclovia da cidade, que serpenteia o porto – e vá direto à Baisikeli, misto de loja e café onde é possível alugar ou comprar sua própria bike, criada na África com peças reaproveitadas. Se quiser uma versão exclusiva e feita à mão, a pequena Cykelmageren deve estar no topo do seu roteiro.

Strøget é o principal calçadão para pedestres, que vai da prefeitura, ao sul, até Kongens Nytorv, ao norte. A ponta norte desta artéria é mais refinada, com lojas como Gucci, Lanvin e Max Mara. Na rua de cima, København, no bairro conhecido como Grønnegade-kvarteret – ficam as concept stores descoladas Wood Wood, Storm e Holly Golightly. Para o almoço, faça como os locais: compre um lanche e vá saboreá-lo no coração verde de Copenhague – criado no século 17, o Kongens Have (Jardim do Rei), ainda tem preservados seus pavilhões, lago e floreiras, além do charmoso castelo Rosenborg, que guarda as joias da coroa atrás de portas espessas de ferro.

Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

Em Nyhavn é fácil se distrair com as casas coloridas e o clima agitado, mas se quiser agir como os locais, evite a distração e vá ao The Standard para tomar um drink curtindo a vista. No caminho, não deixe de passar no Studio Oliver Gustav, pequena butique que oferece peças de designers e artistas famosos. Outra opção é a pequena butique Stilleben, dos ceramistas Ditte Reckweg e Jelena Schou Nordentoft, com tecidos, cerâmicas, gravuras e acessórios de artesãos dinamarqueses como Helena Rohner, Ditte Fischer, Made a Mano e Kæhler.

Apesar do inglês fluente da maior parte dos dinamarqueses, pode ser que eles não respondam com profundidade à pergunta “como vai você”, mas apontarão com prazer onde fica o bar, a praia ou a bicicleta disponível mais próxima.

Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

 Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

 Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

 

 Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

 Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

 Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)

Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
Lazer Viagem Copenhague (Foto: Line T. Klein)
..
Viajar ...nada melhor...
Com afeto,
Beth Landim
Comentar
Compartilhe
Ser professor é... aprender sempre...
17/10/2014 | 20h00

prorfComemoramos no dia 15 de outubro o Dia do Professor... Educador, em latim educ?tor, ?ris, significa “o que cria, nutre, diretor, pedagogo”. A palavra professor vem de "professar", que, além de lecionar, significa “declarar publicamente uma convicção ou um compromisso de conduta", como a de uma profissão. Não por acaso, as duas têm a mesma raiz. Nós, mestres, somos profissionais em vários sentidos: por ensinarmos e por nos comprometermos com condutas de trabalho, numa atividade que exige a contínua exposição de convicções. Essa condição também envolve responsabilidades múltiplas, com conhecimentos e procedimentos, especialmente por lidarmos com muitos jovens e crianças e por um tempo longo.

estudo-espirita-1A cada dia há uma nova aprendizagem em nossa vida. Ao ensinar a gente aprende e, com essa aprendizagem, a gente ensina melhor. Isso sempre se transforma num círculo contínuo e, o melhor, produtivo. Faz-se necessário uma revisão de valores pela sociedade e maior valorização do professor, tanto intelectualmente quanto financeiramente. Para de fato sermos educadores, é preciso ser inteiro nas lágrimas e no sorriso. Inteiro no ensinar e no aprender. É saber que nossos alunos precisam de nós, e nós precisamos deles. Por isso, somos tão especiais. E nesta nobre missão de educar, nossa humanidade se enriquece ainda mais. Precisamos nos lembrar disso não para nos sentirmos mais importantes do que já somos, mas para termos consciência de que, no desempenho dessa função social, não dá para ignorar limitações pessoais e problemas, ou seja, nossa condição humana.

Todo mundo tem um professor ou professora inesquecível. Alguém que marcou profundamente nossa caminhada e que, em muitos momentos, inspira, através de lembranças, a nossa trajetória profissional e pessoal. Pare e pense... quem foi um mestre inesquecível para você?

florAo pensar em um professor inesquecível ao longo de nossa história, percebemos alguém que, como qualquer pessoa, possuía medos, sonhos, dúvidas, inseguranças, mas que, no entanto, se diferenciava dos demais, simplesmente porque era alguém predisposto a aprender, capaz de fazer seus alunos refletirem sobre seus comportamentos e a realidade que os cercava. Alguém que, ao invés de ensinar respostas, ensinava perguntas, provocando os alunos a investigarem, pesquisarem e tornarem-se pensadores e não meros repetidores do que outras gerações já tenham feito. É inegável que exercer o magistério causa certo fascínio, pois supõe a capacidade de influenciar as pessoas a ver, ouvir, sentir a beleza da vida e, sobretudo, plantar a semente de mudança para um mundo melhor! É por isso, que hoje escrevo para todos os meus professores de ontem, de hoje e de amanhã, a fim de lembrá-los de que a profissão docente é a base que sustenta toda sociedade, pois todas as profissões se fazem e se constituem a partir dela.

continuar-a-aprendizagemO exercício dessa profissão é árduo e exaustivo. Os percalços do dia a dia da sala de aula são constantes. O professor tem que educar, transmitir conhecimento, estar aberto ao novo, mediar conflitos, trabalhar o conhecimento de forma interligada, ter conhecimento pleno sobre a evolução do processo cognitivo de seu aluno e outros. Aos professores de Campos, a minha homenagem pelo nosso dia, minha gratidão eterna! Não escrevo para heróis e heroínas fictícios, mas para pessoas reais que sabem que educar é realizar a mais bela e complexa arte da inteligência. Educar é acreditar na vida e ter esperança no futuro!

Agradeço a todos os educadores de Campos que, com profissionalismo, competência e amor, fizeram e fazem a diferença na educação, plantando em nossas mentes e corações a semente da transformação da sociedade, não através da luta exacerbada pelo poder, mas a transformação por meio do amor, da partilha e da PAZ! Essa deve ser a verdadeira arma de transformação da sociedade, usar o conhecimento para cultivar a paz e o bem comum! A vocês, professores que são mestres da vida, sujeitos que usam, mas transcendem a lógica e operam no universo da emoção - não a emoção teatral, mas genuína, emoção que contagia a partir do invisível - a minha homenagem!

fotos-de-flores-lindas-10Hoje comemoramos o Dia do Médico... O dia 18 de outubro foi escolhido em homenagem ao nascimento de São Lucas, o protetor dos médicos. São Lucas foi um dos seguidores de Jesus, segundo a tradição, escreveu um dos livros dos Evangelhos e o livro de Atos dos Apóstolos. Nestes livros, contou muitas histórias de Cristo, inclusive curas e milagres que presenciou. São Lucas estudou medicina em Antioquia (atual Turquia), e foi chamado pelo apóstolo Paulo de "amado médico" na epístola aos Colossenses. É considerado patrono dos médicos desde o século XV. Fica a nossa homenagem aos médicos no dia de hoje pois o exercício da medicina com amor é um dom divino.

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Mar... liberdade... animais...
17/10/2014 | 09h22

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=MHUI-YCuArU[/youtube]

Adoro uma praia, "furar" uma onda e nadar... nadar... se largar dentro da imensidão do mar...

Me dá sempre a sensação de liberdade... o mar se funde ao céu que se funde aos nossos pensamentos...

E ver esse vídeo, com essa música gostosa, e os cães indo pela primeira vez a praia... foi delicioso...

Onze cães e um gato...

Eu adoro animais, tenho cães e gatos...

E brindemos, porque hoje é sexta feira...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Professor... a gente nunca esquece...
15/10/2014 | 14h48

Nunca esquecemos  nossos professores...

Alguns nos marcam profundamente...

Não somente pelos ensinamentos acadêmicos, mas principalmente os que nos tocaram por sua sensibilidade, pela visão de mundo, pelo caráter e por acreditar que a educação nos transforma e humaniza...

Parabéns para nós que acreditamos na educação!!!

Com afeto,

Beth Landim

 

 

 

 
Comentar
Compartilhe
Para apreciar...
13/10/2014 | 16h54

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=N-lhtB6K-tM[/youtube]

Neste final de tarde de segunda-feira

vale a pena parar um pouquinho e apreciar este artista de rua...

A arte sempre me sensibiliza.

Aproveite, ligue o som e curta a música...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Lenda Chinesa
10/10/2014 | 14h14

Era uma vez uma jovem chamada Lin, que se casou e foi viver com o marido na casa da sogra. Depois de algum tempo, começou a ver que não se adaptava à ela. O temperamento de Lin era muito diferente e se irritava constantemente com a mãe de seu marido. Com o passar dos tempos, as coisas pioraram tanto, que viver com ela, se tornou insuportável. No entanto, segundo as tradições antigas da China, a nora tem que estar sempre a serviço da sogra e obedecer-lhe. Mas Lin, não suportando por mais tempo, a idéia de viver com ela e tomou a decisão de ir consultar um Mestre. Depois de ouvir a jovem, o Mestre Huang pegou num bom ramalhete de erva, para se usar por meses e disse-lhe: “Para te livrares da tua sogra, não as deves usar de uma só vez, pois isto, poderia causar suspeitas. Vais misturá-las com a comida, pouco a pouco, dia após dia, e assim ela vai-se envenenando lentamente. Outra coisa, para que ninguém suspeite de ti quando ela morrer, tenha o cuidado de tratá-la sempre com muita amizade, respeito e carinho”. Lin respondeu: “Obrigado, Mestre Huang, farei tudo o que me recomendas”. Lin ficou muito contente e voltou entusiasmada com o projeto de assassinar a sogra lentamente. Durante várias semanas, Lin serviu todos os dias, uma refeição preparada especialmente para a sogra. E tinha sempre presente, a recomendação do Mestre Huang, que para evitar suspeitas, deveria controlar seu temperamento e tratá-la com amizade, respeito e carinho.

Passados seis meses... Aquela família, estava totalmente mudada. Lin controlou totalmente o seu temperamento e não se aborrecia mais com a sogra. Havia meses que não mais discutia com ela. A sogra se mostrava muitíssima amável e a tratava como fosse uma filha querida. A atitude de Lin mudou tanto, que ambas pareciam ser mãe e filha. Então, Lin foi correndo procurar o Mestre Huang, para lhe pedir uma nova ajuda e disse-lhe: “Mestre, por favor, ajude-me a evitar que o veneno venha a matar a minha sogra. É que ela mudou muito e se transformou numa mulher tão agradável, que parece ser minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que lhe dei.” Mestre Huang sorriu e abanou a cabeça: “Lin, não te preocupes. A tua sogra não mudou. Quem mudou foste tu. A erva que te dei é apenas um chá. O veneno Lin, estava nas tuas atitudes, mas foi sendo substituído pela prática do amor ao próximo que exercitastes no seu dia a dia de tolerância, compreensão e paciência”.

É sempre tempo de repensar atitudes...

Relacionar-se é uma deliciosa aventura e, ao mesmo tempo, uma fonte imensurável de alegria e risco, pois uma andorinha só não faz verão, e o que seria de nós isolados de todos que nos cercam e caminham lado a lado conosco nesta etapa do caminho? Em todo mal-entendido reside muito desgaste e sofrimento desnecessário. Por isso, é preciso estar atento àqueles que amamos, aos anseios e necessidades daqueles que nos cercam. Atenção à palavra que devia ter sido pronunciada, mas ficou fechada na garganta e era hora de falar e, sobretudo, ao silêncio que não foi erguido no momento exato quando era momento de calar. São nos relacionamentos que as personalidades se confrontam, os medos se comunicam e a sutil necessidade de impor, característica inerente ao ser humano, se aflora e se disfarça em zelo e proteção. Se somos todos tão dependentes de amar e receber amor, precisamos lapidar nossas emoções e fixar atitudes que alarguem nossos passos e abram nosso coração em direção ao outro. Somos seres que buscam incessantemente a luz, então temos que buscar com mais intensidade esta ligação com o divino que irá nos inspirar sempre, nos tornando pessoas mais leves, de bem com a vida, sem tantos temores e receios que nos impedem de prosseguir, retardando o nosso progresso.

Partilhar a vida com alguém é oportunidade de enriquecê-la. Sempre vale a pena apostar nos relacionamentos quando existe a vontade de descobrir esse outro, tocar sua alma, entender o que deseja, do que precisa, o que pode e o que lhe é possível fazer. Ansiando por coisas prontas e procurando, no outro, os modelos exatos das coisas que nos completam, jamais encontraremos a cumplicidade tão necessária nos relacionamentos diários. Admitir a liberdade do outro é tarefa árdua e fundamental para o próprio crescimento. A alma daqueles que amamos será sempre uma terra inexplorada e não-mapeada, mas a humildade e a coragem de habitá-la sempre serão facilitadores desse sinuoso caminho. Erguemos muralhas difíceis de invadir porque, inseguros de nossos potenciais, precisamos usar máscaras. Enquanto isso impedimos que o outro nos descubra e se aproxime, perdendo um tempo que se chama “presente precioso” e que devemos vivê-lo com plena intensidade. Seja como for, desejo que a alma daqueles que você ama, seja sempre a busca constante de seu encontro e crescimento pessoal, para que os relacionamentos floresçam e o estreitamento dos laços afetivos sejam instrumentos de reescrita de sua história. Quando mudamos nossas atitudes... tudo ao redor muda...

Com afeto,

Beth Landim

Comentar
Compartilhe
Aprendi...
09/10/2014 | 16h34

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
Voto, uma escolha consciente
06/10/2014 | 12h03

Ninguém em sã consciência ousaria negar que o voto constitui um instrumento secreto e decisivo do cidadão. Mas também ninguém em sã consciência afirmaria que o simples ato de votar, a cada dois anos, esgote em si mesmo os “direitos e deveres” de uma verdadeira cidadania. Esta, quando real e eficaz, inclui outros compromissos bem mais complexos e empenhativos que o fato de depositar o voto na urna. Fato que, nas chamadas democracias ocidentais, em lugar de uma participação livre, consciente e decisiva, cumpre não raro uma função meramente simbólica e emblemática. É assim que entre as três formas de voto – voto de cabresto, voto de transferência e voto consciente – podemos dizer que enquanto a primeira vai diminuindo e a última crescendo, prevalece ainda a segunda forma de voto. Isto é, muitos eleitores votam e voltam para casa, como se a urna fosse o lugar para transferir aos representantes eleitos o exercício da própria cidadania. Cidadania é coisa que não se transfere: embora o político eleito, pelo fato de sê-lo, adquira maior visibilidade na administração publica, compete a cada eleitor buscar espaços alternativos de participação.

Feitas essas ressalvas, retomemos os compromissos da cidadania. O primeiro deles tem um alcance limitado e local, mas de forma alguma negligenciável. E a pergunta é muito simples: de que maneira cada cidadão acompanha a administração pública de sua rua, de seu bairro, de seu município, do seu estado, do seu país?

O Poder Público em seus mais variados órgãos e instâncias se faz presente no cotidiano da vida?

Outras perguntas tomam lugar no cenário da atividade política: como se comportam as pessoas públicas eleitas, seja no âmbito do poder executivo (municipal, estadual e nacional), seja nas atividades do poder legislativo, como vereadores, deputados e senadores? Em geral, no programa do partido notar-se-á sempre uma discrepância entre as “promessas do candidato” durante a campanha eleitoral e a “realização do político” eleito no exercício do mandato. Por fim, mas não em último lugar, chegamos a tarefa mais exigente da cidadania numa efetiva prática democrática. Além de escolher os candidatos do voto e fiscalizar a presença (ou não) do poder público na vizinhança, todo cidadão tem o “direito e o dever” de acompanhar de perto a ação múltipla e plural do poder público. O que significa participar ativamente das decisões que orientam os destinos do país, especialmente no que se refere à sua política econômica, social e cultural. Aqui a informação e a formação correta exercem um papel de fundamental importância. Em síntese, político representativo, de um lado, e eleitor cidadão, do outro, constituem duas faces da mesma moeda, dois pólos da prática política. São, portanto indissociáveis, indivorciáveis.

Em síntese, não basta o voto puro e simples. Não basta a visita periódica à urna, seguida de um “lava-mãos”: fiz a minha parte, os políticos que façam o resto! Não basta a fidelidade do eleitor. É preciso que o cidadão o seja de fato, assumindo o direito e o dever de exercer a cidadania. Nessa perspectiva, faz-se necessário criar e/ou fortalecer outros canais, instâncias e mecanismos de participação popular. São instrumentos que podem ajudar não somente no controle sobre o comportamento público dos eleitos, orçamento do município, do estado e da União. E mais, na pressão consciente e organizada para implementar ou melhorar os serviços.

Muitas pessoas não conhecem o poder do voto e o significado que a política tem em suas vidas. Numa democracia, como ocorre no Brasil, as eleições são de fundamental importância, além de representar um ato de cidadania. Possibilitam a escolha de representantes e governantes que fazem e executam leis que interferem diretamente em nossas vidas. Escolher um péssimo governante pode representar uma queda na qualidade de vida.

O voto deve ser valorizado e ocorrer de forma consciente. Devemos votar em políticos com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade. Os caminhos da vida são feitos de decisões e escolhas. Assim, o que cada um de nós é hoje, seja na sua vida profissional, seja na sua vida pessoal, é consequência destas escolhas e das ações adotadas para efetivá-las.

A todo o momento, queiramos ou não, conscientes ou inconscientes, por ação ou omissão, estamos sempre fazendo escolhas. E nunca é demais lembrar que não escolher já é uma escolha. Se quisermos ser os timoneiros da nau da nossa vida, devemos procurar ser conscientes das escolhas que fizemos e estamos fazendo, pois é esta consciência que nos permite assumir a responsabilidade pelos nossos atos.

A riqueza de nossa vida está muito relacionada aos significados que damos ao que fazemos. É a história dos três operários que estavam numa mesma obra e foram indagados sobre o que estavam fazendo. Um deles disse que estava assentando pedras. O outro, que estava construindo uma escada. O terceiro, que estava colaborando para a construção de uma catedral. Nós podemos escolher os significados que damos a tudo o que fazemos e isto pode representar uma grande diferença.

A vida é a arte das escolhas, dos sonhos, dos desafios e da ação.

Bom domingo eleitoral para todos!

Com afeto,

Beth Landim

 
Comentar
Compartilhe
HOJE: 12 HOMENS E UMA SENTENÇA...
02/10/2014 | 16h46

Hoje no ISECENSA teremos a apresentação do filme "12 homens e uma sentença"

seguida de debate com o presidente do CRA-RJ

(Conselho Regional de Administração) Wagner Siqueira.

Todos estão convidados. Entrada franca.

Com afeto,

Beth Landim

       
Comentar
Compartilhe
ESQUEÇA O COPO
01/10/2014 | 16h46

Um encontro informal pede descontração nos detalhes.

O copo, por exemplo, pode dar lugar a garrafinhas ou potes de geleia...

O menos é mais... mudar sempre nos renova...

 

Mini garrafas que lembram as garrafas antigas de leite...

Potes de papinha de bebê com tampa e tudo...

Foram reutilizados e viraram recipientes descolados para uma versão rosa da limonada...

Potes de geleia têm um jeito retrô e caem muito bem para sucos...

Garrafas pequenas de refrigerantes também podem ser reaproveitadas...

Bowls de prata com gelo servem de apoio para as garrafinhas...

Os potes de geleia viram copos com uma pequena mudança no visual.

Ganharam canudinhos e rótulos de papel kraft, arrematados com fitas.

Com afeto,

Beth Landim


 

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Elizabeth Landim

[email protected]